Вы находитесь на странице: 1из 29

Irene Tanabe

origami.irene@terra.com.br
Simbologia
Formas Básicas
Flor
Macaco que sobe
na árvore
O macaco que sobe a
árvore
Era uma vez um macaco que não conseguia subir em árvores. Todos os macacos conseguiam subir e
saltavam de um galho para o outro, trocando de árvores e se divertindo. E todos riam dele:

-“Macaco que não sobe na árvore, não é macaco. Kikikiki”. Zombavam os demais macaquinhos.

Então, ele ficava embaixo das árvores lendo livros e mais livros. (dobra o papel no meio, como se
fosse um livro).

Um certo dia, quando o macaco percebeu que os demais não estavam por perto, ele resolveu se
arriscar e sumir uma rampa. (dobra um dos lados deixando a parte aberta para baixo).

Porém, ele não conseguiu e deslizou a rampa. Os demais macacos viram e zombaram:

-“Macaco que não sobe em rampa, não é macaco. Kikikiki”.

Depois de um tempo, ele resolveu subir uma pequena montanha. (vira e dobra do outro lado).

Mas novamente, o macaco não conseguiu e deslizou o morro. E os outros macacos riram:

-“Macaco que não sobe em montanha, não é macaco. Kikikiki”.

Apesar de ficar triste, o macaquinho não desistia. Fosse dia ou noite, ele sempre tentava subir na
árvore, mas acabava escorregando.

Porém, um dia, depois de várias tentativas, ele conseguiu subir na árvore.

Fim
Coelho
O coelho chorão
na maratona
Dois coelhos que viviam em uma montanha avistaram uma multidão aglomerada na
base da montanha. Aquele era o dia da maratona. Um deles começou a chorar, porque
não entendia porque não tinham maratona também. Os dois desceram a montanha
para assistir a corrida.

Os dois coelhos se esconderam atrás de uma moita até que um deles viu algumas
crianças tomando sorvete e começou a chorar, de novo. O outro coelho comprou duas
casquinhas de sorvete. Eles assistiam à corrida, quando, de repente, um dos
corredores esbarrou no sorvete do coelho chorão e ...... Derrubou o sorvete. E ele
começou a chorar, de novo.

O outro coelho resolveu dar um pouco do seu para o amigo...E ele ficou com um
pouquinho de sorvete para tomar. Cansados de ficarem só assistindo, eles decidem
criar sua própria maratona...... O coelho chorão sai correndo com sua casquinha.

Até ele tropeçar e quebrar a casquinha no meio!!! O coelho ficou tão chateado que
saiu correndo e chorando...Seu amigo apareceu e disse que não importava se o
sorvete estava quebrado, o que importava era eles brincarem juntos. O coelho
levantou a cabeça e voltou para a brincadeira...
O menino que não
sabia o que queria ser
O menino que não
sabia o que queria ser
Autor desconhecido

Era uma vez um menino que não sabia o que queria ser no futuro. Um dia, quando ele
estava lendo um livro (dobra o papel no meio) viu um pirata e resolveu que queria ser
um. Porém, piratas não eram os mocinhos e sim os capitães de navios. Ent~çao
resolveu ser capitão. (Dobra como um chapéu)

Em seguida, ele mudou de ideia, quis ser um bombeiro (levanta uma das abas e vira
chapéu de bombeiro)e ser um grande herói. Mas trabalhar com fogo era muito
perigoso e ele mudou novamente de ideia.

Ele resolveu ser Robin Hood (levanta as duas abas e transforma em chapéu de robin
Hood), tirar dos ricos para dar aos pobres. Mas roubasr não era algo digno de orgulho.

Sem saber o que queria ser, foi à praia e ficou sentado na areai vendo os barcos e
navios no mar. Foi quando ele avistou um barquinho de papel. Seu sonho era navegar
pelo mar! Mas ninguém acreditava que um barquinho de papel pudesse, porque papel
na água se desmancha! Ele sempre ia até a praia e desistia. Mas um dia ele se
encheu de coragem e foi para o mar

Logo o Mar pensou: “Quem é esse barco de papel!! Vou acabar com ele!”. E com uma
onda gigante arrancou uma parte do nosso amigo! Mas o barquinho continuou
navegando.

Então, o mar ficou furioso e fez uma onda maior ainda e arrancou outra parte do barco!
Mas ele não desistiu, continuou navegando e enfrentando as ondas.

O mar, já cansado, pediu ajuda ao vento, que com uma grande ventania arrancou a
vela do barco. Mas desta vez, ele não aguentou e foi parar no fundo do mar. Mas lá, a
ele se transformou em uma camisa de capitão e voltou à superfície! Voltou para a praia
e aquele menino, que não sabia o que queria ser, não teve dúvida, pegou a camisa e
se tornou um importante capitão de navio.
Pinguim

2
1 3

5 6
4

8 9

7
O pinguim
O Pinguim (o nome sempre pergunto para as crianças) é um filhote que quer muito
subir em uma montanha bem alta, mas os pinguins adultos dizem que é muito
perigoso para ele.

Mas um certo dia, quando os pinguins adultos não estão olhando, ele resolve subir
uma montanha nevada, muito alta!!

Quando ele chega no alto da montanha, está muito, mas muito frio... então, ele
resolve colocar um casaco de frio.

Como ele é um pinguim prevenido, o casaco é bem longo e preto. Mesmo muito
agasalhado, o frio é intenso e ele encolheu a cabeça, para tentar se esquentar.

Quando ele abaixa a cabeça, o pequeno pinguim se depara com os pés cobertos de
neve.
Decide nesse momento chutar a neve ao redor. [Levanta embaixo].

Mas nada adianta e o frio continuou implacável!! Ele se encolhe mais se abraçando.
(dobra ao meio).

Depois de horas e horas encolhido, o pinguim levanta a cabeça para ver se a neve
parou e o frio diminuiu.

Quando ele levanta a cabeça é que lê se dá conta: “Frio, mas que frio que nada, eu
sou um Pinguim, e não tenho frio, eu vivo na neve!!!”
Tabuleiro de jogo
para contar histórias
Caixa de histórias
Primeira parte
Caixa de histórias
Segunda parte
O anel encantado
O anel encantado
parte 2
O anel encantado
parte 3
O anel encantado
a história

Autoria: Irene Tanabe


Diz a lenda, que em cima de uma montanha encantada havia um anel acorrentado. A corrente era
mágica e nada conseguia destruí-la, nem as intempéries do tempo, como o sol, a chuva, o vento ou a
neve. Nada. A lenda dizia também que aquele que conseguisse tirar o anel seria o novo rei ou rainha
daquela região.

Perto dessa montanha havia uma pequena vila e todos, durante várias gerações, tentaram quebrar a
corrente, mas as tentativas foram em vão.

Até que um dia chegaram dois forasteiros à vila: um homem magro e outro gordo, e ambos baixinhos.
Eles ficaram sabendo da lenda e subiram a montanha para tirar o anel acorrentado, mas nada
conseguiram. Eles partiram decepcionados, mas no caminho encontraram um jovem casal, que ficou
sabendo da lenda, mas o casol achou que não era afortuado para conseguir quebrar a corrente.

Eles eram dois aventureiros que queriam somente um pouco de comida e lugar para se acomodarem
por alguns dias, até partirem novamente em suas andanças pelo mundo. Eles encontraram pessoas
amigáveis na vila que lhe deram o que comer e roupas novas. Eles se sentiram tão acolhidos por
aquele povo, que em troca ajudavam em pequenos serviços e também ensinaram novas formas de
cultivos que ajudaram a vila prosperar.

Até que um dia, o casal resolveu partir. A passagem deles seria pela montanha encantada, onde estava
o anel. Quando eles depararam com o anel, ele brilhava como nunca. Eles se aproximaram e tocaram
na corrente, que se soltou levemente, como um fio de seda e o anel escorregou em suas mãos.

Então, o casal se tornou o rei e a rainha e ficaram conhecidos não somente por terem tirado o anel
acorrentado, mas também por terem ajudado a sua população a prosperar e crescer.
Barco mágico
Barco mágico
Era uma vez uma princesa que morava em um antigo castelo. Além de brincar, ela gostava muito de
ler. Um dia, ela encontrou um livro sobre o castelo onde ela morava..

Ela ficou fascinada pelo assunto, pois no livro estava escrito que havia uma porta que a levaria para
uma grande surpresa.

No livro estava escrito também onde ela encontraria a tal porta. Primeiro, ela deveria procurar dentro
do armário um mapa. Lá, ela encontraria um X. O X indicava exatamente a mesa da sala de jantar.
Quando ela se sentou na primeira cadeira, ele se quebrou. A princesa sentou em uma segunda
cadeira, abraçada ao livro, que afundou levando a para um fosso no subterrâneo do castelo.

Lá havia um barquinho. Ela entrou no barquinho, que a levou para um barco a vela. E esta era a
grande surpresa do livro: o barco a vela era mágico.
Processo de criação
de uma história dobrada
Criar listas com o passo a passo de um origami e sempre relacionando com as
possibilidades visuais, ou seja, com o que se parece cada dobra.

Segue lista abaixo criada pelo turma do dia 20.11:

Lista 2 Lista 3 Lista 4


Lista 1
- caixa - janela - CDHU
- pastel
- dado - sanfona - casa
- livro
- porta - cortina - castelo
- caixa de leite
- janela - caixa - arca
- agenda
- azulejo mágico - mesa - vaso
- porta
- peão - 2 taças
- note book
- espelho - igreja
- asa delta

Lista 6 Lista 7
Lista 5 - bico de pato
- chapéu
- blusa - tucano
- envelope
- gola - pintinho
- caixa de panetone
- saco de dormir - tubarão
- turbo drop
- porta treco - lagarta
- carteira
- balcão - planta carnívora
- chapéu de soldado
- carta - galinha
- peso de porta

À partir das listas, relacionar um item ou mais de


cada lista e criar uma história!
Lobo
Poemas para brincar

Este clássico da literatura infantil brasileira, que até já virou peça de


teatro, é um gostoso convite para a criança mergulhar no mundo da
poesia.

O livro é composto de 12 poemas curtos e é da Editora Ática. É uma das


mais bem sucedidas obras do gênero, valendo-lhe inclusive o prêmio
Jabuti de Melhor Livro Infantil, enquanto as ilustrações de Luiz Maia
receberam o Jabuti de Melhor Ilustração de Livro Infantil e Juvenil.
Com A Pulga Atras Da Orelha E Outras Coisas Que Os Adultos Dizem... Conceito
do Leitor: Seja o primeiro a opinar
Autor: GRIBEL, CHRISTIANE
Editora: SALAMANDRA
Assunto: INFANTO-JUVENIS - LITERATURA INFANTIL

``Entrei numa roubada...´´ ``Quem mandou ficar pensando na morte da


bezerra?´´ ``Ah! Vai pentear macaco!´´ Quer entender essa conversa maluca?
Então esse livro vai ser uma mão na roda!
Princesa Que Tudo Sabia... Menos Uma Coisa Conceito do Leitor: Seja o
primeiro a opinar
Autor: PAMPLONA, ROSANE
Editora: BRINQUE BOOK
Assunto: INFANTO-JUVENIS - LITERATURA INFANTIL

Adivinhas, charadas, enigmas, perguntas e mais perguntas... Não é que


aquela princesa sabia tudo mesmo? Mas um jovem vindo de longe descobriu
a única pergunta que ela não sabia responder. Que pergunta era essa?
Biscoitos da sorte
Papel craft com 7,50cm de diâmetro. Dessa forma, o papel mantém o formato de biscoito sem precisar
colocar fita dupla face para grudar.
Caixa de comida chinesa
Folha
É a história de um menino com uma
folha na cabeça. O livro, sem texto, é
do autor Stephen Michael King //
Brinque-book.

A sugestão é mostrar a história para


uma criança e no final, perguntar se a
criança quer uma folha feita em
origami.
Algumas crianças querem colocar a
folha na cabeça, então encontrei
pequenas molas que se prendem ao
origami, permitindo prender na cabeça
da criança.
Para crianças sem cabelo, faz um
chapéu de origami e coloca a folha no
topo.
Folha

Оценить