Вы находитесь на странице: 1из 2

Limpeza de equipamentos (comedouros e bebedouros)

A limpeza dos comedouros e bebedouros deve ser feita logo no inicio da


manhã, deve ser a primeira coisa a fazer quando se chega á exploração, isto
porque os animais pela manha encontram se com fome e necessitam de
comer, além disto devem ser alimentados sensivelmente as mesmas horas
todos os dias para manter as rotinas normais, por forma a não colocar o
animal sob stress o que pode causar várias doenças ao animal. Para efectuar
a limpeza de comedouros deve ser usada uma vassoura limpa para que se
possam retirar os restos de comida do dia anterior. Os comedouros têm
duas secções: a primeira começando no de baixo para cima é o distribuidor
de alimento concentrado, neste encontram se restos de feno que caíram do
distribuidor de alimento superior, neste distribuidor é colocado o feno, ao
os animais ao alimentarem-se deste fazem com que pequenas partículas de
alimento não concentrado caiam para o distribuidor de alimento
concentrado, estas partículas irão fazer com que o distribuidor de alimento
concentrado fique sujo, pelo que deve ser limpo antes de se efectuar a
distribuição do concentrado, a quantidade de alimento distribuída por cada
animal é de cerca de 350g. Enquanto os animais se alimentam do
concentrado deve ser feita a limpeza dos bebedouros. Na escola existem
dois tipos de bebedouros, estes encontram-se espalhados pelo parque dos
animais, alguns são bebedouros de nível variável em que o animal ao tocar
num pequeno tubo de plástico faz com que corra água para um pequeno
recipiente satisfazendo assim a sua necessidade de alimento líquido. O
outro tipo de bebedouro são baldes que se encontram espalhados pelo
parque estes devem ser reabastecidos todos os dias e limpos, mantendo
assim a agua livre de agentes bacterianos que possam entrar para o
organismo do animal. Quando os animais tiverem terminado a alimentação á
base de concentrado deve abastecer-se a parte de cima dos comedouros
com feno fresco, este deve ser suficiente para o dia inteiro visto o feno ser
a principal fonte de alimento destes animais.

Condução dos animais para a pastagem (Junto as éguas e sucalcos)


O objectivo da condução dos animais á pastagem é que estes possam
ingerir alimentos frescos, ricos em água e com as qualidades dos alimentos
acabados de apanhar. A condução dos animais deve se feita de maneira
ordeira, deve ir uma pessoa a frente dos animais e duas atrás para que os
animais não dispersem e eventualmente se percam. Na ESAS existem dois
locais de pastagem para os animais, um encontra-se junto ao cercado das
éguas, neste caso a condução dos animais pode ser deixada mais ao acaso
porque existe um cercado á volta de todo o ovil, que cerca também o
cercado das éguas. Apenas é necessário que alguém avance mais em
relação aos animais para abrir as portas do cercado das éguas para que as
ovelhas possam passar. Quando é necessário fazer a condução dos animais
para a pastagem dos sucalcos deve prestar-se mais atenção aos animais,
isto porque é necessário passar por várias estradas, a condução dos animais
deve ser mais apertada. Deve proceder-se da mesma maneira em termos
de condução para esta pastagem, com uma pessoa á frente para controlar o
caminho dos animais e dois atrás para controlarem se algum animal sai da
manada. Como no caso da pastagem das éguas é necessário que quem vai
a frente dos animais abra o portão para que estes possam entrar.

Inseminação artificial de porca no cio.

Para que se possa proceder á inseminação artificial de uma porca


reprodutora é preciso que esta seja detectada em cio. Depois desta se
encontrar receptiva deve proceder-se á recolha de sémen de um macho
reprodutor de alto teor reprodutivo. Este sémen deve ser analisado e divido
em várias doses visto a inseminação artificial no caso destes animais ser
efectuado com um intervalo de 12 horas durante um período de
aproximadamente 3 dias. O sémen deve ser protegido do calor da luz solar
directa e de factores que possam inviabilizar a função dos espermatozóides.
A inseminação começa com a lubrificação da vulva da porca com um pouco
de sémen, seguidamente deve abrir-se um pouco a vulva do animal para
que a introdução do cateter seja facilitada. O cateter na ponta possui uma
rosca, este ira ser “apertado” pelo cervix da fêmea que tem uma forma de
rosca. Para que a rosca do cateter fique bem colocado durante a sua
introdução é necessário rodar-se o mesmo no sentido contrario ao dos
ponteiros do relógio, além de se ter que rodar tem também que se introduzir
com uma inclinação de aproximadamente 30 graus, este irá ficar mais
direito depois de colocado no devido local. Quando se fizer pressão no
cateter para fora e este estiver “preso” é sinal de que se encontra bem
colocado, neste caso deve proceder-se á junção de um pequeno tubo ao
cateter que irá fazer a ligação deste com o boião de sémen e o cateter. O
boião deve ser colocado numa posição vertical para que o escorrimento do
sémen seja facilitado. Se o sémen não estiver a correr deve apertar-se o
boião para que este corra pelo tubo e se concentre no aparelho reprodutor
da porca. Quando o boião se encontrar vazio, deve-se retirar o tubo e rodar
o cateter no sentido dos ponteiros do relógio para que este saia sem
magoar a porca.