Вы находитесь на странице: 1из 61

Estrutura geológica & agentes do relevo

Prof. Jackson Bitencourt GeografiaGeografia FFíísicasica

ErasEras GeolGeolóógicasgicas

ErasEras GeolGeol óó gicasgicas

CENOZCENOZÓÓICAICA == dobramentosdobramentos modernosmodernos

(Himalaia,(Himalaia, Andes

)Andes

)

MESOZMESOZÓÓICAICA == processosprocessos dede sedimentasedimentaççãoão (bacias(bacias petrolpetrolííferas)feras)

PALEOZPALEOZÓÓICAICA == dobramentosdobramentos antigosantigos ((ApalachesApalaches/EUA/EUA ee jazidasjazidas dede carvãocarvão mineralmineral

PRPRÉÉ--CAMBRIANACAMBRIANA == formaformaççõesões cristalinascristalinas
PRPRÉÉ--CAMBRIANACAMBRIANA == formaformaççõesões cristalinascristalinas

CamadasCamadas internasinternas

CamadasCamadas internasinternas
CamadasCamadas internasinternas
CamadasCamadas internasinternas

TiposTipos dede rochasrochas

MAGMMAGMÁÁTICAS/TICAS/ÍÍGNEAS=GNEAS= aa partirpartir dede magmamagma
MAGMMAGMÁÁTICAS/TICAS/ÍÍGNEAS=GNEAS= aa partirpartir dede magmamagma
aa partirpartir dede magmamagma INTRUSIVAINTRUSIVA Ex:Ex: GranitoGranito EXTRUSIVAEXTRUSIVA
aa partirpartir dede magmamagma INTRUSIVAINTRUSIVA Ex:Ex: GranitoGranito EXTRUSIVAEXTRUSIVA
INTRUSIVAINTRUSIVA Ex:Ex: GranitoGranito
INTRUSIVAINTRUSIVA
Ex:Ex: GranitoGranito
EXTRUSIVAEXTRUSIVA Ex:Ex: BasaltoBasalto
EXTRUSIVAEXTRUSIVA
Ex:Ex: BasaltoBasalto

TiposTipos dede rochasrochas

TiposTipos dede rochasrochas

TiposTipos dede rochasrochas

SEDIMENTARESSEDIMENTARES == desgastedesgaste dede umauma rocharocha prpréé--existenteexistente
SEDIMENTARESSEDIMENTARES == desgastedesgaste dede umauma rocharocha
prpréé--existenteexistente
SEDIMENTARESSEDIMENTARES == desgastedesgaste dede umauma rocharocha prpréé--existenteexistente ARENITOARENITO
ARENITOARENITO
ARENITOARENITO

TiposTipos dede rochasrochas

TiposTipos dede rochasrochas

FormaFormaççãoão mista:mista: sedimentar/magmsedimentar/magmááticatica

Cascata do Caracol (Canela/RS)
Cascata do Caracol (Canela/RS)

TiposTipos dede rochasrochas

METAMMETAMÓÓRFICASRFICAS == transformatransformaççãoão dede rochasrochas PrPréé--existentesexistentes
METAMMETAMÓÓRFICASRFICAS == transformatransformaççãoão dede rochasrochas
PrPréé--existentesexistentes (altas(altas temperaturastemperaturas ee pressão)pressão)
dede rochasrochas PrPréé--existentesexistentes (altas(altas temperaturastemperaturas ee pressão)pressão)
dede rochasrochas PrPréé--existentesexistentes (altas(altas temperaturastemperaturas ee pressão)pressão)

EstruturasEstruturas geolgeolóógicasgicas

CRCRÁÁTONSTONS ouou BLOCOSBLOCOS CRATÔNICOSCRATÔNICOS
CRCRÁÁTONSTONS ouou
BLOCOSBLOCOS CRATÔNICOSCRATÔNICOS
Quando estão expostos à ação de agentes erosivos, são chamados de escudosescudos cristalinoscristalinos (cráton
Quando estão expostos à ação de agentes erosivos,
são chamados de escudosescudos cristalinoscristalinos (cráton aflorado).
Constituídos principalmente por rochas magmáticas
e metamórficas muito antigas, das eras
Pré-Cambriana e Paleozóica. Sofreram intenso
Quando estão recobertos por terrenos sedimentares,
processo erosivo, apresentando-se bastantes
são denominados de embasamentosembasamentos cristalinoscristalinos
desgastados e com reduzidas altitudes.
(plataformas cobertas).

EstruturasEstruturas geolgeolóógicasgicas

BACIASBACIAS SEDIMENTARESSEDIMENTARES
BACIASBACIAS
SEDIMENTARESSEDIMENTARES
Os sedimentos assim produzidos e transportados acumularam-se em depressões (áreas mais baixas) na superfície dos
Os sedimentos assim produzidos e
transportados acumularam-se em
depressões (áreas mais baixas) na superfície
dos escudos, formando as bacias sedimentares.
Existem bacias que formadas nas eras
Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica.

EstruturasEstruturas geolgeolóógicasgicas

EstruturasEstruturas geolgeol óó gicasgicas Fonte: Magnoli, Demétr io. Geografia do Brasil. São Paulo: Moderna, 2005.

Fonte: Magnoli, Demétrio. Geografia do Brasil. São Paulo: Moderna, 2005.

EstruturasEstruturas geolgeolóógicasgicas

DobramentosDobramentos antigos:antigos: das eras Pré-Cambriana e Paleozóica. Devido ao DOBRAMENTOSDOBRAMENTOS longo
DobramentosDobramentos antigos:antigos: das eras
Pré-Cambriana e Paleozóica. Devido ao
DOBRAMENTOSDOBRAMENTOS
longo período de exposição aos processos
erosivos, constituem atualmente regiões serranas
(serras do Mar e Mantiqueira, no Brasil) ou
planaltos (Alpes Escandinavos).
Originam-se do entrechoque de placas
DobramentosDobramentos modernos:modernos: principalmente na
tectônicas. Consistem em importantes
cordilheiras montanhosas que demarcam
era Cenozóica e deram origem às mais
as zonas de encontro das placas.
altas cadeias montanhosas da Terra
(Himalaia, Pirineus, Andes e Rochosas).

EstruturaEstrutura geolgeolóógicagica dodo BrasilBrasil

EstruturaEstrutura geolgeol óó gicagica dodo BrasilBrasil

DerivaDeriva ContinentalContinental

DerivaDeriva ContinentalContinental

DerivaDeriva Continental:Continental: evidênciasevidências

1.GEOGR1.GEOGRÁÁFICA:FICA:

DerivaDeriva Continental:Continental: evidênciasevidências 1.GEOGR1.GEOGRÁÁ FICA:FICA:

DerivaDeriva Continental:Continental: evidênciasevidências

2.PALEONTOL2.PALEONTOLÓÓGICA:GICA:

DerivaDeriva Continental:Continental: evidênciasevidências 2.PALEONTOL2.PALEONTOL ÓÓ GICA:GICA:

DerivaDeriva Continental:Continental: evidênciasevidências

3.ESP3.ESPÉÉCIESCIES VIVAS:VIVAS:

DerivaDeriva Continental:Continental: evidênciasevidências 3.ESP3.ESPÉÉ CIESCIES VIVAS:VIVAS:

TectônicaTectônica dede placasplacas

Com o uso de sonares descobriu-se um ambiente geologicamente mais ativo do que se pensava.

CADEIACADEIA MESOMESO--ATLÂNTATLÂNTICAICA

• maior fluxo térmico; • forte atividade sísmica e vulcânica.

CADEIACADEIA MESOMESO --ATLÂNTATLÂNTICAICA • maior fluxo térmico; • forte atividade sísmica e vulcânica.

CadeiasCadeias MesoMeso--oceânicasoceânicas

CadeiasCadeias MesoMeso -- oceânicasoceânicas

CiclosCiclos dede convecconvecççãoão

Litosfera Astenosfera
Litosfera
Astenosfera

PlacasPlacas tectônicastectônicas

PlacasPlacas tectônicastectônicas

LimitesLimites convergentesconvergentes

OceânicaOceânica -- ContinentalContinental
OceânicaOceânica -- ContinentalContinental
OceânicaOceânica -- OceânicaOceânica
OceânicaOceânica -- OceânicaOceânica
ContinentalContinental -- ContinentalContinental
ContinentalContinental -- ContinentalContinental
-- ContinentalContinental OceânicaOceânica -- OceânicaOceânica ContinentalContinental -- ContinentalContinental

LimitesLimites divergentesdivergentes

LimitesLimites divergentesdivergentes Dorsal do Leste-Pacífico Dorsal Meso-Atlântica Dorsal do Sudeste Indiano
Dorsal do Leste-Pacífico
Dorsal do Leste-Pacífico
Dorsal Meso-Atlântica
Dorsal Meso-Atlântica
Dorsal do Sudeste Indiano
Dorsal do Sudeste Indiano

FormaFormaççãoão dodo oceanooceano AtlânticoAtlântico

FormaForma çç ãoão dodo oceanooceano AtlânticoAtlântico
FormaForma çç ãoão dodo oceanooceano AtlânticoAtlântico
FormaForma çç ãoão dodo oceanooceano AtlânticoAtlântico
FormaForma çç ãoão dodo oceanooceano AtlânticoAtlântico

LimitesLimites transformantestransformantes

LimitesLimites transformantestransformantes FalhaFalha dede SanSan AndreasAndreas
LimitesLimites transformantestransformantes FalhaFalha dede SanSan AndreasAndreas

FalhaFalha dede SanSan AndreasAndreas

AgentesAgentes dodo relevorelevo

AgentesAgentes dodo relevorelevo

TectonismoTectonismo

OROGENÉTICOS

cadeias

Andes

(horizontais)

originam

Ex:

=

de

montanhas

(dobramentos).

grandes

Himalaia,

TectonismoTectonismo

EPIROGENÉTICOS (verticais) = originam rebaixamentos e soerguimentos de porções da crosta (falhamentos). Ex:

Holanda, Escandinávia

AAiiryry –– VVariaçariaçãoão dede espeespessssuraura
AAiiryry –– VVariaçariaçãoão dede espeespessssuraura

VulcanismoVulcanismo

Expulsão de magna, rocha e gás do interior da Terra.

VulcanismoVulcanismo Expulsão de magna, rocha e gás do interior da Terra.

VulcanismoVulcanismo

VulcanismoVulcanismo Erupção Efusiva E r u p ç ã o M i s t a E

Erupção Efusiva

VulcanismoVulcanismo Erupção Efusiva E r u p ç ã o M i s t a E

Erupção Mista

Erupção Efusiva E r u p ç ã o M i s t a E r

Erupção Mista

Erupção Efusiva E r u p ç ã o M i s t a E r

Erupção Explosiva

SismosSismos

Conseqüência do choque entre placas tectônicas.

Conseqüência do choque entre placas tectônicas. Fonte: Teixeira, Wilson; Toled o, M. Cristina; Fairchild ,

Fonte: Teixeira, Wilson; Toledo, M. Cristina; Fairchild, Thomas; Taioli, Fábio. Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de textos, 2006.

ESCAESCALLAA RICHRICHTERTER (1935):(1935): porpor CharlesCharles RichterRichter ee BrenoBreno GutembergGutemberg MaiorMaior registro:registro: 9,59,5 (Chile,(Chile, 1960).1960).

Descrição

Magnitude

Efeitos

Freqüência

Micro

< 2,0

Micro tremor de terra, não se sente.

~ 8000 por dia

Muito

2,0-2,9

Geralmente não se sente, mas é detectado/registrado.

~1000 por dia

pequeno

Pequeno

3,0-3,9

Frequentemente sentido mas raramente causa danos.

~49000 por ano

Ligeiro

4,0-4,9

Tremor notório de objetos no interior de habitações, ruídos de choque entre objetos. Danos importantes pouco comuns.

~ 6200 por ano

Moderado

5,0-5,9

Pode causar danos maiores em edifícios mal concebidos em zonas restritas. Provoca danos ligeiros nos edifícios bem construídos.

800

por ano

Forte

6,0-6,9

Pode ser destruidor em zonas num raio de até 180 km em áreas habitadas.

120

por ano

Grande

7,0-7,9

Pode provocar danos graves em zonas mais vastas.

18 por ano

Importante

8,0-8,9

Pode causar danos sérios em zonas num raio de centenas de quilômetros.

1 por ano

Excepcional

9,0 <

Devasta zonas num raio de milhares de quilômetros.

1 a cada 20 anos

ErosãoErosão fluvialfluvial

Meândrico = senil!
Meândrico = senil!

ValeVale fluvialfluvial

ValeVale fluvialfluvial

FiordeFiorde

FiordeFiorde

ErosãoErosão eeóólicalica

ErosãoErosão ee óó licalica Fonte: Teixeira, Wilson; Toled o, M. Cristina; Fairchild , Thomas; Taioli, Fábio.

Fonte: Teixeira, Wilson; Toledo, M. Cristina; Fairchild, Thomas; Taioli, Fábio. Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de textos, 2006.

ErosãoErosão eeóólicalica

ErosãoErosão ee óó licalica Deserto de Sonora (Arizona) Nordestão = deflação!
ErosãoErosão ee óó licalica Deserto de Sonora (Arizona) Nordestão = deflação!

Deserto de Sonora (Arizona)

Nordestão = deflação!

ErosãoErosão ee óó licalica Deserto de Sonora (Arizona) Nordestão = deflação!

ErosãoErosão eeóólicalica

ErosãoErosão ee óó licalica Desgaste = abrasão!

Desgaste = abrasão!

ErosãoErosão marmaríítimatima

Falésias
Falésias

ErosãoErosão marmaríítimatima

ErosãoErosão marmar íí timatima

SolosSolos

EvoluEvoluççãoão dodo solosolo

EvoluEvolu çç ãoão dodo solosolo
0 A B
0
A
B
SOLOS (quanto à origem)
SOLOS
(quanto à origem)
ELUVIAIS: formados no próprio local, a partir da desagregação e decomposição das rochas.
ELUVIAIS: formados no próprio local, a
partir da desagregação e decomposição das
rochas.
ALUVIAIS: formados pelo acúmulo de materiais transportados pelas águas correntes (solos de várzeas e deltas
ALUVIAIS: formados pelo acúmulo de
materiais transportados pelas águas
correntes (solos de várzeas e deltas fluviais)
e pelos ventos.

RelevoRelevo submarinosubmarino

ClassificaClassificaççãoão dodo relevorelevo brasileirobrasileiro

AzizAziz ABAB’’SABERSABER –– 19501950

PlanPlanííciescies

PlanaltosPlanaltos

AmazônicaAmazônica dodo PantanalPantanal CosteirasCosteiras

dodo PantanalPantanal CosteirasCosteiras dasdas GuianasGuianas BrasileiroBrasileiro CentralCentral
dodo PantanalPantanal CosteirasCosteiras dasdas GuianasGuianas BrasileiroBrasileiro CentralCentral

dasdas GuianasGuianas

BrasileiroBrasileiro

CentralCentral

MeridionalMeridional

MeioMeio -- NorteNorte ouou MaranhãoMaranhão -- PiauPiauíí NordestinoNordestino

OrientalOriental ee

SulSul -- orientaloriental

JurandyrJurandyr ROSSROSS –– 19901990

PRIMEIROPRIMEIRO NNÍÍVEL:VEL:

forma do relevo (planaltos,

depressões e planícies).

SEGUNDOSEGUNDO

NNÍÍVEL:VEL:

classifica

os

planaltos

em

função

de

caráter

estrutural

(geológico)

que

apresentam.

TERCEIROTERCEIRO NNÍÍVEL:VEL: define nominalmente as unidades morfoesculturais, tanto as de planalto como as de planície ou de depressão ( Planalto da Borborema, Depressão do Araguaia e Planícies do rio Amazonas).

ABAB’’SABERSABER XX ROSSROSS

PlanaltoPlanalto dasdas GuianasGuianas : subdividido em :

PlanaltoPlanalto dasdas GuianasGuianas : subdividido em : - Planaltos Residuais Norte- A mazônico; - Depressão

- Planaltos Residuais Norte-Amazônico; - Depressão Marginal Norte-Amazônica .

PlanPlanííciescies ee TerrasTerras BaixasBaixas AmazônicasAmazônicas :

ee TerrasTerras BaixasBaixas AmazônicasAmazônicas : subdividida em três unidades. - Planície do Amazonas; -

subdividida em três unidades.

- Planície do Amazonas;

- Depressão da Amazônia Ocidental;

- Planalto da Amazônia Oriental

PlanaltoPlanalto Central:Central: subdividido em 12 unidades:

- Depressão Marginal Sul-Amazônica;

- Depressão do Alto Paraguai Guaporé;

- Depressão Cuiabana;

- Depressão do Araguaia;

- Depressão do Tocantins;

- Planície do Araguaia;

- Planície e pantanal do Rio Guaporé;

- Planaltos Residuais Sul – amazônico;

- Planalto e Chapadas dos Parecis;

-Planalto e Residual do Alto Paraguai. - Planaltos e Serras de Goiás Minas

- Parte dos Planaltos e Chapadas da Bacia do

Parnaíba e planaltos e Chapadas da Bacia do Paraná.

PlanaltoPlanalto NordestinoNordestino ::

PlanaltoPlanalto NordestinoNordestino :: - Depressão Sertaneja e do Rio São Francisco - Planalto da Borborema -

- Depressão Sertaneja e do Rio São Francisco

- Planalto da Borborema

- Parte do Planalto e Chapadas da Bacia do Parnaíba

PlanaltoPlanalto UruguaioUruguaio--sulsul--riorio--grandense:grandense:

UruguaioUruguaio --sulsul-- riorio -- grandense:grandense: - Planalto Sul - Rio – Grandense; - Depressão Periférica

- Planalto Sul - Rio – Grandense;

- Depressão Periférica Sul-rio-grandense;

- Planície da Lagoa dos Patos e Mirim;