Вы находитесь на странице: 1из 22

SARESP

2ª Série / 3º Ano do Ensino Fundamental

Roteiro de Correção das Provas


Língua Portuguesa
ROTEIRO PARA A CORREÇÃO DAS
PROVAS 2ª SÉRIE / 3º ANO DO
ENSINO FUNDAMENTAL

LÍNGUA PORTUGUESA
ORIENTAÇÕES GERAIS

As provas de Língua Portuguesa aplicadas aos alunos da 2ª série/3º ano do Ensino Fundamental
são compostas por questões abertas que buscam avaliar o nível de conhecimento sobre o
sistema de escrita, a capacidade de ler com autonomia e a competência escritora do ponto de
vista discursivo alcançados pelos estudantes ao final desta série. As provas da 2ª série / 3º ano
EF são compostas por 8 questões.
As questões da prova da 2ª série /3º ano e EF desdobram-se em 14 itens.
Para iniciar a correção da prova o professor deve estar de posse:
 do caderno de prova de Língua Portuguesa de cada aluno da turma que
respondeu a prova;
 da lista de presença da turma; e
 da folha de respostas de cada aluno da turma, pré-identificada com o seu nome
e RA.

Atenção!
Se houver algum aluno que não esteja incluído na turma, utilizar folha de
respostas reserva. No caso de impossibilidade de identificação do aluno, a
partir do registro do nome na folha de respostas, o professor deve escrever
o nome correto utilizando o espaço em branco logo acima do nome
impresso. Anotar essa ocorrência na lista de presença e solicitar que a escola
providencie a alteração do nome no Cadastro de Alunos da Prodesp.

3
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

Para orientar o processo de correção e codificação da prova, elaboramos este roteiro:


 para cada um dos itens, foram criadas algumas categorias de respostas;
 as categorias de respostas dos itens são indicadas por códigos representados
pelas letras A, B, C, D e E. Assim, cada categoria (identificada por uma letra)
apresenta uma descrição com exemplo do tipo de resposta que pode ser
observado no processo de análise da produção da criança. O objetivo, aqui, é
que os professores utilizem as definições e os exemplos como critérios para a
avaliação do desempenho dos alunos.

Para corrigir cada item, o professor deve:


 ler atentamente a instrução para a correção de cada item, verificando qual foi
a resposta do aluno;
 classificar a resposta do aluno de acordo com a categoria de respostas na qual
ela se enquadra, identificando o código correspondente A, B, C, D ou E;
 transcrever esse código para a folha de resposta de cada aluno, marcando, no
alvéolo correspondente ao item, o código da categoria de respostas.

Observação Importante!
Quando as respostas forem numéricas elas poderão ser escritas por meio de
algarismos ou por palavras.

4
INSTRUÇÕES PARA CORREÇÃO

Questão 1 – Escrita do próprio nome

Esta questão pretende avaliar o conhecimento do aluno sobre a forma escrita de seu próprio
nome.
Categorias de respostas
A) escreveu o nome e pelo menos um sobrenome.
B) escreveu somente o nome.
C) escreveu de forma não-reconhecível.
D) não escreveu.

Questão 2 – Escrita de uma lista de palavras – sistema de


escrita

Esta questão pretende avaliar o nível de conhecimento dos alunos sobre o sistema de escrita,
ou seja, procura verificar como cada um compreendeu até este momento o funcionamento e
as regras de geração da escrita.
Para ajudar a análise das escritas apresentadas na avaliação, exemplificaremos cada indicador
com possibilidades de escritas para uma lista de frutas.

5
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

Categorias de Respostas
Avaliar se, do ponto de vista do sistema de escrita, o aluno:
A) escreve com correspondência sonora alfabética e ortografia regular.
O aluno apresenta uma escrita convencional, com correspondência sonora alfabética e a grafia
correta das palavras.
MELANCIA
PITANGA
MORANGO
CAQUI
PERA

B) escreve com correspondência sonora alfabética.


O aluno apresenta uma escrita com correspondência sonora alfabética, mas com erros
ortográficos, ou seja, não escreve seguindo a forma ortograficamente correta das palavras.
MELASIA
PITAGA
MORAGO
CAKI
PERA

C) escreve com correspondência sonora ainda não alfabética.


Este critério envolve as escritas silábicas, tanto sem valor sonoro convencional como com valor
sonoro convencional (quando o aluno usa uma letra para representar cada sílaba que compõe
a palavra), e a escrita silábico-alfabética (ora usa uma letra para representar a sílaba, ora usa
mais do que uma letra para essa representação, a partir de uma análise interna da sílaba. As
escritas silábico-alfabéticas sempre apresentam valor sonoro convencional, ainda que com
falhas).
Isso quer dizer que, neste bloco, devem ser incluídas as produções dos alunos que apresentem
uma escrita com correspondência sonora (as letras correspondem quase sempre a segmentos
silábicos da palavra falada), porém ainda não alfabética.

6
Escrita com correspondência sonora silábica, sem valor sonoro convencional:
JOBS para MELANCIA
OIC para PITANGA
BSO para MORANGO
OP para CAQUI
AB para PERA
A indicação de que se trata de escrita silábica sem valor sonoro convencional é dada pelo
fato de a quantidade de letras de cada item da lista corresponder ao número de sílabas que
a palavra realmente tem. Mesmo que isto não se mantenha na escrita dos dissílabos, pois é
muito comum a exigência de quantidade mínima de letras igual ou maior que três letras.
Escrita com correspondência sonora silábica, com valor sonoro convencional:
ELIA para MELANCIA
PTH para PITANGA
MAO para MORANGO
CI para CAQUI
EA para PERA
OU
MACA para MELANCIA
ITA para PITANGA
ORO para MORANGO
KI para CAQUI
PA para PERA

A indicação de que se trata de escrita silábica com valor sonoro convencional é dada pelo
fato de a quantidade de letras de cada item da lista corresponder ao número de sílabas que
a palavra realmente tem, e pelo fato de as letras usadas para escrever cada palavra da lista
corresponderem a uma parte sonora da sílaba, como se pode verificar no exemplo acima: para
melancia, a criança escreveu: E para ME, L para LAN, I para CI e A para A. Mesmo que isto não
se mantenha na escrita dos dissílabos, pois é muito comum a exigência de quantidade mínima
de letras igual ou maior que três letras.
Ainda neste bloco, também devem ser incluídas as escritas que revelem a contradição entre
a hipótese silábica e o controle da quantidade mínima de letras exigida por alguns alunos. Em
outras palavras, isso quer dizer que alguns alunos passam por uma contradição, que é a de
escrever uma letra para cada sílaba (com valor sonoro convencional), mas pensar que, para
sua escrita ser interpretável, sejam necessárias mais letras, como por exemplo:

7
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

SCARSNDM para Salsinha – este aluno escreveu S para sal, C para si e A para nha, mas colocou
outras letras, por entender que apenas três não seriam suficientes. Podemos dizer que este
aluno escreve com correspondência sonora ainda não alfabética, apesar de não escrever
estritamente uma letra para cada sílaba. A pista que nos permite reconhecer este tipo de
escrita é a presença sistemática de letras com valor sonoro convencional no início da escrita
de cada item da lista. Este tipo de escrita pode aparecer em toda a lista, ou apenas a partir das
palavras trissílabas ou dissílabas.
Escrita silábico-alfabética:
MELIA para MELANCIA
PITHA para PITANGA
MOAGO para MORANGO
CAI para CAQUI
PEA para PERA

A indicação de que se trata de escrita silábico-alfabética é dada pelo uso de ora uma letra para
representar a sílaba, ora o uso de mais do que uma letra para essa representação, a partir de
uma análise interna da sílaba. As escritas silábico-alfabéticas sempre apresentam valor sonoro
convencional, ainda que com falhas.
D) escreve aparentemente sem correspondência sonora.
O aluno apresenta uma escrita que não estabelece correspondência entre segmentos do falado
e segmentos do escrito. Neste bloco devem ser incluídas:
 as garatujas (linhas onduladas, contínuas ou fragmentadas, bolinhas...) [Ver
exemplo na escrita de Caroline no vídeo Construção da Escrita: Primeiros Passos
do Programa Letra e Vida];
 as escritas unigráficas (escrevem somente uma letra para cada palavra) [Ver
exemplo na escrita de Johnny William no vídeo Construção da Escrita: Primeiros
Passos do Programa Letra e Vida];
 as escritas que são consideradas completas apenas quando alcançam o limite
do papel. [Ver exemplo na escrita de Guilherme Cruz no vídeo Construção da
Escrita: Primeiros Passos do Programa Letra e Vida];
 escritas com controle da quantidade de letras, isto é, que se situam entre um
mínimo (em torno de 3 letras) e um máximo (que pode variar, mas não pode ser
determinado espacialmente);
 com diferenciação intrafigural (variação qualitativa das letras dentro de cada
item da lista). [Ver exemplo na escrita de Natália no vídeo Construção da Escrita:
Primeiros Passos do Programa Letra e Vida];
 com diferenciação interfigural (produzindo diferenças de tipo quantitativo e/ou
qualitativo entre os itens da lista). [Ver exemplo na escrita de Bruna no vídeo
Construção da Escrita: Primeiros Passos do Programa Letra e Vida]. Ver texto:
Existe vida inteligente no período pré-silábico? Profa. Telma Weisz, no material
impresso do Programa Letra e Vida. Obs.: É comum que essas escritas tenham
como repertório de letras muitas das que fazem parte do nome do aluno.

8
Por exemplo, um menino chamado Pedro pode escrever:
DRON – MELANCIA
ROND – PITANGA
E) ausência de resposta.

Questão 3 - Escrita de trecho de um poema

Esta questão pretende avaliar o nível de conhecimento dos alunos sobre o sistema de escrita,
ou seja, procura verificar como cada um compreendeu até este momento o funcionamento e
as regras de geração da escrita.
A escrita do poema pela classe será avaliada a partir dos seguintes aspectos:
 sistema de escrita;
 segmentação do texto em palavras.

A questão 3 se desdobra em dois itens: 3.1 e 3.2.

Item 3.1. – Reescrita de trecho de um poema – sistema de escrita

Categorias de respostas
A) escreve com correspondência sonora alfabética e ortografia regular.
B) escreve com correspondência sonora alfabética.
C) escreve com correspondência sonora ainda não alfabética.
D) escreve aparentemente sem correspondência sonora: garatujas, escritas unigráficas,
escritas sem controle da quantidade de letras, escritas com controle da quantidade de
letras, com diferenciação intrafigural (variação das letras dentro de cada item da lista), com
diferenciação interfigural (produzindo diferenças de tipo quantitativo e/ou qualitativo entre
os itens da lista).
E) ausência de resposta.

Item 3.2. – Reescrita de trecho de um poema – segmentação do texto em palavras

Categorias de respostas
A) segmenta o texto em palavras – o aluno escreve realizando a separação convencional
entre as palavras.

9
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

B) presença sistemática de hipossegmentação e/ou hipersegmentação - o aluno escreve


realizando algumas separações entre as palavras, nem sempre, no entanto, de forma
convencional. Diz-se hipossegmentação quando o aluno escreve junto o que é para escrever
separado (ex.: “erumaveis”, “derepente”...); e hipersegmentação quando, no esforço de não
“grudar” palavras, acaba separando o que se escreve junto (ex.: “de vagar”, “des cola do”,
“gela deira”...).
C) não segmenta o texto em palavras – o aluno escreve as palavras continuamente, sem
qualquer separação entre elas.
D) ausência de resposta.

Questão 4 – Leitura de um trecho de uma cantiga

Esta questão pretende avaliar se, sabendo o texto de cor e informado do que está escrito em
cada linha, o aluno consegue localizar algumas das palavras do texto (sempre textos conhecidos
ou que possam ser facilmente memorizados na própria situação de avaliação).

Categorias de respostas
A) marcou pelo menos cinco (05) das palavras ditadas.
B) marcou pelo menos três (03) das palavras ditadas.
C) marcou aleatoriamente.
D) não marcou nada.

Atenção!
A categoria “marcou pelo menos cinco (05) das palavras ditadas” considera
que o aluno conseguiu localizar as quatro (04) palavras com significado
pleno e, além destas, pelo menos uma (01) das palavras gramaticais. A
categoria “marcou pelo menos três (03) das palavras ditadas” considera que
o aluno conseguiu localizar a maioria das palavras com significado pleno.
Essa diferenciação está relacionada ao fato de que as palavras gramaticais
(conjunções, artigos, preposições e suas contrações) são as mais difíceis de
serem localizadas numa situação de leitura dos que ainda não sabem ler.
As formas de marcar a seguir estão relacionadas à categoria marcou
aleatoriamente:
DEDO MINDINHO (marcou o verso todo)
SEU VIZINHO
MAIOR DE TODOS (juntou duas palavras)
FURA BOLO
MATA PIOLHO (juntou parte de uma palavra com a outra)

10
Questão 5 – Reescrita de trecho de uma história

A questão 5 se desdobra em dois itens: 5.1 e 5.2.


Reescrita de um trecho de um conto conhecido
Reescrever um conto conhecido é uma situação de produção textual com apoio : reescreve-se
um conto cujas informações principais são conhecidas, pois estão presentes no conto. Então a
referência para a produção é um texto escrito. Quando os alunos aprendem o enredo de um
conto, também costumam aprender algo da forma, da linguagem que se usa para escrever,
diferente da que se usa para falar. E se utilizam dessa linguagem na reescrita colocando-se
como escritor do conto.
Ao realizar este tipo de tarefa, espera-se que os alunos utilizem um formato que caracterize
o gênero conto, expressões da linguagem escrita, tempos verbais adequados, seleção das
informações pertinentes à comanda da produção do conto e elementos para unir os enunciados
e dar coesão ao texto produzido.

Item 5.1. – Reescrita de um trecho de uma história - garantindo a presença dos


acontecimentos narrados

Categorias de respostas:
A) reescreveu garantindo a presença da maioria dos acontecimentos narrados.
B) reescreveu garantindo pelo menos a metade dos acontecimentos narrados.
C) reescreveu menos da metade dos acontecimentos narrados.
D) presença de escrita, mas não o solicitado.
E) ausência de escrita.

Para efeito de quantificação dividimos o trecho a ser reescrito em blocos de acontecimentos


ainda que, obviamente, a produção dos alunos não se resuma aos itens listados e sim ao
desenrolar dos acontecimentos narrados.

11
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

PROVA DA MANHÃ
(A BELA ADORMECIDA)
1. Príncipe consegue atravessar o espinheiro
2. Todos dormiam (cães, pombos, ... o rei e a rainha)
3. O príncipe encontrou a princesa dormindo
4. Ele beijou-a
5. Ela acordou
6. Todos acordaram
7. O príncipe casou-se com a Bela Adormecida
PROVA DA TARDE
(O PRÍNCIPE RÃ)
1. Rei obriga a princesa a cumprir sua promessa
2. Princesa leva a rã para o quarto e põe no chão
3. Rã exige deitar na cama
4. Princesa joga a rã na parede
5. Rã vira um príncipe
6. Príncipe conta que foi encantado
7. Os dois ficaram noivos (ou casaram)

Item 5.2. – Reescrita de um trecho de uma história - utilizando elementos da


linguagem escrita características dos contos tradicionais

Categorias de respostas
A) produziu texto com características de linguagem escrita, dentro do gênero proposto (conto).
B) produziu texto com algumas características de linguagem escrita, dentro do gênero proposto
(conto).
C) produziu frases que remetem ao conteúdo do conto, mas não chegam a formar um texto.
D) presença de escrita, mas não a solicitada.
E) ausência de escrita.

12
Atenção!
O que se está chamando de “características da linguagem escrita” são
diferentes aspectos da textualidade, como:
 o aluno utiliza elementos característicos da narrativa escrita
para articular os enunciados (Ex.: “mas”, “porém”, “então”,
“enquanto isso”, “no entanto” etc.);
 o aluno utiliza pontuação para dar coesão ao texto;
 o aluno não utiliza elementos da oralidade como ligação entre
enunciados (Ex: “aí”, “daí” etc.);
 o aluno utiliza expressões e tempos verbais adequados ao gênero
(conto) em que está escrevendo e ao que está sendo dito;
 o aluno escreve na posição do narrador e, eventualmente,
também das personagens (discurso direto).
Se pelo menos quatro dessas “características” estiverem presentes em todo
o texto, a avaliação deverá recair sobre a categoria A.
Se a maioria dessas “características” estiver presente em alguns momentos
e em outros não, a avaliação corresponde à categoria B.
As outras possibilidades de avaliação são auto-explicativas.

Questão 6 - Leitura de texto informativo

Esta questão pretende verificar se, a partir da leitura autônoma (isto é, sozinho, sem ajuda) de
um texto informativo, o aluno consegue selecionar informações no texto ou inferir informações
a partir do texto.
A questão 6 se desdobra em dois itens: 6.1 e 6.2.

Item 6.1. – Leitura de texto informativo: localização de informação explícita no texto

Categorias de respostas
A) respondeu mostrando que foi capaz de ler com autonomia.
B) respondeu, mas não mostrou que foi capaz de ler com autonomia.
C) ausência de resposta.

13
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

PROVA DA MANHÃ:
Considere como alternativa A se o aluno escreveu “O pinguim passa a maior parte do tempo
nadando em mares gelados.” Ou “Nadando em mares gelados” ou “Em mares gelados” ou
“No mar” etc.

PROVA DA TARDE:
Considere como alternativa A qualquer resposta desde “Os golfinhos se alimentam de
peixe(s)”ou “Se alimentam de peixe(s) ”ou “De peixe(s)” etc.

Item 6.2. – Leitura de texto informativo: inferência de informação implícita no texto

Categorias de respostas
A) respondeu mostrando que foi capaz de ler com autonomia.
B) respondeu, mas não mostrou que foi capaz de ler com autonomia.
C) ausência de resposta.

PROVA DA MANHÃ:
Na questão “Como o pinguim se protege do frio?”, as respostas que falem das penas, e se
refiram a camadas de ar e de gordura, em baixo da pele, são todas elas respostas corretas.
O fato de estar mais completo ou menos completo não faz diferença desde que a resposta
mostre que o aluno compreendeu o sentido geral do que o texto diz.

PROVA DA TARDE:
Na questão “Por que os golfinhos filhotes dão tanto trabalho para suas mães?”, o que se quer
é verificar se o aluno compreendeu que além de amamentá-lo, ela precisa também levá-lo
de vez em quando para respirar fora d’água.

Atenção!
 a completude ou não da resposta não afeta o resultado, pois
o que queremos saber é se o aluno é capaz de ler ou não com
autonomia.
 o aluno pode responder mostrando que entendeu o texto, mas
apresentar erros na escrita das palavras. Também deve ser
considerada A, pois não estamos tratando da análise da escrita
e sim da compreensão do que lê.

14
Questão 7 – Leitura e transcrição de uma adivinha

Esta questão pretende avaliar se os alunos sabem copiar, em letra manuscrita, uma adivinha,
introduzindo a separação do texto em palavras, a pontuação e as maiúsculas.
A questão 7 se desdobra em três itens: 7.1, 7.2 e 7.3.

Item 7.1. – Leitura e transcrição de uma adivinha em letra manuscrita

Categorias de respostas
A) copia a adivinha em letra manuscrita.
B) não consegue copiar a adivinha em letra manuscrita.
C) ausência de resposta.

Item 7.2. – Leitura e transcrição de uma adivinha – segmentação do texto em


palavras

Categorias de respostas
A) segmenta o texto em palavras – o aluno escreve realizando a separação convencional
entre as palavras.
B) presença sistemática de hipossegmentação e/ou hipersegmentação – o aluno escreve
realizando algumas separações entre as palavras, nem sempre, no entanto, de forma
convencional. Diz-se hipossegmentação quando o aluno escreve junto o que é para escrever
separado (ex: “erumaveis”, “derepente”...); e hipersegmentação quando, no esforço de não
“grudar” palavras, acaba separando o que se escreve junto (ex: “de vagar”, “des cola do”,
“gela deira”...).
C) não segmenta o texto em palavras – o aluno escreve as palavras continuamente, sem
qualquer separação entre elas.
D) ausência de resposta.

Item 7.3. – Leitura e transcrição de uma adivinha – uso da pontuação e maiúscula

Categorias de respostas
A) presença sistemática de pontuação e/ou letra maiúscula. O aluno divide o texto em pelo
menos três blocos de sentido (o que é o que é, a adivinha propriamente dita e a resposta),
utilizando elementos do sistema de pontuação: sinais de ação e/ou maiúsculas.
B) presença de pontuação e/ou maiúscula. O aluno divide o texto em pelo menos dois blocos
de sentido (pergunta e resposta), utilizando elementos do sistema de pontuação: sinais de
pontuação e/ou maiúsculas.
C) presença de sinais de pontuação e/ou maiúscula usadas de forma inadequada. Por exemplo: o
que, é o que é verde. como o mato mas não é Mato fala como gente Mas não é genTe papagaio.
D) ausência de sinais de pontuação e de maiúscula.

15
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

Atenção!
A pontuação, ao contrário da ortografia, não segue regras estritas. A adivinha
pode ser pontuada de diferentes formas, todas corretas. Como os exemplos
abaixo:
O que é o que é? Verde como o mato mas não é mato, fala como gente mas
não é gente. Papagaio.
O que é o que é? Verde como o mato, mas não é mato. Fala como gente,
mas não é gente. Papagaio.
O que é o que é Verde como o mato mas não é mato Fala como gente mas
não é gente Papagaio.
O que é o que é?
Verde como o mato, mas não é mato
Fala como gente, mas não é gente
Papagaio.
Existem outras situações possíveis e corretas de pontuar a adivinha. O que
não é aceitável, por exemplo, é pontuar entre o sujeito e o verbo e entre o
verbo e seu complemento. Em linhas gerais, não é aceitável a pontuação
que, em lugar de facilitar a leitura, dificulte-a.
A letra maiúscula enquadra-se como um recurso da pontuação, com
exceção do uso nos nomes próprios, porque é usada nos textos para indicar
separações que organizam unidades de sentido. E, na maioria das vezes,
aparece em conjunto com outro sinal de pontuação.

Questão 8 – Produção de um texto a partir da leitura de outro


texto e de um exemplo

Esta questão pretende avaliar a produção de um texto a partir da leitura de outro texto e de
um exemplo.
A questão 8 se desdobra em dois itens: 8.1 e 8.2.

Item 8.1. – Produção de um resumo de um texto expositivo tendo como referência


um exemplo similar, garantindo o uso das informações oferecidas no texto lido.

16
Categorias de respostas:
A) produziu o resumo utilizando pelo menos 6 das informações abaixo.
B) produziu o resumo utilizando 4 ou mais das informações abaixo.
C) produziu o resumo utilizando 3 ou menos das informações abaixo.
D) presença de escrita, mas não o solicitado.
E) ausência de escrita.

PROVA DA MANHÃ
(TARTARUGAS MARINHAS )
Informações:
1. Que elas são muito antigas (podem se referir aos 150 milhões de anos ou ao tempo
dos dinossauros);
2. Estão ameaçadas de extinção;
3. Os caçadores matam as fêmeas e roubam os ovos;
4. Problemas com as luzes das cidades e/ou com a poluição da água;
5. Projeto TAMAR, significado do nome;
6. Objetivo do Projeto é proteger/preservar as tartarugas marinhas;
7. Pescadores/tartarugueiros vigiam os lugares onde elas põem os ovos.

PROVA DA TARDE
(BALEIA JUBARTE)
1. São conhecidas como baleias cantoras;
2. (Durante o verão) alimentam-se de pequenos peixes;
3. É um mamífero e quando amamenta o filhote precisa vir à tona para o bebê respirar
e/ou Ela respira por um buraco no alto da cabeça;
4. Chegam a pesar 40 toneladas e/ou Migram dos mares gelados da Antártida para as
águas quentes da Bahia;
5. Andam em grupos, junto dos barcos, perto das praias e/ou Sofrem com a poluição, o
excesso de barcos e o turismo nas áreas de proteção;
6. O arquipélago de Abrolhos é um verdadeiro berçário de baleias jubarte;
7. O Instituto Baleia Jubarte tem ajudado a preservar os animais, diminuindo o risco de
extinção.

17
Roteiro para Correção das Provas 2ª série/3º ano do EF - Língua Portuguesa

Item 8.2. – Produção de um resumo tendo como referência um exemplo similar,


utilizando a linguagem escrita característica do gênero proposto (texto expositivo)

Categorias de respostas
A) produziu resumo com características de linguagem escrita, dentro do gênero proposto
(texto expositivo).
B) produziu resumo com algumas características de linguagem escrita, dentro do gênero
proposto (texto expositivo).
C) produziu frases que remetem aos dados oferecidos, mas não chegam a formar um texto.
D) presença de escrita, mas não o solicitado.
E) ausência de resposta.

Atenção!
A categoria A - Produziu resumo com características de linguagem escrita,
dentro do gênero proposto (texto expositivo) significa que o aluno:
 selecionou as informações que considerou mais importantes,
sintetizou-as e organizou-as em um discurso impessoal, na 3ª
pessoa.
 Utilizou pontuação para articular o texto com coesão.
 Não utilizou elementos da oralidade como ligação entre os
enunciados (Ex: aí, daí etc.).

A categoria B - Produziu resumo com algumas características de linguagem


escrita, dentro do gênero proposto (texto expositivo), significa que apenas
parte dos elementos descritos acima está sistematicamente presentes.
As outras duas categorias indicam que o aluno não consegue realizar a
atividade segundo a proposta solicitada.
Obs.: tanto nas respostas que se enquadram na categoria A como na
categoria B, o aluno pode apresentar erros na escrita das palavras. Isso
não deve ser considerado, pois não estamos tratando do conhecimento da
ortografia e sim dos aspectos discursivos, da capacidade de produzir um
texto dentro do gênero proposto.

18