Вы находитесь на странице: 1из 2

FNONS - BURACOS NEGROS ACSTICOS

Fnons so partculas originadas quando a oscilao trmica das molculas de


uma onda acstica em um fluido se aproximam do zero absoluto, seu tom depende de
vrios fatores, como a cintica do fluido e sua geometria.
H uma semelhana enorme com relao propagao do som em um fluido em
movimento e a da luz no espao-tempo curvo. As ondas acsticas so caracterizadas
por freqncia, comprimento de onda e velocidade de propagao, em escalas
menores, ondas acsticas deixam de existir. A oscilao trmica aleatria das
molculas impede que as ondas sonoras se comportem de maneira contrria aos
quanta de luz. Mas medida que a temperatura se aproxima do zero absoluto, o som
pode se comportar como partculas qunticas, chamada de fnons.

Em um fluido em repouso ou em movimento uniforme, os fnons se comportam como
os ftons no espao-tempo plano, os fnons se propagam em linha reta e assim fomo
os ftons, eles podem ser desviados. A velocidade dos fnons assim como seu
comprimento de onda alterado em um fluido que se move de maneira no-uniforme,
isso tambm ocorre com os ftons em um espao-tempo curvo.
(48,9S/(II(=S&I,&?=(=80 =%8SS&?=I(*S?=
Quando um fluido esta em movimento pode atuar sobre o som como um buraco
negro sobre a luz. Podemos criar um buraco negro acstico utilizando um Bocal de
laval. O bocal faz com que o fluido atinja e exceda a velocidade do som no ponto mais
estreito sem fazer uma mudana drstica nas propriedades do fluido. O bocal possui
uma geometria acstica muito semelhante a do espao- tempo de um buraco negro.
Ele possui uma regio supersnica que atua como o interior doburaco negro, assim
como a luz arrastada para centro de um buraco negro, as ondas sonoras que se
propagam contra o fluxo so arrastadas por elas. Na regio subsnica, assim como
a luz pode ser desviada para o vermelho, as ondas sonoras que se propagam contra
a corrente so esticadas. A fronteira entre as duas regies se comporta exatamente
como o horizonte de eventos de um buraco negro. Quando o fluido estiver
suficientemente frio a analogia chega ao nvel quntico. O horizonte de eventos
snicos emite fnons trmicos da mesma forma que a radiao HAWKING, esses
fnons surgem quando h flutuaes qunticas acerca do horizonte de eventos, ento
uma das partculas tragada para a regio supersnica, onde permanecer, a sua
companheira que permanece do outro lado do horizonte de eventos e se propaga
contra a corrente, sendo assim ela alongada pelo fluxo do fluido.

[Autor: Thiago Guimares]