Вы находитесь на странице: 1из 28
SE UNIVE CENTR RVIÇO PÚBLICO FEDERAL RSIDADE FEDERAL DO PARÁ O DE PROCESSOS SELETIVOS EDITAL
SE
UNIVE
CENTR
RVIÇO PÚBLICO FEDERAL
RSIDADE FEDERAL DO PARÁ
O DE PROCESSOS SELETIVOS
EDITAL N.º 1/2009
1ª FASE
1
0 de janeiro de 2010
NOME DO(A) CANDIDATO(A)
N.º DE INSCRIÇÃO
BO
LETIM DE QUESTÕES
LEIA COM MU
ITA ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES SEGUIN
TES.
1 Este BOLETIM DE QUESTÕES conté
Língua Portuguesa, Matemática, Hist
Estrangeira escolhida pelo(a) candida
m
55 questões objetivas, sendo 5 questões de cada
uma das seguintes disciplinas:
ória, Geografia, Física, Química, Biologia, Literatura, F
to(a).
ilosofia, Sociologia e a Língua
2 Cada questão objetiva apresenta cin
uma responde adequadamente à que
co opções de resposta, identificadas com as letras (
stão.
A), (B), (C), (D) e (E). Apenas
3 Esta prova está redigida conforme o A
cordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990).
4 Confira se, além deste BOLETIM D
respostas das questões objetivas.
E QUESTÕES, você recebeu o CARTÃO-RESPOST
A
destinado à marcação das
5 Verifique se o seu nome e o número
caso de divergência, notifique imediat
de sua inscrição conferem com os dados contidos
amente o fiscal de sala.
no
CARTÃO-RESPOSTA. Em
6 Após a conferência, assine seu nome
no
espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA.
7 Confira se a prova está completa e
sala.
sem falhas. Caso exista algum problema, comunique
-o
imediatamente ao fiscal de
8 A marcação do CARTÃO-RESPOSTA
deve ser feita com caneta esferográfica de tinta pr
eta ou azul.
9 Não dobre, não amasse, não rasure
locais destinados às respostas. O ca
dados nele contidos não corresponde
nem manche o CARTÃO-RESPOSTA, também não f
rtão somente poderá ser substituído caso contenha f
rem aos seus.
aça qualquer registro fora dos
alha de impressão e/ou se os
10 Quando terminar a prova, entregue ao
LISTA DE PRESENÇA. Sua assinatur
fiscal de sala este BOLETIM DE QUESTÕES e o CA
a deve corresponder àquela que consta no seu docum
RTÃO-RESPOSTA e assine a
ento de identificação.
11 O tempo disponível para esta prova é
de Belém/PA.
de cinco horas, com início às 8 horas e término às
13 horas, observado o horário
12 Reserve os 30 minutos finais para
BOLETIM DE QUESTÕES não serão
marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e
considerados na avaliação.
as
marcações assinaladas no
PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009   MARQUE A

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009   MARQUE A ÚNICA ALTE RNATIVA
 

MARQUE A ÚNICA ALTE

RNATIVA CORRETA NAS QUES

TÕES DE 1 A 55.

 

LÍNGUA PORTUGUESA

 

Leia o texto abaixo para responde

r às questões de 1 a 5.

 
 

ADOLESCE

NTES, TESTOSTERONA, ESPINHAS E CRIME

S

01

02

03

04

Estamos em guerra contra os

carinhosamente, mas nossa solicitu

Nos Estados Unidos é proibido

certas comunidades vige um toque

adolescentes. Certo, na tranquilidade das f

de social é feita de desconfiança, medo e repres comprar cigarros antes dos 18 anos e consu de recolher para adolescentes. Limita-se o dir

amílias, podemos mimá-los são preventiva. mir álcool antes dos 21. Em eito há tempo concedido de carro etc. e-se que o réu pague como a. Acabou a moleza”. beba). Ou no da sociedade. sa conter os adolescentes, amos com a perspectiva de

05

dirigir aos 16 anos: só de dia, só ind

o

para escola, não com outros adolescentes no

06

07

08

09

Fato mais preocupante e univer

gente grande. “Quem tem idade par

As regras se justificam no intere

No entanto, proliferando, elas tra

sal: a cada crime cometido por um menor, ped

roubar, matar e estuprar tem idade para cadei sse do adolescente (é bom que não fume, não nsmitem a sensação de uma urgência: preci

a

10

sobretudo os meninos. Eles nos a

pavoram: de “Laranja Mecânica” a “Kids”, flert

11

bandos nômades penteando as rua

s

da cidade em arrastões permanentes.

 

12

Até hoje, eu pensava que esta

s

imagens do adolescente-que-vai-te-pegar tiv

essem um fundamento real. de juvenil em 95 e 96, logo

13

Afinal, as estatísticas americanas

diziam que houve um forte pique de criminalida

14

quando baixavam todos os outros ín

dices de criminalidade. cência de artigos e relatórios coagulou o retrat

 

15

Nesta época, aliás, uma eflores

o apavorante do adolescente 1) Estamos lidando com uma conter a criminalidade dos 0 haverá 17 milhões mais do duro, entregaremos nossas natural entre adolescência e

16

como “superpredador”. A palavra pe

gou e, junto com ela, pegaram algumas ideias:

17

18

19

20

21

nova criminalidade juvenil insensív

adultos; 2) O número de adolescent

que agora; 3) Como adolescente é

cidades a hordas bárbaras. Este sil

tendências criminosas: a testostero

el aos controles morais e sociais que parecem es está crescendo. Nos Estados Unidos, em 201 igual a superpredador, se não agirmos logo e

ogismo se alimenta da ideia de uma equivalência na produziria crime junto com as espinhas. nenês e meninos de escola maternal, é bom pe

co e sádico do futuro carniceiro. Exagero? Apen da Infância, Juventude e Família: “A legião de c

É

uma notícia terrível, pois a maior parte dos cri Juntem estes fatos demográficos e preparem-se

22

23

24

25

Portanto, nos debruçando sobre

(traiçoeiramente) infantis o riso cíni

McCallum assim falava ao Comitê

será os adolescentes de amanhã.

rceber atrás de suas feições as. Em 1996 o deputado Bill rianças que hoje tem 5 anos mes violentos é cometido por para a geração que vem: os

26

adolescentes entre 15 e 19 anos”.

27

superpredadores.

   

28

Suspiro de alívio: as constataçõ

es e previsões (idiotas) de McCallum e outro

s

desta época são falsas e

29

abusivas. É o que mostra Frank

Zimring – criminalista da Universidade de Berk . Descobre-se que, de fato, nos anos 90, a vio am os efeitos letais desta violência, pela prolifer

eley – em “American Youth lência adolescente seguiu a ação de armas de fogo entre

30

Violence” (Oxford University Press)

31

tendência geral de baixa. Aumentar

32

adolescentes.

   

33

Também acontece que o adoles

cente é mais gregário do que o adulto. Portant escentes, pois em cada crime adolescente há e em 2010 nos EUA na verdade são proporcion na população. E por aí vai. do superpredador não é um efeito da realidad

o,

mais adolescentes presos

34

não significam mais crimes de adol

m média 2 ou 3 réus. Os 17

35

milhões de adolescentes a mais

almente menores do que a

36

percentagem atual de adolescentes

37

Conclusão: a vinheta inquietante

e

social. “Laranja Mecânica”

38

poderia ter nos colocado, aliás, um

a

pulga atrás da orelha. O filme de Kubrick é de

1971, bem antes da pretensa

39

onda de criminalidade juvenil de 19

75. E o livro de Burgess é de 1962, época tranqu predador? Como acabamos acreditando nesta fi

ila.

40

Mas de onde vem então o super

gura? Justamente Burgess (e

41

Kubrick com ele) fascinava seu púb

lico propondo uma alternativa radical que está n

o

íntimo de cada um de nós:

42

de um lado a extrema rebeldia do p

rotagonista adolescente, do outro a integração

social apresentada como um

43

condicionamento que nos desnatura

.

44

A

imagem do jovem predador

que habita nossos pesadelos é filha desta

alternativa. Imaginamos o cinismo que expressa nosso

45

adolescente como o nômade rebel

de que desistimos de ser. Atribuímos a ele um

46

próprio desdém pela convenção soc

ial que detestamos, mas acabamos respeitando ar que os adolescentes rebeldes também nos

.

47

Recentemente passamos a rece

espreitem nas esquinas, nos agentes (oníricos) de nosso

48

ameacem de morte e saqueiem no

ssos bens. Não é de estranhar, pois eles são os

49

desprezo a nós mesmos.

 

50

É

uma equação: quanto mais

uma geração se decepciona consigo mesma, própria preguiça e seu comodismo. E tanto m

tanto mais ela sonha com ais, naturalmente, ela quer

51

adolescentes que castiguem sua

52

reprimir e conter estes adolescente

s

vingadores.

 

53

Um dia destes, se a agente não

acorda, os adolescentes reais vão acabar comp

rando o papel que sonhamos

54

para eles. Aí o pesadelo vai começ

ar

mesmo.

 

(Contardo Calligaris. Folha de São Paulo – Folha il

ustrada, 08/04/1999. Adaptação)

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 Questão 1  

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 Questão 1   Questão 3  

Questão 1

 

Questão 3

   

O

trecho que tem a função de contra-arg

umentar com a edador é:

Tentando chegar a uma imagem do jovem predad adultos, o autor escreve:

explicação para o fato de a or habitar os pesadelos dos

tese de que o adolescente é um superpr

(A)

“Eles nos apavoram: de ‘Laranj ‘Kids’, flertamos com a perspecti nômades penteando as ruas d

a

Mecânica’ a

 

va

de bandos

“A imagem do jovem p

a

cidade

em

redador que habita nossos alternativa. Imaginamos o nômade rebelde que

uímos a ele um cinismo que

desdém pela convenção

o

mas acabamos respeitando. mos a recear que os também nos espreitem nas

de morte e saqueiem

m

(B)

(C)

arrastões permanentes.” (linhas 1

“Afinal, as estatísticas american houve um forte pique de crimin em 95 e 96, logo quando baixa outros índices de criminalidade.” (l

0

dizem que

alidade juvenil vam todos os inhas 13 e 14)

ideia de uma

as

e11)

pesadelos é filha desta

adolescente como o desistimos de ser. Atrib expressa nosso própri social que detestamos, Recentemente passa adolescentes rebeldes esquinas, nos ameace nossos bens. Não é de

“Este silogismo se alimenta da equivalência natural entre ad tendências criminosas: a testoster

crime junto com as espinhas.” (lin

olescência

e

estranhar, pois eles são os nosso desprezo a nós

ona

produziria

agentes (oníricos) de

has

20 e 21)

 

mesmos.” (linhas 44 a 4

9).

(D)

“Também acontece que o adole

scente é mais ortanto, mais

mais crimes

m

gregário do que o adulto. P adolescentes presos não significa de adolescentes, pois em adolescente há em média 2 ou milhões de adolescentes a mais EUA na verdade são prop menores do que a percentag adolescentes na população.” (linh

Sendo assim, para o auto

r, os adultos

 
 

cada

crime

 

3 réus. Os 17

em

2010 nos

I.

se veem,

no que

se refere às convenções dos, de alguma maneira, no elde dos adolescentes.

orcionalmente

sociais, representa

em

atual de

comportamento reb

as

33 a 36)

II.

querem mesmo adolescentes, uma

é

reprimir

e conter

os

(E)

“Recentemente passamos a re adolescentes rebeldes também nas esquinas, nos ameacem saqueiem nossos bens.” (linhas 4

cear

que

os

vez que estes significam

nos

espreitem

 

tudo aquilo que des

prezam no ser humano.

 

de

morte

e

III.

imaginam os ado

lescentes como nômades

7

e 48)

rebeldes que se ideal de ser human

afastam totalmente de seu

o.

Questão 2

 

IV.

têm,

no

fundo,

inveja

da

coragem,

da

   

irreverência e da lib

erdade dos adolescentes.

O

autor, no final do texto, alerta:

   
 

V.

fazem parte de um admira, por isso s

a

geração que não se auto-

“Um dia destes, se a gente não adolescentes reais vão acabar compran sonhamos para eles. Aí o pesadelo mesmo.” (linhas 53 e 54)

 

acorda, os

e

auto-pune estimulando a

do

o papel que vai começar

rebeldia dos jovens

.

 

Está(ão) correta(s) a(s) a

firmativa(s)

 

Isso significa que

   

(A)

os adolescentes são, de fato, sup

erpredadores.

(A)

I, IV e V.

 

(B)

os adultos ignoram a seriedade uma sociedade cada vez mais jovens superpredadores.

que é possuir infestada de

(B)

I, II, IV e V.

(C)

II e III.

(C)

o pesadelo dos adultos, ao viv sociedade onde jovens se dr estupram, já começou e tende a uma vez que está aumentando crianças nascidas, e, naturalme crescidos.

erem em uma

 

ogam, matam,

(D)

I e IV.

ficar

muito pior,

 

o número de nte, de jovens

(E)

V, somente.

 

(D)

existem os adolescentes reais e o imaginários. Os reais são violent perigosos; os imaginários sã dóceis.

s

adolescentes

 

os,

agressivos,

o

obedientes,

(E)

os adultos correm o risco de o ‘reais’ quererem interpretar superpredadores a eles atribuído.

s

adolescentes

o

papel

de

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 Questão 4  

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 Questão 4     Questão 5

Questão 4

   

Questão 5

 

Em relação ao significado dos vocábu em destaque nos trechos abaixo, julgue propostas:

I. “Estamos em guerra contra os a

(linha 01) – O vocábulo

‘g

los/expressões

Expressa-se o efeito de leitor, por meio de expr coloquial, no trecho:

(A)

“Nos Estados Un cigarros antes dos

 

as afirmativas

dolescentes.”

neste

uerra’,

envolvimento do autor com o essão própria da linguagem

idos é proibido comprar 18 anos e consumir álcool a 03)

 

contexto, significa conflito com arm

a

de fogo.

antes dos 21.” (linh

II. “‘Laranja Mecânica’ poderia ter aliás, uma pulga atrás da orelha. 38) – A expressão destacada alerta’ .

nos colocado, ” (linhas 37 e significa ‘ficar

(B)

“No entanto, prolif sensação de uma adolescentes, sobr 09 e 10)

erando, elas transmitem a urgência: precisa conter os etudo os meninos.” (linhas

III. “Imaginamos o adolescente com

o

o nômade

(C)

“Estamos lidando c juvenil insensível a que parecem co adultos.” (linhas 16

om uma nova criminalidade

 

rebelde que desistimos de ser.” (li – O vocábulo ‘como’, neste conte comparação de ideias.

nhas 44 e 45) xto, expressa

os controles morais e sociais

nter a criminalidade dos

 

a

18)

IV. “Não é de estranhar, pois eles sã (oníricos) de nosso desprezo a n

o os agentes ós mesmos”.

(D)

“Recentemente pa

adolescentes rebel nas esquinas, no saqueiem nossos b

ssamos a recear que os des também nos espreitem

 

(linhas 48 e 49) – A expressão uma metáfora de adolescentes.

destacada é

s

ameacem de morte e

 

ens.” (linhas 47 e 48)

Estão corretas as afirmativas

   

(E)

“Um dia destes, s adolescentes reais papel que sonham vai começar mesm

e

a gente não acorda, os vão acabar comprando o

   

os

para eles. Aí o pesadelo

o.” (linhas 53 e 54)

(A)

I e II.

 

(B)

II e IV.

(C)

I, II e III.

(D)

I, III e IV.

(E)

II, III e IV.

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 MATEMÁTICA Questão 6

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 MATEMÁTICA Questão 6 Questão 7 Um
MATEMÁTICA Questão 6 Questão 7 Um dos fatores decisivos para a vitó Aliados na Segunda
MATEMÁTICA
Questão 6
Questão 7
Um dos fatores decisivos para a vitó
Aliados na Segunda Guerra Mundial fo
código secreto dos alemães pelos E
Cifrar e decifrar mensagens têm
estratégica tanto militar, quanto econô
trabalho que em geral envolve muita
computação.
ria dos países
i a “quebra” do
stados Unidos.
importância
mica, e é um
matemática e
Um vendedor à procura
propostas de trabalho: a Lo
base de R$ 500,00, acresc
sobre o total de sua venda
ofereceu R$ 700,00 de sa
de 2%. Consideradas essa
afirmar:
de emprego recebeu duas
ja
A lhe ofereceu um salário
ido de uma comissão de 3%
mensal; a concorrente Loja B
lário base e uma comissão
s
duas propostas, é correto
Uma das formas mais simples de s
mensagem secreta é enviar uma expre
que, após ter seu resultado decompo
primos, indique as letras (cada fator pr
uma letra em uma tabela pré-definida) q
texto da mensagem.
e
enviar uma
(A)
ssão aritmética
Para uma venda
Loja A remunera o
mensal de R$ 15.000,00, a
vendedor em R$ 800,00.
sto em fatores
imo representa
(B)
Indiferentemente d
ue
compõem o
vendedor terá maio
e quanto venda por mês, o
r remuneração na Loja A.
(C)
A partir de 25.000,
00
em vendas, o vendedor
receberá maior rem
uneração na Loja B.
Considere a seguinte tabela de convers
primos para letras:
ão
de números
(D)
A partir de 20.000,
receberá maior rem
00
em vendas, o vendedor
uneração na Loja A.
2
3
5
7
11
13
17
19
23
29
31
37
(E)
00
em vendas, o vendedor
A
E
I
O
U
B
C
D
F
G
H
J
A partir de 18.000,
receberá maior rem
uneração na Loja A.
41
43
47
53
59
61
67
71
73
79
83
L
M
N
P
Q
R
S
T
V
X
Z
Questão 8
A
expressão
20
2 +
5 x11
pode represe
ntar a palavra
BOI, pois
5
x
7
x
13
20
2 +
5 x11
=
455
=
5
x
7
x 13
=
I
x
O
x
B
as letras I, O e B podem ser reordena
formar a palavra BOI.
e
das de modo a
Em uma viagem terrestre,
passar pelo quilômetro 300
carro contém 45 litros de c
pelo quilômetro 396, o
assinala 37 litros. Como o
velocidade aproximadame
combustível varia linearm
localização na rodovia, pod
por uma função do tipo C
nível de combustível quan
no quilômetro x da rodovia.
um motorista verifica que, ao
da rodovia, o tanque de seu
ombustível e que, ao passar
marcador de combustível
motorista realiza o trajeto em
nte constante, o nível de
ente em função da sua
endo portanto ser modelado
(x) = a.x + b , sendo C(x) o
do o automóvel se encontra
Baseado
nessa
tabela,
a
express
ão
aritmética
10 x
81
+
450
8 x 5 3
pode represe
ntar a palavra
ões, é correto afirmar que,
sui, o automóvel chegará, no
2
Baseado nessas informaç
com o combustível que pos
máximo, até o quilômetro
(A)
VAI
(A)
800
(B)
RUA
(B)
840
(C)
SIM
(C)
890
(D)
BOM
(D)
950
(E)
BEM
(E)
990
PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 9 Em 2007,

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 9 Em 2007, um negociante

Questão 9

Em 2007, um negociante de arte novaiorquino vendeu um quadro

a um perito, por 19.000 dólares.

O perito pensou tratar-se da obra

hoje conhecida como La Bella Principessa, de Leonardo Da Vinci, o que, se comprovado, elevaria o valor da obra a cerca de 150 milhões de dólares.

Questão 10

da obra a cerca de 150 milhões de dólares. Questão 10 O faturamento de uma e

O faturamento de uma e produto pode ser modelado

do tipo F ( p) = a.p

2 + b.

mpresa na venda de certo por uma função quadrática,

p + c , sendo p o preço de ura abaixo apresenta os nção do preço e o gráfico da xima esse faturamento.

venda praticado. A fig faturamentos obtidos em fu função quadrática que apro

fig faturamentos obtidos em fu função quadrática que apro Uma das formas de se verificar a

Uma das formas de se verificar a autent adquirida seria atestar sua idade usand Carbono 14. Esse processo consiste e tempo a partir da concentração relativa (em relação à quantidade de Carbon amostra de algum componente orgâni obra.

Considere as seguintes afirmações verificação de autenticidade da obra:

I. A concentração de carbono é d

função do tipo

constantes positivas;

C(t) = C

0

.e

-k.t

,

II. A meia-vida do carbono 14 é 5. seja, a concentração se reduz à 5.700 anos:

C

(5.700)

=

C

0

2

;

III. Na análise da obra de arte, verifi concentração de carbono era 95

que

C(t ) = 0,9525.C .

0

Tendo por base as informações acima

que log (0,9525)

2

0,0702

icidade da obra

o a datação por

m se estimar o

de Carbono 14

o 12) em uma

co presente na

sobre

essa

Sobre os coeficientes da f afirmar que

(A)

a > 0

,

b < 0

(B)

a < 0

,

b > 0

(C)

a > 0

,

b < 0

(D)

a < 0

,

b < 0

(E)

a < 0

,

b > 0

unção quadrática, é correto

e

e

e

e

e

c < 0 .

c

c

<

>

0 .

0 .

c = 0 .

c = 0 .

ada por uma

k

com

C

0

e

700 anos, ou metade após

cou-se que a ,25%, isto é,

e considerando

, é corret o afirmar que a

idade da obra ( t ) é, aproximadamente,

(A)

200 anos.

(B)

300 anos.

(C)

400 anos.

(D)

500 anos.

(E)

600 anos.

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     HISTÓRIA  

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     HISTÓRIA     Questão
   

HISTÓRIA

   

Questão 11

       

Questão 13

   

Na Grécia Antiga praticava-se uma relig antropomórfica. Portanto, é correto a gregos

ião politeísta e firmar que os

A frase abaixo, do conqui se a uma das principais altura, localizada nos t pelos castelhanos na Amé

stador Hernán Cortez, refere- cidades do mundo naquela erritórios recém-descobertos rica.

(A)

adoravam de maneira espe masculinos, representados em animais e cultuados na Acrópole.

cial

deuses

 

formas

de

 

“Esta grande cidade [ salgada e, da terra fir cidade, por qualquer entrar, há duas léguas

…] está fundada nesta lagoa

me até o corpo da referida parte que quiserem nela

(B)

cultuavam seus deuses em realizadas em templos erigidos

que ficavam na parte alta das cida

 

cerimônias

 

nas cavernas

des.

”.

(C)

cultuavam vários deuses repres forma humana, como Afrodite e simbolizavam o amor e respectivamente.

faziam festas para cultuar os prin do panteão grego somente durant

entados com

Dionísio, que

(Hernán Corte

CORRÊA,

colonização

A.

z, 1520, In: BELLOTO, M.L. &

M.M.

espanhola. São Paulo:

América Latina de

A

 

o

vinho,

Hucitec/EdUS

P, 1979, p. 87)

(D)

cipais deuses

 

Nessa cidade, organizou

-se uma forma de produção ação da sua população às território em que a cidade

e

a primavera

singular, fruto da adapt condições ecológicas do estava situada.

e

o inverno.

 

(E)

veneravam um deus único e seu habitavam as florestas, além d ninfas.

s

santos, que

     

e

duendes e

 

Essa população pré-col Cortez, e a sua forma de identificados na alternativ

ombiana, a que se refere produção econômica estão

   

a

Questão 12

       

Leia com atenção o texto:

     

(A)

o império inca e como unidades de

as chinampas, organizadas produção no vale do México.

 

“Aquele que jura fidelidade ao senhor ter sempre presente na memória

[feudal] deve

seis

estas

 

(B)

o império asteca e

nas férteis margens

a

produção agrícola fundada dos lagos andinos.

palavras: incólume, seguro, honest possível [ ]”

(DELISLE, L. apud PEDRE

Maria Guadalupe. História da

São Paulo: UNESP, 2000. p. 9

o,

útil,

fácil e

RO-SÁNCHEZ,

Idade Média.

4.)

(C)

o império asteca agricultura em por lago onde se localiz

e a produção baseada na ções de terra situadas no ava a cidade.

A respeito desse contexto dos direit feudais, pode-se afirmar:

os e deveres

(D)

as diversas popula longo do rio Amaz fundada na fértil vá

ções indígenas situadas ao onas e a produção agrícola rzea amazônica.

(A)

A sociedade feudal estab subordinação de vassalagem a

elecia uma

o

senhor, do

(E)

os maias e a pro intenso uso dos rio rio da Prata.

dução agrícola baseada no

que decorria uma sociedade na qu rei era meramente simbólico.

al o poder do

 

s

e lagos, especialmente do

(B)

O trabalhador rural conseguia im feudal uma série de condições c

por ao senhor omo forma de

 

garantir a sua fidelidade senhorial.

 

(C)

Os servos representavam no d

omínio feudal

 

uma expressiva força de trabalho

remunerada,

a

serviço da realeza merovíngia.

 

(D)

Nos domínios feudais, aquele fidelidade ao senhor recebia em t militar e a titularidade da terra.

que

jurasse

 

roca proteção

(E)

A

fragmentação do poder político

na sociedade

medieval foi decorrente

da

 

expressiva

população rural, que pref homenagem ao burguês em vez d

eria

render

e

ao rei.

 
PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 14   Questão

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 14   Questão 15  

Questão 14

 

Questão 15

 

Pero Vaz de Caminha registra em seu indígenas

 

relato que os

Para o historiador Le Goff

 
 

“A grandiosa construç

ão

carolíngia, com efeito, ia

 

“Não comem senão deste inhame, d

e

que aqui há

 

durante o século IX

desagregar-se rapidamente dos dos inimigos exteriores – e dos agentes de

muito, e dessas sementes e frutos qu

e

a terra e as

sob os golpes conjuga – novos invasores fragmentação internos

árvores de si deitam [

]”

 

(Carta de Pero Vaz de Camin de Pero Vaz de Caminha. R Agir, 1965. p. 102)

ha In: A Carta io de Janeiro:

 

(LE GOFF, Jacq medieval. Lisboa

ues. A civilização do Ocidente : Estampa, 1984, p. 71).

Apesar de as observações da carta sugerirem que os indígenas apare desenvolviam trabalhos agrícolas, é corr o(a)

de Caminha ntemente não eto afirmar que

O processo de fragme carolíngio, aludido pelo hi forma de governo e às r instauradas por Carlos M vários fatores, entre os qu

ntação interna do império storiador, refere-se à própria elações de poder do império agno, fundadas em razão de ais, a

(A)

conhecimento de práticas agr indígenas foi fundamental para a dos europeus no Novo Mundo, colonizadores só consumiam alimentação o inhame.

ícolas pelos

sobrevivência

visto que os

(A)

doação de terras como forma de ret prestado na conq Lombardia; o qu imperador nos territ

servos e seus vassalos,

ribuição pelo auxílio militar uista da Germânia e da

esfacelou o poder do órios conquistados.

a

e

 

em

sua

 

(B)

cultura da mandioca, que empreg

ava a coivara, go do litoral e mulheres efas, cabendo andioca como

 

se espalhava em áreas ao lon brasileiro e envolvia homens indígenas, que distribuíam as tar às mulheres a preparação da m alimento.

(B)

distribuição de fo vassalos, em troca de reconquista d muçulmanos, que h início de seu reinad

ros e tenças aos seus

da participação das guerras

França do poder dos

aviam ocupado a região no

a

   

o.

(C)

pão consumido pelos europeus farinha de inhame, principal

era feito da alimento dos

(C)

doação de terras e

m

sesmaria aos marqueses, segurança militar das

colonizadores, sobretudo em époc

a

de intensas

responsáveis pela fronteiras do Imp ensejou a desagr imperador nas mã vez mais poderosos

distribuição de be

chuvas, que impediam a ativida nos rios.

de da pesca

ério (as marcas); o que egação da autoridade do os desses indivíduos cada

(D)

conhecimento de plantas comest inhame, propiciou um contato a os colonizadores europeus e

íveis, como o mistoso entre os índios

central do

a

(D)

.

nesses e favores na Corte constituiu como espaço de

entre os poderosos do o lugar de residência do

ncês.

a

Tupinambá que viviam na áre Brasil.

 

carolíngia, que se negociação polític reino, tornando-se Terceiro Estado fra

(E)

inhame, assim como as seme comestíveis, ao lado da mandioc principal alimento dos senhores, q os seus escravos a manterem plantio da raiz.

ntes e frutos

 

a,

tornou-se o

   

ue

obrigavam

(E)

doação de terras e quem o imperador

benefícios a indivíduos de esperava fidelidade, o que

roças para o

 

z,

a multiplicação das redes

   

incitou, por sua ve de vassalagem co militar.

m vistas à garantia de ajuda

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     GEOGRAFIA  

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     GEOGRAFIA     Questão
   

GEOGRAFIA

   

Questão 16

     

(C)

Na cidade corporativa,

implantação de equipamentos nte para atender aos anseios rupos hegemônicos; o que demais empresas e ao grosso

a

mente o residual na elaboração

Para entendermos a reestruturação do precisamos examinar as experiências soc XX, sobretudo aquelas ocorridas na Uniã Leste Europeu. Nesse sentido, é correto af

espaço mundial,

ialistas do século

Soviética e no

o

 

urbanos é primordialme das empresas e g porventura interessa às

da população é pratica

irmar:

dos orçamentos público

s.

(A)

O

socialismo real da URSS estev

e

próximo dos

 

(D)

Todos os países des países de industrializa taxas de urbanização. I industrial, principalmen está desvinculado da

envolvidos, bem como alguns

ideais dos teóricos do socialismo cie

ntífico. Instalou- partido único, o mia na qual o ento das leis do

   

ção recente, apresentam altas sso ocorre porque o fenômeno te nos seus primórdios, não expansão urbana. Inclusive, a

as maiores populações do

se um governo democrático com Partido Comunista, e uma econo

Estado planejava o melhor funcionam mercado.

(B)

No Leste Europeu as terras, as carvão etc. e outros meios de

estatais. Mas predominava a propried terras no campo e na cidade,

concorrência de mercado e as leis d planejadas pelos governantes.

minas de ouro, produção eram ade privada das havia a livre o mercado eram

 

(E)

China e a Índia, com planeta, são países urb

O capitalismo, por ter indiscutivelmente, a cid megalópoles, fenômeno avançada do desenvolv etapa financeira ou mo do século XX.

anizados e industrializados.

inventado a cidade, inventou, ade grande. Criou metrópoles e s urbanos típicos da fase mais imento capitalista, ou seja, da nopolista, alcançada no início

(C)

Na União Soviética se sobressaía o

planejamento da

 

produção e do consumo somente dos Estado, pois a modernização da soc livre aplicação de capitais e a b empresarial. Tudo era rigorosamente burocratas que visavam controlar o m

funcionários do iedade exigia a usca de lucro planejado pelos ercado.

 

Questão 18

 

Os organismos internacion ultrapassando as fronteiras Sobre as organizações inter afirmar:

ais de financiamento atuam do território do Estado-nação. nacionais financeiras, é correto

(D)

Os países que adotaram o soc ficaram aliados à União Soviética tempo de existência dessa potênc

China, na Ásia; Moçambique, Angola

África; Cuba e Nicarágua, na Amé

exemplos de países socialistas que j

na

órbita de influência geopolítica e econ Soviética.

ialismo sempre durante todo o ia socialista. A

Guiné Bissau,

rica Latina, são amais saíram da ômica da União

e

(A)

O Fundo Monetário In Mundial são os prin

internacionais criados dessas organizações industriais e tecnológic pobres para que o des possa beneficiar a todos

ternacional (FMI) e o Banco

cipais organismos financeiros pelo Plano Marshall. O papel é diminuir as diferenças

as entre países ricos e países envolvimento econômico global

.

(E)

O

desenvolveu no

(B)

Desde sua criação, o

Fundo Monetário Internacional Mundial desenvolvem tarefas anto o FMI se encarrega de licas e privadas dos países que

co Mundial é responsável pelo etos de desenvolvimento das nais e do empresariado que a

socialismo que se instalou e se

Leste Europeu sempre esteve cercad hostilizado pelas forças do capitalis cartografia geopolítica dos países ca

um alto custo social, econômico, p aos regimes socialistas.

o,

bloqueado ou

 
 

mo mundial. A pitalistas impôs olítico e cultural

 

(FMI) e o Banco complementares. Enqu

fiscalizar as contas púb

a

financiamento de proj corporações multinacio ele recorre.

ele recorrem, o Ban

Questão 17

   

(C)

O Fundo Monetário Int condições internas de social e ambiental dos

ernacional (FMI) ocupa-se das

A formação do espaço urbano-industrial e consolidação do capitalismo. Sobre esse correto afirmar:

stá associada à

 

sustentabilidade econômica, países que a ele recorrem, de recuperação de áreas

s

processos, é

financiando projetos degradadas, realocand apoiando a reconstruç por catástrofes naturais

 

o

os atingidos por barragens e

 

ão das sociedades destruídas

(A)

A urbanização verdadeiramente co

nsistente, com

 

,

como o Tsunami de dezembro

grande expansão das cidades globai com o advento da Expansão capitalismo comercial precisou, pela produzir e comercializar aos m possíveis, concentrar pessoas em p do espaço terrestre e, logicame

condições necessárias para isso nas

s,

só foi ocorrer

de 2004.

 

Comercial. O necessidade de enores custos ontos reduzidos nte, criou as cidades.

   

(D)

Os recursos finance

Internacional (FMI) pr Estados-membros. O m

o

grupo de países mais absoluto do Fundo e

peso de cada país na

iros do Fundo Monetário ovêm das contribuições dos ontante da participação define

decisões. Isso significa que o ricos do mundo tem o controle de seus recursos e os aloca

s

(B)

Com a Revolução Industrial, metrópol

es

como Tóquio

 

somente aos países qu

e

lhes interessam.

São Paulo aumentaram seu po

político, cultural e financeiro. Elevara

de cidades globais pelo importa passaram a desempenhar no mu economia passou a se globalizar rapi

e

der econômico, m-se à condição nte papel que ndo, quando a damente.

   

(E)

O Banco Internaci Desenvolvimento (BIRD Desenvolvimento (BID) ações nacionais nos dif adotem políticas de fort uma economia nacional

onal de Reconstrução e ) e o Banco Interamericano de

são instituições que articulam erentes países para que estes alecimento do Estado-Nação e

     

-desenvolvimentista.

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 19   Questão

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 19   Questão 20  

Questão 19

 

Questão 20

   

O espaço agrário mundial é produzido e diferentes realidades geográficas. Sobr afirmar:

organizado em

A apropriação da n

atureza pelas sociedades

e

ele, podemos

contemporâneas é marca ambientais decorrentes d

da

pela geração de impactos

 

o

modelo de desenvolvimento

 

e de consumo, da mun forma de distribuição tecnológico existente no

dialização da economia, da

(A)

Nos países desenvolvidos, de ma agricultura e a pecuária são p forma extensiva. É grande a áre volume de mão-de-obra utilizado nas técnicas de produção. A mod

neira geral, a raticadas de

de riquezas e do padrão mundo atual. Em decorrência

a

cultivada, o

disso, muito se tem d

ebatido sobre os impactos , é correto afirmar:

e

os avanços

ambientais. Nesse sentido

ernização nos

 

sistemas de transportes e c contribuiu para o crescimento de economia, por facilitar o esco comercialização da produção mundial.

omunicações

(A)

O Protocolo de

Kyoto é um acordo

sse setor da amento e a em escala

internacional, que e em 2005 e visa re poluentes, respons aquecimento globa

ntrou oficialmente em vigor duzir as emissões de gases

áveis pelo efeito estufa e l. No documento, há um

   

cronograma em qu

os países são obrigados a , a emissão de gases anos de 2008 e 2012.

e

(B)

O setor agropecuário constitui economia em vários países sub

 

a

base

da

reduzir, em 5,2%

desenvolvidos

 

poluentes, entre os

da América Latina, da África e grande a parcela da economicamente ativa que tra setor, sobretudo em países afric últimos, encontramos a agricultu tradicional de baixa produ monocultura e o latifúndio.

 

da Ásia.

É

 

população

nesse

anos. Nesses

ra

e pecuária

balha

(B)

Em 1972, foi rea Nações Unidas s Ambiente, em E

encontro, surgiram acerca da abertu privatização da ec delegação brasile defendeu posiçõe preservacionistas d

lizada a Conferência das obre o Homem e o Meio stocolmo (Suécia). Nesse

as primeiras polêmicas ra do mercado mundial,

tividade,

a

 

onomia e meio ambiente. A

 

ira esteve presente e

(C)

Nos países de clima temperado

com elevado

 

s

contrárias às posturas

índice de chuva, como a ma território brasileiro, as técnicas d erosão, na agricultura, se baseia princípios básicos: reduzir a v escoamento das águas, o que p com o terraceamento; cultivar re

ior

parte

do

ominantes nas discussões.

e

combate à

 

m

em alguns

(C)

Em 1987, foi publi denominado Uma Neste estudo ficou a emissão de gase

cado pela ONU um estudo Verdade Inconveniente. cientificamente provado que s na atmosfera, como, por de carbono, o dióxido de azoto e, principalmente, os rbonetos), é causada pelo uído ao longo do tempo.

elocidade de ode ser feito speitando as

curvas de nível; evitar ao máxim do solo exposto, mantendo-o vegetação natural ou cultivo.

o

a exposição

exemplo, o dióxido enxofre, o óxido de CFC (Clorofluoroca homem e tem dimin

coberto

por

(D)

As plantations representam o m importante dos sistemas agrário

ais

famoso e

   

s

tradicionais.

(D)

A Eco-92 criou

u

m plano de ação chamado ta-se de um ambicioso implantação, em todo o modelo de indústria vida a biodiesel, no século

Compõem grandes proprieda policultoras, voltadas para o merc utilizam mão-de-obra tecnicamen e bem remunerada. Elas ainda sã algumas áreas da América do No da África.

des

rurais,

Agenda

21.

Tra

ado interno e

programa

para

a

te

qualificada

mundo,

de

um

o

comuns em

automobilística mo

rte, da Ásia e

XXI.

 
 

(E)

O Greenpeace

é a maior organização

(E)

A agricultura itinerante, també como sistema de roça, ainda exi

m

conhecida

governamental int vários campos d principalmente na

contra a caça preda contra testes nucle

ernacional. Ele atua em

ste

em várias

a

preservação ambiental,

áreas de países tropicais e subd

Trata-se de cultivo intensivo

voltado para o mercado internaci

esenvolvidos.

e,

onal, embora

geral,

em

organização de protestos tória, como a das baleias, e ares subterrâneos, como os ésia Francesa.

uma parte da produção se destin regional. É praticada em manc ricos, que, no passado, eram matas, savanas ou cerrados.

e

ao

mercado

realizados na Polin

has de solos ocupados por

   

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009(E ) A FÍSICA Questão 21 , um bombeiro em velocidade tura sobre uma e

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 (E ) A FÍSICA Questão 21

(E )

A

FÍSICA

Questão 21

,

um bombeiro

em velocidade tura sobre uma e espessura

Questão 23

Num circo, na apresent como globo da morte, um descreveu no interior circulares de raios 2,5m,

vertical, como na figura a velocidade constante.

ação do número conhecido motociclista com sua moto

da esfera duas trajetórias sendo uma horizontal e outra baixo, ambas com a mesma

D

sendo uma horizontal e outra baixo, ambas com a mesma D B irmações: C Sobre o

B

irmações:

C

Sobre o fato, analise as af

I. A força exercida s pela passagem da pontos A, B, C, e terem sido iguais e

obre as paredes do globo

moto foi a mesma nos D devido às velocidades constantes.

II. Em qualquer ponto peso conjugado d equilibrado pela for

III. O

valor

mínimo

da trajetória horizontal, o

a moto e motociclista é

ça centrípeta.

da

velocidade

realização

da

da

moto,

trajetória

necessário para a vertical, é 5 m/s.

IV. Em relação ao pl pelo ponto B, a e moto e do motocicli trajetórias vertical e

Está(ão) correta(s) a(s) af

(A)

II, apenas

(B)

III, apenas

(C)

II e IV

(D)

II e III

(E)

I e IV

ano horizontal que passa nergia mecânica total da sta tem valores iguais, nas horizontal.

irmativa(s):

Use , se necessário:

ace leração da gravidade 10 m/s 2

Durante um treinamento de salvamento

de massa 80 kg salta verticalmente, s inicial, do alto de um prédio de 5m de al plataforma circular rígida, de peso desprezíveis, que está ligada ao solo po

constante elástica 9,6x10

conforme se observa na figura abaixo.

no centro da plataforma e a mola sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto.

3

sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto. 3 5 m r uma mola de N/m,
sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto. 3 5 m r uma mola de N/m,
sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto. 3 5 m r uma mola de N/m,
sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto. 3 5 m r uma mola de N/m,
sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto. 3 5 m r uma mola de N/m,

5 m

sof máxima de 0,9m, ocorrendo aquecimen pelo impacto. 3 5 m r uma mola de N/m,

r uma mola de

N/m, vertical mente postada,

O bombeiro cai

re compressão

to da superfície

postada, O bombeiro cai re compressão to da superfície 0,9 m Desprezando os efeitos da resistência
0,9 m
0,9 m
O bombeiro cai re compressão to da superfície 0,9 m Desprezando os efeitos da resistência salto,
O bombeiro cai re compressão to da superfície 0,9 m Desprezando os efeitos da resistência salto,

Desprezando os efeitos da resistência salto, pode-se estimar que o valor da en nesse aquecimento foi, em Joule:

(A)

(B)

(C)

(D)

(E)

112

250

420

832

1080

do ar durante o ergia dissipada

Use se necessário :

aceleração da gra vidade 10m/s 2

o coeficiente de

e atrito dinâmico

portanto, a

e quando suas

as

em do chamado

a dos veículos.

locidade 20 m/s

o o condutor,

u forte o freio,

é a parada do

espectivamente,

âmico entre os esde o início da

metros:

36

Use se nece ssário:

aceleração

da gravidade 10m/s 2

Questão 22

e,

ou seja, se

Em vista das experiências, sabemos que atrito estático é maior que o coeficiente d entre duas superfícies em contacto, frenagem de um veículo é mais eficient rodas continuam girando durante o ato, rodas não forem bloqueadas; daí a vantag freio ABS, item ainda opcional na maiori Um carro trafegava em linha reta com ve numa pista plana e horizontal quand

percebendo fechamento do sinal, piso bloqueando completamente as rodas at veículo. Admitindo-se iguais a 0,9 e 0,8, r os coeficientes de atrito estático e din pneus e a pista, pode-se concluir que, d freada até parar, o carro deslocou-se, em

(A)

18

(C)

25

(B)

22

(D)

29

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 24 Em uma

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009 Questão 24 Em uma obra foram

Questão 24

Em uma obra foram montados dois siste uma fixa, e o sistema B, composto por d se a elevar cargas de mesmo peso P a u

P Sistema A
P
Sistema A

mas usando-se polias: o sistema A, composto p uas polias, uma fixa e a outra móvel, conforme ma mesma altura a partir do solo, em moviment

or três polias, duas móveis e as figuras. Ambos destinam- o uniforme.

duas móveis e as figuras. Ambos destinam- o uniforme. θ θ θ θ P Sistema B
θ
θ
θ θ θ P
θ
θ
θ
P

Sistema B

Considerando o ângulo θ= 45°, despre passivas, analise as afirmações abaixo:

I. A força motora que equilibra a

zíveis os pesos das roldanas e cordas, bem

carga P no sistema B é menor que no sistema A

plicar força motora igual à metade da carga P.

entre a carga P e a força motora é, aproximada

, o trabalho motor será igual ao trabalho resisten

.

como atritos ou resistências

II. Usando o sistema A, deve-se a

III. Usando o sistema B, a relação

IV. Em ambos os sistemas, A ou B

mente, 1,4.

te.

Estão corretas as afirmativas:

(A)

(B)

(C)

(D)

(E)

I e II II e III I e IV III e IV II e IV

Use, se necessá rio: sen 45 o = cos 45 o = 0,7

Questão 25

Os portões automatizados desliza normalmente providos de uma cremalh extensão. A cremalheira consiste de u

plástico rígido e resistente, cujo supo movimentação de abertura ou fechame

motor elétrico de eixo com extremid

cremalheira, conforme ilustrado na figura

ntes para garagens são eira ao longo de toda a sua m trilho ou barra dentada, de rte é soldado ao portão. A nto do portão é feita por um ade dentada e acoplada à ao lado.

amento

m

e

m, o

o portão gira com

os concluir que o tempo de

do

portão

é 3

segundos,

D
D

Use, se necessário: π = 3.

Considerando o caso em que o desloc diâmetro D do eixo do motor é 8x1 frequência constante de 50 rpm, podem abertura ou fechamento do portão é, em

0 -2

(A)

(B)

(C)

(D)

(E)

10

15

22

25

32

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     QUÍMICA  

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     QUÍMICA     Questão
   

QUÍMICA

   

Questão 26

       

Questão 29

 

Sobre ligações químicas, analise as afir

mativas abaixo.

Os três experimentos realizados para verifica material homogêneo, que de um pó esbranquiçado.

 

relatados abaixo foram

 

r

as propriedades de um

I.

Quanto

maior

a

diferença

 

entre

as

se

apresentava sob a forma

eletronegatividades de dois element

os, mais iônica

 

será a ligação entre eles.

   

II.

A energia de ligação de uma ligação

dupla é quatro gação simples

   

I. Os terminais de um contato com o p passagem de corre

a pilha foram colocados em

ó

e não se verificou a

nte elétrica no circuito.

III.

vezes maior do que a de uma li formada entre os mesmos átomos.

NH

As

geometrias

das

moléculas

3

e

BF 3

são,

II. Uma pequena por água e se dissolveu

ção do pó foi colocada em

respectivamente, piramidal e trigonal

plana.

.

IV.

A molécula linear A – Y – B, onde Aπ

YπB, é apolar.

 

III. Outra parte do pó f

oi

colocada em um cadinho

 

e

submetida a aque

cimento em um forno. Após

Estão corretas as afirmativas

 

um período de tem

po, o pó começou a fundir.

(A)

I e III

(C)

III e IV

(E

)

I, II, III e IV

   

Dados os procedimento obtidos, é correto concluir

s

acima

e

os

resultados

(B)

II e III

(D)

I, II e IV

 

que o material

 
 

(A)

pode ser um sólido

molecular ou iônico.

 
       

Dados:

   

Números Atômicos: H = 1, B

= 5, N = 7, F = 9 .

 

(B)

não é um sólido mo

lecular.

 
   

(C)

é um sólido iônico.

 

Questão 27

     

(D)

não é um sólido iôn

ico.

 

Considere a reação de oxi-redução, química está representada abaixo.

 

cuja

equação

(E)

é um sólido molecu

lar.

3Cu(s) + 8HNO 3 (aq)

3Cu(NO 3 ) 2 (aq) +

2NO(g) + 4H 2 O(l)

Questão 30

 

Quanto a essa reação, é correto afirmar

que

 

Na natureza alguns elem sob diferentes formas, c alotrópicas. O carbono, encontrado nas formas cr fulereno. Sobre as prop carbono são feitas as seg

entos podem se apresentar onhecidas como variedades por exemplo, pode ser

(A)

o número de oxidação do cobre va

riou de +1 para

 

(B)

+2.

a reação de oxidação é HNO 3 + 3e

 

Cu(NO 3 ) 2 .

istalinas de grafite, diamante,

riedades dos alótropos de uintes afirmações:

(C)

o número de oxidação do nitrogên para +2.

io variou de +5

I.

O diamante é

o

 

menos

denso

das

três

(D)

a nomenclatura para a espécie Cu cuproso.

(NO 3 ) 2 é nitrato

 

variedades de carb

ono.

 
   

II.

A

grafite apresenta

uma estrutura lamelar.

 

(E)

a espécie Cu(NO 3 ) 2 é um óxido.

III.

No fulereno cada át

omo de carbono está ligado

   

outros 4 átomos tetraedro.

a

de carbono, formando um

Questão 28

     

Uma pequena quantidade de óxido de cál a 20 mL de água em copo de vidro. mistura foi filtrada e resultou em uma sol canudinho de plástico foi colocado na so soprou por alguns segundos, fazendo algum tempo, a solução apresentou uma t equação química que representa a transf observada após o aluno ter soprado na sol

(A)

CaO (aq) + O 2(g) + H 2 O (l)

a transf observada após o aluno ter soprado na sol (A) CaO ( a q )

Ca(O

cio foi adicionada Após agitação, a ução límpida. Um lução e um aluno borbulhas. Após urvação branca. A ormação química ução é:

H)

2(s)

 

IV.

V.

No diamante, os â átomos de carbono

A grafite é boa porém má condutor

Está(ão) correta(s) a(s) af

(A)

(B)

I e III

V

ngulos de ligação entre os são de 120°.

condutora de eletricidade, a de calor.

irmação(ões)

(B)

Ca(OH) 2(aq) + CO 2(g)

Ca(OH) 2 ( a q ) + CO 2 ( g ) CaCO 3 ( s

CaCO 3(s

) + H 2 O (l)

 

(C)

II, IV e V

(C)

CaO (aq) + CO 2(g)

CaCO 3 ( s )

CaCO 3(s)

 

(D)

III e V

(D)

Ca(OH) 2(aq) + O 2(g)

Ca(OH) 2 ( a q ) + O 2 ( g ) Ca(OH) 3 ( s

Ca(OH) 3(s

)

(E)

II

(E)

CaO (aq) + H 2 O (l)

Ca(OH) 2 ( s )

Ca(OH) 2(s)

 
PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     BIOLOGIA  

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009     BIOLOGIA     Questão
   

BIOLOGIA

   

Questão 31

     

Questão 34

 

Durante o processo de origem da v inorgânicas, antes abundantes na atmo combinaram-se para formar molécu fundamentais à estruturação da conhecemos hoje. Uma dessas estrut delimitação da célula em relação ao possibilitando trocas entre os dois composição é basicamente

(A)

lipídios.

ida, moléculas sfera da Terra, las orgânicas célula que uras permitiu a meio ambiente, sistemas. Sua

Animais das ordens Sq etc.) e Octopoda (polvo) imitar a cor do ambiente o se do mimetismo como e meio da visão, o siste interpreta as cores do sinalizadoras que regulam nas células da pele des pigmentação da pele é, p seguinte elemento celular

uamata (serpentes, lagartos, possuem a capacidade de nde se encontram, utilizando-

stratégia de caça ou fuga. Por ma nervoso desses animais ambiente e libera moléculas

a distribuição de pigmentos

 

tes animais. A alteração da ortanto, resultado da ação do

:

(B)

lipídios e proteínas.

 

(C)

ácidos nucleicos e água.

 

(A)

citoesqueleto.

(D)

ácidos nucleicos e proteínas.

(B)

complexo de Golgi.

(E)

glicoproteínas.

(C)

lisossomos.

 

(D)

retículo endoplasm

ático.

 

Questão 32

   

O ciclo menstrual feminino é quase me

nsal e ocorre a fise, o ovário e lantação de um

(E)

peroxissomos.

 

partir da interação hormonal entre a hipó

 

o útero, preparando o último para a imp

embrião. Entretanto, se houver a fecun novas interações hormonais que prov alterações no organismo materno, prepa gravidez. Uma das primeiras mudanças ovulação, que é provocada pelo(a)

dação, surgem ocam grandes rando-o para a é a inibição da

 

Questão 35

 

Doenças e agentes transmissíveis, como H Gonorreia, são frequente agentes etiológicos e ca correto afirmar que o

infecciosos sexualmente

erpes, HIV, HPV, Sífilis e

 

s

na

população. Sobre seus

racterísticas das doenças, é

(A)

diminuição dos níveis do hormônio

que provoca o aumento da produç FSH, impedindo a maturação de ovarianos.

progesterona, ão do hormônio novos folículos

 

(A)

Papilomavírus Huma revestimento (pele

no (HPV) invade tecidos de

   

e

mucosas) levando à

(B)

manutenção de altos níveis de pro

gesterona, que

 

formação de lesões celular irregular, form

decorrentes do crescimento ando verrugas genitais, que

impede a secreção do horm

ônio

FSH

e,

consequentemente, a maturaçã

o

de

novos

 

podem levar ao cânc

er

de colo de útero.

(C)

folículos ovarianos.

manutenção de altos níveis de FSH secreção de progesterona e, conse

maturação de novos folículos ovaria

, que impede a quentemente, a nos.

 

(B)

Vírus da Herpes, m conhecida como apresenta longo pe infecção das célula nervoso e supressão

embro da família de vírus Retroviridae (retrovírus),

ríodo de incubação, produz

do sangue e do sistema do sistema imune.

s

(D)

(E)

aumento da produção do horm provoca a atrofia do corpo amarelo.

elevação da síntese do hormônio F pelos níveis baixos de progestero de ser liberados pela hipófise.

ônio LH, que

SH,

na que deixam

estimulada

(C)

Treponema pallidum oral quanto a genital, e fibroblastos; ou neurônios, desenvo quando o indivíduo p febre, exposição exc

pode infectar tanto a mucosa lesionando células epiteliais pode tornar-se latente em lvendo ciclos de infecção assa por estresse fisiológico, essiva ao sol.

Questão 33

   

A observação de um tecido animal

ao microscópio constituída de composição ular, tendo em processo de rutura celular?

 

(D)

vírus da imunodefici submucosas e pode de incubação até o sintomas, caracteriza firme e dura que oc agente, geralmente n

 

eletrônico revelou uma estrutura celular pequenas unidades achatadas de lipoproteica e dispostas de forma reg suas bordas várias vesículas em brotamento. O relato refere-se a que est

 

ência humana (HIV) invade passar por um curto período

início dos primeiros sinais e dos por pequena ulceração orre no ponto de invasão do

a

área genital ou na boca.

(A)

cloroplasto.

   

(E)

Neisseria gonorrhoe urinário quanto o rep através da circulaçã pele, as articulaçõe cardíacas, a faringe e

ae invade tanto o sistema rodutor, pode se disseminar

o, afetando principalmente a

(B)

mitocôndria.

 

(C)

retículo endoplasmático.

s, o cérebro, as válvulas os olhos.

(D)

complexo de Golgi.

(E)

ribossomo.

   
PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 LITERATURA Questão 36

PRO CESSO SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N.º 1/2009

SELETIVO SERIADO 2010 – 1ª FASE EDITAL N .º 1/2009 LITERATURA Questão 36 Questão 37 Das
LITERATURA Questão 36 Questão 37 Das estrofes abaixo, a que apresenta tra do Trovadorismo é:
LITERATURA
Questão 36
Questão 37
Das estrofes abaixo, a que apresenta tra
do Trovadorismo é:
ços da estética
Leia a estrofe 120, do
(Canto III, estrofes 118-13
episódio de Inês de Castro
5), de Os Lusíadas:
120
(A)
“Leva na cabeça o pote,
Estavas, linda Inês, po
sta
em sossego,
O
testo nas mãos de prata,
De teus anos colhendo
Naquele engano da al
Que a Fortuna não dei
Nos saudosos campos
De teus fermosos olho
Aos montes ensinando
O nome que no peito e
doce fru[i]to,
Cinta de fina escarlata,
Sainha de chamalote;
Traz a vasquinha de cote,
Mais branca que a neve pura:
ma,
ledo e cego,
xa durar muito,
do Mondego,
s
Vai fermosa, e não segura.”
nunca enxu[i]to,
e às ervinhas
scrito tinhas.
(B)
“Se sabedes novas do meu amigo
aquel que mentiu do que pôs com
Ai, Deus, e u é?
,
(CAMÕES, Lu
ís
de. Os Lusíadas. Rio de
igo?
Janeiro: José
Aguilar, 1973, p. 118.)
Se sabedes novas do meu amado
aquel que mentiu do que mi á jura