Вы находитесь на странице: 1из 64

Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software

http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Amor
Vampírico
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

PARTE 01 - O REENCONTRO DOS VAMPIROS

PARTE 02 - A PRIMEIRA NOITE

PARTE 03 - A SEGUNDA NOITE

PARTE 04 - TERCEIRA NOITE A ÚLTIMA


NOITE DE LADY DRY

PARTE 05 - OS DESEJOS DE BRIDA A


VAMPIRA

PARTE 06 - BRIDA A VAMPIRA NO CASTELO


DE LORD DRI

PARTE 07 - BRIDA NO CASTELO DE LORD DRI –


CONTINUAÇÃO

PARTE 08 - BRIDA NO CASTELO DO LORD DRI -


PRÓXIMA NOITE DE FESTA

PARTE 09 - BRIDA NO CASTELO DE LORD DRI -


A ÚLTIMA NOITE

PARTE 10 - DARK ROSE NO CASTELO DE LORD


DRI

PARTE 11 - DARK ROSE NO CASTELO DE LORD


DRI PARTE

PARTE 12 - PARTE 3 - A VAMPIRA DARK


ROSE

PARTE 13 - A VAMPIRA DARK ROSE - ÚLTIMA


PARTE
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

O Reencontro dos Vampiros


Já se passava das oito horas. O castelo de Blackmour estava aberto
para visitas. Ele seria leiloado esta noite e os compradores estavam no
local para visitar a estrutura.
Lord Dri e o seu fiel amigo Rafael passeavam pelo castelo para
averiguar a sua estrutura.
- Mylord este castelo parece mesmo apropriado para o que tem em
mente.
- Sim Rafael! Apenas alguns ajustes e teremos uma morada de muito
prazer e emoção.
Lord Dri vê as pessoas que estavam apreciando a grande sala do
castelo. Ele reconhece uma mulher entre elas.
Ela é alta tem cabelos escuros, os olhos verdes que destacavam em
sua pele morena e o seu vestido escuro que apertava nas curvas.
Estava acompanhada com uma mulher loira de óculos escuros, com um
vestido vermelho. Elas estavam conversando com o dono do leilão. O
Lord não pode conter-se. Ele sorri e vai ao seu encontro.
- Mylady Dry! Mas que surpresa.
- Lord Dri meu querido. A quanto tempo não nos vemos.
- Sim! É verdade... A última vez que nos vimos foi num passeio de trem.
- Oh! É mesmo! Que passeio magnífico foi aquele. Tantos humanos
saltando para o abismo enquanto sugávamos o sangue dos que tinham
medo de pular.
- Foi uma muito maravilhosa ao seu lado Minha Lady.
- E teremos muitas como está querido. Deixe-me apresentar minha
acompanhante. Safira.
- Muito prazer Safira. É uma mulher tão linda quando a Dry.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- Obrigada Lord. Espero que possamos nos conhecer melhor.


- Sem dúvida. Este é meu amigo Rafael. Ele sempre me acompanha nos
leilões. Eu adoro gastar e desejo muito este castelo.
- Seus desejos são sempre magníficos Lord. Safira também cuida dos
meus concorrentes.
Lady Dry abraça Safira e lhe dá um demorado beijo. Lord Dri levanta a
sobrancelha mostrando-se curioso com tal gesto mas ele se lembra que
a Lady Dry adora mulheres. Logo ele sugere:
- Melhor nós irmos até a sala do castelo é lá que o leilão vai começar.
Enquanto eles caminha para a sala, Rafael conversa com o Lord Dri.
- A Lady Dry é linda. Lembra muito a Vampira Carmilla do Sheridan Lê
Fanu
- Meu caro Rafael. Dry conheceu Sheridan em 1840, eles tiveram um
paquerar (bicar) na época.
- Então ela aprecia escritores?
- Todas as mulheres apreciam. Ainda mais as vampiras que amam
ficarem eternizadas nos livros e para isso elas seduzem os escritores e
eles adoram.
- Incrível. Ela realmente é uma mulher sem igual.
O lugar estava cheio. O Lord Dri senta distante da Lady Dry. Os
compradores ficam sentados enquanto o leiloeiro explica mais sobre o
castelo. Depois de dez minutos ele começa o leilão.
O primeiro lance é de setecentos mil reais.
Depois de uma hora Lord Dri e Lady Dry disputam a compra do castelo.
O valor já havia passado de dois milhões.
Rafael pede licença para o Lord para ir até o banheiro. Logo em seguida
a Lady pede para que a Safira o siga.
Lord Dri percebe que a Safira segui o Rafael. Havia uma mulher perto
dele. Tinha cabelos vermelhos e a pele branca. Ele olha para os seus
olhos e em segundos a hipnotiza. Ele a comanda para seguir a safira e
segurá-la de qualquer maneira.
Seguindo as suas ordens ela se levanta e começa a andar com passos
acelerados até que a Lady Dry segura nos braços dele e fala algumas
palavras em seu ouvido.
A mulher volta para o seu lugar ao lado do Lord sorrindo.
Lady Dry faz o seu lance final dois milhões e quinhentos mil.
Lord Dri estava para fazer o seu lance quando a mulher de cabelos
vermelhos se levanta e começa a beijar o Lord. Conforme ela beija
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

apaixonadamente ela abre a camisa dele e vai beijando seu peito. Ele
tenta fazer o lance final mas a mulher estava completamente excitada
com ele. Começa a arrancar os botões da camisa. Beija o seu peito e
vai descendo até que começa a abrir o cinto da sua calça e ele tenta
segura-la mas é surpreendido com a visão da Safira agarrando Rafael e
fica na posição para morde-lo. Ele se levanta e a calça cai na frente as
pessoas que estavam ali.
O leiloeiro bate o martelo para o lance da Lady Dry e ele fica
levantando a calça até que a mulher de cabelos vermelhos desperta e
começa a gritar desesperada. O Lord tenta acalmá-la, mas ela da um
tapa na cara dele.
Logo ao término do leilão Lord Dri segue ao encontro da Lady Dry e
eles se encaram.
- Continua fazendo seus jogos Dry.
- Sempre querido Dri.
- Se fizer algum mal ao Rafael.
- Não se preocupe. Safira estava apenas brincando com ele.
- Eu preciso deste castelo. Ele seria minha nova morada.
- Sei bem que o queria meu querido, e posso dar este castelo de graça
se fizer um favor.
- Estou fora dos seus jogos Dry.
- Mas não é jogo nenhum. Apenas quero que você fique junto comigo
no castelo por seis dias. Se ficar. Ele é todo seu.
- Seis dias aqui?
- Sim. Mas pode mandar seu amigo para casa. Mandei que a Safira
parta para França e ficaremos apenas nos dois aqui.
- Por quê Dry?
Dry se aproxima do Lord e passa a mão em seu cabelo e desce para o
seu peito.
- Meu querido... Quero mostrar o que aprendi neste tempo que ficamos
longe e quero realizar alguns desejos que ninguém realizaria.
- Faz tempo que não me realizam desejos, mas como sabe o que eu
quero?
- Meu adorado! Eu sempre sei o que quer. Como nos velhos tempos.
Como quando nos envolvíamos nas noites do centro e fazíamos de tudo
com todos olhando.
- Eu me lembro perfeitamente. Homens e mulheres dançando a nossa
volta e nós, no meio deles completamente sem roupas.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- Sim querido! Bons tempos.


- Estou curioso para saber o que aprendeu em todo este tempo.
- Vai saber em breve. Amanha nos veremos então... Mas antes de ir...
Gostaria de saber se você ainda tem aquele fetiche de ser chamado de
mestre.
- Sim admito. Certos hábitos duram eternamente.
Lady Dry estala os dedos para a mulher de cabelos vermelhos e ela
sorri e corre para o Lord Dri e tenta arrancar as suas calças na frente
de todos e declama:
- Mestre... Preciso de você! Preciso agora! Por favor mestre....
Lord Dri grita para Dry:
- Não me deixe assim Dry. Volte aqui!

Lord Dri e Lady Dry


A primeira noite

Lord Dri chega ao castelo de Blackmour. A sala estava impecavelmente


reformada. As cortinas vermelhas destacavam-se com os móveis
coloniais. Dry tinha muito bom gosto. Ela era cuidadosa e já havia
estudado em vários países aprendendo a decoração moderna.
Em todo o lugar do castelo via-se claramente toques sensuais,
femininos. Ele a procura mas Dry ainda não estava a vista. Mesmo
chamando pelo nome. Parecia não haver ninguém no castelo.
Leva as malas para um dos quartos e as coloca na cama. Quando ele se
vira para sair do quarto ela o surpreende abraçando-o e lhe dando um
beijo.
- Meu Lord já esta aqui.
- Dry... você esta linda.
- Gostou do meu vestido. Comprei na França Adoro cores escuras. –
Ela pega nas mãos do Lord e o leva para passear no castelo. – Venha
meu Lord. Deixe-me mostrar-lhe o que fiz.
Eles caminham pelo castelo. Ela mostra algumas passagens secretas.
Brincam de esconder. Correm um atrás do outro como crianças em um
grande parque. Riem muito e se beijam como se fosse o primeiro
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

encontro. Finalmente ela o convida:


- Vamos para o meu quarto meu querido.
- Lady... Eu estava esperando você me dizer isso.
Os dois chegam ao quarto. A cama tinha mais de 3 metros. Eles se
jogam e se acariciam. Os beijos se tornam mais selvagens com o passar
dos minutos, já não estavam mais com as roupas. Lady implora:
- Diga meu Lord o que deseja... Hoje eu sou sua e farei tudo o que
quiser. Qualquer coisa.
- Por quê me realizar um desejo hoje apenas Dry?
- São segredos de mulheres, quer dizer, vampiras. Aprendemos que se
nos dedicarmos completamente, por apenas uma noite, para o homem
que nos deseja. Se fizermos tudo o que ele pede nesta noite. Ele será
nosso para sempre. Pois o que o homem mais espera de uma mulher é
atenção e dedicação e... Isso feito. Provoca no homem uma espécie de
aliança eterna. Tão perfeita que mesmo depois de anos eles se
lembrarão do que fizemos e sempre estarão presentes.
- É uma boa maneira de ser inesquecível! Diz Lord deitado na cama
com o braço apoiando a sua cabeça.
- São jogos que poucas mulheres sabem fazer.
- Talvez por isso eu esteja aqui. Para aprender mais sobre estes jogos.
- Não meu adorado Lord. Você está aqui porque me quer. Porque me
deseja. E porque sou o que você quer.
- Verdade Dry é difícil resistir aos seus carinhos e encantos.
Dry se deita ao lado do Lord. Ela coloca a mão dele em um dos seus
seios e passa os dedos em seus bicos... e desce para a barriga...
Ele a beija e ela o abraça. Se viram na cama as vezes lutando para ver
quem fica por cima. Mas ela quer brincar. Não pode ser tão rápido. Ela
pergunta:
- Então meu amado e ousado Lord. Qual o seu pedido?
- Me traga a melhor garrafa de vinho da sua adega e traga gelo.
Dry ri por alguns instantes. Mas faz o que o Lord Pede.
Quando ela traz o que ele pediu. Lord pede para que ela se deite.
Com alguns movimentos rápidos ele abre a garrafa de vinho facilmente.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Toma no gargalo sem usar copos e pede para ela fazer o mesmo.
Ele a arrasta para colocar as pernas da Lady para fora da cama e abre
bem as suas pernas.
Joga um pouco de vinho e lambe. Ela geme por alguns instantes. Logo
em seguida ele pega o gelo... passa em volta da sua vagina e depois
coloca o gelo na boca e começa a lamber por completo.
- Sim meu Lord! Isso mesmo.
Com o gelo ainda na boca ele sobe na cama e lambe os seus seios.
Para por alguns instantes. Pega o vinho e toma no gargalo novamente
mas ele não engole. Ele a beija e ela toma vinho da sua própria boca.
O Lord pega a garrafa e bate a parte de cima da garrafa no móvel até
quebrar, ficando apenas a parte de baixo da garrafa intacta. Ele pega a
garrafa com as pontas de vidro e corta um pouco o seu lábio inferior.
Misturando com o vinho ele a beija novamente. Ela toma o vinho e
chupa o sangue dos seus lábios.
Algumas gotas do sangue cai no corpo do Lord e ela vai lambendo até
chegar em seu pénis. Ela usa a garrafa para molhar o pénis com vinho
ela o toma completamente por alguns minutos.
O Lord fica excitado com a língua da vampira. Eles se abraçam e se
atiram na cama. Enquanto seus beijos selvagens passeiam pelos seus
lábios. Lord penetra em Dry. Deixando os corpos sentirem a música
nocturna. Entrelaçando como galhos de uma árvore na floresta.
O Lord comanda seus gemidos. Ele Puxa os seus cabelos enquanto
lambe o seu pescoço. A temperatura do quarto já passava de 50 graus.
Seus corpos queimavam. O prazer era intenso e por alguns instantes
infinito. Eles apreciam cada segundo de luxúria. Até que finalmente se
enchem de êxtase até que cada um se entrega a exaustão.Com os
corpos calmos e relaxados eles conversam sobre seu passado e
admiram o presente. Com toques leves em seus corpos eles falam de
paixão, de amor.
- Existe mais alguma coisa que eu possa realizar para você meu
senhor?
- Sim Dry... Beije-me. Como nenhuma mulher beijou... e me deixe ficar
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

no seu colo por alguns instantes.


Dry realiza o desejo do Lord sempre sorrindo e com carinho.
- Lord lembra de um passado. Não muito distante. Ele sempre desejou
uma noite assim. Cheio de surpresas. De prazeres, de desejos. Ele olha
para Dry e pergunta:
- Dry... Eu sempre quis fazer amor no telhado de um castelo. Com a luz
da lua e das estrelas nos iluminando.
- Então venha meu senhor. Iremos aproveitar esta linda noite.
Logo que eles fazem amor no telhado do castelo. Lord conversa com a
Dry sobre outros desejos.
- Eu sempre quis estar em uma casa nocturna e beijar duas mulheres
ao mesmo tempo.
- Meu senhor... Teus desejos são tão simples de realizar. O senhor
mesmo poderia fazer isso usando seus poderes hipnóticos.
- Mas assim não teria graça. Não teria conquista.
- Então meu senhor... Terei prazer em participar deste desejo.
Os dois voam para a casa nocturna mais próxima. Eles entram e logo
percebem que a casa estava cheia... Muitos humanos se divertindo,
bebendo e dançando.
Lord Dri e Lady Dry caminham por eles e são muito notados. Alguns
tentam tocar na pele da Dry... Algumas mulheres se encantam com eles.
Os dois dançam por alguns momentos na pista e todos assistem
impressionados com a leveza da dança. Quase como se tivessem
dançando e flutuando.
Lady Dry mostra para o Lord as mulheres mais bonitas da casa. Ele
escolhe uma de cabelos vermelhos e os olhos azuis.
Lady Dry se aproxima e se apresenta. Lord Dri fica afastado por alguns
instantes enquanto a Lady dança com a mulher.
Lord fica admirando os movimentos das duas até que elas se beijam.
Dry olha para o Lord enquanto ela beija a mulher as suas mãos vão
passeando pelo corpo dela.
Ele fica impressionado com a sensualidade das duas. Dry comenta algo
no ouvido da mulher e ela da uma boa olha no Lord e Dry o convida
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

para se aproximar. Ele chega bem próximo. Dry beija novamente a


mulher, pega a mão do Lord e coloca-a no rosto da mulher. Ele a
acaricia enquanto ela beija a Dry. Ele se aproxima e a mulher beija o
Lord por um bom tempo enquanto Dry os abraça e beija a boca dos
dois. Ate que lentamente, Dry vai beijando o rosto da mulher e desce
até o seu pescoço e finalmente morde com toda a força. A mulher tenta
gritar mas o Lord segura o seu grito com o beijo.
O banho de sangue tem início. Eles se divertem com a quantidade de
sangue que sai do corpo. Eles se beijam e vão levando a mulher para
perto das paredes. Depois de saciarem a sede eles deixam a mulher ali,
sem vida. Ainda se beijando muito, eles caminham normalmente em
direcção a saída da casa nocturna quando Lord Dri vê um casal muito
interessante.

Lord Dri e Lady Dry


Segunda Noite

Eram mais de nove horas da noite. Lord Dri se levanta e caminha pelos
corredores do castelo até encontrar o quarto de hóspedes.
O casal que eles trouxeram da casa nocturna na noite passada estavam
dormindo. A garota tinha aproximadamente 20 anos e seus cabelos
eram vermelhos, usava uma camisa preta e uma saia vermelha. O rapaz
que estava com ela não passava de 25 anos. Cabelos compridos e
roupas escuras.
A Dry hipnotizou eles para dormir até que ela os acordasse.
Ele se aproxima e coloca as mãos nas pernas da garota mas é
surpreendido pela voz da Dry.
- Meu senhor... Não sabia que apreciava mulheres dormindo.
- Eu apenas observava.
- Vamos ver então, se ele é uma boa sonâmbula.
Dry chega perto da garota e comanda para que ela se levante. Ela se
levanta e fica de pé com os olhos fechados.
Lord toca em seu corpo e ela não mostra nenhum sentimento. Dry
responde:
- Pode toca-la como quiser meu querido. Ela está dormindo e não esta
percebendo o que acontece.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Ele tira a camisa da garota e ela fica apenas com de sutiã, toca de leve
os seios e sobe as mãos para o seu pescoço. Ela continua sem sentir
nada. Então Lord sugere para que Dry de um pouco mais de emoção
para ela.
Dry comanda para que a garota se excite e ela sorri e abraça o Lord
dando-lhe um demorado beijo e enquanto o Lord a beija ele olha para
Dry. Ela caminha vagarosamente para o rapaz que estava dormindo e o
comanda para agrada-la.
Os quatro ficam no quarto, descobrem prazeres com seus novos
parceiros.
Dry quer mais emoção das vítimas e os despertam. Lord Dri é
surpreendido com uma tapa da garota, deixando-o irritado. Ele agarra
os braços da garota e a empurra até a parede. Ele olha bem fundo dos
olhos dela e a hipnotiza. Ela fica um pouco tonta o suficiente para que o
Lord continue a beijar o seu pescoço. Ela fica cada vez mais excitada.
Dry brincava com o rapaz que tentava escapar dos seus abraços para
salvar a sua garota mas era inútil. Ela era muito forte e poderia segurá-
lo a noite toda.
Ela ri das suas tentativas. E dizia:
- Humanos fracos. Iremos nos divertir e depois nos alimentaremos do
seu sangue.
Lord Dri puxa pelos cabelos a garota e a joga na cama. Ele arranca a
saia dela e penetra sem dó.
Ela apenas geme de prazer. E grita... Sim mestre! Sim! Venha... Eu sou
sua!
Seu namorado gritava para soltá-la e gemia com os prazeres da Lady
Dry.
O vampiro se aproveitava da namorada do rapaz. Ela nem sabia que o
seu namorado assistia tudo. Em sua hipnose Lord Dri fez com que ela
imaginasse que estava fazendo amor com ele.
Depois que ela alcançou o orgasmo. Lord Dri Morde seu pescoço e se
alimenta por um bom tempo.
O rapaz grita para impedir a morte da namorada mas era inútil. Seu
corpo já estava no chão sem vida.
Lady Dry, depois de saciar a sua sede por sexo, pega o rapaz pelo
cabelo e o joga para fora da cama, caindo perto da sua namorada ele
clama por piedade e chora muito. Dry olha para o Lord e menciona:
- Acaso meu senhor gostaria de mais sangue?
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- Obrigado Dry já estou bem satisfeito.


- Então é a minha vez de me satisfazer.
Dry puxa os cabelos do rapaz até que fique de pé. Dry olha por alguns
momentos os seus olhos e o hipnotiza novamente.
- Veja meu jovem... Aquela janela é uma porta para a saída.
Corra...corra como se a sua vida dependesse disso.
O rapaz corre para a janela e pula. Depois percebe que a janela de onde
pulou tinha 30 metros até chegar ao chão. Ele grita de pavor.
Dry vê o corpo do rapaz tocar no solo e escuta um baque surdo.
Lord Dri se aproxima da Dry e acaricia seus ombros. Dando alguns
beijos no seu pescoço.
Dry sorri e se vira para abraçar o Lord eles dançam sem música. Lord
comenta para Dry que a garota ainda tem muito sangue e ela corre para
a vítima e toma o resto de sangue que tinha.
Saciada, Dry se deita ao lado da garota. O Lord faz o mesmo e fica do
outro lado da vítima.
Eles ficam se olhando entre a vitima morta. Se beijam e os beijos
tornam-se mais quentes até que os dois se tocam.
Dry brinca com a vítima usando as mãos dela para tocar o Lord e ele ri
com a engenhosidade sexual da Dry.
Ela se diverte usando o corpo da falecida como um manequim. Logo
depois, Dry afasta o corpo e eles voltam para a cama. Até que ouvem
alguém batendo na porta.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Lord Dri e Lady Dry


Terceira Noite - a última noite com Lady Dry
Lord Dri acorda do seu sono diurno. As memórias da noite
passada ainda estavam bem claras em sua mente. O corpo da
mulher que assassinaram ontem havia sumido. Lady Dry era
uma óptima anfitriã. Sempre “limpava” o castelo para
prosseguir as fantasias nas noites seguintes. Porém havia algo
errado. Seu corpo estava na cama e suas mãos estavam
presas com algemas nas partes de ferro acima da sua cabeça.
Estava sem camisa e completamente sem defesas.
Tenta se lembrar o que aconteceu depois. A porta? Bateram
na porta ontem e Lady Dry foi atender e ele adormeceu.
Sem ter como se soltar ele chama a Dry e depois de alguns
minutos. Ela entra e fica bem próxima da porta. Estava usando
uma lingerie preta e rubra, não estava usando nenhuma
calcinha, apenas meias escuras e uma bota vermelha com
salto fino. As luvas eram vermelhas como a bota. Tinha uma
palmatória feita de borracha em uma das mãos e ficava
batendo na outra mão. Seus cabelos balançavam com o vento.
Tinha em sua face dois riscos brancos abaixo dos olhos. Como
um pequeno sinal tribal. Mantinha em sua face o sorriso mais
sinistro do mundo. Admirou o corpo do Lord Dri por algum
tempo e disse com uma voz muito tranquila.
- Boa noite meu senhor. A noite está maravilhosa. As
surpresas que guardei para está noite serão únicas e
inesquecíveis.
Lord Dri engole seco. A Dry nunca foi previsível. Suas
surpresas sempre o deixavam sem palavras. O que está
vampira estaria aprontando agora? Finalmente após alguns
suspense ela vai até a entrada da porta e chama alguém.
Uma mulher alta e Loira com um vestido vermelho e muito
bem maquiada entra arrastando pela coleira uma outra mulher
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

de cabelos escuros que usava uma roupa de látex de cor


vermelha com vários feicho colocados estrategicamente nas
partes mais íntimas. Andava de quatro e não olhava para cima.
Elas ficam no meio do quarto. A loira olhava para o horizonte
como uma zumbi. Lady Dry conversa com o Lord:
- Hoje vamos aprender um pouco de dominação. Eu notei que
em algumas noites seus desejos se retraiam. Mesmo sabendo
que suas vítimas fariam o que mandasse, você se prendeu um
pouco. Hoje, meu senhor vamos corrigir este pequeno
problema. Estas duas mulheres bateram na porta ontem
pedindo ajuda pois o carro delas havia quebrado. Eu as
hipnotizei e as preparei para um joguinho. Descobri que a
dominadora de cabelos escuros que está de quatro e a
submissa, a loira. Apenas troquei os papéis delas. O que é
interessante no jogo é que eu as fiz imune para os seus olhos
portanto meu querido, você não pode hipnotizá-las. Elas
apenas irão aceitar as minhas ordens. Você pode trazê-las de
volta a sua normalidade. Se você disser a palavra “neblina”
porém elas não terão controlo do seu corpo, apenas estarão
conscientes do que está acontecendo. Quem terá o controlo
dos corpos delas será apenas o senhor meu Lord, mas só se
dizer a palavra mágica. Enquanto não disser a palavra elas
apenas farão o que foram programadas para fazer.
Lord pensa por alguns momentos e pergunta.
- Está bem Lady mas o que você programou elas para
fazerem?
Lady Dry se aproxima da loira e passa as mãos nos seus seios.
A loira não se mexe e continua olhando para frente como se
nada estivesse acontecendo.
- Meu senhor. Se eu dissesse qual é a missão delas. Que
graça teria?
Lady empurra suavemente o rosto da loira hipnotizada para o
lado e a beija por um bom tempo. Depois segue até uma
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

poltrona, estala os dedos e anuncia:


- Que o show tenha início.
A loira fecha os olhos balança o corpo, abre os olhos olha para
o lado e vê o Lord Dri preso na cama e logo seu rosto
assustado se transforma em pura ira. Ela grita:
- Cretino! Como ousa transar com a minha mulher escondido?
Será que não sou o suficiente para ti? Acha que eu sou o tipo
de mulher que aceita traição com a minha própria mulher?
A loira se abaixa e puxa os cabelos da outra mulher para trás
e mostra o Lord Dri para ela.
- Sua vagabunda! Olha a porcaria de homem que você transou.
É isso que você quer? Está coisa repugnante? Pois é isso que
você vai ter!
Lady Dry fala com o Lord tranquilamente e rindo.
- Não se preocupe com a nossa conversa meu senhor. Elas
não estão ouvindo o que falamos. Mas veja que é uma novela
interessante. Parece que ela quer lhe dar uma lição. Ah sim!
Perdoe-me mas não resisti em dizer para elas o tratarem
como lixo. Isso é para amenizar a sua piedade sobre elas. Só
assim acredito que a sua dominação surgirá.
Enquanto eles conversam a loira xinga o Lord Dri de vários
nomes e as vezes segura forte nos seus cabelos. Bate na sua
cara algumas vezes.
- Cretino! Maldito! Como ousou transar com ela? Idiota!
Dry continua rindo:
- Por quanto tempo um homem como o senhor admite que
uma mulher fale assim? Sempre gostou de dominar não é meu
senhor?
A loira puxa a coleira e coloca a mulher bem próximo ao corpo
do Lord.
- Sua vagabunda abra a calça dele agora e chupe-o enquanto
eu mostro quem manda aqui!
O Lord respira fundo e olha para Dry.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- O quê? Dry! - Diz ele impressionado com a ordem.


- Hora meu senhor – Dizia a Dry. – Acha que ela vai aceitar
que você comande a relação? – Dry ri e assiste a tudo com
muita atenção.
A loira comanda todos os passos e continua xingando o Lord
como se ele não fosse nada. Apenas um objecto dos seus
jogos.
Dry se levanta e vai até eles. Aproxima-se da loira e segura o
cabelo dela. Lord fica espantado pois a loira não liga para o
que a Dry faz.
- Elas não me vêem meu senhor. Faz parte da programação.
Mas ela faz o que eu mando.
Dry cochicha no ouvido da loira e o Lord assiste o que
acontece em seguida.
A loira empurra a mulher que estava chupando o Lord e a
substitui dizendo:
- Saiba que eu nunca vou tocá-lo. – E coloca todo o seu pénis
na boca. Tira e fala agora bem mais excitada. - Eu jamais vou
tocar no seu corpo sujo e ridículo. Chupa com ansiedade e
olha para os olhos dele. Enquanto Dry dá muitas risadas e
comenta.
- Não é que ela acha que está mesmo no comando?
- Cretino! Imbecil! Goza na minha cara seu animal irracional!
Seu lixo! Quero ver o quanto é desprezível!
Dry comenta:
- Gozar, agora? De jeito nenhum. – Dry cochicha novamente
no ouvido da loira que puxa a coleira da sua serva. Ela abre o
feicho que estava entre suas pernas e pede para subir na
cama e ela ajuda a encaixar o pénis do Lord em sua vagina. Ela
grita excitada.
- Vamos rápido! Seus idiotas! Mexam-se!
Dry bate com a sua palmatória de borracha na bunda da
mulher que usava a roupa de látex. Ela apenas grita e geme
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

enquanto eles penetram varias vezes.


A loira cospe na cara deles e xinga:
- Desprezíveis. Meus objectos de sexo imbecis. Não sabem
fazer nada sem mim!
Dry comenta olhando para a loira.
- Você deveria ajudar mais. E a loira repete sem pensar.
- Eu devo ajudar mais!
- Você deveria sentar na cara do Lord.
- Devo sentar na cara do Lord. Sim! É isso mesmo que vou
fazer seus idiotas!
A loira sobe na cama e coloca a sua vagina na cara do Lord!
- Chupe seu idiota! – Ela bate algumas vezes na cara dele ate
que ele a chupa.
Dry fica impressionada com a resistência do Lord. Ela se
aproxima do seu rosto e comenta:
- Está indo muito bem Lord. Você está finalmente aprendendo
a jogar.
Ele olha irritado para Dry. Mas continua a aceitar o jogo por
mais alguns momentos pois está excitado demais para dizer
algo.
Porém, ele lembra da palavra que pode mudar o jogo e grita:
- Neblina! Neblina!
A loira excitada começa a se assustar mas não se move
contra o que esta fazendo apenas fica assustada e fala:
- O que está acontecendo? Por que estou fazendo isso? Onde
esta Cláudia?
- Atrás de você! – Diz o Lord você estava sobre um encanto
de uma vampira Dry. Não esta conseguindo se mexer porque
agora comando seu corpo.
- Isso é impossível! Vampiros não existem!
- Qual o seu nome?
- Lívia!
- Lívia cada vez que terminar uma frase você vai acrescentar
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

“meu mestre e senhor!”


- Isso é ridículo! “Meu mestre e senhor.” - Os olhos da Lívia
se alargam. Oh minha nossa! Por quê estou dizendo isso? Meu
mestre e senhor.
O Lord ri e agora sabe que está no poder. Dry fica excitada.
Será que o Lord agora irá prosseguir com mais dominação?
- Saia da cama Lívia e fica em pé bem do meu lado.
Lívia tenta com todas as forças não obedecer mas o seu
corpo obedece sem resistência. Mesmo assim ela se pronuncia
contra:
- Seu louco! Maníaco! Saiba que vou matá-lo por isso! Meu
mestre e senhor.
Lord Dri sorri e vê que a Cláudia está completamente excitada,
embora assustada saltando varias vezes e quase gozando. O
Lord conversa com ela:
Cláudia! Seu corpo é meu e sei que você é a dominadora da
Lívia.
Ela grita com ele.
- Não sei o que você é mas eu nunca vou obedecer as suas
ordens! Você é um animal que não merece a menor compaixão.
Agora libere a Lívia e deixe-me sair daqui.
- Sinto muito Cláudia mas estou gostando do que está
fazendo. Alias em cada final das suas frases quero que diga.
Aguardo ansiosa pelo próximo comando!
- Não vou dizer nada! Aguardo ansiosa pelo próximo comando!
Agora minha querida Cláudia quero que tenha um orgasmo.
Cláudia alarga os seus olhos e seu corpo perde todo o
controle. Ela tenta dizer algo mas só consegue gemer e gritar
de prazer. Todo o seu corpo sente o mais intenso prazer. Até
que ela consegue manter o equilíbrio e relaxar.
Está vendo Cláudia. Como você é obediente?
Cláudia ainda assustada fica tremendo por causa do prazer
que sentiu. E balbucia:
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- V-você...é l-louco. A-aguardo ansiosa p-pelo próximo


comando!
- Já que insiste! Saía da cama e fique ao lado da Lívia!
Cláudia obedece e quando fica na posição solicitada é
surpreendida por um novo comando.
- Cláudia... Goze para mim! Agora!
- N-não! De no-novo!! Aguardooooo ansiosssaaaaaaa pe---
loooooo próooooxi mooooo comandooooooo!!!!!
Cláudia cai no chão e fica tremendo completamente suada e
respira desordenada.
Como vê! Ser comandada não é tão ruim assim! Não é
Cláudia?
- Seu Louco! Louco! Aguardo ansiosa....
- Silêncio Cláudia. Vocês podem retirar a frase final que
programei. Mas de agora em diante falem comigo com uma voz
bem excitante e cheia de insinuações e gesticulem seus
corpos como se estivessem me seduzindo.
Lívia, a loira é a primeira a falar ela mexe todo o seu corpo e
passa as mãos em suas partes íntimas.
- Hum! Como pôde fazer isso seu menino levado! Porque não
deixa a gente ir.
Cláudia sedutoramente acrescenta:
- Pobre vampiro solitário. Eu jamais irei cair em suas
deliciosas armadilhas de sedução. Nunca! Nunca permitirei que
toque neste corpo sedento de prazer e luxúria. Só quero ira
para a minha casa me tocar a noite toda e me livrar destes
pesadelos eróticos. Hum...
Lord sorri e diz para Dry:
- É fascinante o poder de dominação sobre elas.
- Sim meu senhor. Todas excitadas e cheias de prazer, mas
continue. Quero ver se esta aprendendo bem a lição.
Lord olha para as mulheres sedentas de prazer se aproxima
mais. Toca em sua pele. Sente toda a intensidade do momento.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Elas estavam em completa submissão. Seus corpos


correspondiam os toques do Lord. Elas gemiam e falavam
gemendo.
- Não toque em mim com estas mãos maravilhosas. Não se
atreva a incendiar mais ainda meu corpo quente. - Dizia
Cláudia.
Lord passa as mãos por todo o seu corpo e ela o abraça.
Sedento o Lord a morde violentamente deixando apenas um
pequeno gemido em sua boca. Lívia diz de imediato:
- Por favor não morda a Cláudia isso está me deixando mais
molhada.
Cláudia sente a sua vida ir os poucos. Excitada não diz uma
palavra. Apenas fecha os olhos e perde o equilíbrio. Lord a
segura até saciar completamente toda a sua fome.
Seu corpo cai sem vida. Lívia tenta interferir mas tudo que ela
consegue dizer:
- Não se atreva a tocar em mim. Não sem que eu o toque
primeiro meu excitante vampiro.
Lívia o abraça e começa a beijá-lo. Ela sente o sangue da
Cláudia em sua boca. Mas ao invés de retrair ela o abraça mais
Beija mais. Uma das suas pernas entra no meio das pernas do
vampiro.
Deixe-me ir... ir! Deixe-me ir para a cama! Oh... Não era isso
que eu ia dizer mas não consigo resistir.
Lady Dry interfere se aproxima e beija a Lívia. Lord observa
que Lívia não estava vendo a Dry seduzindo-lhe. Dry havia
hipnotizado as mulheres para não a verem. Lívia apenas via o
Lord ali. Ela não estava ligando para o que a Dry fazia com ela.
Dry começa a chupar os seios da Lívia. A vampira lambe
delicadamente os seus bicos até os deixarem duros e
arrepiados. Fica lambendo em volta dos bicos molhados e
pressiona com as mãos e a boca. Lívia fica curiosa com o que
estava acontecendo com os seus seios ela não via ninguém
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

neles mas era com se tivesse alguém. Mas ela queria dar
atenção ao Lord e o beija. Suas mãos tocam no pénis e o Lord
toca com os dedos em sua vagina. Era impressionante o
prazeres que passavam de um para o outro. Dry fica de joelhos
e começa a lamber a parte de trás da Lívia. Ela geme. Lívia
fica perplexa com o que acontecia. O prazer se fortalecia. Dry
se levanta e segura a Lívia por traz enquanto o Lord penetra
de frente. Lívia estava muito excitada. E quando finalmente
tem um orgasmo. Dry morde seu pescoço do lado esquerdo
enquanto o Lord morde o lado direito. Lívia entram em
convulsão com as mordidas e o orgasmo. O sangue percorre
seus corpos. Eles se deliciam com o banho de sangue. Dry
beija o Lord e enquanto eles saboreiam o sangue em suas
bocas, Lívia cai caindo bem devagar até perder a
completamente a sua vida.
Dry leva o Lord para a cama e lhe dá um beijo demorado e
apaixonado.
Ele a abraça e os dois conversam:
- Estou indo meu senhor!
- Do que está falando Dry?
- As chaves do castelo, são suas, meu senhor. Você aprendeu
tudo que precisava para manter as suas aventuras.
- Dry... Talvez eu não tenha aprendido tudo.
- Por isso meu senhor. Deixo a minha certeza que voltarei.
Aproveite o castelo. Aproveite tudo que tem direito pois agora
você é um vampiro que governará eternamente.
- Pensei que eram seis noites.
- E serão! Mas não comigo. Mandei um convite para algumas
amigas e nestas três noites que ainda faltam chegarão algumas
mulheres que você irá apreciar muito.
- Só tenho a agradecer tudo que fez minha querida e esperar
ansioso pela sua volta. Os dois se beijam por mais alguns
instantes e logo em seguida, ela parte.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Os Desejos de Brida, a Vampira

Já se passavam das oito horas, Lord Dri aguardava


ansiosamente pela chegada daquela Vampira no seu castelo.
Ele não a conhecia pessoalmente. Mas já ouviu falar muito do
seu nome “Brida” a vampira mais perigosa e mais articulada
que o universo já conheceu. Suas vítimas incluíam
empresários Artistas, escritores e jornalistas.
Tinha uma vasta e conhecida lista de seguidores pelo mundo
todo. Poucos se atreviam a falar do seu nome e tremia ao
mencionar as suas características. Muitos a amavam
loucamente e outros se resguardavam e às vezes até fugiam
quando ela os procurava.
Não era por menos, Muitas mortes a rondavam por cada
cidade que passava o terror e o mistério a seguiam.
Ninguém sabia ao certo se era ela que causava as mortes ou
se eram seus fiéis seguidores.
Mas uma coisa o Lord Dri tinha certeza. Ela tinha uma beleza
sem igual. Pelas poucas oportunidades que teve em ver
algumas de suas fotos, era impossível não se apaixonar. Seu
sorriso. A sua característica mais marcante chamava a
atenção de muitos. Alguns fiéis amigos diziam até que o
excesso de paixão atrapalhava um pouco em suas conquistas.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Por isso ela apreciava homens mais inteligentes e que não se


impressionavam facilmente. Pensando nisso, Brida estudava
frequentemente, participava de muitos seminários. Conhecia
todos os tipos de religiões e poderia fazer uma palestra de
quase todos os assuntos que os homens demoravam anos para
aprender.
Ela era muito exigente consigo. Gostava de mostrar para as
pessoas que a sua beleza era apenas um mero presente perto
do que ela podia fazer.
Falava frequente mais de 20 línguas estrangeiras. Geralmente
viajava sozinha. Tinha amigos em toda a parte do mundo. Mas
seus amantes eram mesmo ligados a arte e a escrita.
Brida era vaidosa. Sempre estava ao lado de quem falasse bem
dela. Ela agradecia muito bem quem mostrasse seu amor e se
tornava inesquecíveis para eles.
Finalmente a campainha do castelo de Lord Dri tocou. Vestido
com um terno da melhor qualidade. Ele desce pelas escadas
para atender a sua visita. Quando abre a porta, fica surpreso
com a cena.
Brida estava a poucos pés distantes da porta. Uma mulher
encantadora. Cabelos negros encaracolados, Olhos profundos.
Tinha uma estatura alta, lábios sedutores e a pele alva. Usava
um vestido vermelho bem escuro. Curiosamente usava um
brinco em forma de algemas onde as suas mãos esbarravam
neles quando arrumava o seu cabelo enquanto perguntava se o
homem que estava a sua frente era o famoso Lord Dri. Ele
olhava com desejo enquanto ele estava agora vendo que Brida
não estava sozinha. Uma mulher do mesmo tamanho a
acompanhava. Tinha cabelos negros e uma roupa social bem
do estilo de aeromoças. Trazia uma mala. Ao qual
atenciosamente indiquei o caminho dos aposentos enquanto
Brida me apresentava. – Seu Nome era Infinite. Sua amante e
amiga.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Lord Dri não esperava duas mulheres. Chamou urgente, um


dos seus serviçais e pediu para que a mesa do jantar fosse
reformulada para três pessoas. Tudo estava em ordem. Havia
muito conforto em seu castelo. Na verdade Lord Dri era tão
preparado que poderia fazer os preparativos para uma festa.
Um Lord sabe muito bem que o imprevisto não deve ser uma
barreira para os nobres.
Enquanto Lord Dri conversa sobre os seus feitos na sala de
visitas para entreter as mulheres. Se espanta um pouco ao
saber que Brida fala muito bem sobre todos os assuntos que
conversam dando até explicações actualizadas e
complementares, deixando-o cada vez mais impressionado
com o seu conhecimento. Algumas vezes os olhares se
encontram e logo se voltam para algum objecto inanimado.
Brida aparentava ser um pouco tímida mas o Lord via isso
como um jogo curioso ao qual gostava de se aprofundar mais
porém o serviçal entra e diz que a mesa estava pronta. O Lord
convida as mulheres para se sentar enquanto o jantar era
servido.
A conversa estava mais excitante. Já estavam em sua terceira
garrafa de Bolinger 75. Todos estavam rindo e se divertindo
com as conversas sobre as luxúrias durante os séculos. Lord
contava alegremente algumas de suas aventuras quando de
repente ele vê Infinite beijar a Brida e colocar a mão em um
dos seus seios. Isso o deixou excitado. A leveza do toque era
muito sensual e as duas se beijavam como se o Lord não
estive lá. Era absolutamente natural tudo aquilo e mesmo sem
jeito o Lord tentava fazer o mesmo, encarar com normalidade
a situação mas, mesmo assim ele olhava para os lados e
quando tomava uma taça do champagne olhava para elas de
dentro do vidro. Mesmo turvo ele as via. Brida cochicha no
ouvido da Infinite e ela sai da sala de jantar e segue em
direcção aos seus aposentos. Finalmente os dois estavam a
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

sós. Antes do Lord dizer algo ela o beija por um longo tempo.
O silêncio prevalece por algum tempo ela o leva para o sofá e
empurra o Lord que cai nele. Ela coloca uma perna em cima do
sofá e ele vê a calcinha da Brida deixando-o excitado. Tenta
se levantar mas é empurrado novamente. Brida anda ate uma
cadeira e ele a vê tirando as suas meias e logo em seguida a
calcinha mas continua com o vestido. Brida coloca a calcinha
na cabeça do Lord e o beija mais algumas vezes enquanto ela
desabotoa a sua camisa. Lord tenta tirar a sua calça mas leva
um tapa nas mãos. Ela se ajoelha na frente dele e puxa o
feicho da sua calça com a boca. Cheira a sua cueca e passa o
nariz varias vezes em volta. Deixando-o bem excitado. As
vezes ela sorri mas não pára de brincar com o Lord. Ela segura
as suas mãos pega as suas meias e usa para amarrá-lo. Deita-
o no sofá e ela beija o corpo dele em todos os lugares. Coloca
uma das suas pernas no meio das pernas dele enquanto o beija
ela brinca com o seu joelho entre suas pernas. Logo ela tira
toda a roupa dele e fica por cima do Lord. Os dois se
enroscam como uma dança nocturna até que chegam ao
primeiro clímax. Ele a abraça e diz se quer deitar ao seu lado.
Ela aceita e por alguns minutos os dois se tocam enquanto
falam mais sobre eles até que ela o convida para ir ao parque
que ela bem perto do castelo. Ele aceita e logo depois de um
banho os dois vão até o parque que estava lotado de pessoas
de todas as idades.
Eles ficam perto de uma árvore. Se beijam e novamente
retiram algumas partes de baixo. Ela se ajoelha e o chupa até
ele ficar bem excitado. Logo em seguida eles se encaixam
novamente. Os casais que passavam por eles achavam um
absurdo mas não falavam nada e saiam rapidamente do local.
Os dois estavam se conhecendo mais. Suas fantasias estavam
mais atrevidas até que um homem pergunta se um deles tem
fogo e Brida morde seu pescoço deixando o Lord com sede.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Ela o beijava para passar um pouco do sangue que


experimentava. Os dois se saciaram com o sangue daquele
homem e depois eles seguiram de volta para o castelo.
Brida e Lord Dri chegam ao castelo. Infinite estava esperando
a chegada dos dois.
Briga vai de encontro com a sua parceira e as duas ficam
juntas algum tempo enquanto o Lord abre outra garrafa de
champagne. Ele vai ate o quarto onde as duas estão e assiste
pela porta o envolvimento corporal daquelas mulheres. Os
movimentos eram muitos sensuais. Preliminares de um amor
há muito cobiçado pelos séculos. Brida corta um pouco a sua
mão com um punhal e Infinite chupa o seu sangue, logo em
seguida ela faz o mesmo. Lord fica excitando vendo tudo
aquilo acontecer bem na sua frente. Ele desejava muito
compartilhar o sangue com elas. Mas ele respeita as suas
hóspedes e caminha para o seu quarto para repousar um
pouco.
Meia hora depois Lord Dri acorda com o barulho da sua porta
abrindo. Era Infinite. Ela caminha delicadamente para a cama e
o abraça. Ela dá um leve beijo na sua boca e diz para relaxar.
Lord estranha a tímida moça mas faz o que manda.
Quando ele relaxa a porta se abre novamente e a Brida
caminha vagarosamente e assiste os dois se beijando. Lord
tenta parar mas Brida dá um sinal dizendo que pode continuar
sem problemas. Ela sorri ao ver os dois juntos. Caminha em
volta da cama onde eles estavam. Não tira os olhos deles. Ela
examina cada detalhe. Cada toque trocado. Depois de alguns
minutos ela se deita na cama e se aproxima do casal. Infinite
beijava o Lord e se apoiava em seu peito. As mãos dele
passeavam pelo corpo de Infinite.
Brida pega uma das mãos do Lord e usando um punhal corta
um pouco até sangrar. Ela se alimenta do seu sangue enquanto
ele fica olhando os seus olhos.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Enquanto o Lord beijava Infinite, Brida passa as suas mãos


com sangue nos rostos deles. Ela lambe o rosto dos dois para
limpar o sangue. Suavemente enquanto todos trocam carícias
que nenhum ser humano jamais experimentou. Os beijos dos
três trocados, misturados com sangue e a luxúria do momento.
Personagens carregados de paixões se entrelaçam em uma
atmosfera tranquila. Beirando ao romantismo singular de uma
noite que está apenas começando. Sim... Amantes nocturnos
que compartilham os mesmos prazeres em quantidade
absolutamente igual sem ciúmes e sem pudores. Guiados pela
paixão do momento. Deixando-se levarem para os mais
infinitos prazeres. Os toques mágicos de cada um saciavam a
sede do outro. Comprovando que aquela noite tinha o nome
deles. Tinham os desejos de três se transformando em um
único e exclusivo complemento eterno de prazer. Era
fascinante como eles sabiam muito bem agradar um ao outro.

Brida a Vampira no Castelo


de Lord Dri

Uma noite...
Já se passava das duas da manhã. O vampiro Lord Dri acorda
do lado de fora do castelo. Com o corpo virado de cabeça para
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

baixo Aos poucos se equilibra enquanto tenta lembrar como


veio parar na parte de fora do castelo.... Aos poucos as
lembranças surgem.
----*----*-----
Enquanto Infinite e Brida descansavam na cama Lord Dri
caminha pela sala e pega mais uma garrafa de Champagne.
Fica sentando algum tempo pensando se a noite já acabou. Dá
uma boa olhada no castelo. Tudo parece bem calmo e
tranquilo. Caminha pelos corredores e escuta o barulho do
chuveiro ligado. Ele dá uma rápida verificada e vê Infinite
tomando banho. Observa por alguns momentos ela esfregando
o corpo. Logo depois ele volta para o seu quarto ele vê uma
das suas serviçais deitada em sua cama. Brida estava sugando
o seu sangue através dos seios da mulher. Irritado ele caminha
para a cama e comenta:
- Meus serviçais não são lanches nocturnos Brida. Se quiser
algo para se satisfazer me avise e lhe trago algo.
Brida para de se alimentar mas continua segurando a mulher.
Ela já estava quase perdendo os sentidos. Educadamente Brida
responde:
- Pensei que tivesse me deixado a vontade!
- Pensou errado!
Brida se levanta e trás a mulher junto com ela. Agora ela
estava um pouco mais irritada.
- Se quer que eu vá embora é só dizer.
- Não quero isso só quero que siga minhas regras!
Ela olha para a mulher já sem sentidos e morde o seu pescoço
com violência. Fica alguns minutos saciando a sua sede, logo
depois joga a mulher no chão e vai para a cama.
- Vou descansar um pouco se não se importa.
- Mesmo coberto de raiva pelo acontecido Lord Dri mantém a
sua postura e sai do quarto.
Infinite passa pelo corredor e conversa alguns minutos com o
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Lord. Logo ele pede para um outro serviçal para limpar o seu
quarto em silêncio enquanto Brida adormece.
-----*-----*-------
Brida acorda na noite seguinte, O quarto era iluminado com
apenas a luz da lua. Chamou pela Infinite algumas vezes. Mas
não havia resposta nenhuma. Caminhou para a porta mas foi
surpreendida por Lord Dri. Olhou tranquilamente para os olhos
frios do vampiro e perguntou.
- Boa noite Lord! Viste Infinite?
Os olhos do vampiro não se altera. Ele responde friamente.
- Onde ela está é a sua menor preocupação. Agora você vai
descobrir que no meu castelo você segue as minhas regras!
Lord agarra Brida pelo cabelo mas ela chuta o peito do Lord
jogando-o para a parede. Ele ri e caminha em sua direcção.
Brida pula uma distância de três metros e quando ela passa
por cima do Lord, ele segura seus pés fazendo-a perder o
equilíbrio e cai no chão quebrando alguns pisos de madeira ela
corta um pouco o braço por causa de algumas lascas... Ela
lambe um pouco do seu próprio sangue, por algum tempo ela
parece irritada mas logo mostra um sorriso sarcástico.
- Certo meu caro Lord! Infinite não precisa saber o que
acontece entre nós.
Brida pula na direcção do Lord, com o impacto ele vai até a
parede e atravessa a janela. Brida segura o Lord pelo pescoço.
Enquanto ele debate-se para tentar segurar em algum lugar,
ela declara.
- Aqui jaz Lord Dri o vampiro que todos consideravam um rei.
Brida larga o Lord e ele cai numa distância de trinta metros.
-----*-----*-------
A festa
Já se passava das duas da manhã. A festa estava no auge no
castelo. Todos os convidados, todos humanos, divertiam-se
em todas as divisões. Algumas pessoas estavam caídas
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

bêbadas nas escadas e algumas vomitavam do lado de fora do


castelo. Lord Dri caminha entre eles. A sua roupa estava um
pouco rasgada. Isso chamou a atenção de alguns dos
convidados que riam do seu visual, mas ele não ligava
caminhava com o olhar fixo nos quartos no andar de cima. As
vezes empurrava alguns convidados mas alguns tinham medo
de reagir. E as risadas foram se silenciando. Ele caminhou para
chegar no seu quarto. A porta estava aberta. Havia um homem
e duas mulheres na cama. Brida estava deitada de costas
enquanto um homem massageava as suas pernas e uma
mulher massageava as suas costas. Antes que o Lord pudesse
dizer alguma coisa ele foi agarrado por alguns convidados. Eles
usavam uma corda feita de espinhos. Tentou lutar mas os
espinhos são uma fraqueza para os vampiros. Os homens o
amarram em uma cadeira. Brida sorri, dá um beijo demorado na
mulher e depois no homem. Deixa eles a vontade para
transarem na cama enquanto ela se levanta e vai falar com o
Lord.
- Pelo jeito você sobreviveu a queda. Eu podia jurar havia
muitos galhos de árvore lá em baixo, mas parece que a sorte
está do seu lado meu querido vampiro.
Brida acaricia o rosto do Lord enquanto fala. O casal que
estava na cama praticando suas carícias, satisfazendo os seus
desejos carnais. Ele olha novamente para Brida e questiona.
- Costuma sempre dar festas sem convidar o anfitrião?
- Quando o anfitrião está fora os hospedes devem se sentir
em casa.
- Então vou lhe dar muitos motivos para sentir, Brida... Pela
eternidade!
- Ao meu Lord! Eu que farei esta noite ser inesquecível.
Brida dá o sinal para um dos seus serviçais que rapidamente
atende o seu pedido... Uma almofada e em cima dela duas
adagas de prata. Segura uma delas e passa entre os seus
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

dedos. Ela explica.


- Isso não vai matá-lo mas causará a dor que eu quero que
sinta.
Brida anda em volta da cadeira segurando as facas enquanto
conversa.
- Sabe Lord! Faz tempo que não ouço um vampiro gritar.
Ela enfia a faca nas costas do Lord e antes que o Lord possa
gritar ela arranca com a mesma velocidade a dor fica mais
intensa mas ele resiste ao máximo. Prende seu grito mas a sua
cabeça abaixa mordendo os lábios por alguns segundos logo
depois ele ri... Brida olha para o Lord... Ela segura os cabelos
dele e puxa até que eles possam se olhar. Ela olha com raiva
mas logo sorri questionando.
- Por quê insiste em achar que é um Lord poderoso perto de
mim?
Dessa vez Brida enfia a faca de prata em sua barriga e retira
rapidamente. Ele não resiste a dor mas grita e ri ao mesmo
tempo olha para a Brida e complementa:
- Aposto que está excitada! Uma pena eu estar amarrado
aposto que quer o que eu tenho no meio das suas pernas. –
Ele ri olhando para todos que estavam no quarto.
Brida se irrita, usa a faca para rasgar as calças do Lord e o
deixa completamente nu da cintura para baixo. Ela chama a
mulher que estava na cama e cochicha por alguns segundos. A
mulher se levanta e vai ate o Lord e o chupa enquanto a Brida
fala com ele.
- No momento eu não quero! Mas posso realizar seus desejos
através de outros meios.
Enquanto Brida assiste a mulher chupando o Lord ela pede
para um dos serviçais para trazer a próxima surpresa.
Um caldeirão que acabaram de tirar da lareira é levado para o
meio do quarto por dois homens. Dentro havia óleo fervente.
Eles misturam o óleo quente com um pouco de tempero de
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

alho.
Lord olha para todos duramente. Alguns viram o rosto para
evitar os seus olhos hipnóticos mas a Brida adverte.
- Todos são meus! Sua hipnose não servirá de nada aqui!
- Maldita! Acha que tenho medo dos seus brinquedos? Seus
jogos não me impressionam! Você ainda tem muito que
aprender.
- E não será você que vai me ensinar, não é?
Um dos homens traz uma tocha feita de madeira com plásticos
amarrados. Eles colocam a tocha no óleo e o plástico
amarrado na madeira começa a derreter. Ele retira a tocha
pegando fogo e as gotas do plástico amarrado começa a pingar
no chão deixando um rastro de fogo por onde pinga. Brida sorri
e comenta:
- Gostava de brincar com velas quando você era humano
Lord? Bom! Acho que isso vai doer um pouquinho mais.
Brida pede para a mulher sair de perto dele. Dois homens
seguram o Lord na cadeira e ela pinga o plástico nas suas
pernas.
Ele grita e xinga a brida enquanto sente cada gota queimando
a sua pele. Logo em seguida a ferida se fecha mas ela se
diverte com os efeitos que surgem e pinga várias vezes. Isso
causa muita dor ao vampiro. Ela passeia com a tocha e sobe
ate a barriga dele e depois desce novamente.
Lord fica possesso com a dor. Fica enfurecido. Grita muito. Já
não existia mais barulhos no castelo. Apenas os seus gritos
ecoados por todas as paredes. Alguns dos hóspedes fugiam em
pânico com medo dele se libertar. Até que finalmente o
vampiro desmaia.
Mais uma....
Na noite seguinte Lord acorda e se vê preso com correntes
muito grossas. Estava deitado em uma cama de madeira no
calabouço do castelo. As cicatrizes do seu corpo deixavam
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

claro as lembranças da noite anterior. Tentou se livrar mas era


inútil. Ele estava sem se alimentar e não tinha muita força para
lutar.
Debilitado ele grita para que alguém apareça.
Um homem que guardava a porta vê que o vampiro acordou e
vai buscar alguém. Em poucos minutos Brida entra no
calabouço. Sempre acompanhada de um casal. Ela caminha
com um ar de preocupada e o abraça dizendo:
Sinto muito... Não pensei que iria ser tão doloroso. O Lord fica
sem entender por alguns segundos e logo responde:
- Me alimente Brida! Preciso de sangue.
- Claro. Eu jamais deixaria você morrer de fome.
Brida se abaixa por alguns minutos e se levanta novamente
segurando o rabo de um rato. Ela mata o rato torcendo a sua
cabeça e morde o seu pescoço deixando o sangue sair. Ela
pega o rato, passa na cabeça do Lord e pragueja:
- Onde esta o Famoso Lord Dri agora? Onde foi parar aquele
vampiro que era o maior dos maiores? Onde está o grande
Lord Dri?
Lord lambe o pouco de sangue que fica nos cantos da sua
boca e responde:
- Estou bem aqui na sua frente. Não importa como eu estou. A
maneira como estou vestido. A minha cara suja. O que importa
é a imagem que todos têm. Você nunca vai poder tirar isso de
mim pois a minha imagem não está mais em mim! Está nos
outros! E você teria que matar todos que me conhecem! E isso
minha cara Brida! É impossível! Não entende... Faça o que
quiser comigo. Isso não vai mudar em nada a sua vida! Você
nunca será como eu?
- E quem disse que quero ser você? Eu já tenho o que quero.
Brida manda chamar alguém. Entra uma mulher, estatura baixa,
cabelos ruivos, olhos verdes. Lord a conhecia bem. Ele sempre
a protegia. Era sua amada. Sempre escondida dos vampiros e
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

que agora estava nas mãos da Brida. A mulher estava olhando


para frente... hipnotizada pela vampira. Completamente
adormecida.
- Roxanne? Não...
Lord bate a sua cabeça na cama de madeira e fecha os olhos
por alguns momentos. Logo que abre ele olha para Brida
enfurecido.
- Ela não tem nada com isso! Deixe-a ir!
Brida abraça Roxanne e fica alisando o seu rosto enquanto
complementa:
- Nunca meu caro Lord. Ela será o meu alimento esta noite.
Enquanto isso olhe o que a Roxanne trouxe de presente para
você.... Mostre para ele querida.
Hipnotizada Roxanne mostra uma estaca de madeira em suas
mãos.
- Não! – Lord diz quase desesperado. – Você não poderia ser
tão terrível assim Brida. Ela me ama... Por quê? Em que isso
vai te ajudar?
- Ajudar? Não meu caro Lord! Isso é apenas prazer. Prazer
que quero compartilhar com você. Sei que ela o ama. Sei que
já ficaram juntos por algum tempo e que você também é
apaixonado por ela. Bom... Acho que agora ela mesmo deve
colocar um ponto final em tudo não é? – Brida pensa mais um
pouco e olha para Roxanne. Ela a toca por algum tempo. Logo
ela se afasta e continua a falar – Sinceramente não sei o que
ela tanto te atrai? Acho que é uma beleza tão comum.
- Não é a beleza... É seu coração Brida! Algo que você jamais
conhecerá!
Brida se irrita com as palavras do Lord.
- Quem disse que eu quero seu coração? Você é um tolo! Vou
comer seu coração quando tudo isso acabar e jogarei os dois
no fosso do castelo. Mas chega deste assunto é hora de
acabar com a brincadeira. Roxanne! Enfie a estaca no coração
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

do Lord Dri.
Roxanne caminha até o Lord e com as duas mãos ela segura a
estaca e levanta para dar o golpe. O Lord continua falando
com Brida.
- Mas você conhece o sentimento que tenho por ela... Sabe
que é profano interferir. É a nossa lei. Cada um escolhe seu
humano. Isso é lei! Você tem o seu eu tenho direito do meu
protegido.
Brida manda Roxanne esperar e pergunta:
- Do que esta falando?
- Infinite
- O que tem ela?
- Se me matar nunca saberá onde ela está!
- Do que esta falando?
- Não percebeu que ela no está aqui?
Brida fica preocupada. Realmente fazia dois dias que ela não
aparecia. As vezes os protegidos tem suas coisas para fazer.
Nem sempre podiam ficar perto. Mesmo que o Lord estivesse
a blefar ela não poderia arriscar colocar a vida da sua
protegida em risco. Ela pensa por algum tempo e conclui:
- Estas a blefar! Você não tem saída. Isso não é um jogo!
Você vai morrer de qualquer jeito!
- Então me mate! – Lord fecha os olhos e espera a sua morte
sorrindo. Roxanne continua com a estaca nas mãos erguida
acima da sua cabeça esperando a ordem de Brida.
Ela agarra o pescoço do Lord e grita:
- Não faria nada com ela! É inocente! Você não é um monstro!
O Lord abre os olhos, olha profundamente nos olhos da Brida e
diz:
- Roxanne também é inocente. Liberte-a! Deixe-a ir! Vamos
seguir com isso só nos dois. É assim que deve ser.
- Jure por todos os vampiros que me devolverá Infinite e que
aceitará meus jogos por mais algumas noites e liberto a sua
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

amada humana.
- Certo Brida! Eu juro!
Ela dá o sinal para os seus homens e eles libertam o Lord e
levam a Roxanne para fora do castelo.
Brida conclui:
- Não se preocupe com ela... vai acordar em sua cama e não
vai lembrar do que aconteceu.
- Vou ligar para ela mais tarde. Se tramar mais alguma coisa
com ela eu mato você Brida.
- Pode ligar! Eu sempre mantenho minha palavra Lord. Faça
agora a sua parte! Por favor. Diga onde está Infinite?
- Quando você estava dormindo ela me procurou disse que
ficaria dois dias na cidade e voltaria amanhã pela manhã..
- Eu sabia que você era um bom vampiro.
- Não existem bons vampiros Brida.
Naquela noite, Brida foi carinhosa com o Lord Dri. Eles falaram
um pouco das suas vidas íntimas e dos seus desejos, seu
beijaram por uma hora e meia envolto as carícias de seus
toques.
Depois de quinze minutos de descanso, Lord convidou-a para
sair.
Ele acende um cigarro e levam uma garrafa de vinho para
tomarem no caminho. Brida conversa sobre diversos assuntos
e pede o cigarro do Lord. Ele passa o cigarro para ela e pega o
braço do Lord.
- Não se mova – Ela diz com um olhar sedutor.
Lord estende o seu braço e ela passa o cigarro levemente em
seu braço. Ele sente o calor da brasa passando lentamente.
Então, Ela pede para o Lord Olhar para os seus olhos e dar um
beijo.
Ele faz o que ela pede e não tira os olhos dela.
Brida beija o Lord um beijo ardente como a brasa que deixa
queimar no braço do Lord. Ele tenta gritar mas ela empurra
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

com a outra mão a sua cabeça para segurar os seus gritos no


seu beijo. Ficam ali por alguns minutos. Até que ela o solta.
Lord fica irritado com a Brida o cigarro fez uma ferida
profunda pois ela deixou queimar o cigarro inteiro no seu
braço.
- Como pode se excitar tanto vendo os outros sofrerem de
dor? – Pergunta Lord.
- É excitante não é. Aposto que adorou meu beijo.
- É uma vampira perigosa. Imagino o que faria com os
humanos.
- Nunca houve nenhum vivo para reclamar. – Brida ri e
continua e caminha para um prédio muito velho que existia no
centro da cidade.
Eles entram em um elevador muito antigo. Com grades de
ferro. Ela fecha a porta deslizando a grade entrelaçada e
aperta o botão do último andar. Levanta as suas mãos e
segura nos ferros entrelaçados. Lord vê que todos podiam ver
os dois dentro do elevador. Mesmo assim ela insinua com suas
pernas para que o Lord a penetre ali mesmo. Ele passa a mão
na sua testa. Pensa por alguns segundos mas ela o agarra
pelas pernas enroscando o Lord e trazendo-o para ela.
Beijam-se e tiram as roupas de baixo. Ela fica agarrada nos
ferros entrelaçados e pendurada o Lord penetra com paixão
enquanto eles passam por todos os andares repleto de
pessoas que se assustam a orgia existente no elevador. Alguns
seguranças tentam parar o elevador mas os vampiros não se
preocupam. Eles só querem alcançar o prazer ao extremo.
Brida fica enlouquecida com os gritos do público e ela tem um
explosivo orgasmo junto com o Lord. Eles gemem por alguns
minutos. E logo em seguida ele a carrega para longe da porta.
Quando chegam ao andar final eles saem do elevador e correm
para o telhado do prédio. Em seguida voam e deixam os
humanos impressionados.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Eles descem no meio de uma avenida e param um carro.


Brida pede delicadamente para um casal sair sem reclamar.
Quando brida vê que isso era praticamente impossível, Ela
arranca o motorista do carro pela janela e o Lord faz o mesmo
com a mulher. Eles levantam pelo pescoço os dois eles os
hipnotizam e dizem para fazerem amor ali mesmo no meio da
avenida.
Enquanto Brida e o Lord trocam de lado para ele dirigir. O
casal tira a roupa e começam a fazer sexo no meio da avenida.
Lord dirige como um piloto de provas. Passa em alta
velocidade desrespeitando todas as leis de trânsito. O carro
chega a pular antes de entrar nos túneis do centro da cidade.
Brida fica excitada novamente. Ela abre a calça do Lord e
começa a tocá-lo. Lord ri, diminui a velocidade e para no meio
do túnel da avenida Nove de Julho sentido centro.
- Acha que tenho medo Brida?
- Desafio-te a andar com este carro a noventa e cinco
quilómetros e deixar nesta velocidade por 15 minutos. Se
diminuir você perde e você me perde.
- Feito se eu ganhar eu quero...
- Diga o que quer.
- Sexo por telefone.
- Que?
- Não será comigo... Vai ligar para qualquer um e fará sexo por
telefone eu quero observar-te a fazer isso.
- Seu voyeur!
- Ah.. E você será bem submissa.
- Cretino! Eu topo seu FDP. Mas aviso que será muito difícil
de você ganhar.
- Vamos ver!... Começa... agora!
O ronco do motor é ouvido por toda a extensão do túnel.
Quando eles saem do túnel o carro já esta na velocidade da
aposta. Lord conduz com destreza. Desvia dos carros e motos
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

com facilidade. Brida continua tocando o Lord e ele ri como


um garoto jogando videogame.
Brida começa a chupá-lo. Lord levanta as sobrancelhas e
quase perde a direcção por alguns segundo ele quase põe tudo
a perder mas graças aos seus reflexos e concentração ele
mantém a aposta segura. Brida fica preocupada. Ela pensa
rápido e rasga um pedaço do seu vestido e o usa como uma
venda para os olhos do Lord. Ele reclama mas ela afirma que
se ele ganhar mesmo assim vale a pena e que se perder ele
não vai perde-la pois já provou sua coragem. Porém se ele
quer seu desejo realizado é bom permanecer até o tempo
acabar.
Lord sorri e diz:
- Vai ser uma noite e tanto! Segure-se!
Ele mantém a velocidade e coloca a cara para fora e grita para
todos saírem da frente e começa a buzinar.
Brida contínua chupando-o e ele começa a rir e às vezes ele
usa a mão para abrir uma brecha para os seus olhos sem que
a Brida note. Até que finalmente ele tem um orgasmo e por
segundos ele perde o controlo das suas pernas e o faz
desacelerar. Brida grita.
- Você perdeu! Perdeu! Diga adeus a sua noite!
Lord, ele tenta argumentar.
- Espera Brida faltava apenas um minuto.
- Aposta é aposta! – Brida coloca o pé no acelerador e o Lord
tenta travar mas é inútil. Eles batem em um poste a cento e
nove quilómetros por hora.
Depois de alguns minutos eles saem do carro. Pouco antes de
explodir. Brida ri por alguns momentos e voa para o castelo.
Lord se recupera um pouco e logo em seguida a segue.
Lord Dri chega alguns minutos depois. Vê a Brida deitada no
sofá. Estava com uma garrafa de vinho e falando com alguém
por telefone. Ele fica curioso para saber com quem ela estava
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

falando e se aproxima em silêncio. Escuta uma conversa muito


íntima. Muito sensual.
Brida vê o Lord, tapa o telefone e comenta:
- Fiquei curiosa sobre este fetiche... Agora fique quieto.
Lord sorri e se aproxima de Brida. Escuta atentamente a cada
palavra que a Brida pronuncia. Ela estava com uma perna
dobrada no sofá enquanto a outra estava de fora com o pé no
chão. Enquanto ela falava as suas mãos passavam pelo corpo.
- Sim! Eu estou tocando meus peitos. Que mais você quer que
eu faça? Descer meus dedos? Claro... Onde quer que eu os
coloque? Lá? Tudo bem! Sim! Sim... Eu estou sentindo... Não!
Eu não gosto que mandem em mim... Mas eu faço o que você
quer... Só hoje! Tudo bem! Estou mexendo eles. Não acho que
não dá para ter algo assim... Estou meio desajeitada no sofá...
Vou com mais calma...
Lord se aproxima mais e vê os detalhes dela se mexendo.
Ajuda com a língua. Ela geme enquanto mexe os dedos.
Penetra-os enquanto ele a chupa. Atento as palavras.
- Sim tudo que você quiser... Estou fazendo o que quer.
Lord quebra a garrafa e se corta. Joga gotas de sangue na
face da Brida e ela fica cada vez mais excitada. Mais
enlouquecida. Mais quente. Mais e mais até que seu corpo
sente toda intensidade daquele momento de luxúria e prazer. E
fica vários segundos se contorcendo e vibrando. Ela deixa o
telefone cair e o Lord o desliga. Se levanta e o abraça por um
tempo... Depois se beijam e logo ela conclui:
- Até que não foi ruim!
Brida No castelo de Lord Dri
Próxima noite de festa

Brida dormia tranquilamente. Já se passava das 19 horas e


estava quase na hora de acordar.
Alguém entra no quarto onde ela estava, deita em sua cama e
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

começa a acariciá-la. Quando desperta lentamente, dá um


sorriso. Brida adora acordar com carícias íntimas. Pelo cheiro
do corpo ela sabia exactamente quem era. Infinite.
Elas se beijam e se tocam por um longo tempo. Infinite sabia
passar todo o amor que a Brida precisava. Era a única humana
na terra que era realmente poderia amar. O amor que Brida
compartilhava com o Lord era diferente do que era com
Infinite. Eles tinham personalidades diferentes mas a Brida
sabia exactamente como agradar os dois.
Infinite era a denominação do amor iluminado e concreto. Lord
era a escuridão. Alguém que poderia compartilhar quando
quisesse. Aonde quisesse. Poderia abertamente fazer novas
experiências. Não apenas por ser um vampiro, mas por aceitar
os jogos que ela fazia. Sempre atento e discreto para ele só
importava estar perto, participar. Gostava de saber tudo e sua
curiosidade com a Brida era ligado à necessidade de se
alimentar de seus fetiches e prazeres. Em troca, Eles
aprendiam mais. Se conheciam mais. Enquanto ele as deixava a
vontade respeitando seu espaço. Mas Brida nunca fazia o
mesmo jogo. Ele sempre impressionava a cada noite. Lord Dri
contava com isso. Ele ficava excitado e imaginava como seria
esta noite, cruel demais, amável demais. Tudo dependia
unicamente da Brida. Ela estava no comando. Ela decidia o
modo de jogar. Este era o trato.
Enquanto Brida acaricia o corpo da Infinite. Imagina como será
o jogo de hoje.
Ela já tinha tudo em mente. Enquanto lambia os seios de
Infinite olhava com os olhos em chamas clamando por mais
sensações e desejos. Ela precisava de sangue. Infinite
mostrava o seu pescoço para Brida mas ela não podia fazer
desta forma. Não agora. Então pegou um punhal perto da cama
e cortou um pouco o braço da Infinite. Segurou um copo e
quando chegou a dois dedos Brida bebe e lambe o copo
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

satisfazendo-se do líquido precioso. Logo elas compartilham


muito mais prazeres. Infinite deita a Brida e coloca a sua
língua entre as suas pernas. Sabia muito bem o que fazia.
Brida adorava aquela posição. Seus olhos nem piscavam. Sua
língua passeava por entre as pernas e o prazer aumentava a
cada instante. Brida finalmente sente o prazer completo
quando Infinite coloca três dedos e usando a língua Brida
geme muito intensamente. Infinite fica de joelhos e caminha
até chegar perto do seu rosto e acaricia seus cabelos. Brida
sorri tranquilamente e a beija. Fica deitada alguns instantes no
colo da Infinite. Recuperasse daquele êxtase e compartilha seu
sentimento com Infinite fazendo-a deitar. Brida passa a mão
seu rosto e a faz fechar os olhos por alguns instantes. Seu
corpo se contorce e ela sente prazeres que só os vampiros
poderiam proporcionar. Um presente único de uma vampira
para uma humana.
Infinite diz carinhosamente para Brida:
- Feliz aniversário Brida!
- Feliz aniversário para si também minha doce Infinite!
Lord Dri abre a porta do quarto e parabeniza as duas pelo
aniversário. Ele as leva para o salão de festa do castelo onde
havia 19 mulheres dançando na sala. Lord dá um sorriso e
afirma:
O banquete está servido Brida. Divirta-se.
- Brida sorri para o Lord. Beijam-se por alguns minutos e ela
caminha para saborear o seu banquete bem de perto...
Brida no Castelo de Lord Dri
A última noite.

Na noite seguinte Lord Dri estava na sua cama. Pensava nos


bons momentos sobre Brida. Ele nunca havia conhecido uma
vampira que chamasse tanto a sua atenção. O envolvimento
por ela era sólido algo que ele nunca imaginou que iria
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

acontecer. Ficara dependente. Seus pensamentos eram


completamente direccionados a ela. Seu próximo passo, sua
próxima conversa. Tudo mais que ele pensava tinha seu
envolvimento. Era para ela que ele fazia.
Seria ele o primeiro vampiro a querer uma vampira tão louca e
ao mesmo tempo tão envolvente?
Um ruído na porta denuncia a presença de Brida no quarto.
Lord olha para aquela figura... Calada e sorrindo levemente.
Senta ao seu lado e pega a sua mão. Ela não diz nada... os dois
se olham por um bom tempo até que ele sussurra:
- Eu queria...
Antes que de terminar a frase ela coloca o dedo em sua boca
para silenciá-lo e diz:
- Também queria entender Lord. Mas se entendermos... Jamais
irá assumir o que sentimos. Isso vai mata-lo, confessar o que
sente pode nos separar para sempre. E a possibilidade de não
dizer nada agora fará com que fiquemos mais próximos. Pois a
beleza disso tudo é o companheirismo que esconde, às vezes
de propósito, o sentimento que não deve ser dito. E isso é
tudo que precisamos. A certeza que esta lá. Bem perto. E
quando precisarmos é só tocar. Sem dizer nada. Pois... dentro
de nós já sabemos que existe. A segurança disso tudo. Nos
mantêm vivos. Eternamente vivos.
Ela coloca a mão na face do Lord e fecha os seus olhos. Lord
espera com um sorriso a próxima surpresa daquela noite que
acabara de começar.
Não dá para saber ao certo quantos segundos foram precisos.
Mas a dor era imediata. Brida atravessa o punhal no peito do
Lord chegando ao coração que fica preso a lâmina.
A dor era algo inatingível pelo homem pois normalmente um
homem neste estado morreria em poucos segundos, porem um
vampiro resiste por mais tempo. E a dor permanece constante
deixando-o apenas com a necessidade de puxar o punhal mas
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

ela havia cravado fundo. Ele tenta com todas as suas forças
arrancá-lo. Cai da sua cama e fica se retorcendo no chão.
Brida caminha até a porta e traz uma mulher... Mesmo com
muita dor ele a reconhece. Brida diz:
- Achei que iria querer uma companhia para a noite de hoje.
Então eu trouxe a sua amada.
- Roxanne?
A amada humana do Lord se aproxima para abraça-lo mas ele
percebe algo estranho. Os caninos salientes e a sua sede por
sangue. Lord consegue como um último esforço jogá-la para o
lado.
- Maldita Brida... Você a transformou em uma vampira!
Brida pega as suas malas e se despede com um beijo à
distância.
Roxanne pula nas costas do Lord e segura no punhal que esta
no seu peito e afunda mais enquanto Lord tenta tira-la
empurrando ela para a parede e com o impacto os dois
atravessam a parede derrubando muitas pedras sobre eles.
Logo as pedras voam para os lados e eles continuam a brigar.
Lord dá muitos socos na cara de Roxanne mas ela quase não
sente os seus golpes. Bate no Lord com toda a força e ele voa
pelo quarto e destrói todos os móveis. Roxanne arrasta o Lord
e bate a cabeça dele várias vezes na janela. Por alguns
segundos ele perde os sentidos. Roxanne pega uma pedra do
tamanho de um travesseiro para esmagar a cabeça do Lord
quando ele acorda tempo suficiente para desviar da pedra. Ele
se levanta e segurando a cabeça da Roxanne ele torce em um
movimento rápido quebra o seu pescoço. A vampira cai
desacordada. Ele vai até onde as espadas estavam penduradas
e pegando uma ele levanta a cabeça da Roxanne e corta a sua
cabeça.
Lord vai a janela e vê Brida entrar no carro junto com Infinite.
Ele arremessa a cabeça da Roxanne que bate no pára-brisas
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

do seu carro. Mas o carro continua o caminho normalmente.


Lord fica no chão com o punhal ainda em seu coração. Ele não
tinha forçar para arrancá-lo. Em meio à dor e aos
pensamentos ele se pergunta... Ela voltará? Haverá uma
próxima noite?

Dark Rose no Castelo de Lord


Dri
Do alto da colina, Dark Rose prepara a sua asa delta e verifica
o mapa onde mostra o seu alvo para pousar. Um castelo que
diziam estar abandonado.
Ela respira fundo e corre uma distância de 20 metros e salta
em direcção ao seu destino.
Alguns minutos depois encontra o castelo. Ela pousa e
rapidamente se solta da asa delta.
Pega arma que estava na sua cintura e se aproxima da porta
que estava entreaberta.
Embora os móveis estavam no local. Não havia ninguém na
sala. Dark Rose sobe cuidadosamente para o quarto e
encontra um homem no chão. Estava com um punhal enfiado
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

em seu peito. A sua pele era pálida. Não havia sinal de


respiração. Ela se aproxima e verifica se o homem estava
morto.
Porém, Dark Rose sabia que ele não era um homem mas sim
um vampiro. Ela segura o punhal com força e o arranca do seu
peito.
Lord Dri acorda, se levanta e cambaleia até encontrar uma
cadeira e se sentar. Ele se lembra de tudo que aconteceu.
Black Rose pega um pano e coloca na ferida do peito e pede
para segurar pressionando bem forte.
Depois que ela se senta na cama fica olhando o vampiro
olhando para a janela e o questiona:
- Parece que alguém queria acabar com a sua vida?
- Não! Ela queria apenas me dar uma lição.
- Uma professora e tanto imagino.
- E você é quem.
- Dark Rose Senhor! Eu estudo vampiros há 15 anos. E o
senhor era um destaque para os estudiosos sobre o tema.
- Agradeço pelo que fez e agora que me encontrou o que
quer?
- Não é só sobre vampiros que estudei. Eu tenho uma
fascinação pelo erotismo deles. Os vampiros são o ponto alto
do prazer e por isso estou aqui. Sei que o senhor tem se
relacionado com as vampiras mais entendidas no assunto e eu
quero mostrar que uma mulher humana também pode ter os
seus truques de sedução e eles funcionam até mesmo para os
vampiros.
Lord Dri começa a rir e se levanta da cadeira e passeia pelo
quarto. Depois que ele percebe que ela não estava rindo ele
comenta:
- Então acha que pode ficar aqui e tentar me seduzir? Olha
Dark as vampiras que apareceram na minha vida não são
apenas donas na sedução e do prazer mas são também
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

violentas e não medem esforços para se satisfazer. Eu aprendi


muito sobre isso e posso te garantir que as humanas não
conseguiriam sobreviver as torturas e nem resistir ao meu
olhar hipnótico.
- Eu não quero mostrar que sou melhor que as vampiras
senhor Dri. Quero apenas mostrar que também sei seduzir um
vampiro. E sobre eu poder hipnótico pode me hipnotizar se
quiser. Mas eu ficaria como uma zumbi e posso garantir que
serei muito mais sedutora e criativa sem que use este poder.
- Certo Srta. Dark lhe darei dois dias para me seduzir e me
deixar satisfeito sobre esta sua ideia. Talvez assim eu veja as
humanas de uma forma diferente e não apenas como um bom
jantar. Mas saiba que se falhar não terei piedade.
- Eu concordo com os dois dias senhor Dri. Mas quero mais,
caso eu lhe conquiste com minha sedução. Eu quero que me
transforme em uma vampira. Quero ser a sua vampira e farei
de tudo para conquista-lo e convencê-lo que sou merecedora
disso.
- Vou pensar nisso. Não é o tipo de pedido que costumo
receber todos os dias. Faz séculos que não transformo
ninguém em vampiro. Tive muitos problemas e realmente vou
ter que pensar se eu quero alguém comigo novamente.
Lord Dri caminha para sua mesa e abre uma garrafa de vinho e
toma metade da garrafa. Depois olha para Dark e apresenta-
lhe o seu castelo. Em cada divisão que passam Lord Dri
lembra-se dos jogos que teve com as outras vampiras que
passaram pelo castelo. As lembranças tão vivas tão recentes
deixa-o pensando se está na hora de ter alguém. Amar alguém.
Ele olha para Dark. Ela tem cabelos com muitas mechas
vermelhas, tinha uma boa altura e usava botas de salto alto.
Andava como uma modelo profissional e usava uma roupa de
couro preta que realçava as suas curvas. O decote era
sensacional. Tinha um sorriso que deixaria qualquer homem
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

beijando seus pés. Mas ele sabia que ela deveria ser mais do
que só aparência para conquista-lo.
Dark Rose percebeu que o Lord a olhava como um lobo olhava
uma ovelha. Mas ela não era assim. Não queria que ele a visse
como uma presa mas sim como uma mulher que gostaria de
conquistar. Ela começa a pensar sobre tudo que estudou, tudo
que os vampiros apreciam e como poderia usar o que
aprendeu para ele saber que pode amar.
Ela sabia que embora o Lord conhecesse muitas vampiras
poucos entraram em seu coração. Poucas realmente o
conheceram por dentro. Isso não a surpreende pois ela sabia
que o Lord se protegia com muitas barreiras. Seria tão difícil
de entrar no seu coração?
Dark caminha em direcção ao Lord. Ela coloca as mãos em sua
camisa e olha para os seus olhos. Não eram olhos de um
homem que teve a vida realizada mas sim de um homem que já
sofreu muito e que esperava alguém para entender o que ele
era realmente. Por trás de toda esta sua forma de Lord havia
uma criança presa. Um menino. Um adolescente. Ela conheceu
todos os homens pois a mente deles eram complexas e por
isso estudou psicologia. Seu maior desafio era conquistar um
vampiro. Mas os olhos dele não conseguem olhar directamente.
Ou olha para a frente ou para os lados mas raramente a olha
directamente. Não é timidez é um escudo. Por alguns
momentos ela chega a se irritar com isso. O que tanto ele
esconde? Será que a natureza do vampiro tem como meta
principal nunca contar aos humanos seus segredos? Isso Dark
Rose vai descobrir aos poucos e a noite estava apenas
começando.
Uma hora depois.
Os dois estavam na mesa de jantar e eles conversavam sobre
a sua vida e seus prazeres.
Lord Dri ficou impressionado com a experiência de uma mulher
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

tão jovem e com uma bagagem de cultura sensual acima da


média de qualquer humano.
Ela conhecia todas as marcas de bebidas mais caras e todos
os estilos da moda actual. Tinha como sua maior curiosidade
Livros de Vampiros de todas as variedades. Disse algumas
curiosidades que até mesmo o Lord desconhecia. E Algumas
que achava que era só ele que sabia e chegou a se irritar por
perguntar como ela soube disso. E ela disse que era segredo.
Então ele descobriu que muita gente sabe da sua vida de
vampiro e dos seus conhecimentos. Chegou a pensar em
proteger mais a sua vida de vampiro. Mas ela disse para não
ficar tão apreensivo assim pois demorou anos para descobrir
algo sobre ele. E que ninguém iria conseguir tão fácil àquelas
informações.
Ele se aproximou de Dark e lhe disse:
- Quer mesmo fazer isso? Você é uma mulher muito desejável.
Poderia facilmente ter os homens nos seus pés.
- Este é o problema Lord. Eu não quero um homem comum.
Quero um que eu possa realmente ouvir. Um que tem respeito
para que eu sabia que quem está falando tem experiência
sobre o que aconselha. Um homem que não só me ame mas
me deixe livre para amar sem me prender. Assim posso amá-lo
do meu jeito. Pois meu amor é único e quando digo que amo
alguém é para sempre. Não é qualquer homem que aceitaria
isso. Mas um vampiro. Um homem que precisa ter o seu
espaço. Ter vítimas para seu alimento. Um vampiro
certamente compreenderia uma mulher como eu. Pois o que
eu mais quero é um amor para me dar segurança que posso
fazer o que quiser e ele estará pulsando forte como da
primeira vez. Não existe nada melhor do que termos a certeza
de que sempre temos para onde ir. Faz a gente ir até a lua
pois existe a confiança de estarmos juntos e quando nos
encontramos será um amor de deuses.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- Acho que não existem homens para você mesmo. São


exigentes e jamais dividiram quem ama com seus afazeres ou
seus sonhos. Mas tem razão. Um vampiro precisa de alguém.
Alguém que o conheça e que seja de confiança. Pois nenhum
vampiro é dono da sua razão e pessoas como você ajudariam a
esconder certas pistas de minha existência.
Dark Rose abaixa o feicho do decote da sua roupa e deixa
aparecer um pouco mais os seus seios. Ela passa a mão por
dentro da sua roupa e olha para o Lord.
O vampiro aprecia aquela visão e ele se aproxima ela o abraça
e eles se beijam. Ele a segura no colo e sobe as escadas até
chegar em sua cama.
- Vamos ver como uma mulher seduz um vampiro.

Dark Rose No castelo do Lord Dri –


parte 2

Eram quase duas horas da manhã.


Apenas as velas e o brilho da lua iluminava o quarto do Lord
Dri.
Dark Rose sentia os beijos daquele vampiro e ela abraçava-o
com muita paixão. Correspondendo os beijos recebido pelo
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Lord.
Ela não pensava em nada. Beijos demorados cheios de
romance que aos poucos aumentavam o desejo de estar mais
perto, As línguas se encontravam várias vezes como uma
dança onde os pares se enroscam entre suas pernas para
continuar os passos, proporcionando uma dança perfeita.
Sintonia acompanhada com prazer.
Quantos homens beijariam assim. Era como se eles soubessem
exactamente qual seria o próximo passo. Treinamento de anos
não trariam a satisfação que aqueles beijos trazem. Tanto o
Lord com a Dark sabiam beijar intensamente mas isso tudo era
apenas o começo.
Dark sente que a cama estava se distanciando dela. E em
pouco tempo percebeu que o teto daquele quarto estava mais
próximo. Não era uma ilusão de óptica. Eles estavam flutuando.
Os poderes do Lord a faziam levitar. Poderes que os vampiros
dominam com muita eficácia. Mas Dark não se impressionava
fácil. Ela já leu isso em muitos livros. Então ela fecha os olhos
e o abraça mais forte. Mas neste momento ela não estava
mais na cama. Ela estava em um parque. Sentia o cheiro das
folhas. Era muito real. Estava em um banco do jardim e o Lord
continuava passando as mãos em seu corpo.
Dark continuava olhando para os lados preocupada sobre se
apareceria alguém mas o Lord responde como se lesse seus
pensamentos:
- Este é meu mundo e posso garantir que só nos dois estamos
aqui. Fique tranquila.
As palavras entraram na cabeça da Dark com rapidez e logo
ela compartilha os prazeres com o Lord.
Ele a beija e desce sobre o seu corpo macio e suado. Os
movimentos do seu quadril deixam o Lord mais ansioso para
satisfazer os desejos de Dark.
Aos poucos ele tira algumas peças de sua roupa. Embora o
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

local esteja um pouco húmido e frio Dark não sentia nada.


Apenas o toque das mãos do Lord. Toques de prazer.
Ela absorve toda a intensidade que a noite traz-lhe. Aproveita
cada segundo tudo o que acontecia. Viu as árvores se
curvarem em torno deles. Abrindo mais o céu estrelado. Tudo
era mágico. Naquele mundo o Lord era dono. Tudo que
acontecia estava sobre os seus comandos. Uma névoa branca
passava por eles e os cobria como um lençol. Logo, toda a
vegetação ao redor deles chacoalhavam fazendo algumas
pétalas de rosas cair sobre eles. Um delicioso banho de rosas.
Dark agora estava impressionada. Ela nunca havia lido um livro
que mostrava estes tipos de poderes em um vampiro. E
novamente ele responde como se ela tivesse perguntado:
- Imaginei que apreciasse rosas Dark Rose.
Dark não dizia nada. Apenas sorria em seu êxtase particular. E
com as suas mãos erguidas tenta pegar as pétalas que caiam
nos seus corpos.
O casal estava nu e juntos praticando o mais incrível acto de
amor. Dois corpos no meio da vegetação gemendo de prazer.
Lord aproxima-se do seu ouvido e pergunta:
- O que vê Dark? A escuridão da floresta, ou o quarto do meu
castelo.
Ela se confunde com a pergunta por alguns minutos e quando
vai responder que via a floresta ela percebe que estava no
quarto.
- Como Faz isso?
- Posso levá-la para onde desejar sem sair daqui. Meus
poderes também inclui os de um vampiro astral. Só nossa
energia que passeia pelo mundo. Nossos corpos permanecem
aqui.
- É incrível. Ainda vejo parte da floresta.
- Estamos nos dois lugares. Agora relaxe.. Vamos continuar o
que fazíamos.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Dark Rose fecha os olhos e percebe que estava flutuando com


o Lord em um céu completamente estrelado. Vendo a terra
bem distante. Eles começam a girar vagarosamente como se a
gravidade não existisse ali. Seus cabelos moviam-se bem
vagarosamente. Lord penetrava no corpo de Dark. Ela sentia
cada impulso. Cada prazer. Os impulsos aceleravam e ela
perdeu o controlo de seu corpo alcançando o clímax daquele
momento. Um prazer extremamente excitante e descontrolado.
O prazer dos vampiros.
Alguns minutos depois os dois estavam agarrados apenas
olhando para as estrelas.
Dark sorria como nunca. Conheceu finalmente o amor dos
vampiros e gostou do que sentiu. Ele pede para ela abrir os
olhos e novamente aparecem no seu quarto.
Dark fica calada por alguns minutos e depois se levanta da
cama. Olha para todos os lados do quarto. Coloca as mãos em
seu rosto e sorri novamente.
- Nunca senti algo assim. Estava em muitos lugares ao mesmo
tempo. Olha corpo... completamente arrepiado!
- Dark Agora é a sua vez de mostrar como pode me seduzir.
Ela sorri. Era um sorriso tímido. Mas por trás deste sorriso ela
já planejava algo para ele.
- Feche os olhos meu querido vampiro.
Lord fica sentado na cama com os olhos fechados. Esperando
o primeiro passo da Dark.
Ela se aproxima e toca de leve as coxas do Lord. Passa
levemente o bico dos seus seios nas suas pernas. Desliza
vagarosamente para cima e para baixo. Então começa a beijar
as pernas e logo em seguida ela se levanta e abraça o Lord.
Ela coloca as pernas por cima da cama e ele a segura com
seus braços. Ela encosta os seus seios nos peitos dele. Ela se
mexe como se dançasse, ela sobre e abaixa o corpo. Causando
uma erecção. Ela vai subindo mais até que ela se encaixa nele.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

E começa a subir e descer mais rápido. O Lord começa a


gemer de prazer. Dark dá uma leve mordida na orelha dele e
continua a se mexer. Dark percebe que o Lord estava bem
excitado mas quando ele chega ao orgasmo ela enfia a língua
na boca dele Segurando seus gemidos dentro da sua boca.
Depois de alguns minutos quando o Lord relaxa. Eles ficam
abraçados. Lord encosta cabeça no ombro da Dark
Ela coloca as mãos no seu cabelo e faz um carinho relaxando
mais o corpo do Lord. Quando ele pára de descansar a cabeça
em seu ombro ele se levanta com a cabeça baixa e quando ela
coloca a sua mão para ver o seu rosto ela vê que ele tinha
uma lágrima de sangue em um dos seus olhos.
Ele se vira para evitar que ela o olhe mas Dark o segura.
- Quero ver Lord. Por favor. Não se envergonhe disso.
- Você não precisa ver isso...
- Eu não sou uma simples mulher. – Dark pega um pano e
passa levemente no rosto do Lord para tirar a lágrima e
continua falando: - Vampiros que choram são muito melhores
do que imagina.
Lord Sorri e logo depois fica sério novamente.
- Amei uma humana uma vez e ela morreu por minha culpa.
- Se ela não sabia se defender a culpa não foi sua.
Dark segura a mão do Lord, olha para ele e continua falando.
- Amar um vampiro significa que também devemos protegê-lo
e devemos aprender a nos defender. Isso é algo que faço
desde que nasci. Aprendi a me defender e a lutar pelo que
quero. A vida é assim e exige preparação e compreensão de
tudo que está a nossa volta. Por isso não se culpe se ela
morreu. Quero que saiba que eu luto muito para ter o que
quero. Tenho o orgulho de dizer que tudo que conquistei foi
através de mim. E assim será para sempre. Por isso pode
confiar em mim. Sei bem cuidar dos que me tem como sua
aliada.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- Conheci algumas guerreiras amazonas que a transformariam


em rainha.
- Eu aceitaria ser rainha se elas me deixassem livre para
conhecer o mundo.
- Dark deixe-me dizer-te uma coisa.
- Todo mundo tem seu objectivo. Muitos morrem por ele. Mas
todos têm um. Até mesmo eu como vampiro tem um objectivo.
Qual é o seu?
- E se eu lhe dissesse Lord que todos são meus objectivos?
Sou uma observadora. Alguém que poderia estar em vários
lugares ao mesmo tempo. Atenta a quem precisa de mim.
Atenta aos que não merecem viver. Aos doentes que clamam
para morrer. Aos loucos que só pensam em acabar com a vida
dos outros. Minha força como uma mulher não é suficiente
para ser o que quero. Meu objectivo é ser uma vampira. Ser
mais independente. Mais rápida. Mais observadora. Eu faria a
diferença em qualquer lugar. Atenderia alguns desejos que
ainda não consegui realizar.
- Todo o poder tem seus limites Dark. Você não poderia andar
a luz do dia e deveria tomar mais cuidados com os caçadores
nocturnos. Deve ter gente de confiança ao seu lado. Para
protegê-la quando você não puder.
- Eu sei disso. E por isso mesmo conquistei o amor de alguns.
Sei que sozinha não conseguiria tudo. Eu estou fazendo meu
legado para isso. Eles me esperam quando eu precisar. E eu os
amo por isso.
Dark olha para os olhos do Vampiro e ele a beija.
Lord tenta dizer algo para Dark mas diz primeiro:
- Apenas diga sim Lord. Serei a sua melhor vampira.
Lord solta a Dark e caminha para a janela. Antes de Dark
perguntar o que estava a fazer, ele corre em sua direcção
agarra bem forte os seus ombros. Ela respira fundo e ele
morde o seu pescoço...
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Parte 3 - A vampira Dark Rose


O som dos pássaros e das árvores chacoalhando ao vento,
isso é tudo que Dark Rose ouve ao acordar. Ela estava nua e
deitada no chão que estava coberto de folhas secas. Seus
olhos viam tudo muito claramente, mas ela notava que mesmo
com tudo tão nítido, tão claro, não havia sombras.
Ela ouve um barulho de alguém andando sobre as folhas secas.
Era o Lord Dri que caminhava lentamente e sorria para Dark.
Ele a ajuda a se levantar. E ela pergunta:
- Pensei que os vampiros eram sensíveis ao Sol.
- Mas é noite Dark. Seus olhos vêem como se fosse dia. Você
agora é uma vampira.
Dark Rose dá um sorriso e abraça o Lord e complementa:
- Então, agora sou uma vampira. Você confiou em mim.
- Sim Dark, mas existem muitas coisas sobre os vampiros que
você precisa saber.
- Estarei atenta a todos os seus ensinamentos.
Lord olha para a floresta e novamente olha para Dark.
- Você pode criar seu mundo aqui. Ele será nosso por
enquanto. Para que eu lhe mostre o que seu poder pode fazer.
Dark pega no braço do Lord e carinhosamente o abraça e
beija. Ficam algum tempo se beijando. Logo Lord comenta:
- Então você quer aprender um pouco da sedução dos
vampiros? Tudo bem Dark. Onde Estamos?
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

- Estamos na sala do castelo mas na floresta ao mesmo


tempo... Algumas vezes posso ver os móveis e o sofá. Mas
posso sentir as árvores e as folhas que estão aqui. É como se
eu estivesse em dois lugares ao mesmo tempo. Posso sentir o
vento e sinto o cheiro do orvalho.
- Sua mente está aqui e ela reconhece todos os sentimentos
do corpo. Mas... Tome cuidado e fique sempre atenta aonde
está o seu corpo. Pois se você se distanciar da realidade seu
corpo ficará frágil para os caçadores. Nunca se desligue
completamente dele...

-Entende isso? Dark concorda. Lord Dri agarra-lhe as mãos e


olha para cima. Ele sorri para Dark.
- Agora respire fundo... solte a respiração lentamente. Os
vampiros não respiram mas você se transformou em vampira a
pouco tempo. Seu corpo ainda sente a necessidade de respirar
mas com o tempo verá que não será mais necessário. Por
enquanto vamos usar esta técnica de respiração para se
concentrar e conhecer seus novos poderes. Respire
novamente só que, quando soltar a respiração vagarosamente
vai perceber que seu corpo fica mais leve... sinta ele flutuando.
Dark solta vagarosamente a respiração... Ela fica apenas nas
pontas dos pés e o Lord dá um leve tapa na sua nádega e ela
é empurrada para cima. Ela perde o controlo do seu corpo que
tenta se agarrar em algo mas o Lord aparece ao seu lado e ela
o agarra e diz:
- É o instinto do seu corpo. Deve ter calma... Se concentrar,
pois o seu corpo não sabe ainda que pode voar. É como se
você estivesse nadando. Deixe o corpo reconhecer o ambiente
concentre-se apenas em manter a altitude.
Lord a solta vagarosamente. Ele fica apenas segurando a sua
mão. Dark mantém a altitude e começa a girar mas Lord a
segura com a mão.
- Deixe o corpo leve... E tenha calma. Apenas sinta a brisa,
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

mantenha relaxada e segure a minha mão.


Dark olha para os lados... As suas pernas começam a subir e
ela fica completamente na direcção horizontal. Lord passa a
mão pelo seu corpo e a faz girar levemente duas vezes e
agora ele a coloca de cabeça para baixo.
- Diferente dos humanos não estamos presos a gravidade da
terra. Nossos corpos apenas imitam os humanos para nos
parecermos com eles quando estamos andando, mas na
verdade não precisamos andar.
Lord volta o corpo de Dark para a vertical e continua a
conversar.
Agora a parte mais excitante da nossa aula. Ele pega nos
ombros da Dark e a empurra, ela começa a rodopiar.
- Não se preocupe Dark, a tonteira faz parte do sentido do
corpo e os vampiros podem controlar este estado. Tente parar
de rodopiar.
Dark para aos poucos. Usa as pernas e os braços esticados
para o lado até que finalmente mantém a sua posição normal e
fica apenas flutuando.
- Tu aprendes-te muito rápido.
- As aulas de Tai Chi Chuan ajudaram a controlar o equilíbrio
Lord. Agora vamos ver como eu me saio.
Dark segura as duas mãos do Lord e diz:
Apenas relaxe... vamos brincar um pouco.
Dark puxa o Lord mais para cima. Eles ficam mais altos... agora
a cinquenta metros acima das árvores. Ela pára de repente e
deixa o Lord subir mais um pouco e agarra na sua cintura.
Beijando a sua barriga. O Lord sorri e aprecia as brincadeiras
da Dark.
Ela fica novamente na posição horizontal e coloca o Lord na
mesma posição. Eles se abraçam, se beijam e ela dá
velocidade para ir em frente. Sobrevoando a floresta. Ela se
distância dos ombros do Lord e vai descendo pelo seu peito e
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

logo para a sua cintura novamente. Lord coloca as mãos nos


ombros da Dark e ela olha a sorrir para ele... Abrindo-lhe a sua
calça. Ela diz:
- Porque eu estou nu e você vestido?
- A sua mente consegue ver perfeitamente o seu corpo... Eu
não me olho muito no espelho... Faz muito tempo. Concentro-
me apenas do que lembro mais.
- Deixe-me então descobrir mais sobre o seu corpo.
Dark desabotoa a camisa e as calças. Ela vai tirando toda a
roupa é lançada pela floresta. Os dois corpos voam nus. Dark
beija as pernas do Lord. Isso o deixa muito excitado. Ela beija
o seu pénis e o chupa com delicadeza.
Enquanto eles voam pela floresta Lord sente-se muito
excitado. Ele puxa Dark para cima e começam a beijar. Ela
toca com as mãos o seu pénis e direcciona para a sua vagina.
Ele a penetra e seus corpos começam a girar excitados
completamente com o prazer que estavam sentindo. Rodopiam
e mantém a velocidade. Lord investe toda a sua energia em
Dark e ela a recebe todo aquele impacto de prazer e excitação
daquele momento. Lord olha para os olhos da Dark. Ela queria
mais. Estava sedenta por mais prazer. Ele toca em seus seios
e começa a chupar. Suas pernas enroscam nas pernas de
Dark. Novamente enfia o seu pénis em seu corpo. Dark sentia
mais prazer. Estava chegando ao clímax. Eles mudam a sua
posição horizontal e penetram em vertical. Sobem e aceleram
novamente. Lord enfiava com mais força até que a Dark
começa a sentir todo o clímax daquela penetração. Seu corpo
treme e geme por um bom tempo. Se abraçam. Os dois
suavam muito, mas como no passe de mágica começa a
chover e a chuva alivia a temperatura e o cansaço dos seus
corpos enquanto eles se beijam. Lord segura forte a Dark. As
velocidades dos seus corpos diminuem até que eles começam
a cair... Eles ainda beijam-se e finalmente caem no lago.
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

Dark tenta respirar e o Lord acalma-lhe com um beijo. Ela


percebe que não precisa respirar e quando chegam ao fundo
do lado os dois se olham e caminham por baixo da água até
chegarem a margem.
- Que viagem fascinante Lord.
- Você é fascinante Dark. Vamos voltar para o castelo?
Os dois fecham os olhos e quando abrem estavam no castelo.
Dark estava com as mãos no peito do Lord. Ele olha para ela e
sorri. Intrigada ela pergunta:
- Foi real?
- Claro que foi Dark. Absolutamente real. Estávamos lá. E
nossos corpos bem aqui. Sentindo tudo o que fazíamos.
Lord acaricia os cabelos da Dark, se levanta e abre o
champgne. Coloca em duas taças e ele faz um brinde.
- A nova Vampira Dark Rose.

A vampira Dark Rose - última


parte.

Após a comemoração dos seus novos poderes de vampira,


Lord Dri e Dark Rose, saírem do castelo para encontrar uma
vítima. Dark Rose fica um pouco ansiosa para saber o que o
Lord Dri reserva para ela. Voam por algum tempo até a cidade
mais próxima. Desta vez Lord Dri não vai para uma casa
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

nocturna. Mas sim ele a leva para uma rua muito movimentada
onde existe muita prostituição.
Eles caminham de mãos dadas entre cantadas e convites para
terem uma noite feliz.
Lord Dri conhece bem o local e olha para as mulheres que o
seduz de todas as formas.
Dark Rose observa atentamente a procura de uma vítima.
Logo, o Lord para e observa um rapaz de aparência jovem,
moreno cabelos enrolados. Aproximadamente com 20 anos. Ela
olha para ele e o Lord aponta para o rapaz.
Ela caminha até ele.
- Olá, gostaria de tomar algo?
- Olá! Sim eu gostaria muito.
Lord observa os dois caminhando para o bar mais próximo. Ele
pede uma dose de Martini seco e observa Dark Rose com o
rapaz a distância. Eles conversam por algum tempo. Riem de
algumas piadas e quando o momento de descontracção está
no auge ela sai do bar com ele e começam a se beijar.
O Lord observa atentamente. Um pouco de ciúmes o atinge.
Dark Rose sabia beijar muito bem e seduzia o rapaz com
facilidade. Ele não olhava para os lados, apenas para os olhos
dela. Estava completamente sobre o seu feitiço.
Já havia se passado mais de vinte minutos e eles continuavam
a se beijar.
Impaciente. Lord observa. O ciúmes estava dominando-o seu
ser. Por quê ela não o mordia logo e acabava com isso? Qual
era o problema? Dark finalmente leva o rapaz para um lugar
mais escuro e ficam por lá por mais algum tempo... Desta vez
ela começa a tirar a roupa do rapaz. Lord observava irritado.
Era uma vítima fácil. Para que ficar gastando tanto tempo?
Irritado Lord observa os dois se tocando excitados. Ela o beija
e o toca muito apaixonadamente. Ele não se conforma vendo
aquela cena e finalmente se retira. Volta para o seu castelo,
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

pega uma garrafa de vinho e fica esperando por horas a


chegada de Dark até que adormece.
Na noite seguinte ele acorda e vai até a sala. Ele percebe que
não estava sozinho. Dark estava dormindo no sofá da sala
junto com o rapaz da noite seguinte.
Lord fica enfurecido! - Ela não o matou? Pensava irritado e
coberto de ciúmes.
Ele puxa o braço da Dark Rose e pergunta:
- Por quê trouxe o rapaz para o meu castelo?
- Eu gostei dele e eu o mordi mas não o matei!
- Então faça isso agora ou o transformarei em um vampiro
como você é!
- Lord, Passou pela sua cabeça que talvez eu queira isso!
Passou pela sua cabeça que não teremos um futuro juntos?
Pois você ama este castelo e não a mim? Não quero viver aqui
para sempre. Quero sair. Quero conhecer o mundo e se este
rapaz quiser me acompanhar ele irá comigo. Passará todas as
noites comigo. Seremos unidos eternos e ele fará tudo que eu
quero. Pois ao menos eu posso confiar em sua companhia.
Diferente do Senhor que nunca foi atrás de nenhuma vampira
que o abandonou. Que o deixou. Não amas ninguém tu só ama
a si mesmo e a esse maldito castelo que é mais uma prisão.
Desde o início eu disse para o senhor que eu não queria me
prender aqui.
- O que está falando é loucura! Podemos sim viver juntos.
Tem muito o que aprender. E teremos tempo para ficar juntos.
Eternamente juntos.
- Eu não quero isso! É muito cedo para ficar aqui com tantas
coisas no mundo para conhecer. Aquele rapaz tem a minha
idade. Ele vai aprender comigo, juntos como deve ser. E claro
que não esquecerei do Sr. Pois se não fosse o Sr. Eu não teria
a experiência que me deu. Lord se vira de costas para Dark e
abaixa a cabeça por alguns momentos. Ele olha para frente. E
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

diz.
- Então parta! Sem rancores e sem sentimentos.
- Não assim! Não quero assim! Quero que me olhe antes,
quero que me diga isso olhando para mim.
O Lord vira-se. Seus olhos lacrimejado de sangue travam
directamente nos olhos da Dark. Ela caminha até ele e limpa
as suas lágrimas. Ela conclui.
- Este mundo não foi feito para nós não é mesmo? O que
faríamos aqui? Juntos? O senhor nunca vai mudar de ideia.
Nunca vai abandonar este castelo e quer saber a minha
opinião? Este castelo o envelhece. Este castelo faz você ser
mais velho do que é. E eu, um dia vou ter a alegria de
encontra-lo em algum lugar fora daqui. Neste dia terei
esperanças que poderemos estar juntos. Mas até lá. Vou
seguir meu caminho.
O Lord não diz uma palavra. Ele assiste ela acordando o rapaz
e o leva para a saída. Ele vê os dois a caminhar juntos e se
beijam. Ela olha para o Lord quando beija o rapaz. Logo eles
voam para longe e o Lord os observa pela janela. Observa a
lua brilhante. Agora ele está só finalmente. Com o seu castelo.
Caminha pelos quartos vazios. Vê todas as divisões, todos os
cristais e os objectos de prata. Observa os tapetes caros e
raros e por fim os móveis coloniais. Ele pega uma garrafa de
vodka e caminha com ela por alguns minutos. Ele abra a
garrafa... Agora sem nenhuma taça. Bebe directamente da
garrafa. Algo que nunca havia feito. Toma muitos goles.
Caminha até um celular e Liga para o seu amigo Rafael que
fica surpreso com a sua ligação e mais surpreso ainda quando
o Lord diz para ir buscá-lo.
4 horas mais tarde. Na França.
Lady Dry voltava de um desfile de moda. Ela abre a porta do
seu apartamento. Mas ela sente algo estranho. Entra em sua
sala e vê em cima da sua mesa a chave do castelo. Ela segura
Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software
http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.

a chave mas não sorri. Fica preocupada. Caminha até


encontrar a porta da sacada do apartamento aberta. O vento
entrava na sala. O vento frio da madrugada era percebido pelo
seu corpo. Ela observa o homem olhando para a cidade. Ela o
conhece muito bem. Coloca a mão no seu ombro e ele a
abraça. Ela o segura por alguns momentos. Ele não se
comportava como um Lord. Estava abatido. Como se o peso
do mundo estivesse em suas costas. Ela o abraça com ternura
e ele fica com a cabeça baixa em seu ombro.
- Não quero nunca mais voltar para aquele castelo. Que ele
envelheça sozinho. Não eu!
Lady Dry Sorri e o abraça novamente e responde.
- Meu Senhor. Pelo jeito suas experiências por lá o tornaram
mais... mais... Humano.
- Talvez... - Ele diz olhando para Dry. Mas a minha real
herança está no que ensinei. Talvez Dry o que mais eu
precisava era amar. Ter um coração. Mas descobri que a maior
tortura nisto tudo. É ser solitário... Para sempre...
- Não meu senhor. Um Lord como o senhor nunca será
solitário. Sempre terá pessoas a sua volta. Pessoas que
querem aprender mais conhecerem mais. Pois quanto mais o
conhecem mais o amam. E é isso que importa. É isso que nos
mantém. Vivos. Eternamente Vivos.

"Fim"