You are on page 1of 34

IGREJA

EVANGÉLICA
CONGREGACIONAL
SEMEANDO VIDA

IGREJA:
GOVERNO E PAPEL
DOS OFICIAIS
Por John Piper
INTRODUÇÃO

"Como Igreja, existimos para espalhar uma paixão pela supremacia


de Deus em todas as coisas para o júbilo de todos os povos."

Ao aceitar uma missão que tem em mente uma visão


soberana de Deus, é nosso objetivo, como membros da Igreja
Batista Belém, manter a centralidade de Deus em tudo que
fazemos. Ele é proclamado em nossa adoração, em nossa pregação
e ensino, em nossos esforços de evangelismo, missões e em povos
não alcançados, em nossas orações e até no governo da igreja.
Nossa motivação? Glorificar a Deus em buscar – literalmente,
“estocar” – nosso gozo nEle. De que forma? Através da sincera e
ardente crença de que o fim primordial do Homem é glorificar a
Deus desfrutando-o para sempre. A suprema recompensa de Deus
é aumentada grandemente quando a nossa mais profunda e eterna
alegria está nEle. Nosso objetivo, como povo, é exaltar a Cristo,
entronizar a Cristo, amar a Cristo, honrar a Cristo, e desejar Cristo
acima de tudo o mais, e ao mesmo tempo, garantir que a maior
glória de Deus e a mais perfeita satisfação do Seu povo estejam
indissoluvelmente entrelaçados. Sendo assim, os membros da igreja
deveriam ser pessoas cuja satisfação em Deus é tão contagiante
que eles naturalmente atraem outros para este desfrute de Deus
através do ensino, pregação, ministério e cuidado.
1

NO NOVO TESTAMENTO,
“IGREJA” REFERE-SE A QUÊ?

A palavra “Igreja”

Em inglês, a palavra “igreja” (church) veio do Anglo Saxão


“circe”(procuncia-se “kirk”), a qual, por sua vez, veio do Grego
kyriakon que significa “pertencente ao Senhor”. Desta forma,
alguém poderia pensar que “igreja” (church) refere-se às pessoas
ou a edifícios “pertencentes ao Senhor”. Porém, no Novo
Testamento, a palavra grega traduzida por “igreja” é ekklesia, que
significa “assembléia” ou “congregação”, e nunca se refere a um
edifício. Assim, a “igreja” é o povo que pertence ao Senhor Jesus.
[Nota do tradutor: Em português, “igreja” veio diretamente de
“ekklesia”.]

A igreja universal de todos os crentes de todas as épocas

Efésios 1:22 - E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o
cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja.

Todos os crentes em uma área

Atos 9:31 - A igreja, na verdade, tinha paz por toda a Judéia,


Galiléia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do
Senhor, e, no conforto do Espírito Santo, crescia em número.

Todos os crentes em uma cidade

Atos 8:1 - E Saulo consentia na sua morte. Naquele dia, levantou-


se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém; e todos,
exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e
Samaria.

Os crentes reunidos numa congregação caseira


1 Coríntios 16:19 - As igrejas da Ásia vos saúdam. No Senhor,
muito vos saúdam Áqüila e Priscila e, bem assim, a igreja que está
na casa deles.
2

A IMPORTÂNCIA, A PRECIOSIDADE
E O PROPÓSITO DA IGREJA DE
JESUS CRISTO NO MUNDO

A Esposa de Cristo

Efésios 5:25-29 - Maridos, amai vossa mulher, como também


Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, 26 para que a
santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela
palavra, 27 para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem
mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem
defeito. 28 Assim também os maridos devem amar a sua mulher
como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. 29
Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e
dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja;

O Corpo de Cristo (Universal)

Colossenses 1:18-24 - Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o


princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as
coisas ter a primazia, 19 porque aprouve a Deus que, nele, residisse
toda a plenitude 20 e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua
cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas,
quer sobre a terra, quer nos céus. 21 E a vós outros também que,
outrora, éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas
obras malignas, 22 agora, porém, vos reconciliou no corpo da sua
carne, mediante a sua morte, para apresentar-vos perante ele
santos, inculpáveis e irrepreensíveis, 23 se é que permaneceis na fé,
alicerçados e firmes, não vos deixando afastar da esperança do
evangelho que ouvistes e que foi pregado a toda criatura debaixo
do céu, e do qual eu, Paulo, me tornei ministro. 24 Agora, me
regozijo nos meus sofrimentos por vós; e preencho o que resta das
aflições de Cristo, na minha carne, a favor do seu corpo, que é a
igreja;

O Corpo de Cristo (Local)


1 Coríntios 12:21-27 - Não podem os olhos dizer à mão: Não
precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós.
22
Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos
são necessários; 23 e os que nos parecem menos dignos no corpo, a
estes damos muito maior honra; também os que em nós não são
decorosos revestimos de especial honra. 24 Mas os nossos membros
nobres não têm necessidade disso. Contudo, Deus coordenou o
corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, 25
para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os
membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros. 26 De
maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um
deles é honrado, com ele todos se regozijam. 27 Ora, vós sois corpo
de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo

A família e a habitação de Deus

Efésios 2:19-22 - Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos,


20
mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus,
edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele
mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; 21 no qual todo o edifício,
bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, 22 no qual
também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de
Deus no Espírito.

A coluna e o baluarte da verdade

1 Timóteo 3:15 - [Eu escrevi] para que, se eu tardar, fiques ciente


de como se deve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus
vivo, coluna e baluarte da verdade.

Para mostrar a Sua Glória

1 Pedro 2:9 - Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação
santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de
proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para
a sua maravilhosa luz;

Para demonstrar a multiforme sabedoria de Deus aos


principados e potestades celestiais

Efésios 3:6-10 - a saber, que os gentios são co-herdeiros,


membros do mesmo corpo e co-participantes da promessa em
Cristo Jesus por meio do evangelho; 7 do qual fui constituído
ministro conforme o dom da graça de Deus a mim concedida
segundo a força operante do seu poder. 8 A mim, o menor de todos
os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o
evangelho das insondáveis riquezas de Cristo 9 e manifestar qual
seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus,
que criou todas as coisas, 10 para que, pela igreja, a multiforme
sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e
potestades nos lugares celestiais,

Mostrar a autoridade e poder de Cristo

Mateus 16:18 - Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta


pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não
prevalecerão contra ela.
3

TODAS AS IGREJAS DO NOVO


TESTAMENTO TÊM PRESBÍTEROS

Presbíteros em todas as igrejas que Paulo fundou

Atos 14:23 - E, promovendo-lhes, em cada igreja, a eleição de


presbíteros, depois de orar com jejuns, os encomendaram ao
Senhor em quem haviam crido.

Presbíteros na igreja de Jerusalém

Atos 15:2 - Tendo havido, da parte de Paulo e Barnabé, contenda e


não pequena discussão com eles, resolveram que esses dois e
alguns outros dentre eles subissem a Jerusalém, aos apóstolos e
presbíteros, com respeito a esta questão.

Presbíteros em Éfeso

Atos 20:17 - De Mileto, mandou a Éfeso chamar os presbíteros da


igreja.

Presbíteros em todas as igrejas de Creta

Tito 1:5 - Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses
em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade,
constituísses presbíteros, conforme te prescrevi:

Presbíteros em todas as igrejas da dispersão do Império


Romano

Tiago 1:1 - Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze


tribos que se encontram na Dispersão, saudações. (...) Está alguém
entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam
oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor.

Presbíteros em todas as igrejas no Ponto, Galácia,


Capadócia, Ásia e Bitínia

1 Pedro 1:1 - Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que são
forasteiros da Dispersão no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e
Bitínia, (...) Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu,
presbítero como eles, e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e
ainda co-participante da glória que há de ser revelada:
4

ONZE PRINCÍPIOS BÍBLICOS


PARA O GOVERNO DA IGREJA LOCAL

Princípio Um

A igreja local é governada por Cristo (Mateus 16:18). Este governo


foi mediado pelos apóstolos e seus associados próximos (Efésios
2:20; 1 Coríntios 2:12-13; 7:17; 14:37-38; 2 Tessalonicenses 3:14).
Hoje Cristo continua governando através das palavras de seus
apóstolos que foram preservadas até nós nos escritos inspirados do
Novo Testamento. Sendo assim, todos os esforços deverão ser feitos
para adequar a estrutura, o proceder e o espírito do governo da
igreja tão próximos quanto possível dos princípios do Novo
Testamento, tendo sempre em vista promover a glória de Deus e o
progresso da fé (1 Coríntios 10:31; Filipenses 1:25).

Mateus 16:18 - Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta


pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não
prevalecerão contra ela.

Efésios 2:20 - edificados sobre o fundamento dos apóstolos e


profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;

1 Coríntios 2:12-13 - Ora, nós não temos recebido o espírito do


mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o
que por Deus nos foi dado gratuitamente. 13 Disto também falamos,
não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas
pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.

1 Coríntios 7:17 - Ande cada um segundo o Senhor lhe tem


distribuído, cada um conforme Deus o tem chamado. É assim que
ordeno em todas as igrejas.

1 Coríntios 14:37-38 - Se alguém se considera profeta ou


espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos
escrevo. 38 E, se alguém o ignorar, será ignorado.

2 Tessalonicenses 3:14 - Caso alguém não preste obediência à


nossa palavra dada por esta epístola, notai-o; nem vos associeis
com ele, para que fique envergonhado.
1 Coríntios 10:31 Portanto, quer comais, quer bebais ou façais
outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.

Filipenses 1:25 E, convencido disto, estou certo de que ficarei e


permanecerei com todos vós, para o vosso progresso e gozo da fé,
Princípio dois
O ministério primordial da igreja é a obra dos membros em adorar a
Deus, edificar uns aos outros e dar testemunho ao mundo.
Estruturas internas para o governo da igreja não são o ministério
principal dela, mas são necessárias para equipar e mobilizar os
santos para a obra do ministério.
Efésios 4:11-12 - E ele mesmo concedeu uns para apóstolos,
outros para profetas, outros para evangelistas e outros para
pastores e mestres, 12 com vistas ao aperfeiçoamento dos santos
para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de
Cristo.
Princípio três
Estruturas de governo devem ser enxutas e eficientes para este
propósito, não objetivando incluir tantas pessoas quanto possível
em trabalho burocrático, mas liberando-as e encaixando tantas
quantas possíveis para o ministério (implícito no princípio anterior).
Princípio quatro
Cristo é o Cabeça da igreja e, espiritualmente, todos os Seus
discípulos estão no mesmo nível perante Ele, cada um tendo acesso
direto a Ele e responsabilidade de interceder pelo bem de todos
como uma comunidade de sacerdotes.
Efésios 4:15 - Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em
tudo naquele que é a cabeça, Cristo.
Mateus 23:8-11 - Vós, porém, não sereis chamados mestres,
porque um só é vosso Mestre, e vós todos sois irmãos. 9 A ninguém
sobre a terra chameis vosso pai; porque só um é vosso Pai, aquele
que está nos céus. 10 Nem sereis chamados guias, porque um só é
vosso Guia, o Cristo. 11 Mas o maior dentre vós será vosso servo.
1 Timóteo 2:5 - Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre
Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.
Apocalipse 1:6 - e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu
Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos.
Amém!
Gálatas 6:1-2 - Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta,
vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e
guarda-te para que não sejas também tentado. 2 Levai as cargas
uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo.
Hebreus 3:13 - pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia,
durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós
seja endurecido pelo engano do pecado..
Princípio cinco
Sem contradizer esta igualdade, Deus ordenou a existência de
oficiais na igreja, alguns dos quais são encarregados, sob Cristo, da
liderança da igreja.
1 Timóteo 5:17 - Devem ser considerados merecedores de
dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com
especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino.
1 Tessalonicenses 5:12 - Agora, vos rogamos, irmãos, que
acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos
presidem no Senhor e vos admoestam;
Hebreus 13:7 - Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos
pregaram a palavra de Deus; e, considerando atentamente o fim da
sua vida, imitai a fé que tiveram.
Hebreus 13:17 - Obedecei aos vossos guias e sede submissos
para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar
contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque
isto não aproveita a vós outros.
Atos 20:28 - Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o
Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de
Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.
Princípio seis
Sob Cristo e Sua Palavra, a última corte de apelação na igreja local
para decidir em matérias de discórdia é a assembléia dos crentes
reunidos. Isto está implícito, primeiro, no fato de que os líderes não
o são por coerção, mas por convencimento e livre consentimento [1
Pedro 5:3], segundo, no fato de que presbíteros podem ser
denunciados[1 Timóteo 5:9], e terceiro, no fato de que Mateus
18:15-20 e 1 Coríntios 5:4 descrevem a assembléia dos crentes
reunidos como a última corte de apelação em matérias de
disciplina.
1 Pedro 5:1-3 - Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, (...)
pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por
constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; (...)
nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes,
tornando-vos modelos do rebanho.
1 Timóteo 5:19-20 - Não aceites denúncia contra presbítero,
senão exclusivamente sob o depoimento de duas ou três
testemunhas. 20 Quanto aos que vivem no pecado, repreende-os na
presença de todos, para que também os demais temam.
Mateus 18:15-17 - Se teu irmão pecar contra ti, vai argüi-lo entre
ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. 16 Se, porém, não
te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo
depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se
estabeleça. 17 E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar
ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano.
1 Coríntios 5:4-5 - em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o
meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor, 5 entregue a
Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja
salvo no Dia do Senhor Jesus.
Princípio sete
A congregação local, então, deve chamar e liberar seus próprios
líderes (implícito no princípio anterior).
Princípio oito
Os líderes da igreja devem ser pessoas que são espiritualmente
maduras e exemplares (1 Timóteo 3:1-13; Tito 1:5-9), habilitados
para o ministério conferido a eles (Romanos 12:6-8), ter a
compreensão da exortação divina (Atos 20:28) e estar em harmonia
com a liderança da igreja legalmente estabelecida (Filipenses 2:2).
1 Timóteo 3:1-13 - Fiel é a palavra: se alguém aspira ao
episcopado, excelente obra almeja. 2 É necessário, portanto, que o
bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante,
sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 3 não dado ao
vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não
avarento; 4 e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob
disciplina, com todo o respeito 5 (pois, se alguém não sabe governar
a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); 6 não seja neófito,
para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do
diabo. 7 Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho
dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo. 8
Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam
respeitáveis, de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não
cobiçosos de sórdida ganância, 9 conservando o mistério da fé com
a consciência limpa. 10 Também sejam estes primeiramente
experimentados; e, se se mostrarem irrepreensíveis, exerçam o
diaconato. 11 Da mesma sorte, quanto a mulheres, é necessário que
sejam elas respeitáveis, não maldizentes, temperantes e fiéis em
tudo. 12 O diácono seja marido de uma só mulher e governe bem
seus filhos e a própria casa. 13 Pois os que desempenharem bem o
diaconato alcançam para si mesmos justa preeminência e muita
intrepidez na fé em Cristo Jesus.
Tito 1:5-9 - Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses
em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade,
constituísses presbíteros, conforme te prescrevi: 6 alguém que seja
irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes
que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados. 7
Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como
despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao
vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; 8 antes,
hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha
domínio de si, 9 apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina,
de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como
para convencer os que o contradizem.
Romanos 12:6-8 - tendo, porém, diferentes dons segundo a graça
que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; 7 se
ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-
se no fazê-lo; 8 ou o que exorta faça-o com dedicação; o que
contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem
exerce misericórdia, com alegria.
Atos 20:28 - Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o
Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de
Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.
Filipenses 2:2 - completai a minha alegria, de modo que penseis a
mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo
o mesmo sentimento.
Princípio nove
Qualificações espirituais nunca devem ser sacrificadas por causa de
capacidades técnicas. Por exemplo, diáconos, administradores de
finanças ou de patrimônio devem ser homens ou mulheres com
corações voltados para Deus muito mais do que tenham aptidão
para finanças. Se tiverem ambas as aptidões ou qualificações,
melhor ainda.
Princípio dez
O processo de seleção deve determinar que toda a avaliação
necessária para a escolha de possíveis líderes seja feita por um
grupo apto a discernir as qualificações mencionadas no princípio 8,
e que a aprovação final seja feita pela congregação de todos os
oficiais (implícito nos princípios 6 e 7).
Princípio onze
A chamada para eleição não deve ser ditada pelo desejo de incluir
tantas pessoas quanto possível na liderança (veja o princípio 3
acima), mas pelo cuidadoso equilíbrio entre a necessidade de ter os
mais qualificados líderes e guardar-se contra estresse e estagnação.
5

OUTROS NOMES PARA PRESBÍTEROS


NO NOVO TESTAMENTO

BISPOS/SUPERVISORES

A palavra “bispo” significa “supervisor” e é algumas vezes usada


para traduzir a palavra grega “episcopos”, que significa “alguém
que está acima, sobre, super (epi) e que vê, observa, visiona
(scopos).

Existem pelo menos quatro razões para considerar este termo


(bispo/supervisor) como equivalente de “presbítero” na igreja do
Novo Testamento.

Razão Um: Tito 1:5 comparado com 1:7

Tito 1:5-7 - Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses
em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade,
constituísses presbíteros, conforme te prescrevi: 6 alguém que seja
irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes
que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados. 7
Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como
despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao
vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância;

Compare Tito 1:5 com 1:7, aonde “bispo/supervisor” e “presbítero”


são aparentemente termos intercambiáveis. Paulo começa dizendo
que Tito deve constituir presbíteros (presbuterous) em cada cidade
(verso 5). Então ele aponta algumas qualificações que eles têm que
ter (verso 6) e continua sem nenhuma pausa no verso 7 dizendo
que “é indispensável que o bispo (episkopon) seja irrepreensível
como despenseiro de Deus”. Virtualmente todos os comentaristas
concordam que o mesmo ofício está em vista nestes dois termos:
“presbítero”, descrevendo o homem com relação à sua dignidade e
posição (ancião) e “bispo” descrevendo o homem com relação à sua
função e responsabilidade (vigilância).

Razão Dois: Atos 20:17 comparado a 20:28

Atos 20:17-28 - De Mileto, mandou a Éfeso chamar os presbíteros


da igreja. (...) Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o
Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de
Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.

Em Atos 20:17, Paulo chama os “presbíteros” para virem de Éfeso.


Então ele diz a estes no verso 28 que Deus os fez “bispos” ou
guardiões (episkopous) sobre o rebanho. Assim, os “presbíteros”
são os “bispos/supervisores” em Éfeso.

Razão Três: 1 Timóteo 3:1 comparado a 5:17

1 Timóteo 3:1 - Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado,


excelente obra almeja.

1 Timóteo 5:17 - Devem ser considerados merecedores de


dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com
especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino.

Em 1 Timóteo 3:1, Paulo diz “se alguém aspira ao episcopado,


excelente obra almeja”. Então ele dá as qualificações para o
bispo/supervisor nos versos 2-7. Diferentemente dos diáconos, o
supervisor deve ser “apto para ensinar” (verso 2) e no verso 5, é
dito ser alguém cujo cuidado na sua própria casa habilita-o a cuidar
da igreja de Deus. Estas duas funções – ensinar e governar – são
atribuídas aos presbíteros no quinto capítulo do mesmo livro (1
Timóteo 5:17). Desta forma, é muito provável que, na mente de
Paulo, os bispos/supervisores de 1 Timóteo 3:1 sejam os mesmos
presbíteros de 5:17.

Razão Quatro: Filipenses 1:1 comparado com 1 Timóteo 3:1


e Atos 14:23

Em Filipenses 1:1, Paulo escreve “a todos os santos em Cristo Jesus,


inclusive bispos e diáconos que vivem em Filipos”. Estes, então,
parecem ser os dois oficiais da igreja cujas qualificações são dadas
em 1 Timóteo 3:1-13, apenas para estes dois. Mas Paulo constituiu
“presbíteros” em todas as igrejas (Atos 14:23), então é muito
provável que os presbíteros da igreja em Filipos eram os
bispos/supervisores citados em Filipenses 1:1.

Concluímos que o ofício de bispo/supervisor é o mesmo que o ofício


de presbítero no Novo Testamento. É listado perto do ofício de
diácono (Filipenses 1:1; 1 Timóteo 3:1-13) de tal maneira a mostrar
que estes eram os principais ofícios através dos quais o progresso
da igreja deveria ser gerenciado.
PASTOR

O termo “pastor” (poimen) aparece no Novo Testamento apenas


uma vez (Efésios 4:11 – “E ele mesmo concedeu uns ... para
pastores e mestres”). Mas existe um verbo (poimainein –
“pastorear” ou “suprir”) estritamente ligado ao substantivo
“pastor” que nos ajuda a descobrir como a função do pastor estava
relacionada à função do presbítero e do bispo.

Razão Um

Efésios 4:11 trata de pastores e mestres em um mesmo grupo e


assim sugere que a função principal do pastor é suprir o rebanho
através do ensino, uma função claramente designada a
bispos/supervisores em 1 Timóteo 3:2 (“É necessário, portanto, que
o bispo seja ... apto para ensinar”) e a presbíteros em 1 Timóteo
5:17 (“Devem ser considerados merecedores de dobrados
honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os
que se afadigam na palavra e no ensino”). Isto sugere que “pastor”
é outro nome para “presbítero” e “bispo/supervisor”.

Razão Dois

Em Atos 20:28, os “presbíteros” de Éfeso são encorajados em suas


responsabilidades “pastorais”, mostrando assim que Paulo via os
presbíteros como pastores. (Atos 20:28 - Atendei por vós e por todo
o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para
pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu
próprio sangue.”)

Razão Quatro

Em 1 Pedro 5:1-2, os “presbíteros” são chamados a “pastorear o


rebanho de Deus” que está sob seu encargo. Em outras palavras,
Pedro via os presbíteros como, essencialmente, pastores. (1 Pedro
5:1-2 - Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu, presbítero
como eles, e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e ainda co-
participante da glória que há de ser revelada: 2 pastoreai o
rebanho de Deus que há entre vós”)

Conclusão

O Novo Testamente refere-se ao ofício de pastor uma única vez


(Efésios 4:11). É uma descrição funcional do encargo do presbítero
enfatizando o cuidado e o suprimento da igreja como rebanho de
Deus, assim como “bispo/supervisor” é uma descrição funcional do
encargo do presbítero enfatizando o governo ou a supervisão da
igreja. Podemos concluir então que “pastor”, “presbítero” e
“bispo/supervisor” referem-se no Novo Testamento ao mesmo
ofício. Este ofício é posto lado a lado com “diácono” em Filipenses
1:1 e 1 Timóteo 3:1-13 de maneira a mostrar que os dois ofícios
fixos instituídos pelo Novo Testamento são presbíteros e diáconos.
6

A FUNÇÃO DOS PRESBÍTEROS


NONOVO TESTAMENTO:
GOVERNO E ENSINO

As responsabilidades dos presbíteros estão resumidas em duas


palavras: governo e ensino.
Governo
1 Timóteo 5:17 - Devem ser considerados merecedores de
dobrados honorários os presbíteros que presidem (= governam,
proestotes) bem, com especialidade os que se afadigam na palavra
(logo) e no ensino (didaskalia).
1 Timóteo 3:4-5 - e que governe (proistamenon) bem a própria
casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito, pois, se
alguém não sabe governar (prostenai) a própria casa, como cuidará
da igreja de Deus?
Atos 20:28 - Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o
Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de
Deus.
1 Pedro 5:2 - pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não
por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem
por sórdida ganância, mas de boa vontade;
A responsabilidade dos presbíteros de “supervisionar” ou
“pastorear” o rebanho implica numa função de governo ou
liderança.
1 Tessalonicenses 5:12 - Agora, vos rogamos, irmãos, que
acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos
presidem (proistamenous) no Senhor e vos admoestam;
Não há menção a “presbíteros” aqui, porém a função dos
líderes é governar, e a concepção natural é que os líderes são
presbíteros que Paulo instituiu de acordo com Atos 14:23.
Hebreus 13:17 - Obedecei aos vossos guias e sede submissos
para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar
contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque
isto não aproveita a vós outros.
Obediência e submissão implicam numa função de liderança e
governo que, mais uma vez, refere-se provavelmente a
presbíteros, ainda que estes líderes não sejam explicitamente
citados como presbíteros.
Ensino
Efésios 4:11-12 - E ele mesmo concedeu uns para apóstolos,
outros para profetas, outros para evangelistas e outros para
pastores e mestres, 12 com vistas ao aperfeiçoamento dos santos
para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de
Cristo,
Pastores e mestres são descritos como sendo um único ofício,
de forma que o pastor (o qual identificamos como um
presbítero) tem a responsabilidade de ensinar.
1 Timóteo 3:2 - É necessário, portanto, que o bispo seja (...) apto
para ensinar.
O bispo/supervisor tem que ser “apto para ensinar”. E nós
temos visto que o bispo/supervisor e o presbítero dão nome ao
mesmo ofício. Esta qualificação não é incluída na lista de
qualificações dos diáconos.
1 Timóteo 5:17 - Devem ser considerados merecedores de
dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com
especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino.
Todos têm que ser aptos para ensinar, mas alguns “se
afadigam”, isto é, dedicam mais tempo e energia para isto,
talvez até consumindo suas vidas. Cada presbítero é investido
com o direito de ensinar e exercer autoridade na igreja, deste
modo tem que ter as qualificações para isto.
Tito 1:9 - apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de
modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como
para convencer os que o contradizem.
Nem todos os presbíteros precisam ser aptos para pregar em
público. O requerimento não é ter o dom de pregar, mas ter
uma sólida compreensão da doutrina e a habilidade de apontar
e corrigir erros e explicar claramente as verdades bíblicas.
Conclusão
As responsabilidades dos presbíteros estão resumidas em duas
palavras: governo e ensino. Eles são os guardiões doutrinários do
rebanho e os supervisores da vida da igreja, responsáveis diante de
Deus pela alimentação, cuidado e ministério das pessoas.
7

QUALIFICAÇÕES BÍBLICAS
DOS PRESBÍTEROS

DE ACORDO COM 1 TIMÓTEO 3:1-7

1. Aspiração (oregetai/ epithumei)

1 Timóteo 3:1 Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado,


excelente obra almeja.

Pelo menos uma forma de um homem alcançar a função de


presbítero/bispo era aspirar por ela. De fato, desde que é obrigação
dos presbíteros realizarem sua obra com satisfação e não sob
constrangimento ou por amor ao dinheiro (1 Pedro 5:1-3), esta
questão deve ser tomada como sendo uma das qualificações dos
presbíteros. Esta necessidade não exclui a possibilidade de alguém
ser procurado e encorajado a tornar-se um presbítero. Mas
nenhuma pressão deve ser utilizada que possa resultar em um
serviço indesejado ou feito com coração dividido.

2. Irrepreensibilidade (anepilempton)

3:2 - É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível

Esta palavra só ocorre outras duas vezes no Novo Testamento: em


5:7 (onde as viúvas são exortadas a serem irrepreensíveis,
depositando sua fé em Deus e não vivendo luxuriosamente, nem
suntuosamente, nem serem auto-piedosas) e em 6:14 (onde
Timóteo é exortado a manter seu comissionamento irrepreensível
até a volta de Jesus).

A palavra parece ter o sentido geral de viver de tal maneira que não
dê causa a outros de pensarem mal da igreja, da fé, ou do Senhor.
Não nos diz nada sobre o tipo de coisa que traria reprovação para a
igreja ou para o Senhor. Mas, bem no início da lista é colocada uma
tremenda ênfase na reputação pessoal. O foco aqui não é o
relacionamento pessoal com o Senhor, mas como os outros o vêem.
Parece então que, em princípio, a natureza pública do ofício deve
ser encarada com suas demandas peculiares.

3. Marido de uma mulher (mias gunaikas andras)

3:2 ". . . marido de uma mulher. . ."

A ordem das palavras enfatiza a palavra “uma”. Então não é


provável que Paulo pretendesse dizer que os presbíteros têm de
serem casados. Há outras palavras significando “casado” que ele
poderia ter utilizado. Ele provavelmente poderia pôr “marido” em
um lugar mais importante se tivesse esta intenção. Além disso,
Paulo não era casado (1 Coríntios 9:5; 7:7) e ele encarava o ser
solteiro como uma excelente maneira de ser livre para o ministério
(1 Coríntios 7:32).

No verso 4, Paulo aborda a questão de quão bem um homem cuida


de sua família. Então o ponto aqui provavelmente não é a
competência deste homem como marido. O ponto, vindo logo após
“irrepreensível”, é provavelmente a sua notoriedade, a reputação
deste homem no que diz respeito a se ele tem uma esposa ou não.
Parece que o padrão público será elevado.

Este padrão para um presbítero:

1) Significa que ele não pode ser um polígamo?

2) Significa que não pode casar-se após a morte de sua esposa?

3) Ou significa que ele não pode casar-se após um divórcio?

O principal argumento contra a hipótese 1 é o uso de uma frase


paralela em 1 Timóteo 5:9 referindo-se a viúvas que a igreja estava
alistando para receberem auxílio. Elas tinham que ser “esposas de
um só marido” (henos andros gune). Como a poliandria (uma
mulher ter vários esposos de uma só vez) simplesmente não era
prática comum, isto significa muito provavelmente que a mulher
não deveria ser divorciada e casada de novo.

Além disso, a frase em 5:9 certamente não significa que a viúva


que casasse novamente após a morte de seu marido estaria
excluída da lista. Em 5:14 as viúvas jovens eram encorajadas a se
casarem de novo, e não é razoável que, tendo dito isto, Paulo as
excluísse mais tarde da lista de viúvas porque elas haviam seguido
o seu conselho.

Da mesma forma, a hipótese 2 também não é razoável, em razão


do que dissemos quanto à frase similar em 1 Timóteo 5:9 a respeito
das viúvas que Paulo encorajou a casarem-se de novo. Além disso,
seria estranho se ele rejeitasse viúvos que se casaram após a morte
de suas esposas, diante do total endosso de Paulo quanto ao re-
casamento após a morte de uma esposa (Romanos 7:3; 1 Coríntios
7:39).

Então, o mais provável sentido para a expressão “marido de uma só


mulher” é que o presbitério deveria ser composto por homens que
nunca casaram-se de novo após um divórcio.

4. Temperante (nephalion)

3:2 “. . . temperante . . .”

Esta palavra é utilizada duas outras vezes no Novo Testamento: em


3:11, quanto às mulheres diaconizas ou esposas de diáconos e em
Tito 2:2, referindo-se a anciãos em geral.

É estranho que seja usada aqui, levando-se em conta que no verso


3 é dito que os presbíteros não sejam dados a vinho(me
paroinon).Talvez aqui o sentido seja mais geral, ou seja, que esta
temperança se estende sobre outras coisas além do vinho. Ou,
talvez, a repetição se deva ao fato de que o verso 3 dá início a uma
lista de coisas que um presbítero não deve fazer, e Paulo sente-se
obrigado a incluir o problema do vinho tanto de forma negativa
quanto positiva. O princípio aqui é o auto-controle e domínio sobre
o seu apetite. Certamente o vinho não é a única bebida ou comida
da qual alguém poderia exceder-se.

5. Sóbrio, consciente, cauteloso, razoável (sophrona)

3:2 ". . . sóbrio . . ."

A palavra é usada aqui e em Tito 1:8, sobre presbíteros, em 2:2,


sobre anciãos e em 2:5 sobre mulheres jovens.
Está relacionada a sophroneo que significa “ter uma mente sã”. Por
exemplo, como o endemoninhado após a sua libertação (Marcos
5:15). A idéia fundamental parece ser a de ter um bom julgamento,
o que implica em ver as coisas como elas realmente são,
conhecendo-se bem a si próprio e entendendo as pessoas e como
elas reagem. Algo como conhecer seu ego e seus sentimentos, ou
estar a par da realidade a ponto de que não existam grandes
lacunas entre o que você vê em si mesmo e o que os outros vêem
em você.

6. Modesto, respeitável, honrado (kosmios)

3:2 ". . . modesto . . ."

A idéia parece ser de uma pessoa que se comporta de forma a não


se expor em determinadas situações.

7. Hospitaleiro (philoxenon)

3:2 “. . . Hospitaleiro . . .”

Um presbítero deve ser alguém que gosta de estranhos, isto é,


alguém que é gentil com recém-chegados e os faz sentirem-se em
casa. Alguém cuja casa é aberta para o ministério e que não evita
receber visitas, alguém que não é misterioso.

8. Hábil no ensino (didaktikon)

3:2 “ . . apto para ensinar ...”

Este requerimento não significa que a pessoa deve ser excepcional


estando à frente de um grupo, pois nem todos os presbíteros
dedicam todo o seu tempo à pregação e ensino formais (1 Timóteo
5:17). De preferência, como Tito 1:9 diz, o presbítero deve ser
“apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que
tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para
convencer os que o contradizem”.

Em outras palavras, ele tem de conhecer bem a doutrina bíblica e


ser capaz de explicá-la às pessoas. Ele deve ser teologicamente
astuto o bastante para que possa expor erros graves e mostrar ao
povo o que é errado e prejudicial.
9. Não dado ao vinho (me paroinon)

3:3 “. . . não dado ao vinho . . .”

O requerimento principal aqui é como vimos a respeito de


temperança, ou seja, auto-controle - não dado ou não dependente
de nada que seja prejudicial, ou debilitante, ou carnal. A liberdade
da escravidão devia ser tão estimada que ninguém desejaria voltar
a ser escravo novamente.

10. Não combativo ou hostil (me plekten)

3:3 “. . . não violento. . .”

A idéia aqui é que o temperamento deve estar sob controle. Ele não
pode ser alguém dado a brigar ou guerrear. Deve ser alguém
conciliador. Seus sentimentos não deveriam ser ocultos. Ele não
deveria guardar ressentimentos ou ser exageradamente crítico.

11. Cordato, gentil (epieke)

3:3 “. . . porém cordato. . .”

Isto é o oposto de “inimigo de contendas” ou “hostil”. Ele não


deveria ser áspero ou impetuoso. Ele deveria ser inclinado à ternura
e fazer uso da firmeza apenas quando as circunstâncias
recomendem esta forma de amor. Suas palavras não deveriam ser
ácidas nem trazerem discórdia, mas trazerem auxílio e
encorajamento.

12. Pacífico (amachon)

3:3 “. . . inimigo de contendas . . .”

Este parece ser quase idêntico a “não violento” ou “hostil” acima.


De fato, as três últimas expressões parecem vir juntas para formar
uma unidade que enfatiza a pacificação, a reconciliação,
contrastando fortemente com o sentimento faccioso ou causador de
problemas. Isto deve ter grandes implicações no que diz respeito à
forma como ele usa a sua língua.
13. Não um amante do dinheiro (aphilarguron)

3:3 ". . . não avarento . . ."

Ele deve pôr o Reino de Deus acima de tudo o mais. O seu estilo de
vida não deve exprimir amor à luxúria. Ele deve ser um doador
generoso. Não deve estar ansioso quanto ao seu futuro financeiro.
Não deve ser tão ligado ao dinheiro ao ponto das suas decisões
ministeriais girarem em torno deste assunto.

14. Chefe de família bem-sucedido (kalos proistamenon)

1 Timóteo 3:4-5 – “e que governe bem a própria casa, criando os


filhos sob disciplina, com todo o respeito 5 (pois, se alguém não
sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?)”

O lar é o campo de testes para o ministério. Ele deve ter filhos


submissos. Isto não significa que têm de ser perfeitos, mas sim,
bem disciplinados, que não sejam grosseiros ou que habitualmente
desobedeçam às instruções de seus pais. Os filhos devem honrar o
pai (meta pases semnotetos), e este deve ser um líder espiritual
amoroso e responsável dentro de seu lar. Sua esposa deve ser
respeitada e gentilmente amada. O seu relacionamento deve ser
claramente admirável.

15. Um crente maduro, não um recém convertido (me


neophuton)

1 Timóteo 3:6 “não seja neófito, para não suceder que se


ensoberbeça e incorra na condenação do diabo.”

Esta “condenação do diabo” parece ser a condenação que recaiu


sobre o diabo por causa do seu ser “inchado”, orgulhoso. Então, o
novo crente, ao ser encarregado com muitas responsabilidades
cedo demais, pode facilmente inchar-se de orgulho. A implicação
disto é que parte do temperamento cristão é um processo de auto-
abatimento e uma crescente proteção contra o orgulho. Deveríamos
ver na sua via as evidências de uma humildade que é uma virtude
perene e não facilmente vencida.
16. Boa reputação dos de fora (Marturian kalen)

1 Timóteo 3:7 – “Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom


testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do
diabo.”

Este é similar a “irrepreensibilidade” no verso 2, mas aqui está bem


explícito de que o mundo exterior, incrédulo, está em vista. Isto não
significa que o mundo deve ditar o padrão, já que até mesmo Jesus
foi rejeitado. O que Paulo quis dizer é que um líder cristão deve ao
menos alcançar os padrões humanos comuns de decência e
respeitabilidade, para que os padrões da Igreja possam ser ainda
mais altos.

O “laço do diabo” é citado em 2 Timóteo 2:26. Parece envolver


decepção e pecado, pois ser resgatado deste laço é arrepender-se e
conhecer a verdade. Como não ser bem visto pelos de fora causa a
queda na reprovação e no laço do diabo? Poderia ser que a
reprovação do mundo pudesse fazer com que alguém tentasse
esconder suas faltas na igreja e assim cair em mentira ou
duplicidade?

QUALIFICAÇÃO DOS PRESBÍTEROS DE ACORDO COM TITO 1:5-9

1. Irrepreensível, sem culpa (anegkletos)

1:6 – “alguém que seja irrepreensível”

Este é quase o mesmo que “irrepreensível” acima. A idéia é que


nenhuma culpa existente o atinja. Se ele portou-se mal, ele logo
conserta o seu erro.

1:6 “. . . marido de uma só mulher. . .”

O mesmo termo visto acima, “marido de uma só mulher”.

2. Filhos honestos e obedientes (pista, me in kategoria


asotias e anupotakta)

1:6 “. . . que tenha filhos crentes que não são acusados de


dissolução, nem são insubordinados.”
O sentido é provavelmente o mesmo que “governe bem sua própria
casa” em 1 Timóteo 3:4-5. Lá, os filhos devem estar “em sujeição
com toda a reverência” (en hupotage meta pases semnotatetos).

Aqui, o foco não é apenas o relacionamento dos filhos com o pai,


mas sobre o seu comportamento em geral. Eles não devem ser
culpados da acusação de terem um comportamento selvagem e
incontrolável, nem devem ser insubordinados.

A palavra grega pista significa “crente” ou “fiel” no sentido de


honestidade e confiabilidade? Em favor deste último sentido estaria
o uso da mesma palavra em 1 Timóteo 3:11, onde as mulheres
(diaconisas ou esposas de diáconos) devem ser pistas en pasin,
fiéis em todas as coisas. Outros lugares nas epístolas pastorais
onde a palavra parece ter este significado são 1 Timóteo 1:12, 15;
3:1; 4:9; 2 Timóteo 2:11; 2:13; Tito 1:9; 3:8.

Assim, a idéia parece ser a de filhos que são bem educados,


obedientes, responsáveis e confiáveis.

3. Irrepreensível

1:7 “. . . irrepreensível. . .”

Veja o mesmo termo acima em Tito 1:6, irrepreensível.

4. Humilde (me authade)

1:7 “. . . não arrogante. . .”

Esta é a concepção que está por trás de não ser um recém


convertido, para que não seja “inchado”. Ele deve ser humilde em
sua conduta, não falando demais sobre si mesmo ou suas
realizações. Ele deve ter os outros mais em conta que a si mesmo e
ser rápido em servir. Ele deve dar a Deus, de forma sincera, todo o
crédito e honra por qualquer feito realizado.

Veja acima em 1 Timóteo 3:3, Gentil e Pacífico.

5. Não dado ao vinho

1:7 “. . . não dado ao vinho. . .”


Veja acima em 1 Timóteo 3:3, não dado ao vinho.

6. Não violento

1:7 ". . .não violento. . ."

Veja acima em 1 Timóteo 3:3, não combativo ou hostil.

7. Não cobiçoso

1:7 ". . . nem cobiçoso de torpe ganância. . ."

Veja acima em 1 Timóteo 3:3, não amante do dinheiro.

8. Hospitaleiro

1:8 ". . .hospitaleiro. . ."

Veja acima em 1 Timóteo 3:2, hospitaleiro.

9. Amigo do bem (philagothon)

1:8 ". . . amigo do bem. . ."

Ele deve gostar de ver a bondade e gostar de estar envolvido em


fazer o bem. Isto é mais que ser bom. Isto é uma inclinação e um
apreço em ver o bem sendo realizado. Um tipo de pessoa aberta.

10. Sóbrio

1:8 ". . . sóbrio. . ."

Veja acima em 1 Timóteo 3:2, Sóbrio, consciente, cauteloso,


razoável.

11. Justo (dikaion)


1:8 ". . . justo. . ."

Ele deve preocupar-se se as pessoas estão sendo tratadas de forma


justa e deveria desejar ver a justiça no mundo em todos os níveis.

12. Devoto, santo (hosion)

1:8 ". . . piedoso. . ."

Ele deve ser alguém devoto a Cristo com uma vida de oração e
meditação na Palavra. Ele deve amar a adoração e ter um profundo
relacionamento pessoal com o Senhor.

13. Que tenha auto-controle (egkrate)

1:8 ". . . que tenha domínio de si. . ."

O foco aqui é especialmente quanto ao auto-controle sexual. Ele


não deve ser escravo de seus desejos. Ele não deve brincar com
pornografia. Ele deve ser absolutamente fiel à sua esposa.

14. Apegado à palavra fiel

1:9 – “apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo


que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para
convencer os que o contradizem.”

Veja acima em 1 Timóteo 3:2, hábil no ensino.

Aqui a ênfase recai sobre a capacidade doutrinária dos presbíteros.

1. Primeiro é enfatizado que ele deve ser “apegado” à verdade -


“apegado à palavra fiel”. Isto se refere à relação subjetiva que ele
sustenta com a verdade. Ele a ama (2 Tessalonicenses 2:10)? É
inabalável e sólido no seu entendimento da verdade? Tem a
verdade tomado o controle sobre ele? O oposto disso seria alguém
que nunca está totalmente certo quanto às suas bases ou alguém
que pensa que os princípios doutrinários são dispensáveis, ou
alguém cujo conhecimento baseou-se em livros e professores e não
na Bíblia em si, se forma que não se apega firmemente à verdade.
2. Depois a ênfase é na natureza da palavra que ele se apega, se
concorda com o ensino apostólico – “que é segundo a doutrina”.
Isto significa um bom entendimento da Verdade Bíblica,
especialmente a doutrina dos apóstolos. A Bíblia apenas, e nenhum
outro livro, tem que ser a base do conhecimento doutrinário, ainda
que outros livros sejam úteis e inspiracionais.

3. Em terceiro, a ênfase é quanto à capacidade de ensino da sã


doutrina a outros – “exortar pelo reto ensino”. Alguém que diz: “Eu
sei o que isto significa mas não sei explicá-la” provavelmente não
será um presbítero adequado. A igreja tem grande necessidade de
ser liderada por homens que não apenas saibam, mas que possam
explicar a doutrina bíblica. Eles são responsáveis pela propagação
da verdade dentro da igreja e a partir da igreja.

4. Finalmente, a ênfase é no aspecto negativo do ensino, a função


de refutar erros doutrinários. Os presbíteros têm que ser
suficientemente incisivos em sua observação dos pensamentos
diários. Eles têm que ser capazes de expor a invasão de princípios e
concepções seculares, e também ser capazes de corrigir oponentes
e falsos-crentes (2 Timóteo 2:24-26; Tiago 5:19-20).

Estas listas de qualificações não são exaustivas

Estas listas em 1 Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9 não pretendem ser


exaustivas. Podemos supor isto observando que elas não são iguais.
Tito menciona piedade (hosion), justiça (dikaion) e auto-controle
sexual (egkrate), mas 1 Timóteo menciona que os presbíteros não
devem ser recém convertidos (neophuton) e que têm de ser
respeitáveis (kosmion), termos que Tito não menciona
especificamente.

Nenhuma delas menciona especificamente a oração. Também não


proíbe explicitamente os presbíteros de serem ladrões, ou
mentirosos, ou fofoqueiros, etc. O ponto é que as listas não são
exaustivas. Paulo toma numerosas virtudes e menciona-as como
exemplos. Podem haver outras expectativas implícitas naquelas que
foram mencionadas. Deveríamos seguir estas listadas torná-las
guias para quaisquer outras qualificações que assumirmos.

- FIM
Traduzido por Alisson Teles Cavalcanti no segundo semestre
de 2006.