You are on page 1of 21

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS

MATERIAIS E PATRIMONIAIS

Unidades 05

Sistemas de
Classificação
Importância da
Classificação
Especificação de
materiais
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT) é o órgão responsável pela normalização técnica no país,
fornecendo a base necessária ao desenvolvimento tecnológico
brasileiro.

É uma entidade privada, sem fins lucrativos, reconhecida como único


Foro Nacional de Normalização através da Resolução n.º 07 do
CONMETRO, de 24.08.1992.
É membro fundador da ISO (International Organization for
Standardization), da COPANT (Comissão Panamericana de Normas
Técnicas) e da AMN (Associação Mercosul de Normalização).

A ABNT é a única e exclusiva representante no Brasil das seguintes


entidades internacionais: ISO (International Organization for
Standardization), IEC (International Electrotechnical Comission); e das
entidades de normalização regional COPANT (Comissão
Panamericana de Normas Técnicas) e a AMN (Associação Mercosul
de Normalização).
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
É o processo de aglutinação de materiais por características
semelhantes. Deve considerar os atributos de abrangência, a
flexibilidade, praticidade.
Tipos de Classificação: é necessária uma divisão que norteie as
várias formas de classificação, proporcionando decisões e
resultados que auxiliem no investimento e diminuem o risco de
falta.
• por tipo de demanda
• por materiais críticos
• por perecibilidade
• por periculosidade
• por possibilidade de fazer ou compras
• por tipos de estocagem
• por dificuldade de aquisição
• por mercado fornecedor
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

Classificação

catalogação normalização

simplificação padronização

especificação codificação
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

PADRONIZAÇÃO

Padrões são um meio de assegurar qualidade e,


como regra geral, reduzir custos.
A padronização deve ser entendida em vários
aspectos. Um deles é o de reduzir a variedade de
materiais que nossa empresa utiliza.
A redução da variedade de materiais nos leva a uma
simplificação do controle de estoques, a uma
diminuição do espaço destinado à estocagem e a
uma diminuição do custo da própria estocagem.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

PADRONIZAÇÃO
Um outro aspecto da padronização de materiais é o
de obedecer a padrões técnicos (ABNT, ISO, SAE,
ASTM, DIN, NEMA, ...), que nos permite trabalhar
com maior segurança, principalmente quando os
padrões são impostos pela legislação.
Um terceiro aspecto é o de obedecer a padrões de
mercado, ou seja, devemos dar preferência à
utilização de materiais que sejam facilmente
encontrados no mercado fornecedor, o que em geral
redunda em diminuição do custo do material.
Uma implicação habitual da padronização é,
também, a redução de custos de manutenção e de
projetos.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
ESPECIFICAÇÃO
A descrição de um item através de suas
características (atributos, propriedades), conhecida
por nome, nomenclatura, descrição,
denominação, designação, especificação, etc., é
uma das formas de identificação de materiais.
O termo especificação é, em geral, empregado com
o significado de identificar precisamente o material,
de modo a torná-lo inconfundível (ou seja,
específico), principalmente para fins de aquisição.
O conjunto de descrições de materiais forma a
nomenclatura de materiais da empresa. É
altamente interessante a padronização da
nomenclatura.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
ESPECIFICAÇÃO
Uma nomenclatura padronizada é formada por
uma estrutura de nomes ou palavras-chave (nome
básico e nomes modificadores), dimensões,
características físicas em geral (tensão, cor, etc.),
embalagem, aplicação, características químicas, etc.
É conhecida, também, como nomenclatura
estruturada.
O nome básico é a denominação inicial da
descrição (exemplo: arruela, parafuso, etc.),
enquanto o nome modificador é um complemento
do nome básico (exemplo para arruela: pressão, lisa,
cobre, etc.). Um nome básico pode estar associado a
vários modificadores.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
ESPECIFICAÇÃO

Exemplo: Arruela lisa de Cobre, espessura 0,5 mm,


diâmetro interno 6 mm, diâmetro externo 14 mm.
nome básico = Arruela
modificadores = lisa, cobre, ...
A nomenclatura deve ser apresentada em catálogos
em diversas ordens para facilidade de se encontrar o
código de identificação a partir do nome ou vice-
versa, ou então para se encontrar o material
pretendido a partir de características conhecidas.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
CODIFICAÇÃO

A identificação por códigos pode ser feita por


diversos tipos de códigos: seqüencial, em grupos,
em faixas, mnemônicos, numéricos,
alfanuméricos, etc. O que é fundamental é que
para cada item haja um e um só código, assim como
que o código não produza confusões de
comunicação, principalmente com o uso de
caracteres que podem ser confundidos um com o
outro (zero com a letra O, cinco com a letra S, dois
com a letra Z, seis com a letra G, etc.).
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

CODIFICAÇÃO - ALGUNS TIPOS DE CÓDIGOS

CÓDIGO SEQÜENCIAL - quando o código é


formado a partir de um código inicial e de uma regra
de seqüência. O código seqüencial, apesar de poder
ser alfabético ou alfanumérico, é, normalmente, um
código composto por caracteres numéricos com a
regra de seqüência “soma 1”. A cada novo item a ser
identificado um novo código é dado, somando-se 1
ao último código dado. Para se definir um código
seqüencial basta determinar-se o primeiro código e a
regra de seqüência.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
CODIFICAÇÃO - ALGUNS TIPOS DE CÓDIGOS
Para fins de processamento de dados é interessante
definir-se previamente o número máximo de
caracteres (posições) que o código pode ter, bem
como não usar espaços ou zeros à esquerda do
código. Assim, por exemplo, para se codificar
materiais em uma empresa que jamais terá mais que
6.000 itens, pode-se utilizar um código de 4
posições, começando-se pelo número 1001.
VANTAGENS DO CÓDIGO SEQÜENCIAL: é
simples, tanto em estrutura como no modo de se dar
novos códigos, e é compacto, utilizando poucos
caracteres.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
CODIFICAÇÃO - ALGUNS TIPOS DE CÓDIGOS
CÓDIGO EM GRUPOS - quando o código é dividido
em grupos e a cada grupo se associa um significado.
Exemplo: os códigos 30 -12 - 347 e 30-13 - 523, em
que 30 = materiais elétricos; 30 -12 = fios e cabos
nus e 30 -13 = fios e cabos isolados.
Os caracteres separadores de grupos são,
usualmente, o “-” ou o “.”.
Recomenda-se usar sempre o hífen como
separador, pela sua clareza e não confusão com o
ponto decimal.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
CODIFICAÇÃO - ALGUNS TIPOS DE CÓDIGOS
O computador permite facilmente a utilização de
códigos seqüenciais com a colocação dos grupos ao
lado do código de identificação, unindo as vantagens
dos códigos seqüenciais com as dos códigos em
grupos.
VANTAGENS DO CÓDIGO EM GRUPOS: possui
informação dentro do próprio código, o que pode
contribuir para evitar erros grosseiros de código
errado (por exemplo, em uma fatura usar um código
do grupo de parafusos e a descrição de um material
de limpeza), facilitar a distribuição física em
almoxarifados, etc.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

CODIFICAÇÃO - ALGUNS TIPOS DE CÓDIGOS

CÓDIGO EM FAIXAS - quando, numa codificação


seqüencial, certas faixas de códigos possuem um
significado tal como o dos grupos do código em
grupos.

Exemplo:
101 a 299 = matérias primas
301 a 599 = semi-acabados
601 a 999 = acabados
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

CODIFICAÇÃO - ALGUNS TIPOS DE CÓDIGOS

CÓDIGOS MNEMÔNICOS - quando possui


caracteres que permitem associação fácil de idéia
com o elemento a ser codificado.
Exemplo: as siglas de estados do Brasil.

VANTAGENS DO CÓDIGO MNEMÔNICO: fácil


memorização e dedução do significado do código.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

CÓDIGO DE BARRAS

É a tecnologia de identificação automática mais


avançada disponível, aplicável aos objetos. Seu
objetivo é a identificação e localização repetitiva de
produtos em nível industrial e comercial.

O sistema é constituído por séries de linhas e


espaços de diversas larguras, que armazenam
informações com ordenamentos diferentes,
denominados simbologias.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS

CÓDIGO DE BARRAS

Para implementação do código de barras a indústria


deverá filiar-se à EAN - Associação Internacional de
Numeração de Artigos.
O código EAN é composto por 13 dígitos e inclui:
País + Empresa + Produto + Dígito de Controle
Fonte: Código de Barras: Desenvolvimento, Impressão e Controle de Qualidade. Guillermo
E. Erlei, São Paulo: Makorn Books, 1994.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
Exemplo de Codificação Decimal
00 - 00 - 000

Chave aglutinadora

Chave individualizadora

Chave descritiva

1ª chave 2ª chave 3ª chave

00 – Ferragens 00 – Pregos 000 – tam. 10x10


001 – tam. 13x15
002 – tam. 14x15

01 – Parafusos 000 – cab.red. 1/4x1/8


001 – cab.red 1/4x3/16
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
FSC – Federal Suplly Clasification

00 00 0000000

Código de Grupo

Código de Classe

Número de Identificação

FSN
7520 – 123 – 4567

Sendo:

7520 Código de Classe.


1234567 Número de Identificação.
7520.123.4567 FSN.
CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
EAN-13

3 dígitos (cedidos pela EAN) : País


5, 4 ou 3 dígitos (cedidos pela EAN do Brasil) : Empresa
4, 5 ou 6 dígitos (cedidos pela EAN do Brasil) : Produto
1 dígito (obtido através de cálculo algoritmo): Dígito de controle

Dígito de
controle

Produto

Empresa

País