Вы находитесь на странице: 1из 30

› ›

›   ›

    ›

   ›  

ª  
ª 

ª  
› › 

 
› ›   
 ›  › ›
n n    
ª 

‡ PROPRIEDADE INTELECTUAL o que é?

‡ Espécie de propriedade sobre bem imaterial,


estes regulados por um conjunto jurídico, de
normas sobre aquisição, uso, exercício e
perda de ativos intangíveis.


ª
  
 ! "#$%&# %
'()''*+)'() ')
(((') ,')-'.

0. Os direitos reais;
2. Os direitos de personalidade e
3. Os direitos de crédito


ª
  %
 ! "#$%&# %
    
‡ têm por objetivo bens externos ao sujeito. O
direito real mais característico é o de
propriedade, que pode ser definido como o
direito mais amplo que um sujeito de direito
tem sobre um bem externo a ele, pode ser
traduzido como o direito de usar a coisa, obter
rendimento dela e dela dispor.


ª
  $
 ! "#$%&# %
    n 
 
‡ Que se exercem sobre atributos da própria
pessoa, como o nome, a imagem, a honra, os
títulos acadêmicos, ou o próprio corpo, bem
como a intimidade e a privacidade. São
também direitos absolutos, mas diferem dos
direitos reais por não serem disponíveis (são
inalienáveis e irrenunciáveis).


ª
  /
 ! "#$%&# %
    ª0 
‡ (OU OBRIGACIONAIS), que decorrem dos
contratos ou dos atos ilícitos, tornando um
sujeito de direito credor de uma prestação por
parte de outro sujeito de direito (o devedor).
Diferentemente dos anteriores, são direitos
relativos porque só obrigam o devedor perante
o credor (U    U 
 U).


ª
  #
 ! "#$%&# %

1 
23
‡ Direito de Autor (Lei 9.60 98)
‡ Software (Lei 9.6 998)
‡ Cultivares (Lei 9.45697)
‡ Criações Industriais (LPI Lei 9.27996)


ª
  &
 ! "#$%&# %
 n'!
‡ Todas as quatro leis exibidas no
quadro anterior são leis recentes,
editadas pelo Brasil para atender a
um tratado internacional chamado de
Acordo TRIPs.


ª
  "
 ! "#$%&# %
' *)'  )'4 *+) (
)(() ))4 () ')
(((' ) (' )-'.
0. As criações intelectuais ( que
pertencem originariamente a seus
criadores) e os
2. Sinais distintivos ( que pertencem
às empresas)


ª
  
 ! "#$%&# %
  ›  
      ›


ª
  
 ! "#$%&# %
‡ ª  5   () ()4
() )  ' ( ))  (
)-'  ))'4  6' ()
)789!


ª
 
 ! "#$%&# %
‡ Esta modalidade de contrato industrial
subsume-se, em decorrência, ao regime da
locação de coisa, previsto no Código Civil e
disciplinado pelas normas específicas da
propriedade industrial.
‡ Assim sendo, conforme ensina a doutrina, o
cancelamento, anulação ou caducidade do
direito, bem como o indeferimento do pedido de
patente, não importam no dever de indenizar o
licenciado.


ª
  
 ! "#$%&# %
‡ A licença de uso é contrato intuitu
personae, e, portanto, o licenciado não pode
transferir os seus direitos a terceiros, ou,
mesmo, valer-se deles para a integralização de
capital de sociedade, salvo expressa
autorização do licenciador.


ª
  %
 ! "#$%&# %
  › 
› ›  
›  

‡ È o contrato pelo qual o seu titular (licenciador


ou concedente) autoriza a exploração
econômica deste pelo outro contratante
(licenciado ou concessionário).

  ›
› ›       ›

‡ Defini-se sendo o contrato em que uma parte,


autorização exploração do desenho industrial
ou da marca de sua propriedade pelo outro
contratante.
 

ª
 ! "#$%&# %
$
½ ½
  ½ 



  ›
‡ O titular de patente ou o depositante poderá
celebrar contrato de licença para exploração.

‡ O contrato de licença deverá ser averbado no


INPI para que produza efeitos em relação a
terceiros.


ª
  /
 ! "#$%&# %
ª n
: 
‡ O titular ficará sujeito a ter a patente licenciada
compulsoriamente se exercer os direitos dela
decorrentes de forma abusiva, ou por meio
dela praticar abuso de poder econômico,
comprovado nos termos da lei, por decisão
administrativa ou judicial.
‡ Atendidas essas situações, qualquer pessoa
com legítimo interesse e capacidade técnica e
econômica para realizar a eficiente exploração
da patente pode requerer ao INPI a licença
compulsória.
 

ª
 ! "#$%&# %
#
ª n
: 
‡ Também cabe a licença compulsória caso o
objeto da patente, sem motivo justo, não esteja
sendo explorado no Brasil, ou se a sua
comercialização não satisfaz as necessidades
do mercado. (LPI, art. 68 §0).
‡ A licença compulsória de patente, seja qual for
o seu fundamento, não concedem
exclusividade ao licenciado e não comportam
sub-licenciamento.


ª
  &
 ! "#$%&# %
; 
ª2

‡ O titular da patente poderá solicitar ao INPI que


a coloque em oferta para fins de exploração.
‡ O INPI promoverá a publicação da oferta.
‡ O titular da patente poderá requerer o
cancelamento da licença se:
o licenciado não der início à
exploração efetiva dentro de 0 (um) ano da
concessão, interromper a exploração por prazo
superior a 0 (um) ano, ou, ainda, se não forem
obedecidas as condições para a exploração.

ª
  "
 ! "#$%&# %

  
½ 

‡ A tecnologia é o conjunto de conhecimentos


específicos com princípios científicos, que se
aplicam a um determinado ramo de atividade.

‡ No sentido Jurídico, tecnologia é o saber


Industrial, isto é, aquele tipo de conhecimento
utilizado na produção de um bem ou
comodidade destinados à comercialização.


ª
  
 ! "#$%&# %
½  
!" #!$
%
$!& ½ '
‡ Lei n 3.47 58 - Altera a legislação do imposto de renda e dá outras
providências.
‡ Lei n 4.03062 - Disciplina a aplicação do capital estrangeiro e as remessas
de valores para o exterior e dá outras providências.
‡ Lei n 4.5 664 - Dispõe sobre o Imposto que Recai sobre as Rendas e
Proventos de qualquer Natureza
‡ Lei n 8.38390 - Institui a Unidade Fiscal de Referência, altera a legislação
do imposto de renda e dá outras providências.
‡ Lei n 8.66093 - Dispõe sobre os incentivos fiscais para a capacitação
tecnológica da indústria e da agropecuária, e dá outras providências.
‡ Lei n 8.88494 - Transforma o Conselho Administrativo de Defesa
Econômica (Cade) em Autarquia, dispõe sobre a prevenção e a repressão
às infrações contra a ordem econômica e dá outras providências.
‡ Lei n 8.95594 - Dispõe sobre o contrato de franquia empresarial
(franchising) e dá outras providências.
‡ Lei n 9.27996 Regula direitos e obrigações relativos à propriedade
industrial.


ª
  
 ! "#$%&# %
› !( ) (*%% % ( !" #!$
% ($!
‡ É através do licenciamento ou transferência de
know-how "Saber como".
Essa tecnologia será licenciada ou transferida, das
seguintes formas:
± Licença de uso de patente;
± Licença de uso de registro industrial (desenho
Industrial);
± Fornecimento de tecnologia;
± Prestação de Serviço de assistência técnica e
científica.

ª
  
 ! "#$%&# %
!(! ! (+ % ,(!( + +
, $ % ( !" #!$ % ($!

‡ O contrato de transferência de tecnologia que


envolve direito de propriedade é formulado
através de uma licença exclusiva ou não.
Quando se trata de direitos exclusivos, as
empresas conseguem uma melhor posição de
mercado, ganhando tempo e experiência para
testar e comercializar os produtos.
Sendo um ativo mensurável, as patentes
estimulam a realização de investimentos em
pesquisa.

ª
  
 ! "#$%&# %
   % !( ( %

!" #!$ %
$!
‡ Anteriormente as clausulas eram definidas pelo
Poder Público, cabendo às partes apenas
aderirem ao negócio;

‡ Atualmente, após a Resolução INPI 2 90, as


partes convencionam as cláusulas, devendo
averbá-las no INPI para que produzam efeitos
legais.


ª
  %
 ! "#$%&# %
 -
‡ Resolução INPI n 942 3 - Dispõe sobre o
prazo de análise da Diretoria de Transferência de
Tecnologia, consoante o disposto nos artigos 200 e
244 da lei n 9.27996 e prazo para os efeitos
legais, decorrentes do pedido de averbação do
contrato.
‡ O prazo para a prática do ato será de 3 (trinta)
dias.
‡ Prescreve em 5 (cinco) anos a ação para
reparação de dano causado ao direito de
propriedade industrial.

ª
  $
 ! "#$%&# %
!%$% 
 !"#$% &" "$'(')%

Tipos de instrumentos ›U



2 0a2 9
Acordos de sigilo 

Contratos de fornecimento de tecnologia 

Contratos de licença de patente 

0
Contratos de licença de marca

Contratos de transferência de material biológico
Acordos e Convênios de Cooperação Tecnológica 

Memorandos de entendimento 

Outros 

 
 ›
ª *+,/
 ! "#$%&# %
  ½ ./  ½  
0
1 2
‡ Programa de computador
‡ É um produto desenvolvido por uma empresa
de Engenharia de Software, ou mesmo, por
terceiros, para facilitar certas atividade em um
computado.
‡ Os direitos titularizados pelo criador logiciário
não são tutelados pela propriedade industrial, e
sim, pelo direito autoral. (Lei n. 9.6 998).


ª
  #
 ! "#$%&# %
 % ½$3 
‡ Tem a proteção do Direito autoral, isso
significa, que ele tem a prerrogativa de impedir
a comercialização por terceiros.
‡ Porém não esta vedada a utilização doméstica
por terceiros, não comercial, no entanto à
prática de copias, ³pirataria´ torna conduta
ilícita lesiva ao direito do autor.
‡ Desmontar, ou seja, descripar para saber como
funciona a estrutura interna do programa.

ª
  &
 ! "#$%&# %
n<
‡ É apenas de 5 anos contados de 0 de janeiro
do ano seguinte da publicação, ou criação do
produto.


ª
  "
 ! "#$%&# %
()(ª ª
‡ O usuário do programa pode invocar, a
proteção dos seus interesses, não somente
pela lei n 9.6 998, mas também pela tutela do
diploma legal do CDC, desde que se enquadre
no conceito legal de consumidor.


ª
  
 ! "#$%&# %
 % "(4 
‡ Todo o software é publicado sob uma licença. Essa
licença define (e até restringe) pela forma que se
pode utilizar o software (números de licenças,
modificações) sendo:

‡ Licença Comercial
‡ Software livre
‡ Freeware
‡ Shareware
‡ Demo
‡ Trial

ª
  %
 ! "#$%&# %