Вы находитесь на странице: 1из 2

PSICOLOGIA ANALITICA

Complexo
Formação autònoma que se
impõem ao consuente. Fun-
ciona como uma personali-
dade parcial ou secundária.
Depende de uma rede de
aquisições agrupadas em
torno de um núcleo carregada
de afeto.

Complexos: como vou ver


isso. Não condiz com o que
quero. Mais conteúdo, mais
força energética de subjulgar
nosso EGO (não tem controle
para impedir o complexo)

Exemplo: Existe uma outra da mesma forma (todos fare- comportamento compulsivo
pessoa ao inverso do que sou. mos isto, universal). Quando (ciúmes,bebida,fumar) não
Nosso EGO não reconhece enfrento uma autoridade, eu conseguimos frear.
essa atitude. Está sempre em fujo - Quando enfrendo um
oposição e faz parte de mim. ambiente hostil no trabalho, 4. Inflação: Tomado pelo
Comportamento que assumi- eu me demito - Quando o am- complexo: “ eu acho que eu
mos num determinado espaço biente familiar não dá mais, posso mais do que eu posso”
de tempo. Que altera nossas eu sai do casa. (raiva, amor, ódio). Ter plena
condições e quando voltamos certeza que vou conseguir
em si, dizemos: “Nossa, não 2. Núcleo Mitológico: aquilo, se sente poderoso, não
sou assim com as pessoas, o Consiste em um núcleo de pa- consegue ponderar em ver os
que deu em mim?”. drão humano comum, o AR- perigos, nem ao menos pla-
QUÉTIPO - funções: poder nejar. Outro exemplo: o “Rei
POSSUI de impulsonar a vida psíquica. Midas” quer fazer dinheiro
DOIS ASPECTOS: A falta de consciência favore- em qualquer situação, qual-
ce a perturbação psíquica. quer coisa é oportunidade
1. Casca do Complexo: Su- para fazer negócio. Quando
perfície que se aposenta como 3. Compulsão: está tentando salvar o ca-
um padrão peculiar de reação. Somos tomados por um samento num jantar com a
Aponta para experiências - afeto (possessão). Não con- esposa, quer ficar “vendendo
Pessoas: muito individualiza- seguimos conter, exemplo: o peixe” para outras pessoas
das: eu choro por algo - reagir a fofoca (é um complexo), e para ela. Pai que só fala de
PSICOLOGIA ANALITICA 3 de Março de 2009

trabalho quando vai a festa do tenta chegar á consciência. comigo mesmo


filho - não percebe o distân-
ciamento familiar - “é mais Filtro = vemos nossas experi-7. Identidade:
forte do que eu” - o sujeito ências e enxergamos através Ausência da diferenciação -
é tomado por uma força que da projeção (filtroX) ou da não há diferença entre a rea-
não é dele, mas está com ele ção consuente e o impulso
Inflação (filtroZ). O filtro que
cobre a minha realidade Não tenho consciência, ele
5. Projeção: está se tronando consciênte,
Transfiro essa imagem fora de 6. Complexo Destruidor: exemplo: menino que grita
mim, exemplo: “Essa clas- Invasões que incluem com- muito (ativa o complexo do
se não gosta de mim” - toda pportamento exteriotipado, in- pai em querer xingar e bater
vez que projeta o centeúdo controláveis reações de afeto no filho). Fora destas condi-
é a primeira imagem que eu e respostas físicas. enquanto ções, ele é um homem bondo-
formo de mim, que emociona. inconscientemente, temos so, calmo e tranquilo. Quando
Está recebendo a projeção relações ao EGO. ele está neste complexo, não
(coloco o complexo no meu Complexo exterotipado, consegue diferenciar esta ati-
inconsciente) em mim. Ou- exemplo: o jogador de futebol tude com o que ele é normal-
tro exemplo: Meu primeiro Zidane, uma pessoa bacana, mente. Tem atitude inexpera-
dia de trabalho, senti que me veio para o Brasil num jogo da ( o EGO não segura, se não
olharam zangados. Outro dia, amistoso - complexo: dá uma tem consciência). Enquando
percebe que continuam me cabeçada em outro jogador está consciênte não tem. O
olhando zangado. Acho que (reação incontrolável - não EGO não interfere.
não gostaram de mim - Cria- é o EGO do Zidane naquele
mos suposições sobre algo momento - vários EGOS do 8. Compulsão:
que vemos e que pode intensi- Zidane. Quando tenho von- Estado identico ao impulso.
ficar por conta disto. Caminho tade, posso conversar sobre Não há questionamento sobre
através do qual o complexo aquele impulso (é possível) a reação

Não é pessoal - coletivo, ARQUÉTIPO: potenciais inerentes na Humanidade


Eu não quero apontamentos negativos
ver isto em mim

EGONosso EGO
CONSCIÊNTE
Experiência: Muita dificuldade no EGO
construído (identidade): incapacidade,
não admite
experiências negativas que somam
Complexo (força energética
Vver um assalto: Aciona algum complexo ( que quer se fazer consciente)
Parte de si mesmo SELF: nossa totalidade em realizar) foi percebido, mas não integrado
ao EGO : se não conseguir interpretar, construir um símbolo, uma imagem. Ela é integrada
ao EGO ( entender seu porquê, dissolveu o complexo, foi integrado