You are on page 1of 38

Plano de Aula – Educação Infantil

Professora ____________________________
Grupo _____________________ Turma ____________ Turno
_________
Unidade ____________________ Período Semanal
_________________
Dia, Data
Acolhimento - (Descrição da rotina de chegada. Neste momento,
enquanto a professora recebe as crianças que estão chegando e
organiza material, como mochila e lancheira, os alunos podem está
envolvidos em atividades diversificadas – uma para cada dia da semana,
como: picote, fazer bolinhas de papel, colagem, desenho, pintura,
massinha, lego, leitura de revistinhas e livros de história, etc., todas
previamente preparadas.)
Rodinha - (A roda é essencial ao trabalho educativo com estas séries.
Neste momento, professor e alunos interagem, fazendo oração,
cantando, contando histórias e conversando sobre o assunto do dia.)
Atividade I – (Descrição de atividade correspondente ao assunto
trabalhado)
Lanche e recreação – (É importante diversificar a rotina de lanche,
promovendo lanche coletivo, piquenique, etc. A recreação pode ser livre,
com a atenção do professor e monitor e dirigida, com jogos e atividades
pré-elaborados e descritos neste espaço.)
Momento da Calmaria – (Neste momento, o professor pode realizar
diversas atividades, como relaxamento ao som de músicas tranqüilas,
através de movimentos ou simplesmente deitados; audição de história,
etc.)
Atividade II – (Descrição de atividades de desenvolvimento psico-motor,
sejam elas de escrita, colagem, recorte, ou movimento; abordando
diversos temas de diversas áreas do conhecimento)
Despedida- (música, troca de carinho e gentilezas, recadinhos, etc. – É
importante que a professora e/ou a monitora arrumem e perfumem as
crianças, aproveitando este momento para uma conversa carinhosa a
respeito da higiene pessoal e da alegria que este momento envolve.)
Atividades do dia - (descrição das tarefas do dia para casa e classe,
indicando pág. do livro, quanto for o caso.)
Observações - (Considerações avaliativas após a concretização da aula,
sobre a validade e os efeitos da aula desenvolvida, bem como sobre o
comportamento de cada aluno.)
Desejo que seja útil!
Boa Semana e bom trabalho!
Escola Municipal são Lourenço.
Professora: Carla Aparecida de Mattos Lima
Turma: 2° ano A
Campo Verde - 2010
PROJETO: RECICLAGEM... ENCAIXE ESSA IDÉIA ...
Apresentação

Cada vez mais os restos /resíduos não deverão ser lixo. A reutilização dos materiais
usados – plásticos, papéis, latas, etc. Quando possível é a mais nobre das suas
finalidades.
O que podemos fazer com esses materiais? Muitas coisas úteis. Assim estaremos a
reaproveitar dando novas utilidades aos objetos, valorizando o que não parece útil.
Daremos uma grande contribuição para a política dos 3 Rs que propõem, reduzir,
reutilizar e reciclar e desta forma preservamos o ambiente.

Justificativa

Todos os dias, nesse mundo apressado, as pessoas usam cada vez mais produtos
descartáveis que duram pouco e logo são jogados fora para ganhar tempo e
diminuir o trabalho de limpar ou reaproveitar, agindo dessa maneira, produzimos
montanhas de lixo, sujando nossa rua, bairro e cidade, sem contar os insetos e
animais que o lixo atrai, causando doenças. Apenas 3 palavras resumem o que
temos que fazer a partir de hoje e agora, para melhorar essa situação reduzir
reutilizar e reciclar.

Por essa razão é importante que desde cedo as crianças aprendam a utilizar a
política dos 3 Rs que as crianças quase não tem contato durante uma aula sobre o
meio ambiente, como é importante preservar e reciclar. A turma se empolgou e
resolvemos realizar este projeto, visando a reciclagem de caixas e pet.

Objetivo Geral

Este é um projeto educativo e artístico que visa difundir e estimular a


conscientização ambiental nas crianças e na comunidade, oferecendo uma
oportunidade para o exercício da cidadania.

Objetivos Específicos

• Estimular a reciclagem

• Desenvolver a criatividade.

• Desenvolver a coordenação motora e sua habilidade.

• Realizar visita ao lixão/ COTRAMAR

• Realizar entrevistas

• Realizar oficina- Reciclar pet e papelão com as mães;

• Reconhecer a necessidade de preservar

• Incentivar os alunos a não comprarem produtos que agridam o meio ambiente

Fundamentação teórica
A perda da quantidade de vida é uma conseqüência da degradação ecológica do
planeta. A crise ambiental está cada vez mais está cada vez mais acentuada em
função do aumento do consumismo da alta produção de resíduos, do desperdício,
da miséria da pobreza da exclusão social, da falta de saneamento básico entre
outros fatores. Essas são características de um modelo baseado no capital e no
lucro e no qual os recursos naturais são explorados até o limite. A exploração
desenfreada dos recursos naturais devem parar em prol da continuidade da vida e
na terra. O crescimento populacional e a crescente concentração nas áreas urbanas
só agravam o problema, pois a desanda pelo consumo, como conseqüente elevação
na produção de resíduos fez a economia depender cada vez mais do patrimônio
natural. Nos centros urbanos, o lixo torna –se um problema sério, pois muitas
vezes não recebe tratamento adequado, podendo provocar doenças e contaminar o
ambiente. A população continua uumentando, segundo estatísticas em 2050
atingiram o numero de 10 bilhões. de pessoas mas o que fazer? Rever os padrões
de consumo, principalmente nos países ricos, consumir de forma responsável,
preferir produtos que não agridam o ambiente, reutilizar materiais e reciclar são
ações fundamentais na preservação ambiental.

No Brasil cerca de 55% do lixo não recebe tratamento adequado e


aproximadamente 35% é enviado aos lixões, comprometendo ainda mais, a
qualidade de vida da população, as falsas necessidades de consumo, estimuladas
muitas vezes pela publicidade, fazem com que essa cultura descartável esteja cada
vez mais arraigada na sociedade, privando – nos de uma vida mais saudável.

O lixo nosso de cada dia

Você já parou para pensar quanto lixo cada um de nós produz diariamente? E o
volume de lixo produzido na sua rua, em seu bairro, ou em sua cidade, você sabe
quanto é? Já imaginou qual o destino final de todo esse lixo? Você sabe para onde
ele vai? Alguma vez você já se perguntou sobre as conseqüências negativas que o
lixo produz ao meio ambiente?
A maioria das pessoas não pára para pensar nessas coisas, pois muitos de nós não
compreendemos muito bem esse assunto e alguns na verdade nem se importam
tanto com todos os problemas que podem estar relacionados com o nosso lixo.
O lixo que um bairro, uma cidade ou nação produz está intimamente ligado ao
modo de vida de sua população. Por exemplo, cidades e países industrializados
produzem grande quantidade de lixo inorgânico. Já nas nações em
desenvolvimento, nas pequenas cidades do interior, nos povoados, assentamentos
rurais e nas fazendas, grande parte do lixo produzido é de origem orgânica.
Para quem não se recorda vale lembrar que o lixo orgânico é aquele originado de
quaisquer seres vivos, animais e vegetais, que são facilmente decompostos pela
natureza. Restos de comida, restos de frutas e verduras, restos de plantas (folhas,
galhos, pedaços de madeira, serragem etc.) são alguns exemplos de lixo orgânico.
Por outro lado, o lixo inorgânico é aquele que resulta de produtos industrializados
(plásticos, vidros, metais etc.), que, em geral, são de difícil decomposição pela
natureza, mas que podem ser reciclado pelo homem.
O lixo que produzimos pode ser classificado em quatro grupos :

(1) Lixo domiciliar, produzido nas residências, tais como restos de alimentos e
sacolas plásticas;

(2) Lixo comercial, produzido nos estabelecimentos comerciais como lojas,


butiques, mercearias etc.;

(3) Lixo industrial, produzido nas indústrias, como por exemplo, restos de
matérias-primas e subprodutos da produção; e

(4) Lixo hospitalar, produzido nos hospitais, postos de saúde, clínicas, laboratórios
e farmácias.
O entendimento dos tipos de lixo e suas classificações é importante, pois à cada um
deles deve ser dado uma coleta e destinação diferenciadas.
Existem muitas formas de tratamento do lixo, entre as quais:

(a) aterro sanitário,

(b) incineração,

(c) reciclagem

(d) compostagem.
O “aterro sanitário” é a forma mais comum usada para destinar o lixo no solo. Ele
consiste em espalhar e dispor o lixo em camadas cobertas com material inerte (em
geral, terra e cascalho). Junto com essas medidas são construídos sistemas de
drenagem para os gases (metano etc.) e líquidos (conhecido como chorume), de
forma que não ocorra a poluição do meio ambiente.
A “incineração” consiste na queima controlada do lixo em fornos especialmente
projetados para transformá-lo em cinzas. É um processo de desinfecção pelo calor,
pelo vapor e pela água em elevadas temperaturas, sem a intervenção do trabalho
manual. A incineração possui algumas desvantagens, tais como: alto custo de
instalação e manutenção da usina de incineração; os gases emanados da queima
do lixo são altamente poluentes; e para esse tido de tratamento há a necessidade
de mão-de-obra qualificada.
A “reciclagem” é a transformação do lixo em matéria-prima. As vantagens
econômicas, sociais, sanitárias e ambientais da reciclagem são amplamente
reconhecidas, sendo algumas delas: diminuição da quantidade de lixo a ser
aterrado; economia de energia; e geração de empregos, através da criação de
indústrias recicladoras.
A “compostagem” é o método de tratamento da parcela orgânica existente no lixo.
O processo de compostagem consiste na transformação de restos de origem
vegetal ou animal em adubo a ser utilizado na agricultura e jardinagem, sem
ocasionar riscos ao meio ambiente. A compostagem possui várias vantagens, como
por exemplo: aumento da vida útil do aterro sanitário; aproveitamento agrícola da
matéria orgânica, a usina de compostagem pode ser artesanal, utilizando mão-de-
obra e instalações de baixo custo; além de ser um processo ambientalmente
seguro.
Nenhuma dessas quatro formas de tratamento deve ser vista como algo milagroso,
capaz de solucionar todos os problemas relacionados ao lixo.
Na escolha do modelo de gestão do lixo, todos os setores da sociedade devem
participar. Nós não devemos deixar só a cargo da Prefeitura ou do Governo
Estadual decidir qual será o destino do lixo que produzimos, pois a má gestão da
coleta e destinação final do lixo afeta a todos indistintamente.
A participação coletiva nas ações e trabalhos que envolvam políticas públicas como
o tratamento do lixo é fundamental, mas, além disso, cada um de nós deve
também estar disposto a contribuir individualmente através de pequenos gestos
diários, tais como: não jogar lixo nas ruas, praças, praias e demais áreas públicas;
não pichar monumentos, muros ou fachadas de residências e estabelecimentos
comerciais; depositar o lixo somente nos locais indicados pela prefeitura. Essas são
algumas pequenas ações que podem fazer grandes diferenças para nossa vida e
para o meio ambiente.

Reciclar

Reciclar significa transformar objetos materiais usados em novos produtos para o


consumo. Esta necessidade foi despertada pelos seres humanos, a partir do
momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o
planeta Terra.
Importância e vantagens da reciclagem
A partir da década de 1980, a produção de embalagens e produtos descartáveis
aumentou significativamente, assim como a produção de lixo, principalmente nos
países desenvolvidos. Muitos governos e ONGs estão cobrando de empresas
posturas responsáveis: o crescimento econômico deve estar aliado à preservação
do meio ambiente. Atividades como campanhas de coleta seletiva de lixo e
reciclagem de alumínio e papel, já são comuns em várias partes do mundo.
No processo de reciclagem, que além de preservar o meio ambiente também gera
riquezas, os materiais mais reciclados são o vidro, o alumínio, o papel e o plástico.
Esta reciclagem contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da
água e do ar. Muitas indústrias estão reciclando materiais como uma forma de
reduzir os custos de produção.
Um outro benefício da reciclagem é a quantidade de empregos que ela tem gerado
nas grandes cidades. Muitos desempregados estão buscando trabalho neste setor e
conseguindo renda para manterem suas famílias. Cooperativas de catadores de
papel e alumínio já são uma boa realidade nos centros urbanos do Brasil.
Muitos materiais como, por exemplo, o alumínio pode ser reciclado com um nível de
reaproveitamento de quase 100%. Derretido, ele retorna para as linhas de
produção das indústrias de embalagens, reduzindo os custos para as empresas.
Muitas campanhas educativas têm despertado a atenção para o problema do lixo
nas grandes cidades. Cada vez mais, os centros urbanos, com grande crescimento
populacional, têm encontrado dificuldades em conseguir locais para instalarem
depósitos de lixo. Portanto, a reciclagem apresenta-se como uma solução viável
economicamente, além de ser ambientalmente correta. Nas escolas, muitos alunos
são orientados pelos professores a separarem o lixo em suas residências. Outro
dado interessante é que já é comum nos grandes condomínios a reciclagem do lixo.
Símbolos da reciclagem por material
Assim como nas cidades, na zona rural a reciclagem também acontece. O lixo
orgânico é utilizado na fabricação de adubo orgânico para ser utilizado na
agricultura.
Como podemos observar, se o homem souber utilizar os recursos da natureza,
poderemos ter, muito em breve, um mundo mais limpo e mais desenvolvido. Desta
forma, poderemos conquistar o tão sonhado desenvolvimento sustentável do
planeta.

Exemplos de Produtos Recicláveis


Vidro: potes de alimentos (azeitonas, milho, requeijão, etc.), garrafas, frascos de
medicamentos, cacos de vidro.

Papel: jornais, revistas, folhetos, caixas de papelão, embalagens de papel.

Metal: latas de alumínio, latas de aço, pregos, tampas, tubos de pasta, cobre,
alumínio.

Plástico: potes de plástico, garrafas PET, sacos plásticos, embalagens e sacolas de


supermercado.

O Lixo
Um dever básico do cidadão é não jogar lixo nas ruas. No entanto, pessoas de
variadas classes sociais jogam lixo em qualquer lugar como : parques, praias,
córregos, rios, lagos e outros locais públicos, afetando a qualidade da água e o
meio ambiente.
Jogar lixo nas ruas pode entupir bueiros e causar enchentes. Demonstra falta de
educação. Jogar lixo no chão é ruim para a imagem de qualquer pessoa. É uma
vergonha.
O acúmulo de lixo estimula a proliferação de baratas, de ratos e de doenças.
Cidadãos conscientes fazem a sua parte para que a cidade fique limpa e bonita.
Antigamente o lixo era composto principalmente por materiais orgânicos, como
restos de alimentos, que são degradáveis pela ação da natureza. O lixo do homem
moderno é composto por montanhas de embalagens e outros detritos.

Veja o tempo de decomposição dos materiais :

Material Tempo de Degradação

Latas de Aço 10 anos

Alumínio 200 a 500 anos

Cerâmica Indeterminado

Chicletes 5 anos

Cordas de nylon 30 anos

Embalagens Longa Vida Até 100 anos (alumínio)

Embalagens PET Mais de 100 anos

Esponjas Indeterminado

Filtros de cigarros 5 anos

Isopor Indeterminado

Louças Indeterminado

Luvas de borracha Indeterminado

Metais (componentes de equipamentos) Cerca de 450 anos

Papel e papelão Cerca de 6 meses

Plásticos (embalagens, equipamentos) Até 450 anos

Pneus Indeterminado

Sacos e sacolas plásticas Mais de 100 anos

Vidros indeterminado

O tempo pode variar de acordo com as condições ambientais.

Conteúdos a serem trabalhados

• Ciências – Meio Ambiente e Reciclagem.

• Artes - várias técnicas de artesanato ( recorte, colagem, mosaico, quiling entre


outros).

• Matemática – problemas envolvendo as operações de adição( +) e subtração


(– ), referente ao Meio Ambiente, Gráficos.
• História e Geografia – Zona Rural e Urbana, visita.

• Português – Produção de texto, entrevistas, descrição do lixão, leitura de textos


informativos.

• Atividades impressas sobre o tema ( cruzadinha, caça palavras,envolvendo os


conteúdos listados acima).

Metodologia

• Sondagem sobre o que os alunos sabem referente ao assunto;

• Entrevista;

• Visita á cooperativa de seleção de lixo - COTRAMAR

• Oficina de reciclagem-Ação com os pais / mães

• Exposição

Atividades em 5 passos

1° Sondagem da problematização

• Roda de conversa:como a mamãe separa o lixo, o lixo da sua casa é formado por
quais materiais? Sua mãe reutiliza algumas embalagens ( caixas, potes de
margarina, garrafa pet, vidro de azeitona). E sua mãe costuma fazer algum
artesanato com esses materiais?

2° Mãos a obra
• Enviar o questionário aos pais, para que possam responde-lo, e promover um
momento de interação entre pais e filhos, pois ao fim do questionário, pedir aos
pais para mandarem algo reciclado ( caixa, pet).com o seu filho

3° Montagem de mural

• Confeccionar o mural, com as fotos do trabalho desenvolvido em sala de aula e


expor o trabalho entregue por eles ( caixa reciclada).

4° Oficina da reciclagem
• Em sala de aula, recolher as caixas com os alunos.

• Ensinar algumas técnicas de artesanato ( recorte e colagem, mosaico, quiling,


dobradura, pintura, etc).

• Confecções de objetos e brinquedos.


5° Exposição geral
• Expor o trabalho da turma junto aos outros trabalhos da escola, passeata.

Cronograma

Atividades -Agosto- Setembro- Outubro

ETAPA 1 Roda de conversa Leitura informativa xxx

ETAPA 2 -Leitura / ilustrações Arrecadação material


Confecção da caixas, recorte ,colagem xxx

ETAPA 3 -Leitura informativas Visitas / vídeos sobre o assunto xxx

ETAPA 4- Conversa sobre o projeto Confecção da caixas, recorte ,colagem.

Auxilio dos pais na confecção das caixas em casa. xxx

ETAPA 5- Exposição dos trabalhos para os pais e para a escola. Oficinas – com as
mães em sala de aula

ETAPA 6- Apresentação do projeto (escola e passeata no bairro)

Recursos Materiais
• Caixa de sapato, remédio, leite, etc.

• Papéis coloridos, camurça, color set, papel espelho).

• Jornais, revistas, gibis velhos.

• Cola

• Tesoura

• Tinta

• Resto de EVA

• Cola quente – pistola de cola quente

• Fita adesiva larga transparente

Recursos Humanos
• Professora

• Família ( atividades em casa, visita á exposição dos trabalhos e oficina realizada


em sala de aula –reciclagem de garrafa pet e papelão)

• Coletor de lixo

• Alunos

Anexos

Vídeos assistidos ( depois de assisti-los fizemos uma roda de conversa , colocando


a importância de se preservar e cuidar do nosso meio ambiente)
Guto, um garoto de 07 anos, recebe a ajuda de sua anjinha da guarda para
combater monstros comedores de lixo oriundos do planeta XYZ, que fica localizado
em uma galáxia distante.

Blinky Bill é um ursinho travesso que vive com sua mãe e amigos na floresta. Um
lugar alegre e divertido, onde eles podem cantar e dançar, curtindo a vida. A paz é
quebrada quando dois madeireiros clandestinos invadem o terreno e cortam todas
as árvores, destruindo suas casas. Triste e desolado, Blinky Bill põe o pé na estrada
para viver uma emocionante aventura. No caminho conhece outros amiguinhos
bem bacanas: a ursinha Nutsy, um risonho canguru, um coala trapalhão. Uma
turminha que adora fazer uma bagunça.

Referencias bibliográficas

• http://www.lixo.com.br/index.php?
Itemid=252&id=146&option=com_content&task=view ( 25/ 09/10) 20:18h
• http://www.natureba.com.br/lixo.htm ( 10/10/10) 14:37 h

• www.ecoviver.com.br /( 22/07/10) 18:16h

• www.faced.ufba.br (22/07/10) 18:25h

• Revistas do Professor Sassá ( durante o decorrer do projeto)

• http://artesleca.blogspot.com ( 16/09/10) 19:42h

• Manual do Agrinho / Meio Ambiente ( durante o decorrer do projeto)

• http://www.senarmt.org.br/agrinho ( durante o decorrer do projeto)

Registrando todas as etapas do projeto

as caixas estão sendo confeccionadas pelas próprias


crianças

visita a cooperativa de reciclagem


visita a cooperativa de reciclagem

visita a cooperativa de reciclagem

as caixas decoradas pelas criançãs


a cada caixa finalizada a alegria era geral

mural para a apresentação dos trabalhos

alunos que explicaram o projeto para as outras turmas da


escola
visitas , admirando os trabalhos

Clara Libe e Cida , grande parceria ....VALEU!!

MAIS FOTOS DO PROJETO NO ORKUT CLARA LIBE , ME SIGA LÁ TAMBÉM ....


Poderá também gostar de:
• PROJETO INTERROMPIDO PELAS CIRCUNSTANCIAS .... É DURO SER
PROFESSOR !!!!
• PROJETO TIRINHAS
• MODELO DE PLANEJAMENTO PARA PRÉ II
• PROJETINHO MONTEIRO LOBATO!!!!
LinkWithin

Postado por Clara Libe - Carla Lima às Domingo, Novembro 21, 2010 2 comentários
Links para esta postagem
Marcadores: Projeto Reciclagem Encaixe essa Idéia

Reações:
sexta-feira, 19 de novembro de 2010

TEXTO DE NATAL
A Filha do Pai Natal
Era véspera de Natal. Como todos sabem, a véspera de Natal costuma ser animada, com
presentes, família reunida... Mas para uma certa menina, não. O Natal para ela era uma festa
para ricos (que só esses o podiam festejar.) Os pobres não tinham dinheiro para comprar
presentes e o seu presente era a solidão.
A ceia era apenas a fome e a família reunida à mesa era apenas o silêncio. Nem um amigo
tinha e o seu nome era Valéria. Não andava na escola e, para ela, não existia Pai Natal.
Ela era menina da rua. Passava pelas pessoas e pedia esmola, mas elas diziam:
-Estes gatunos, fingem-se de pobres para ter presentes de Natal.
Nessa noite, passou um homem vestido de vermelho e branco com um gorro. Quando ela viu
o homem, pediu-lhe:
- O senhor que está bem vestido e aquecido do frio, pode dar-me alguma coisa?!
Esse homem exclamou com uma voz grossa mas engraçada:
- Eu sou o Pai Natal. Ho, ho, ho… Vem comigo. Sou eu que dou presentes aos meninos e não
me lembro de te ter dado algum, pois não?!
-O senhor dá presentes? Eu pensava que eram as famílias.
-O que queres este Natal?
- Quero família, aconchego e felicidade.
- Desejo concedido! Se vieres comigo para minha casa, terás isso tudo.
E ela foi. O Pai Natal deu-lhe um fato pequeno vermelho e branco e um gorro. Deu-lhe mimo,
casa e até a adoptou. Ele gostava muito de Valéria.
E todos os anos, Valéria recebeu os mais belos e originais presentes. E aprendeu que o Natal
é para todos (mesmo os mais pobres), e todos têm o direito de usufruir de Natais cheios de
alegria e felicidade.

Poderá também gostar de:

ATIVIDADES DE NATAL

ATIVIDADES DE NATAL

ATIVIDADES NATALINAS...........

IDÉIAS PARA O NATAL ...

LinkWithin

Postado por Clara Libe - Carla Lima às Sexta-feira, Novembro 19, 2010 0 comentários
Links para esta postagem
Marcadores: Natal
Reações:

ATIVIDADES NATALINAS...........
Símbolos do natal
Fonte: sensibilidadeesabor.com.br

.....Apesar de toda a correria que representa esta época do ano, com a compra de
presentes, projetos que precisam ser finalizados, e a preparação de uma recepção para as
pessoas mais intimas, onde todos se deixam contagiar pelo calor humano, mais do que
nunca, impera o esmero na elaboração do visual e do paladar.
.....Relaxe, coloque na ocasião tudo o que sabe sobre sensibilidade e sabor, receba a
família e os amigos com o coração aberto, abraçando-os em cada detalhe, deixe-os à
vontade, e a sua recepção será um sucesso.
.....Antes do nascimento de Jesus, já existia uma comemoração pagã ao “Retorno do Sol”,
que homenageava o fim do inverno, e era celebrada em datas variadas ao redor do
mundo.
.....No século 4 ªC, o Papa Julius I, com a intenção de substituir os rituais pagãos por
festas cristãs, fixa a data da celebração para o dia 25 de dezembro, (data esta que se
estabeleceu com a troca do calendário Juliano pelo Gregoriano).
.....A celebração do Natal é repleta de símbolos, que fizeram desta tradição uma das
festas mais ornamentadas.

BOLAS

.....Por seu formato e colorido, as bolas simbolizam o fruto da “árvore da vida”.

DICAS:
.....Além de ser possível encontrar uma enorme variedade de cores e formatos de bolas,
você pode dar-lhes um toque pessoal usando a sua criatividade.
.....Compre pinhas, ou encontre-as no chão em baixo de pinheiros e pinte-as de várias
cores, com spray dourado ou prateado, ou cubra-as com spray de neve.
.....Pinte bolas de isopor, usando os mesmos recursos que para as pinhas.
.....Faça bolas de origami.
.....Use laranjas cujo cabinho tenha sido mantido.

MEIAS NA CHAMINÉ
.....Conta a lenda, que três moças não podiam casar, porque na época era indispensável
um dote, e elas não dispunham de um, para tal, São Nicolau, (o santo que inspirou o
personagem de Papai Noel), comovido com a situação, resolve jogar três sacos de moedas
pela chaminé da casa das moças. Os sacos caíram dentro das meias das moças, que
estavam secando na lareira.

DICAS:
.....Corte pedaços de pano no formato de meia e costure os pares. Borde o nome de cada
criança, e recheie as meias com balas e chocolate. Depois pregue-as ou cole-as na parte
superior da lareira.
.....Você pode pegar a própria meia da criança, e incrementá-la com laços, fitas, ou
bordados que já vêm prontos para colar, (podem ter tema de natal, algo que se
identifique com a criança, ou a inicial do nome).

PAPAI NOEL

.....Diz a lenda que em Myra (hoje Turquia), 300 ªC, morava Nicolas, o qual distribuía
presentes na época do natal. Quando seu pai morreu, Nicolas tornou-se padre, e mais
tarde bispo, quando passou a vestir roupas e chapéu vermelhos, (e barba branca). Quando
morreu, a Igreja canonizou-o, e assim esta imagem transformou-se num símbolo das
comemorações natalinas.

COMO É CHAMADO O PAPAI NOEL EM VÁRIOS PAÍSES:


Alemanha: Kiss Kringle (criança do Cristo)
Canadá: Santa Claus
Dinamarca: Juliman
Espanha: Papa Noel
Estados Unidos: Santa Claus
Finlândia: Joulupukki
França: Pére Noel
Holanda: Kerstman
Inglaterra: Father Christmas
Itália: Belfana ou Papa Natal
Japão: Jizo
Rússia: Baboushka
Suécia: Jultomten

DICAS:
.....Natal com crianças pede Papai Noel. A roupa pode ser alugada, ou comprada em
grandes magazines ou em lojas especializadas. Os presentes das crianças devem estar
dentro do saco do Papai Noel, identificadas com o nome de cada um, e ser entregues por
ele mesmo.

PINHEIRO
.....Existem várias teorias para explicar porquê o pinheiro se tornou a árvore símbolo do
natal, na maioria dos países onde este se comemora:
.....Conta a história, que quando Jesus nasceu, perto do estábulo onde ele se abrigava,
havia três árvores que resolveram também presenteá-lo. A palmeira escolheu a maior e
mais bela palma, e fez dela um abano para o menino. A oliveira ofereceu o suave e
perfumado óleo, para amaciar os pés do menino. E finalmente, o pinheiro, já tristemente
conformado com a idéia de que não tinha nada a oferecer, pois suas folhas eram como
agulhas, e poderiam machucar o menino, percebe que muitas estrelas tinham pousado em
seus galhos, iluminando-o de tal forma, que o olhar de Jesus não podia resistir à beleza
desta arvore, (por isso até hoje o pinheiro é enfeitado com muitas luzes).
.....Alguns autores atribuem a existência da árvore de Natal, anterior ao cristianismo.
.....Na Saturnália (festival realizado no inverno em homenagem a Saturno, deus da
agricultura), os romanos enfeitavam suas casas com pinheiros.
.....Diz a lenda, que o pinheiro foi escolhido como símbolo do Natal, devido à sua forma
triangular, onde se representa a Santíssima Trindade.
.....A árvore de Natal, no contexto em que se insere hoje, tem sua primeira referência
registrada em Strasbourg, Alemanha, no século XVI, quando todas as famílias,
independente do seu poder aquisitivo, decoravam os pinheiros com papeis coloridos,
frutas e doces. Após espalhar-se por toda a Europa, esta tradição chega ao continente
americano em 1800.
.....A rainha Elizabete, da Inglaterra, por ocasião do Natal em que oferecia uma grande
festa, e recebia numerosos presentes, pediu que estes fossem depositados em baixo de
um pinheiro que havia no jardim.
.....O pinheiro é a única árvore que não perde as suas folhas, seja qual fôr a época do
ano.
Poderá também gostar de:
TEATRO NA ESCOLA

O
CAÇA
DOR
DE
MOSQ
UITO
S
-Um
alerta
contra a
Dengue -
De Donizete Romon

É de grande importância
pedagógica a contribuição
do teatro à educação
constatada durante os
milênios de nossa história.
No entanto, por falta de
recursos e até mesmo de
interesse, este meio de
transmissão
cultural/educacional tem
sido relegado a segundo
plano. Nossas crianças,
portanto, estão à mercê da
boa vontade dos homens
detentores dos poderes
públicos ou privados para
levar-lhes um pouco de
entretenimento, informação
e educação.

Desde que foi fundado, em


1983, o grupo Peteca tem
se dedicado a uma linha
pedagógica de atuação
visando a diversão e o bem
estar dos indivíduos,
através do projeto
"APRENDENDO COM O
TEATRO" .

Nestas condições o grupo


montou a peça "O CAÇADOR
DE MOSQUITOS" que visa
vir em auxilio para a
erradicação do Dengue em
toda região

Num projeto inédito de redução de


custos, o grupo Peteca tem
apresentado a proposta deste
trabalho a várias prefeituras do
Estado de S. Paulo. Da mesma forma
as escolas poderão contratar a
apresentação do espetáculo que é
montado com muito bom humor e de
forma lúdica/educativa. O telefone
para contato é (19) 3255 0845 - 9700
8971.

PROJETO :
APRENDENDO COM O
TEATRO
O ator e produtor cultural,
Donizete Romon, que também é
diretor do Peteca, explica que
"O PETECA- PEQUENO
TEATRO DE CAMPINAS,
existe há mais de 20 anos,
tendo as artes cênicas como
"pano de fundo" para auxiliar na
educação das crianças.

Romon informa que "este


projeto que ora apresentamos
surgiu como resposta a um
desafio e em defesa de nossas
crianças contra a propagação
da Dengue. Frente a este
chamamento nos sentimos na
obrigação de dar um pouco de
nosso trabalho em defesa do
bem estar do ser humano e, em
especial da criança".

Montamos, com muito carinho, o


espetáculo infantil "O CAÇADOR
DE MOSQUITOS" e temos a
intenção de levar este espetáculo
ao maior numero de crianças
possível, uma vez que
acreditamos que é na criança que
reside a esperança de um mundo
mais humano e mais LIMPO...SEM
DOENÇAS!".

PORQUE
APRENDENDO COM O
TEATRO?
Não é novidade, especialmente
aos educadores, que a criança
aprende mais rapidamente
quando ela pode vivênciar o
objeto do aprendizado.
Discursos e palestras nem
sempre atingem a qualidade
necessária para uma boa
retenção do que se ensina.

O teatro possui o poder de


reunir todas as artes em si
mesmo. Está presente as artes
plásticas, as artes cênicas,
danças, musicas, etc. O teatro
de fantoches envolve o
espectador pelos seus cinco
sentidos físicos e,
especialmente o emocional.
Todas as funções da mente se
voltam para o palco, para os
bonecos. Toda a atenção é
então concentrada na diversão
e no aprendizado!

Sinopse
Um mosquito-fêmea chamado Aedes,
ronda a pracinha onde crianças brincam.
Tal qual as bruxas dos contos de fadas, ela
está à caça de novas vítimas para suas
trapaças. Sua intenção é conseguir algumas
gotas de sangue para procriar sua espécie.

Por
outro
lado,
Dengão
, uma
das
criança
s, é um
garoto
intelige
nte e
estudio
so que
adora
se
divertir
com os
amigos.
No
entanto
, está
sempre
atento
para as
coisas
que
aprend
eu na
escola,
por isso
toma
muito
cuidado
com a
higiene
pessoal
e está
sempre
virando
pneus e
latinhas
de boca
prá
baixo
para
evitar
acúmul
os de
água,
pois
sabe
que é
ali que
se
formam
os
criadou
ros dos
mosquit
os
transmi
ssores
da
dengue
.

Um certo dia ele estava caçando mosquitos


e encontrou-se com seu amigo Tico que
achou muito engraçada aquela atitude. Foi
quando Dengão explicou que naquela
região havia sido detectado um foco do
mosquito da dengue e que, alguma coisa
tinha que ser feita. A principio seu amigo
não entendeu como que um mosquitinho
poderia causar tantos problemas, apesar de
suas explicações.

Num belo dia eles convidaram a Juju para


jogar peteca na pracinha e foi aí que o
mosquito da dengue atacou. A pobre Juju
ficou doente e se não fosse a pronta
intervenção de seus pais, ela poderia ter
morrido.

O
espetá
culo
busca
consci
entizar
as
crianç
as
quant
o ao
perigo
que
repres
enta a
dengu
e e os
cuidad
os que
se
deve
ter
para
evitar
a
prolife
ração
do
mosqu
ito.
Monta
do
com
muito
humor
,a
peça
coloca
o
mosqu
ito
Aedes
como
uma
espéci
e de
lobo-
mau
( no
caso –
bruxa
má)
que
quer
atacar
os três
porqui
nhos
e,
como
no
clássic
o, ele
sempr
e leva
a pior.
O
person
agem
é do
tipo
"mala
ndrão"
e só
quer
prejudi
car os
outros
, no
entant
o, em
nossa
estória
sempr
e se

mal...
mas
nunca
perde
a pose
e
prome
te
sempr
e
voltar.
..se as
pesso
as se
descui
darem
.

ESTRATÉGIA DAS
APRESENTAÇÕES
Após contato com os
responsáveis pelas unidades de
ensino será marcada uma data
para apresentação do
espetáculo. Em seguida e na
data marcada, o grupo PETECA
visitará as escolas, (utilizando-
se de transporte próprio)
levando toda estrutura
necessária para a apresentação
que incluirá aparelhagem de
som, teatro de fantoches,
cenários, figurinos e bonecos.
Após apresentação do
espetáculo, (como descrito
anteriormente) será
desenvolvido um "bate papo"
com os alunos sobre o
entendimento dos diferentes
quadros apresentados, ficando
a critério dos responsáveis pela
unidade de ensino a seqüência
do aprendizado como, por
exemplo, a aplicação de
questionários.

JUSTIFICATIVA

Centenas e até, pode-se dizer,


milhares de crianças não tem
acesso ao teatro.

Quer na forma de diversão e


lazer quer com formato
educacional. "O CAÇADOR DE
MOSQUITOS" reúne estes dois
importantes quesitos
(Educação e Lazer). Buscamos
junto aos órgão públicos
viabilizar à criança da rede
municipal o contato com o
teatro na sala de aula.

DO PÚBLICO

Nossa proposta é apresentar


em todas as unidades de
ensino, que atendam à
crianças) de 02 à 12 anos de
idade (EMEIs / CEMEIs)

CUSTO
Com o intuito de facilitar a
viabilização do projeto
praticaremos o valor mínimo
para as apresentações, sem
mais nenhum custo adicional.

CONTATO: Fone: (19)


3255.0845 - 97008971

E-MAIL

O perigo ronda cada esquina,


cada beco da cidade. E o
pior...pode estar dentro de nossa
própria casa. O minusculo Aeds
Aegipty não perdoa. Entra em
nossas casas, escolas, escritórios
e até nas ruas pode nos atacar.
Nosso desafio...como falar sobe
isso com as crianças, sem chocá-
las. Como conscientizá-las para
que possam ajudar na luta contra
a dengue?
Essa é mais uma história que o
Peteca conta para divertir e
instruir as crianças. Entre em
contato!

Sinopse
Um mosquito chamado Aedes, ronda a pracinha onde crianças brincam. Tal
qual as bruxas dos contos de fadas, ela está à caça de novas vítimas para
suas trapaças. Sua intenção é conseguir algumas gotas de sangue para
procriar sua espécie.
Por outro lado, Dengão, uma das crianças, é um garoto inteligente e
estudioso que adora se divertir com os amigos. No entanto, está sempre
atento para as coisas que aprendeu na escola, por isso toma muito cuidado
com a higiene pessoal e está sempre virando pneus e latinhas de boca prá
baixo para evitar acúmulos de água, pois sabe que é ali que se formam os
criadouros dos mosquitos transmissores da dengue.
Um certo dia ele estava caçando mosquitos e encontrou-se com seu amigo
Tico que achou muito engraçada aquela atitude. Foi quando Dengão
explicou que naquela região havia sido detectado um foco do mosquito da
dengue e que, alguma coisa tinha que ser feita. A principio seu amigo não
entendeu como que um mosquitinho poderia causar tantos problemas,
apesar de suas explicações.
Num belo dia eles convidaram a Juju para jogar peteca na pracinha e foi aí
que o mosquito da dengue atacou. A pobre Juju ficou doente e se não fosse
a pronta intervenção de seus pais, ela poderia ter morrido.

* essa peça está sendo levada às escolas, pelo Grupo PETECA.


Reportagens

Mais perto dos insetos

Veja como duas escolas estudaram o tema com seus alunos, deixando-
os ainda mais fascinados com o mundo das borboletas, das
formigas, das joaninhas, das abelhas...

Por Juliana Bernardino e Fernanda Brianezi de Almeida

Objetivos:
★ Promover um primeiro contato com o espírito científico por meio da pesquisa e da

observação
★Apresentar o modo de vida e as características dos insetos.
"Conforme o projeto 'Os animais no jardim de Monet' foi tomando vida, percebi
que ele poderia ser também um caminho para falarmos da importância de
preservarmos a nossa biodiversidade. As crianças têm um impulso de ver um
inseto e querer pisar para matar. Com esse estudo elas foram aprendendo a
cuidar, a valorizar mais cada bichinho do nosso jardim."
Maria Inês Rinaldi,
professora da Escola Tarsila do Amaral, em São Paulo

Alguns temas geram tantas curiosidades entre as crianças que não têm como
deixá-los de fora da Educação Infantil. E insetos é um caso assim. Como eles
nascem? Como a abelha produz mel? Quantas patas tem a formiga? Esses são
alguns dos questionamentos que rondam o imaginário dos pequenos
observadores, sempre sedentos por respostas convincentes. E a escola precisa
trazê-las, "não prontas, mas por meio de vivências e de trabalhos de
observação, durante os quais as crianças fazem descobertas e tiram suas
próprias conclusões", opina Maria Inês Rinaldi, professora da escola Tarsila do
Amaral, em São Paulo. E é assim que ela, com o apoio da coordenadora
pedagógica Maria Veima de Almeida Araújo, estão conduzindo o projeto Os
animais no jardim de Monet, desenvolvido na escola ao longo deste ano com
crianças de 3 anos.

Outro projeto que estudou os insetos com forte participação dos alunos foi o da
EM Inês Cardoso da Silva, em Embu das Artes, Grande São Paulo. "Ele recebeu
o nome de Animais de Jardim porque as crianças poderiam estudar outros
bichinhos, mas o que prevaleceu foi a curiosidade pelos insetos", conta a
diretora Elaine Cafagni Borja. Segundo ela, cada sala acabou escolhendo um
inseto para estudar com mais profundidade e assim a turma A ficou com as
abelhas, a B com as borboletas e a C com as formigas. Nesta edição, o Guia
Prático fala em detalhes sobre essas duas encantadoras maneiras de estudar o
tema, confira!

<

Projeto: Animais de jardim

Embora o tema do projeto fosse o mesmo para todas as salas da Fase 4 da EM


Inês Cardoso da Silva, em cada uma ele teve um desenrolar diferente, de
acordo com o centro de interesse dos alunos. Assim, uma turma estudou com
as formigas, outra as abelhas e outra turma as borboletas. "Estudaram outros
insetos também, mas com menos profundidade", comenta a diretora Elaine.
Segundo ela, o tema desperta a curiosidade natural das crianças, porque elas
estão sempre brincando no jardim, mexendo com terra e se deparando com
uma variedade muito grande de bichinhos: que voam, que picam, que são
coloridos (como as borboletas) e assim por diante. Veja quais atividades
fizeram parte deste projeto, que se estendeu por todo o ano de 2009 e foi
encerrado com uma exposição dos trabalhos realizados pelas crianças.

Sessões de cinema
As crianças assistiram a alguns filmes sobre os insetos, como Bee Movie
(DreamWorks), Vida de Inseto (Buena Vista), FormiguinhaZ (DreamWorks) e O
Grilo Feliz (Start Desenhos Animados). Cada filme era sempre seguido de rodas
de conversa, durante as quais as professoram procuravam fazer uma comparação
entre o que os filmes passavam e a realidade. Será que os insetos têm apenas
quatro patas? Ou será que são seis? "A passagem da fantasia para o real, com
base nos novos aprendizados, se deu de forma bem rápida", conta Elaine Borja.

Casulo da borboleta
Para observar como nasce uma borboleta, as crianças, com a orientação da
professora, colocaram um casulo que encontraram no jardim dentro de um
recipiente de vidro e puseram-se a acompanhar dia a dia sua evolução. "As
crianças aguardaram ansiosas pelo nascimento da borboleta, porém isso
aconteceu num fim de semana, e elas não puderam ver de perto. Mesmo assim,
foi um processo muito rico", conta a coordenadora Elaine.

Hora da leitura
Muitos livros podem estimular a imaginação das crianças no estudo dos insetos e
por isso as professoras leram muito para os pequenos durante o projeto. Veja
sugestões de livros ao lado!

Cartazes
Ao longo do ano, as crianças foram desenhando insetos e fazendo outros registros
e também fizeram pesquisas em livros e revistas. Com esse material, montaram
cartazes, que foram expostos na sala. Cada novo aprendizado virava conteúdo
para os cartazes, como quando descobriram que o corpo dos insetos é composto
de cabeça, tórax e abdômen.

Formigueiro
Para observar dia a dia o trabalho e a organização das formigas, foi montado um
formigueiro usando três potes. No pote central ficava a estrutura do formigueiro,
no outro era colocada a comida e no outro as formigas descartavam seu "lixo".
Outros detalhes sobre a montagem do formigueiro estão no nosso site. Veja mais!

Você sabia?
★ Há cerca de 900 mil espécies de insetos no mundo e esse
número está sempre aumentando. Os cientistas descobrem
de 7 mil a 10 mil novas espécies por ano e suspeitam que
possam existir outras 10 milhões de espécies ainda
desconhecidas. (fonte: www.vocêsabia.net)
★ O ciclo de vida da borboleta possui 4 etapas:
Ovo: fase pré-larval;
Larva: chamada também de lagarta ou taturana;
Pupa: que se desenvolve dentro da crisálida (ou casulo);
Imago: fase adulta.

<

Para ler com os pequenos


★ Festa dos Insetos, de Robert Frederick (Ciranda Cultural) - livro
sonoro
★ Insetos e Companhia, de Federico Mengozzi (Editora Globo)
★ A Abelha e o Mel, de Eunice Braido (Editora FTD)
Projeto: Os animais no jardim de Monet

Iniciado em março deste ano na Escola Tarsila do Amaral, este projeto surgiu
da curiosidade manifestada pelas crianças durante os passeios de exploração
dos espaços da escola. "A Tarsila do Amaral tem jardim, horta, árvores
frutíferas, que sempre acabam se tornando abrigo para inúmeros bichinhos e as
crianças os estavam notando e se intrigando com eles. Elas comentavam:
professora, olha o caminho das formigas, olha essa minhoca (quando na
verdade era uma lagarta).

E foi assim que nasceu o projeto 'Os insetos no jardim de Monet', que depois
virou 'Os animais no jardim de Monet', porque acabamos incluindo passarinho,
aranha e alguns outros bichos que os alunos encontraram no jardim da escola.
Mas o foco continuou sendo os insetos", explica Maria Inês Rinaldi, professora
do Infantil 3-B (crianças de 3 anos).

Mas por que no jardim de Monet? Porque Monet é o nome da sala de aula dessa
turma dentro da escola. "E aproveitei-me disso para fazer um paralelo com as
pinturas de Monet, que retratam sempre uma cena de natureza", complementa
a professora. Veja as atividades que já aconteceram ou ainda acontecerão
dentro do projeto, que deverá durar até outubro.

Amigo-secreto
Depois de levantar os animais de maior interesse da turma, a professora Maria
Inês propôs um amigo-secreto dos bichos. Cada criança tirou um papelzinho com
o nome de um bichinho e este passou o seu objeto de estudo. Para começar, cada
criança teria de fazer uma pesquisa em casa com os pais sobre esse bichinho e
montar uma breve apresentação em transparência para trazer à escola. "Houve
um envolvimento muito legal da família, elas mandavam curiosidades, imagens e
até insetos que encontravam em seus passeios", conta a educadora. Assim, uma
criança falou sobre a formiga, outra sobre a borboleta, outra sobre a abelha e
assim por diante.

Construção com sucata


Em maio, as crianças encerram as apresentações sobre o bichinho que sortearam
e a professora dá início à construção dos animais com materiais recicláveis. A
ideia é construir um grande jardim com todos os insetos e bichinhos, que será o
produto final do trabalho e será exposto na feira cultural da escola, em outubro.

Combate à dengue
Um dos insetos estudados com as crianças foi o mosquito da dengue. As crianças
pesquisaram fotos e aprenderam sobre as formas de combater sua proliferação.
"Nós estamos planejando uma campanha que se chamará 'Ajude o Infantil 3B a
combater a dengue'. Nela, sairemos pela rua da escola distribuindo folders e
saquinhos de areia para a população colocar nos vasinhos, para não ficar água
parada", conta a professora Maria Inês.

Brincadeiras variadas
Cada bichinho explorado pela turma rende divertidas brincadeiras ou atividades.
Quando estudaram a formiga, prepararam um bolo formigueiro com a
nutricionista da escola e fizeram discussões em roda: as formigas trabalham?
Como é o trabalho delas? E as crianças, por que não podem trabalhar? Quando
estudaram as borboletas, as crianças brincaram de passar por um túnel que há na
escola: elas entravam lagarta e saiam borboleta. Na vez do vaga-lume, os pais
mandaram uma lanterna de casa e a professora apagou a luz da sala para as
crianças brincarem, simulando o brilho desse inseto.

<

Crianças da Escola Tarsila do Amaral durante as atividades do Projeto Os animais no jardim de

Monet
<