Вы находитесь на странице: 1из 46

Enfª Diva Terezinha Tesser

Enfª Estagiária Alexandra S.


Machado
Introdução:
A natureza humana tem como uma de suas
principais atividades o cuidar, que é a
essência do profissional de enfermagem. O
zelo com os pacientes deve ser a maior
preocupação do(a) enfermeiro (a).
A ética é uma parte da ciência moral, mais
do que limitar-se a um feixe de normas, ela
procura a humanização do trabalho
organizado, isto é, procura colocá-lo a
serviço do homem, da sua promoção, da sua
fidelidade social.
Definição:
Podemos definir ética como um
conjunto de regras, princípios de
maneira de pensar que guiam, ou
chamam a si a autoridade de
guiar, as ações de um grupo em
particular (moralidade), ou,
também, o estudo sistemático da
argumentação sobre como nós
devemos agir (filosofia moral).
Definição:
A simples existência da moral não
significa a presença explícita de
uma ética, entendida como
filosofia moral, pois é preciso uma
reflexão que discuta, problematize
e interprete o significado  dos
valores morais.
História da Ética:
Todo ser é dotado de uma consciência
moral, que o faz distinguir o certo ou
errado, justo ou injusto, bom ou ruim,
com isso é capaz de avaliar suas
ações, sendo portanto, capaz de ser
ético.
A ética vem a ser os valores, que se
tornam os deveres, incorporados por
cada cultura e que são expressos em
ações. Portanto é a ciência do dever,
da obrigatoriedade, a qual rege a
conduta humana.
Ética Profissional
É um conjunto de normas de
conduta que deverão ser postas em
prática no exercício de qualquer
profissão.
A ética profissional estuda o
relacionamento do profissional com
sua clientela, visando à dignidade
humana e a construção do bem-
estar no contexto sócio-cultural
onde exerce sua profissão.
Ética Profissional:

Ela atinge todas as profissões


e quando falamos de ética
profissional estamos nos
referindo ao caráter normativo
e até jurídico que regulamenta
determinada profissão a partir
de estatutos e códigos
específicos.
Código de Ética
Profissional
As profissões apresentam a ética firmada
em questões muito relevantes que
ultrapassam o campo profissional em si.
Questões como o aborto, pena de morte,
seqüestros, eutanásia, AIDS, por exemplo,
são questões morais que se apresentam
como problemas éticos - porque pedem uma
reflexão profunda - e, um profissional, ao se
debruçar sobre elas, não o faz apenas como
tal, mas como um pensador, um "filósofo da
ciência", ou seja, da profissão que exerce.
Desta forma, a reflexão ética entra na
moralidade de qualquer atividade
profissional humana.
Ética Profissional:
Sendo a ética inerente à vida
humana, sua importância é
bastante evidenciada na vida
profissional, porque cada
profissional tem responsabilidades
individuais e responsabilidades
sociais, pois envolvem pessoas
que dela se beneficiam.
Ética Profissional:
A ética é ainda indispensável ao
profissional, porque na ação humana
"o fazer" e "o agir" estão interligados.
O fazer diz respeito à competência, à
eficiência que todo profissional deve
possuir para exercer bem a sua
profissão. O agir se refere à conduta
do profissional, ao conjunto de
atitudes que deve assumir no
desempenho de sua profissão.
Individualismo e Ética
Profissional:
Parece ser uma tendência do ser
humano, como tem sido objeto de
referências de muitos estudiosos, a
de defender, em primeiro lugar, seus
interesses próprios e, quando esses
interesses são de natureza pouco
recomendável, ocorrem seriíssimos
problemas.
Individualismo e Ética
Profissional:
O valor ético do esforço humano é
variável em função de seu alcance em
face da comunidade. Se o trabalho
executado é só para adquirir renda, em
geral, tem seu valor restrito. Por outro
lado, nos serviços realizados com amor,
visando ao benefício de terceiros, dentro
de vasto raio de ação, com consciência
do bem comum, passa a existir a
expressão social do mesmo.
Individualismo e
Ética Profissional:
Aquele que só se preocupa com os
lucros, geralmente, tende a ter
menor consciência de grupo.
Fascinado pela preocupação
monetária, a ele pouco importa o
que ocorre com a sua comunidade
e muito menos com a sociedade.
Virtudes Profissionais:
Não obstante os deveres de um
profissional, os quais são obrigatórios,
devem ser levadas em conta as
qualidades pessoais que também
concorrem para o enriquecimento de
sua atuação profissional, algumas
delas facilitando o exercício da
profissão.
Virtudes Profissionais:
Muitas destas qualidades poderão ser
adquiridas com esforço e boa vontade,
aumentando neste caso o mérito do
profissional que, no decorrer de sua
atividade profissional, consegue
incorporá-las à sua personalidade,
procurando vivenciá-las ao lado dos
deveres profissionais.
Virtudes Profissionais:

Honestidade: é a primeira
virtude no campo profissional. É
um princípio que não admite
relatividade, tolerância ou
interpretações circunstanciais.
Virtudes Profissionais:

Sigilo: o respeito aos segredos das


pessoas, deve ser desenvolvido na
formação de futuros profissionais, pois
trata-se de algo muito importante.
Uma informação sigilosa é algo que
nos é confiado e cuja preservação de
silêncio é obrigatória.
Virtudes Profissionais:

Competência: o conhecimento
da ciência, da tecnologia, das
técnicas e práticas profissionais é
pré-requisito para a prestação de
serviços de boa qualidade.
Virtudes Profissionais:

Prudência: todo trabalho, para ser


executado, exige muita segurança. A
prudência contribui para a maior
segurança, principalmente das
decisões a serem tomadas; é
indispensável nos casos de decisões
sérias e graves, pois evita os
julgamentos apressados e as lutas ou
discussões inúteis.
Virtudes Profissionais:

Coragem: A coragem nos ajuda a


reagir às críticas, quando injustas, e
a nos defender dignamente quando
estamos cônscios de nosso dever.
Nos ajuda a não ter medo de
defender a verdade e a justiça,
principalmente quando estas forem
de real interesse para outrem ou
para o bem comum.
Virtudes Profissionais:

.
Perseverança: qualidade difícil de
ser encontrada, mas necessária,
pois todo trabalho está sujeito a
incompreensões, insucessos e
fracassos que precisam ser
superados, prosseguindo o
profissional em seu trabalho, sem
entregar-se a decepções ou mágoas
Virtudes Profissionais:

Compreensão: qualidade que


ajuda muito um profissional,
porque é bem aceito pelos que
dele dependem, em termos de
trabalho, facilitando a
aproximação e o diálogo, tão
importante no relacionamento
profissional.
Virtudes Profissionais:

Humildade: o profissional precisa


ter humildade suficiente para
admitir que não é o dono da
verdade e que o bom senso e a
inteligência são propriedade de
um grande número de pessoas.
Virtudes Profissionais:
Imparcialidade: é uma qualidade tão
importante que assume as características
do dever, pois se destina a se contrapor
aos preconceitos, a reagir contra os
mitos, a defender os verdadeiros valores
sociais e éticos, assumindo
principalmente uma posição justa nas
situações que terá que enfrentar. Para
ser justo é preciso ser imparcial, logo a
justiça depende muito da imparcialidade.
Virtudes Profissionais:

Otimismo: em face das


perspectivas das sociedades
modernas, o profissional precisa e
deve ser otimista, para acreditar
na capacidade de realização da
pessoa humana, no poder do
desenvolvimento, enfrentando o
futuro com energia e bom-humor.
Virtudes Profissionais:
Atitude: Significa uma maneira
organizada e coerente de pensar,
sentir e reagir a acontecimentos
ocorridos em nosso meio circundante.
Indica o que interiormente estamos
dispostos a fazer.
Virtudes Profissionais:
Moral: Segundo o dicionário Aurélio a
moral é um "conjunto de regras de
conduta consideradas como válidas,
quer de modo absoluto para qualquer
tempo ou lugar, quer para grupos ou
pessoa determinada" ou seja, regras
estabelecidas e aceitas pelas
comunidades humanas.
    Código de Ética
Profissional
Quando se fala em virtudes profissionais,
mencionarmos a existência dos códigos de
ética profissional é essencial.
As relações de valor que existem entre o
ideal moral traçado e os diversos campos da
conduta humana podem ser reunidos em um
instrumento regulador. É uma espécie de
contrato de classe e os órgãos de
fiscalização do exercício da profissão
passam a controlar a execução de tal peça
magna.
Código de Ética Profissional
Tem como base as virtudes que devem ser
exigíveis e respeitadas no exercício da
profissão, abrangendo o relacionamento
com usuários, colegas de profissão, classe e
sociedade.
O interesse no cumprimento do código
passa, entretanto a ser de todos. O exercício
de uma virtude obrigatória torna-se exigível
de cada profissional, como se fosse uma lei,
porém com proveito geral.
Código de Ética Profissional

Uma ordem deve existir para que se


consiga eliminar conflitos e
especialmente evitar que se macule o
bom nome e o conceito social de uma
categoria.
Se muitos exercem a mesma
profissão, é preciso que uma disciplina
de conduta ocorra.
Código de Ética
da Enfermagem
Resolução COFEN – 240/2000
Aprova o Código de Ética dos
profissionais de Enfermagem:
Dentro deste código existem:
Princípios Fundamentais; Direitos;
Deveres; Responsabilidades;
Proibições; Infrações; Penalidades e
Aplicação de Penalidades.
Direitos:

Art. 14 – Atualizar seus conhecimentos


técnicos, científicos e culturais.
Art. 15 – Apoiar as iniciativas que
visem ao aprimoramento profissional,
cultural e a defesa dos legítimos
interesses de classe.
Responsabilidades:
Art. 16 – Assegurar ao cliente uma
assistência de Enfermagem livre de danos
decorrentes de imperícia, negligência ou
imprudência.
Art. 18 – Manter-se atualizado ampliando
seus conhecimentos técnicos, científicos e
culturais, em benefício da clientela,
coletividade e do desenvolvimento da
profissão
Deveres:
Art. 23 – Prestar assistência de
Enfermagem à clientela, sem
discriminação de qualquer natureza.
Art. 24 – Prestar à clientela uma
assistência de Enfermagem livre dos
riscos decorrentes de imperícia,
negligência e imprudência.
Art. 28 – Respeitar o natural pudor; a
privacidade e a intimidade do cliente.
Proibições:
Art. 42 – Negar assistência de enfermagem
em caso de urgência ou emergência.
Art. 47 – Ministrar medicamentos sem
certificar-se da natureza das drogas que o
compõem e da existência de riscos para o
cliente.
Art. 51 – Prestar ao cliente serviços que por
sua natureza incubem a outro profissional,
exceto em caso de emergência.
Art. 64 – Assinar as ações de Enfermagem
que não executou, bem como permitir que
outro profissional assine que as executou.
Penalidades:
Art. 85 – As penalidades a serem impostas
pelos COFEN e COREN, conforme determina o
Art. 18, da Lei 5905, de 12/07/1973, são as
seguintes:
I – Advertência verbal.
II – Multa.
III – Censura.
IV – Suspensão do exercício profissional.
V – Cassação do direito ao exercício
profissional.
Comissão de Ética de
Enfermagem
Componentes: Egle de L. F. Jardim
Lenir Martins Santos
Merces Cassemiro
Alexandre Alberto K. Gotsfriedt
Neuza Pedra M. das Almas
Suplentes:
7. Maria Amalia de Alencar
8. Edna Maria Teixeira de Almeida
9. Solange Ortolani
10. Luiza Helena Leite
11. Aidê Ferreira dos Santos.
Pesquisa interna da
satisfação do usuário:

Quero relatar, e parabenizar a


Maternidade pelo quadro de
funcionários maravilhosos.
Desde a limpeza, ao
Anestesista.Quero citar como
exemplo,todos, cada um na sua
área, agiram como profissionais.
Pesquisa interna da
satisfação do usuário
“Achei muito desagradável ter ficado na
sala pós operatória com funcionários
que falavam muito alto e usavam
palavras inadequadas bem como a
conversa também não me agradou me
deixou mais estressada não contribuiu
nada para minha recuperação”.

Ética é tudo, esse tipo de


funcionário denigre a imagem do
hospital
RESOLUÇÃO COFEN Nº 218/1999
Juramento Solene:
DEDICAR MINHA VIDA PROFISSIONAL A
SERVIÇO DA HUMANIDADE, RESPEITANDO A
DIGNIDADE E OS DIREITOS DA PESSOA
HUMANA, EXERCENDO A ENFERMAGEM COM
CONSCIÊNCIA E FIDELIDADE; GUARDAR OS
SEGREDOS QUE ME FOREM CONFIADOS;
RESPEITAR O SER HUMANO DESDE A
CONCEPÇÃO ATÉ DEPOIS DA MORTE;
RESOLUÇÃO COFEN Nº 218/1999
Juramento Solene:
NÃO PRATICAR ATOS QUE COLOQUEM EM
RISCO A INTEGRIDADE FÍSICA OU PSÍQUICA
DO SER HUMANO; ATUAR JUNTO À EQUIPE
DE SAÚDE PARA O ALCANCE DA MELHORIA
DO NÍVEL DE VIDA DA POPULAÇÃO; MANTER
ELEVADOS OS IDEAIS DE MINHA PROFISSÃO,
OBEDECENDO OS PRECEITOS DA ÉTICA, DA
LEGALIDADE E DA MORAL, HONRANDO SEU
PRESTÍGIO E SUAS TRADIÇÕES".
Bibliografia:
História da Ética. Disponível em: M Campos, M Greik, T Do
Vale - Crítica: Barcelona, 1987 - cientifico.frb.br. Acesso em:
21/04/2008.
Ética Profissional. Disponível em:
http://tpd2000.vilabol.uol.com.br/etica2.htm. Acesso em:
21/04/2008.
Ética na enfermagem. Aula 01 6º semestre para Faculdade
Praxis.
Moral. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Moral.
Acesso em: 15/05/2008.
Atitude. Disponível em:
http://www.ceismael.com.br/artigo/artigo057.htm. Acesso em
15/05/2008.
COREN – SP. Documentos Básicos de Enfermagem. 1ª Ed.
2001.
20 Dicas para o sucesso
1- Elogie 3 pessoas por dia
2- Tenha um aperto de mão firme
3 -Olhe as pessoas nos olhos
4- Gaste menos do que ganha
5- Saiba perdoar a si e aos outros
6- Trate os outros como gostaria de ser tratado
7- Faça novos amigos
8- Saiba guardar segredos
9- Não adie uma alegria
10- Surpreenda aqueles que você ama com
presentes inesperados
11- Sorria
12- Aceite uma mão estendida
13- Pague suas contas em dia
20 Dicas para o sucesso
14- Não reze para pedir coisas. Reze para agradecer
e pedir
Sabedoria e coragem
15- Dê as pessoas uma segunda chance
16- Não tome nenhuma decisão quando estiver
cansado ou nervoso
17- Respeite todas as coisas vivas, especialmente as
indefesas
18- Dê o melhor de si no seu trabalho. Tenha prazer
em fazer bem feito
19- Seja humilde, principalmente nas vitórias
20- Jamais prive uma pessoa de esperança. Pode ser
que ela só tenha isso
Fonte: internet