Вы находитесь на странице: 1из 2
Trabalho Submetido para Avaliação - 17/09/2012 23:23:25 TRATAMENTO DE CLASSE II DE ANGLE PRIMEIRA DIVISÃO

Trabalho Submetido para Avaliação - 17/09/2012 23:23:25

TRATAMENTO DE CLASSE II DE ANGLE PRIMEIRA DIVISÃO RELACIONADO AO APARELHO DE PROTRAÇÃO MANDIBULAR (APM)

SIDNEY RAISKI DE MORAIS (sidneyraiski@yahoo.com.br) / Odontologia / UNIFRA, Santa Maria - RS LETÍCIA DIAS MACHADO (letydnachado@yahoo.com.br) / Odontologia / UNIFRA, Santa Maria - RS CÂNDIDA BONADIMAN JUNG (candidabonadiman@yahoo.com.br) / Odontologia / UNIFRA, Santa Maria - RS ORIENTADOR: CESAR GRUENDLING (cgruendling@yahoo.com.br) / Uningá, Santa Maria - RS

Palavras-Chave:

Protrusão Mandibular. Classe II de Angle. Aparelho de protração mandibular.

Aproximadamente 42% da população brasileira é acometida com má oclusão de classe II de Angle divisão 1ª. A primeira vez em que Angle definiu e publicou a classificação das três más oclusões no sentido ântero- posterior foi em 1989. Tal publicação acabou por definir que o primeiro molar permanente superior era imutável em relação ao inferior, pois para isso foi levado em consideração o fato da maxila ser imóvel, fato esse que foi discutido em trabalhos posteriores. Com isso surgiu a necessidade de correção da má oclusão levanto sempre em consideração a conservação da integridade biológica para a obtenção de bons resultados, surgindo assim os chamados aparelhos ortopédicos. Após a publicação de estudos de vários aparelhos Coelho Filho desenvolveu, em 1995, o Aparelho de Protração Mandibular (APM). Embasado no assunto proposto, este trabalho, por meio de uma revisão bibliográfica, levanta os principais dados em relação à correção da má oclusão de classe II primeira divisão utilizando-se o APM, destacando principalmente indicações, vantagens, desvantagens, mecanismos de ação e protocolo para utilização do APM em casos de classe II de Angle primeira divisão. O local de estudo eleito de pesquisa foi via internet em revistas nacionais ou internacionais, indexadas, com buscas ativas de exemplares para leitura presentes na base Biblioteca Virtual em Saúde (BIRAME). Base essa que permitiu acesso gratuito e de fácil manipulação através de palavras chaves simples e suas combinações para obtenção de informações referentes à busca. O período de busca esteve entre 14 de abril de 2011 e 10 de novembro de 2011. As palavras chaves utilizados foram: “ Chave de má oclusão”, “Classe II Angle” e “Cefalometria”.

REFERÊNCIAS:

HENRIQUES, RP; Efeitos dentoesqueléticos do aparelho de protração mandibular (APM) no tratamento da má oclusão de classe II divisão 1ª; Faipe; 01 (01); 6-28; 2011.

LOIOLA, AV; et al; Aparelho para Projeção da Mandíbula Modificado; Clín. Ortodon. Dental Press; 01 (04); 31-37 ; 2002.

FERREIRA, CN; et al; Alterações promovidas pelo APM em pacientes com má oclusão de classe II, por retrusão mandibular; RCO-REV; 11 (01); 13-18; 2009.

COSTA, LA; SUGUINO, R; Aparelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho; R. Clin. Ortodon. Dental Press. Maringá; 4 (6); 16-29; 2005/2006.

SILVA FILHO, OG; et al; Avaliação cefalométrica dos efeitos do aparelho Herbst no tratamento da deficiência mandibular na dentadura permanente; Dental Press Ortodon Ortop Facial; 12 (06); 101-118; 2007.