Вы находитесь на странице: 1из 27
Queimaduras
Queimaduras
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados

Renato Caldas

Fisioterapeuta

Centro de Tratamento de Queimados

Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Queimaduras Renato Caldas Fisioterapeuta Centro de Tratamento de Queimados
Epidemiologia As queimaduras são a 4º maior causa de morte por injúria unidirecional nos EUA
Epidemiologia As queimaduras são a 4º maior causa de morte por injúria unidirecional nos EUA
Epidemiologia
Epidemiologia
As queimaduras são a 4º maior causa de morte por injúria unidirecional nos EUA
As queimaduras são a 4º maior causa de morte por injúria
unidirecional nos EUA
Estima-se que ocorrem um milhão de acidentes com queimaduras por ano no Brasil
Estima-se que ocorrem um milhão de acidentes com
queimaduras por ano no Brasil
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar
O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
O principal agente causal é líquido/alimento super
aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
2/3 dos acidentes ocorrem dentro do ambiente domiciliar O principal agente causal é líquido/alimento super aquecido
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras
Classificações das
Queimaduras

Quanto ao agente causal

Quanto a profundidade da lesão

Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações das Queimaduras  Quanto ao agente causal  Quanto a profundidade da lesão
Classificações Quanto ao agente causal  Físicos: - Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama,
Classificações Quanto ao agente causal  Físicos: - Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama,
Classificações Quanto ao agente causal  Físicos: - Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama,
Classificações Quanto ao agente causal  Físicos: - Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama,
Classificações
Classificações
Classificações Quanto ao agente causal  Físicos: - Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama, etc.

Quanto ao agente causal

 Físicos:
 Físicos:

-

Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama, etc.
Temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente,
chama, etc.

-

vapor, objetos aquecidos, água quente, chama, etc. - Eletricidade : corrente elétrica, raio, etc. - Radiação

Eletricidade: corrente elétrica, raio, etc.

-

etc. - Eletricidade : corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X,
etc. - Eletricidade : corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X,
etc. - Eletricidade : corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X,

Radiação: sol, aparelhos de raios X, raios ultra-

violetas, nucleares, etc.
violetas, nucleares, etc.
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
: corrente elétrica, raio, etc. - Radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra- violetas,
Classificações  Químicos: - Produtos químicos : ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.  Biológicos: -
Classificações  Químicos: - Produtos químicos : ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.  Biológicos: -
Classificações  Químicos: - Produtos químicos : ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.  Biológicos: -
Classificações
Classificações
 Químicos:
 Químicos:

-

Classificações  Químicos: - Produtos químicos : ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.  Biológicos: -

Produtos químicos: ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.

Produtos químicos : ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.  Biológicos: - Animais : lagarta-de-fogo,
 Biológicos:
Biológicos:
: ácidos, bases, álcool, gasolina, etc.  Biológicos: - Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. -

- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc.

- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,

- Vegetais: o látex de certas plantas, urtiga, etc.

- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,
- Animais : lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. - Vegetais : o látex de certas plantas, urtiga,

Classificação

Quanto a profundidade da lesão
Quanto a profundidade da lesão

1º Grau

Classificação Quanto a profundidade da lesão 1º Grau  Não sangra, geralmente seca  Não passam
Classificação Quanto a profundidade da lesão 1º Grau  Não sangra, geralmente seca  Não passam
Classificação Quanto a profundidade da lesão 1º Grau  Não sangra, geralmente seca  Não passam
Classificação Quanto a profundidade da lesão 1º Grau  Não sangra, geralmente seca  Não passam
 Não sangra, geralmente seca  Não passam da Epiderme  Queimadura de Sol (exemplo)
 Não sangra, geralmente seca
 Não passam da Epiderme
 Queimadura de Sol (exemplo)
 Hiperemia (Vermelhidão)
 Dolorosa

Ausência de flictenas

Sem repercussões hemodinâmicas

Ausência de flictenas  Sem repercussões hemodinâmicas Fig01: Anatomia Pele Obs:Normalmente não chega na

Fig01: Anatomia Pele

de flictenas  Sem repercussões hemodinâmicas Fig01: Anatomia Pele Obs:Normalmente não chega na emergência
de flictenas  Sem repercussões hemodinâmicas Fig01: Anatomia Pele Obs:Normalmente não chega na emergência
de flictenas  Sem repercussões hemodinâmicas Fig01: Anatomia Pele Obs:Normalmente não chega na emergência
de flictenas  Sem repercussões hemodinâmicas Fig01: Anatomia Pele Obs:Normalmente não chega na emergência

Obs:Normalmente não chega na emergência

Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)

Queimaduras (1º Grau)

Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)

Queimaduras (1º Grau)

Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Queimaduras (1º Grau)
Classificação Quanto a profundidade da lesão 2º Grau  Atinge epiderme e derme  Presença
Classificação Quanto a profundidade da lesão 2º Grau  Atinge epiderme e derme  Presença
Classificação Quanto a profundidade da lesão 2º Grau  Atinge epiderme e derme  Presença

Classificação

Quanto a profundidade da lesão
Quanto a profundidade da lesão
Classificação Quanto a profundidade da lesão 2º Grau  Atinge epiderme e derme  Presença de

2º Grau

 Atinge epiderme e derme  Presença de Flictenas (Bolhas) Retirar ou não?  Dolorosa
 Atinge epiderme e derme
 Presença de Flictenas (Bolhas)
Retirar ou não?
 Dolorosa
 Cura espontânea mais lenta,
com possibilidade de formação de cicatriz

Fig01: Anatomia Pele

ou não?  Dolorosa  Cura espontânea mais lenta, com possibilidade de formação de cicatriz Fig01:
ou não?  Dolorosa  Cura espontânea mais lenta, com possibilidade de formação de cicatriz Fig01:
ou não?  Dolorosa  Cura espontânea mais lenta, com possibilidade de formação de cicatriz Fig01:
ou não?  Dolorosa  Cura espontânea mais lenta, com possibilidade de formação de cicatriz Fig01:
ou não?  Dolorosa  Cura espontânea mais lenta, com possibilidade de formação de cicatriz Fig01:
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)

Queimaduras (2º Grau)

Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)

Queimaduras (2º Grau)

Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)
Queimaduras (2º Grau)

Classificação

 Quanto a profundidade da lesão
 Quanto a profundidade da lesão

3º Grau

Classificação  Quanto a profundidade da lesão 3º Grau  Atinge todos os apêndices da pele
Classificação  Quanto a profundidade da lesão 3º Grau  Atinge todos os apêndices da pele
Classificação  Quanto a profundidade da lesão 3º Grau  Atinge todos os apêndices da pele
Classificação  Quanto a profundidade da lesão 3º Grau  Atinge todos os apêndices da pele
Classificação  Quanto a profundidade da lesão 3º Grau  Atinge todos os apêndices da pele
 Atinge todos os apêndices da pele Ossos , musculos, nervos , vasos  Pouca
 Atinge todos os apêndices da pele
Ossos , musculos, nervos , vasos
 Pouca ou nenhuma dor
 Cor Branca, Amarela ou Marrom
 Não cicatriza espontaneamente,
necessita de enxerto
dor  Cor Branca, Amarela ou Marrom  Não cicatriza espontaneamente, necessita de enxerto Fig01: Anatomia
dor  Cor Branca, Amarela ou Marrom  Não cicatriza espontaneamente, necessita de enxerto Fig01: Anatomia

Fig01: Anatomia Pele

dor  Cor Branca, Amarela ou Marrom  Não cicatriza espontaneamente, necessita de enxerto Fig01: Anatomia
dor  Cor Branca, Amarela ou Marrom  Não cicatriza espontaneamente, necessita de enxerto Fig01: Anatomia
dor  Cor Branca, Amarela ou Marrom  Não cicatriza espontaneamente, necessita de enxerto Fig01: Anatomia
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE

Hospital Metropolitano CTQ-HMUE

Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE
Queimaduras (3º Grau) Hospital Metropolitano CTQ-HMUE

Classificação

Quanto a profundidade da lesão
Quanto a profundidade da lesão

4º Grau

Classificação Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro
Classificação Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro
Classificação Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro
Classificação Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro
Classificação Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro
 Necrose Total  Carbonização  Tecido negro
 Necrose Total
 Carbonização
 Tecido negro
Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro Fig01:
Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro Fig01:
Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro Fig01:

Fig01: Anatomia Pele

Quanto a profundidade da lesão 4º Grau  Necrose Total  Carbonização  Tecido negro Fig01:
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)

Queimaduras (3º Grau)
Queimaduras (3º Grau)
Fisiopatologia
Fisiopatologia
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Entendendo o complexo mecanismo de lesão da
queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia Entendendo o complexo mecanismo de lesão da queimadura
Fisiopatologia
Fisiopatologia
Agressão do tecido
Agressão do tecido
Fisiopatologia Agressão do tecido Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas Pele Vaso
Fisiopatologia Agressão do tecido Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas Pele Vaso
Fisiopatologia Agressão do tecido Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas Pele Vaso
Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas
Liberação de Substâncias
Exposição do Colágeno
Vasoativas

Pele

Vaso

Fisiopatologia Agressão do tecido Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas Pele Vaso
Fisiopatologia Agressão do tecido Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas Pele Vaso
Fisiopatologia Agressão do tecido Liberação de Substâncias Exposição do Colágeno Vasoativas Pele Vaso
Fisiopatologia Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Fisiopatologia Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Fisiopatologia Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Fisiopatologia Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Fisiopatologia
Fisiopatologia
Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Extravasamento de Plasma
(Eletrólitos , Proteínas e etc)
Fisiopatologia Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Fisiopatologia Extravasamento de Plasma (Eletrólitos , Proteínas e etc)
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Edema
Fisiopatologia
Fisiopatologia
O processo de edema, perda de líquidos e APC(Aumento da Permeabilidade Capilar) geram dois riscos
O processo de edema, perda de líquidos e
APC(Aumento da Permeabilidade Capilar)
geram dois riscos ao paciente queimado.
Capilar) geram dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco

1º Risco Choque Hipovolêmico

dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda

2º Risco Perda de Eletrólitos

dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
dois riscos ao paciente queimado.  1º Risco – Choque Hipovolêmico  2º Risco – Perda
Fisiopatologia
Fisiopatologia
Perda da Barreira Mecânica
Perda da Barreira Mecânica
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Invasão de Bactérias
Invasão de Bactérias

Sepse Choque Séptico 3º Risco

Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Fisiopatologia Perda da Barreira Mecânica Invasão de Bactérias Sepse – Choque Séptico 3º Risco
Calculando a área queimada
Calculando a área queimada
Regra dos Nove
Regra dos Nove
Calculando a área queimada Regra dos Nove  Rápido  Prático  Fácil de memorizar 
Calculando a área queimada Regra dos Nove  Rápido  Prático  Fácil de memorizar 
 Rápido  Prático  Fácil de memorizar  Pouco preciso
 Rápido
 Prático
 Fácil de
memorizar
 Pouco preciso
Calculando a área queimada
Calculando a área queimada
Calculando a área queimada LUND BROWDER  O mais avançado método de calculo de área queimada
LUND BROWDER  O mais avançado método de calculo de área queimada  Leva em
LUND BROWDER
 O mais avançado método de
calculo de área queimada
 Leva em consideração as várias
faixas de idade com precisão
Obs. Em caso de não existir um método
disponível pode-se usar a Palma da
mão como medida de 1% para o
cálculculo
Obs. Em caso de não existir um método disponível pode-se usar a Palma da mão como