You are on page 1of 1

A PASTORA DO LAR.

Realmente, a vida de esposa de pastor é complicada!


Até mesmo mais que a vida do pastor. Ela sofre com ele e por ele.
Fica magoada com os comentários maldosos – afinal, estão falando é do
marido dela!
Segura a onda do marido quando toma bordoada por causa do ministério!
Não pode esmorecer com ele, senão a casa cai – literalmente!
Além disso, tem que ajudar na educação dos filhos, na rotina da casa… e isso
tudo, na maior parte das vezes, sem reconhecimento! - É uma mulher sem nome!
Como vivemos em uma sociedade capitalista, há aquelas esposas de pastor
que trabalham para ajudar no orçamento – é verdade, existem pastores mal pagos,
infelizmente, eles são maioria!
Assim disse um professor, somos iluministas em um mundo pós-moderno,
com igrejas, ou parte delas, ainda não aprenderam a ver a esposa do pastor como
uma pessoa independente, que trabalha, estuda e vive a vida.
Grande parte das igrejas ainda está sob o paradigma da mulher sem nome:
Cadê a esposa do pastor que não vem?
A esposa do pastor deve estar sempre linda, cheirosa, bem-arrumada, os
filhos calmos e tranqüilos ao seu lado, enquanto o marido prega! Isso se ela não
tiver que reger o coral ou tocar piano…
Se a esposa ganha mais que o pastor, então, pode dar até problema na
condução da igreja, por causa dos falatórios que podem surgir! Mas, aos poucos, a
coisa está mudando!
A esposa de um colega de ministério resolveu colocar silicone nos seios – e
não faltou quem quisesse jogá-la na fogueira da Santa Inquisição Gospel.
Várias esposas de colegas estão buscando profissionalização através de
cursos superiores, estágios, concursos ou empregos formais.
Mas ainda há muito ao que mudar! Assim como a igreja evangélica, parada
no tempo, não sabe como lidar com um pastor humano, feito de carne e osso,
também não sabe como lidar com a família do pastor.
Daí vive-se grande paradoxo: a família é um valor basilar da igreja, mas a
família do pastor sempre é a primeira a ser atacada!
A mulher do pastor, enfim, também exerce ministério pastoral! Ela pastoreia
o marido nas horas de tempestades, e aos filhos, juntamente com o marido.
Um conselho que dou às irmãs já esposas de pastores! Vivam a vida conjugal
com o seu marido, e não com a igreja! Afinal, a cama agüenta o peso de duas
pessoas, não de 50 ou 100.
Você se casou com um homem, não com uma instituição! Antes mesmo de
ser pastor da igreja – por conseguinte, também é seu pastor – ele é o homem que
você escolheu para envelhecerem juntos.
Isso é mais importante que cargos, nomeações, posições sociais e etc...
Sinceramente! Um grande abraço fraterno aquela mulher que sem ciúmes
algum aprendeu a dividir seu esposo com todos que necessitam de conselhos!
Você é a cabeça pensante da casa: A Pastora do Lar!

Pr. Mauro Tiburtino e Edenilza Borges


Casal Feliz
(texto adaptado/autor: não conheço).