Вы находитесь на странице: 1из 14

BORDADO EM PEDRARIA

DICAS BÁSICAS
ÍNDICE PÁGINA
1. PEDRARIAS 2
2. LINHAS 3&4
3. COMO FAZER O NÓ NA LINHA 5
4. INICIANDO O BORDADO 6, 7 & 8
5. FIM DO BORDADO – ARREMATE 9 & 10
6. TIPOS DE TECIDOS 11
7. DICAS PARA BORDAR 12 & 13
7.1 COMO AMPLIAR E REDUZIR DESENHOS

7.2 COMO INVERTER OS DESENHOS (ESPELHAR)

7.3 COMO ESCOLHER AS CORES DAS PEDRAS E TIPOS DE


PONTOS
7.4 COMO TRANSFERIR OS RISCOS PARA AS ROUPAS

7.5 COMO BORDAR ROUPAS FORRADAS

8. SUGESTÕES PARA CALCULAR O PREÇO 14


9. IDÉIAS PARA COMEÇAR A VENDER 14

1
1. PEDRARIAS

As pedras básicas são miçanga, miçangão, vidrilho e canutilho. Podem ser de dois tipos:
• Pedras comuns – observar a qualidade antes de comprar, pois costumam ser bastante
irregulares;
• Pedras Jablonex (tchecas) – bastante regulares, mais fáceis de trabalhar, deixam o bordado
mais bonito.

Miçanga Miçangão Canutilho Vidrilho Lantejoula

2
2. LINHAS
Para bordar com pedrarias utilizar a linha na mesma cor do tecido.
Para bordar com lantejoulas utilizar a linha na mesma cor da lantejoula.

Nota: Nossos exemplos foram bordados com linhas coloridas apenas para facilitar a visualização e o
aprendizado.

2.1. TIPOS DE LINHAS:

Linha de nylon invisível (própria para costura):

o Vantagem: é incolor, por isso serve para qualquer cor de tecido.


o Desvantagens: não pode ser passada com ferro quente.
Embaraça bastante.
o Dicas: os arremates devem ser feitos e escondidos pelo lado
direito da roupa, pois a ponta da linha pode incomodar sobre a
pele.

Linhas para costura:

o É importante trabalhar com linha de qualidade. Existem algumas


marcas que são muito frágeis e se partem com facilidade. A linha
da marca Corrente é recomendável. Essa marca possui dois tipos:
Corrente Drima e Corrente Laranja. Essa última é mais durável.
o Vantagem: pode ser passada com ferro quente.
o Dica: trabalhar sempre com linha dupla.

Linha 100% poliamida:

o Existem algumas marcas, porém a mais indicada, por embaraçar


menos, é a marca: Linhanyl nº 60. Pode ser encontrada em lojas
que vendem acessórios para bijuterias ou artefatos para couro
(é utilizada para costurar couro).
o Vantagem: é uma linha altamente resistente.
o Desvantagem: não pode ser passada com ferro quente.
o Dicas: pode ser trabalhada com um fio. O acabamento deve ser
reforçado, pois o nó desfaz com facilidade.

Linha Zebra Glacê - 100% algodão:

o Vantagem: é uma linha altamente resistente.


o Desvantagem: só existe na cor branca.
o Dica: é aconselhável trabalhar com dois fios

3
Linha DMC- Quilt:

o Vantagem: é uma linha altamente resistente.


o Dica: pode ser trabalhada com um fio.

4
3. COMO FAZER O NÓ NA LINHA

Dar três voltas com a linha, na agulha.

Segurar a agulha juntamente com a ponta da linha.


Observe que a ponta da linha fica para baixo (seta)
e a ponta da agulha para cima.

Segurar as voltas dadas com a linha com bastante Cortar o excesso de linha, após o nó.
firmeza e puxá-las até o fim da linha.

• Você pode controlar o tamanho do nó pela quantidade de voltas que dá na agulha: para conseguir
um nó maior dê mais de três voltas.
• Esse procedimento permite que seu avesso fique regular, pois os nozinhos ficarão todos do mesmo
tamanho.

5
4. INÍCIANDO O BORDADO
O bordado pode ser iniciado de várias formas:

a) Com nó na linha, iniciando pelo lado avesso:

Fazer o nó na linha, conforme


ensinado no item 3:
– Como fazer o nó na linha -

Introduzir a agulha no tecido pelo Fazer um alinhavo, com ponto


lado avesso, antes do início do bem pequeno, até o início do
risco. risco.

Próximos passos:
• Fazer o nó de arremate antes do início do bordado, conforme ensinado a seguir.
• Iniciar o bordado.

NÓ DE ARREMATE

Dar um ponto mínimo no Puxar até formar uma Puxar a linha.


tecido, bem próximo à pequena laçada; passar a
Observe que se forma um
linha. agulha por dentro dela.
pequeno nó.

Apesar do nome nó de arremate ele deve ser dado no início do bordado,


pois ele é o responsável pela resistência do bordado,
impedindo que comece a desmanchar pelo início.
Não esqueça jamais de iniciar o bordado com o Nó de Arremate.

6
b) Com nó na linha, iniciando pelo lado direito:

Fazer o nó na linha, conforme


ensinado no item 3:
– Como fazer o nó na linha –

O nó ficará pelo lado direito,


então ele deve ser Introduzir a agulha no tecido pelo Observe que o nó ficou para o
pequeno e bem feito lado direito, antes do início do lado direito.
(com uma ou duas voltas). risco (desenho).
Fazer dois alinhavos, com pontos
bem pequenos, até o início do
risco.

Iniciar o bordado.
Lembre que o bordado deve ser feito por cima do nó, para que ele não
Fazer o nó de arremate, apareça.
conforme ensinado
anteriormente.

Somente utilizamos esse tipo de início quando temos condições de bordar por cima do nó, de forma que ele
fique escondido debaixo do bordado.

Utilizado para:

1. Bordar calçados;
2. Bordar roupas forradas;
3. Bordados em geral quando não queremos o volume dos nós pelo avesso;
4. Quando é difícil enfiar a agulha pelo avesso (calças estreitas, mangas compridas, vestidos muito
rodados, etc.).

7
c) Sem nó na linha, iniciando pelo lado direito:

Introduzir a agulha no tecido A distância entre a “entrada” Puxar a linha até que a ponta
pelo lado direito saindo à (1) e a “saída” (2) da agulha tenha desaparecido (seta).
frente, sem ter dado o nó na é de 1,5 cm.
ponta da linha (seta).
Se estiver trabalhando com
roupa forrada, este ponto
pegará somente o tecido de
cima, deixando o forro livre.

Iniciar o bordado.

Fazer o nó de arremate,
conforme ensinado
anteriormente.

Utilizado para:

1. Bordar calçados;
2. Bordar roupas forradas;
3. Bordados em geral quando não queremos o volume dos nós pelo avesso;
4. Quando é difícil enfiar a agulha pelo avesso (calças estreitas, mangas compridas, vestidos
muito rodados, etc.).

8
5. FIM DO BORDADO – ARREMATE
PRIMEIRA ETAPA - Arremate

Fazer um nó de arremate, conforme ensinado


anteriormente (no item 4).
Introduzir a agulha no Virar o tecido para o
tecido, ao fim do lado avesso.
bordado.

Agora escolha uma das


opções a seguir para
cortar a linha.
Dar o segundo nó de Puxar a linha até formar Dois nós foram dados ao
arremate, mas desta a laçada e passar por final do bordado, a fim
vez, ao invés de pegar dentro dela, fazendo o de garantir resistência e
no tecido, pegue o fio do segundo nó. durabilidade.
nó anterior.

SEGUNDA ETAPA - Arremate


PRIMEIRA OPÇÃO SEGUNDA OPÇÃO
Cortar a linha deixando uma ponta de 1 cm: Esconder a linha na trama do tecido:

Acabamento para qualquer tecido, mas Utilizado para tecidos grossos como jeans, brim,
principalmente para lycra, cotton, tricô, malha ou entre outros.
tecidos semelhantes.

9
TERCEIRA OPÇÃO QUARTA OPÇÃO
Prender a ponta entre os próprios pontos do Em roupas com forro a ponta deve ser escondida
bordado pelo lado avesso. por dentro dele:

• Depois do arremate final introduza a agulha


no tecido (sem pegar o forro) e saia bem à
frente (2 cm).
• Corte a linha rente, assim a ponta ficará dentro
do forro.
• Passar a agulha no primeiro ponto do bordado
(lado avesso).
• Passar no segundo ponto.
• Cortar a ponta.

QUINTA OPÇÃO

• Alinhavar, com pontos mínimos, por debaixo do


bordado pelo lado avesso. Quanto menores os
pontos do alinhavo, mais firme ficará o
acabamento.
• Cortar a linha bem rente ao alinhavo.

10
6. TIPOS DE TECIDOS
6.1 TECIDOS NÃO ELÁSTICOS

Para os tecidos não elásticos não existem regras de bordado; pode ser feito qualquer tipo de ponto ou preenchimento e
usar qualquer tipo de pedra, sem nenhuma preocupação.

6.2 TECIDOS ELÁSTICOS

Para os tecidos elásticos é aconselhável bordar com pontos que também sejam elásticos: Ponto Trança e Ponto
Enviesado. Utilizando esses dois pontos não haverá nenhuma preocupação, pois eles se esticam e acompanham a
elasticidade do próprio tecido.

Ponto Trança Ponto Enviesado

Isso não significa que nenhum outro ponto possa ser bordado sobre os tecidos elásticos; tudo pode ser usado, mas com
moderação e seguindo algumas observações básicas:

1. Não é aconselhável utilizar vidrilho ou canutilho, pois eles possuem as bordas cortantes e o “estica-encolhe” das
malhas acaba cortando a linha.
2. Nos tecidos elásticos os pontos devem ser bordados na vertical, assim a elasticidade horizontal da blusa (roupa)
não se perde.

Bordado feito na vertical Bordado feito na vertical Desenhos fechados podem ser bordados começando
e em zig-zag. do contorno externo. Depois as carreiras internas
são bordadas seguindo sempre o contorno.
Cada cor representa
uma carreira. Na figura acima, cada cor representa uma camada.
O desenho também pode ser todo preenchido
bordando carreiras lado a lado na vertical.

11
7. DICAS PARA BORDAR

7.1 COMO AMPLIAR E REDUZIR DESENHOS:

A maneira mais prática é recorrer às máquinas copiadoras (xerox). Elas permitem ampliar e reduzir desenhos em várias
proporções... 10% ... 30% ... 50% ... etc.

Se os desenhos estiverem digitalizados, insira dentro de um documento do Word. Clique sobre a figura e aparecerão
quadradinhos ao redor do desenho; coloque o mouse sobre os quadradinhos e puxe ou encolha para redimensionar.
Puxe sempre os quadradinhos do canto para que a figura redimensione mantendo as proporções originais.

7.2 COMO INVERTER OS DESENHOS (ESPELHAR):

Copie o desenho em papel de seda, em seguida, reforce o risco pelo lado do avesso. O risco do lado avesso é o desenho
espelhado.

7.3 COMO ESCOLHER AS CORES DAS PEDRAS E TIPOS DE PONTOS:

A escolha está relacionada aos itens:


1. Estilo da roupa;
2. Desenho escolhido;
3. Ocasião de uso (festa, dia-a-dia, noite, etc.);
4. Efeito desejado;
5. Gosto pessoal.

Para facilitar a decisão: pegue a roupa que deseja bordar e transfira o desenho, em seguida, coloque várias cores de
pedras sobre a roupa e dentro do risco, arrumando-as como se já estivessem bordadas. Observe o efeito que causam e
faça então, a sua escolha.

Obs.: a colocação das pedras dentro do risco é importante, pois proporciona uma noção do resultado final do bordado.

• Para um efeito mais delicado, pode optar pelo Ponto Alinhavo, utilizando vidrilhos ou miçangas;

12
• Para bordados mais carregados, pode optar pelo contorno do desenho com Ponto Reto, preenchendo-o com os
Pontos Salpicado ou Escama de Peixe; a mistura de pontos enriquece o bordado.

A escolha dos pontos causa diferentes efeitos: utilizando o mesmo risco em várias roupas, mas bordando-os com pontos
diferentes, o resultado será tão diversificado que o risco não parecerá ser o mesmo. Experimente!

7.4 COMO TRANSFERIR OS RISCOS PARA AS ROUPAS:

Copie o risco para um papel de seda e escolha uma das opções:

1. Prenda o papel de seda sobre a roupa com alfinetes. Com o Lápis Giz (para costura) pontilhe todo o desenho
perfurando o papel de seda e marcando o tecido. Para facilitar, pode molhar a ponta do lápis ou deixá-la bem
afiada. Retire o papel e reforce o risco unindo os pontinhos. O lápis 6B ou 8B preto (para desenho) também
podem ser utilizados.

2. Coloque o papel de seda sobre a roupa; prenda com alguns alfinetes e alinhave todo o risco na roupa, sobre o
papel. Rasgue o papel de seda delicadamente e borde sobre o alinhavo. Essa técnica é ótima quando não se
pode deixar nenhuma marca de risco no tecido.

3. Utilize carbono próprio para costura (faça um teste antes de usar, pois algumas marcas/cores de carbono não
estão apagando depois da lavagem). Coloque dentro da roupa uma placa de eucatex ou semelhante, para
facilitar a transferência do desenho. Coloque sobre o papel de seda uma folha de celofane (plástico incolor) para
evitar que o papel de seda se rasgue ao passar o lápis por cima quando for transferir o risco.

4. Para tecido de cor clara: reforce o desenho (no papel) com uma canetinha grossa. Coloque o desenho debaixo da
roupa, se o tecido for claro o risco ficará visível, então basta riscar diretamente sobre a roupa com o lápis giz ou
preto 6B ou ainda a caneta mágica (que apaga depois de algumas horas ou após a lavagem). Para facilitar ainda
mais, trabalhe em cima de uma mesa de vidro e acenda, debaixo dela, uma luminária.

7.5 COMO BORDAR ROUPAS FORRADAS:

Inicie o bordado optando pela modalidade: SEM NÓ, PELO LADO DIREITO.
Tome o máximo de cuidado possível para bordar sem costurar o forro; ele deve ficar livre. Somente na hora de arrematar
é que o faremos pelo avesso, lembrando de esconder a ponta da linha dentro do forro.

13
8. SUGESTÕES PARA CALCULAR O PREÇO DE UM BORDADO
Uma das perguntas mais freqüentes é: Quanto cobrar por um bordado?
Para responder, alguns fatores devem ser considerados:
1. Custos;
2. Material utilizado;
3. Despesas com transporte ou combustível;
4. Outros gastos;
5. Poder aquisitivo do seu público alvo (classe social);
6. Local de venda da mercadoria: comércio local, shopping, feira, etc.

Uma das formas mais fáceis para definir o valor é fazer uma pesquisa de preços em lojas onde o seu público costuma
comprar. Com base nesta pesquisa você pode definir o preço do seu produto.

Existem muitas outras técnicas para chegar-se a um preço final, porém lembre-se que o mais importante é sentir-se
satisfeito com a recompensa do trabalho.

9. IDÉIAS PARA COMEÇAR A VENDER


• Use roupas bordadas por você. A imagem pessoal é a primeira propaganda.

• Crie um nome para sua marca, mesmo que seja somente para vender em casa, se possível mande confeccionar
uma etiqueta. Faça um cartão de visita e não perca nenhuma oportunidade em distribuí-lo.

• Tenha sempre peças bordadas para pronta entrega; elas servem como mostruário e também, para mostrar a
qualidade de seu trabalho.

• Crie uma embalagem diferente para vendas comuns e para presente. Seja sempre original.

• É importante ter um catálogo para que o cliente possa conhecer seu trabalho e escolher modelos:

1. Fotografe todas as peças que você bordar e monte seu catálogo. Experimente, ao invés de fotografar, tirar
xerox colorida das roupas ou escanear. Dá um ótimo resultado!
2. Coloque também, páginas de revistas com roupas bordadas e riscos variados.

• Borde diversas peças e promova (pode ser em sua própria casa) um lanche com chá, café, sucos, bolos e
biscoitinhos. Convide todos os parentes, vizinhos e amigos para conhecer sua nova atividade. O custo não é alto
e representa uma ótima propaganda. Você não preferiria encomendar um serviço com uma pessoa conhecida?

• Algumas empresas e órgãos públicos possuem ambiente específico para exposições, muitas vezes organizados
por grêmios. Procure se informar diretamente nesses locais.

• Participe de feiras, exposições e eventos. Informe-se na administração, prefeitura ou órgão específico de sua
cidade, bairro, etc.

• Faça contato com lojas e butiques para venda ou consignação de suas peças.

• Distribua seu cartão de visitas em armarinhos, lojas de tecidos, lojas de acessórios, etc.

• Coloque anúncio no jornal de sua cidade, um banner ou faixa na sua casa, anúncios na Internet, etc.

Bons bordados!

14