Вы находитесь на странице: 1из 8

Colégio Estadual Manuel de Abreu

Educação de Jovens e Adultos

Plano de Ação
O Mundo do Trabalho na Semana da EJA
Índice

Público------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------3
Cenário-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------3
Tema Gerador--------------------------------------------------------------------------------------------------------------3
Diretrizes---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------4
Estratégias-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------4
Objetivos gerais------------------------------------------------------------------------------------------------------------4
Metas--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5
Atividades previstas-------------------------------------------------------------------------------------------------------5
Atores e Papéis-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5
Procedimentos--------------------------------------------------------------------------------------------------------------6
Resultados esperados----------------------------------------------------------------------------------------------------6
Cronograma-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------6
Avaliação---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------6
Referências------------------------------------------------------------------------------------------------------------------7

2
Público
A EJA do Colégio Estadual Manuel de Abreu tem em torno de 800 alunos.
O Colégio Estadual Manuel de Abreu está situado no bairro de classe média Icaraí,
Niterói, e atende a alunos também de seu entorno.
O público atendido na EJA estende-se àqueles que trabalham no bairro, saindo direto do
serviço para a escola, mas que moram em comunidades de outros bairros mais distantes - Ititioca,
Sapê, Caramujo, Boa Vista, Jacaré - e também em outros municípios - Itaboraí e São Gonçalo.
Desenvolveremos um projeto que integre ações no âmbito escolar preferencialmente, mas que
possam ser estendidas a outras comunidades escolares.
Neste projeto solicitaremos a participação de instituições com as quais a escola não
mantém parceria: SEBRAE, Ordem dos Advogados, Delegacia Regional do Trabalho,
Organizações Não Governamentais, e outras com as quais a escola já mantém parceria.

Cenário
A partir da V CONFITEA, quando se estabeleceu a Declaração de Hamburgo, atribuiu-se a
EJA importância chave na eliminação das desigualdades impostas pela nova ordem econômica e
na construção de uma sociedade mais inclusiva.
Para ela foi apontada uma função qualificadora, que prevê a educação continuada para
toda a vida, muito mais do simplesmente a “suplência” para uma educação formal. À EJA foram
atribuídos objetivos que se estendem também à longo prazo, que apontam para o Estado como o
principal veículo para assegurar a educação para todos, mas que também pedem a participação
da sociedade civil, visto que os desafios deste novo século não podem ser resolvidos pelas
instituições isoladamente.
Sob este mesmo aspecto, destaca-se a necessidade de ampliação do espectro da
aprendizagem informal e incidental disponíveis numa sociedade multicultural, cujos estudos
devem basear-se também nas práticas reconhecidas pelos grupos.
Acompanhando esta mesma linha de pensamento, ficou destacado, ainda nesta
Declaração, a necessidade de uma educação voltada para as questões do trabalho diante do
contexto atualmente existente, como também a necessidade de acesso às novas tecnologias
devido às transformações por elas desencadeadas, e que colocam em risco de exclusão àqueles
que não são capazes de se adequar a esta nova realidade.
É neste cenário que se enquadra a necessidade de um projeto para a EJA.
Analisando o contexto escolar, detectamos que os alunos da EJA trabalham no bairro da
escola, mas vêm de comunidades de outros bairros e até outros municípios, o que dificulta a
interação da escola com suas comunidades de origem. Por isso não se apresenta uma estimativa
de ação com outros membros dessas comunidades a serem atingidos pelo projeto aqui proposto,
já que o foco se dará no contexto da escola. Há, entretanto, devido ao tema desenvolvido, a
possibilidade de interação com outras escolas que atuem com a EJA, na troca de informações e
comunicação em rede, e também na participação nos eventos propostos.

Tema gerador
A Semana do Supletivo é um evento que caiu em desuso na escola, embora haja motivos para sua
realização: o desejo de compartilhar experiências, trocar informações e conviver em alegria. Passar a realiza-
la novamente, é um acontecimento que pode integrar alunos e professores, conteúdos disciplinares,
experiências e vivências, configurando-se como um projeto pedagógico.
A questão do trabalho é de fundamental importância para os alunos da EJA. É este que lhe garante,
ou não, além do seu sustento ou de sua família, sua permanência na escola. É atrás de uma perspectiva de
melhor emprego e, conseqüentemente, melhor condição de vida, que muitos destes alunos estão no ensino
noturno.
Para entender o mundo atual do trabalho e do emprego, dentro de perspectivas mais amplas, é
preciso compreende-lo em uma relação histórica/social, possível de ser investigada a partir da escola.

3
Por outro lado, também é importante que lhe sejam apresentadas as necessidades e exigências de
capacitação exigidas frente às novas situações determinadas pela realidade hoje existente, oferecendo-lhe
uma nova percepção e novos posicionamentos frente esta realidade. Vivemos hoje um processo que aponta
para grandes transformações do modelo de produção e do regime de acumulação baseado na grande
indústria, e para a emergência de novas formas produtivas. Em relação à qualificação para o trabalho,
enquanto que nas sociedades industrializadas de até anos atrás era possível que um trabalhador produtivo
fosse expropriado de saberes e de capacidades criativas, hoje acontece o contrário. Além destas
competências, ele ainda precisa estar aberto para atividades que envolvam a cooperação e a participação
em redes de informação. As inovações tecnológicas crescem em ritmo acentuado e provocam mudanças
profundas nas relações de trabalho, fazendo nascer um novo tipo de capitalismo que tem suas bases no
conhecimento. A socialização do saber então, realizada de forma lenta ou acelerada, é que determinará os
valores atribuídos às sociedades atuais.
A Semana da EJA configura-se como uma oportunidade de apresentar os conhecimentos adquiridos
sobre o mundo do trabalho e expandi-los através da troca de experiências com outros profissionais e
orientações de órgãos e instituições que atuem na área de geração de emprego e renda.
Sendo os alunos da EJA pais, responsáveis e trabalhadores, as ações estabelecidas na
escola podem ter repercussão imediata em suas vidas, nas de seus familiares e no seu entorno
comunitário.

Diretrizes
Este plano de ação se pauta nas seguintes diretrizes:
 Valorização da dignidade e da especificidade do ser humano.
 Participação democrática e liberdade de expressão.
 Promoção da co-responsabilidade pela vida social.
 Desenvolvimento de capacidades e habilidades que permitam intervir na realidade para
transformá-la.
 Contribuição para o fortalecimento da autonomia dos alunos.
 Integração do plano de ação com o projeto político-pedagógico da escola.

Estratégias
Adotaremos, na elaboração deste plano as seguintes estratégias:
 Organizaremos grupos de trabalho para discussão da proposta entre os professores
 Estabeleceremos o plano em acordo com o projeto pedagógico da escola;
 Pensaremos nossa participação para iniciar um processo gradativo de sensibilização da
Escola como um todo, mas respeitando os processos mais viáveis neste momento;
 Procuraremos estabelecer parcerias entre professores para realização das atividades;
 Utilizaremos a sala dos professores e o laboratório de informática da escola como
espaços que sirvam para discussão entre professores; e as salas de aula, auditório,
laboratório de informática, o hall de entrada e pátio da escola como os espaços possíveis
para a realização das atividades pelos alunos dentro da escola.
 Tomaremos como ponto de partida como a questão do trabalho se apresenta para nossos
alunos e procuraremos sempre relacionar os conteúdos a esta realidade.
 Realizaremos, a princípio, atividades extra-classe. Pensamos na exibição de um filme,
com mais de uma turma presente, esquetes de teatro e jograis em dias alternados.
 Pensamos na oportunidade de integrar as turmas em um evento final, a Semana da EJA,
onde serão apresentadas palestras, exposições de trabalhos e produtos desenvolvidos
pelos alunos, apresentações artísticas e possivelmente um Seminário sobre O Mundo do
Trabalho.

Objetivos gerais

 Promover a Semana da EJA no Ensino Noturno;


 Integrar e difundir conhecimentos a respeito do Mundo do Trabalho;
 Realizar estudos e pesquisas para diferenciar os conceitos de trabalho e emprego;
 Inserir os conceitos de trabalho e emprego dentro de uma perspectiva histórica/social;
 Promover estudos da história a partir do olhar do trabalhador como aquele que também a faz;

4
 Localizar a realidade de trabalho vivenciado na nova esfera de um mundo globalizado;
 Observar novas possibilidades de trabalho sob a ótica do cooperativismo e
empreendedorismo.

Metas
 Relativas ao público alvo

Atingir em torno de 800 alunos da EJA. Contar com a participação do dirigente do turno,
do orientador técnico e dos funcionários do noturno.

 Relativas às atividades extraclasse

Pretendemos exibir filmes cuja temática estejam relacionadas ao mundo do trabalho,


solicitar palestras com representantes de instituições colaboradoras, desenvolver apresentações e
exposições de trabalhos e produtos desenvolvidos pelos alunos, oficinas de artes, atividades
estas, em sua maioria, realizadas na Semana da EJA, com um evento festivo e integrador ao final.

 Relativas às atividades em sala de aula


Pelo menos três aulas em cada disciplina, algumas com parcerias entre os professores.

 Relativas ao material didático

Produção de murais e cartazes visando a difusão de informações sobre o tema em estudo,


confecção de um folder ou convite para divulgação dos eventos da Semana da EJA, produção de
um filme/foto documentário com depoimentos e informações sobre o mundo do trabalho,
publicação dos trabalhos realizados em site da escola.

Atividades previstas
Participação em rodas de discussão para expressão de saberes e práticas sobre atividades
profissionais.
 Participação em rodas de discussão para interpretação e análise dos conteúdos expostos em
filmes sobre o tema.
 Desenvolvimento de estudos e pesquisas que analisem o tema sob a orientação previamente
estabelecida pelo professor.
 Produção de textos que abordem o tema pesquisado, de forma crítica e consciente.
 Produção de trabalhos que abordem o tema utilizando a expressão artística e criativa.
 Procedimentos de leitura, análise e cálculos referentes aos dados sobre o mundo do trabalho:
gráficos de emprego/desemprego, números de emprego, décimo terceiro, férias, tempo de
serviço, etc.
 Produção de cartazes com os elementos e informações investigados, a critério dos
professores,
 Produção e apresentação de um filme/foto documentário com entrevistas, depoimentos e
informações sobre o mundo do trabalho.
 Pesquisa para identificação de órgãos e instituições que atuam no apoio ao trabalhador.
 Elaboração de produtos para exposição na semana da EJA.
 Prestação de serviços (para divulgação de atividades profissionais) na Semana da EJA.
 Oficinas de expressão artística para desenvolvimento de habilidades manuais e artísticas (de
acordo com as capacidades humanas e materiais) existentes.
 Palestras com representantes de instituições que estimulem a geração de emprego e renda.
 Análise do mundo do trabalho atual e suas perspectivas a partir dos estudos e eventos
apresentados.

Atores e papéis
 Alunos: realizar investigações, coletar e avaliar informações, apresentar seus resultados e
apontar soluções próprias.

5
 Professores: definir os conteúdos e atividades a serem desenvolvidos em suas disciplinas,
conduzir o processo de pesquisa investigativa, orientar o mapeamento, registro e cálculos
numéricos dos dados coletados, apresentar sugestões para montagem dos trabalhos e
apresentação dos resultados.
 Orientador técnico: apresentar sugestões de atividades com a utilização das mídias,
disponibiliza-las e orientar sua utilização.
 (Coordenador pedagógico: Coordenar todo o projeto, entrar em contato com profissionais
para apresentação de palestras e oficinas, organizar uma agenda para a apresentação dos
trabalhos.)
 Gestores e funcionários: oferecer suporte administrativo, técnico e de material para que as
ações propostas se realizem, como, por exemplo, encaminhando ofícios às instituições
solicitadas, orientando quanto à montagem de instalações, disponibilizando material
(equipamentos, tinta, papéis, etc).

Resultados esperados

Esperamos, com este plano de ação:


 Maior integração entre os alunos e a escola, e as instituições que tratem do mundo do
trabalho.
 Maior conhecimento sobre o tema pesquisado.
 Aprimorar a participação dos alunos na investigação e no equacionamento das
questões vivenciadas em relação ao mundo do trabalho.
 Ampliar as perspectivas e visão sobre as possibilidades do mundo do trabalho.

Procedimentos
O projeto precisará ser desenvolvido em planejamento conjunto dos professores e poderá
ser apresentado aos alunos de forma a sensibiliza-los e motiva-los para os estudos e trabalhos a
serem desenvolvidos.
Uma roda de discussão, orientada e dirigida pelos professores, servirá para estimular a
reflexão e permitir a expressão das opiniões e saberes dos alunos sobre o mundo do trabalho e
suas práticas profissionais.
As questões daí levantadas poderão ser encaminhadas pelos professores em suas disciplinas para
que sejam discutidas e analisadas frente às informações obtidas através de pesquisas, inclusive com a
utilização da internet e mídias impressas. Os resultados destas investigações serão registrados de formas e
suportes diversificados, inclusive digitais. Ao longo deste período outros filmes, poesias e músicas poderão
ser apresentados para ilustrar outras situações e instigar novos estudos.
Ao final do projeto a Semana da EJA será o evento que poderá integrar as atividades
desenvolvidas, esclarecer outras questões sobre o tema, ampliar a visão e abrir novas
perspectivas para os alunos da EJA em relação ao mundo do trabalho.

Cronograma a definir

Etapas
1- Apresentação da proposta e especificação de objetivos e conteúdos didáticos a serem abordados.
2- Apresentação da proposta de trabalhos para os alunos.
3- Desenvolvimento de estudos e pesquisas.
4- Apresentação “Semana da EJA”

Avaliação
No decorrer do projeto, a partir das atividades estabelecidas, cada professor poderá
avaliar o processo de aprendizagem de suas turmas, considerando os objetivos propostos em
suas atividades.
Ao final do projeto poderá ser realizada uma avaliação conjunta sobre o grau de
participação dos alunos, sobre as ações estabelecidas e sobre os resultados obtidos.

6
Caso se estabeleça como necessário, poderá ser apresentado um relatório, desenvolvido
a partir de questionários, cujas respostas indiquem o grau de alcance das ações entre os
participantes do projeto. Índicações estas que poderão servir de orientação para novas ações
pedagógicas no contexto da EJA.

Referências

Bibliografia:
 ALENCAR, Chico. RIBEIRO,Marcus Venicio. CECCON, Claudius. Brasil Vivo. Petrópolis: Editora
Vozes, 1997.
 LIMA, Jorge Pereira Lima. Poesia A Escravidão Negra in Raízes da Escravidão.*
 MEIRELES, Cecília. Poesia Do Ouro Incansável, in Romanceiro da Inconfidência.*
Filmografia
 Trabalho cooperativo:
o A Missão. Drama. Direção: Rolland Joffé. Inglaterra: Warner Bros, 1986. 125’.
 Escravidão:
o O Príncipe do Egito. Animação. Direção: Brenda Chapman, Steve Hickner, Simon Wells.
EUA: Dream Works, 1998. 99’.
o Spartacus,
o Amistad
 Trabalho agrícola, imigração:
o Gaijin, caminhos da liberdade. Drama. Direção Tisuka Yamasaki. Brasil: Embrafilme, 1980.
104’.
 Trabalho na era industrial:
o Tempos Modernos
 Conflitos em função de oportunidades de trabalho:
o Gangues de Nova York. Drama. Direção: Martin Scorsese. EUA: Miramax Film Corp, 2002.
166’.
o Kinkle Boats
 Musicografia:
o Guerreiro Menino. De Gonzaguinha. Com Gonzaguinha. São Paulo: EMI Music, 1982.
3’25”.
o De Papo pro Ar. De Joubert de Carvalho e Olegário Mariano. Com Pena Branca e
Xavantinho. Manaus: Vela Produções Artísticas,1996. 2’23”.
 Letras de músicas: site http://www.vagalume.com.br

Sebrae – Agência de Desenvolvimento Regional Metropolitana III – Rua São João nº 119, loja 101 – Centro.
Niterói, RJ.

7
8