Вы находитесь на странице: 1из 3

A IGREJA, DE JESUS A PAULO

MATEUS 16.18; 2 CO 13.11

I – A IGREJA EM SUA IDÉIA FUTURA

1. A igreja metafísica. Trata-se da igreja que nasce na memória (no mundo das

idéias); o projeto nasce na mente do arquiteto (meta), e virá a ser (físico). O


prefixo grego ‘meta’ significa ‘além de’; trata-se do saber transcendental.
Tudo isso para dizer que a igreja já estava pronta na cabeça de Jesus.
2. Jesus declara que a igreja surgirá, depois de conversar com os seus discípulos,

quando Pedro declara diante de todos, ser Ele o ‘Cristo, Filho do Deus vivo’.
A declaração de Pedro é a pedra na qual a igreja será estabelecida, isto é, no
Cristo, o Filho do Deus vivo.
3. Mas no projeto de Jesus não estava uma igreja acanhada, uma igreja que se

amedronta diante de tudo e de todos. A igreja foi edificada para avançar sobre
as trincheiras do inferno, derrubando suas portas e destronando poderio (Col
1.13).

II – A IGREJA QUE NASCE PARA CONGREGAR A TODOS

1. A igreja deixa de ser metafísica, para ser física, embora, em sua essência seja

transcendental, pois foi edificada para ser o corpo de Cristo. Ela passa a ser
física, pois pode ser vista por todos os homens.
2. A igreja que se torna visível começa a congregar as pessoas. De início, quase

três mil novos crentes (At 2.41); não muito depois, o número chega a quase
cinco mil (At 4.4). Os crentes amavam estar juntos, e por conta dessa
comunhão entre eles, o Senhor lhes acrescentava a cada dia os que iam
sendo salvos (At 2.47).
3. A igreja não apenas pode ser vista entre as ruas de Jerusalém, mas pode ser

tocada, pode ser amada, pode ser perseguida (Atos 8.1-4). A partir de Atos

1
oito a igreja pode mostrar a razão de ter sido edificada: ser testemunha, ser
evangelizadora. Será possível que a igreja ficou muito tempo ‘anestesiada’
pelas reuniões de ágape?
4. A igreja que nasceu para congregar a todos, congregou também Ananias

(“Protegido por Yahveh”) e Safira (Nome de uma pedra preciosa). O casal


não estava sintonizado com os propósitos da igreja, por isso, viraram presa
fácil de Satanás (At 5.1-3).
5. A igreja que nasceu para congregar a todos, congregou Maria Madalena a
mulher samaritana, Zaqueu, os leprosos; Paulo completa a lista, quando
escreve aos coríntios (1 Co 6.1-11).

III – A IGREJA QUE É MAIS QUE UM SONHO

1. A igreja é mais que um sonho, ela é real. Mas a igreja vive através dos seus

sonhos. O que sonhamos para a nossa igreja será realidade na medida do


nosso envolvimento.
2. A igreja em Corinto padecia do mal de sonhar múltiplos sonhos, porque tinha

múltiplos grupos, e cada grupo querendo puxar as ações para si (1 Co 3).


3. Mas Paulo, o apóstolo implantador de igrejas, também tinha sonho para os

irmãos de Corinto (2 Co 13.11). Qual era o sonho do apóstolo? Ele tinha o


sonho de ver a igreja vivendo a comunhão; a igreja vivendo como uma
família, crendo nisso, os crentes são chamados por Paulo, de irmãos.
4. A comunhão gera na igreja a alegria. É por isso que muitas Bíblias, neste

texto, traduzem chairete, como alegrai-vos (regozijai-vos), e não como


‘adeus!’. A alegria faz parte do fruto do Espírito.
5. Paulo queria ver na igreja composta de crentes maduros, não mais crianças

recém-nascidas. Ele queria ver conserto (katartizeste) entre os irmãos. Só


havendo conserto pode haver aperfeiçoamento, amadurecimento (A palavra
conserto (katartizeste), aparece em Mateus 4.21).
6. Paulo quer ver nos crentes uma característica do Espírito; ele diz: “Consolai-

vos”. Consolação é uma atribuição de um irmão para com o outro.


2
7. Paulo que não fez parte da igreja dos primeiros dias, onde havia unanimidade

entre os irmãos, passa a apelar à igreja de Corinto a prática desse tipo de


procedimento. O seu apelo é que os irmãos fossem ‘do mesmo parecer’. A
igreja que nasceu para vencer o mal, não podia ser por ele vencida (Mt
16.18).
8. O seu último apelo foi: “vivei em paz”. A igreja que precisa ser repreendida

para que haja paz entre os irmãos, parece ser o fim! Mas não é impossível
haver falta de paz entre os irmãos. Talvez seja essa a razão de Paulo apelar à
alegria, ao amadurecimento, ao consolo mútuo, à unanimidade, antes de rogar
pela paz.
9. Para se pensar: O que faria Deus ausentar-se da igreja? A perda das

características de igreja; a perda do conceito de agência do Reino. Paulo não


ver uma igreja sem Deus, por isso diz: “E o Deus de amor e paz estará
convosco”.

CONCLUSÃO

A igreja foi edificada por Jesus, segundo os propósitos que Ele mesmo idealizou
para ela.
A igreja soube viver bem os primeiros dias; houve comunhão e crescimento
acelerado.
Nos seus últimos dias, o apóstolo Paulo se empenhou tudo que pode para conservar
a igreja nos ideais de Cristo.
A igreja continua sendo a família de Deus, que tem por finalidade, contribuir com o
Senhor de tal maneira que o mundo possa conhecê-Lo.
Amém.

PR. Eli da Rocha Silva 31/05/2009


Igreja Batista em Jardim Helena – Itaquera São Paulo - SP