Вы находитесь на странице: 1из 1

NOTA #6 [04/07/2012]

Publicado: 12/07/2012 | Autor: ideiaeideologia | Arquivado em: Notas de Trabalho (RJ)

Comunismo uma idia de emancipao coletiva.


A idia do comunismo uma operao conceitual, i. e., o processo de passar do plano
das ideias para o plano simblico da histria.
Para que essa operao acontea, necessrio que a idia do comunismo seja uma
verdade poltica (um momento pontual de emancipao coletiva).
Esse momento ser historicamente determinado, embora a verdade seja universal e
eterna: uma verdade produz efeitos retroativos, expandindo-se com o devir da histria.
Nesse momento de emancipao coletiva, a verdade explana seu sujeito poltico.
O indivduo identifica-se com aquela verdade e decide tornar-se um militante e ser fiel a
uma idia que conduz sua vida. Esse processo de alocao de uma verdade poltica no
dia-a-dia e no universo prximo de um indivduo foi chamado por Alain Badiou de
subjetivao (e por Antonio Gramsci de revoluo do cotidiano).
O indivduo percebe que sua participao em um processo poltico uma deciso
histrica graas a ideia.
A idia permite ao indivduo tornar-se sujeito ativo na histria. Ele deixa de ser
indivduo e torna-se sujeito poltico de uma verdade, projetando-se na histria
simbolicamente enquanto uma idia.
Essa nova perspectiva de verdade me parece bem mais interessante, pois se afasta das
verdades dogmticas e tambm do relativismo ingnuo.
Me parece que h diversas verdades polticas e essas verdades chamam seus sujeitos em
um momento histrico especfico. Dado o evento, o indivduo v aquela verdade e
assume uma posio de militncia, de insistncia em tornar possvel algo ainda
inconcebvel aos olhos do estado comum.
Nada deve parecer impossvel de mudar.