Вы находитесь на странице: 1из 2

A ARTE DA CONVERSA E DO CONVÍVIO NA FAMÍLIA E NO TRABALHO

Maria Tereza Maldonado

http://www.mtmaldonado.com.br

A estrada da vida tem trechos de pedra e de asfalto: períodos de grandes dificuldades e


épocas em que as coisas andam bem. No entanto, há pessoas que transformam suas vidas
numa fábrica de problemas, quando cultivam o mau humor, a impaciência, a irritabilidade. Na
balança das experiências de vida, quando damos mais peso às coisas ruins, sofremos muito;
quando damos mais peso às coisas boas, aproveitamos melhor a vida.

Desenvolver a flexibilidade para olhar os mesmos fatos da vida sob diferentes ângulos
aumenta a possibilidade de alterar nossa qualidade de vida: mudando a maneira de olhar,
mudamos a maneira de sentir e, por conseguinte, a maneira de agir. Como no caleidoscópio,
podemos criar diversas imagens, fazendo pequenos movimentos com as mesmas peças.

Nossa maneira de olhar os fatos determina se vamos viver bem ou mal. A palavra crise, em
sua origem, significa, ao mesmo tempo, perigo e oportunidade: mesmo em situações muito
difíceis, é possível escolher e construir melhores alternativas. É preciso desenvolver a ousadia
para fazer as mudanças necessárias, a criatividade para encontrar saídas, a persistência para
continuar caminhando até encontrar "a luz no fim do túnel".

"Resiliência" é um conceito que tem sido muito utilizado pelos profissionais que trabalham com
crises. A pessoa "resiliente" é aquela que desenvolveu a capacidade de enfrentar as
adversidades sem se desestruturar e manteve uma boa auto-estima. Como se fosse uma
árvore flexível: os galhos se dobram num vendaval, mas não se quebram.

Nas pesquisas feitas em mais de vinte países descobriu-se que a resiliência, embora seja
uma característica inata em algumas pessoas, pode ser trabalhada no decorrer da vida. Para
isto, é preciso aprender a integrar pensamento, sentimento e ação. Desta forma pessoas,
famílias, equipes de trabalho ou comunidades conseguem encontrar recursos para melhorar a
situação em que se encontram, tomando iniciativas para promover mudanças com
determinação e compromisso.

Tanto no contexto familiar quanto no ambiente de trabalho é possível contribuir para que
pessoas, equipes ou comunidades desenvolvam resiliência e criatividade para transformar as
crises em oportunidades de crescimento. É o que vemos acontecer em inúmeros projetos
sociais bem sucedidos, assim como em empresas e famílias que conseguiram construir
caminhos satisfatórios atravessando grandes dificuldades.

A qualidade do relacionamento interpessoal é a base fundamental deste trabalho de


desenvolvimento da resiliência: a ampliação da sensibilidade da escuta para "ouvir e ler nas
entrelinhas" faz com que as pessoas se sintam mais entendidas e aceitas. Pelos "elogios sob
medida", expressa-se o reconhecimento e o estímulo para que as pessoas desenvolvam suas
"áreas de competência" que fortalecem a auto-estima; isto cria um clima de entusiasmo,
aumenta a criatividade e a produtividade, estimula a cooperação. A "crítica construtiva" que
consiste em atacar os problemas sem atacar as pessoas facilita a atitude de efetuar as
correções necessárias sem criar ressentimentos e sem prejudicar a auto-estima. Estes e
outros recursos de comunicação aprofundam e enriquecem o diálogo, contribuindo para criar
um clima de harmonia, respeito, consideração e bem-estar, tanto na família quanto no
trabalho.
*Este artigo apresenta alguns dos conceitos expostos nos livros: "A Arte da Conversa e do
Convívio", "Histórias da Vida Inteira" e "Construtores da Paz".