Вы находитесь на странице: 1из 6

Capítulo 5

(JOBS.: Impressionante como o ocorrido nos tempos desta profecia ainda é extremamente atual!)

** Deus manda buscar nas ruas por um homem sequer que pratique a justiça e que busque a verdade, para que seja perdoado. Penso que, nesse verso o Senhor está querendo mostrar que mesmo que se buscasse, não seria achado nenhum dentre o povo que ainda o seguisse em verdade e como o coração, ao invés de apenas se fingir ser do Senhor, pois no verso seguinte, o Senhor deixa claro que ainda que digam que seguem ao Senhor, certamente estão jurando falsamente.

** Jeremias reflete e diz ao Senhor que o povo se endureceu e mesmo com toda a repreensão, tempos ruins e dor que lhes sobreveio, não quiseram receber a correção. Quiseram permanecer no erro. Deus deixa claro que considera a estes loucos por não saberem os caminhos do Senhor e os juízos de Deus.

** Mesmo os grandes, que conhecem o caminho e os juízos de Deus, de comum acordo quebraram o jugo. Por isso o mal virá sobre esse povo e sobre as suas cidades por que multiplicaram-se as suas transgressões e apostasias.

** Como o Senhor poderia perdoar a esse povo rebelde, vendo toda a sua transgressão? Se o povo após ser coberto das bençãos de Deus, deixa ao Senhor e "aos bandos" se ajuntaram em casas de meretrizes? Nesse trecho, as meretrizes provavelmente são a figura de linguagem que representa as falsas crenças e os falsos deuses, mas como a transgressão já era comum, nada impede que o povo também tenha se encontrado em casa de meretrizes de fato.

** Os homens são comparados a cavalos fortes, que se levantam e "rincham" para as mulheres dos companheiros. Uma clara quebra da Lei. Nesse caso, ao mandamento de não desejar a mulher do próximo. ** A indignação do Senhor não poderia deixar de se acender diante de tais coisas e de tal nação. ** O Senhor mandará a destruição a esta nação, mas na figura de linguagem diz que seus muros não serão totalmente destruídos, apenas serão destruídas as suas ameias, por que não são do Senhor. As ameias dos muros, são aquelas partes retangulares espaçadas atrás das quais os guerreiros se escondem dos ataques dos inimigos, enquanto podem os atacar com mais segurança, por confiarem nesse anteparo.

os atacar com mais segurança, por confiarem nesse anteparo. Na imagem, vemos as ameias, e em

Na imagem, vemos as ameias, e em destaque os espaços entre elas, por onde os guardas podem atacar e vigiar.

Em outras palavras, aqui o Senhor quer nos mostrar que o povo está confiando em ameias que não são do Senhor. O povo está confiando em deuses estranhos, ou no poder político, religioso e financeiro, que não provém de Deus, por isso, o Senhor diz que agora o povo ficará sem essas ameias em que tanto confia, e embora não sejam destruídos de uma vez, se sentirão completamente inseguros, por terem abandonado ao Senhor, confiado em suas próprias ameias, e agora estarem sem elas e pior, sem a proteção do Senhor, que é quem provê as ameias que verdadeiramente podem proteger ao povo.

** Por que a casa de Israel e de Judá, fingidamente se colocaram contra o Senhor, lhes

sobrevirá o mal. Ou seja, embora externamente se disessem pertencer a Deus, em seu coração não mais o seguiam, negando ao Senhor achando que nem guerra e nem fome virá. Até mesmo os profetas estão distantes da palavra, pois a palavra de Deus não está com eles e tudo acontecerá até mesmo a eles. Por negarem ao Senhor, as palavras de Deus quando usadas pela boca dos profetas, serão convertidas em fogo, e o povo será convertido em lenha, e serão consumidos. Ou seja, as palavras de Deus que antes eram bençãos sem medidas, diante da apostasia do povo, passam a ser acusação e não mais benção. Mostram ao povo que diante de Deus estão em erro e serão consumidos por seus erros.

A destruição virá pelas mãos de uma poderosa nação estrangeira, da qual não se compreende

a língua. Penso que isso se fez para que não haja nem mesmo a possibilidade de diálogo e negociação. A aljava desta nação será como uma sepultura aberta, diz o Senhor.

Aljava é um equipamento, espécie de coldre ou estojo, usado para carregar as flechas usadas pelos arqueiros desde a mais remota antiguidade.

O povo será saqueado. Tudo o que plantou, criou ou cultivou, será agora tomado para essa

nação, e não para o próprio povo e seus filhos, como seria se estivessem na presença de Deus. E as cidades fortes em que o povo confia, serão destruídas.

E então, quando o povo perguntar "porque nos fez o Senhor nosso Deus todas essas coisas?",

então lhes será dito que como deixaram a Deus, e serviram a deuses estranhos em sua própria terra, servirão agora a estrangeiros em terra que não é sua.

Jeremias adverte ao povo louco e sem coração, que tem olhos e não vêem, que tem ouvidos mas não ouvem, para que ouçam essa profecia agora.

Não temerão ao Senhor que tudo fez, que é o criador e o ordenador do mundo e de todas as

coisas?

Mas o povo é rebelde e pertinaz (teimoso). E não reconhecem em seu coração que devem temer ao Senhor que é quem dá as bençãos no tempo certo. As iniquidades do povo desviam as bençãos, e os seus pecados afastam deles o bem. Por que ímpios estão entre o povo, armando situações para prejudicar os outros em seu próprio proveito (Atualíssimo esse comportamento, principalmente no Brasil, e não só entre os políticos. Esse comportamento é geral entre a população, que sempre quer tirar vantagem, principalmente financeira, em cima dos outros. Que coisa mais triste!). As casas dessas pessoas traiçoeiras são cheias de engano, por isso se engrandeceram e enriqueceram. Ou seja, tudo o que essas pessoas desonestas conseguiram para si (ou para as suas casas, na figura de linguagem aqui usada), provém do engano, trapaça, roubo, corrupção. Daí se entende a sua riqueza. Engordam-se(enriquecem mais, dia a dia), alisam-se(se vangloriam de sua "inteligência", "superioridade", e "riqueza"), e ultrapassam até os feitos dos malignos!

Não pensam em auxiliar aos órfãos de forma que estes também possam prosperar, e nem mesmo pensam em formas de ajudar aos necessitados.

JOBS.: Pelo contrário. Não conseguem enxergar nem mesmo a sua própria prosperidade, achando que ainda não têm o suficente, e querendo sempre alcançar mais e mais. Por mais que me custe admitir isso, eu mesmo tenho esse comportamento de querer sempre mais. Se eu olhasse para quem nada tem, conseguiria ver que mesmo tendo uma vida modesta, se eu me comparar àqueles que nada tem, posso concluir que minha prosperidade já é grandiosa, e que nada do que é realmente necessário me falta. Embora eu já saiba disso, não sei por que, ainda quero mais. Imagino que seja por que olho para as pessoas que tem um padrão de vida acima do meu. Embora eu não esteja conseguindo minhas coisas apoiado em roubos e trapaças, mesmo assim, em nada difere a ganância daqueles que assim fazem, da ganância de pessoas como eu, que já têm tudo o que realmente precisam e se não tem uma ou outra coisa fútil deveriam enxergar que na realidade não precisam dessas bobagens.

Me ajuda Senhor, em nome de seu filho amado, meu Senhor e Salvador, a ser mais humilde, e a ajudar aos necessitados. Me ajude Senhor a ajudar ao meu próximo. Não permita Senhor que eu me perca e me iguale, ou ultrapasse os feitos dos malignos! Transforma Senhor o meu coração, em nome de nosso Senhor e Salvador. Amém!)

Não castigaria o Senhor a essas coisas? Não se vingaria a Sua alma de uma nação como

esta?

Coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra. Os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam pelas mãos deles, e o povo de Deus ASSIM O DESEJA: e o que fareis no fim disto?

Capítulo 6 -

O capítulo se inicia com Jeremias exortando ao povo da tribo de Benjamim para que fujam do meio de Jerusalém, para que se salvem, pois "da banda do norte espreita um mal e um grande quebrantamento" Aqui, o Senhor continua advertindo ao povo, através de Jeremias, acerca do mal que sobrevirá ao povo de Jerusalém, por conta de seu comportamento aleivoso (fingido), pertinaz (teimoso) e iníquou. Pelo meu entendimento, os da tribo de Benjamim devem se afastar para que o mal que sobrevirá e assolará a toda Jerusalém não sobrevenha sobre os dessa tribo. Ainda não encontrei o porquê de o Senhor estar advertindo a essa tribo específica.

Mais uma vez, a profecia se refere a Jerusalém, filha de sião, como uma flor delicada, que

porém será deixada desolada. Entendo que, Jerusalém seja tida como delicada por dois motivos:

1)

Todo pai amoroso, vê em sua filha uma flor de delicadeza que lhe ativa o instinto de

2)

proteção. Então, todo pai quer ver a sua filha como uma flor delicada e quer que sua filha o tenha como protetor, aceitando sua proteção. Deus, nosso Senhor, vê Jerusalém como "a delicada filha de Sião" pelo motivo que expus acima, mas imagino que também a descreve assim, por saber que apesar de Jerusalém achar-se poderosa, auto suficiente, e até agir como se não necessitasse mais de Deus, no fundo é apenas uma delicada flor, que sem a proteção de Deus pode ser (e de fato será) assolada, assim que Deus permitir, para que saibam os que restarem depois desse período de dor e tristeza, que não se pode prescindir de Deus.

A

descrição da profecia, continua relatando que virão a Israel povos de outros lugares e a

cercarão.

E

continua em sua figura de linguagem, descrevendo que o tempo em que a guerra será

levantada contra ela já está muito próximo: "ai de nós! Que já declina o dia, que já se vão

estendendo as sombras da tarde".

O Senhor dos exércitos diz para que se cortem árvores e se levantem tranqueiras contra

Jerusalém. Isso significa que o Senhor já estaria a partir desse momento permitindo que a guerra contra Jerusalém e sua posterior conquista se organizasse já nos limites dos muros da cidade, pela

instalação das tranqueiras.

Tranqueira, Definição:

Restos de galhos não queimados na mata, impedindo o trânsito; Recursos militares usados para conquistar uma cidade murada;

A profecia continua descrevendo mais uma vez o porquê de o Senhor estar permitindo que

Jerusalém seja assolada e dominada: "Como a fonte produz as suas águas, assim ela produz a sua malícia: Violência e estrago se ouvem nela; enfermidades e feridas há diante de mim

continuamente."

E mais uma vez, pela boca do profeta, o Senhor adverte a Jerusalém, para que se corrija:

"Corrige-te, ó Jerusalém, para que a minha alma não se aparte de ti, para que não te torne em assolação e terra não habitada."

Percebo que o Senhor não se cansa de advertir que o mal sobrevirá sobre o povo, e que também não se cansa de oferecer o perdão caso se arrependam a tempo. O Senhor ama o seu povo e está disposto a perdoar e usar a sua forte mão para os livar do mal. Porém o Senhor também deixa claro que o mal está por vir, a vem apressadamente. Em resumo, o Senhor permitirá que o mal se instale e realize os seus efeitos, mas no tempo em que se passar até que o mal sobrevenha, há a oportunidade de arrependimento e salvação. Se o povo não se arrepender, então a profecia se cumprirá, e não será parada pelo Senhor, que permitirá o seu cumprimento em toda a sua extensão e furor.

No versículo seguinte, diz a profecia: "Assim diz o Senhor dos exércitos: Diligentemente respingarão os resíduos de Israel como uma vinha: Torna a tua mão, como o vindimador, aos cestos."

Pesquisei em diversas versões da bíblia sobre esse versículo, inclusive na vulgata *1 , e consegui maior esclarecimento de seu significado, pois até que eu fizesse essa pesquisa, seu significado estava obscuro para mim.

*1 Em minhas pesquisas acabei descobrindo que foi elaborada pelo catolicismo e serviu de base a todas as

traduções atuais da Bíblia - o que tem me deixado verdadeiramente preocupado, já que estou convencido que o catolicismo romano não tem nenhuma boa intenção com relação ao cristianismo, e pode ter sido usado pelo inimigo para adulterar a palavra, o que deixa a todos nós cristãos sinceros com muitas dificuldades, e plenamente dependentes do amor de Deus, pois podemos estar recorrendo a fonte, achando ser ela uma fonte pura de águas limpas, quando na verdade as águas já foram contaminadas e pouco ou nada podemos fazer para descobrir a

verdade pura

).

Descobri que aqui o Senhor está dizendo a Jeremias que se apresse a exortar, e corrigir a Israel, pois caso ela não seja corrigida será destruída. "Torna a tua mão, como o vindimador, aos cestos" – Entendo que o Senhor estaria querendo dizer o seguinte: Volte ao trabalho Jeremias!!! Assim como o vindimador trabalha enchendo os cestos de uvas, torne você a trabalhar enchendo meu povo de minha palavra, para que não sejam destruídos. Porém, Jeremias responde: A quem falarei e testemunharei, para que ouça? Eis que os seus ouvidos estão incircuncisos, e não podem ouvir; eis que a palavra do Senhor é para eles cousa vergonhosa, não gostam dela. Por isso – Prossegue Jeremias - estou cheio do furor do Senhor;estou cansado de o conter:

derramá-lo-ei sobre os meninos pelas ruas, e nas reuniões dos mancebos juntamente; porque até o marido com a mulher serão presos, e o velho com o que está cheio de dias.

E o Senhor diz: E suas casas passarão a outros, herdades e mulheres juntamente: porque

estenderei a minha mão contra os habitantes desta terra. Por que desde o menor deles até o maior, cada um se dá à avareza; desde o profeta ao

sacerdote, cada um usa de falsidade.

E

curam a ferida da filha de meu povo levianamente dizendo: Paz, paz; quando não há paz.

E

prossegue o Senhor dizendo que o povo não se envergonha de cometer abominação, e nem

mesmo sabem o que é envergonhar-se. Portanto todos cairão no tempo em que o Senhor os visitar.

Mas o Senhor mais uma vez adverte ao povo para que procurem saber qual é o bom caminho, para andarem nele, para que achem descanso para as suas almas. Porém o povo diz: Não andaremos.

E prossegue o Senhor: Também pus atalaias sobre vós, dizendo: Estai atentos à voz da

buzina: mas dizem: Não escutaremos.

Atalaia (do árabe"at-talai'a"), em arquitetura militar, é uma torre ou lugar elevado, de onde se vigia o território circundante. Normalmente integra o sistema defensivo de um castelo, sendo distribuídas em lugares estratégicos na área ao redor. Em caso de ameaça, os vigilantes nas atalaias davam avisos ou sinais aos defensores do castelo.

Então o Senhor está dizendo que está observando o seu povo e o advertindo com grande voz, como o faz um vigilante em uma atalaia, mas mesmo assim, diante de tão grande perigo, o seu povo não quer escutar.

diante de tão grande perigo, o seu povo não quer escutar. Castelo de Olivença (Duarte d'Armas,

Castelo de Olivença (Duarte d'Armas, 1509): sobre o monte, à esquerda, vê-se uma atalaia.

Portanto, saibam e informem-se do que se faz entre eles! Ouve tu, ó terra! Eis que eu trarei mal sobre este povo, o próprio fruto dos seus pensamentos; porque não estão atentos às minhas palavras, e rejeitam a minha lei.

Imagina só! O povo era rebelde, teimoso, não queria de forma nenhuma andar nos caminhos de Deus, rejeitavam a lei, e todos os avisos do Senhor, e ainda fingiam seguir todos os ensinamentos de Deus, mas tudo era apenas aparente, só por fora davam a entender que seguiam a Deus, mas seus corações eram, conforme diz a palavra, incircuncisos

Pois bem, então imagina só o tamanho da destruição e do castigo que viria sobre esse povo! Por que o Senhor disse que trará o mal a esse povo, o próprio fruto dos seus pensamentos. Que tipo de pensamentos pode ter um povo que anda tão distante do Senhor, e que para piorar, finge ser um povo santo?

Que tipo de pensamento pode ter um povo que esquece de Deus dia após dia, e finge serví- lo, quando na verdade serve a deuses diversos? Que tipo de pensamentos horríveis pode ter um povo que só se lembra do único e verdadeiro Deus, nos tempos de aflição? Pois bem, os pensamentos de tal povo só podem ser dos piores possíveis, e sendo assim, o

mal que virá a esse povo, será como são os seus pensamentos grande!

Um mal absurdamente ruim e

E o Senhor prossegue dizendo que de nada adiantam os sacrifícios, ou a melhor cana

aromática. Que os holocaustos feitos por tal povo não o agradam.

Portanto diz o Senhor que armará tropeços para este povo. E todos cairão.

O povo que virá da terra do norte será uma grande nação, cruel, e não usarão de

misericórdia.

E

o povo, ouvindo a sua fama se acovardará.

O

Senhor adverte ao povo para que cinjam-se de saco, e revolvam-se nas cinzas (ou seja,

revistam-se de humildade, arrependam-se, e clamem a Deus com o coração verdadeiramente arrependido), por que rapidamente virá o destruidor sobre ele.

O Senhor diz a Jeremias, que o colocou por torre de guarda e fortaleza entre o seu povo, para

que soubesse e examinasse o caminho deles. Entendo que o Senhor diz a seguir que o que descobriu-se é que todos são OS MAIS rebeldes, e andam murmurando; são duros como bronze e ferro: todos eles andam corruptamente. Ou seja, é um povo realmente distante de Deus e de seus preceitos.

Em seguida, em meu entendimento, o Senhor se compara a um fundidor. Um fundidor cujo fole já se queimou, e cujo chumbo já se consumiu - ou seja, um fundidor que trabalhou muito tentando fazer algo perfeito, porém em vão vai fundindo o fundidor, tão atentamente, caprichosamente(diligentemente), pois os maus não são arrancados. (ou seja, todo o trabalho do Senhor para purificar e exortar e corrigir os caminhos do povo se mostrou em vão). Prata rejeitada lhes chamarão, por que o Senhor os rejeitou. (em suma, de nada adiantou o trabalho do fundidor, pois por mais que tenha tarbalhado, a sua prata não ficou pura, e portanto não será aceita, sendo portanto rejeitada – Não há esperança para esse povo, que insiste em não querer ouvir e nem seguir o bom caminho, voltando para o Senhor seu Deus).