You are on page 1of 6

TUMORES CEREBRAIS

PRIMÁRIOS → Lesão expansiva que surgem do cérebro e de seus coberturas. Incluem cistos
intracranianos não-neoplásicos, tumores hipofisários, estruturas adjacentes como a base de crânio.
Aprox. 66%.

METÁSTASE → Fontes fora do SNC e são aproximadamente 30%.

CRIANÇAS <2 Anos:


 Incidência de 1-2%.
 São incomuns.
 Geralmente grandes e malignos.
 Hidrocefalia e macrocefalia presentes.
 70% supratentoriais, 30% infratentoriais.
 90% TNEP originam-se no vermis.

TUMORES MAIS COMUNS LOCALIZAÇÃO


1- TNEP (Neuroblastoma) Infratentorial
2- Teratoma (RN) Supratentorial
3- Astrocitoma (anaplásico) Supratentorial

CRIANÇAS 2-15 Anos:


 Incidência 15%.
 Maioria são neoplasias primarias.
 Metástase são raras.
 Pico 4-8 anos.
 52% supratentoriais com convulsões, déficit neurológico.
 48% infratentoriais com náuseas e vômitos.

SUPRATENTORIAIS INFRATENTORIAIS
1- Astrocitoma 1- Astrocitoma cerebelar
2- Craniofaringioma 2- Glioma de tronco cerebral
3- Glioma opticoquiasmático 3- Meduloblastoma (TNEP-MB)

ADULTOS:
 Tumores primários 35-45%, metástase 65-55%.
 Aprox. 80-85% tumores intracranianos ocorre em adultos.
 Predomínio supratentorial.
 Infratentoriais são incomuns e de lesões extra-axiais.
 Supratentoriais (75-80%) → Convulsões, déficit neurológicos focais, náuseas, vomito, cefaléia e
sintomas visuais.
 Infratentoriais 15-20% apresentam hipertensão intracraniana e predominam as metástases.

SUPRATENTORIAL INFRATENTORIAS
1- Astrocitoma 50% (anaplásico ou glioblastoma) 1- Schwannoma (Extra-axial)
2- Meningioma 15-20% 2- Meningioma (Extra-axial)
3- Adenoma hipofisário 7% 3- Epidermóide (Extra-axial)
4- Oligodendroglioma 5% 4- Metástase
5- Metástase 20% 5- Hemangioblastoma (Intra-axial e incomum)
6- Linfoma 1-2% (incomum) 6- Glioma de tronco cerebral (incomum)
7- Ependimoma (raro) 7- Papiloma de plexo coróide (raro)
TUMORES QUE MAIS CALCIFICAM
1- Oligodendroglioma
2- Ependimoma
3- Ganglioma
4- Astrocitoma
5- Craniofaringioma

 Tumor intra-axial mais comum e Astrocitoma.

 Tumores na fossa posterior geralmente são mais comuns em crianças e adolescentes.

 Tumores de tronco cerebral são tipicamente gliomas particularmente nas crianças.

 Tumores dos hemisférios cerebelares são mais freqüentes nos adultos, sendo as
metástases. Nas crianças são astrocitomas.

 Tumor mais freqüente do SNC e metástase.

 Tumor de primário de cérebro mais freqüente é o glioblastoma multiforme.

 Metástase cerebral mais freqüente no ♂ é o carcinoma broncogenico.

 Metástase cerebral mais freqüente no ♀ é o carcinoma de mama.

 Tumor com predileção para fazer metástase no SNC é o melanoma.

 Astrocitoma e o tumor cerebral mais freqüente nas crianças.

 Meduloblastoma é o tumor cerebral maligno mais freqüente em crianças. Sua


apresentação debuta com hipertensão intracraniana.

 Glioblastoma multiforme é o tumor cerebral de pior prognostico.

 Oligodendroglioma é um tumor epileptogenico.

 Tumores que mais sangram são: Glioblastoma multiforme, oligodendroglioma y


adenoma hipofisário.

 As metástases que mais freqüentemente sangram são: Coriocarcinoma, melanoma,


pulmão e tireóides.

 Tumor intramedular mais freqüente no adulto é Ependimoma.

Alfredo Altuzarra N. R2 – Radiologia SCMRJ


TUMORES DO SNC INTRA-AXIAIS
ASTROCITOMAS IDADE PATOLOGIA LOCALIZAÇÃO CLINICA TC RM
T1: São císticos aparecem
Massa arredondada iso/hipodensa iso/hipointensos.
Massa circunscrita não capsulada de
PILOCÍTICO I Ao redor de III e IV ventrículo, com componente cístico por seu alto T2: Hiperintensos com realce apos
5-15 Anos crescimento lento pode ser cístico ou Indolentes
(5-10%) quiasma óptico, cerebelo. conteúdo protéico, calcificações gadolínio.
solido.
10%. Porção cística semelhante ao líquor
T1, T2, FLAIR.

BAIXO SUBEPENDIMÁRIO Lesão heterogênea com região


iso/hipodensa. Massa focal com T1: Lesão iso/hipointensa.
GRAU DE CÉLULAS Ocorre na esclerose tuberosa. Cistos Síndrome de obstrução
♀ < 20 Anos Forâmen Magno ventrículos dilatados. Calcificação e T2: Hiperintensa. Reforço intenso
GIGANTES I são comuns. Necrose e rara. ventricular
cistos comuns. Reforço forte com apos gadolínio.
(10-15%) contraste.

Massa Iso/hipodensa ao cérebro.


BENIGNO II Crianças ♂ Massa não capsulada bem delineada Lobos frontais e temporais, Convulsões nas crianças. T1: Iso/hipointenso ao parênquima
Não hemorrágicos. Pode ter cistos.
(10-15%) 20-40 Anos ou difusamente infiltrante córtex. Nos adultos são raros. cerebral. T2 e FLAIR: Hiperintenso.
Calcificação 15-20%.

Tumor de densidade mista sem T1 e T2: Lesão pobremente delineada


ANAPLÁSICO III Lesão difusamente infiltrativa com Hemisférios cerebrais Convulsões e os déficits
40-60 Anos contraste. Calcificações são com intensidade heterogênea.
(20-25%) margem pobremente delineada. (frontais e temporais). neurológicos focais.
incomuns. Halo irregular de reforço. T1 com gadolínio: Halo irregular.

Substancia branca de lobos


Massa solitária ou múltipla com Massa com região central hipodensa T1: Massa de sinal mista pobremente
GLIOBLASTOMA frontal e temporal.
ALTO ♂ > 50 Anos
necrose central e pobremente
Compromisso do corpo calloso.
Convulsões, déficit e na periferia e heterogênea. delineada com necrose ou cisto.
GRAU MULTIFORME IV raro < 30 Anos
delineada. Hemorragia intramural
Metástase fora SNC raras.
neurológico focal e Calcificação e rara. Apos contraste T2: Massa heterogênea com necrose
(45-50%) comum. Disseminação rápida e sintomas similares aos AVC. reforço forte halo irregular e central e hemorragias em vários
Metástase para LCR, meninges,
difusa. espesso. estágios.
subaracnóides, pia-máter.

GLIOSSARCOMA 5ta - 7ma década Tumor raro, firme lobulado com Similar ao GBM. Com contraste T1 e T2: Lesão heterogênea,
Lobos temporais.
(2%) da vida. áreas centrais necróticas. hiperdenso com reforço homogêneo. hemorragia e necrose e comum.

Nervos ópticos, vias compactas Lesão infiltrativa mal definida com


Proliferação de células gliais em
Qualquer idade. da substancia branca, corpo Hidrocefalia de Não identifica ou discreta área mínimo realce heterogêneo
GLIOMATOSE CEREBRAL 3ra - 4ta década.
múltiplas áreas cerebrais sem alterar
calloso, fórnix, pedúnculos normopressão hipodensa sem efeito de massa. predominantemente na sustância
seu padrão arquitetural.
cerebelares. branca.

Pode ser baixo ou alto grau. Mais Mais comum na ponte ou IV Caquexia, falha para Iso/hipodenso e apresenta realce T1: hipossinal.
GLIOMAS DE TRONCO
♂ crianças comum de baixo grau. Pode estar ventrículo e podem envolver a alimentação, apos contraste. Hemorragia e T2: Hipersinal.
CEREBRAL associado com NF-I. artéria basilar. hiperatividade. calcificações são raras. Realce variável.

Lesão solida expansiva.


Proptose dolorosa, perdida
GLIOMAS DE VIAS ÓPTICAS Pilocítico ou fibrilar. Qualquer porção das vias Lesão variável iso/hipodensa com T1: Iso/hipointensa.
da visão, afeita hipotálamo,
(2%) Associado com NF-I. ópticas ate os lobos occipitais. realce apos contraste. T2: Hiperintensa e realce variável
hidrocefalia.
apos gadolínio.
TUMORES DO SNC INTRA-AXIAIS
TUMOR IDADE PATOLOGIA LOCALIZAÇÃO CLINICA TC RM
♂ Crianças 1-5A Massa lobulada de crescimento
60% Infratentorial no IV Massa heterogênea em relação ao Massa que se amolda ao IV ventrículo
EPENDIMARIOS

Pico adulto 30 lento. Particularmente cística com Desequilíbrio, náuseas,


EPENDIMOMA ventrículo. cérebro. 50% têm calcificações. T1: Lesão iso/hipointensa.
Anos. protrusão por os foramens de saída vomita, cefaléia, ataxia e
(2-8%) 40% Supratentorial extra- Reforço apos contraste e T2 e FLAIR: Hiperintensa.
Associação familiar para as cisternas liquoricas nistagmo, hidrocefalia.
ventricular. heterogêneo. Reforço variável apos gadolínio.
cromossoma 22. adjacentes.

Tumor benigno raro. Parte inferior do IV ventrículo, Assintomáticos. Massa bem delineada Iso/hipodensa T1: Iso/hipointenso ao cérebro.
SUBEPENDIMOMA 40-60 Anos Massa avascular intraventricular corno frontal do ventrículo Sintomáticos com ao cérebro. Pouco reforço apos T2: Hiperintenso.
firme bem delineada. lateral. hidrocefalia obstrutiva. contraste. Sem reforço apos gadolínio.

Lesão bem definida


Pineal e supra-selar os locais Marcadores tumorais como T1: Hiperintenso.
50-80% Tumores da região pineal. iso/hiperatenuante com intenso
GERMINOMA ♂ 10-30 Anos α-fetoproteina, β-HCG,
GERMINAIS

preferidos. Outros locais são T2: Hipointensos.


Tumor mais comum. realce homogêneo pelo meio de
tálamo e núcleos da base. antígeno Reforço apos contraste.
contraste.
carcinoembrionario,
♂ Crianças jovens 2do mais comum. 15% das massas fosfatasa alcalina Massa heterogênea variável com gordura, cistos, cartilagem, cabelo,
TERATOMA < 15 Anos pineais. Pode ser maligno ou benigno
Região pineal. placentária. calcificações.

CORIOCARCINOMA 0-10 Anos Niveles altos de β-HCG Achados inespecíficos


Supratentorial:
Hidrocefalia com dilatação
75% são iso/hipodensos ao cérebro.
Crianças: Trigono do ventrículo ventricular assimétrica T1: Isointenso.
PLEXO CORÓIDE

> 85% em crianças 25% são variáveis.


PAPILOMA < 5 Anos
Massa globular avermelhada lateral. (criança).
Reforço intenso apos contraste e
T2: Iso/hiperintenso.
Adulto: IV ventrículo. Infratentorial: Hidrocefalia, Reforço intenso apos gadolínio.
levemente heterogêneo.
ataxia, cefaléia, paralisia de
nervos cranianos (adulto).
Massa bem definida com
alargamento de cavidade ventricular Iso/hipodenso e apresenta realce
♂ crianças T1: Iso/hiper/hipossinal.
CARCINOMA 2-4 Anos.
e extensão para parênquima Ventrículos laterais Hidrocefalia apos contraste. Hemorragia e
T2: Hipersinal.
adjacente com edema e calcificações são raras.
deslocamento da linha media.
HTIC 85%, hidrocefalia,
Os pequenos pineocitomas são radiologicamente indistinguíveis dos cistos
PINEOCITOMA ♂=♀ Lesão bem diferenciada que cresce invasão do III ventrículo e
Região pineal. benignos pineais.
(1%) Pico 34 Anos lentamente, raramente dissemina. hipotálamo. Snd Parnaud
Os maiores parecem similares as outras neoplasias mais agressivas.
PINEAIS

75%.

Pode estar associado com


PINEOBLASTOMA Crianças jovens TNEP grande invasivo não capsulado Região pineal.
retinoblastoma bilateral.
Achados imagenológicos inespecíficos.

Alfredo Altuzarra N. R2 – Radiologia SCMRJ


TUMORES DO SNC INTRA-AXIAIS
TUMOR IDADE PATOLOGIA LOCALIZAÇÃO CLINICA TC RM
75% vermis (linha media).
♂ Lesão bem circunscrita Cefaléia, náuseas, vomita. Lesão hiperdensa com reforço forte T1: Hipointenso.
MEDULOBLASTOMA 25% parte lateral da fossa do
EMBRIONÁRIOS

75% < 15 Anos. moderadamente homogênea. Déficits visuais e motores apos contraste. Hemorragias e T2: Variável.
(TNEP-MB 15-25%) cerebelo.
25% 24-30 Anos Metástase precoce pelo LCR. são comuns. Hidrocefalia. calcificações são raras. Reforço variável apos gadolínio.
Adultos 63% supratenrorial.

T1 e T2: Massa heterogênea com


HTIC sinal variável. Reforço apos gadolínio
Massa heterogênea hiperdensa que
NEUROBLASTOMA 80% 0-9 Anos Massa compacta com necrose, cistos, Supratentorial e mais comum Associado com Snd Turcot de leve a moderado. Cortes com
realça forte apos contraste. Exceto
(TNEP <1%) ♂=♀ hemorragia. nos lobos parietais. (pólipos colônicos), Snd reforço são uteis para detectar
em SIDA onde tem reforço anelar.
Gorlin (nevo basal). disseminação meningea o implante
subaracnóideo.

GANGLIONEUROMA T1: Hipointenso. T2: Hiperintensos.


Criança e Adultos Convulsões, signos de
(↑neuronas) Cisto com nódulo mural e Lobos temporal e frontal. Iso/hipodenso. Cistos heterogêneos
jovens. Pico 30 aumento de pressão
GANGLIOMA calcificações. 5% são múltiplos. 30-40% calcificações. T1: Hipointensos e T2: Hiperintensos.
MISTOS

Anos intracraniana.
Realce variável apos contraste.
(↑ gliais)

Cefaléia, signos de Iso/hiperdenso no interior do Lesão heterogênea. T1: isointensas.


NEUROCITOMA Adulto jovens. Massa bem definida lobulada e Ventrículos laterais próximo ao
aumento de pressão ventrículo com calcificações irregular. T2: Variável. Reforço variável apos
CENTRAL Pico 30 Anos intraventricular com calcificações. Forâmen de Monroe.
intracraniana. Leve reforço apos contraste. gadolínio.

Lesão focal bem circunscrita da


90% supratentoriais. Tumor de crescimento
OLIGODENDROGLIOMA substancia branca que pode expandir Lesão iso/hipoatenuante com T1: Predomínio iso/hipointensos.
♂ Adulto 10% Infratentoriais. lento.
para córtex e leptomeninges. calcificações superficiais. T2: Hiperintensos.
(2-4%) 35-45 Anos Lobos frontais sitiam mais 60%convulsões.
Calcificações comuns. Necrose e Realce variável. Realce apos gadolínio variável.
comum. 20% cefaléia.
hemorragia incomuns.

♂ = ♀ crianças e Cefaléia, deficiências Muito variável.


75% Rx de crânio evidencia-se erosão
CRANIOFARINGIOMA adultos jovens. Massa cística lobulada bem endocrinológicas. T1: Cisto hipointenso.
selar. 90% parcialmente cístico,
Pico 8-12 Anos delineada. 2do tumor mais comum Região selar/supraselar Alterações visuais. T2: Cisto hiperintenso.
(3-5%) calcificado com reforço nodular em
2do Pico nas crianças Rebaixamento do nível de Apos gadolínio se reforçam forte e
halo.
40-60 Anos. consciência. heterogeneamente.

60% cístico com nódulo. 40% sólidos.


80% cerebelo.
HEMANGIOBLASTOMA Adultos 40-60 Massa bem circunscrita. Necrose Cisto de baixa densidade com nódulo T1: Cisto hiperintenso ao LCR.
3-13% medula.
Anos. Raro nas tumoral, hemorragia, calcificações mural com reforço forte lateral a T2: Cisto hiperintenso ao cérebro.
(1-2,5%) 2-3% bulbo
crianças. são raras. 25% associado com Snd superfície pial. Reforço intenso apos gadolínio.
Podem ser múltiplos.
Van Hippel-Lindau.

Alfredo Altuzarra N. R2 – Radiologia SCMRJ


TUMORES DO SNC EXTRA-AXIAIS
TUMOR IDADE PATOLOGIA LOCALIZAÇÃO CLINICA TC RM
Não na linha media.
Colesterol cristalino solido. Angulo ponto cerebelar. T1: Hipointenso.
EPIDERMOIDE Lobulado, atenuação de líquor sem
20-60 Anos Sem apêndices dérmicos. Cisterna da pineal. T2: Hiperintenso.
(0,2-1%) realce pode ter calcificação.
CISTOS

Raramente rompem. Cisterna supraselar. FLAIR: Hiperintenso.


Fossa media

Colesterol liquido. Linha media. T1: Hiperintenso.


DERMOIDE
30-50 Anos Apêndices dérmicos. Supratentorial e mais comum Atenuação de gordura. T2: Hipointenso.
(0,04-0,6%) Comumente rompe nos lobos parietais. FLAIR: Hiperintenso.

T1: Iso/Hipointenso.
Tumor raro de crescimento lento de
Tumor de linha media que se Lesão bem delimitada associada com T2: Hiperintenso.
CORDOMA ♂ Adultos comportamento invasivo, raramente
origina no clivus. destruição óssea. Realce intenso apos gadolínio de
da metástase.
aspecto heterogêneo.
ÓSSEOS

Disfunção de nervos
cranianos com T1: Iso/Hipointenso.
Paramediana originando-se no
acometimento da T2: Hiperintenso.
CONDROSARCOMA 30-40 Anos Tumor maligno cartilaginoso. plano da fissura petro-
motricidade ocular e
40% presença de calcificações.
Realce intenso apos gadolínio de
occitpital em 66% dos casos.
funções vestíbulos- aspecto homo/heterogêneo.
cocleares

Tumor heterogêneo com presencia Associado com NF-II. 10% T1: Hipointenso ao parênquima
MENINGIOMA Pico 40-60 Anos. 70-75% hiperdensos.
de calcificações, cistos, hemorragias. Mais comum hoz do cérebro. sintomáticos com cerebral.
Raro em crianças. 20-25% calcificado.
(15-20%) Preferência supratentorial. Convexidade e ala esfenoidal. convulsões, hemiparesia, T2 e FLAIR: Iso/hiperintenso.
♀ 90% reforço forte.
Pode ser benigno ou maligno. déficit no campo visual. Realce forte apos gadolínio.

VIII tinitus, perda auditiva


neurosensitiva. Outros são
Tumor benigno de crescimento lento. compressão do tronco
♀ 5ta - 6ta década da Arredondados ou lobulados cerebral, hidrocefalia Isodenso ao parênquima cerebral, T1: Hipointenso.
SCHWANNOMA Mais comum (VIII) Angulo
vida. encapsulados e bem delineados. obstrutiva. V (Gasser) reforço forte apos contraste. T2: Hiperintenso.
(6-8%) ponto cerebelar.
Raro em crianças. Degeneração cística, necrose são disfunção trigeminal com Calcificação e hemorragia são raros. Realce intenso apos gadolínio.
comuns. Múltiplos NF-II. dor, fraqueza dos músculos
mastigatórios, exoftalmia,
diplopia.

Qualquer idade.
T1: Hipointenso.
LINFOMA Imunocompetentes Massa relativamente bem Substancia branca profunda. Convulsões
Hiperdensos e reforço forte e T2: Iso/Hiperintenso.
60 Anos. circunscrita difusamente infiltrativa. Periventricular. Cefaléia
(1-2%) homogêneo apos contraste. Realce moderado e homogêneo
Imunocomprometidos Não Hodking - B. SIDA múltiplos. Déficit neurológicos focais.
apos gadolínio.
33 Anos.

Pulmão 39%
Múltiplos na junção cortiço T1: Iso/Hipointenso.
METÁSTASE Qualquer idade Mama 17%
subcortical.
Lesões Iso/hipodensas
T2: Isointenso.
Melanoma 11%