Вы находитесь на странице: 1из 12

FACULDADE ASSIS GURCACZ RESISÊNCIA DOS MATERIAIS Professor: Suedêmio de Lima Silva

Lista de Exercício

1 – Duas barras cilíndricas maciças são soldadas no ponto B como indicado. Determine a tensão normal no ponto médio de cada barra.

Resp.: s AB = 42,4 MPa

s BC = 35,7 MPa

barra. Resp.: s A B = 42,4 MPa s B C = 35,7 MPa 2 –

2 – No problema 1, determine a intensidade da força P para que a tensão normal seja a mesma em ambas as barras. Resp.: 22,5 kN

3 – Três pranchas de madeira são unidas por uma série de parafusos, formando uma coluna. O diâmetro de cada parafuso é 12 mm, e o diâmetro interno de cada arruela é de 15 mm, que é

ligeiramente maior que os furos das pranchas. Sabendo-se que o diâmetro de cada arruela é d

= 30 mm, e que a tensão de esmagamento média não deve exceder a 5 MPa, determine a máxima tensão normal admissível em cada parafuso. Resp.: 23,4 MPa

tensão normal admissível em cada parafuso. Resp.: 23,4 MPa 4 – Para a estrutura do problema

4 – Para a estrutura do problema 3, determine o diâmetro externo d necessário para as

arruelas, sabendo-se que a tensão normal axial em cada parafuso é 20 MPa e que a tensão normal de esmagamento média entre as arruelas e as pranchas não deve exceder a 5 MPa. Resp.: 28,3 mm

5 – Sabendo-se que a haste de ligação BD tem uma seção transversal uniforme, de área igual

a 800 mm 2 , determine a intensidade da carga P para que a tensão normal na haste BD seja 50 MPa.

Resp.: a) 62,7 kN

b)33,1 kN

(a) (b) 6 – Cada uma das quatro hastes verticais, ligadas às duas barras horizontais,

(a)

(a) (b) 6 – Cada uma das quatro hastes verticais, ligadas às duas barras horizontais, tem

(b)

6 – Cada uma das quatro hastes verticais, ligadas às duas barras horizontais, tem uma seção transversal retangular uniforme de 10 x 40 mm e os pinos têm diâmetro de 14 mm. Determine o máximo valor da tensão normal média, causada pela carga de 24 kN, nas hastes conectadas pelos (a) pontos B e E; (b) pontos C e F. Resp.: s BE = -18,75 MPa s CF = 48,75 MPa

e F. Resp.: s B E = -18,75 MPa s C F = 48,75 MPa 7

7 – Para a treliça e carregamento mostrado, determine a tensão normal na barra AD. Sabe-se que a área da seção transversal da barra é de 1200 mm 2 . Resp.: s AD = 158,4 MPa

na barra AD. Sabe-se que a área da seção transversal da barra é de 1200 mm

– No guindaste marítimo, a barra de ligação CD tem uma seção transversal uniforme de 50 x 150 mm. Para o carregamento mostrado, determine a tensão normal na parte central desta barra. Resp.: s CD = 195,3 MPa

8

central desta barra. Resp.: s C D = 195,3 MPa 8 9 – Duas pranchas de

9 – Duas pranchas de madeira, cada uma com 15 mm de espessura e 200 mm de largura, são

unidas por uma respiga de união colada, como indicado. Sabendo-se que esta junta irá falhar, quando a tensão de cisalhamento média na cola atingir 900 kPa, determine o comprimento necessário d, se a junta deve resistir a uma carga axial de intensidade P = 4 kN. Resp.: d = 42,3 mm

uma carga axial de intensidade P = 4 kN. Resp.: d = 42,3 mm 10 –

10 – As barras AB e BE da treliça mostrada são da mesma liga metálica. Sabe-se que uma

barra de 20 mm de diâmetro desta mesma liga foi testada até a falha e foi registrada uma carga máxima de 150 kN. Usando um coeficiente de segurança igual a 3,2, determine qual o diâmetro necessário para (a) a barra AB; (b) a barra BE.

Resp.: a) 29,2 mm

b) 32,7 mm

(a) a barra AB; (b) a barra BE. Resp.: a) 29,2 mm b) 32,7 mm 11

11 – Uma haste de poliestireno, de comprimento 300 mm e diâmetro 25,4 mm, é submetida a

uma carga de tração de 3560 N. Sabendo-se que E = 3,1 Gpa, determinar: (a) o alongamento da haste; (b) a tensão normal na haste. Resp.: a) 6,81 x 10 -4 m b) 7,04 MPa

12 – Um arame de aço de 60 m de comprimento não deve alongar-se mais do que 48 mm,

quando é aplicada uma tração de 6 kN. Sendo E = 200 Gpa, determinar: (a) o menor diâmetro que pode ser especificado para o arame; (b) o correspondente valor da tensão normal.

Resp.: a) d = 6,91 mm

b) 160 MPa

13 – Um arame de 80 m de comprimento e diâmetro de 5 mm é feito de um aço com E = 200

Gpa e tensão última de 400 Mpa. Se um coeficiente de segurança de 3,2 é desejado, qual e:

(a) a maior tração admissível no arame; (b) o correspondente alongamento do arame?

Resp.: a) 2,45 kN

b) 50,0 mm

14 – Num arame de alumínio de 4 mm de diâmetro, é observado um alongamento de 25 mm,

quando a tração no arame é de 400 N. Sabendo-se que E = 70 GPa e, que a tensão última

para o alumínio é de 110 MPa, determinar: (a) o comprimento do arame; (b) o coeficiente de segurança.

Resp.: L = 55,0 m

b) 3,46

15 – Para a barra composta mostrada a seguir, determinar: (a) a deformação total da barra

composta ABC;(b) a deflexão do ponto B; (c) a carga P, para que a deformação total da barra

seja –0,2 mm; (d) a correspondente deflexão do ponto B.

Resp.: a) –0,1549 mm

b) 0,1019 mm

c) 44,0 kN

d) 0,1222 mm

Resp.: a) –0,1549 mm b) 0,1019 mm c) 44,0 kN d) 0,1222 mm AB = Aço

AB = Aço

BC = Latão

E Aço = 200 GPa

E Latão = 105 GPa

16 – Uma amostra para ensaio de 5 mm de espessura deve ser cortada de uma placa de vinil

(E = 3,10 GPa) e submetida a uma carga de tração de 1,5 kN. Determinar: (a) a deformação total da amostra; (b) a deformação da mesma, na porção central. Resp.: a) 0,795 mm b) 0,484 mm

mesma, na porção central. Resp.: a) 0,795 mm b) 0,484 mm 17 – Para a barra

17 – Para a barra composta do Prob. 15, determinar a maior carga P admissível, se em valores

absolutos a deformação total da barra e sua máxima tensão normal não podem exceder a 0,2

mm e 75 MPa, respectivamente.

Resp.: 44,0 kN

18 – Para a amostra do Prob. 16, determinar a maior carga P admissível, se a deformação na

porção AB e a deformação total da amostra não devem exceder a 0,2 mm e 1 mm,

respectivamente. Resp.: 1,89 kN

19 – Os membros AB e BE da treliça mostrada são de barras de aço (E = 200 Gpa) com 25

mm de diâmetro. Para o carregamento mostrado, determinar o alongamento de (a) barra AB;

(b) barra BE.

Resp.: a) 1,222 mm

b) 1,910 mm

20 – Cada uma das quatro hastes de ligação verticais, conectadas às duas vigas horizontais,

20 – Cada uma das quatro hastes de ligação verticais, conectadas às duas vigas horizontais,

são de alumínio (E = 70 GPa) e tem uma seção transversal retangular de 10 x 40 mm. Para o

carregamento mostrado, determinar a deflexão no: (a) ponto E; (b) ponto F; (c) ponto G. Resp.:a) 80,4 mm b) 209 mm c) 390 mm

F; (c) ponto G. Resp.:a) 80,4 m m b) 209 m m c) 390 m m

22 – Determinar: (a) o torque que causará uma tensão de cisalhamento máximo de 45 MPa no

cilindro vazado de aço, como indicado; (b) a máxima tensão de cisalhamento causada pelo mesmo torque T, em um eixo cilíndrico maciço de mesma área e seção transversal. Resp.: a) 5,17 kNm b) 87,2 MPa

área e seção transversal. Resp.: a) 5,17 kNm b) 87,2 MPa 23 – Um torque de

23 – Um torque de 1,75 kN m é aplicado ao cilindro maciço mostrado. Determine: (a) a máxima

tensão de cisalhamento; (b) o percentual de torque absorvido pelo núcleo de diâmetro 25 mm.

Resp.: a) 71,3 MPa

b) 6,25%

24 – Os torques são exercidos nas polias A, B e C. Sabendo-se que ambos

24 – Os torques são exercidos nas polias A, B e C. Sabendo-se que ambos o s eixos são

maciços, determinar a máxima tensão de cisalhamento: (a) no eixo AB; (b) no eixo BC.

Resp.: a) 75,5 MPa

b) 63,7 MPa

no eixo AB; (b) no eixo BC. Resp.: a) 75,5 MPa b) 63,7 MPa 25 –

25 – Os torques mostrados são aplicados às polias A, B, C e D. Sabendo-se que todo o eixo é

maciço, determine: (a) em qual trecho do eixo ocorre a maior tensão de cisalhamento; (b) a intensidade dessa tensão. Resp.:a) Eixo CD b) 85,9 MPa

a intensidade dessa tensão. Resp.:a) Eixo CD b) 85,9 MPa 26 – O eixo AB tem

26 – O eixo AB tem diâmetro de 30 mm e é feito de um aço, com tensão admissível ao

cisalhamento de 90 MPa, enquanto que o eixo BC tem diâmetro de 50 mm e é feito de uma liga de alumínio, com tensão admissível ao cisalhamento de 60 MPa. Desprezando-se o efeito de concentração de tensões, determine o maior torque T que pode ser aplicado em A. Resp.: T = 477 Nm

27 – Pede-se determinar: (a) o torque T que causa um ângulo de torção de

27 – Pede-se determinar: (a) o torque T que causa um ângulo de torção de 3 o no eixo cilíndrico

vazado de aço (G = 77 GPa); (b) o ângulo de torção causado pelo mesmo torque, num eixo cilíndrico maciço de mesma área de seção transversal. Resp.: a) T = 8,68 kNm b) 7,8 o

de seção transversal. Resp.: a) T = 8,68 kNm b) 7,8 o 28 – Pede-se determinar:

28 – Pede-se determinar: (a) o ângulo de torção causado por um torque T de 4500 N m, em um

eixo de alumínio maciço e de diâmetro 75 mm (G = 25,5 GPa); (b) idem à parte a, assumindo que o eixo maciço tenha sido substituído por um eixo vazado, com mesmo diâmetro externo e com 25,4 mm de diâmetro interno. Resp.: a) 3,92º b) 3,97º

com 25,4 mm de diâmetro interno. Resp.: a) 3,92º b) 3,97º 30 – O motor elétrico

30 – O motor elétrico exerce um torque de 675 N m sobre o eixo de alumínio ABCD, quando

está girando com uma velocidade constante. Sabendo-se que G = 26 GPa e os torques aplicados sobre as polias B e C são tal como mostrado, determinar o ângulo de torção entre (a) B e C; (b) B e D. Resp.:

31 – Resolver o Prob.30, considerando que um furo de 25,4 mm foi broqueado ao

31 – Resolver o Prob.30, considerando que um furo de 25,4 mm foi broqueado ao longo do

eixo. Resp.: a) 1,96º

b) 4,30º

32 – Um furo é puncionado em A, numa chapa plástica, por uma força P = 600 N aplicada na

extremidade D da alavanca CD, que está rigidamente fixada a um eixo cilíndrico maciço BC. As especificações de projeto estabelecem que o deslocamento em D não poderá exceder a 15 mm, desde o instante em que o punção toca a chapa plástica, até o instante em que ele penetra totalmente. Determinar o diâmetro necessário do eixo BC, quando o eixo é deito de: (a)

um aço com G = 77 GPa e t Adm = 80 Mpa; (b) um eixo de alumínio com G = 26 GPa e t Adm = 70 MPa.

Resp.: a) d = 22,5 mm

b) d = 23,58 mm

A d m = 70 MPa. Resp.: a) d = 22,5 mm b) d = 23,58

33 – Determinar a máxima tensão de cisalhamento em um eixo maciço de 12 mm de diâmetro,

que transmite 2,5 kW a uma freqüência de: (a) 25 Hz; (b) 50 Hz.

Resp.: a) 46,9 MPa

b) 23,5 MPa

34 – Usando uma tensão de cisalhamento admissível de 50 MPa , projetar um eixo maciço de

aço para transmitir 15 kW, a uma freqüência de: (a) 30 Hz; (b) 60 Hz.

Resp.: a) d = 20,1 mm

b) d = 15,94 mm

35 – Uma vez que o eixo vazado de aço mostrado gira a 180 rpm, uma luz estroboscópica para

medições indica que o ângulo de torção do eixo é 3 º Sabendo-se que G = 77 GPa, determinar:

(a) a potência que está sendo transmitida; (b) a máxima tensão de cisalhamento no eixo.

Resp.: a) 18,76 kN b) t max = 24,2 MPa

36 – O eixo vazado de aço mostrado no Prob. 35 (G = 77 GPa),

36 – O eixo vazado de aço mostrado no Prob. 35 (G = 77 GPa), t Adm = 50 MPa gira a 240 rpm.

Determinar: (a) a máxima potência que pode ser transmitida; (b) o correspondente ângulo de torção.

Resp.: a) 51,7 kN

b) 6,20º

37 – Um eixo maciço de aço (G = 77 GPa), de 3 m de comprimento, transmite 12 kW a uma

freqüência de 25 Hz. Determinar o diâmetro necessário do eixo, sabendo-se que a tensão de

cisalhamento admissível é de 50 MPa e o ângulo de torção não deve exceder a 10 º . Resp.: d = 20,4 mm

38

– Um eixo maciço de aço (G = 77 GPa), de 30 mm de diâmetro, gira com uma freqüência de

30

Hz. Determinar a máxima potência que o eixo pode transmitir, sabendo-se que a tensão de

cisalhamento admissível é de 50 MPa e que o ângulo de torção não deve exceder a 7,5 º . Resp.: P = 50,0 kW

39 – Um cilíndro de alumínio está no interior de um cilíndro de aço. O conjunto é comprimido,

axialmente, com a força P, por intermédio de placas rígidas, tal como se indica na figura. O cilíndro de alumínio tem 8 cm de diâmetro; o de aço tem diâmetro externo igual a 10 cm e a força P é de 24 tf. Determinar as tensões no alumínio e no aço. Sendo, para este:

E Aço = 2100 tf/cm 2 e E AL = 280 tf/cm 2 .

Resp.: s AL = 91,46

kgf/cm 2

s Aço

= 686,32 kgf/cm 2

s A L = 91,46 kgf/cm 2 s A ç o = 686,32 kgf/cm 2 40

40 – Considere-se um pilar de concreto armado de 2,5 m de altura e seção quadrada de lado

igual a 30 cm, armado com quatro barras de aço de 0,5 polegadas, colocadas simetricamente em relação ao eixo vertical. O pilar suporta a carga axial de, de compressão, de 60 tf, aplicada por intermédio de uma placa absolutamente rígida. Sendo, para o aço, E = 2100 tf/cm 2 e, para o concreto, E =180 tf/cm 2 , quais as tensões no aço e no concreto.

41 – Um tubo vertical, de aço, cheio de concreto, tem diâmetro externo igual a

41 – Um tubo vertical, de aço, cheio de concreto, tem diâmetro externo igual a 90 cm e interno igual a 87 cm. Para o aço, o limite de escoamento é 2400 kgf/cm 2 e o coeficiente de segurança

2,25, para o concreto, a tensão de ruptura é 150 kgf/cm 2 e o coeficiente de segurança, 2,5. Os

módulos de elasticidade, do aço e do concreto,respectivamente, são:

E Concreto = 180 tf/cm 2 . Pede-se a carga máxima, de compressão, que pode ser aplicada ao conjunto. Resp.: 649.159 kgf ou 649,16 tf

= 2100 tf/cm 2 e

E Aço

42 – A barra da figura é formada de um trecho prismático, de alumínio ( o da direita) e outro, também prismático, de cobre (o da esquerda). A parte de cobre tem seç ão transversal de área Ac = 75 cm 2 ; Ec = 1,2 x 10 6 kgf/cm 2 e a c = 16,7 x 10 -6 o C -1 . A parte de alum ínio tem seç ão transversal de área A L = 20 cm 2 ; Ec = 0,7 x 10 6 kgf/cm 2 e a AL = 23 x 10 -6 o C -1 . Sabe-se que à temperatura de 27 o C não há tensões normais na barra; quando se diminui a temperatura, até atingir o valor T, os engastamento se deslocam, aproximando-se um dou outro, de 0,0025 cm. Qual o valor de T, sabendo-se que a esta temperatura a tensão normal no alumínio é de 1700 kgf/cm 2 . Resp.: -37,93 o C

no alumínio é de 1700 kgf/cm 2 . Resp.: -37,93 o C 43- A barra AB,

43- A barra AB, absolutamente rígida, é suspensa por três cabos, como mostra a figura. Os cabos das extremidades são de aço e têm, cada um, 3,23 cm 2 de área de seção transversal. O cabo central é de cobre e a área de seção transversal é 9,68 cm 2 . O comprimento de cada um dos cabos é 213 cm. Sabendo-se que a barra AB permanece na horizontal quando se aplica as duas forças de 5440 kgf, indicadas, e desprezando o peso próprio, pede-se determinar as forças que solicitam cada um dos cabos. Para o aço tem-se E Aço = 2100 tf/cm 2 e para o cobre E Cobre = 1200 tf/cm 2 . Resp.: F Cobre = 5018,75 kgf F Aço = 2910,87 kgf

o cobre E C o b r e = 1200 tf/cm 2 . Resp.: F C

44 – A barra rígida horizontal, AB, é articulada em A e nos pontos D e B, que a ligam às barras

CD e EB, tal como se indica na Figura. A barra EB é de aço, tem 1,5 m de comprimento e

secção transversal de área igual a 3 cm 2 ; a barra CD é de cobre, tem 1,0 m de comprimento e secção transversal de área igual a 5 cm 2 . O módulo de elasticidade do aço é 2100 tf/cm 2 e o do cobre, 1200 tf/cm 2 . Quais as tensões normais, nas barras de aço e de cobre, produzidas pela carga de 18 tf que se indica na Figura ? Admite-se que o peso próprio seja desprezível,

Resp.:

s CD = 1416,00 kgf/cm 2

s BE = 3323,33 kgf/cm 2

C D = 1416,00 kgf/cm 2 s B E = 3323,33 kgf/cm 2 45 – A

45 – A barra rígida, AD, é articulada em A e nas extremidades B e D das barras BD, de latão, e

DE, de aço, como se indica na figura. A temperatura de BC diminui de 20 o C e a temperatura

de ED aumenta de 20 o C. Desprezada a influência do peso próprio e a possibilidade de flambagem, pedem-se as tensões normais nas barras BC e ED. Para a barra de latão, tem-se A Latão = 6 cm2, E Lat ão = 0,98 x 10 6 kgf/cm 2 a Latão = 18,7 x 10 -6 o C -1 e, para a barra de aço

A Aço = 3 cm 2 ; E Aço = 2,1 x 10 6 kgf/cm 2 e a Aço = 11,7 x 10 -6 o C -1

Resp.: s Aço = 379,66 kgf/cm 2 s Latão = 496,56 kgf/cm 2

379,66 kgf/cm 2 s L a t ã o = 496,56 kgf/cm 2 46 – Um

46 – Um cilindro oco, de aço, está situado em volta de um cilindro de cobre, tal como mostrado

na figura. Ao conjunto se aplica, por intermédio de uma placa rígida, a carga axial de 25 tf. A área, da seção transversal do cilindro de aço, é de 20 cm 2 e a do cobre, 60 cm 2 . Determinar o acréscimo de temperatura, para o qual a carga externa é equilibrada só pelos esforços que aparecem no cilindro de cobre. Para o cobre, tem-se E Cobre = 1,2 x 10 6 kgf/cm 2 a Cobre = 16,7 x 10 -6 o C -1 ; para o aço, E Aço = 2,1 x 10 6 kgf/cm 2 a Aço = 11,7 x 10 -6 o C -1

47 – A barra rígida, horizontal, AB é presa em três fios verticais como se

47 – A barra rígida, horizontal, AB é presa em três fios verticais como se mostra na Fig. O peso próprio das barras é desprezível e não há tensões, antes da aplicação da carga de 12 tf. A

barra central é de latão, com 2 m de comprimento, A = 3,5 cm 2 , E = 0,98 x 10 6 kgf/cm 2

a = 18,7 x 10 -6 o C; a da esquerda é de aço, com 3 m ,de comprimento, A = 1,5 cm 2 , E = 2,1 x

10 6 kgf/cm 2 e a = 11,7 x 10 -6 o C; a da direita é de cobre, com 2,5 m de comprimento, A = 2,0

cm 2 , E = 1,19 x 10 6 kgf/cm 2 e a = 16,7 x 10 -6 o C. Admita- se que, ao aplicar a carga de 12 tf, se acresça, a temperatura das barras, de 22,5°C. Pede-se determinar a tensão em cada fio e. a posição da carga, sabendo-se que, quando assim solicitada, a posição final de AB é horizontal. Resp.: s Aço = 2300 kgf/cm 2 s Latão = 1588 kgf/cm 2 s Cobre = 1496,8 kgf/cm 2 X = 0,92 m

e

o = 2300 kgf/cm 2 s L a t ã o = 1588 kgf/cm 2 s