Вы находитесь на странице: 1из 20
Universidade Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia MINERALOGIA MICROSCÓPICA FIGURAS DE
Universidade Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia MINERALOGIA MICROSCÓPICA FIGURAS DE

Universidade Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia

Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia MINERALOGIA MICROSCÓPICA FIGURAS DE INTERFERÊNCIA DOS
Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia MINERALOGIA MICROSCÓPICA FIGURAS DE INTERFERÊNCIA DOS
Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia MINERALOGIA MICROSCÓPICA FIGURAS DE INTERFERÊNCIA DOS
Federal do Pará Campus de Marabá Faculdade de Geologia MINERALOGIA MICROSCÓPICA FIGURAS DE INTERFERÊNCIA DOS

MINERALOGIA MICROSCÓPICA

FIGURAS DE INTERFERÊNCIA DOS MINERAIS BIAXIAIS
FIGURAS DE INTERFERÊNCIA
DOS MINERAIS BIAXIAIS
FIGURAS DE INTERFERÊNCIA DOS MINERAIS BIAXIAIS Docente: Gilmara R.L. Feio Discentes: João Paulo Alves

Docente: Gilmara R.L. Feio Discentes: João Paulo Alves Lourival Ferreira Mônica Hellen

DOS MINERAIS BIAXIAIS Docente: Gilmara R.L. Feio Discentes: João Paulo Alves Lourival Ferreira Mônica Hellen

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

COMO OBTER FIGURAS DE INTERFERÊNCIA

dos Minerais Biaxiais COMO OBTER FIGURAS DE INTERFERÊNCIA Primeiro passo : Sobre a seção do mineral,

Primeiro passo:

Sobre a seção do mineral, focalizar cada uma das objetivas progressivamente até chegar à de maior aumento. A seção deve ter tamanho suficiente para preencher a maior parte do campo visual. E a objetiva deve estar bem centralizada.

ter tamanho suficiente para preencher a maior parte do campo visual. E a objetiva deve estar

Figura 1

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Segundo passo:

Condensador acima.

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Segundo passo: Condensador acima . Figura 1a:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Segundo passo: Condensador acima . Figura 1a:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Segundo passo: Condensador acima . Figura 1a:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Segundo passo: Condensador acima . Figura 1a:

Figura 1a:

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Segundo passo: Condensador acima . Figura 1a:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Segundo passo: Condensador acima . Figura 1a:

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Terceiro passo:

Inserir a lente convergente.

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Terceiro passo: Inserir a lente convergente. Figura 1b: Figura 1c:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Terceiro passo: Inserir a lente convergente. Figura 1b: Figura 1c:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Terceiro passo: Inserir a lente convergente. Figura 1b: Figura 1c:
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Terceiro passo: Inserir a lente convergente. Figura 1b: Figura 1c:

Figura 1b:

Figura 1c:

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

TIPOS DE FIGURAS DE INTERFERÊNCIA:

dos Minerais Biaxiais TIPOS DE FIGURAS DE INTERFERÊNCIA:  FIGURA DE BISSETRIZ AGUDA (Bxa)  FIGURA
dos Minerais Biaxiais TIPOS DE FIGURAS DE INTERFERÊNCIA:  FIGURA DE BISSETRIZ AGUDA (Bxa)  FIGURA

FIGURA DE BISSETRIZ AGUDA (Bxa)

FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO)

FIGURA DE BISSETRIZ OBTUSA (Bxo)

FIGURA DE NORMAL ÓPTICA (NO)

 FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO)  FIGURA DE BISSETRIZ OBTUSA (Bxo)  FIGURA DE
 FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO)  FIGURA DE BISSETRIZ OBTUSA (Bxo)  FIGURA DE
 FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO)  FIGURA DE BISSETRIZ OBTUSA (Bxo)  FIGURA DE

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

FIGURA DE BISSETRIZ AGUDA (Bxa)

Olhando-se através de uma bissetriz aguda a 45 o da posição de extinção no modo conoscópico, a figura de interferência observada tem as seguintes características:

interferência observada tem as seguintes características: Rotacionar 45° Figura 2 : Figura de Bissetriz Aguda. Os
Rotacionar 45°
Rotacionar 45°
observada tem as seguintes características: Rotacionar 45° Figura 2 : Figura de Bissetriz Aguda. Os melatopos

Figura 2 : Figura de Bissetriz Aguda. Os melatopos (M) mark the points of emergence of the optic axes. The acute bisectrix (Bxa) is in the center of the field of view. (a) Trace of the optic plane oriented east-west. (b) Optic plane placedin a 45° position. With rotation from (a) to (b), the isogyres split and move across the field of view to from hyberbolas centered on the melatopes.

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Figura 2c e 2d: Change of isogyres with rotation

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Figura 2c e 2d: Change of isogyres with rotation of

Figura 2c e 2d: Change of isogyres with rotation of the stage, melatopes (M) in the field of view. The isogyres are located

where the vibration directions in the figure are parallel to the

N-S or E-W vibration directions of the polarizers.

where the vibration directions in the figure are parallel to the N-S or E-W vibration directions
where the vibration directions in the figure are parallel to the N-S or E-W vibration directions

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Determinação do sinal ótico a partir da figura de interferência bissetriz aguda:

dos Minerais Biaxiais Determinação do sinal ótico a partir da figura de interferência bissetriz aguda :
dos Minerais Biaxiais Determinação do sinal ótico a partir da figura de interferência bissetriz aguda :
dos Minerais Biaxiais Determinação do sinal ótico a partir da figura de interferência bissetriz aguda :

Exemplos de fotomicrografias:

Exemplos de fotomicrografias: Figura 2e: Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais
Exemplos de fotomicrografias: Figura 2e: Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Figura 2e:

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Exemplos de fotomicrografias: Figura 2e: Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais
Exemplos de fotomicrografias: Figura 2e: Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

DETERMINAÇÃO DAS DIREÇÕES DE VIBRAÇÃO DOS

RAIOS DE LUZ

DAS DIREÇÕES DE VIBRAÇÃO DOS RAIOS DE LUZ Figura 2b: Vibration directions of light rays emerging

Figura 2b: Vibration directions of light

rays emerging from the biaxial

indicatrix, projected onto the indicatrix surface.

biaxial indicatrix, projected onto the indicatrix surface. Figura 2c: As direções de vibração aproximadas em

Figura 2c: As direções de vibração aproximadas em quaisquer pontos nas figuras de interferência podem ser graficamente derivadas da lei de Biot- Fresnel.

Formação de Isocromos

Formação de Isocromos Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Figura 2a: Um cone fortemente convergente de

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO)

2V <30º
2V <30º
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO) 2V <30º Figura
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE EIXO ÓPTICO CENTRADO (EO) 2V <30º Figura

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

POSIÇÃO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais POSIÇÃO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA Figura 3.a
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais POSIÇÃO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA Figura 3.a
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais POSIÇÃO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA Figura 3.a
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais POSIÇÃO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA Figura 3.a
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais POSIÇÃO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA Figura 3.a

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Determinação do sinal ótico a partir da figura de interferência DE EIXO ÓTICO CENTRADO :

Biaxiais Determinação do sinal ótico a partir da figura de interferência DE EIXO ÓTICO CENTRADO :

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Exemplos de fotomicrografia:

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c

Figura 3.c

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Exemplos de fotomicrografia : Figura 3.c

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

FIGURA DE BISSETRIZ OBTUSA (Bxo)

dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE BISSETRIZ OBTUSA (Bxo) Figura 4 : Padrão da direção de

Figura 4 : Padrão da direção de vibração na figura de interferência. With the optic plane (OP) E-w, the isogyres forms a bord cross. The positions of the melatopes well out of the field of view are schematically shown at M.

isogyres forms a bord cross. The positions of the melatopes well out of the field of
isogyres forms a bord cross. The positions of the melatopes well out of the field of

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

MOVIMENTO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA A PARTIR DA CRUZ

MOVIMENTO DA ISÓGIRA COM O GIRO DA PLATINA A PARTIR DA CRUZ giro sentido horário de

giro sentido horário de 5º a 15º

sentido horário de 45º

Figura 2e: Será similar a Fig. BX A , exceto que os melatopos estarão totalmente fora do campo de visão na maior parte da rotação de 360°. Além disso, a cada 90° uma cruz larga se

formará quando o plano dos eixos ópticos torna-se paralelo a um dos retículos.

disso, a cada 90° uma cruz larga se formará quando o plano dos eixos ópticos torna-se
disso, a cada 90° uma cruz larga se formará quando o plano dos eixos ópticos torna-se

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

FIGURA DE NORMAL ÓPTICA (NO)

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE NORMAL ÓPTICA (NO) Figura 5
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE NORMAL ÓPTICA (NO) Figura 5
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE NORMAL ÓPTICA (NO) Figura 5

Figura 5

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

FIGURA DE EIXO NÃO CENTRADO

dos Minerais Biaxiais  FIGURA DE EIXO NÃO CENTRADO • A maioria das figuras de interferência

• A maioria das figuras de interferência examinadas durante o trabalho de microscopia de rotina são figuras descentradas.

• Em nenhum destes casos a indicatriz ou eixos ópticos é vertical.

microscopia de rotina são figuras descentradas. • Em nenhum destes casos a indicatriz ou eixos ópticos
microscopia de rotina são figuras descentradas. • Em nenhum destes casos a indicatriz ou eixos ópticos
microscopia de rotina são figuras descentradas. • Em nenhum destes casos a indicatriz ou eixos ópticos
microscopia de rotina são figuras descentradas. • Em nenhum destes casos a indicatriz ou eixos ópticos
microscopia de rotina são figuras descentradas. • Em nenhum destes casos a indicatriz ou eixos ópticos
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Obrigado!!!
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Obrigado!!!

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais

Obrigado!!!

Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Obrigado!!!
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Obrigado!!!
Figuras de Interferência dos Minerais Biaxiais Obrigado!!!