Вы находитесь на странице: 1из 29

OS PERGAMINHOS DO MAR MORTO

Este apêndice é um comentário que fazemos em resumo de uma das muitas


palestras feitas pelo elder Elner Clerickson sobre esse fascinante tema. Tivemos
muita dificuldade para ler o texto em 28 páginas que nos foi entregue pelo elder
Jorge Walter Borges. Pois a cópia foi retirada de uma gravação em fita por pessoa
que assistiu a conferência, a qual foi pronunciada em inglês. A cópia que me foi
fornecida está em português. Além de precariamente traduzida, está muito
apagada.
Mesmo assim, deu para captar a importância que essas descobertas têm para o
fortalecimento da fé dos membros d´ A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
Últimos Dias, e para o esclarecimento do mundo em geral.

Por dois mil anos os pergaminhos do Mar Morto ficaram ocultos do mundo. Deus
os manteve selados mais um século além do tempo da revelação do Livro de
Mórmon ao profeta Joseph Smith. Quando os pergaminhos vieram à luz, foi
também através das coisas "fracas do mundo" (jovens beduínos condutores de
cabras; como Joseph Smith, jovem do campo e pouco instruído). Para que se
cumprisse a escritura:

" As coisas fracas do mundo virão e abaterão as grandes e fortes, para que os
homens não se aconselhem com o próximo, nem confiem no braço da carne" ,
D&C 1:19.
O conteúdo desses pergaminhos, seria uma arma poderosa nas mãos dos inimigos
da Igreja, caso eles houvessem sido descobertos antes da revelação do Livro de
Mórmon e das subsequentes revelações de Deus a Joseph Smith, contidas em D&C
e Pérola de Grande Valor. Mas Deus não combate para perder. Ao manter os
pergaminhos selados nas cavernas ao norte do Mar Morto, em região inóspita e
desabitada, até que fosse de Sua conveniência revelá-los, Deus, pelas mãos dos
jovens beduínos, os transformou na arma decisiva para abater os fortes das falsas
religiões e os poderosos e instruídos segundo o braço da carne. Ele pergunta nas
palavras do Livro de Mórmon aos que combatem Sua obra :

"Não sabeis que há mais de uma nação ... e que governo nas alturas do céu e em
baixo na terra; e revelo minhas palavras aos filhos dos homens, sim, a todas as
nações da terra?"
"Não sabeis que o depoimento de duas nações é um testemunho a vós de que eu sou
Deus, de que me recordo tanto de uma quanto de outra nação? Portanto digo as
mesmas palavras, tanto a uma nação quanto a outra", 2 Nefi 29: 7-8.
Os textos dos pergaminhos abatem a todos os inimigos da obra do Pai Eterno;
e exaltam a única Igreja sobre a face da terra que está de acordo com os escritos
descobertos naqueles rolos de pele de cabra, molhados em óleo de linhaça e selados
com betume em jarras de cerâmica, para atravessarem incólumes os séculos.
Ocultos por revelação de Deus em 35 AC pelos sacerdotes da linhagem de Sadoc, a
mesma linhagem que oficiava no tempo de Davi e Salomão.

Em 1976 quando esta conferência foi feita, o mundo tinha apenas em


disponibilidade
(já traduzidos) os textos contidos em quatro dos rolos; mas só na primeira caverna
descoberta havia noventa jarras contendo rolos de escrituras, em outra quarenta.
Foram ao todo descobertas trezentas cavernas. Em onze delas estavam contidos
todos os livros do Velho Testamento com exceção do livro de Ester; mas lá estavam
outros quatrocentos livros de que nunca se ouviu falar.

Os pergaminhos começaram a ser descobertos em 1945, estes, remontavam ao I e


II séculos DC, mas havia alguns que iam até 200 e 700 AC; e continham muitas das
doutrinas que ensinamos hoje na nossa Igreja.

A história e os personagens envolvidos nessa descoberta foram pesquisados e


visitados pelo autor da conferência, elder Clerickson; além de outros como o
elder Preston Robertson que escreveu dois livros e uma série de artigos sobre o
assunto.
Na época que essa conferência foi feita, estava sendo preparado um trabalho em
Jerusalém por um presidente de ramo o Dr. Klepnis. Ele tinha em mãos uma
tradução de um desses rolos, cujo texto é tão semelhante à seção 88 de D&C, que só
pode ter sido ditado por uma mesma pessoa ... e essa pessoa é Jesus Cristo.

Depois que os arqueólogos entraram em cena, foram encontradas as trezentas


cavernas já referidas, nas proximidades das ruínas de Qumran, . Foi daí que se
descobriu a história desse povo. Foram eles os autores de muitos dos escritos, e que
ocultaram a maioria dos rolos naquelas cavernas no ano 35 AC.

Eis a sua história:


Cerca de 200 AC houve um grupo de sacerdotes que foi exilado para aquela
localidade por usurpadores que assumiram a autoridade dos que tinham
legalmente o sacerdócio. Esses usurpadores se estabeleceram em Jerusalém, com o
propósito de crucificar o Messias quando viesse. Esses exilados alegavam ter a
verdadeira linhagem do sacerdócio. Eles estabeleceram a comunidade através do
seu lider de nome Iosef, filho de outro Iosef. Esse líder recebia revelações de Deus
e conversava com Ele face a face. O conselho da comunidade tinha doze (como nós
temos 12 apóstolos) e três sumo sacerdotes (como temos o presidente da Igreja e
seus dois conselheiros; como a Igreja deixada na terra por Cristo, que tinha 12
apóstolos e mais Pedro, Tiago e João na presidência); bispos e bispo presidente,
sacramento de pão e vinho.
O texto dos pergaminhos diz que a ordem do sacramento lhes foi dada para que se
preparassem para a vinda do Messias; e que aquela ordem sacramental já havia
sido ensinada outras cinco vezes antes para os povos da antigüidade. Exatamente
como Joseph Smith ensinou sobre as várias restaurações do evangelho, desde Adão
aos nossos dias.
E os pergaminhos continuam a discorrer sobre o batismo pelos mortos, o novo
convênio, as bênçãos patriarcais, as sementes para toda a eternidade, as unções e
lavamentos, os garments e mantos, o novo nome e as senhas, e anjos que guardam
a passagem.

E dizem mais, que eles eram chamados cristãos (já 200 anos antes da vinda de
Cristo). Muitos sábios deste mundo ridicularizaram as declarações de Joseph
Smith quando ele recebeu de Deus e nos comunicou todas essas coisas. Até mesmo
muitos membros da Igreja, os mais instruídos nas faculdades da Terra fizeram
restrições a muitos dos ensinamentos do nosso profeta. Mas, através dos humildes
beduínos, Deus deu a todos uma lição valiosa e convidou-os mais uma vez ao
arrependimento.

E, sobretudo, nos fez entender melhor as palavras de Isaias e do apóstolo Paulo:


"Destruirei a sabedoria dos sábios, e anularei a prudência dos prudentes (Isaias
29:14)"
"Acaso Deus não convenceu da incapacidade a sabedoria deste mundo? ... aprouve
a Deus salvar aos que crêem pela loucura de sua mensagem ... pois o que é tido
como loucura de Deus, é mais sábio do que os homens e o que é tido como
fraqueza de Deus é mais forte do que os homens... Está escrito: Eu apanharei os
sábios na sua própria astúcia ...
O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, e ele sabe que são vãos ... para que
vossa fé não se baseasse na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus."
(extratos de I Coríntios, capitulo 1 e 2).

Na sétima caverna, que foi selada entre 68 e 69 DC, foi encontrado o evangelho de
Marcos e algumas cartas de Paulo, todos com datação anterior ao tempo que os
peritos achavam que fosse.
Num desses rolos havia uma escrita tratando da construção do templo da Nova
Jerusalém, e os detalhes coincidem com os recebidos por Joseph Smith para a
construção do templo da estaca central de Sião em Jackson County, Missoury.
Há ainda outros rolos que não foram traduzidos (até 1976) e que tratam da
Nova Jerusalém.
Os tradutores, e aqui é muito importante ressaltar, nenhum deles é mórmon,
mostraram-se confusos com essa Nova Jerusalém e com o seu templo. Pois só nós,
os mórmons, sabemos que o assunto refere-se a uma outra cidade de nome
Jerusalém, cognominada pelo Senhor - A Nova Jerusalém, a ser construída no
continente americano no princípio do próximo milênio. Isso, para diferençar da
cidade Jerusalém na Palestina, que será reconstruída depois da guerra do
Armagedom.

É notável o fato de que num dos pergaminhos consta que no serviço sacramental
também era usada a água em vez do vinho ... para concordar com a prática atual
de nossa Igreja; prática que se adotou depois que Deus revelou a Joseph que não
importa o que comamos ou bebamos quando participamos do sacramento se é que
o fazemos com os olhos fitos somente na Sua glória e relembrando diante do Pai o
corpo de Cristo, que foi sacrificado por nós; e o Seu sangue , que foi derramado
para a remissão dos nossos pecados. (D&C:27:2)

Enfim, tudo o que as religiões do mundo não ensinam e não praticam, está lá nos
pergaminhos, exatamente! Eles dão testemunho de que aquilo que os mórmons
ensinam
e praticam desde 167 anos atrás, era o praticado pelos cristãos do Qumran;
banidos de Jerusalém por falsos sacerdotes usurpadores.

O profeta líder daquela comunidade dá seu testemunho de que se entrevistava


com Deus face a face, como Joseph Smith disse em seu testemunho e acabou sendo
morto por isso ... e o seu povo foi expulso para fora dos limites dos Estados Unidos
de então. Porque o nosso Joseph ensinou o mesmo que o Iosef do Qumran. Veio o
Messias e também foi morto pelo sacerdócio de Lúcifer, o qual, por meio deles,
também matou todos os apóstolos, menos a João.

A história gravada nos rolos de Qumran mostra que houve uma restauração do
evangelho entre eles; e uma decorrente preparação para um grande julgamento de
Deus sobre a nação judaica daqueles dias.
A oportunidade de alcançar o Reino dos Céus estaria entre eles com a primeira
vinda do Messias e, ao mesmo tempo, a condenação, se rejeitassem ao seu Deus.
Muitos judeus ressuscitaram e foram salvos quando Cristo ressuscitou.
Mas a grande maioria foi condenada e transmitiu a cegueira espiritual aos seus
filhos pelos dois milênios que se seguiram à crucificação de Cristo.
Aqueles judeus do tempo da primeira vinda chamaram a desgraça sobre si mesmos
e sobre os seus filhos, ao gritarem para Pilatus:
" Crucifica-o! Crucifica-o! Que o seu sangue caia sobre nós e os nossos filhos!"
De fato, eram os seus filhos diretos os que no ano 70 foram cercados por Tito e
chacinados aos milhares; enquanto muitos dos pais, os crucificadores diretos de
Deus, morriam de fome e sede no mesmo cerco ou já haviam sido lançados no
inferno.

Mas nos tempos modernos, os judeus também chamaram sobre si a condenação:


- Em 1819, o povo judeu da Alemanha emitiu a Proclamação de Hamburgo,
dizendo que retiraria de suas orações as palavras - "Amanhã em Jerusalée;m, não
mais construiremos o templo e não mais seremos o povo eleito"!
- Em 1883/84 foi a vez dos judeus poloneses fazerem o mesmo, na sua
Proclamação de Pittsburg.

Entre 1939 e 1945, Hitler se encarregou de matar 1 milhão de judeus alemães e


3 milhões de judeus poloneses; além de outros 2 milhões em outros países.
Aquelas proclamações foram feitas no período em que o evangelho estava sendo
restaurado e consolidado na Terra.

Em 24 de Outubro 1841, o elder Orson Hyde fez a oração dedicando a Palestina


para o retorno dos judeus. De um lado, Deus abrindo as portas da libertação para
que eles voltassem; e eles, de outro lado, fazendo aquelas proclamações de
abandono
da Causa de Sião.

É também de grande interesse a descrição que consta nos pergaminhos sobre a


transladação de Moisés em detalhes impressionantes.
Os mórmons são os únicos a ensinar que Moisés não provou a morte física e sim foi
transladado como Elias.

A comunidade do Qumran viveu lá cerca de 246 anos, entre 176 AC a 70 DC e eles


eram cerca de cinco mil pessoas. Depois que os rolos foram ocultos, a comunidade
abandonou temporariamente o local e seguiu para o norte de Damasco.
Regressaram depois da morte de Herodes, em 4 ou 5 DC, tendo permanecido até o
ano 68. Foi quando o general romano Tito cercou os judeus em Jerusalém, a 10
quilômetros dali. Quando em apenas 134 dias foram mortos 1.210.000 judeus e
mais 500.000 nas demais 500 cidades.
Tito expulsou o restante de judeus do país e levou em marcha forçada 100.000 dos
mais jovens para Roma, onde 10.000 deles foram jogados para as feras.
Tito reduziu a população judaica na Palestina para apenas 8.000 almas. Destruiu a
comunidade do Qumran.
Mas antes disso, os sacerdotes jogaram outros documentos mais nas cavernas
disponíveis. Um desses documentos estava escrito em um rolo de cobre de 3 metros
de comprimento por uns 30 cm de largura.

O livro de Mórmon, em 1 Nefi 13: 39-41 e 14: 26, diz que surgiriam entre os
gentios (nós) livros que irão provar as coisas dos 12 apóstolos. No entanto,
atualmente só temos os registros de dois deles, quando teremos os dos outros dez?

Foram gastos 25 anos para traduzir o contido nas primeiras quatro cavernas.
Nessa marcha levarão mais 1.850 anos para traduzir a matéria das demais 296
cavernas. Seguramente surpresas enormes aguardam os eruditos e líderes
religiosos do mundo, a medida que os rolos forem sendo traduzidos.

O fato de interesse para nós porém, é que apenas o conteúdo das quatro primeiras
cavernas já foi o suficiente para demonstrar ao mundo dos crentes, dos incrédulos,
dos simples e dos instruídos, o porquê Deus está chamando a todos, sem exceção, à
fé em Cristo, ao arrependimento, ao batismo por imersão e ao recebimento do dom
do Espírito Santo. Tudo isso, pelas mãos daqueles que têm a autoridade e o poder
fidedignos do Seu sacerdócio, por delegação dos céus. Não há outro meio de fazer
as coisas legalmente a não ser esse. Porque Deus sentenciou que neste mundo em
que vivemos, no atual estado de desconhecimento da verdade em que estamos
mergulhados (por efeito da Grande Apostasia) ninguém conhece a Cristo para ir a
ele.

Deus, o Pai, nos ensinou por Seu profeta, e nos mandou ensinar ao mundo como
ele é, onde ele está, como fez no passado, como e o que está fazendo agora, e o que
fará no futuro. Temos hoje perto de 80.000 misionários proclamando isso ao
mundo.

"Aqueles que quiserem fazer a vontade do Pai, saberão por si mesmos se o que os
mórmons ensinam vem de Deus ou se eles falam por eles mesmos".

A CAVERNA DOS MIL BUDAS


Durante essa conferência de 1976, o elder Clerickson, falou um pouco sobre outra
descoberta acontecida na virada dos séculos XIX e XX.
Foram encontrados 20.000 rolos na localidade conhecida como a Caverna dos
1.000 Budas, na China. Esses rolos se estendidos um após outro, cobririam 32
quilômetros. Neles está contida a toda a matéria do Antigo Testamento dos séculos
I a II DC. Estão escritos em 9 diferentes línguas; demonstrando a influência que os
escritos dos hebreus tiveram sobre as religiões místicas da Índia ; sobre o Budismo
e muitos outros lugares do antigo Oriente. Isso demonstra que as práticas
religiosas e os ensinamentos transmitidos de geração em geração, tiveram suas
raízes na religião
dos patriarcas, desde Adão.

Este é mais um ensinamento que Joseph Smith nos deixou e que não mais pode ser
desprezado pelo mundo. Ninguém mais poderá dizer que as religiões evoluíram;
mas sim que elas involuíram, e que a religião verdadeira só foi conhecida
periodicamente e por pouco tempo. Períodos esses que corresponderam às
sucessivas restaurações do evangelho à terra. E se assim não fosse, não seria
verdade que este mundo tem como príncipe o demônio. Até que Cristo desça em
glória para pôr debaixo de seus pés
todos os inimigos.

Para encerrar este nosso comentário, diremos que Deus começou, como prometeu,
a amarrar o diabo e todos os que o servem, com essas tiras enormes de
pergaminhos em pele de cabra, medindo cada uma 30 a 46 centímetros de largura
por 3 a 8 metros de comprimento.
* * *

APÊNDICE 23
.
AS DEZ TRIBOS PERDIDAS DO NORTE

De certa feita o Senhor Jesus Cristo disse aos que o escutavam, que se eles não
criam nele quando lhes falava de coisas terrenas, o que seria então se eles tivessem
que ouvir das coisas celestiais?

Antes de haver tomado conhecimento da matéria deste apêndice 23, as idéias do


autor sobre onde poderiam estar as "dez tribos perdidas do Norte", eram bem
diferentes do que agora vamos expor.
Diante da Verdade de Deus, nada valem nossas opiniões particulares sobre
quaisquer assuntos. Como temos plena consciência de que sabemos muito pouco
sobre a Verdade Total; estaremos sempre prontos a reconsiderar nossas idéias,
quando elas não se coadunem com a verdade revelada e que ainda não haja
chegado
ao nosso conhecimento.
Por especial atenção da minha irmã de fé Ana Lúcia De Agostini, atualmente
residindo em Salt Lake City Utah, recebi a cópia de um documento denominado
"Paper on the Ten Tribes of Israel Being on a Separate Planet".

É a narração feita pelo Patriarca Brown, de Forest Dale, ao irmão Theodore


Tobisson sobre o assunto, em outubro de 1924.
A cópia estava muito difícil de ler, parecia mais um pergaminho do Mar Morto,
daqueles que sofreram mais os desgastes do tempo.
Apesar disso, tenho plena consciência de que captei bem o diálogo entre esses dois
irmãos e passo a fazer um resumo:

Perguntado pelo irmão Tobisson sobre o significado do quinto verso na página 386
do Livro de Hinos, cuja letra fala das dez tribos perdidas de Israel estarem vivendo
num outro planeta, o Patriarca Brown respondeu que sua avó havia perguntado
a Eliza R. Snow de onde ela tirara aquela idéia, colocada na letra do hino de sua
autoria.

Eliza respondeu que seu esposo, o profeta Joseph Smith, havia ensinado a ela
aquelas coisas. O irmão Brown continuou, dizendo que seu avô, também relatara
uma experiência que teve diretamente com o Joseph Smith:

Certa noite ele foi surpreendido com fortes batidas na porta de sua residência. Era
o profeta buscando seu apoio para pernoitar em sua casa, pois estava procurando
se ocultar da turba que o perseguia.
Nessa noite eles mantiveram uma conversação sobre as dez tribos perdidas. O
profeta convidou-o a sair um pouco da casa e perguntou ao avô do irmão Brown se
seria capaz de lhe apontar a estrela Polar.
Com essa referência nos céus , ele mostrou um pequeno ponto cintilante situado
um pouco à direita da estrela do Norte (Polar) e abaixo dela, numa distância
angular equivalente a uns sete metros, com referência ao ponto em que eles
estavam.
Então o Profeta convidou o avô do irmão Brown a entrar, e referiu-se a D&C 133
versículos 24, 26 e 27.
Ele perguntou o que poderia causar que os montes eternos tremessem.
E concluiu explicando que seria a aproximação de um outro planeta. O mesmo
planeta que ele já apontara e onde disse que estavam as dez tribos perdidas do
Norte.
Disse que esse planeta é um grande pedaço que foi arrancado da terra e que
voltará no tempo de restituição de todas as coisas, em que a terra tornará a ser
exatamente
como era no princípio.

O Profeta continuou, perguntando o que poderia fazer com que as montanhas de


gelo derretessem rapidamente, senão o calor gerado pela fricção de dois planetas
ao se unirem. E perguntou se ele já havia visto um meteoro que não fosse
incandescente ao rubro. E enfatizou - Isso é o que causará as montanhas de gelo se
derreterem.

No referente à auto-estrada que será elevada, onde hoje estão as águas oceânicas
do Norte, ela será o resultado daquele pedaço que já pertencera a este nosso
mundo, sendo trazido de volta ao seu próprio lugar. E fazendo com que aquelas
águas recuem .
É dito que os povos das Dez tribos perdidas do Norte, virão do Norte porque seu
mundo descerá* no Norte da Terra e não porque eles estejam desde
agora lá.
(ver todo o capítulo 8 do Apocalipse)

No tempo atual, disse o profeta, a terra está girando com muito mais velocidade do
que no princípio; antes de perder uma porção do seu peso, o qual era muito maior
do que agora ela tem.
Quando voltar o mundo das Dez tribos Perdidas do Norte e logo depois, quando
voltar um outro grande fragmento deste mundo que foi estirpado e levado com o
povo de Enoque, além de grandes saraivas e outros pedaços que foram arrancados
da terra,
ela se tornará muitas vezes maior do que no presente, e mais pesada. Com isso sua
rotação irá diminuindo gradualmente.
Também será recuperado o seu equilíbrio ideal do princípio
(novamente ver Apocalipse , capítulo 8).

O Profeta ensinou que o pedaço do nosso mundo onde está hoje o povo de Enoque,
ocupava o enorme espaço onde fica situado o Golfo do México, e que a ciência dos
mares ainda irá descobrir que o oceano, no Golfo do México, não tem fundo
(suponho então que haja uma comunicação com outro oceano do lado oposto).
Disse Joseph Smith que quando o mundo de Enoque foi retirado, formou-se uma
enorme depressão nas águas do oceano. Foi quando originou-se a corrente
marítima que hoje conhecemos como Gulfstream.

Nossa observação: - É importante dizer aqui que o Apocalipse 8: 6-11 fala em algo
como uma grande montanha incandescente caindo sobre o mar; depois fala de uma
"estrela" ardendo como tocha caindo sobre as fontes das águas; além disso, temos
essas mesmas coisas confirmadas e ampliadas em D&C 133: 19-24; 88: 87-91.
O Profeta citou Jeremias 16: 14 -16.
Quando essas coisas forem gradualmente acontecendo, haverá convulsões de toda
a natureza, e a terra, gradualmente, ao ser reunida aos grandes fragmentos que
saíram dela (alguns maiores ainda do que ela é
agora !!!) resultará nesse planeta assumir proporções gigantescas, comparadas
com as de hoje.

Se de fato o Profeta ensinou essas coisas, e tudo nos indica que sim, passaremos a
acreditar nelas. Quão loucas quanto elas possam parecer aos homens, não o serão
para Quem as revelou a Joseph Smith.

* * *
"Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo (o sétimo milênio) houve no céu um
silêncio de cerca de meia hora (cerca de 21 da terra anos no tempo celestial). Vi
então os sete anjos que estão diante de Deus (os sete arcanjos que ministram na
presença de Deus
-(Miguel, Gabriel, Rafael, Uriel, Raguel, Suriel e Salakiel):
Deram-lhes sete trombetas (sinais de comando) ... Os sete anjos, munidos com as
sete trombetas se prepararam então para tocar.
E o primeiro tocou ... Caiu então sobre a terra granizo e fogo, misturados com
sangue (algo liqüefeito e ardente com aspecto do vermelho sangüíneo, o granizo
uma chuva de meteoros em incandescência), uma terça parte da terra se queimou,
um terço das árvores se queimou e toda a vegetação verde se queimou.
E o segundo anjo tocou ... Algo como uma grande montanha incandescente foi
lançado no mar (o pedaço de nosso mundo onde estão as dez tribos perdidas do
norte dos céus - diremos de agora em diante)* : uma terça parte do mar se
transformou em sangue (assumiu a cor vermelha da enorme montanha
incandescente enquanto dura a incandescência) pereceu um terço das criaturas
que viviam no mar e um terço
dos navios foi destruído.
E o terceiro anjo tocou ... Caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma
tocha.
E caiu sobre a terça parte dos rios e sobre as fontes ...
( o pedaço de nosso mundo onde está o povo de Enoque)
E o quarto anjo tocou ... Um terço do sol, um terço da lua e um terço das estrelas
foram atingidos, de modo que uma terça parte deles se ofuscou: o dia perdeu um
terço de sua luz, bem como a noite ...

(O tremendo efeito desse último choque, desencadeará todos esses fenômenos e


catástrofes. No primeiro choque o efeito dito da quarta trombeta não é declarado.
Provavelmente porque o choque da grande montanha será inteiramente sobre o
mar; será de alguma forma amortecido e não causará a tremenda onda de choque
que se produzirá pela queda direta da segunda sobre terreno sólido, e que
levantará a poeira típica dos choques como esses).
(Apocalipse 8: 1 - 12)
________________________________________
* Naturalmente os habitantes desses mundos estarão reguardados do choque
contra a terra, ou descerão suavemente nos seus gigantescos aparatos
intergaláticos.
Mas meia hora antes, ou seja, vinte e um anos antes no tempo da terra, eles já
terão chegado por aqui, ao descerem com Cristo no Monte das Oliveiras - na
culminância do Dia do Senhor no Vale da Decisão. Nós também estaremos com eles
... se conseguirmos manter a fidelidade até lá.
Cabe aqui dirigir o leitor para o último acréscimo feito por Amoramon à sua
coletânea de livros.
Ele pode ser visto no Livro da Miscelânea, sob o título - The Lost Tribes in Outer
Space (link nno índice)
Nesse trabalho, o elder Richard C. Shipp, coletou dados e expôs seus comentários
sobre o assunto das Dez Tribos Perdidas (para nós deste mundo). Esse trabalho dá-
nos melhores esclarecimentos sobre a "queda" desses corpos celestes anunciados
nas escrituras, antigas e modernas.
Embora incontáveis corpos menores, cairão de fato como a maçã de Newton, os
gigantescos corpos celestes, verdadeiros planetas ( pedaços separados daqui depois
da Criação da terra, e até maiores do que esta porção em que vivemos agora),
esses não cairão, mas virão rolando em manobra calculada de acoplamento. Se
assim não fosse, tudo seria destruído com o choque. Essas manobras de
acoplamento estariam ligadas às palavras reveladas nas escrituras, quando dizem
que os céus se dobrarão como um rolo de pergaminho. Esse seria o aspecto do céu
quando da aproximação desses planetas. Mas parece ser evidente que, a despeito
da manobra cuidadosa de acoplamento, os efeitos causados pala influência dos
campos eletro-magnéticos e gravitacionais desses mundos, um sobre o outro,
causarão todas as catástrofes anunciadas, até que tudo venha a ser estabilizado
novamente numa outra ordem de coisas superiores às atuais.

* * *
Prezado leitor, você teve neste livro o testemunho de Amoramon. Ele foi
derramado com todo o seu poder,
mente e força.
Para divulgar esta obra, ele transformou-se em tudo para todos, parodiando o
grande pregador Paulo - fez-se cientista para os cientista, simples para os simples,
fraco para os fracos e forte para os fortes; a fim de anunciar a todos o verdadeiro
Evangelho,
O Evangelho do Reino, O Evangelho Restaurado!

Amoramon elevou aqui a lanterna que recebeu de Deus


há quase três décadas; elevou-a bem alto na WWW da
Internet. Com isso atingiu uma meta desde muito
sonhada:
A de colocar "A Verdade ao Alcance do Homem" ao
alcance do mundo.
.
***
.
A primeira Edição deste livro foi Composta na Linotipadora
IRMAOS MILESI Ltda.,
(C G C. 61.439.378/001)
Rua da Mooca, 458 - São Paulo.
Impresso nas oficinas da
EDITORA RESENHA TRIBUTÁRIA Ltda.,
(C.G.C. 60.452.000/006)
Rua 21 de Abril 1.154 - São Paulo
Ano de 1975

Foram produzidos 1.150 volumes,


pagos e distribuídos pelo próprio autor.
A Segunda Edição foi realizada em 1996/97.
Ela será distribuída também por meio de dois disquetes
de 1.44 MB juntamente com Uma Análise Dinâmica
do Livro de Mórmon, edição de 1994
ou
por meio de uma Home Page na Internet
* * *

NOTAS DA SEGUNDA EDIÇÃO #

1# - No consenso eterno, essa liberdade só é alcançada na presença de Deus. Num


desafio permanente aos nossos espíritos, somos incentivados a lá chegar.
( Ver - A Liberdade e a Inteligência são Interdependentes). O homem não será livre
enquanto não conhecer toda a verdade sobre si mesmo. Enquanto estiver impedido
de ver a Deus e a conhecer Seus pensamentos; enquanto não puder ver a Deus da
mesma forma que é visto por Ele, terá sua liberdade restringida por desconhecer
toda a Verdade das coisas de Deus - como elas foram, como são, e como virão a ser
na eternidade. Portanto, ou o homem procura, encontra e aceita a mente de Deus
pelo dom do Seu Espírito ou jamais será livre da vaidade e da pobreza dos seus
pensamentos individuais.
O verdadeiro cristão julga todas as coisas na mesma "freqüência" da mente de
Cristo, porque está em sintonia com ela.

2# - 0 conceito de condenação, no que se refere à justiça divina, ao longo deste


livro, deverá ser compreendido nas formas abaixo descritas: 2.1 - a reclusão
temporária no mundo espiritual em estado de aflição e lamento de consciência; 2.2
- posteriormente à reclusão, arrependimento, auto-sujeição espiritual e,
finalmente, a libertação daquele estado, virá a elevação a algum grau de felicidade,
porém inferior àquele alcançado pelos que se mostraram mais dignos de obter a
plenitude de Deus - por terem exercido melhor obediência e maior fidelidade no
tempo da provação; 2.3 - reclusão eterna a um estado de miséria espiritual, nas
trevas exteriores às porções de glória do Espírito. Em resumo, todos os que não
forem dignos de participar da plenitude do Espirito, por não terem alcançado a
plenitude da justificação no tempo designado, herdarão maior ou menor grau de
condenação no seu futuro estado de salvação; embora alcancem felicidade e
progridam de forma constante na esfera de sua salvação, estarão limitados à ela;
portanto, são miseráveis para sempre, comparativamente à grandiosidade da
plenitude das bênçãos de Deus. A plenitude é oferecida a todos, mas nem todos
demonstram disposição para sujeitar seus espíritos às condições estabelecidas pelas
revelações de Deus antigas, modernas e presentes; as quais, são rejeitadas pela
maioria, no tempo das melhores oportunidades - o da provação no dia desta vida.
"A cada um será dado de acordo com as suas obras" - Todos os cristãos conhecem
a leetra desta escritura, mas o seu pleno significado está muito longe de sua
compreensão. Nós também não alcançaríamos tal entendimento, se não
aceitássemos a revelação restauradora de Deus ao profeta Joseph Smith. Usando só
a Bíblia, conforme ela chegou a nós, seria impossível. É por isso que o profeta
Alma nos ensina no Livro de Mórmon, que hoje é o tempo que Deus nos deu para
nos prepararmos para encontrá-Lo, e que depois disso virá a noite tenebrosa, em
que nada mais poderá ser feito para dela sair. Na perspectiva eterna de Deus, toda
salvação inferior à celestial estará dentro dessa "noite tenebrosa", mesmo com
toda a luz que lá recebermos - a luz da lua é treva, comparada à do sol.

3# - Para nossa grande alegria e alívio, depois de quase seis mil anos, Deus retirou
a maldição. A 8 de junho de 1978, revelou ao Profeta Spencer W. Kimball que os
negros teriam daí em diante, direito às bênçãos do sacerdócio.
Compreendemos essa ação de Deus, como parte da restauração de todas as coisas,
anunciadas pelos profetas para nossos dias ... já desde mesmo o princípio do
mundo.
4# - Os manuscritos estão em posse da Igreja. Há estudiosos que têm duvidado da
antigüidade atribuída ao documento. Julgam que as múmias portavam uma cópia
mais recente em vez dos ori-ginais. Mas seja qual for a verdade, em nada fica
prejudicado o ponto básico de nossa argu-mentação.
(1) É característico das ações de Deus nas res-taurações do Evangelho à Terra, ao
conferir as chaves do Sacerdócio, usar sempre Seus mensa-geiros corpóreos -
ressuscitados ou translada-dos, como nno caso dos visitantes de Abraão e Lot.
Moisés e Elias visitaram Jesus no monte da transfiguração; Gabriel visitou
Zacarias, Maria e Isabel. Todos os seres que visitaram Joseph Smith e seus
associados, eram ressuscita-dos ou transladados. Para conferir Seu Sacer-dócio,
Deus não usa espíritos ministradores, assim Ele suplanta as ""revelações"’ de
Lúcifer com seus "ministros" intangíveis. Mas essa precaução sábia de Deus só
pode trazer benefícios aos que alcançam entendimento... os de-mais mergulham no
engano, submetidos às revelações de Lúcifer através dos seus falsos ministros
incorpóreos, os espíritos que se intitulam mestres do além; para contaminar os
desobedientes com miríades de falsidades. Eles são os mestres da reencarnação.
Com seu grande conhecimento, fabricam poderosas "evidências" em favor dela;
tiram dos homens o entendimento e avaliação do poder e do efeito da expiação de
Jesus Cristo; anulam a palavra comunicada aos apóstolos pelo Espírito Santo.

5 # - "Aliás, conforme a lei, é com sangue (do sacrifício de Cristo) que quase todas
as coisas se purificam, e sem a efusão de sangue (de Deus) não há perdão" (Heb 9
:22). Nem todas as coisas se purirficam porque muitos não se dispõem a cumprir a
lei imutável. Mas, mesmo os que cumprem a lei integral, só obtêm o perdão do Pai
para viver em sua presença, pelo mérito de perdão que lhes é concedido no
sacrifício sangrento do Filho; o qual, o Pai também sofreu por empatia e por
conhecimento de causa. Ele teve de surportar a dor de testemunhar o suplício de
Jesus, pelo amor que ambos têm pela humanidade.

6 # - Ver o livro Vida após a Vida, do Dr Raymond A Moody Junior. Uma


demonstração de que a mente do homem sobrevive à morte do corpo integrada a
um corpo d espírito.
A palavra pó é a figura de linguagem usada pelo Senhor para referir-se aos
elementos constituintes dos Seus planetas e sois. Hoje, somos tão semelhantes aos
nossos pais mortais, quanto o primeiro ho-mem da nossa geração eterna (Adão) foi
semelhante a Deus na o-casião da criação (antes da queda física). Aquela
semelhança passou a mera aparência distante, depois que a corrupção física e a
morte dominaram gradualmente aquela criação original e perfeita.

7 # - Ver nota 5. em Notas do Capítulo II.


8 # - Ver a nota 4. Em Notas do Capítulo II.
9 # - Sendo a inteligência substância luminosa, quanto mais inteligente for um
espírito, mais brilho terá. Por isso o corpo de Deus refulge com luminosidade
insuportável aos olhos carnais do homem. Pela concentração de luz é que a glória
de Deus é um fogo devorador (nas palavras do apóstolo Paulo).

10 # - Joseph Smith aprendeu de Deus e nos deixou ensinamentos maravilhosos e


profundos: "... nenhuma partícula fundamental do grande universo pode ser
aniquilada ou destruída... os elementos têm existência eterna, eles são parte
constituinte do espaço, onde manifesta-se o espírito de influência e Poder de Deus...
o espaço é infinito e sempre existiu... os organismos tiveram um princípio, mas os
elementos fundamentais que os constituíram não... as leis são o fundamento da
existência organizada... o universo é constituído de duas espécies fundamentais ou
principais de matéria: uma mais ponderável pelos sentidos orgânicos do homem,
outra menos; ou seja: Matéria densa (elementos) e espírito (luz) em variedade de
formas e poder de manifestação... dessas espécies de matéria está formado tudo
que existe... a luz .que mais intensamente brilha no mesmo é aquela conhecida nas
escrituras como a Luz da Verdade... a luz que se irradia à imensidão do espaço
através de Cristo ... espírito e elementos não estão inteiramente separados (embora
possam ser discriminados entre si, diante da observação de sentidos especiais
dados por Deus aos seres organizados) ... há uma determinada ligação ou
entrelaçamento sutil entre espírito e elemento, por onde é comunicada alguma
radiância ou determinado grau de luz ou vida à matéria densa menos viva ... a Luz
da Verdade interpenetra todas as demais manifestações luminosas ou espirituais;
bem como todas as demais manifestações da matéria, ela comunica aos elementos e
aos seres, as leis que os mantêm nas suas próprias esferas de existência...existe um
determinado grau de espirito em todo elemento, sem o que, Deus não teria controle
total do Seu universo. Há um princípio de ação na luz ou espírito; há um princípio
de passividade no elemento". (Ver também 2 Nefi 2:13).

11 # - Em abril de 1983 lemos no Jornal do Brasil um artigo sobre as conclusões do


astrônomo brasileiro Mário Novello quanto à eternidade do universo. Negando a
teoria da grande explosão (big bang), ele defende a idéia das contrações e
expansões eternas.
(ver "Carta Aberta ao Ilustre cientista Mário Novelo" no livro
0 Evangelho Escondido capitulo 13)

12 # - Pelo caso singular e curioso que engendraram, os saduceus demonstraram


que, nos seus dias, a doutrina do selamento para a eternidade já era ensinada.
Exatamente por descrerem dela é que eles imaginaram a armadilha da mulher
casada sucessivamente com os sete irmãos, tentando confundir Jesus e desacreditar
a doutrina do selamento da mulher ao primeiro marido. Aliás, a razão para o
casamento com os irmãos era especificamente para levantar uma posteridade para
o primeiro falecido, o qual, não havia gerado filhos.
13 # - Nossos quatro primeiros capítulos foram escritos correlacionando assuntos
contidos
em O Pensamento Artificial, Psicocibernética e Explosão Biológica; para julgá-los
à luz da teologia da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

14 # - Um homem eventualmente produzido por processo assexual. Por meio de


técnicas a serem futuramente desenvolvidas pela engenharia genética - atuando
sobre o mecanismo automático de células cultivadas num meio apropriado.

15 # - Os geneticistas talvez preferissem: "O Senhor, Deus clonizou pois, o homem,


das células do Seu próprio corpo, cultivando-as no ambiente da Terra... formado o
homem, não aprovou (Deus) que ele estivesse só... anestesiou-o e, tomando-lhe
células ósseas de uma de suas costelas, o Senhor clonizou uma mulher..."
Amoramon entende que o corpo de Adão foi feito como um "clone" do corpo de
Deus, e então, a mulher foi "clonizada" das células ósseas do homem. Esses dois
primeiros corpos foram feitos de forma especial; para espalharem a semente
geradora dos demais corpos que surgiriam deles na mortalidade. Essa forma
especial, terá sido adotada, para que tudo se desse à semelhança do surgimento dos
dois primeiros corpos de espírito na eternidade: Primeiro o corpo do Deus
Principal; depois o da Mulher Celestial ... para a seguir, deles dois, ser gerada toda
a hoste de espíritos celestes.

16 # - A pergunta é feita aos do ocidente, mas os do hemisfério oriental poderão


considerá-la como se estivessem no outro hemisfério; a questão em pauta é a
justiça e eqüidade.

17 # - "Com efeito, as palavras hebraicas perdem sua força quando traduzidas em


língua estrangeira ... a lei e os profetas, e ao outros escritos são, quando traduzidos,
muito diferentes do que no texto original." (Prólogo do Eclesiástico)

18 # - O Reino de Deus sobre a terra será completamente estabelecido durante o


decorrer do sétimo milênio. Constituirá a grande nação dos justos; com domínio
mundial; disporá de duas capitais - A Nova Jerusalém, em Jackson County,
Missouri e a Jerusalém, na Palestina. O conjunto é chamado de Sião pelo Senhor.
(Ver o capítulo XXV )
19 # - Portanto, todo aquele que ainda não recebeu essa manifestação, pode estar
certo que ainda não encontrou, nem a promessa nem o caminho da verdadeira
obediência ... porque Deus não falha nas suas promessas, e se o homem não as
obtém é certo que ainda não fez por isso.

20 # - Ter livre arbítrio é poder escolher para si mesmo, até mesmo a escravidão.
Por isso, o livre arbítrio não deve ser conceituado como liberdade no consenso do
evangelho. Como não pode haver liberdade sem que ela seja plena, a verdadeira
liberdade está adiante de nós, no porvir eterno. É uma conquista futura, porque
ela está condicionada por Deus à boa aplicação que fizermos do livre arbítrio que
Ele nos concedeu ... para decidirmos se obedeceremos ou não às Suas leis e
ordenanças.

21 # - Em face dessas palavras do Senhor, soa estranho que nos escritos de Moisés
contidos na Bíblia, não haja alusão ao nome de Jesus Cristo. Essa constatação
torna óbvio o fato de que foram canceladas partes importantes do texto original. O
Livro de Mórmon fala desses cancelamentos em 1Nefi 13: 23-29.

22 # - Foi exatamente para preservar intactas as Suas palavras para o benefício das
futuras gerações, que Deus ordenou ao profeta Moroni que ocultasse os registros
sagrados sob a terra; preservou-os sob o Seu poder até o tempo designado; para
que sua leitura iluminasse nossa compreensão da Bíblia, e dos caminhos que Deus
usa para realizar as restaurações do evangelho; superando os erros e
cancelamentos que a corrupção humana introduz nas escrituras ao longo dos
séculos.
(Ver 2 Nefi 25: 21-22, e todo o capítulo 29)

23 # - "... a maior parte de Suas obras estão ocultas ... quando o homem estiver
acabado, então estará no começo; e quando cessar a pesquisa, ficará perplexo."
(Eclesiástico 16: 22 e 18: 6).
Será muito próprio dizer aqui que o mundo dos espíritos é um desses universos
paralelos; bem como os mundos de glória celeste, terrestre, teleste e até mesmo o
mundo da perdição. São todos eles universos paralelos e que obedecem suas
próprias leis, limites e condições.

24 # - Conseqüência da queda espiritual e física de toda a criação, para


acompanhar a queda das criaturas principais - o homem e a mulher.
25 # - Demonstra que o próprio Cristo efetivamente organizou sua Igreja no
concernente aos ofícios e encargos do Sacerdócio.

26 # - Ver o capítulo XV desta obra.

27 # -Essas dimensões de percepção são caracterizadas pela capacidade de cada


corpo individual, no seu poder de observar e se deslocar no universo total.
Presentemente, a percepção que temos do universo é muito reduzida, pelo pequeno
poder nos nossos corpos físicos.

28 # - Como um ser espiritual, Jeremias já era conhecido diante de Deus por obras
justas; desde os páramos da eternidade já havia sido selecionado e proclamado
profeta às nações, as quais, já estavam formadas na condição de espírito, antes de
mudarem de estado para o surgimento físico neste mundo atribulado, designado
para nossa provação.

29 # - Esta é uma escritura difícil, porque sugere ter o homem sofrido uma queda
espiritual, ainda mesmo antes de ter nascido. E que a redenção operada por Deus,
tornou-o novamente inocente como fora no princípio; para que ele pudesse
começar sua vida neste globo como um inocente diante de Deus...até a idade em
que começaria a ser visto como capaz de distinguir o bem do mal. Vamos
desenvolver o texto aceitando ser esta a correta compreensão do tema. Disse Paulo
que todos pecaram e estão privados da glória de Deus.

30 # - Ver 2 Nefi capítulo 30, no Livro de Mórmon.

31 # - Condição de primeiro estado do espírito.

32 # - Vieram lutar para implantar na Terra o sistema de governo dos céus, a


Teocracia - o alvo e meta final definidos por Cristo na sua oração modelo:
"...Venha a nós o Teu Reino, seja feita a Tua Vontade, assim na Terra como no
Céu."
33 # - A vitória no segundo estado é o meio para obtermos o direito de
desfrutarmos da plenitude da vida universal, como ela é desfrutada por Deus. Para
isso, precisaremos obter um corpo capaz de suportar a plenitude do Espirito. Esse
corpo glorioso é o summum bonum da questão Plenitude de Deus. É o corpo a que
fizermos jus na ressurreição, o que nos dará ou não a capacidade de viver a
plenitude. São tolos os que ainda não compreenderam a importância desses corpos;
que subestimam as promessas da ressurreição, em função da miséria que vêem no
nosso corpo presente. Pois, a tristeza que tal miséria nos comunica é proporcional à
grandeza da felicidade que nos comunicará depois o nosso corpo da ressurreição,
principalmente, ao ser investido das porções de glória do Espírito.

34 # - Quem não receber ao profeta, não pode edificar-se com suas palavras, as
quais, vêm de Deus; portanto, automaticamente, estará incapacitado por si mesmo
para receber a manifestação da promessa: - o dom e o testemunho do Espírito
Santo.

35 # - Como o Senhor declara, se não houvesse homens capazes de aceitar os


encargos dessa obra, a terra toda seria ferida com maldição.
Se, na presciência de Deus, não fossem enviados entre os homens desta geração,
alguns espíritos especiais e que seguramente aceitariam trabalhar para fazer
cumprir os convênios feitos pelo Pai com os patriarcas; para que os desígnios de
Deus pudessem ser cumpridos; então, a terra não teria servido o propósito de sua
criação. Toda ela teria que ser destruída na Sua vinda. Assim, os pais que tenham
vindo depois da ressurreição de Cristo, não poderiam ser salvos, se os filhos não
realizassem por eles as ordenanças indispensáveis e que só podem ser cumpridas
em justiça, se realizadas aqui mesmo na mortalidade: " Quem crer e for batizado
será salvo; quem não crer será condenado".
Ninguém que tenha deixado para trás a mortalidade sem ter cumprido a justiça do
"renascimento" - pela fé em Cristo, arrependimento e auto-sujeição à ordenança
do batismo por imersão em água - repetimos, ninguém que tenha partido deste
mundo nessas condições, poderia obter justificação para ser salvo, anulando a
palavra de Cristo; a menos que Deus tenha providenciado um meio para que o
mandamento fosse cumprido de outra forma que Lhe fosse aceitável.
A pregação do Evangelho aos mortos e os batismos por procuradores mortais foi o
meio estabelecido por Deus para que a justiça fosse cumprida.
Veja-se a palavra de Paulo em 1 Cor 15: 29.

36 # - A organização da Igreja é o fundamento para a futura implantação global do


Reino - nos seus aspectos administrativos sob a Ordem Unida; econômico, sob a
Lei da Consagração e Mordomia; e sob a forma de governo Teocrático. Primeiro
vem a Igreja, para instruir, conscientizar e espiritualizar o homem segundo Deus e
não o diabo. Depois, em decorrência, vem o governo mundial, nos seus aspectos
sociais, econômicos e políticos. Este é o programa que Deus segue paulatinamente,
ele é implantado lentamente porque o homem é lento no seu processo de mudança
espiritual; retarda as grandes bênçãos que Deus tem em reserva e não pode
derramá-las sobre quem não se alinha com Suas palavras e que não obedece com
correção o que Ele manda.

37 # - Desde Adão até nossos dias, pelo menos por seis vezes, Deus nos trouxe a
oportunidade para estabelecermos Seu Reino na terra. Mas, a não ser entre o povo
liderado por Enoque e, mais tarde, entre o povo de Melquisedeque (muito
possivelmente) Seu desejo não foi concretizado pelos homens.
Na maioria das vezes, a oportunidade oferecida não passou da parte inicial do
estabelecimento do Reino: - o chamado do profeta; a revelação do Sacerdócio e o
estabelecimento da Igreja. Porque, a continuação do programa para a implantação
da Sião de Deus, com seu governo teocrático, em poder espiritual, social,
econômico e político sobre as demais nações estabelecidas, nunca foi conseguido;
exceção feita aos casos isolados e já citados; eles foram verdadeiras "ilhas de
justiça", mas cercadas de iniquidade por todos os lados, até que Deus transladou-
os para um habitat superior. Por isso, os homens das diversas gerações têm perdido
a perspectiva da amplitude e importância do programa do evangelho. Eles
perdem-se no mar de controvérsias religiosas que se formam ao longo das
gerações, sem jamais darem com a verdadeira luz da revelação contemporânea.
Mas a obra de Deus não se pode frustrar. Embora conhecedor da fraqueza
humana das sucessivas gerações, diante das oportunidades que seriam concedidas,
Deus não poderia deixar de oferecê-las. Pois é através delas que os indivíduos e os
povos serão julgados. Aqueles que ainda pensam que o Reino de Deus é apenas um
conjunto de preceitos piedosos; adaptáveis como praticável aos sistemas sociais,
econômicos e políticos adotados pelas diversas nações, não têm a justa visão das
ações e revelações do Pai universal. O Reino de Deus é um sistema total de poder e
não apenas um conjunto de palavras bonitas e sentimentos piedosos. Para Deus, é
uma questão de honra o seu estabelecimento em definitivo a partir do próximo
milênio; o tempo dado aos homens para fazerem suas experiências está no fim.

38 # - Referência do Eclesiástico, um livro apócrifo. Embora não seja do cânone


das Escrituras é, sem dúvida, um livro inspirado. Há muita edificação em suas
páginas.

39 # - Foi através de Sua missão na primeira vinda, que o poder da redenção física
e a plenitude da Salvação espiritual foi desenvolvido e garantido a todos os homens
que obedecerem integralmente a lei de Deus e os seus convênios.

40 # - Deuses porque Deus os tornou perfeitos, passo a passo, ao longo da provação


do tempo e da eternidade.
41 # - Não porque Deus o desejasse, mas por causa da indiferença de muitos.

42 # - Pensamos (particularmente) que os materiais físicos dos quais nosso planeta


foi organizado para habitação da raça adâmica, já haviam sido usados
anteriormente na formação de outros mundos, por outros Filhos de Deus. A
condição subumana de vida que esses fósseis nos demostram terem vivido aquelas
multidões de seres, está coerente com a idéia de desaprovação e destruição de seu
mundo naquele estado de degeneração física e espiritual a que devem ter chegado
os seus habitantes. Hoje, aqui mesmo entre nós, testemunhamos a existência de
seres grandemente decaídos física e espiritualmente, entre determinadas tribos de
silvícolas e habitantes da Oceania.
Após cumpridos os Seus planos e julgamentos, Eles partiram; deixando no bojo da
matéria bruta desses mundos destruídos, os fósseis que temos descoberto. Por
incontáveis milhões de anos fragmentos desses mundos vagaram no universo, antes
que nosso Pai decidisse organizar um novo mundo, e que nos instruísse para vir a
ele, através do Adão designado para esse novo mundo - e assim indefinidamente;
para ass novas gerações de espíritos poderem experimentar o segundo estado (a
vida na carne mortal).
Esses restos fósseis, serviriam para testar a fé dos novos residentes dos mundos
assim organizados. Pois, a revelação concernente ao Adão de cada um deles, estaria
sempre em desacordo com as futuras descobertas científicas. Com que palavra
ficariam os testados; com as do Seu Testador ou com a dos cientistas do seu
mundo?

43 # - Ver os números 21 e 22 do Capítulo I, A Teologia e a Cibernética

44 # - Todos os sinais anunciados para alertar os habitantes da terra nos últimos


dias, estão aí diante de todos. Confiramos no capítulo 24 de Mateus; vejamos a
resposta dada por Cristo à pergunta dos seus discípulos: "Diz-nos quando vai ser
isso, e qual o sinal de tua vinda e da consumação dos tempos".
A resposta de Jesus é tão vasta quanto o alcance da pergunta de seus discípulos; a
qual, começou por referir-se à destruição do Templo de Herodes
(que viria a acontecer no ano 70 d. C), mas a resposta continua mais além e vai até
ao sinal que seria dado aos habitantes da terra nos últimos dias
( próximo ao princípio do sétimo milênio ou sétimo dia).
Todo o capítulo 24 de Mateus traz a resposta, porém ela vai ainda adiante e
abrange todo o capítulo 25, onde Jesus expõe as parábolas que se aplicam ao
comportamento dos que almejarem a salvação no Reino dos Céus.
Destacamos aqui o versículo 14 do capítulo 24 de Mateus:
"E este Evangelho do Reino será proclamado no mundo inteiro, como testemunho
para todas as nações. E então virá o Fim."
Aqui é importante meditarmos um pouco nessas palavras, perguntando a nós
mesmos: Quando, depois da vinda de Cristo, o evangelho deixou de ser
proclamado no mundo inteiro conhecido?
Na China antes de Mao Tse Tung, na Rússia dos Tzares, enfim na Eurásia de modo
geral, na Austrália, na Oceania, nas nações do Ocidente e do Oriente;
perguntamos: - Onde entre todas essas nações, o evangelho segundo o catolicismo
e, mais tarde segundo o protestantismo e hoje nas suas mais variadas formas e
denominações; onde e quando o evangelho deixou de ser proclamado? Onde, no
mundo conhecido, a Igreja Católica deixou de plantar suas raízes e proclamar sua
mensagem?
Entretanto, mesmo assim, a palavra do Senhor, depois de dizer que surgirão falsos
profetas em grande número, e que enganarão a muitos (versículo 11); diz que, no
final, "Este Evangelho do Reino será proclamado no mundo inteiro".
Isso torna evidente que o Evangelho do Reino a que o Senhor se refere, não é o
evangelho que tem sido pregado ininterruptamente no mundo. Se fosse, o Senhor
estaria errado ao afirmar que seria proclamado o que nunca deixou de ser
anunciado. O Evangelho do Reino é sim, algo muito diferente do que está sendo
pregado desde muitos séculos pelos já profetizados falsos profetas que se
instalariam depois dos dias dos apóstolos; que divulgariam suas falsas doutrinas no
mundo, e que se possível, enganariam aos próprios eleitos. (ver Mateus 24:23-25).
Jesus descortinou todo o plano de Satanás diante de nós que viríamos à
mortalidade nos últimos dias
- Quem está disposto a entender Suas palavras?
Que vitória excelente para o espírito é poder olhar para a pompa com que alguns
líderes religiosos se apresentam no mundo, e vê-los na nudez do que eles
verdadeiramente representam! Que excelente vitória para o espírito é ouvir a
poderosa eloquência dos aplaudidos pastores auto-constituídos, e poder discernir o
que é certo ou errado no que eles proclamam!
Cristo entregou a nós o seu discernimento superior nas palavras que deixou por
seus apóstolos. Quem se deixar enganar a despeito delas, é porque não exerceu o
esforço devido para entendê-las ... levará consigo esta culpa para o mundo
vindouro.

45 # - A restauração de todas as coisas (Atos 3:19-23) incluiu a restauração das


bênçãos do sacerdócio a todos os filhos do Adão deste nosso mundo; pois, a 8 de
junho de 1978, a maldição sobre a semente de Caim foi retirada - por revelação de
Deus ao Presidente da Igreja e Quorum dos Doze Apóstolos. Mais, uma evidência
da proximidade
da volta do Senhor Jesus Cristo.
Mas, o alcance dessa restauração vai muito mais além no passado do que
imaginamos à primeira vista da questão. Ela alcançará a condição paradisíaca de
vida em que viveram nossos primeiros pais; e, em prosseguimento, restaurará
alguns de nós à presença do Deus Pai aqui neste mundo mesmo, erguido à
condição dos mundos celestiais. É por isso que Pedro fala de restauração universal
ou de todas as coisas, para bem caracterizar o amplitude do trabalho de Deus nos
últimos dias. Embora a restauração do sacerdócio e da Igreja de Jesus Cristo na
terra sejam um primeiro passo, necessário e indispensável, não é de forma alguma
por si só o escopo geral da restauração.
46 # - Considerando as palavras da maldição, concluímos que sua retirada, ao ser
iniciada a restauração de todas as coisas (Atos 3: 19-23) trará, gradualmente,
as seguintes conseqüências:
1 - A cor negra e seus característicos raciais desaparecerão gradualmente da terra
no decurso de um relativamente breve período (entre o final do sexto e o princípio
do sétimo milênios);
2 - os acontecimentos precedentes à entrada do Milênio da Paz que contribuirão
nesse mister, poderão ser:
Uma crescente miscigenação, guerras em geral (especialmente na África), com os
conseqüentes surtos de peste e fome; cataclismos em geral; descobertas dos
geneticistas influenciados pelo Espírito.
A edição do primeiro volume deste livro, deu-se em 1975. Este autor não é o
profeta, mas está associado com eles como integrante da verdadeira Igreja de Jesus
Cristo.
É admirável como todas essas coisas estão acontecendo aceleradamente hoje
diante de nossos olhos, entre as décadas de 80 e a entrada do ano 2.000!
Mais um pouco só, e uma revolucionária descoberta científica, entrará em jogo e
atuará na genética da raça negra em todo o globo; em obediência ao decreto de
Deus - a restauração de todas as coisas ao seu estado inicial.
No princípio do nosso princípio, não havia negros na terra ... e assim voltará a ser
no decorrer deste nosso novo "princípio" - o Milênio.

47 # - O apóstolo referia-se à falsidade da doutrina que impunha o voto de


celibato, Já desde os seus dias, os membros da Igreja portadores do sacerdócio e
exercendo suas posições eclesiásticas na administração da Igreja e de suas
ordenanças, começaram a ser levados a um celibato forçado - inteiramente contra
o plano estabeleciido por Deus para o Seu sacerdócio desde o princípio; e também
à falsa doutrina de que o homem não se deveria alimentar de carne. Paulo declara
textualmente que essas doutrinas são de espíritos enganadores e de demônios. Mas,
no caminho da apostasia anunciada, esse erro terminaria por vencer a doutrina
verdadeira. O véu de trevas espirituais que cobriria a mente dos homens,
anunciado por Isaías, deveria prevalecer ... para a condenação daqueles que se
perderão por não darem crédito à verdade, e por se comprazerem no erro.

48 # - É interessante notar o quanto essa data se aproxima da do nascimento de


Joseph Smith, 1805; e dos eventos maravilhosos que determinaram a restauração
do sacerdócio e da Igreja de Jesus Cristo.

49 # - A clareza meridiana dos ensinamentos revelados é o que condenará o


homem, se ele quiser consentir em permanecer ignorante diante da luz que lhe é
oferecida pela
palavra de Deus.
50 # - As criações físico-espirituais : matéria mais densa ou elemento, combinada
com maior quantidade de matéria lucificada ou espírito. Essas criações dão aos
elementos uma condição ou estado de vivificação paradisíaca, numa etapa
intermediária; para no final receberem em definitivo o acréscimo de luz ou glória a
que fizerem jus. Note-se que as criações de puro espírito, já haviam sido
concretizadas no seu plano de existência. As quais, diz o Senhor que permanecem
no mesmo estado de sua primeira manifestação.

51 # - A palavra profeta significa professor. Quando aplicada ao povo hebreu, deve


ser entendida como referindo-se àqueles homens chamados por Deus para ensinar
ao povo
o caminho da salvação.
Cristo referiu-se ao Batista, como sendo o maior dentre os profetas nascidos da
mulher; no entanto, ele não fez previsões do futuro - apenas ensinou com toda
força a doutrina do arrependimento e do batismo para a remissão dos pecados,
fundamentadas todas essas coisas em fé no Messias.

52 # - Coisas relacionadas com os convênios, promessas e ações realizadas por


Deus; para dar cumprimento ao Seu grande Plano de Salvação. Cuja meta é
proporcionar-lhes a imortalidade e, condicionalmente, até mesmo a vida eterna,
que é a Sua presença.

53 #- - A finalidade dessas guerras é que os povos submetidos a governos


totalitários que proscrevem o ensino do evangelho, possam exercer a consciência
livremente e definir suas posições diante do chamado de Deus para edificar Sião
nos últimos dias.

54 # - Ver Éter 8: 20-26. Hoje, exatamente como no tempo antigo, antes que fossem
enviados os grandes julgamentos de Deus, as combinações secretas tomaram corpo
entre as nações. Grandes grupos humanos se organizam para oficializar seus
desregramentos; ganham poder político para inverter e corromper os valores
judaico-cristãos; poder para colocar mentiras, subverter, furtar, roubar, extorquir
e assassinar. A maior de todas essas combinações secretas que se formou nos
últimos dias era o comunismo sino-soviético; ela durou 72 anos na União-soviética
e perdura até hoje na China e em alguns países menores. Mas seus dias estão
contados. Com a aproximação da segunda vinda de Cristo todas elas irão caindo,
uma após outra; bem como as ditaduras em todo o globo.
55 # - Quando estiver plenamente caracterizada da parte dos gentios, a rejeição do
evangelho restaurado ou evangelho eterno ou evangelho do reino, conforme
referido intercambiavelmente pelo Senhor em Suas palavras; quando essas nações
constituídas pelos povos que se dizem cristãos mas que não cultivam o
discernimento espiritual para identificar o verdadeiro trabalho do Pai nos últimos
dias; que frontalmente resistem ao Espírito do Testemunho da Restauração e o
rejeitam; então, terão agido como os judeus que se negaram a reconhecer ao
Senhor; terão jogado fora como eles sua grande oportunidade (ver o capítulo IV,
2o Volume deste livro).

56 # - A destruição das nações será a confirmação dos decretos de Deus,


corroborando o testemunho dos élderes. Porque os povos constituintes da
cristandade moderna, os gentios, terão rejeitado os que lhes foram enviados ... suas
oportunidades estarão terminadas, devido à incredulidade na palavra que os
poderia salvar. Eles rejeitarão as revelações modernas pelo apego que têm à fé
naquele mesmo evangelho incompleto que contaminou seus pais. Mas seu pecado
é maior, porque viveram nos últimos dias, nos dias em que essas revelações seriam
enviadas à terra dos mortais, e com a séria advertência de Deus de que quem não
cresse seria condenado.

57 # - (Cancelada)

58 # - As origens do nome JESUS:


Tetragrama significa quatro letras. Tetragramaton significa em particular as
quatro letras consoantes usadas pelos hebreus antigos para expressar o nome
sagrado e impronunciável da deidade (torna-se impossível pronunciar uma palavra
que só tenha consoantes:
YHWH, YHVH, JHWH, JHVH, JHVH. Essas palavras passaram a poder ser
pronunciadas ao serem adicionadas as vogais: YaHWeH , YaHWe, JaVHe, JaHVe,
JaHVaH, JaHVeH.
Jehovah tornou-se a forma inglesa para essas variações. Yãh é uma contração
dessas variações. Hõshia significa ajuda, ajudar. A união de Yãh com Hõshia
resultou em Yeoshu'a (ajuda de Jeová} que resultou em outra contração - yeshu'a -
a qual deu origem ao nome Jesus.
As outras formas antigas do nome Jesus, todas derivaram dessas contrações:
Jeshua, Joshua, Jehoshua, algumas variantes incluem: Hosea, Hoshea, Oshea,
todos esses últimos nomes significando libertação.
O nome Jesus, portanto, é uma supercontração significando: Jeová é salvação (ou
libertação).
Messiah ou Messias vem do hebraico e significa ungido. Cristo é a forma grega
para ungido.
Por tudo isso, o significado do nome Jesus Cristo é, nada mais nada menos do que
: Jeová é o Salvador (ou Libertador) Consagrado. Foi por isso que o anjo
determinou à Maria que deveria dar ao seu primogênito o nome de Jesus.

59 # - Referimo-nos aqui ao celibato e à indissolubilidade do casamento.

60 # - A presente nota foi aqui colocada para satisfazer a curiosidade de muitas


pessoas sobre a adoção da poligamia entre os líderes da Igreja de Jesus Cristo
durante um período de aproximadamente 63 anos. Os dados aqui apresentados
foram colhidos do Livro de Hyrum L. Andrus - Doctrines of the Kingdom, Vol. III
Foundations of the Millenial Kingdom of Christ. Esse autor citou as inúmeras
referências de onde colheu seus próprios dados para escrever a matéria. Aqui não
citaremos todas essas fontes,
por absoluta falta de espaço.
Foi no ano de 1831 que o profeta Joseph Smith recebeu a revelação sobre o
casamento plural. Nessa ocasião o Senhor mostrou as mulheres que a ele seriam
seladas quando recebesse o mandamento de dar início a esses casamentos. ( pag.
451. 2o parágrafo).
Fanny Alger aos 21 anos de idade foi a primeira esposa plural do profeta.
A união aconteceu entre o final de 1835 e o princípio de 1836 em Kirtland, o
profeta tinha 31 anos de idade (pag. 452, nota 44).
Louisa Beamon foi a primeira esposa selada ao profeta em Nauvoo, está registrado
que a união se deu em 5 de abril de 1841. O elder Joseph B. Noble oficiou esta
cerimônia repetindo as palavras que o profeta lhe dizia (pag. 453).
Não se sabe exatamente quantas mulheres foram unidas ao profeta antes de sua
morte em 1844.
O sentimento de Emma Smith sobre o casamento plural, flutuou entre a aceitação
humilde até a mais amarga das oposições.
Em 12 de julho de 1843, a revelação estabelecendo a lei do casamento plural foi
lida por Hyrum Smith para várias autoridades da Igreja (pag. 454).

Ao terminar a leitura diante do Alto Conselho de Nauvoo, Hyrum disse: "Agora!


Vocês que crerem nesta revelação e forem adiante e
obedecerem, esses serão salvos, e os que rejeitarem serão condenados!"

William Law, um dos conselheiros do profeta na presidência, opôs-se e se tornou


um redator chefe do Nauvoo Expositor, um organismo que se tornou um dos
instrumentos que levaram o profeta à morte.
Dois dos membros da presidência da estaca de Nauvoo entraram na oposição; um
membro do sumo conselho da estaca também opôs-se; os onze demais apoiaram.
O original da revelação sobre o casamento plural, que foi escrito pelo profeta, foi
destruído pela ira de Emma Smith. Mas providencialmente, o bispo Newel K.
Whitney pedira a Joseph para fazer uma cópia da revelação, a qual foi autenticada
pelo profeta. Dessa forma, nenhuma palavra se perdeu.

Mais tarde essa cópia foi entregue ao presidente Brigham Young pelo mesmo bispo.

Joseph Smith disse que havia muito mais ainda que poderia ter escrito na
revelação; mas que por hora era suficiente o que havia escrito.
Nos dias de Joseph Smith e Brigham Young, muitos membros foram
excomungados por se terem unido a esposas múltiplas, sem a isso terem sido
comandados pelo profeta - o único a deter essa chave; como era o caso do profeta
Samuel no tempo do rei Saul e do profeta Natan na época do rei David.

Oliver Cowdery foi um dos que cometeram esse erro. Casou-se secretamente,
perdeu o Espírito e se deixou superar; tendo de ser cortado da Igreja.
Foi muito difícil para o profeta dar início à prática desse mandamento.
Entre os anos de 1834 e 1842, o anjo veio por três vezes ao profeta com a ordem de
que ele desse início ao casamento plural. Como o profeta ainda hesitasse, o anjo
veio pela quarta vez, desse feita brandindo uma espada e dizendo que se ele não
cumprisse a ordem seria destruído.
Quando a partida foi dada, muitos membros proeminentes da Igreja, e muitas das
mulheres mais dignas e puras, foram tomados de perplexidade e dúvidas. Quando
o profeta lhes dizia ter recebido uma revelação de que deveriam tomar uma esposa
múltipla e lhes dava o nome dela; ou quando lhes pedia que falassem com uma sua
irmã ou filha, a qual havia sido designada pelo Senhor como esposa múltipla do
profeta; a maioria sentia que a palavra de Joseph somente, não era suficiente para
fazer suas mentes superarem o sentimento contrário ao princípio.
O profeta simplesmente compreendia suas perplexidades, e os
desafiava a perguntar ao Senhor; dizendo que eles saberiam por si mesmos que o
princípio era correto e da vontade de Deus que fosse praticado. Grandes revelações
individuais foram recebidas naqueles dias, e deram a muitos homens e mulheres
um testemunho indiscutível de que era aquela a vontade de Deus.
Mesmo entre os membros da Igreja, esse princípio era para ser de prática muito
limitada. Para tal, o Senhor só chamou os mais puros, virtuosos, honrados e justos
(pag. 480)
A justificativa desse tipo de casamento é: "levantar semente para Cristo".
Isso tem um significado muito maior do que simplesmente gerar filhos. O princípio
é o de gerar filhos que possam ser educados no evangelho do reino; que sejam
preparados para receber o sacerdócio de Melquisedeque e para se tornarem os
futuros sacerdotes e reis, rainhas e sacerdotisas para o Deus Altíssimo, na
eternidade.

Por todas essas coisas é o entendimento deste autor:


Deus nunca instituiria o casamento múltiplo para o mundo em geral, nem mesmo
para a maioria dos membros da Igreja no estado espiritual em que ainda se
encontram ; pois se o fizesse, estaria trabalhando contra Si mesmo; ao levantar
semente que não teria condições de ser estritamente educada para alcançar a Sua
presença; pela incapacidade espiritual da maioria dos santos e de suas esposas ...
ainda despreparados e inconscientes de sua verdadeira missão na terra, mesmo
sendo membros da Igreja.
Mas, depois da volta de Cristo, no princípio do Milênio e no seu decorrer, os
membros da Igreja terão em si muito maior espiritualidade e conhecimento.
Portanto, muitos serão chamados para a responsabilidade de patriarcas de
famílias muito numerosas; terão várias esposas ... e levantarão sementes para
Cristo, como é do desejo do Deus Pai.

61 # - Como já dissemos anteriormente, este livro teve sua primeira edição em


1975. Em apenas 22 anos, aquilo que comentamos e que parecia um sonho distante,
começou a ter sua realização; com animais primeiramente; pouco depois irá
realizar-se com o próprio homem ... quando passar o impacto ético, formado
inicialmente pela perplexidade da comunidade mundial diante da descoberta. As
grandiosas e radicais mudanças mentais, físicas e espirituais por que passará a
sociedade humana que permanecer na terra durante o Milênio, já estão mostrando
seus caminhos sem que as multidões percebam o que está acontecendo. Sobre essas
mudanças, incluiremos nesta edição um outro apêndice - Finalmente a um passo
do Milênio.

62 # - Por se tratar da ressurreição, note-se que essa passagem não fala de sangue e
fôlego da vida natural (o ar); ela fala, sim, de carne, ossos e espírito - os
fundamentos da constituição dos corpos espirituais ressuscitados e do seu habitat,
também ressuscitado. Isso porque carne com sangue não resistem o Espírito.

63 # - "E nosso alimento, precisamos compreendê-lo antes de engoli-lo? Se nos


recusássemos a comer qualquer coisa antes de poder compreender o mistério de
seu crescimento, morreríamos de inanição. Mas o mistério não nos aborrece na
sala de jantar; é apenas na igreja que se constitui em pedra de tropeço.

64 # - Embora tenha vivido muito tempo antes de Joseph Smith, Nostradamus fez
uma declaração "profética" que o colocaria futuramente em rota de colisão com as
revelações recebidas de Jesus Cristo e proferidas para os últimos dias por Joseph.
Nostradamus disse que só haveria salvação na Igreja Católica. Enquanto Joseph
declarou só haver salvação (plena) na verdadeira Igreja de Jesus Cristo, a qual,
definitivamente não é a Católica.
Revelação contra revelação só nos pode levar à seguinte conclusão: As fontes
reveladoras são opostas.
No tempo de Nostradamus a Igreja de Jesus Cristo não estava na terra, mas isso
não justificaria a profecia da salvação que ele fez, já que ela é falsa,
desde então e para sempre.

* * *
FIM DAS NOTAS DA SEGUNDA EDIÇÃO