Вы находитесь на странице: 1из 38

CADERNO DE EXERCÍCIOS

01)

o que ocorre em seguida?

Quando por efeito fotoelétrico é expulso um elétron interno da camada eletrônica do átomo,

(a)

A lacuna permanece estática se o átomo estiver isolado.

(b)

Emissão de raios X ou de outros elétrons da eletrosfera.

(c)

Se o meio for pouco denso é emitido um espectro contínuo de radiação.

(d)

O elétron emitido é recapturado pela eletrosfera.

(e)

O elemento é transformado em outro de menor número atômico.

02)

Em que consiste o fenômeno de emissão de elétrons de conversão interna.

(a)

É um tipo de desintegração beta.

(b)

Um núcleo excitado transmite sua energia para um elétron da eletrosfera.

(c)

Um elétron da eletrosfera mediante o processo fotoelétrico transmite sua energia para outro

elétron.

(d)

Está associado com a desintegração alfa.

(e)

É produzido quando ocorre uma variação isotópica em núcleos leves.

03)

Para que um fóton seja materializado em um par elétron-pósitron, além de que a sua energia

seja suficiente que outra condição é necessária para que isto ocorra?

(a)

Que seja verificada uma reação fotonuclear.

(b)

Que o fóton encontre-se no vácuo.

(c)

Que possa ser transferido momento para um núcleo ou para um elétron.

(d)

Que a densidade de elétrons no meio seja baixa.

(e)

Que os átomos do meio estejam parcialmente ionizados.

04)

Um feixe monoenergético de elétrons de energia E interage com a matéria. Que

características apresenta a radiação eletromagnética de frenamento ou bremsstrahlung?

(a)

O espectro é contínuo no intervalo zero até E.

(b)

O espectro é contínuo e o intervalo energético depende da estrutura do material.

(c)

O espectro é formado de fótons de energia E.

(d)

O espectro depende da emissão de raios X característicos e a energia de seus fótons tem que

ser maior que as da emissão.

(e) O espectro é contínuo e depende do material de modo que a energia de seus fótons tem que

ser menor que a dos raios X característicos.

05)

Qual é o motivo de que a atenuação de um feixe de fótons não colimado com energia de

100 keV, quando atravessa um meio aquoso cuja seção perpendicular ao feixe é superior à deste,

não siga a lei exponencial conhecida?

(a)

Efeitos fotoquímicos na água.

(b)

A lei exponencial não é uma aproximação suficientemente boa inclusive para feixes bem

colimados.

(c)

Contribuições para o feixe de fótons primário, de outros já dispersos por efeito Compton.

(d)

Dificuldades instrumentais na medida devido à mudança do espectro energético e a

diminuição da sensibilidade dos detectores.

(e)

Reações fotonucleares com produção de partículas carregadas.

06)

As massas nucleares são medidas em unidades de massa atômica. A que equivale a unidade

de massa atômica?

(a)

16 MeV

(b)

12 MeV

(c)

1,007825 MeV

(d)

931,5 MeV

(e)

1,602x10 19 eV

07)

Que tipo de processo físico é a captura de um elétron orbital por um núcleo?

(a)

Um processo que não é produzido na natureza.

(b)

Um fenômeno que precisa de uma colisão atômica antes para excitar a eletrosfera.

(c)

Um processo nuclear que ocorre quando tem excesso nêutrons.

(d)

Um modo de desintegração beta acompanhado da emissão de um neutrino.

(e)

Um processo exclusivo da eletrosfera sem a intervenção do núcleo, mas que precisa de um

campo elétrico.

08)

fotoelétrico seja grande quando comparada com a correspondente por efeito Compton, o que

devemos levar em conta?

Se desejarmos escolher um elemento de modo que a interação de um fóton por efeito

(a)

Que forme compostos metálicos.

(b)

Que a composição isotópica seja adequada.

(c)

Que seja de número atômico elevado.

(d)

Que seja um átomo leve para diminuir a interação por efeito Compton.

(e)

Que possua um potencial de ionização elevado.

09)

Qual das seguintes afirmações não é correta em relação ao processo de conversão interna?

(a)

É um processo eletromagnético que compete com a emissão gama.

(b)

Apresenta um espectro de emissão de elétrons discreto superposto ao da emissão beta.

(c)

Apresenta um limiar de energia.

(d)

É um processo de duas etapas: o núcleo emite um fóton que arranca um elétron da

eletrosfera.

(e) É mais importante para núcleos pesados.

10) Qual das seguintes afirmações é correta para a desintegração beta do estrôncio-90? Sr(90) Y(90) Zr(90). T 1/2 (Sr-90) = 28 anos; T 1/2 (Y-90) = 65 horas.

(a)

Apresenta um equilíbrio transitório.

(b)

Possui uma relação entre a atividade do filho Y-90 e a do pai Sr-90 que aumenta com o

tempo.

(c)

Apresenta um equilíbrio secular.

(d)

Possui uma relação entre a atividade do nuclídeo filho e o nuclídeo pai que diminui com o

tempo.

(e) Comporta-se como se o Sr-90 tivesse uma meia vida física de 65 horas.

11) Qual das seguintes afirmações é válida para o alcance de uma partícula em um meio?

(a)

É um conceito válido para fótons.

(b)

Para a mesma energia, é maior para deuterons que para prótons.

(c)

É o valor médio das longitudes das trajetórias das partículas.

(d)

Depende da atenuação das partículas do feixe incidente no meio atravessado.

(e)

É aproximadamente o mesmo para partículas alfa e prótons de mesma velocidade.

12) O Na-22 (Z=11) é um emissor beta mais. Qual das seguintes afirmações não é correta para fontes espessas de tal emissor?

(a)

O espectro beta mais é deformado pela auto-absorção da fonte.

(b)

A fonte emite radiação gama correspondente à desexcitação do Ne-22 (Z=10).

(c)

O espectro gama apresenta um fundo de fótons de aniquilação.

(d)

Poucos pósitrons poderão escapar da fonte já que são aniquilados pelos elétrons da mesma.

(e)

O espectro beta apresenta picos de escape definidos.

13)

O espectro gama do Na-22 (Z=11, emissor beta mais) apresenta quatro picos

correspondentes às energias de 1,27 MeV, 0,76 MeV, 0,51 MeV e 0,25 MeV. Qual das seguintes afirmações é correta?

(a)

O pico de 0,76 MeV é de escape duplo.

(b)

O pico de 0,25 MeV é devido aos gamas de aniquilação.

(c)

O pico de 0,51 MeV é de escape único.

(d)

O pico de 1,27 MeV corresponde a desexcitação do Ne-22 (Z=10) para seu estado

fundamental.

(e) Os picos de 0,76 e 1,27 MeV não são observados se for utilizado um detector de volume

muito grande.

14)

Qual das seguintes afirmações é correta para o processo nuclear de captura eletrônica?

(a)

Compete com a desintegração beta menos.

(b)

É detectado pela emissão de raios X característicos do átomo.

(c)

Apresentam um limiar de energia superior ao da desintegração beta com a qual compete.

(d)

Apresenta um espectro contínuo de energias dos neutrinos emitidos.

(e)

A captura L é mais provável que a captura K, pois a energia de ligação do elétron é menor.

15) Qual dos seguintes processos é possível?

(a)

n p + e - + neutrino eletrônico

(b)

p + e - n + neutrino eletrônico

(c)

p e + + n + antineutrino eletrônico

(d)

n p + e -

(e)

p + e - n + antineutrino eletrônico

16) Conforme o número atômico aumenta:

(a)

Os núcleos estáveis tendem a possuir maior número de nêutrons que os prótons.

(b)

Os núcleos estáveis tendem a possuir maior número de prótons que de nêutrons.

(c)

Os núcleos estáveis tendem a possuir igual número de prótons e nêutrons.

(d)

Os núcleos tendem a decair por captura eletrônica exclusivamente.

(e)

Os núcleos apresentam uma energia de ligação por núcleon sempre crescente.

17) Do que não depende a energia com que um elétron é expulso do átomo no efeito fotoelétrico?

(a)

Da freqüência da radiação incidente.

(b)

Da longitude de onda da radiação incidente.

(c)

Do material do alvo.

(d)

Da diferença de potencial ao qual são submetidos os elétrons ejetados.

(e)

Da intensidade da radiação incidente.

18) A seção eficaz para o efeito Compton:

(a)

Aumenta com a energia.

(b)

Aumenta com a energia e com o número atômico do alvo.

(c)

Diminui com a energia.

(d)

É inversamente proporcional à probabilidade de que seja produzido isto.

(e)

É independente da energia no intervalo de energias médias (1 a 10 MeV).

19) O processo de produção de pares:

(a)

É possível para qualquer energia.

(b)

É possível para energias do fóton incidente maiores que 1022 keV.

(c)

Gera um elétron e um próton.

(d)

É o efeito dominante para altas energias e elevados números atômicos.

(e)

Apresenta uma elevada seção eficaz para energias menores que um keV.

20) O que é entendido por conversão interna em um átomo?

(a)

A absorção de um elétron da eletrosfera pelo núcleo.

(b)

A conversão de um nêutron em um próton e um elétron.

(c)

A conversão de um próton em um nêutron e um pósitron.

(d)

A absorção por um elétron da energia emitida pelo núcleo.

(e)

A conversão de um fóton em um elétron e um pósitron.

21) Um isótopo radioativo que emite uma partícula alfa:

(a)

Retrocede um lugar na tabela periódica.

(b)

Permanece na mesma posição na tabela periódica.

(c)

Retrocede dois lugares na tabela periódica.

(d)

Avança dois lugares na tabela periódica.

(e)

Avança um lugar na tabela periódica.

22) A atividade especifica de um radionuclídeo é:

(a)

Diretamente proporcional a sua meia vida.

(b)

Diretamente proporcional ao seu número de massa.

(c)

Inversamente proporcional a sua meia vida e número de massa.

(d)

Independente da meia vida.

(e)

Independente do número de massa.

23) Se a meia vida de um radionuclídeo é 10 minutos, sua vida média e sua constante de desintegração são respectivamente:

(a)

6,93 minutos e 0,1 minuto -1

(b)

14,4 minutos e 0,1 segundo -1

(c)

14,4 minutos e 1,16x10 -3 segundo -1

(d)

6,93 minutos e 1,16x10 -3 segundo -1

(e)

6,93 minutos e 1,16x10 3 segundo -1

24) A massa de qualquer núcleo atômico é:

(a)

Sempre superior à soma das massas dos núcleons que o compõem.

(b)

Sempre inferior à soma das massas dos núcleons que o compõem.

(c)

Igual a soma das massas dos núcleons que o compõem.

(d)

Maior que a massa do átomo correspondente.

(e)

Igual à massa do átomo correspondente.

25)

Como se altera um núcleo radioativo em uma desintegração beta?

(a)

É produzido pela captura de um elétron, por isso o número atômico do núcleo é reduzido em

uma unidade sem alteração no número de massa.

(b) É produzido quando é emitido um nêutron, ficando o núcleo com igual número atômico e

com o número de massa reduzido em uma unidade. Trata-se de um isótopo do núcleo pai.

(c) Consiste na emissão de um elétron, sem que sofra alteração do número atômico e diminui

em uma unidade o número de massa.

(d) Consiste na emissão de um elétron, aumentando em uma unidade o número atômico sem

que sofra alteração no número de massa.

(e) É uma transição isomérica que deixa o núcleo no estado fundamental com igual número

atômico e número de massa.

26) É produzida uma emissão de radiação gama:

(a)

Por efeito fotoelétrico.

(b)

Quando um núcleo decai de um estado excitado para um estado fundamental.

(c)

Quando excitamos um átomo.

(d)

Quando ocorre a desintegração de um nêutron.

(e)

Sempre que ocorre desintegração radioativa.

27) Os raios gama provem:

(a)

Das transições eletrônicas dos átomos.

(b)

Do choque dos elétrons com a matéria.

(c)

De um corpo incandescente.

(d)

Das desintegrações radioativas dos núcleos.

(e)

De lâmpadas a vácuo.

28) Se um radionuclídeo possui um filho radioativo com uma meia vida 10 vezes mais curta que a sua. Supor que 100% das transformações são do mesmo tipo:

(a)

A atividade do filho se aproxima da do pai assintoticamente para baixo.

(b)

A atividade do filho se mantém 10 vezes menor que a do pai.

(c)

A atividade do filho se mantém igual à do pai depois de três meias vidas.

(d)

A atividade do filho chega a superar a do pai.

(e)

A atividade de ambos se iguala a partir de 10 meias vidas.

29) Qual dos seguintes modos de transformação radioativa proporciona um elemento com um

número atômico que difere em mais de uma unidade do número atômico do elemento que sofre a transformação?

(a)

Beta menos.

(b)

Beta mais.

(c)

Gama.

(e)

Captura eletrônica.

30)

Como variam o número atômico (Z) e o número de massa (A) de um elemento ao emitir

uma radiação gama?

(a)

Z aumenta uma unidade e A não varia.

(b)

Z diminui uma unidade e A não varia.

(c)

Z não varia e A diminui uma unidade.

(d)

Z não varia e A aumenta uma unidade.

(e)

Z não varia e A não varia.

31)

A atividade instantânea de um radionuclídeo:

(a)

Representa a probabilidade de desintegração nuclear na unidade de tempo.

(b)

É o número de desintegração por unidade de massa.

(c)

É inversamente proporcional ao valor da constante de desintegração do radionuclídeo.

(d)

Representa o número de desintegrações por unidade de tempo.

(e)

Corresponde ao número de desintegrações por unidade de massa e de tempo.

32) Em uma câmara de ionização, o efeito de saturação devido à recombinação dos íons por íons positivos com elétrons:

(a)

É independente da energia distribuída no ar da câmara por unidade de tempo.

(b)

É pouco dependente da distância entre eletrodos.

(c)

É um efeito desejado para limitar a intensidade de corrente na câmara.

(d)

Depende da tensão elétrica aplicada entre eletrodos.

(e)

É tanto mais fraco quanto maior seja o efeito fotoelétrico.

33) A constante de desintegração de um isótopo radioativo:

(a)

É o número de átomos que se desintegra na metade do tempo.

(b)

Representa a probabilidade de que um núcleo de tal radioisótopo se desintegre na unidade de

tempo.

(c) Diminui exponencialmente com o transcorrer do tempo de acordo com a lei de desintegração

radioativa.

(d)

Depende do composto químico que tal isótopo faz parte.

(e)

É medida Bequerel.

34) A desintegração beta mais pode assemelhar-se esquematicamente ao processo:

(a)

Próton + nêutron beta mais + antineutrino

(b)

Próton nêutron + beta mais + neutrino

(c)

Nêutron + beta mais próton + antineutrino

(d)

Próton + pósitron nêutron + beta mais

(e)

Próton + nêutron beta menos + beta mais

35)

A probabilidade de que seja produzida uma desintegração radioativa num certo momento:

(a)

Para um certo núcleo, cresce em função do tempo.

(b)

Para um conjunto de átomos do mesmo isótopo radioativo é proporcional ao número destes.

(c)

É muito pequena para elementos de vida média curta.

(d)

Para um conjunto de átomos do mesmo isótopo radioativo é independente do tempo.

(e)

Para um certo átomo é independente do isótopo radioativo do qual se trata.

36)

O estudo do efeito Compton pode ser realizado mediante a consideração de um choque

elástico entre duas partículas. As grandezas que se conservam neste processo são:

(a)

Somente a massa das partículas.

(b)

Somente os momentos lineares das partículas.

(c)

Os momentos lineares e energias das partículas.

(d)

Somente os momentos se não houver conversão entre massa e energia.

(e)

As velocidades das partículas.

37)

Em sua interação com a matéria, um fóton de energia de 0,930 MeV:

(a)

Pode proporcionar a criação de pares.

(b)

Não pode proporcionar a criação de pares.

(c)

Pode proporcionar a criação de pares em função do material com o qual interage.

(d)

Somente pode proporcionar o efeito Compton.

(e)

Somente pode proporcionar o efeito fotoelétrico.

38) No tubo de raios X a radiação de frenamento é produzida devido à perda de velocidade de:

(a)

Fótons.

(b)

Elétrons.

(c)

Prótons.

(d)

Pósitrons.

(e)

Nêutrons

39) Que partícula acompanha o elétron numa desintegração beta negativa?

(a)

Um fóton.

(b)

Um pósitron.

(c)

Um nêutron.

(d)

Um antineutrino.

(e)

Nenhuma.

40)

Ao interagir um feixe de fótons com a matéria é produzida a interação ou dispersão

Compton. A energia dos fótons dispersos é:

(a)

Maior que a do fóton incidente.

(b)

Menor que a do fóton incidente.

(c)

Igual que a do fóton incidente.

(d)

Independente do ângulo de dispersão.

(e)

Independente da energia do fóton incidente.

41)

Uma partícula carregada se move com uma velocidade maior que a velocidade da luz em

um determinado meio material. Qual das seguintes afirmações é correta?

(a)

Não é possível, pois contradiz a teoria da relatividade.

(b)

Sim, é possível e é emitida a radiação Cherenkov.

(c)

Somente é possível em meios muito pouco densos.

(d)

Somente é possível em meios muito densos.

(e)

Somente é possível em meios isótropos.

42)

Os elétrons de conversão interna são produzidos na:

(a)

Desintegração alfa dos núcleos.

(b)

Desintegração beta.

(c)

Desexcitação dos núcleos.

(d)

Reações nucleares.

(e)

Formação molecular.

43)

O efeito fotoelétrico consiste:

(a)

Na dispersão elástica do fóton por um elétron.

(b)

Na dispersão por um núcleo atômico.

(c)

Na dispersão com o átomo.

(d)

Na absorção do fóton pelo átomo.

(e)

Na dispersão de elétrons de baixa energia.

44)

Mediante a absorção fotoelétrica obtém-se habitualmente:

(a)

A emissão de raios X.

(b)

A emissão de radiação de frenamento.

(c)

A emissão de radiação sincrotón.

(d)

A desexcitação do núcleo.

(e)

A emissão de pósitrons.

45)

Em um diodo de semicondutor a aplicação de uma polarização inversa determina uma

corrente elétrica constituída por:

(a)

Portadores majoritários.

(b)

Não existe a passagem de corrente.

(c)

Lacunas em todo o cristal.

(d)

Portadores minoritários.

(e)

Elétrons em todo o cristal.

46)

Em um diodo detector de radiação convém usar a configuração em curto-circuito, porque

desta forma a corrente inversa gerada:

(a)

É função da energia e não da intensidade da radiação.

(b)

É independente da temperatura.

(c)

Depende de maneira inversa da intensidade da radiação.

(d)

Depende de maneira inversa da energia da radiação.

(e)

Depende de maneira direta da intensidade da radiação.

47)

De qual variável depende a atenuação que sofre um feixe colimado de fótons ao atravessar

uma certa espessura de material?

(a)

Da distância entre a fonte de radiação e o material.

(b)

Da energia dos fótons e a natureza do material.

(c)

Unicamente da energia dos fótons.

(d)

Unicamente da natureza do material.

(e)

Da meia vida da fonte radioativa.

48)

Qual das seguintes características da dosimetria fotográfica é correta?

(a)

Permite realizar medidas absolutas de dose absorvida.

(b)

Apresenta boa resolução espacial.

(c)

Admite a possibilidade de obter resultados em tempo real.

(d)

Permite discriminar com facilidade a qualidade do feixe de radiação.

(e)

Somente é adequada para energias menores que 1,02 MeV.

49)

Qual é a ordem do alcance em ar de uma partícula alfa de 4 MeV?

(a)

Metros.

(b)

Centímetros.

(c)

Milímetros.

(d)

Décimo de Milímetro.

(e)

É independente da energia.

50)

Os elétrons procedentes do fenômeno de conversão interna:

(a)

São originados como conseqüência da radiação gama que, posteriormente, provoca a

emissão de um fotoelétron.

(b)

São originados por interação direta do núcleo com os elétrons da eletrosfera.

(c)

Modificam a carga nuclear sendo, portanto, uma forma de desintegração beta.

(d)

Proporciona um espectro contínuo.

(e)

Pertencem às camadas mais externas do átomo.

51)

Em que tipo de espectrometria é utilizado o contador cintilador de NaI (Tl)?

(a)

Partículas Beta.

(b)

Fótons Gama.

(c)

Partículas Alfa.

(d)

Nêutrons.

(e)

Radiação corpuscular de alta energia.

52)

A radiação de frenamento ou Bremsstrahlung:

(a)

Ocorre pela interação de elétrons, de qualquer energia, com os núcleos da matéria

atravessada.

(b)

Ocorre principalmente com elementos de baixo Z.

(c)

Aumenta em função da energia dos elétrons.

(d)

Aumenta em função da energia dos elétrons e do Z do material sendo atravessado.

(e)

Não depende para nada nem da energia nem da espessura do material sendo atravessado.

53)

Para a blindagem de radiação beta e devido a seu curto alcance se empregam:

(a)

Elementos de Z elevado para obter pequenas espessuras.

(b)

Elementos de Z elevado para diminuir a radiação de frenamento.

(c)

Elementos de Z médio.

(d)

Elementos leves.

(e)

Qualquer elemento, não depende de Z.

54) Para o cálculo de atividade de uma substância radioativa mediante determinação dos fótons característicos de desexcitação de um determinado nível:

(a)

Só é levada em conta a porcentagem de emissão dos mesmos no esquema de desintegração.

(b)

É levada em conta a porcentagem da emissão de fótons no esquema de desintegração e a

conversão interna.

(c) É considerada a porcentagem de transformações beta que povoam o nível superior do fóton

de desexcitação determinado.

(d)

É somada a atividade devido aos fótons característicos de um determinado nível citados.

(e)

Nenhuma das afirmações anteriores é correta.

55) O processo de produção de pares consiste em:

(a)

Um fóton de baixa energia (100 keV) comunica esta energia a um elétron e a um pósitron.

(b)

Um fóton de energia suficiente cede toda esta energia e são formadas duas partículas, um

elétron e um pósitron.

(c) Um fóton de energia maior que 1,02 MeV cede parte desta energia, na forma de energia

potencial, ao núcleo com o objetivo de conservar o momento e assim é formado um elétron e um

pósitron.

(d) O processo mediante o qual um fóton de energia maior que 1,02 MeV interage com o núcleo

formando dois fótons de 0,511 MeV cada um.

(e) Dois elétrons são arrancados de sua eletrosfera e depois são emitidos dois fótons em cascata.

56) Na interação da radiação eletromagnética de baixa energia com a matéria e para substâncias com valor de Z alto:

(a)

Predomina o efeito fotoelétrico.

(b)

Predomina a produção de pares.

(c)

Predomina o efeito Compton.

(d)

Não é necessário conhecer a energia do fóton incidente.

(e)

Apenas são produzidas interações pelo fato do Z ser alto.

57) Indique que tipo de detector não permite fazer a análise da altura de pulsos para raios X:

(a)

Contador Geiger Muller.

(b)

Contador Proporcional.

(c)

Detector Cintilador de NaI (Tl).

(d)

Detector Semicondutor de Ge intrínseco.

(e)

Detector Câmara de Ionização.

58) Na interação da radiação com a matéria os efeitos fotoelétrico e Compton:

(a)

Diminuem quando se aumenta energia da radiação gama.

(b)

Aumentam em função da energia da radiação gama incidente.

(c)

Diminuem em função da energia e o Z do material atravessado.

(d)

São mínimos para energias inferiores a 100 keV.

(e)

Realmente não dependem nem da energia nem do Z.

59) São denominados nêutrons térmicos:

(a)

Aqueles cuja energia é inferior a 0,5 eV.

(b)

Aqueles cujas velocidades são comparáveis à das moléculas do gás na temperatura

ambiente.

(c) Aqueles que são originados na colisão com um núcleo, por um fenômeno de dispersão ou

choque elástico.

(d)

Aqueles onde na colisão é conservada a energia e o momento.

(e)

Aqueles que somente são originados por colisão de dois núcleos de Z muito alto.

60) Os fótons que emergem de uma lamina de material interposto num feixe estreito possuem:

(a)

A mesma energia dos fótons incidentes.

(b)

Menor energia que aquela dos fótons incidentes.

(c)

Sofrem uma atenuação em sua energia proporcional ao coeficiente de atenuação e à

espessura do material sendo atravessado.

(d) Sempre energia distinta daquela incidente, já que vai modificando-se pelas interações com

os átomos do material sendo atravessado.

(e) Depende da espessura da lamina de material sendo atravessada.

61) A ativação neutrônica, processo pelo qual um nêutron é absorvido por um núcleo:

(a)

Ocorre preferencialmente para os denominados nêutrons intermediários.

(b)

É devido fundamentalmente à absorção de um nêutron térmico por um núcleo.

(c)

Proporciona sempre núcleos compostos instáveis.

(d)

É um processo que é empregado fundamentalmente na construção de blindagens de Z

elevado para radiação neutrônica com a finalidade de que todos os nêutrons sejam capturados.

(e) Ocorre quando um elétron é absorvido por um núcleo.

62) A denominada análise de altura de pulsos permite:

(a)

Discriminar energias de emissores beta mediante o uso de um detector GM.

(b)

Fazer uma análise quantitativa de emissores gama, em uma amostra composta mediante o

uso de uma câmara de ionização.

(c) Poder identificar diversos radionuclídeos, com emissão eletromagnética, mediante o uso de

um detector, por exemplo, detector semicondutor de Ge intrínseco.

(d)

Obter o espectro descontínuo característico de um emissor beta.

(e)

Discriminar as distintas radiações emitidas por um radionuclídeo.

63) Qual é o tipo de detector que permite realizar uma análise de altura de pulso para a radiação eletromagnética.

(a)

Câmara de ionização.

(b)

Cintilador plástico.

(c)

Semicondutor de Ge intrínseco.

(d)

Barreira de silício com janela de 200 mg/cm 2 .

(e)

Cintilador líquido.

64) Qual das seguintes afirmações é correta:

(a) A eficiência de um detector GM para radiação eletromagnética depende somente do número

de átomos do gás de enchimento.

(b)

Um detector GM serve somente para medir radiação diretamente ionizante.

(c)

Um detector GM de janela metálica de 50 mg/cm 2 serve para medir a radiação beta e

eletromagnética.

(d) A eficiência de um detector GM de janela delgada, não metálica, é muito maior para

radiação beta que para radiação eletromagnética.

(e) Um detector GM de janela delgada de 1 mg/cm 2 , serve somente para medir nêutrons.

65) A energia média necessária para a criação de um par de íon num gás:

(a)

Varia consideravelmente de um gás para outro.

(b)

É aproximadamente igual a 34 MeV.

(d)

É aproximadamente igual a 34 eV.

(e) É aproximadamente igual a 34 joules.

66) Em um isótopo radioativo o valor da vida média é igual a:

(a)

O tempo necessário para que sua atividade seja reduzida à metade.

(b)

A metade da meia vida.

(c)

O inverso da meia vida.

(d)

A constante de desintegração.

(e)

O inverso da constante de desintegração.

67) A atenuação sofrida por um feixe de radiação X ou gama ao atravessar uma espessura de um certo material depende:

(a)

Unicamente da energia dos fótons.

(b)

Unicamente da natureza do material.

(c)

Unicamente do estado físico do material.

(d)

Da energia dos fótons e do estado físico do material.

(e)

Da energia dos fótons e da natureza do material.

68)

A que se chama de tempo morto de um detector?

(a)

Ao tempo passa na oficina, sem uso.

(b)

Ao tempo que leva para produzir uma ionização.

(c)

Ao tempo que um íon leva para alcançar o eletrodo correspondente.

(d)

Ao tempo que o detector fica inoperante depois de cada detecção.

(e)

Ao tempo que leva para alcançar a temperatura de trabalho.

69) A desintegração de uma substância radioativa obedece a um processo:

(a)

Aleatório.

(b)

Convolutivo.

(c)

Não linear.

(d)

Tangencial

(e)

Harmônico.

70) Os detectores de estado sólido em relação aos de ionização gasosa:

(a)

São mais eficientes devido ao seu menor tamanho.

(b)

São independentes da temperatura de trabalho.

(c)

São mais eficientes devido a sua maior densidade.

(d)

Produzem um sinal mais baixo devido à alta energia de ionização do Si e do Ge.

(e)

Necessitam grandes volumes para serem eficientes.

71) O processo de atenuação da radiação gama pela matéria segue uma lei:

(a)

Exponencial negativa.

(b)

Logarítmica normal.

(c)

De convolução.

(d)

Não paramétrica.

(e)

Não linear.

72) Na interação dos fótons de energia de 1 MeV com a matéria, o efeito dominante é:

(a)

Fotoelétrico.

(b)

Produção de pares

(c)

Compton

(d)

Thompson

(e)

Cherenkov

74)

Um feixe de elétrons de 50 MeV perde sua energia em chumbo basicamente por:

(a)

Ionização dos átomos do material.

(b)

Por radiação de frenamento.

(c)

Por criação de pares.

(d)

Por reações nucleares.

(e)

Por efeito Compton.

75)

Seja uma fonte puntiforme emissora de radiação beta que deposita uma determinada taxa de

dose em um ponto a um metro da fonte, em qual dos seguintes casos o trabalhador estará mais

protegido?

(a)

A quatro metros da fonte e sem blindagem, durante dois minutos.

(b)

A um metro da fonte, com duas camadas semi redutoras, durante dois minutos.

(c)

A dois metros da fonte, com uma camada semi redutora, durante um minuto.

(d)

A um metro da fonte, com três camadas semi redutora, durante dois minutos.

(e)

A três metros da fonte, com uma camada semi redutora, durante 2 minutos.

76) A constante de desintegração é definida como:

(a)

A fração de átomos que se desintegra por unidade de tempo.

(b)

A fração de tempo durante o qual se mantém constante a velocidade de desintegração.

(c)

Uma constante que é diretamente proporcional à semi-vida.

(d)

A atividade de 1 grama de uma substância radioativa a 1 metro de distância.

(e)

O tempo que trata em reduzir-se à metade uma população de átomos radioativos.

77)

A produção de fótons:

(a)

Melhora o rendimento de detecção de um detector.

(b)

Melhora a resposta em função do tempo em um detector.

(c)

Contribui para degradar a resolução de um detector.

(d)

Supõe um aumento da informação primária sobre a detecção da radiação.

(e)

Melhora a resposta em função do tempo, mas piora o rendimento do detector.

78)

Os efeitos em que está baseada a detecção de partículas carregadas por um detector, são

fundamentalmente:

(a)

Colisões elásticas e colisões radioativas, no caso de elétrons.

(b)

Colisões elásticas e colisões radioativas no caso de partículas alfa.

(c)

Colisões inelásticas e colisões radioativas no caso de partículas alfa.

(d)

Colisões inelásticas e colisões radioativas no caso de elétrons.

(e)

Bremsstrahlung no caso de nêutrons.

79)

O chamado ruído estatístico num detector de radiações é o que se deve a:

(a)

Variação nas características de operação do detector.

(b)

Variação nas características de operação da instrumentação eletrônica associada.

(c)

Efeitos térmicos.

(d)

Produção de um número discreto de portadores de informação, de caráter probabilistico.

(e)

Modificação na tensão de alimentação da eletrônica associada.

80)

Dos processos de recombinação conhecidos nos detectores de ionização gasosa, pode-se

afirmar que:

(a) A recombinação colunar aparece de modo preferencial em fragmentos de fissão e partículas

carregadas pesadas.

(b)

A recombinação por difusão ocorre preferencialmente em íons positivos.

(c)

A recombinação em volume ocorre preferencialmente com fluências de radiação baixas no

detector.

(d) Somente é produzida recombinação se existir colisões com transferência de carga, em altas

pressões no gás do interior do detector.

(e) Todos possuem probabilidade similar, independente do tipo de radiação e de sua fluência.

81) Com o propósito de estudar o movimento de cargas num detector de ionização gasosa o parâmetro de maior interesse vem a ser:

(a)

A mobilidade das cargas e suas variações em função das características do detector.

(b)

A pressão interna do gás.

(c)

A intensidade do campo elétrico.

(d)

A diferença de potencial aplicada entre os eletrodos.

(e)

O cociente entre o caminho livre médio dos íons e o dos elétrons.

82)

Quanto maior for o tempo morto em um detector:

(a)

Mais se aproxima ao modelo paralisado.

(b)

Mais se aproxima ao modelo não paralisado.

(c)

Resulta ser menos adequado para medidas de atividades elevadas.

(d)

Resulta ser mais adequado para medida de tempo de vôo.

(e)

Pode ser alcançada uma melhor resolução em espectrometria.

83)

No projeto de um detector de ionização gasosa com propósito de dosimetria, com parede

equivalente a gás, o material da parede é escolhido:

(a)

Sempre com número atômico maior que o número atômico médio do gás da câmara.

(b)

Com espessura da ordem do alcance dos elétrons secundários em tal material.

(c)

Com número atômico sempre menor que o número atômico médio do gás da câmara.

(d)

Com um material o mais poroso possível para permitir que a radiação corpuscular possa

atravessar a parede sem dificuldade.

(e)

Com qualquer material que possua alto rendimento de efeito fotoelétrico.

84)

Os níveis excitados cuja desexcitação proporciona a cintilação em substâncias utilizadas

como detectores de radiação devem ser tais que:

(a)

A desexcitação ocorre em um tempo muito curto.

(b)

A desexcitação ocorra em tempos grandes, sendo preferencialmente os estados metaestáveis

os preferidos para o fenômeno de cintilação.

(c) Encontram-se dentro do domínio do infravermelho, para favorecer a detecção da

luminescência.

(d)

Encontram-se exclusivamente dentro do intervalo de luz visível.

(e)

Não alcancem o intervalo de energias vibracionais.

85)

Comparativamente, a melhor resolução em energia de um detector de Si(Li) em relação a

um de Ge(Li) deve-se:

(a)

À maior largura da banda proibida no germânio que no silício.

(b)

À maior largura da banda proibida no silício que no germânio.

(c)

À menor capacidade intereletródica no silício que no germânio.

(d)

Ao maior fator Fano no silício que no germânio

(e)

Ao melhor acoplamento de impedâncias entre o detector e a primeira etapa de amplificação

realizada no silício.

86)

simples será visto preferencialmente:

Na detecção de fótons de 2 MeV com um detector de cintilação de NaI(Tl) o pico de escape

(a)

Num detector de tamanho pequeno.

(b)

Num detector do tipo poço, de grande volume de detecção.

(c)

Sobretudo, quando o detector se encontra numa blindagem de grandes dimensões e de grande

espessura de chumbo.

(d)

Em qualquer condição, sempre que a amostra esteja suficientemente próxima do detector.

(e)

Sobretudo, num detector sem blindagem.

87)

A informação que é produzida num detector consiste de pulsos (chamados nucleares)

caracterizados por:

(a)

Tempo de subida grande e tempo de descida curto.

(b)

Tempo de subida curto e tempo de descida grande.

(c)

Simetria no tempo de subida e de descida.

(d)

Amplitude em todos os casos maior que 10 mV.

(e)

Amplitude em todos os casos maior que 100 mV.

88)

A informação espectrométrica de maior interesse na medida da radiação gama de um

radionuclídeo é encontrada:

(a)

No pico fotoelétrico.

(b)

Nas energias das bordas do Compton.

(c)

Nas energias dos picos de retro dispersão.

(d)

Nas áreas encerradas por duas bordas Compton e os picos de escape.

(e)

Nos picos soma.

89)

Certos detectores de radiação apresentam uma capacidade intereletródica variável em

função da energia que a radiação cede ao detector. Este problema é solucionado:

(a)

Aumentando o comprimento dos cabos.

(b)

Encurtando o comprimento dos cabos entre o detector e as etapas de amplificação.

(c)

Conduzindo sua saída para um pré-amplificador com uma etapa sensível à carga, isto é com

realimentação capacitiva.

(d) Escolhendo uma constante de integração no amplificador suficientemente alta para eliminar

contribuições de alta freqüência do pulso.

(e)

Conduzindo sua saída para um pré-amplificador com uma etapa sensível à tensão.

90)

Para detectar radiação gama com um detector semicondutor, de superfície e volume ativo

iguais:

(a)

O detector de germânio possui maior rendimento que o de silício.

(b)

O detector de silício possui maior rendimento que o de germânio.

(c)

O detector de silício possui pior resolução que o de germânio.

(d)

O modelo elétrico do detector de silício apresenta uma capacidade associada mais alta que o

do germânio.

(e)

Qualquer um possui um comportamento similar a energias de fótons de baixa energia.

91)

A adição de impurezas em um semicondutor supõe:

(a)

A introdução de níveis de energia permitidos na banda proibida.

(b)

A ampliação energética da banda proibida.

(c)

O estreitamento da banda proibida.

(d)

Que a banda de valência esteja situada acima da de condução.

(e)

O estreitamento da banda de condução.

92)

Identifique qual das afirmações seguintes é falsa. A porcentagem de atenuação de um feixe

de raios X ao atravessar um material depende:

(a)

Da tensão elétrica aplicada ao tubo de raios X.

(b)

Da densidade do material.

(c)

Do número de elétrons por grama de material.

(d)

Do número atômico do material.

(e)

Da intensidade de corrente que passa pelo tubo.

93)

Em dosimetria das radiações ionizantes é utilizada como unidade o Sievert (Sv) para a

medida da:

(a)

Atividade

(b)

Exposição

(c)

Atenuação

(d)

Dose absorvida

(e)

Dose equivalente

94)

Indicar qual das seguintes afirmações é verdadeira:

(a)

A meia vida de um radionuclídeo é maior que a vida média.

(b)

A meia vida é igual a (lambda) / 0,693.

(c)

A vida média é 1,44 vezes a meia vida.

(d)

A meia vida e a vida média são iguais.

(e)

A vida média é igual a 0,7 vezes a meia vida.

95)

Como varia a atividade de um isótopo radioativo em função do valor de sua meia vida

(T 1/2 ):

(a)

Diminui mais lentamente quanto maior é T 1/2 .

(b)

Diminui mais lentamente quanto menor é T 1/2 .

(c)

Sua variação é independente de T 1/2 .

(d)

Diminui linearmente se T 1/2 é pequeno.

96)

monoenergéticos?

Em que consiste a diferença entre um feixe de raios X e um de raios gama, ambos

(a)

Na maior energia do feixe de raios X.

(b)

Na menor energia do feixe de raios X.

(c)

Em sua origem.

(d)

Em sua penetração.

(e)

Em seu espectro energético.

97)

Em um processo de Poisson, a probabilidade de que ocorra um evento é:

(a)

Dependente do que ocorre anteriormente.

(b)

Dependente do que ocorre posteriormente.

(c)

Dependente da precisão do teste.

(d)

Independente do que ocorre antes ou depois do evento.

(e)

dependente da evidência do evento.

98)

Qual característica da atividade de uma amostra radioativa é correta?

(a)

Diretamente proporcional ao número de átomos.

(b)

Independente da meia vida.

(c)

Inversamente proporcional ao número de átomos.

(d)

Inversamente proporcional à constante de desintegração radioativa.

(e)

Inversamente proporcional ao quadrado da distância da fonte.

99) Em que condições aumenta a probabilidade de que um feixe de fótons interaja por efeito fotoelétrico?

(a)

A maior energia do feixe de fótons.

(b)

A menor densidade do material sobre o qual incide.

(c)

A maior número atômico do material sobre o qual ele incide.

(d)

A menor número de elétrons por unidade de volume do material sobre o qual ele incide.

(e)

A maior camada semi redutora do feixe de fótons.

100) O número de átomos, N, presente em diferentes radionuclídeos, sendo que em todos os casos possui a mesma atividade de 1 MBq, depende de:

(a)

Constante de desintegração dos radionuclídeos.

(b)

Número de Avogadro.

(c)

Número atômico dos radionuclídeos.

(d)

É o mesmo em todos os radionuclídeos.

(e)

Processo de desintegração de cada radionuclídeo.

101) Um elétron Auger é:

(a)

Um elétron da camada K que foi aprisionado pelo núcleo.

(b)

Um elétron que recebe a energia emitida por um núcleo excitado em estado meta estável.

(c)

Um elétron arrancado de seu nível energético pela radiação característica dentro de seu

próprio átomo.

(d)

Um elétron que ocupa a lacuna deixada num átomo num processo de ionização.

(e)

Um elétron que muda espontaneamente seu spin.

102) O coeficiente mássico de atenuação é similar para a maior parte dos materiais, exceto aqueles que contêm hidrogênio, quando:

(a) Predomina o efeito fotoelétrico.

(b)

Predomina o efeito de materialização.

(c)

Ocorrem somente interações Compton.

(d)

Predomina as desintegrações fotonucleares.

(e)

A interação radiação-matéria é reduzida à dispersão.

103) Quando os elétrons acelerados em um tubo de raios X alcançam o ânodo, que porcentagem aproximada da energia dos elétrons é convertida em raios X?

(a)

1%.

(b)

5%.

(c)

25%.

(d)

50%.

(e)

100%.

104) Um fóton de 51 keV interage com um átomo e é emitido um elétron de 45 keV:

(a)

Este é um exemplo de dispersão coerente.

(b)

Também será emitido um elétron-Compton de 6 keV.

(c)

O elétron possui uma energia de ligação de 6 keV.

(d)

Este é um exemplo de produção de pares.

(e)

Também é emitido um fotoelétron de 6 keV.

105) Como é o espectro de energia da emissão alfa para um certo radionuclídeo?

(a)

Discreto e independente do isótopo.

(b)

Contínuo e dependente do isótopo.

(c)

Contínuo se não for acompanhado de emissão gama.

(d)

Discreto e dependente do isótopo.

(e)

Contínuo e dependente do tempo.

106) O efeito Cherenkov é produzido quando:

(a)

Uma partícula carregada é acelerada por um núcleo e emite radiação.

(b)

Uma partícula carregada atravessa um meio com velocidade maior à da luz em tal meio.

(c)

Uma partícula neutra choca com um núcleo de hidrogênio e provoca a sua dispersão.

(d)

Um fóton arranca um elétron ligado e é produzida uma cascata de raios X discretos.

(e)

Um fóton arranca um elétron externo.

107) Os efeitos Compton, Thompson e fotoelétrico são produzidos:

(a)

O Compton e o fotoelétrico com elétrons muito ligados e o Thompson com elétrons livres.

(b)

O Thompson e o fotoelétrico com elétrons muito ligados e o Compton com elétrons livres.

(c)

Com absorção de um fóton e a ionização de um átomo.

(d)

Pela interação de uma partícula carregada com um núcleo.

(e)

Exclusivamente em energias do fóton incidente elevadas.

108) A curva que representa a ionização específica que uma partícula produz em sua progressão em um meio, em função do alcance residual é denominada:

(a) Curva de Fermi.

(b) Straggling.

(c) Curva de dispersão.

(d) Curva de Bragg.

(e) Fluxo energético de ionização.

109) Em um acelerador linear os elétrons:

(a) São acelerados mediante o campo magnético aplicado entre os elementos do tubo do

acelerador.

(b)

São acelerados mediante ao campo eletrostático dentro dos elementos do tubo do acelerador.

(c)

São acelerados mediante a alteração do fluxo do campo magnético na trajetória.

(d)

Possuem velocidade constante nos espaços existentes entre os elementos do tubo do

acelerador.

(e) Possuem velocidade constante no interior dos elementos do tubo do acelerador.

110) No efeito Compton:

(a)

A freqüência da radiação dispersa é independente do material que constitui o alvo.

(b)

A importância do deslocamento do comprimento de onda é manifestada mais em baixas

energias do fóton incidente.

(c)

É produzido um aumento na freqüência do fóton dispersado em relação ao incidente.

(d)

O fóton incidente interage com elétrons fortemente ligados ao núcleo.

(e)

O fóton dispersado não altera seu comprimento de onda.

111) No efeito fotoelétrico:

(a)

A intensidade da corrente é proporcional à freqüência do fóton incidente.

(b)

A freqüência de corte depende da tensão aplicada.

(c)

Não existe tempo de atraso entre a incidência do fóton e a emissão de elétrons.

(d)

Quando o potencial a que é submetido os elétrons se torna negativo nenhum deles é capaz de

alcançar o átomo.

(e) O número de elétrons recolhidos no ânodo é proporcional à diferença de potencial aplicada.

112) Uma amostra recente, preparada com radônio-222 possui 10 -6 grama desse radionuclídeo. Quantas desintegrações por segundo possuirá esta amostra imediatamente após a sua preparação? (T 1/2 = 3,82 dias).

(a)

5,7x10 9 microCi.

(b)

1 microCi.

(c)

1,8x10

15 Bq.

(d)

6x10 10

Bq.

(e)

5,7x10 9 Bq.

113) Na interação Compton, o fóton X ou gama comunica ao elétron envolvido:

(a)

Uma fração variável de sua energia dependendo do ângulo de dispersão ou espalhamento.

(b)

Quase toda sua energia se o fóton incidir perpendicularmente.

(c)

Uma fração variável de sua energia independente do ângulo de espalhamento.

(d)

A metade de sua energia se o fóton incidir paralelamente.

(e)

Uma fração constante de sua energia.

114) Uma das grandezas que caracteriza um feixe de radiação ionizante é a Exposição. Indique qual das seguintes unidades corresponde a esta grandeza?

(a) J/kg.

(b)

C/kg.

(c)

Rad.

(d)

Sievert.

(e)

Rem.

115) Um feixe de fótons de 5 MeV interage com um determinado material. Assinale para que material será mais provável a absorção mediante a produção de pares:

(a)

Cobre.

(b)

Chumbo.

(c)

Alumínio.

(d)

Carbono.

(e)

Oxigênio.

116) Tendo em conta que o Gray é definido com 1J/kg, a absorção de um mGy em um grama de água proporciona um aumento de temperatura de:

(a)

2,4x10 -4 0 C.

(b)

2,4x10 -7 0 C.

(c)

4,16x10 -7 0 C.

(d)

4,16x10 -1 0 C.

(e)

3,14x10 -5 0 C.

117) O coeficiente de atenuação mássico da água para fótons de 60 keV é 0,2 cm 2 /g. Qual é o livre caminho médio em água para tal energia?

(a)

5 cm.

(b)

2 mm.

(c)

200 cm.

(d)

12 g/cm 2 .

(e)

50 g/cm 2 .

118)

No equilíbrio radioativo transitório:

(a)

Atividade do filho é igual a do pai.

(b)

Atividade do filho é maior que a do pai.

(c)

Atividade do filho é menor que a do pai.

(d)

Atividade do filho é muito maior que a do pai.

(e)

Atividade do filho é muito menor que a do pai.

119) Dois radionuclídeos da mesma família estão em equilíbrio transitório se:

(a)

As atividades do pai e do filho se mantêm constantes.

(b)

O cociente entre as taxas de desintegração do pai e filho é constante.

(c)

Em qualquer momento as atividades das duas espécies são iguais.

(d)

O número de átomos do pai é igual ao número de átomos do filho.

(e)

O número de átomos do filho coincide numericamente com a atividade do pai.

120) A espessura de um meio material absorvedor pode ser medida em:

(a) cm 2 /g.

(b)

mg/cm 2 .

(c)

cm -1 .

(d)

mg/cm.

(e)

cm/g.

121) No processo de desintegração radioativa, a fração relativa de átomos que se desexcitam por unidade de tempo:

(a)

Diminui exponencialmente.

(b)

É constante

(c)

Diminui linearmente.

(d)

Aumenta exponencialmente.

(e)

É função da energia da radiação emitida.

122)

O processo fotoelétrico:

(a)

Predomina para altas energias em relação à formação de pares.

(b)

Predomina para baixas energias em relação ao efeito Compton.

(c)

Surge da interação de um elétron com um átomo.

(d)

Varia lentamente com o número atômico do absorvedor.

(e)

Possui uma energia limiar de 0,511 keV.

123)

micrograma de ouro-198, sua atividade expressada em desintegrações por minuto é:

O ouro-198 possui uma meia vida de 2,7 dias. Se numa amostra encontra-se 1

(a)

9,04x10 8 .

(b)

3,5x10 12 .

(c)

5,42x10 10

.

(d)

1,07x10 14

.

(e)

1,2x10 13 .

124)

Qual das seguintes respostas define com mais exatidão a constante de desintegração, ?

(a)

O tempo que leva em reduzir-se à metade uma população de átomos radioativos.

(b)

A atividade de 1 g de uma substância radioativa a 1 m de distância.

(c)

A fração de átomos que se desintegra por unidade de tempo.

(d)

Uma constante que é diretamente proporcional à semi vida.

(e)

O tempo durante o qual é mantida constante a velocidade de desintegração.

125)

O coeficiente de atenuação linear depende:

(a)

Da natureza do material irradiado e da intensidade de radiação.

(b)

Da intensidade de radiação e da energia do fóton.

(c)

Da energia do fóton e da natureza do material irradiado.

(d)

Da natureza e da espessura do material irradiado.

(e)

Da espessura do material irradiado e da energia do fóton.

126)

proporcionalmente a:

A taxa de exposição produzida por uma fonte puntiforme varia com a distância,

(a)

Diretamente proporcional a distância.

(b)

Inversamente proporcional a distância.

(c)

Inversamente proporcional a distância ao quadrado.

(e) Inversamente proporcional a distância a quarta.

127)

(a) O núcleo absorve um elétron da eletrosfera e um de seus prótons se transforma em um

nêutron e um neutrino.

(b) O núcleo absorve um elétron da eletrosfera e um de seus nêutrons se transforma em um

próton e um antineutrino.

Em que consiste a conversão interna:

(c)

O núcleo excitado de desexcita emitindo um elétron e um neutrino.

(d)

O núcleo excitado cede seu excesso de energia para um elétron da eletrosfera que sai ejetado.

(e)

O núcleo excitado se desexcita emitindo um fóton.

128)

A exposição é uma grandeza que faz referência a:

(a)

Qualquer tipo de radiação no ar.

(b)

Partículas carregadas na água.

(c)

Partículas carregadas no ar.

(d)

Fótons no ar.

(e)

Fótons em qualquer meio material.

129)

Como é o espectro da radiação de frenamento?

(a)

Discreto com picos que dependem da natureza do meio.

(b)

Discreto com picos que dependem da energia das partículas incidentes.

(c)

Contínuo com comprimento de onda máximo que depende da energia das partículas

incidentes.

(d)

Contínuo com uma energia mínima que coincide com a das partículas incidente.

(e)

Contínuo com um comprimento de onda mínimo que depende da energia das partículas

incidentes.

130)

Assinale a alternativa incorreta entre as seguintes, relativas ao efeito fotoelétrico:

(a)

Envolve sempre elétrons ligados.

(b)

A probabilidade de emissão é mínima se o fóton possui a energia suficientemente exata para

arrancar ao elétron de sua camada.

(c)

A seção eficaz fotoelétrica varia com o inverso da energia do fóton elevado ao cubo.

(d)

Em tecidos biológicos a energia média transferida é aproximadamente igual à energia média

absorvida, aproximadamente igual à energia do fóton e os coeficientes de atenuação, transferência e absorção são aproximadamente iguais.

(e) O coeficiente / átomo para materiais de baixo número atômico varia com Z 4; 5 .

131)

atenuação linear, , o número atômico Z, a densidade e o número de elétrons por unidade de massa N o , por meio da seguinte expressão:

O coeficiente de atenuação atômico, a , pode ser relacionado com o coeficiente de

(a)

(b)

(c)

(d)

(e)

 N Z a o .   . Z a  . N .
N
Z
a
o
.
 
.
Z
a
.
N
.
o
 . 
a
N
.
Z
.
o
N
 ..
a
Z
.
 a
 N .Z
o

.
.

132)

num contador de corpo inteiro que a ingestão foi de 592 kBq (16 Ci). Quanto tempo levará até

que tal atividade seja reduzida a 148 kBq (4 Ci). Dados: T 1/2 = 30 anos; T Biol = 70 dias

Um trabalhador inalou uma certa quantidade de Césio-137, posteriormente foi detectado

(a)

280 dias.

(b)

60 anos.

(c)

140 dias.

(d)

11020 dias.

(e)

120 anos.

133)

cm 2 /g. Se a densidade é de 2,25 g/cm 3 , o coeficiente de atenuação linear será:

O coeficiente de atenuação mássico para o carbono, com fótons de 1 MeV, é de 0,0635

(a)

0,143 cm -1 .

(b)

35,43 cm -1 .

(c)

0,0282 cm -1 .

(d)

0,00143 cm -1 .

(e)

0,3543 cm -1 .

134)

O processo de aniquilação de pares:

(a)

Pode produzir um único fóton que porta toda a energia do par elétron-pósitron aniquilado.

(b)

Não é possível que seja produzido três fótons.

(c)

O processo mais provável, mas não o único, é a criação de dois fótons movendo-se em

direções opostas.

(d)

Unicamente, é possível produzir dois fótons movendo-se em direções opostas.

(e)

São produzidos quando o elétron e o pósitron chocam-se com velocidade superior a um valor

limiar.

135)

No processo de conversão interna:

(a)

Um núcleo excitado se desexcita emitindo um fóton que interage com outro núcleo.

(b)

Um próton nuclear, devido a interação fraca, emite um pósitron.

(c)

Um próton nuclear captura um elétron da camada K e se transforma em um nêutron,

produzindo uma emissão gama.

(d)

Um próton nuclear captura um elétron livre e se transforma em um nêutron.

(e)

Um núcleo excitado transfere energia para um elétron interno que resulta na sua expulsão.

136)

desintegram fundamentalmente por:

Os radionuclídeos com Z menor de 60 e um número excessivo de nêutrons, se

(a)

Captura eletrônica.

(b)

Transições isoméricas.

(c)

Desintegração beta positiva.

(d)

Emissões alfa.

(e)

Desintegração beta negativa.

137)

radionuclídeo B, também presente no órgão com uma atividade cinco vezes maior que a de A, possui uma energia efetiva que é o dobro da de A e uma meia vida efetiva dez vezes menor. A

taxa de dose equivalente, em microSv/h, devido ao radionuclídeo B é:

O radionuclídeo A se concentra num certo órgão do corpo onde libera 10 microSv/h. O

(a)

1.

(b)

4.

(c)

25.

(d)

100.

(e)

1000.

138)

Qual é a atividade de 1 micrograma de iodo-125? (T 1/2 = 60 dias):

(a)

111x10 4 Bq.

(b)

185x10 4 Bq.

(c)

26x10 7 Bq.

(d)

63x10 7 Bq

(e)

7,4x10 10 Bq.

139)

Os elétrons Auger:

(a)

São uma forma de desexcitação atômica.

(b)

São uma forma de desexcitação nuclear.

(c)

São uma forma de desintegração nuclear.

(d)

Nunca podem ocorrer em processos de conversão interna.

(e)

Nunca podem ocorrer quando são emitidos raios X.

140)

A desintegração alfa:

(a)

Só é energeticamente possível acima de um certo número atômico.

(b)

Só pode ocorrer em núcleos de número par de nêutrons.

(c)

Deixa sempre o núcleo filho em seu nível fundamental.

(d)

Apresenta um espectro monoenergético.

(e)

Não pode ocorrer em núcleos que apresentam conversão interna.

141)

que se desintegram em 2 horas é esperada ser:

(a) 0,167.

Para um radionuclídeo cuja constante de desintegração é 0,693 h -1 , a fração de átomos

(c)

0,500.

(d)

(e)

0,667.

0,750.

142)

com a energia para raios X e gama?

Em geral, qual dos seguintes detectores de radiação possuem uma maior dependência

(a)

GM de janela delgada.

(b)

Câmara de ionização de parede equivalente ao ar.

(c)

Dosímetro termoluminescente de LiF.

(d)

Detector cintilador de NaI.

(e)

Dosímetro termoluminescente de CaSO 4 .

143)

A eficiência de pico intrínseco de um detector cintilador de NaI(Tl), aumenta:

(a)

Ao aumentar a cor do cristal.

(b)

Ao diminuir sua espessura.

(c)

Ao aumentar sua espessura.

(d)

Ao tornar opaco o cristal.

(e)

Na ausência de Tl.

144)

Porque deve ter-se o cuidado para não exceder o limite de tensão de um tubo GM?

(a)

O tubo apresentaria uma leitura baixa falsa.

(b)

Produziria descargas contínuas e possivelmente seria destruído.

(c)

Não seriam produzidos pares iônicos.

(d)

O tamanho de pulso não seria proporcional à ionização produzida.

(e)

Produziria descargas descontínuas e não seriam produzidos pares iônicos.

145)

A tensão aplicada num contador GM é:

(a)

Menor que a aplicada numa câmara de ionização.

(b)

Menor que a aplicada no contador proporcional.

(c)

Igual a aplicada na câmara de ionização.

(d)

Igual a aplicada no contador proporcional.

(e)

Maior que a aplicada numa câmara de ionização.

146)

O tempo que o detector fica inativo depois de cada detecção é conhecido como:

(a)

Decaimento.

(b)

Período de recuperação.

(c)

Tempo de carga não ativa.

(d)

Tempo morto.

(e)

Período de aquecimento.

147)

relativo de 5%:

Quantas contagens devem ser registradas por um detector GM para obter um erro padrão

(a)

50.

(b)

200.

(c)

400.

(d)

1000.

(e)

2500.

148)

como medida da taxa de exposição:

Num dosímetro de diodo de silício a corrente através da união em curto circuito utilizada

(a)

Varia linearmente com a taxa de exposição.

(b)

Varia quadraticamente com a taxa de exposição.

(c)

Varia linearmente em baixas exposições, mas varia com o logaritmo da exposição em taxas

acima de 2,48x10 -2 C/kg.h.

(d)

Varia com a raiz quadrada da exposição.

(e)

Não depende da taxa de exposição.

149)

Os contadores GM diferem das câmaras de ionização em que:

(a)

Contém gás a alta pressão e é aplicada uma diferença de potencial elevada.

(b)

Contém gás a alta pressão e é estabelecida uma diferença de potencial pequena.

(c)

Contém gás a baixa pressão e é estabelecida uma tensão elevada.

(d)

Contém gás a baixa pressão e é estabelecida uma tensão reduzida.

(e)

Contém gás a baixa pressão e é estabelecido um campo elétrico intenso.

150)

cintilador:

(a) Deve converter a energia cinética das partículas carregadas em luz detectável com uma

grande eficiência.

Indicar qual é a afirmação incorreta sobre as características de um bom material

(b)

Deve ser transparente para o comprimento de onda de sua emissão de luz.

(c)

O tempo de emissão da luminescência induzida deve ser tão curta quanto possível para dar

origem a pulsos rápidos.

(d) Seu índice de refração deve ser próximo de um para permitir um acoplamento eficiente da luz

de cintilação com a válvula fotomultiplicadora.

(e) Deve possuir boa qualidade óptica e permitir a construção de detectores de tamanho grande.

151)

Os emissores alfa que são usados como padrões de calibração apresentam:

(a)

Espectro energético contínuo até 6 MeV.

(b)

Vida média muito grande da ordem de 10 4 anos ou maiores.

(c)

Energias de emissão alfa entre 4 e 6 MeV.

(d)

Uma forte correlação entre sua energia e sua vida média de modo que a maior vida média

corresponda a maior energia.

(e) Espectro energético discreto com energias máximas da ordem de 4 MeV.

152)

medir uma amostra radioativa que em determinada condição geométrica proporciona 30000 contagens por minuto. Que fração das contagens foram perdidas devido ao tempo morto?

Um detector que apresenta um tempo morto de 200 microsegundos é utilizado para

(a)

3%.

(b)

80%.

(c)

50%.

(d)

10%.

(e)

5%.

153)

(a) Aumenta a amplitude do espectro de emissão para todas as energias.

O aumento na tensão de pico num tubo de raios X produz o seguinte efeito:

(b)

Não varia a amplitude do espectro de emissão.

(c)

Aumenta a amplitude do espectro de emissão somente para as energias mais altas.

(d)

Diminui a amplitude do espectro de emissão para as energias mais baixas.

(e)

Nenhuma das respostas anteriores está correta.

154)

(a) A dos fótons de uma longitude de onda tal que a radiação monocromática de tais fótons

possua a mesma espessura da camada semi redutora do feixe de raios X considerado.

Para um feixe de raios X a energia equivalente é definida como:

(b)

A energia na qual é emitido o máximo número de fótons do feixe.

(c)

A média das energias do feixe ponderada pelo número de raios X.

(d)

A energia média do feixe.

(e)

0,693 vezes a energia máxima do feixe.

155)

Quanto mais se aumenta a corrente que atravessa um tubo de raios X:

(a)

Maior é a energia dos raios X.

(b)

Menor é a potência dissipada no anticátodo.

(c)

É gerado maior quantidade de raios X.

(d)

É gerado menor quantidade de raios X.

(e)

É gerado menor quantidade de fótons, mas de maior energia.

156)

Se x é uma variável com distribuição binomial B(n,p) o produto np(1-p) representa:

(a)

O valor médio.

(b)

A probabilidade de que seja apresentado x.

(c)

A variância da distribuição.

(d)

O desvio típico.