Вы находитесь на странице: 1из 13
Publicação online semanal com sede em Vila Velha de Ródão DirecçãoDirecçãoDirecçãoDirecção dededede J.J.J.J.

Publicação online semanal com sede em Vila Velha de Ródão

DirecçãoDirecçãoDirecçãoDirecção dededede J.J.J.J. MendesMendesMendesMendes SerrasqSerrasqueiroSerrasqSerrasqueiroueiroueiro –––– PaginaçãoPaginaçãoPaginaçãoPaginação eeee ArteArteArteArte FinalFinalFinalFinal dededede GinaGinaGinaGina NunesNunesNunesNunes

Nº. 125 de 19 de Dezembro de 2013

Neste número:

13 Páginas – Gratuito

Editorial

2013 – Neste número: 13 Páginas – Gratuito Editorial Mendes A cultura Serrasqueiro Que nestes dias

Mendes

A cultura

Serrasqueiro

Que nestes dias de festas, a Paz e a Alegria reine em todos os Lares. Proporcionando a todos que os cercam, optimos momen- tos de felicidade, Amor e União Estes sentimentos também os lemos algures, precisa-

Seguro diz que "

mente porque o Natal tem al-

go de magia!

Tem sido, contudo, neste sentimento que nos fomos lembrando da luta que tem marcado o Natal, mas pela mais sombria negativa, a

cc classe profissional dos Pro- fessores. Temos sentido a razão das suas reivindica-

ções e temos aguardado com identica perspectiva que vai mantendo com algu- ma esperança que a razão das suas lutas acabe por ser melhor interpretada por

- quem teima em não aceitar a verdade da razão.

Não sou dos que acredita que o Menino Jesus vai à meia noite do dia 24 entrar pelas chaminés e levar o que está fazendo falta a tantas pessoas deste País. Mas, isso sim, gostaria de me rir (só por brincadeira) se o Deus Menino levasse nessa Noite Santa uma nova lei que também obrigasse, por exemplo, o Dr. Nuno Crato, a ter que repetir o exame da 4ª. Classe, ou fazer novamen- te o exame do Código da Es- trada

FFalarFFalaralaralar claroclaroclaroclaro
FFalarFFalaralaralar claroclaroclaroclaro

Escreveu: CÉSAR AMARO

claroclaroclaroclaro Escreveu: CÉSAR AMARO Estamos em plena Quadra Natalícia. Eventualmente poderá

Estamos em plena Quadra Natalícia. Eventualmente poderá pensar-se que o Natal é somente o dia 25 de Dezembro de cada ano que passa, data em que se comemora o Aniversá- rio do Nascimento de Jesus Cristo, ao longo da História da Igreja. Todavia, se nos debruçarmos,conscientemente, so- bre os valores que esta efeméride significa, constatamos

bre os valores que esta efeméride significa, constatamos Neste Número O Natal da Pobreza 1ª. Pag.
Neste Número O Natal da Pobreza 1ª. Pag. Saúde 4ª. Página O “Váatão” trouxe teatro
Neste
Número
O Natal da Pobreza
1ª. Pag.
Saúde
4ª. Página
O “Váatão” trouxe
teatro às crianças
Pag. 5 e 7
Página Cultural
(Veio do Brasil)
a não perder – Pag. 6
Assembleia
Municipal – Pag.13

que, na verdade, Natal se será, ou deverá ser,moti- vo de reflexão em cada

dia que passa, na vida do ser humano, qualquer que

seja

a sua

crença ou fé

Continua na página 2

qualquer que seja a sua crença ou fé Continua na página 2 “Ecos de Ródão” Por

“Ecos de Ródão”

Por estarmos na Quadra

Festiva de Natal e Ano Novo e por sugestão de alguns dos nossos estimados colabora- dores, fazemos uma pausa com este número, regressan- do a 9 de Janeiro de 2014.

Pag. 2

FalarFalarFalarFalar claroclaroclaroclaro Escreveu: CÉSAR AMARO
FalarFalarFalarFalar claroclaroclaroclaro
Escreveu: CÉSAR AMARO

Continuação da 1ª. página

religiosa. Não obstante a grave situação de sobrevivência em que a maioria do Povo Português está mergulhado, não podemos esquecer que o Natal é sempre uma Quadra que motiva a alegria entre as Famílias e os Amigos, pese embora o facto de tantas e tantas centenas de milhares de ente-queridos se encontrarem distantes, espalhados por vários Países, na tentativa de melhores condições de vida. Na verdade, não se pode ignorar que, devido à crise financeira, acoplada com a crise de valores (solidariedade), o Natal que

está prestes a chegar, será infelizmente de dor e sofrimento para inúmeras Famílias, que

se

encontram em situação de fome, de miséria e de desespero, perdendo até a esperança

de

se poderem alcançar melhores dias. Por vezes há rumores, um pouco à “boca pequena”

de

que se exagera na denúncia da aplicação da Justiça Social, ou à falta dela, perante a

precaridade nua e crua, de tantas e tantas Famílias espalhadas pelo País. Naturalmente

que não há regra sem excepção. Contudo, o estado de calamidade é de tal modo

acentuado, que quer se queira ou não, será muito difícil ignorá-lo. Todos estamos sujeitos

a tais circunstâncias. Que o valor da Solidariedade entre as Pessoas nunca seja palavra

vã. Neste contexto, não deixará de ser oportuno chamar á atenção do Governo da Nação para

a situação caótica em que colocou o País, atingindo a maioria dos Portugueses, e que teve

origem na imposição prepotente, sem dó nem piedade, das regras de austeridade, com a agravante de as tornar ainda mais deploráveis, após a aprovação do Orçamento de Estado para o ano de 2014.

O Senhor Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho, independentemente de ser rotulado como

bom aluno dos professores da Troika, passou a acusar, num estilo meramente demagógico,

o FMI e seus pares, pela rigidez nas exigências que tem vindo a impor a Portugal e aos Portugueses.

A este propósito, leia-se a frase publicada pelo PM Pedro Passos Coelho num dos

principais Órgãos da Comunicação Social. “HOUVE UM ERRO DE FACTO NO PROGRAMA

PARA PORTUGAL. AS METAS ESTAVAM MAL FIXADAS”. Sem comentários….

A verdade é que os erros e as teimosias da governação têm sido mais que muitos. Dispen-

sam-se trabalhadores da Função Pública, o que provoca um péssimo funcionamento das Instituições e Organismos Estatais, originando valores astronómicos de milhões de euros em indemnizações; fizeram-se cortes escandalosos no subsídio de férias de 2012, aos Reformados da CGA, que mais não são que autênticos “roubos” aos direitos adquiridos,

oriundos de descontos, exigidos por Lei, durante uma vida inteira de cada trabalhador/contribuinte. E diz o Senhor Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho, que o País está a melhorar e que dentro de poucos meses estamos livres do domínio da Troika, para voltarmos aos mercados! Basta de tanta hipocrisia. Resta perguntar-lhe: afinal o País está melhor para quem? Não é por mero acaso que os ricos estão cada vez ricos, e os pobres… esses estão cada vez mais na miséria!

Termino desejando um Santo e Feliz Natal para todos, Familiares e Amigos, e de modo particular para a Comunidade Albicastrense e para os Leitores que me lêem.

Familiares e Amigos, e de modo particular para a Comunidade Albicastrense e para os Leitores que
Familiares e Amigos, e de modo particular para a Comunidade Albicastrense e para os Leitores que

Castelo Branco

Pag. 3

Pag. 3 CASTELO BRANCO A A.C.D.C – Associação Cultural e Desportiva da Carapalha realizou no passado
Pag. 3 CASTELO BRANCO A A.C.D.C – Associação Cultural e Desportiva da Carapalha realizou no passado
Pag. 3 CASTELO BRANCO A A.C.D.C – Associação Cultural e Desportiva da Carapalha realizou no passado

CASTELO BRANCO

A A.C.D.C – Associação Cultural e Desportiva da Carapalha realizou no passado dia 8 de Dezembro um “Torneio Relâmpago de Sueca”, o sexto, disputado por etapas, em homenagem a António Pina Fernandes, um dos fundadores desta

José Perquilhas, presidente da colectividade, dissertou sobre aquele dedicado dirigente, afirmando que nunca será esquecido, como o demonstrou agora a presença significativa de associados nesta assembleia, o que constitui uma honra lembrar um homem de causas, como foi Pina Fernandes, pois do seu sonho “nasceu uma obra”. Marcaram presença no torneio de sueca 24 equipas que, para além do excelente convívio todos os participantes levaram lembranças, já que ninguém levou um grande troféu, a não ser o maior de todos, que foi o da “amizade” sentida numa grande jornada de confraternização. José Perquilhas disse, que na ACDC, como sempre, quem “experimenta

e participa nas suas atividades volta, porque sai daqui com um dia diferente em sua vida”. Distinguidos ainda pela sua colaboração neste evento foram os respectivos organizadores, a direcção, Uma palavra muito especial também foi dada por José Perquilhas para a organização deste evento, à direcção e, particularmente, a José Sousa, grande entusiasta do torneio ao longo dos anos. A animação do resto do dia esteve a cargo de um excelente duo musical - “Artur e

Márcia” já a acelerar o pé de dança para o Reveillon, no salão multiusos da ACDC onde vão estar, como sempre, cheios de qualidade e dinamismo. A classificação geral do Torneio, por equipas, ficou assim ordenada:

1ª. - João Sanches e João Lourenço; 2ª. - José Perquilhas e Alberto Gaspar; 3ª. - José Lisboa e Victor Fernandes; 4ª. - José Galvão e João Amaro; 5ª. - João Galvão

e Carlos Dias; 6ª.- Paulo Dias e Adelino; 7ª. - Luís Pinheiro e João Carteiro; 8ª. - Manuel Maio e Fernando Teodoro; 9ª. - Artur Roma e Márcia Roma e 10ª. - João Agostinho e José Salvado.

CASTELO BRANCO

Professores da INETESE sem salários desde Setembro

Os 30 professores do polo de Castelo Branco do INETESE – Instituto de Educação Técnica de

Seguros, estão sem receber salários desde Setembro

e a escola não recebe verbas do Estado há mais de seis meses disse fonte da instituição.

Estado há mais de seis meses disse fonte da instituição. "Estamos numa dificuldade financeira total, porque

"Estamos numa dificuldade financeira total, porque não entraram quaisquer verbas nos últimos seis meses", disse à agência Lusa o director pedagógico do Inetese. Augusto Pascoal culpou o "imbróglio burocrático" causado pelo atraso nas candidaturas ao Programa Operacional Potencial Humano, responsável pelo financiamento.

A escola profissional ainda não pagou salários desde o início do ano lectivo aos 30

professores que integram o polo de Castelo Branco. Augusto Pascoal disse que a situação

é insustentável e acusou o Ministério da Educação e Ciência insensatez e falta de sensibilidade".

"Neste momento, procuramos, com o pouco que há, pagar a segurança social, o IRS, IRC, as rendas e os compromissos bancários assumidos", referiu o responsável.

de "incompetência,

Pag. 4

Pag. 4 Perda de memória pode estar associada a má alimentação Um grupo de cientistas australianos
Pag. 4 Perda de memória pode estar associada a má alimentação Um grupo de cientistas australianos
Pag. 4 Perda de memória pode estar associada a má alimentação Um grupo de cientistas australianos
Pag. 4 Perda de memória pode estar associada a má alimentação Um grupo de cientistas australianos
Pag. 4 Perda de memória pode estar associada a má alimentação Um grupo de cientistas australianos

Perda de memória pode estar associada a má alimentação

Um grupo de cientistas australianos associou a perda de memória a uma má alimentação, depois de realizar uma experiência com ratos que foram submetidos a uma dieta de açúcar e gorduras, informou hoje a LUSA.Margaret Morris, líder desta investigação realizada pela Universidade de Nova Gales do Sul, indicou que os ratos revelaram seis dias depois do início da experiência sintomas de perda de memória ao serem submetidos a testes relacionados com a memória espacial.

"Os animais não estavam obesos ao fim de seis dias, mas as mudanças no conhecimento, a perda de memória ocorreu antes de qualquer variação do peso", declarou Morris à ABC, manifestando-se surpreendida com a rapidez com que os ratos registaram uma perda dessas faculdades. Os cientistas observaram que os animais que tinham uma dieta forte em açúcares e gorduras tinham uma inflamação na região do hipocampo, a parte do cérebro relacionada com a formação e armazenamento da memória e uma das primeiras regiões afectadas pela doença de Alzheimer.

"No entanto, é ainda muito cedo para afirmar que existe uma relação causal entre os dois, mas acreditamos que provavelmente a inflamação é altamente relevante para o declive cognitivo", comentou a cientista. Margaret Morris disse ainda ser "difícil extrapolar esta situação para os humanos", embora tenha realçado a existência de "dados sobre humanos que se submeteram voluntariamente a testes, nos quais tinham uma má alimentação durante cinco dias, e que registaram a perda de funções executivas", demorando, por exemplo, mais tempo a reagir.

*********

**********

Stress pré-Natal torna as pessoas “mais agressivas”

A psicanalista e assessora da Direcção-Geral de Saúde explica

e assessora da Direcção-Geral de Saúde explica A psicanalista e assessora da Direcção-Geral de Saúde

A psicanalista e assessora da Direcção-Geral de Saúde (DGS), Conceição Tavares de

Almeida, explicou em entrevista ao semanário Expresso, que o período “pré-Natal torna-nos

mais susceptíveis”, baixando as defesas do organismos e conduzindo a um “maior descontrolo

do impulso”. “Em termos psicológicos e culturais, as épocas festivas e em particular o Natal

e o fim do ano, polarizam uma série de questões do nosso universo pessoal e colectivo” e “tornam-nos mais susceptíveis”. A explicação é dada por aquela psicanalista.

\

No período “pré-Natal”, salienta, “baixa as defessas do organismos e as pessoas, com um descontrolo maior do impulso, ficam mais agressivas ou mais lábeis (com variações de humor), por exemplo”.

Este “stress é como o stress das grávidas”, compara a psicanalista, esclarecendo que “o

pretenso festejo, paradoxalmente, confronta-nos com o que não corre bem. Por isso, numa época em que somos mais generosos, também somos capazes de buzinar, de roubar o lugar

no estacionamento”.

Conceição Tavares de Almeida refere que este facto também se prende com “factores culturais”. “Estudos que temos, no Programa Nacional de Saúde Mental, mostram que nós temos um nível mais elevado de perturbação do impulso, seguidos pelos irlandeses. Talvez tenha a ver com o caracter católico, de alguma repressão e de sentimento de culpa”, afirma.

Pag. 5

Pag. 5 Vila Velha de Ródão Trabalhadores da Câmara Municipal em convívio na sua habitual Festa

Vila Velha de Ródão

Trabalhadores da Câmara Municipal em convívio na sua

habitual Festa Social de Natal

O Presidente Dr. Luís Miguel Pereira saudou funcionários e seus

Familiares e, com os Vereadores, entregou prendinhas

seus Familiares e, com os Vereadores, entregou prendinhas O “Pai Natal” no meio das crianças, filhos

O “Pai Natal” no meio das crianças, filhos da grande “família” de funcionários da Câmara Municipal, foi a imagem da comunicabilidade e de amor de uma festa natalícia que se realiza vai para quatro décadas. Autarcas e pessoal dos vários sectores dos Serviços Municipais, festejaram o Natal no passado Sábado, dia 14. O presidente da Autarquia, Luís Miguel Pereira, fez a saudação, formulando votos de Feliz Natal e um novo ano com as maiores venturas, aludindo depois ao novo modelo da oferta de brinquedos e outras prendinhas, nomeadamente a entrega de cheques que, como costuma dizer- se, foram a causa e o efeito para momentos de alegria. No palco da Casa de Artes realizou-se uma tarde recreativo-cul- tural, com os artistas do Grupo “Váatão”, de Castelo Branco, oferecendo a peça “O Anão Saltitão”, na qual até viriam a parti- cipar alguns dos pequenitos da “casa”. Interessante e bem a propósito este espectáculo. (ver pag. 10). Ao fim da tarde foi o Restaurante “Ponte do Enxarrique” quem complementou a bonita festa com um excelente lanche.

quem complementou a bonita festa com um excelente lanche. Bonito para os olhos o espectáculo do

Bonito para os olhos o espectáculo do “Váatão”

e o show musical

magnífico, em saxofone, do rodense José Pedro Andrade

os olhos o espectáculo do “Váatão” e o show musical magnífico, em saxofone, do rodense José
os olhos o espectáculo do “Váatão” e o show musical magnífico, em saxofone, do rodense José
os olhos o espectáculo do “Váatão” e o show musical magnífico, em saxofone, do rodense José

Pag. 6

Pag. 6 SintoSintoSintoSinto vergonhavergonhavergonhavergonha dededede mimmimmimmim Poesia de RUI BARBOSA “Esta poesia do

SintoSintoSintoSinto vergonhavergonhavergonhavergonha dededede mimmimmimmim

Poesia de RUI BARBOSA “Esta poesia do grande Pensador, Escritor e Poeta brasileiro, Rui Barbosa, recorda-me algo que não desejaria que alguém do meu País se revisse”

Eis o poema de Rui Barbosa, enviado pelo luso-brasileiro Carlos Faria, residente em Pelotas, Rio Grande do Sul:

Sinto vergonha de mim por ter sido educador de parte deste povo, por ter batalhado sempre pela justiça, por compactuar com a honestidade, por primar pela verdade

e por ver este povo já chamado varonil enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim

por ter feito parte de uma era que lutou pela democracia, pela liberdade de ser

e ter que entregar aos meus filhos, simples e abominavelmente,

a derrota das virtudes pelos vícios,

a ausência da sensatez

no julgamento da verdade,

a negligência com a família,

célula-Mater da sociedade,

a demasiada preocupação

com o 'eu' feliz a qualquer custo, buscando a tal 'felicidade' em caminhos eivados de desrespeito para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim pela passividade em ouvir, sem despejar meu verbo,

a tantas desculpas ditadas

pelo orgulho e vaidade,

a tanta falda de humildade

para reconhecer um erro cometido,

a tantos ‘floreios’ para justificar

actos criminosos,

a tanta relutância

em esquecer a antiga posição

de sempre ‘contestar’, voltar atrás

e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim pois faço parte de um povo que não reconheço, enveredando por caminhos que não quero percorrer

enveredando por caminhos que não quero percorrer Tenho vergonha da minha impotência, da minha falta de

Tenho vergonha da minha impotência, da minha falta de garra, das minhas desilusões

e do meu cansaço,

Não tenho para onde ir

******

pois amo este meu chão,

* vibro ao ouvir o meu hino

e jamais usei a minha bandeira

para enxugar o meu suor ou enrolar o meu corpo na pecaminosa manifestação de nacionalidade

Ao lado da vergonha de mim, tenho tanta pena de ti, povo deste mundo!

‘De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça,

de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,

o homem chega a desanimar da virtude,

a rir-se da honra,

a ter vergonha de ser honesto’.

Rui Barbosa

Pag. 7

Pag. 7

VáatãoVáatãoVáatãoVáatão –––– TeatroTeatroTeatroTeatro dededede CasteloCasteloCasteloCastelo BrancoBrancoBrancoBranco trouxetrouxetrouxetrouxe paraparaparapara asasasas criançascriançascriançascrianças dededede RódãoRódãoRódãoRódão umaumaumauma peçapeçapeçapeça dededede antoloantoloantoloantologiagiagiagia

TERESA PRETO – Foi a ex- celente protagonista da pe

ça infantil O Anão Saltitão

celente protagonista da pe ça infantil O Anão Saltitão O excelente Váatão apresentou na festa de

O excelente Váatão apresentou na festa de Natal dedicada às crianças filhos e netos dos funcionários da Câmara Municipal uma história in- fantil, cheia de magia com um castelo e um rei, que só pensava em casar o príncipe com uma donzela bela e rica – como assim o descreve

com uma donzela bela e rica – como assim o descreve o autor do texto, Dr.

o autor do texto, Dr. Lopes Marcelo. E, de facto, aparecia na história a filha de um

moleiro que tinha o dom de fiar a palha transformando-a em ouro

se o pretexto para abordar junto das crianças (já em palco) com sentido pedagógico e didáctico, algumas das tarefas tradicionais da preparação do linho. Assim, uma das actividades mais relevantes da nossa Beira Baixa, foi representada na peça, de forma genuina, envolvendo as canções de trabalho e as alfaias do trabalho artesanal do linho: o cortiço, a espadana, o sedeiro, a roca e o fuso. Esta divertida peça – segundo ainda Lopes Marcelo – vale como mensagem. Pretende ser, através da apresentação teatral, um contributo para que se valorizem as nossas tradições. É a demonstração de que falando dos nossos saberes sobre a cultura popular se pode contar uma história cheia de magia e de encantamento que as crianças entenderam e merecem. E o “Váatão” – Grupo de Teatro pôde faze-lo!

E aqui, aproveitou-

Como curiosidade, há que referir que nunca vimos no palco do auditório da Casa de Ar- tes, crianças tão atentas a uma história. Aliás, uma história bonita, com uma“princesa” tão linda, como é, especialmente, na peça, uma magnífica Artista, sem desprimor para os restantes intervenientes no “Anão Saltitão”. Muito bom Teatro. Bonita prenda de Natal para as crianças de Vila Velha de Ródão. E até para muitas mais pessoas!

MS

**********

O Natal já chegou à Biblioteca Municipal

O Natal chegou à Biblioteca Municipal José Baptista Martins logo no dia 5 de dezembro, pela

mão do actor Paulo Lages que ali apresentou, para as crianças que frequentam os 3º, 4º e 5º

anos no Agrupamento de Escolas de Ródão, a leitura encenada do livro «A noite de Natal» de Sophia de Mello Breyner Andresen. A actividade, apoiada pela Direcção-Geral do Livro dos Arquivos e das Bibliotecas, decorreu de forma extraordinária cativando todos os participantes para a beleza do texto. No decurso da leitura, foi dada a possibilidade aos atentos ouvintes de entrarem em cena, lendo, representando e convivendo com os belíssimos adereços que integravam o cenário. No dia 9, foi a vez de a árvore de Natal ser a protagonista de um espectáculo apresentado pelo grupo A Casa dos Dias Felizes às crianças do 1º e 2º ano do Agrupamento de Escolas. O

espetáculo «Yulé – A árvore do Natal», inspirado na origem do culto da árvore de natal - que remonta à mitologia pagã e às celebrações do solstício de inverno-, propôs, com muita arte

e especial sensibilidade, uma abordagem criativa e responsável da natureza.

Pag. 8 Por AURÉLIO CRUZ

Pag. 8

Por AURÉLIO CRUZ
Por AURÉLIO CRUZ
Por AURÉLIO CRUZ

Por AURÉLIO CRUZ

No tempo em que se operava, com pompas para apenas ser liquidado no ano de

2014, também alinhei nessa política Chamei o motorista que, no Mercedes top de gama, nos levou (a mim e à minha esposa) até Cascais, mais propriamente ao Guincho, a um restaurante, estrelado pela Michelin, onde iríamos saborear uma boa refeição.

Como entrada, uma boa dose de mexilhão à espanhola seguindo-se lagosta e outros

Um manjar apenas servido a antigos membros governamentais, actuais

deputados e aos milionários da nossa praça. Após a comesaina, fomos dar uma pequena caminhada para esmoer o que havia no estômago. No final, solicitei ao motorista que nos levasse de regresso à mansão Acordei!

quejandos

Gostei do sonho e só espero que, esta noite, volte ao mesmo local, para saborear um bom jantar Em tempo não muito distante, surgiam reuniões “conspiratórias” entre grupelhos políticos do mesmo partido, para indicação de novo “comandante” ou, quem iria ser o “mandante mor” de um governo a sair para o futuro. Eram discussões ao mais ínfimo pormenor, lembrando alguns grupos excursionistas na elaboração do programa e com inclusão de restaurantes com gastronomia de luxo. Tudo isto e mais outras similares que me ocorrem, levaram o país à

fragilização actual! Hoje, como dantes, continuamos a ouvir discursos repletos de ideologia fanática e corrosiva, virada para o estado sócio-cultural como, também, à economia, segurança, defesa, emprego, agricultura, educação, justiça,coisas do bem comum Encontramo-nos em difícil situação e para se caminhar em direcção a melhores dias, seria necessário que os governantes deixassem de pensar nos juros, dívidas públicas ou nas sondagens europeias. Os passos a serem dados, serão o resultado concreto sobre a economia, exportação, descida do IVA à restauração, aumento do salário mínimo, não à convergência das reformas/ aposentações e, uma mão bem pesada nos cortes aos subsídios para as PPP, fundações e partidos políticos.

A democracia em que vivemos, é legítima. No entanto, encontra-se a um passo para

descambar. Toda esta azáfama de insultos, leva-nos a um deprimente espectáculo,

fazendo lembrar a Roma dos gladiadores onde, o executivo e a oposição, se enfrentam inutilmente e a nível descendente.

O País necessita da ajuda de todos aqueles que nutrem do sentido patriótico e da

solidariedade entre todos os portugueses. Esperemos que após a “expulsão” dos toikanos e dos “nossos credores”, nos deixem debitar orientações económicas e

regras financeiras.

Vamo-nos tornar adultos de verdade – esperemos - e com sentido de responsabili- dades. A farsa deverá ter o seu fim!

AurélioAurélioAurélioAurélio CruzCruzCruzCruz

Pag. 9

Desportos
Desportos

CDRC/ Vila Velha de Ródão na Taça “José Gonçalves Farromba – AFCB

O Campeonato distrital de Futebol sofreu mais uma interrupção, no passado Domingo, tendo o clu- be rodense jogado em Sernache, com o Vitória – um dos candidatos à subida ao “nacional” da 3ª. divisão, com o qual perdeu por 5-2.

“Distrital da 1ª. Divisão reeata-se Domingo

No próximo Domingo, dia 22 de Dezembro, joga-se a 9ª. jornada, com os seguintes encontros:

Teixoso-Atalaia do Campo; Belmonte-Sernache; Fundão-Estação/ Covilhã; Oleiros Pedrógão e Proença-a-Nova-CDRC/ Vila Velha de Ródão.

Futebol

2

Campeonato Nacional de Seniores – Série E – 13ª. Jornada

Estreito 2-1 Sourense Nogueirense 0-2 Tourizense Naval 3-2 Carapinheirense Manteigas 0-3 Sertanense Benf.C. Branco 3-3 Pampilhosa 3

A classificação do CNS, da série E após esta jornada ficou assim ordenada:

1º. Benfica e Castelo Branco, 31 Pontos; 2º. Sertanense, 27 P; 3º. Pampilhosa, 22 P; 4º. Tourizense, 20 P; 5º. Nogueirense, 16 P; 6º. Naval, 16 P; 7º. Carapinheirense, 15 P; 8º. Águias do Moradal/ Estreito, 12 P; 9º. Sourense, 9 P; 10º. Manteigas, 8 Pontos

CNS – Série E – 14ª. Jornada

Pampilhosa-Sourense; Carapinheirense-Nogueirense; Sertanense-Naval; Manteigas/ Águias do Moradal/ Estreiro e Tourizense-Benfica e Castelo Branco

Marocas a marcar

Bom trabalho Para quem não é “bom de bola”, estes simpatiquís- simos profissionais talvez ainda
Bom trabalho
Para quem não é “bom de
bola”, estes simpatiquís-
simos profissionais talvez
ainda lhes estejam a pas-
sar ao lado
Mas, então, estejam aten-
tos a partir de agora: o
mais alto, necessariamen-
te, é o MAROCAS, o exce-
lente goleador do Benfica e
Castelo Branco. O com-
panheiro é o José Manuel
Alves a “voz” da RBI de
Castelo Branco que nos
faz chegar as reportagens
de todos os jogos.
Bom trabalho de ambos!
as reportagens de todos os jogos. Bom trabalho de ambos! a Rádio Beira Interior , (José

a Rádio Beira Interior, (José Manuel Alves)

a levar mais longe todos os jogos!

Pag. 10

Pag. 10

Tradições de Natal

A Câmara Municipal promove tradições de Natal, proporcionando a todos os munícipes o acesso à cultura e à gastronomia local. Nos dias 21 e 24 de Dezembro realizam-se duas iniciativas que irão, certamente, contribuir para uma quadra natalícia diferente em Ródão. Dia 21, às 18h, decorrerá, na Igreja Matriz um concerto de Natal, com a participação da Orquestra Típica Albicastrense e, no dia 24, por ocasião da Missa do Galo, a Associação dos Amigos dos Bombeiros, com o apoio da autarquia, estará num espaço, junto ao madeiro da Igreja Matriz, onde irá oferecer doçaria tradicional ,filhós, nógados e café à moda antiga, feito ao lume em cafeteira de barro. O Município pretende, assim, recuperar a tradição de passagem do Natal no meio rural, motivando o convívio das famílias de Vila Velha de Ródão, que nesta altura se juntam e vivem esta época natalícia na sua terra.

Autarquia dinamiza economia local

No âmbito das medidas de apoio aos empresários locais, mais concretamente à restauração

e ao comércio tradicional, a Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, irá promover diver-

sas ações que têm como objetivo potenciar o negócio e dinamizar a economia local. Assim, a partir de janeiro, todos os munícipes ou visitantes podem usufruir de sessões de cinema gratuitas, na Casa de Artes e Cultura, desde que efetuem compras no comércio local de montante superior a 50€, e ainda que façam refeições aos fins-de-semana (incluindo o jantar de 6ªfeira) nos restaurantes do concelho. Para receber o bilhete de cinema basta que seja apresentado o talão de compra na receção da Casa de Artes e Cultura(CAC). Recorde-se que a programação de cinema em vila Velha de Ródão é semanal e realiza-se no auditório da CAC, todas as 6ªas feiras às 21h ou, quando se trate de um filme de animação infantil, a sessão realiza-se aos sábados, às 15h.

infantil, a sessão realiza-se aos sábados, às 15h. A “Fortaleza” é um concerto íntimo e consistentemente

A “Fortaleza” é um concerto íntimo e consistentemente

intrigante, baseado no primeiro disco de originais de Teresa Salgueiro - “O Mistério”. Depois de um percurso de 25 anos de dedicação ininterrupta à música, 20 dos quais dedicados ao “Madredeus” o mais reconhecido grupo Português de sempre em todo o Mundo, Teresa Salgueiro entregou-se pela primeira vez à composição e à escrita criando os temas que deram origem áquele álbum, cuja inspiração

espelha uma reflexão sobre a dimensão humana perante

o mistério da vida

sobre a dimensão humana perante o mistério da vida Esta música foi pensada especificamente para ser

Esta música foi pensada especificamente para ser reproduzida ao vivo. Em palco, é recriado

o leque das diversas emoções presentes nos diferentes temas, convidando o público a

participar da essência e da energia geradas em cada concerto.

Mariano Prumes, da Allmusic, disse:

“ É como assistir a um fluxo de um rio. Esta é, acima de tudo, música pictórica de primeira categoria!”

Por sua vez, Fernando Neira, do Jornal “El País” escreveu:

“Teresa tema a companhia sólida com uma acordeão, guitarra, contrabaixo e percussões com que desenha uma música contemplativa, auto-absorvida e não muito longe da espiritualidade que inesperadamente nos moveu nos dias do Existir (1990).”

Pag

11

Preço das Portagens irá manter-se em 2014

Segundo informação da LUSA ,

o preço das portagens vai

manter-se em 2014, o que não acontecia desde 2010, disse fonte oficial da Estradas de Portugal (EP).

Em 2010, o preço das portagens

manteve-se inalterado, à excep- pção dos sublanços Palmela-Nó

de Setúbal (A2/A12) e Montijo-

Pinhal Novo, tendo registado aumentos nos anos seguintes.O

porta-voz da Brisa já havia dito,

a 11 de Dezembro, que não

haveria actualização das taxas

de portagem em 2014.

não haveria actualização das taxas de portagem em 2014. R.do Arrabalde,28 6030-235 Vila Velha de Ródão

R.do Arrabalde,28

6030-235

Vila Velha de Ródão

Nº, 121 de 21 de Novembro de 2013

Neste número: 13 Páginas Semanário Regionalista Editado em Vila Velha de Ródão Director

J. Mendes Serrasqueiro

Paginação e Arte Final Gina Nunes E-mail mendes.serrasqueiro @gmail.com

Telefones

272 545323- 272 541077

Telemóveis

96 287 0251 – 96 518 3777

“Ecos de Ródão” é enviado às quintas-feiras entre as 22 e 23 horas Envio gratuito por E-mail

Pode visitar todas as nossas edições em

ecosderodao.blog

spot.com

Nesta Quadra festiva em que se posa muito para a fotografia

pode acontecer a qualquer um uma!

ou

BoasBoasBoasBoas FestasFestasFestasFestas

um uma! ou BoasBoasBoasBoas FestasFestasFestasFestas Boas Festas Votos muito sinceros de quantos trabalham neste
um uma! ou BoasBoasBoasBoas FestasFestasFestasFestas Boas Festas Votos muito sinceros de quantos trabalham neste

Boas Festas

Votos muito sinceros de quantos trabalham neste jornal, para os nossos Amigos Colaboradores e suas Famílias e para a imensidão dos nossos pre- zados Leitores.

Pag. 12

Escreveu: Jornalista Baptista Basto in - “Diário de Notícias”

Escreveu: Jornalista Baptista Basto

in - “Diário de Notícias”

Escreveu: Jornalista Baptista Basto in - “Diário de Notícias”

Pelos Advogados

Acabou a recessão!", exclamaram, cheios de alegria e tolejo, jornais, rádios e

Secção

Jurídica

Ana Cristina Santos

A. Ferreira da Rocha

televisões. Ninguém explicou nada a ninguém, e o bulício de regozijo pegou-se. Nos

corredores dos ministérios, nas farmácias, nos quartéis, no edifício majestoso onde funciona a Galp, no bloco operatório de Os Lusíadas, o murmúrio adquiriu formas de clamor: "Acabou a recessão!" E Paulo Portas, que gosta de dizer coisas, falou e disse, entre enlevado e libidinoso: "Vai começar um novo ciclo!", sorriu e caminhou, lépido, para o gabinete onde congemina.

Para quem acabou a recessão?, e quais os benefícios que traz ao milhão de desempregados; aos milhares de famílias que recorrem ao Banco Alimentar e à Cáritas para comer; aos reformados e pensionistas, esbulhados dos magríssimos proventos; aos 25 mil casais sem emprego; aos milhares de miúdos que vão para a escola com o estômago vazio; aos cem mil jovens portugueses que abandonaram a pátria porque a pátria é lugar de infortúnio; aos velhos que morrem sozinhos sem ninguém dar por isso, ou espantados de medo nos caixotes de vivos para aonde são enviados por quem os não quer - para quem e para quê?

A recessão acabou, e então? E acabou mesmo? Ou não será outra das "incongruências problemáticas" de um Governo mentiroso, servo dos mais poderosos e notoriamente incapaz de resolver os nossos problemas mais ínfimos? Ninguém esclarece nada a ninguém. E o directo concorrente ao poder, pela interposta pessoa do triste e melancólico António José Seguro, perde-se nas banalidades do costume, com o bordão já famoso de o PS ser "um partido responsável", afirmação que os factos procedentes da sua direcção desmentem e enxovalham.

Poderia ser uma ópera-bufa se o assunto fosse para rir. Mas não é. Trata-se da nossa própria existência como nação, e o desassossego chegou a tal ponto que muitos elementos do próprio PSD já chegam a exigir a substituição de Seguro! Que venha outra coisa porque "isto" não é coisa nenhuma. Dizem.

Aliás, as sondagens são inquietantes. É modestíssima a vantagem do PS sobre o PSD, e a agitação naquele partido, cuja tradição de conspiração interna é conhecida, avoluma- se cada dia que passa. O espectáculo mediático protagonizado pelo secretário-geral dos socialistas, chega a ser pungente pela tibieza do seu conjunto e pela inexistência de fibra.

Toda a gente já percebeu que o homem não serve, que não sabe, e que simplifica sempre, por inépcia, as respostas que se lhe exigem.

m

BaptistaBaptistaBaptistaBaptista BastoBastoBastoBasto

in-“Diário de Notícias”

Pag. 13

AssembleiaAssembleiaAssembleiaAssembleia MunicipalMunicipalMunicipalMunicipal dededede VilaVilaVilaVila VelhaVelhaVelhaVelha dededede RódãoRódãoRódãoRódão

Recebemos da Câmara Municipal, com o pedido de publicação, o Aviso sobre a Reunião da Assembleia Municipal, a realizar Sexta-feira, dia 27 de Dezembro, pelas 20.30 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a seguinte ordem de trabalhos:

1 – Ponto prévio antes da Ordem do Dia;

2 – Regimento da Assembleia Municipal;

3 – Eleição de membros para integrar as seguintes entidades:

a) –Representante das Juntas de Freguesia para integrar o Conselho Municipal de Edu- cação;

b) – Representante das Juntas de Freguesia para integrar a Assembleia Distrital;

c) – Representante das Juntas de Freguesia para integrar a Comissão Municipal de

Defesa da Floresta contra Incêndios;

d) –Representante das Juntas de Freguesia para integrar o Cons. Cinegético Municipal;

e) – Membro representante na Comissão de Acompanhamento da Revisão ao PDM;

f) – Membro representante no Grupo de Trab. para a denominação Toponímica no

Concelho;

4 – Apreciação, discussão e eventual aprovação da concessão de Isenção de IMI e IMT, à

“AMS-Papermill and Coverthing SA;

5 – Apreciação, discussão e eventual aprovação da autorização genérica favorável para efeito do disposto na alínea c) do nº. 1 do artº. 6º. da Lei 8/ 2012, de 21 de Fevereiro;

6 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do Mapa de Pessoal para 2014;

Empresa

7 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do Regulamento Municipal de Publicidade e Ocupação do Espaço Público;

8 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do Regulamento Municipal do horário de

funcionamento dos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços do Município de Velha de Ródão;

9 –Apreciação, discussão e eventual aprovação do Regulamento Municipal de alojamento local;

Vila

estabelecimentos de

10 – Apreciação, discussão e eventual aprovação da 2ª. Alteração ao Regulamento Municipal de

apoio a fixação de jovens e famílias;

11 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do Regulamento de Atribuição de Bolsas de

Estudo a Estudantes do Ensino Superior;

12 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do Regulamento Municipal de Urbanização e

Edificação do Município de Vila Velha de Ródão;

13 – Apreciação, discussão e eventual aprovação da Adenda ao Protocolo celebrado com a

Santa Casa da Misericórdia de Vila Velha de Ródão;

14 – Apreciação, discussão e eventual aprovação da Adenda ao Protocolo celebrado com a

Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense;

15 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do Protocolo com o CMCD – Centro Municipal de

Cultura e Desenvolvimento de Vila Velha de Ródão;

16 – Apreciação, discussão e eventual aprovação do protocolo com o Centro Desportivo, Re

creativo e Cultural de Vila Velha de Ródão;

17 – Apreciação, discussão e eventual aprovação da Revisão aos Documentos previsionais de 2013;

18 – Apreciação, discussão e eventual aprovação dos seguintes documentos previsionais para o ano

de 2014: - Grandes opções do Plano - Plano Plurianual de Investimentos;-Plano de Actividades Municipais;-Orçamento.

19 – Informação do Senhor Presidente sobre a actividade do Município nos termos da alínea c do

nº. 2 do artº. 25º. da Lei 75/ 2013 de 12 de Setembro;

20 – Outros assuntos de interesse para o Município;

21 – Período de intervenção nos termos do artº. 19º. do Regimento

Paços do Concelho de Vila Velha de Ródão, 17 de Dezembro de 2013

O Presidente da Mesa da Assembleia Municipal

a) António Tavares Pinto Carmona Mendes

Похожие интересы