Вы находитесь на странице: 1из 6
FACULDADE DE DIREITO PROFESSOR DAMÁSIO DE JESUS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PROCESSUAL

FACULDADE DE DIREITO PROFESSOR DAMÁSIO DE JESUS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PROJETO DE MONOGRAFIA

Tutela Jurisdicional de Urgência no âmbito do Juizado Especial Federal Cível
Tutela Jurisdicional de Urgência
no âmbito do Juizado Especial Federal Cível

Aluno: Maria Silva

Orientador: Professora Mestre Cinthya Nunes Vieira da Silva

São Paulo

2011

1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título: Tutela Jurisdicional de Urgência no âmbito do Juizado Especial Federal

1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

Título: Tutela Jurisdicional de Urgência no âmbito do Juizado Especial Federal Cível

Autora: Maria Silva

Orientadora: Professora Mestre Cinthya Nunes Vieira da Silva

Área de Concentração: Direito Processual Civil

Linha de Pesquisa:

Duração: 06 meses

Início: junho de 2010 Término: novembro de 2010
Início: junho de 2010
Término: novembro de 2010

2. TEMA

A aplicabilidade da Tutela Jurisdicional no âmbito do Juizado Especial Federal

Cível.

3. DELIMITAÇÃO DO TEMA

O presente trabalho analisa a utilização das tutelas jurisdicionais de urgência no Juizado Especial Federal Cível, em uma visão sistêmica e prática, da efetividade e eficácia objetivada por tais ferramentas.

4. PROBLEMA A atual e crescente valorização das medidas de urgência na prestação jurisdicional, sem

4. PROBLEMA

A atual e crescente valorização das medidas de urgência na prestação jurisdicional, sem o paralelo respaldo das conceituações e sistematizações, realimenta as controvérsias sobre cerca da importância e conveniência da presente política processual,

a exemplo do que se processa quanto ao conceito e natureza das diferentes medidas disponíveis no ordenamento atinentes à agilização dos procedimentos da justiça contemporânea.

A utilização inadequada das tutelas de urgência rompe com o próprio propósito

de seu surgimento, que é a busca do efetivo acesso à Justiça pelos jurisdicionados.

Assim, o problema que se vislumbra é a necessidade de que as tutelas de urgência sejam aplicadas de forma correta e no presente trabalho se passará à discussão

e análise de quais são os requisitos e as hipóteses do cabimento das tutelas de urgência dentro do Juizado Especial Federal Cível.

5. HIPÓTESES
5. HIPÓTESES

Por meio do levantamento e da análise comparativa de dados quantitativos, extraídos do sítio eletrônico do Juizado Especial Federal, das tutelas de urgência pugnadas e das efetivamente concedidas, pode-se demonstrar a ausência de critério e inadequação em sua utilização, bem como o correspondente aumento de tempo decorrido em média entre a propositura, processamento dos feitos e prestação

jurisdicional, resultando em uma imagem de pouca efetividade na prestação jurisdicional. Tal quadro pode ser revertido por meio de uma conceituação, classificação

e

sistematização das tutelas de urgência.

6.

OBJETIVOS

O

objetivo do trabalho é o debate, a reflexão sobre a gestão de problemas atuais

e

de interesse dos operadores do direito, na equação de fatores como a celeridade, a

efetividade, a acessibilidade e a justiça na prestação jurisdicional inserta na proposta dos Juizados Especiais

efetividade, a acessibilidade e a justiça na prestação jurisdicional inserta na proposta dos Juizados Especiais Federais Cíveis. Assim, o presente trabalho pretende esclarecer os critérios adequados de utilização das cautelas de urgência para a sua efetividade no processo. Estabelecer limites de utilização de tais ferramentas para a efetiva e justa prestação jurisdicional, analisando hipóteses em que o direito subjetivo material reclame a garantia do exercício imediato, a evitar perecimento ou inutilização substancial, sem perder os contornos de processo justo.

7. JUSTIFICATIVA

O presente trabalho trata da premente e relevante tarefa de justificar o novo perfil da prestação jurisdicional, para a sua compatibilização com os princípios da garantia do devido processo legal, o que é viabilizado por meio da utilização criteriosa dos institutos, da terminologia própria e adequada na conceituação da tutela jurisdicional de emergência, da classificação racional, técnica e útil dos institutos, em contraposição ao uso inadequado e indiscriminado das tutelas de urgência.

ao uso inadequado e indiscriminado das tutelas de urgência. Tal panorama convida a uma análise percuciente

Tal panorama convida a uma análise percuciente da questão, que passa pela confusão que ainda se verifica entre, por exemplo, a celeridade processual e a sumarização do processo, a medida liminar e a medida cautelar, entre medida cautelar e medida de antecipação de tutela, entre tantas outras que a casuística oferece e que retardam o regular processamento dos processos. Acredita-se que, com uma maior conscientização do necessário e criterioso manejo das ferramentas aos operadores do direito, em especial do direito processual civil, haja um ganho em efetividade da prestação jurisdicional, na credibilidade do trabalho de advogados, servidores e magistrados, na sedimentação da importante imagem e finalidade do Juizado Especial Federal.

8. METODOLOGIA O método hipotético-dedutivo permeia o desenvolvimento da pesquisa, que se desenvolve inicialmente de

8. METODOLOGIA

O método hipotético-dedutivo permeia o desenvolvimento da pesquisa, que se desenvolve inicialmente de modo investigativo com levantamento dos critérios a serem satisfeitos para a aplicação dos institutos, dados quantitativos de sua aplicação prática em determinado período, culminando na orientação de sua aplicabilidade e efetividade nas demandas propostas nos Juizados Especiais Federais Cíveis.

Para tanto, o trabalho principia pela análise geral e conceitual das tutelas de urgência, inserida na atual proposta de sumarização do processo e de tutelas jurisdicionais diferenciadas; passa pela identificação e classificação de providências disponíveis no atual processo para o implemento da tutela jurisdicional.

9. ESTRUTURA FINAL DO TRABALHO

a) Introdução. b) Seção 1: Tutela Jurisdicional e prestação jurisdicional. c) Seção 2: Justificativa da
a) Introdução.
b) Seção 1: Tutela Jurisdicional e prestação jurisdicional.
c) Seção 2: Justificativa da tutela de urgência na ordem constitucional.

d)

e) Seção 4: Fungibilidade entre as medidas cautelares e antecipatórias.

f) Conclusão.

Seção 3: Discricionariedade no desempenho da tutela de urgência.

11. CRONOGRAMA

a) Levantamento de dados: junho de 2010

b) Análise e fichamento das obras consultadas: julho de 2010

c) Redação do artigo: agosto e setembro de 2010

d) Revisão: outubro de 2010

e) Entrega do Artigo: novembro de 2010

12. REFERÊNCIAS PRELIMINARES CÂMARA, Alexandre Freitas. Tutela Jurisdicional de Urgência nos Juizados Especiais

12. REFERÊNCIAS PRELIMINARES

CÂMARA, Alexandre Freitas. Tutela Jurisdicional de Urgência nos Juizados Especiais Federais. Revista Dialética de Direito Processual nº 2 – maio de 2003, p. 7-14.

CARNEIRO, Athos Gusmão. Da Antecipação de Tutela, 4. ed. Rio de Janeiro: Forense,

2002.

LUQUE, Raphael Anderson. O Dano Moral nos Juizados Especiais Federais PAZZAGLINI FILHO, Marino e outros. Juizado Especial Criminal: Aspectos Práticos da Lei nº 9.099/95, 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTOS, Nelton dos. Direito Processual Civil: Processo Cautelar, Rio de Janeiro:

Elsevier, 2007.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito Processual Civil. 34. ed., Rio de Janeiro: Forense, 2003. v. II.

Curso de Direito Processual Civil. 30. ed., Rio de

Janeiro: Forense, 2003. v. III.

Tutela Jurisdicional de Urgência: Medidas Cautelares e Antecipatórias. 2. ed., Rio de Janeiro: América Jurídica,
Tutela Jurisdicional de Urgência: Medidas
Cautelares e Antecipatórias. 2. ed., Rio de Janeiro: América Jurídica, 2001.
VAZ, Paulo Afonso Brum. Manual da Tutela antecipada: doutrina e jurisprudência.
Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2002.

ZAVASCKI, Teori Albino. Antecipação da Tutela. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2000.