Вы находитесь на странице: 1из 4

História do Cristianismo Medieval

Opção Docente: Armando Martins, Professor Auxiliar

2º Semestre – Teórico-prática

Programa

I. O cristianismo latino na Alta Idade Média

1.Problemas e métodos de cristianização:

O quadro político do Ocidente nos séculos V a IX. Os ‘Bárbaros’: entre arianismo e catolicismo; as rápidas

conversões e os seus efeitos. Importância da conversão dos Francos para o Ocidente. Debates teológico-políticos no final do mundo antigo e começos da Idade Média. Cristianização dos ‘Bárbaros’ e barbarização do cristianismo. O cristianismo bárbaro inaugura a Idade Média. Na Península Ibérica: peculiaridades do cristianismo desde os primeiros séculos. A conversão dos Suevos e o papel de S. Martinho de Dume. A cristandade visigótica e Isidoro de Sevilha. O advento dos Muçulmanos, a diáspora cristã e os ‘resistentes’[moçárabes].

Estruturas e instituições num período de mudança

Igrejas nacionais e igrejas privadas. O Ocidente fragmentado e isolado. A conversão dos Lombardos. Bento

de

Núrsia e a Regra Beneditina. O monaquismo no Ocidente.

O

papado desde Gregório Magno [590-604] até meados do século VIII: um esforço de direcção unitária.

Episcopalismo versus monaquismo no governo das igrejas cristãs? As relações entre Roma e Bizâncio.

O cristianismo no mundo carolíngio Situação da Igreja franca nos séculos VII e VIII. Comparação com o cristianismo das Ilhas Britânicas. A acção reformadora do monge beneditino inglês Winfrid [Bonifácio]. Os Francos voltam-se para o Papa. Cristianização da Germânia e da Escandinávia. Carlos Magno e a Igreja: a ideia de «Cristandade ocidental». Características do cristianismo carolíngio; reformas religiosas e renascimento cultural. O monaquismo. Debates teológicos: adopcionismo e iconoclastia. O culto e a liturgia. Da ‘doação de Constantino’ à Igreja nas mãos dos leigos. Feudalização das estruturas religiosas e desejos de ‘libertas’.

4. O cristianismo desde o século X à «Reforma gregoriana» [1049-1122]

Vitalidade e expansão do cristianismo no século X; o mundo monástico nos séculos X e XI: eremitismo e

cenobitismo na Itália. Esboço de movimentos reformistas: Cluny, Brogne e Gorze.

A Cristandade do ano mil. As grandes transformações da sociedade cristã desde o princípio do século XI.

Institucionalização do movimento reformador em meados do século; Gregório VII e a «reforma gregoriana» [1073-1085]; o centralismo romano e os seus opositores. Um outro impulso expansionista? As Cruzadas. O novo equilíbrio dos poderes temporais e espirituais.

II. O cristianismo oriental: entre ortodoxia e heterodoxia

1. Ortodoxia e heterodoxia no tempo de Justiniano:

Premissas histórico-doutrinais de um conflito. Restauração política e unidade dogmática na acção de Justiniano. Fracasso da política religiosa imperial e o despontar de igrejas nacionais.

2.

A secessão do Oriente heterodoxo:

O

avanço persa no Oriente bizantino e as suas repercussões religiosas. O culto da Virgem Maria e dos

santos: a espontânea devoção dos fiéis e a recuperação de antigas crenças. Em busca de novos compromissos doutrinais: o monotelismo. Novas tensões com a cristandade ocidental: aspectos políticos e questões doutrinais. Consolidação das instituições públicas e das estruturas eclesiásticas como reacção às conquistas muçulmanas. A fragmentação das cristandade oriental: Nestorianos, Monofisitas, Melquitas e Maronitas. A Arménia e a Geórgia.

3. A luta pelas imagens e o triunfo da ortodoxia:

As origens da iconoclastia: uma questão em aberto. O papel do sagrado na sociedade bizantina e a função

das imagens. O estatuto do ícone: sugestões cristológicas e complicações intelectuais. A afirmação

monástica no concílio de Niceia de 787. Nova fase iconoclasta e nascimento de uma estética cristã. O triunfo da ortodoxia.

4. O fervor missionário do cristianismo oriental:

Fócio: um patriarcado entre moderados e rigoristas. Evangelização dos Eslavos: entre ardor missionário e

acção política. A conclusão da obra evangelizadora: a cristianização da Rússia.

5. A ortodoxia entre espiritualidade e tentações seculares:

Uma igreja rica e poderosa mas de piedade modesta. Insatisfação religiosa e movimentos heterodoxos. O cisma entre Roma e Constantinopla. O renascimento do espiritualismo monástico: o hesicasmo.

III. O cristianismo latino entre os séculos XII e XV

1. Cristianismo e Cristandade na época da «teocracia papal [1122-1309]

A construção da monarquia papal. O modelo institucional romano: sua divulgação e imposição ao Ocidente.

A perda das peculiaridades regionais e a diminuição dos poderes locais. Inocêncio III e o concílio IV de

Latrão [1215]. A Cristandade ocidental.

2. O poder social do clero e a sua contestação:

A afirmação das estruturas eclesiásticas no princípio do século XIII. A contestação do modelo clerical de

cristianismo. A ascensão das mulheres religiosas. Os leigos em busca de lugar e de estatuto. Heresias e

contestações. Formas de repressão e de superação. Francisco de Assis e Domingos de Gusmão. O nascimento dos frades; as Ordens Mendicantes; o combate aos hereges. Reforço e alargamento da cultura das elites: organização dos estudos superiores e nova presença pastoral. Da Peregrinação à Cruzada; da Cruzada à Missão. Enquadramento eclesiástico e conformismo religioso. A atracção do Oriente mais distante. Rituais litúrgicos, formas de piedade e devoção.

3. Crises do cristianismo no «Outono da Idade Média» [1309-1453]:

As vicissitudes do papado na Igreja de França [1309-1378]. Avinhão; o «Grande Cisma do Ocidente»

[1378-1418].

Marginais e minorias religiosas nos finais da Idade Média. Intolerância e repressão. Outros sintomas de mal estar e de descrédito institucional. A busca individual da religião e do culto. A Imitação de Cristo e a «devotio moderna». Clima de contestação e desejos de reformas. O Cristianismo oriental: da segregação ao desaparecimento de Constantinopla [1453]: Bizantinos e Eslavos.

Bibliografia seleccionada:

Obras gerais:

Fliche, A. e Martin, V., (dir), Histoire de l’Église depuis les origines jusqu’à nos jours, Paris, Bloud et Gay, 1938 s. (vols. 4-14, especialmente) Jedin, H. (dir.), Manual de Historia de la Iglesia, Barcelona, 1966-1969 (vols. 2 - 4) Mayeur, J.-M., Pietri, Ch. e L., Vauchez, A., Venard, M. (dir.), Histoire du Christianisme, Paris, Desclée, 1990 (vols. 3-6) [a melhor obra e a mais actualizada] Chelini, J., Histoire religieuse de l’Occident médiéval, Paris, Hachette, 1991

Le Goff, J. Brémond, R. (dir.), Histoire de la France Religieuse, Paris, 1987, vol. II.

Estudos:

I.

La Conversione al cristianesimo nell’Europa dell’alto medioevo, Centro Italiano di Studi sull’Alto Medioevo (CISMA), Spoleto, 1967 La Cristianizzazione ed organizzazione ecclesiastica delle campagne nell’alto medioevo, CISMA, Spoleto, 1982, 2 vols.

Brown, P., A Ascensão do Cristianismo no Ocidente, Lisboa, Estampa, 1997

Fontaine, J., Isidore de Séville et la culture classique dans l’Espagne wisigothique, Paris, 1983 (1959), 3 vols. Romain, W. P., Saint Boniface et la naissance de l’Europe, Paris, 1990 (pref. de G. Duby)

Segni e riti nella Chiesa altomedievale occidentale, CISAM , Spoleto, 1987, 2 vols. Simboli e simbologia nell’alto medioevo, CISAM, Spoleto, 1976, 2 vols. Vauchez, A., A Espiritualidade da Idade Média Ocidental, Lisboa, Estampa, 1995 Vogel, C., Introduction aux sources de l’histoire du culte chrétien au moyen age, CISAM, Spoleto, 1966 Gurevitch. A., «La cultura popolare riflessa nei Libri Penitenziali», in Contadini e Santi : problemi della cultura popolare nel medioevo, Torino, 1986 Vogel, C., Le pécheur et la pénitence au moyen age, Paris, Cerf, 1969

Santi e demoni nell’alto medioevo occidentale, CISAM, Spoleto, 1989, 2 vols. Bloch. Marc, Les Rois thaumaturges, Strasbourg, 1924 Folz, R., Les Saints rois du moyen âge en Occident, VI e -XIII e siècles, Bruxelles, 1984 Les Fonctions des saints dans le monde occidental, III e -XIII e siècles, Roma, 1981 Geary, P. J., Furta Sacra, Princeton, 1978; (trad. franc. Le Vol des reliques au Moyen Age, Paris, Aubier,

1993)

Hagiographie, culture et sociétés, IV e -XII e siècles, Paris, 1981

Sigal, P., L’Homme et le miracle dans la France médiévale, XI e -XII e siècles, Paris, 1985 Lawers. M., La Mémoire des Ancêtres le souci des morts, morts, rites et société au Moyen Age, Paris, Beauchesne, 1996 (pref. de J. Le Goff) Le Goff, J., La Naissance du Purgatoire, Paris, Gallimard, 1981

Dupront, A. (dir.), Saint Jacques de Compostelle: la quête du sacré, Turnhout, 1985 Oursel, R., Pèlerins du Moyen Age, Paris, 1978 Leclercq, J., L’Amour des lettres et le désir de Dieu, Paris, 1957

Il Monachesimo nel alto medioevo e la formazione della civiltà occidentale, CISAM, Spoleto, 1957 Riché, P., Éducation et culture dans l’Occcident barbare, Paris, 1962 Riché, P., Les Écoles et l’enseignement dans l’Occident chrétien de la fin du V e au milieu du XI e siècle, Paris, 1979

Le Chiese nei regni dell’Europa occidentale e il loro rapporti com Roma sino all’800, CISAM, Spoleto,

1960

Orlandis, J., Ramos Lissón, D., Historia de los concilios de la España romana y visigoda, Pamplona, 1986

II.

Cambridge Medieval History, vol. IV: The Bizantine Empire, dir. J. M. Hussey, IV/1: Byzantium and its

Neighbours; IV/2: Government, church and civilization, Cambridge, 1966-1967

Ducellier, A., Bizance et le monde ortodoxe, Paris, 1986 Ducellier, A., Le Drame de Byzance idéal et échec d’une société chrétienne, Paris, Hachette, 1976. Le Monachisme à Byzance et en Occident du VIII e au X e siècle, Maredsous, 1983 Patlagean, E., «A Bizance: ancienne hagiographie et histoire sociale», in Annales ESC, 23, 1968 Poppe, A., The Rise of Christian Russia, London, 1982 Vodoff, V., Naissance de la chrétienté russe. La conversion de Vladimir de Kiev (988) et ses conséquences (XI e -XIII e s.), Paris, 1988 Gli Slavi occidentali e meridionali nell’alto medioevo, CISAM, Spoleto, 1983.

III.

La Cristianità dei secoli XI e XII in Occidente: coscienza et strutture di una società, Milano, 1983 Le Istituzioni ecclesiastiche della «societas christiana» dei secoli XI e XII : papato, cardinalato e episcopato, Milano, 1974 I Laici nella «societas christiana» dei secoli XI e XII, Milano, 1968 Il Monachesimo e la riforma ecclesiastica 1049-1122, Milano, 1971

La Vita comune del clero nei secoli XI e XII, Milano, 1962

Bolton, B., A Reforma na Idade Média, Lisboa, Ed. 70 Milis, L., Angelic monks and earthly men. Monasticism and its meaning to medieval society, Woodbridge,

1992

Lekai, L. J., Los Cistercienses, ideales y realidad, Barcelona, Herder,1987 Pacaut, M., L’Ordre de Cluny, Paris, 1986 Cardini, F. S. Francisco de Assis, Lisboa, Presença, 1993 [trad. do italiano] Vicaire, M.-H., Histoire de Saint Dominique, Paris, Cerf, 1957, 2 vols. Parisse, M., Les Nonnes au Moyen Age, Le Puy, 1983 Lambert, M.D., Medieval Heresy Popular Mouvements from the Gregorian Reform to the Reformation, Oxford (UK)-Cambridge (USA), 1992. Manselli, R., Il secolo XII: religione popolare ed eresia, Roma, 1983 Alphandéry, P., Dupront, A., La Chrétienté et l’idée de Croisade, Paris, 1954-1959

D’Avray, D. L., The Preaching of the Friars. Sermons diffused from Paris before 1300, Oxford, 1985 Les Universités du Languedoc au XIII e siècle, Toulouse, 1970 Aubrun, M., La paroisse en France des origines au XV e siècle, Paris, 1986 Le Clerc séculier au Moyen Age, Paris, 1993 L’Encadrement religieux des fidèles au Moyen Age et jusqu’au Concile de Trente, Paris, 1985, vol. I Lemaitre, N. (dir.), Histoire des curés, Paris, Fayard, 2002 Gaudemet, J., Le Gouvernement de l’Église à l’époque classique, vol. II: le gouvernement local, Paris, 1979 Guillement, B., La Cour pontificale d’Avignon (1309-1376) Étude d’une société, Paris, 1966 Mollat, G., Les Papes d’Avignon (1305-1378), Paris, 1965

L’ Attesa dell’età nuova nella spiritualità della fine del medioevo, Todi, 1962 Caro Baroja, J., Las Brujas y su mundo, Madrid, Alianza Editorial, 1966 Rapp, F., L’Église et la vie religieuse en Occident à la fin du Moyen Age, Paris, 1971 Vauchez, A. (dir.), Les textes prophétiques et la prophétie en Occident (XII e -XVI e siècles), Rome, 1990 Vauchez, A., La Sainteté en Occident aux derniers siècles du Moyen Age d’après les procés de canonisation et les documents hagiographiques, Rome, 1994 Cohn, N., Los Demonios familiares de Europa, Madrid, Alianza Universidad, 1980 Genet, J.-P., Vincent, B. (org.), État et Église dans la genèse de l’État moderne, Madrid, Casa de Velázquez, 1986 Graef, H., Historia de la mística, Barcelona, Herder, 1970 Lobrichon, G., La Religion des laïcs en Occident XI e -XV e siècles, Paris, 1994 Russell, J. B., Witchcraft in the Middle Ages, Ithaca-New York, 1972

Revistas:

Révue d’Histoire Ecclésiastique, Lovaina (desde 1900) Medioevo Latino. Bolletino bibliografico della cultura europea dal secolo VI al XIII, Spoleto, Centro Italiano di Studi sull’Alto Medioevo (CISAM), (em public. desde 1980)

Dicionários :

Dictionnaire d’Histoire et de Géographie Ecclésiastiques, Paris (1909 s.) Dizionario degli Istituti di perfezione, ed. G. Pellicia, Roma, Ed. Paolini, 1974 s., 9 vols. Dictionnaire Encyclopédique du Moyen Age, dir. A. Vauchez, Paris, Cerf, 1997, 2 vols. The Concise Dictionary of the Christian Church, E. A. Livingstone, Oxford University Press, 2000.

Antologia de Fontes:

História do Cristianismo Medieval: Textos e Documentos

Filmes e Vídeos para visualização e debate [a anunciar nas aulas]