Вы находитесь на странице: 1из 18

Di DDi Di Di

Divulgação

Divulgaçã o

Divulgação o

Divulgaçãoão

Divulgaç ã

Divulgação

Divulgaçãoivulg

Divulgação

Divulgaçãoivulgaç

Divulgação

Ângelo Carvalho

Capítulo 1

Frente A

nt

nt

A

A

Composição química

dos seres vivos I

Milhões de espécies com formas e tamanhos variados habitam os mais diversos ambientes do ais
Milhões de espécies com formas e tamanhos variados habitam os mais diversos ambientes do
ais
ais
erso
erso
mbie
mbie
s do
s do
nosso planeta e todas elas, dos mais simples micro-organismos até as form
as for mas m
as for
mas m
m m
mais complexas
is com
is com
lexas
lexas
de plantas e animais, têm em comum a propriedade da vida. Mas o que é vi ida?
que é
que é
ida?
E Embora E E E algumas
bora a
bora a
gumas
gumas
respostas a esse questionamento já tenham sido dadas, uma definição prec ci
efiniçã
efiniçã
prec cisa e abrangente e
ci
a e ab
a e ab
ngent
ngent e
que possa ser aplicada para todas as espécies de seres vivos ainda a dev verá ser
s aind
s aind a dev ve
ve
á ser
á ser
elaborada a.
labora
labora
a.
Entretanto, mesmo sem essa definição, podemos sentir a vida dentro de nós e ao
a dent ro de e n
a dent ro de e n nós e ao
s e ao
s e ao
n nosso re edor, r, r,
osso r
osso r
edor,
porque reconhecemos as características dos seres que a mani-
mani
mani
festam. A Biologia (do grego bios, vida; logos, estudo) é a
ciência que estuda os seres vivos e todo o conhecimento
toto
relativo a eles. Uma das características que estuda- --
remos neste capítulo é a composição química da aa
matéria viva e as substâncias que formam o corp po
po
humano e o dos demais seres vivos. Estudar es ssas
ssas
substâncias e as funções por elas exercidas é
o primeiro passo para compreendermos
melhor o que é vida.
Figura 1. No corpo dos seres vivos
ocorrem a todo momento inúmeras
reações químicas que são respon-
sáveis pela manutenção da vida.
O conjunto dessas rea-
ções é denominado
metabolismo.
Divulgaçãoulgaçã
DivulgaçãoDivulgaç
u
l
Divulgação
Divulgação
D v l
ç
ã
Divulgação
DivulgaçãoDivulgação
DivulgaçãoDivulgaçãoivulgaçã
Divulgação
Divulgação
ivulgaçã
v l
ç
ã
Divulgaçãoaç
gação
DivulgaçãoDivulgação
DivulgaçãoDivulgação
Divulgação
Divulgação
v l
ç
ã
lgaçãoã Divulgação vulgaçãovulgaçã Divulgação
Divulgaçãolgaçãoga
lgação
DivulgaçãoDiDivulgaçãoç
o
Divulgação
Divulgaçãoivulgação
Di
Divulgação
v l
ç
ã
Divulgaçãoivulgação
Divulgaçãoulgaçã
Divulgação
DivulgaçãoDivulgação
DivulgaçãoDivulgação
Divulgaçãoivulga
ivulgaçãovu
v
Divulgaçã

5

Frente A Capítulo 1 Os seres vivos possuem uma composição química complexa constituída principalmente por
Frente A
Capítulo 1
Os seres vivos possuem uma composição química complexa constituída
principalmente por carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Esses
quatro elementos são os mais abundantes na matéria viva, perfazendo
95% ou mais de sua composição. Outros elementos, como fósforo, enxofre,
cálcio, sódio e potássio completam o restante dessa massa.
Tá na mídia
Neste link você encontrará inform
encont
encont
mações
obre o
conjunto de características
terís
nec cessárias
rias
para defi-
defi
nir um ser vivo, diferenciando o-o da matéria bruta: : :
vo, dife
vo, dife
nciand
o da m
Os átomos dos diferentes elementos químicos encontrados nos seres
vivos podem se dissociar, formando íons, ou se associar uns com os outros,
formando estruturas mais complexas, as moléculas.
<http://www.colada aweb.com/biologia/e ecoloecolo
://www://www
gia/as-caracteristicas ss s-dos-seres-vivos>
Os íons são átomos que perderam ou ganharam um ou mais elétrons
e, em consequência, tornaram-se eletricamente positivos ou negativos.
Os íons positivos (Na + , por exemplo) são chamados de cátions, e os negati-
vos (Cl – , por exemplo), de ânions. As moléculas, por sua vez, são conjuntos
O O
O link
link
link
seguir traz informações
segu uir traz informações
traz inf
rmaçõe
matéri
matéria se
matéri
se
or rganiza em
niza e
todos
desde átomos e moléculas até ecossistemas e
mos e moléculas até eco
biosfe
eletricamente neutros constituídos pela união de dois ou mais átomos,
que podem ser iguais, como as moléculas de oxigênio (O 2 ), ou diferentes,
s,s,
<< <http://www.infoesco <<
.infoe.infoe
cola.cocola.co om/biologia/niveis
como as moléculas de água (H 2 O). Elas, junto aos íons, formam substâ
tântân--
-- -de-organizacao-em-bi
cias (diferentes tipos de matéria) que podem ser inorgânicas ou orgânicas.
nicas.
nicas.
Água e sais minerais, classificados como substâncias inorgânicas, são formados por
cas, sã o form
cas, sã o form
rm
mados por
dos po
p pequenas moléculas ou por peque-
peque
nas m
m
m
nos íons, e, por isso, são mais simples. Essas substâncias são encontradas na
ncont
ncont
adas s
adas s na
nat tu rez za a,
natureza,
tanto
tanto nos seres vivos quanto fora
ta
deles. Já as substâncias orgânicas, como proteínas, carboidratos, lipídios,
rato
rato
ipídi os,
ipídi
vitaminas e ácidos
vitaminas e ácidos nucleicos, são formadas por
vit
cido
u u
moléculas mais complexas, geralmente de tamanho maior, sendo, muitas vezes, macromoléculas. Elas têm como elemento
send
send
muit tas vezes, macrom
s vez
ve ze s, , , mac
, , mac
l l
principal o carbono e são fabricadas principalmente nos organismos
rganis
rganis
viv
v ivos, podendo
os, po
os, po ode e ndo
ndo
do
s ser sintetizadas também em laboratório.
Exercícios de Fixação
01.
Analise o texto a seguir:
Há quase cem elementos diferentes na crosta
crost
crost
da
a
Te erra
Terra, nas s
, , na
nas
á
águas
guas q
que e
cobr
c cobrem a maior parte da sua superfície e no fino véu
da atmosfera que a envolve. Desses
muitos
muitos
muitos
ele eme
elementos, apenas s
ele eme ento os, ap pe
qu uatr
quatro constituem mais de 95% de toda a matéria viva. São o
tro o con
tro o con
carbono, o hidrogênio, o oxigênio e o nitrogênio.
e o nitr
e o nitr
gên
ênio.
Juntamente com dois outros elementos (o fósforo e o enxofre), esses quatro
te co m do ois o
do ois o
compõem as principais moléculas dos sistemas
s dos
s dos
iste
tema as
vivos.
CUR
CUR RTI IS, ,
H.
Biologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1977, 2. ed., p. 28.
Um modo fácil de memorizar os seis elementos mencionados no
s s
s s
elemento
em
em
s m
e
cionados
na
na
no
no
texto é representá-los por uma sigla formada pelos símbolos
químicos desses elementos. Qual é essa
s. Qu
s. Qu
é essa
essa
essa
sig gla?
sigla?
gla?
la?
la?
02. A análise das
substâncias que e
cias q
cias q
con nst
con nst titu uem
constituem
uem
em
em
o o o
corpo,
c corpo,
corpo, ,
d de
70 Kg, de um indivíduo da espécie humana revelou os percentuais
indicados na tabela a seguir
a segu
a segu
ir:
Substâncias
SubsSubs st
%
Água
65
Proteínas
15
LiLi Lipídios
14
S Sais S
minerais
4,5
Carboidratos
0,9
Outros compostos
0,6
Com
Com
m
m
base n
base n
base nos dados
base nos dados
os dado
os dado
fornecidos pela tabela e nos conhecimentos sobre a composição química dos seres vivos, assinale
fornec
fornec
fornec
dos pe
dos pe
V
para
as
as s afirmativas verdadeira
as afirmativas verdadeiras e FF F
rma
rma
s ve
s ve
eir
eir
p para p as falsas.
(
))
No i
No i indivíduo
divídu
divídu
em
e
em
qu
q qu
q
uestão
, além de substâncias inorgânicas, existem as orgânicas, que nitidamente predominam.
(
(
)
)
T
T
Toda a ma assa
da a m
da a m assa
d do d d d indivíduo é formada por substâncias orgânicas, já que as substâncias inorgânicas são exclusivas da
matéria
matéria
matéria
b
bruta
bruta
a.
(
) ) )
O ind
O ind
ndiv
ivíduo o
ivíduo
uo
uo
apresenta cerca de
65 Kg de água em seu corpo.
(
(
)
)
10
10 0,5
,5 Kg
,5 Kg g g
d da d massa desse indiví
duo correspondem às proteínas.
((
)) )
De entr e
entr
tre
tre
as substâncias orgânicas presentes no indivíduo, as proteínas são as mais abundantes.
D ulgação
(
)
Áci idos nucleicos e vitaminas estão inclusos em “outros compost
c cidocido c
os”.
D iv l
Divulgação
u
l
a
ç
Divul gação
ç
ã
vul
vulgação
açã
Divulgação Divulgação o
i
ç
Divulgação
i
Divulga çã
i
D ulgação
6 6
Col
C
C
Coleção Estudo EM1
leçãoleção EE
Divulgação Divul gação D iv gaçã
Divulgação Divul gação
u l a
i
Div gação
Divulgação i
vul
Divulga çã o
Di
Di Di Di
Divulgação
ç
Divulgação
Divulgação
aç o
ç ç
ga lgaçã
çãoo
ç ão
Divulga ç
Div u u u l ç o
Divul
a
Divulgação
i
D v
u
lgação
Divulgação
Divulga çã o
Divulgação
v l a ç
Divuli vu ga ã ã o
lg
aç o
ç
o
Divu lgação
l ção
lga ação
iv u lgação
a
o
D vulgaçããoão
Divu Divul ação
Divul ç ç ã
i
Divulgação
i ivu i
D
D
Divullgaçã o
Divulgação
ivulgação
v l a ç
ç
Divulgação
iv gação
lga ão
D vululgaçãogação
i
Divulgação
Divulgação
l l a ç ç
Divul gação
u
lgação
Divulgaçã o
Divulgaçã o
Div gaç

Di Di Di Di

Composição química dos seres vivos I es v es v os I os I 1.
Composição química dos seres vivos I
es v
es v
os I
os I
1. Água
Entre todas as substâncias que compõem a massa de uma estrutura viva, a água é, com
com
com
–– –
raras exceções, a mais abundante. Entretanto, seu percentual não é o mesmo em
mm
todos os organismos, variando de acordo com a espécie, a atividade metabólica e aa a
idade dos indivíduos. Por exemplo, em um indivíduo adulto da espécie humana, a água
uaua
corresponde a aproximadamente 65% da massa corporal; em determinadas espéci iesies
OXIGÊNIO IOIO
OXIGÊNIO
OXIGÊOXIGÊ
de fungos, também na fase adulta, essa substância representa cerca de 85% dada d
massa; e, nas medusas (águas-vivas), pode chegar a 98%. A maior parte dada d
água, nessas espécies, encontra-se no meio intracelular.
Entre as estruturas vivas mais desidratadas, estão as sementes, que, muitas s s
, m
, m
HIDROGÊNIO
HIDROGÊNIOIDROGÊ
IDRO
IDRO
NIO
NIO
HIDROGÊNIO
vezes, chegam a apresentar taxas de água inferiores a 20%. Entretanto, ess sassas
nto, e
nto, e
+
+
estruturas encontram-se em estado de vida latente, situação em que as ativida ades
s ativi
s ativi
ades
+
++ + + +
+ +
+
metabólicas ficam reduzidas a valores tão baixos que as faz parecer sem vida.
er se
er se
vida.
a.
+
Para saírem desse estado de latência e desenvolverem-se, as sement tes
seme
seme
tes
+
+
+
precisam encontrar condições ambientais favoráveis, sendo uma dess sas
ma de
ma de
sas
a a a a a
disponibilidade de água.
+
+
+
+
+
+
+
Figura 2.
Fig ura
gu
gu ura
2.
Em
Em
E Embora seja uma substância muito
mb
mb
+
As principais funções desempenhadas pela água nos seres vivos s
eses
ss são:
são:
+
+
+
+
importante para os seres vivos, a estrutura
m
m
portante
rtan
rtan
pp
+
+
+
Solvente e reagente de reações do metabolismo – A maioria das s
smo –
smo –
A ma ai
A ma iori ria d a a
ai
+
ria d
a a
molecular da água é muito simples. Formada
mol
olecul
olecul
ulaula
+
+
reações metabólicas só ocorre quando os reagentes estão dissolvido os s s
ntes
ntes
stão di
stão diss
di
ssolvid do os
ssolvid
por a a
por a a
por apenas dois átomos de hidrogênio e
p
e e
em meio aquoso. Isso ocorre porque, quando estão dissolvidas, , as s s
do es
do es
o di ssol
o di iss
iss
olvid
olvid a a s, , as
um átomo de oxigênio, sua molécula tem
um
um
m m
átát
substâncias reagem mais facilmente, já que suas partículas têm maior
suas
suas
artíc
artíc
ícu ulas têm maior
ícu
as têm
as têm
m maior
maior
aio
aio
disposição geométrica angular, carregada
didi spsp
+
probabilidade de entrar em contato com as de outras substâncias.
as d
as d
out
out ras substâncias.
utra
utra
s sub
s sub
ub
ub
tân
tân
ância
ância
+
positivamente próximo aos átomos de hidrogênio
pp
A polaridade das moléculas de água é o fator responsável pela
o fat
o fat
r re esp
r re esp ponsável pela su ua
onsá ve l pela
onsá ve l pela
pe
pe
ua
+
+
eficácia como solvente de substâncias orgânicas e inorgânicas. Essa
org
org
as e inorgânicas. Essa
s s
or
or r r
cas.
cas.
sa
sa
e, negativamente próximo aos de oxigênio.
capacidade de dissolver substâncias depende da atração de seu polo
s dep
s dep
nde e d
nde da atração de seu po olo
e d
atra
atra
raç ç ç
raç ão de e s
de e s
po
po olo
Moléculas que apresentam essa configura-
negativo pelo polo positivo da molécula de soluto,
olécul
olécul
de e s soluto,
de e s
ut to,
ut to,
e e vice-versa. As
e e vice-ver rsa a. A
vi ic
vice-v
vice-v
ic
e- e-
rsa a. A
ção, ou seja, que apresentam um dipolo,
substâncias polares que, em contato com a a
ontato com
ontato com
m a
m a
água, tendem
água, tendem
água
água
gua,
gua, te ende
ende
ndem
ndem
a en
a a envol-
en
são denominadas de moléculas polares. As
ver suas moléculas ou partículas, separando-as, ,
ulas,
ulas,
ep para
ep para ando-as,
do-as,
do-as,
-as
-as
são ch
são ch
são cha am
s são chamadas de
ão
ão
am
mad
mad
que não a possuem são apolares (gorduras,
hidrofílicas (do grego hydro, água; ;;
, águ
, águ
phil
phil
pp
ilos, amigo). Exem
, ami
, ami igo
a a
go). Exemplo disso é
Ex
Ex
mp plo
mp plo
por exemplo).
o cloreto de sódio (sal de cozinha), que, como muitas s
e cozi
e cozi
ha a), que,
ha a), q
q
e, co
e, co
, ,
como muita as s
co
co
o mui
o mui
m
m
as
substâncias
su
su
dos sistemas biológicos, é polar e, ,
, é po
, é po
ar r e,
ar r e,
portanto, solúve el l
portanto, solúvel l
ortant
ortant
an
an
, solú
, solú
el
em
em
em água. Em
contrapartida, temos as substâncias apolares, que são insolúveis em
bb
âncias apolares, que s
ii
ll
ii
+
+
+
água, chamadas de hidrofóbicas
hidro
hidro
óbicas
bicas
bicas
(do greg go,
(do greg go,
do g
do g
o gr
o gr
hh dro, água; phobos,
hyd
+
+
+
medo, aversão), como as gorduras s.
mo as
mo as
gorduras s.
gordu
gordu
du
du
+
+
+
Uma solução pode ser produzida a
e ser
e ser produzida a
rodu uzi da
rodu uzi
qua a a
qua
quando uma
quando uma substância (o soluto) é
do um
do
d
um
+
+
+
+
dissolvida em um líquido (o solvente). Caso o solvente seja a água, temos
m líqui do (o solvente). Caso o
m líqui
o (o so
o (o so
ven
ven
ente)
ente)
C
C
Caso
Caso
o
o
+
uma solução aquosa,
aquos a,
aquos
em q
em q
em que muitas reações do metabolismo, indispen-
em que muitas reaçõ
e muit
e muit
s reaç
s reaç
+ Na +
+
+
sáveis aos processos vitais, ocorrem. A
proces sos vitais, ocorrem. A
proces
os vita
os vita
, ocor
, ocor
em. A
em. A
á água é o solvente da vida!
+
+
+
H 2 O
Na +
C –
C –
Fig gura 3. O cloret
Figura 3. O cloreto de sódio é formado por um agregado de íons Cl – (cloreto) e Na + (sódio). Quando cristais de cloreto de sódio
Fig
ra 3. O
ra 3. O
c
cloret
et
et
são
s são coloca
s
o colo
o colo
colocados s
ados s
ados
na
n n
água, as moléculas de água se unem em torno dos íons Cl – e Na + , separando-os. Isso acontece porque as
vulgação Divulgação
regiões neg
regiõe
regiõe
regiões negativas das moléculas de água são atraídas pelos íons positivos de sódio (Na + ), enquanto as regiões positivas das
neg
ga
ga
+
ivulgação Divulgação
+
moléculas de água são atraídas pelos íons negativos de cloro (Cl – ). Desse modo, os íons de cloro e de sódio ficam separados
mol léc cula asas
mol
cula
uns dos outros e distribuídos de modo homogêneo na água, ou seja, eles são dissolvidos.
uns do
o os
o os
Divulgação o
D u
v
g
a
ã
Divulgação
i
v
l
ç ã
Divulgação o
u
lg ç
a
D
vulgaçã
Divulgação o
i
u
l
a ã
+
Divulgação
Divulgaçã o
+
l ç ç
+
u a a
o Divulgação
+
+
+
Divulgaçã ã
D
Divulgação
D v u
v
g a
g
a
ã o
Editora Bernoulli
i v
i
7
DivulgaçãoDivuuu
ivulgaçã
u
l
a ç o
Divulgaçãããoã
Divulg açãoãoãã oo
DivulgaçãDivulDivui vulgação DivulgaçãoDi
ulgaçãog
Divulgaçã o
Divulgação o
i
l ç ã
v g g
a o o
gação
a ção
Diivulgaçãoivivi Divulgação
u l l lg a ã o o o D i
Divulga o
u
g
u g ã o o
ã
Divulgação o
i
v
l a
ç
ão
Divulgv
ulgaççã
o o
Divulgaçãoo
v l
Divu
i
ga ç
çã
v g g
l ação
Di ulg
lgação
i lga
Di
i i
vu l ga o
v
ulg
ç
Divulgaç
D
ivu
v
u
a a o
açã
Div
ção o
Divulgação
Divulg ação
ivulgação
v l
Divulgação
u
l
a
Divulgaçããoo
lgação
ã
Divulgaçã o
D
Divulgação o
D
v
u u g
a a ã ã
Divulgação
ivulgaçã o
g g ã
a
Ângel
Ângelo Carvalho oo
gelogelo
elo Ca
Caelo
DivulgaçãoD i u lga
Divulgaulgaça ç oo
ivulgalgaç
Divulgivuivulivulggaaçãoç
Divulgaçãulgga
Divulgaçã
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
+
Ângelo Carvalho
+
Biologia
Frente A Capítulo 1 Além de atuar como solvente de muitos reagentes, catabólitos (resíduos do
Frente A
Capítulo 1
Além de atuar como solvente de muitos reagentes,
catabólitos (resíduos do metabolismo) do meio
smo)
smo)
o meio
o meio
intern
intern o
interno o
a água caracteriza-se também como reagente de diver-
para o meio externo. No organismo humano,
mo hu
mo hu
mano,
mano,
por exem
p
por ex
por
ex
m m
--
sas reações metabólicas, conhecidas como reações de
plo, muitos dos nutrientes absorvidos no tub bo digest tório
orvido
orvido
no tub
no tub
o dige
o dige
tório
hidrólise (do grego hydro, água; lise, quebra), em que
entram na corrente sanguínea e são trans sportados para
ea e s
ea e s
o trans
o trans
portad
portad
s para
s para
a molécula de água é “quebrada” e seus átomos de hidro-
outras partes do corpo. Muitos resíduos s do nosso meta
itos r
itos r
íduos
íduos
o nos
o nos
o met
o met
-
gênio e oxigênio são adicionados a outras substâncias.
bolismo celular também são excretad dos dissolvidos na
são
são
cret
cret
s di
s di
vido
vido
na
na
água. Isso acontece, por exemplo,
or exe mplo,
or exe mplo,
m a u
ia (re
íduo
Seja como solvente ou como reagente, a água no estado
líquido é indispensável para o funcionamento do meta-
bolismo. A taxa de água varia de maneira direta com a
atividade metabólica, ou seja, quanto maior for essa
atividade em uma célula, tecido ou órgão, maior deverá
do metabolismo proteico), que é eliminada dissolvida em
eico),
eico),
ue é el
ue é el
eliminada dissolvid da em
minada
dissolv
nossa urina. Assim, a água também atua como veículo
, a ág ua tam
, a ág ua tam
mbém atua como veícu
ém at
ém at
a com
a com
veícu
cu
cu
de excreção.
Termorregulação – A ág g g
ação
ação
– A ág gua colabora para a a re gulação
a colab
a colab
ra par
ra par
a a re eg
eg
ser a taxa de água nessas estruturas. Como a atividade
metabólica tende a diminuir com o envelhecimento da
célula, de um modo geral, a taxa de água em um mesmo
organismo varia de maneira inversamente proporcional
térmica dos
organ
organ
mos.
mos.
s.
s.
O
O
eleva
elevado calor de
eleva
elevado calor de vaporização
calor
calor
de va ap
de va ap
e
o elevado calor específico da água
do
do
or
or
pecífico da água
cífic
cífic
ág
ág
são propriedades
são
são
são p
que a fazem atuar
azem a tuar
azem a tuar
c como moderador
mo mo
erador
de temperatura nos
seres vivos.
vivosvivos
à idade. Na espécie humana, por exemplo, a massa
corporal de um feto de três meses é constituída por
aproximadamente 94% de água; em um recém-nascido,
Calor de vaporização é
lor de vapori ri rização é
lor de vapori ri
ção é
quant
quantid dade e
de
d calor necessária
para a vaporização de
para a vapor ri rização de
para a vapor ri
ção d
uma substância. A evaporação da
uma sub bstâ ân
uma s
a taxa de água é de aproximadamente 70% e, em um
indivíduo adulto, de cerca de 65%.
água
água a realizada em
realiz
realiz
liz zada em
a em
superfícies de organismos terrestres
superfície
uperfíc
(n
(n na pele,
pele
pele
por exemplo)
or e ex
or ex
e em
m plo o)
plo o)
a manter a temperatura
corporal em
oral em
ra
ra
equilíbrio,
equilíbrio,
eq
ilíbr
io
io
pois absorve grande quantidade
pois a a
Transporte de substâncias – Substâncias dissolvidas
de
de
de
c calor dessas superfícies, resfriando-as. Isso acontece
ca
ca
c alor dessas superfícies
or de
or de
r d es
r d es
as s
as s
s su
s su
rfície es
rfície es
r r
na água podem ser transportadas para diversas partes
e
e
em
em
m
nosso o
noss
noss o o o
o organismo quando a água contida no suor
o
organism
o
organ
organ
ga
ga
mo qu
mo qu
q
q
a
a
da célula ou do corpo. Desse modo, a água além de
d
de
s s
sofre
fre ev
fre ev vaporação. Quando a temperatura do ambiente
ev vap oraç
evaporação.
ev
apo
apo oraç
o. Qu ua n
o. Qu ua n
contribuir para a distribuição de substâncias no inte erior
erior
ou d
ou do o
ou d o o
corpo
corpo
c corpo
corpo
corpo
corpo
ultrapassa determinados valores (devido
ul ltrap pa ss
ltrap pa ss
do organismo, contribui também para o transporte de
rte de
rte de
a a
e exercícios
e xe er rcício
er rcício
ios
físic
físic
físicos mais intensos, por exemplo), as
ico s
ico s
gl lândulas
gl lândulas
ndul
ndul
ula
ula
s sudoríparas do ser humano são estimuladas
sudo orí pa
sudo orí pa
a produzir ir e e
a
prod
produzir e e
prod
ro
ro
ro
ro
ir e
a a a eliminar mais suor, o que retira o calor
e e
H
da pele, re
da pele, reduzindo a temperatura corporal e evitando o
a a
, r
, r
com
com pr rom
m m
mprometimento de suas atividades metabólicas.
rom
metmet
O
H
HH H HH
P P P P
Pode-se
od de-
de-
e-se
e-se
definir calor específico como a quantidade de
O O O
ca alor necessária para elevar em 1 ºC a temperatura
cal
cal
lor
lor
d
de 1
d de 1 1 g de uma substância. Para alterar a temperatura
H +
–– –
da
da a água,
que possui calor específico mais elevado que
outras substâncias, é necessário fornecer ou retirar
– H
+
uma maior quantidade de calor. Como a água perde
H
O
ou ganha calor com maior dificuldade, isso contribui
para que a temperatura do corpo, onde existe grande
quantidade de água, permaneça estável durante
mudanças bruscas de temperatura no meio. A água
HH H
++ +
O
H
+
é a principal substância que atua na manutenção da
nossa temperatura corporal.
– –
Figura 4. Cada molécula de água pode formar 4 ligações de hidrogênio com
FigFig
oo
outras moléculas de água. Embora cada ligação seja fraca, a força total das
OO O O
HH H
HH H
ligações que mantêm as moléculas unidas é muito grande. O alto calor espe-
cífico da água se origina das muitas ligações de hidrogênio que prendem as
moléculas umas às outras.
Exercício de
Ex
Ex
x
x
xercício de
erc ício de
erc ício de
e
e
Fixação
03.
03 3.3.
A A A
água no esta do líquido é uma substância indispensável para que ocorram diversas atividades metabólicas nos seres
gua n
gua n
esta ad
ad
vivos, pois
vos, po
vos, po
is no o o
is no
meio aquoso a maior parte das substâncias participa das reações que são necessárias para a manutenção
dos proc cess os vitais.
dos pr
dos pr
cess so
so
O O
tex
t t xto
xto
f fa az referência a uma importante propriedade da água. Qual é essa propriedade e que característica da molécula de
f fa
água
é é
responsável por ela?
Divulgaçãoulgaçã
iv
a a
Divulgação
l a
Di Divulgação
vulgação
Divulgação
v
ul
g
ã
vulgaçã
vul
aç ão
Divulgaçãoulgaaçã
Divulgação
D
iv
ç
ã
D Divulgaçã
i
u
l
a
o Divulgação
ã Divulgaçã o
8 8
C C
Coleção Estudo EM1
Col
leçãoleção EE
Divulgaçãoulggaç
Divulgaçãoul aç
Divulgação
Divulgaçã
ivulgaçã ã
v
ul
g
Divulgação D u a
D
ivulg ç
iv
i
l
Di
Di Di Di
Divulgaçã
ão
Divulgaçãoaç
iv
ga lgaçã
çãoo
Di vulgaaçção
DivuDivulgação
gação
Divulgação o
v
u
g
a
o
Divulgação
Divulgação
D
iv
D Divulgaçã o
i
u
l
a
Divulgaçã
l
ão
Divulgaçãolgaçãoga
a
o
Div
iv
v
ulg g a a
u
lga o
g
açã
o
D Divulgaçã o
Di
Divulgaç ã
ivulg ação
Di
ivulgação
i u
Divulgaçã
ivulgaç ão o
l
vulggação
Divulgaçãoulgaçã
Divulgação
D
iv
lga ão
Divulgação
Divulgação
u
g
a aç
ã
Divulgaçã
Divulgaçã o
iv v g
u g a
Di
vulgaçãogagaç
Divulgação
ivulgação
Divulgação
D
ivulgaç
iv
Divulgaçã o
ivulga
ÂngeloÂngelo
Ângelo Carvalho
elo Carvalho
alhoalho
Composição química dos seres vivos I es v es v os I os I ●
Composição química dos seres vivos I
es v
es v
os I
os I
Lubrificante – A água tem também a função de lubrificar
superfícies, diminuindo o atrito entre diversas estruturas
do organismo. No nosso cotovelo e em outras articu-
lações móveis, por exemplo, existe o líquido sinovial,
composto basicamente de água, que diminui o atrito
nessas regiões, facilitando, assim, o deslizamento de
uma superfície óssea sobre a outra.
Leitura complementar
lem ent tar
lem ent tar
tar
A elevada taxa de água
existente nos
exist
exist
te nos
te nos
seres vivos e
seres
seres
vos e
vos e
a
s
sua
sua
dependência metabólica
em
em
em
relação
ção
ção
a
essa substância prova-
ssa
ssa
tânci
tânci
rova
rova
velmente é uma consequência da própria origem da
equênc
equênc
a
a da p própria origem da
da
p
pria or
pria or
em da
em da
vida e
vida e
vida e
vida em
Como desempenha importantes funções no organismo, é
fácil compreender porque os seres vivos precisam manter um
equilíbrio hídrico no meio interno. Para manter esse equilíbrio,
a água perdida ou eliminada para o meio externo, através da
urina, das fezes, da transpiração, da respiração e de outros
processos fisiológicos, precisa ser reposta, a fim de proteger
o organismo de uma desidratação excessiva.
nosso planeta. Uma
das hi
das hi
das hipóteses
óteses
óteses
mais aceitas pela
mais aceitas pela
ais acei
ais acei
s s
pela
pela
comunidade
co omuni id id
omuni
científica admite
que as
que as
que as
primeir i iras formas
primeir i
primeiras formas
forma
forma
de vid
de vida
de vida
de vid
s surgiram nos
surgir
surgir
ir
ir
oceanos primitivos há
ivos há
ivos há
cerca
cerca
cerca
d de
d de d d
3,5 bilhões de ano
3,5 bil
3,5 bil
3,5 bilhões de anos. Portanto, de
es de a
es de a
nos. Po o o
nos. Po
acordo com
essa h
essa hipótese, ,
essa h
pótese,
pótese,
e,
e,
foi no meio aquoso o que o o
foi no meio aquoso que ocorreram as
i no m
i no m
o o
aquo
aquo
o que
reações químicas que
ímica
ímica
ue ue
c culminaram c c no surgimento dos primeiros
c culminaram no surgimen
nara
nara
o o
sur
sur
ent
ent
to
to
seres
vivos.
vivos.
vivos.
Dessa
essa
essa
maneira,
maneira,
neira,
neira,
acredita-se que e
acredita-se que e
redita
redita
e que
e que
a dependência dos
Os seres vivos podem obter a água de que necessitam
para sobreviver de diferentes formas. Por exemplo, as plantas
seres vivos
es vivo
es vivo
em re el
em relação à água persistiu com o decorrer da evolu-
em re elação à água persisti tiu com
el
ão à ág
ão à ág
a persi
a persi
tiu com
m
m
ção (transformação e formação de novas
ção (tra
ção (tra
nsform
nsform
m m
ação e formação de nova as
ão e fo
ão e fo
ação d
ação d
nova as
espécies) nas unidades
terrestres repõem a água perdida durante a transpiração foliar
sugando, por meio de suas raízes, a água do solo; muitos
animais bebem água a partir de uma fonte (rios, lagos, etc.),
assim como ingerem alimentos líquidos (leite, suco de frutas,
seiva vegetal, etc.) e sólidos que têm certa quantidade de
fund damentais dos seres vivos,
fund
menta ai
menta ai ais dos seres vivos,
dos ser
dos ser
s vivos,
s vivos,
isto é,
isto é,
isto é,
is
é,
é,
nas suas células. Como se
tr rata de uma hipótese, podemos aceitá-la ou não. Entretanto, não
tr
ta de u u u
ta de uma
u
a hipóte
a hipóte
hipótese, podem
e, pode
e, pode
mos ac
mos ac
ace
ace
podemos
podem
podem
m os
m
nega ar
negar
nega ar
negar
o o fato o
o fato
f
fato o
de
de
de
q
que
que
a a a a
vida, tal qual como conhecemos
em nosso planeta, não pode existir sem água no estado líquido.
m nosso planeta, não pode
o o
l l
ne
ne
ã ã
o p
o p
água em sua composição. Alguns animais, como focas e leões
ões
ões
marinhos, não precisam beber água, obtendo-a apenas dos
s dos
s dos
É É É
por isso o
por iss
por iss so
r i sso
r i sso
q que, q
q que, quando os
que, quan ndo os
que, q
e, qu
e, qu
ndo os
os
os
cientistas procuram sinais da existên-
ie
ie
alimentos que ingerem.
cia de
cia de
cia de
vid
vida a
vida a
id
id
em
em
em
em
em
em
outros s
ou utros s
utros
p pontos p do universo fora do nosso planeta,
n n
um
um
ma a
ma
d das
das
das
primeiras
p p
pri rime eiras s
pri
eiras
s
o o
observações
s s
que procuram é a existência ou
n n o o o
de água no estado líquido, pois a vida depende das reações
de ág
de ág gua no es
a a no es
a a
meta
meta
metabólicas
tab
tab bólic cas
cas
e e e e e
t tais t reações dependem da água.
is
is
Figura 5. Habitante comum do deserto americano, o rato-canguru
merica
merica
o, o o rat
o, o o rat
ato-
cang
cang
gu uru
gu
Cotidiano
C
C
Cot
Cot
pode passar a vida inteira sem beber água, obtendo-a apenas dos s
gua, ob end do-a
gua, ob end do-a
-a ap pena s
pena
os s
os
alimentos que consome (sementes, principalmente).
princip lme ente
princip lme ente
te). Esse mamí-
Esse
Esse
se ma mí --
se
mí í í--
fero não possui glândulas sudoríparas, tem hábitos noturnos e
aras, t em háb
aras, t em háb
ábitos noturnos e
os not
os not
s no tur r nos
s no
r
nos
os e
os e
A água é verdadeiramente
evita o calor do dia escondendo-se em tocas profundas. Essas, ,
-se em toc cas
-se em toc cas profundas. Essas, ,
ofund da
ofund da
fu
fu
. Es ssa
. Es ssa
a
substância da vida. Sem ela,
entre outras características, são adaptações que permitem-no o
ão ada pta
ão ada pta
açõe
açõe
es que permitem-n no o
que pe
que pe
e p
e p
mitem
mitem
no
economizar grande quantidade de água, contribuindo para a sua
dede áá
ua, contribuindo para a su
coco
uinuin
ii
d
rara
sobreviveríamos por poucos dias,
sobrevivência no deserto.
pois, diariamente, perdemos
Para concluir, é bom lembrar que a a
m lem
m lem
rar que a a
ar qu
tamb
também pode
água através da respiração, da
ser produzida nos organismos por meio das muitas reações
ganism
ganism os por meio das muitas
s po or
s po or me eio d da
eio da
transpiração, da urina e das fezes.
do metabolismo celular, que são conhecidas por reações de
lular, q
lular, q ue são conhecidas por
e são
e são
nhe
nhe
as
a a po
as po
Para repor esse líquido perdido,
síntese por desidratação, ,
atação
atação
nas qu
nas qu
nas quais as moléculas de água são
nas quais as moléculas
is as s m olécula ol
is as s m olécula ol
bebemos água.
formadas juntamente com outros produtos. Isso acontece,
mente com outros produtos.
mente
om ou
om ou
ros pr
ros pr
dutos
dutos
por exemplo, na síntese de proteínas, em que, devido à união
na sínt ese de proteínas, em qu
na sínt
e de p
e de p
oteína
oteína
, em q
, em q
Quantos copos de água pre
-
de aminoácidos, forma-se proteína e moléculas de água.
ss
forma-se proteína e m
-s-s
tete
ee
Essa água proveniente
a prov eniente
a prov
nient
nient
das r
das reações
das reações
das r
ções
ções
químicas que ocorrem
qu uímic
uímic
cisamos beber todos os dias para que o nosso organismo funcione
no organismo é denominada
nismo é denominada
nismo é deno minad
é deno minad
de ág
de água endógena.
de ág
de águ a end
a end
normalmente? A sabedoria popular e, também, muitos especialistas
recomendam que, em média, um adulto deve ingerir, por dia, cerca
de 8 copos (± 2 litros). Entretanto, nem sempre podemos levar isso
Para
Par ra
Par
a a
refletir
refletir
refl
refl
etir
etir
ao pé da letra, pois, além da ingestão na forma natural, podemos
A desidratação excessiva
desid
desid
tação e
tação e
essiva
essiva
é
um qu
um quadro grave que põe em risco a
um qu
obter água por meio da ingestão de verduras, frutas e muitas bebidas
vida do
da do
da do
organismo.
anis
anis
Na m
Na m
Na ma aioria das espécies de mamíferos, inclusive
(sucos, chás, refrescos). Além do mais, a quantidade diária ideal de
na es spécie huma ana,
na es
cie hu
cie hu
ana,
a a a a
perda de 20% do total da água contida no
água depende de diversos fatores, como quantidade de atividade
cor rpo é, em
cor
é, em
é, em
geral,
geral,
g
, ,
f fatal. f Algumas espécies, entretanto, são mais
física, local de trabalho com ar condicionado ou ar muito seco,
tolerantes
erantes
erantes
à à desi idratação. É o caso, por exemplo, do camelo que
à desi
sid
sid
produção de suor, estado de febre, diarreia ou vômito, etc. Porém,
ação Divulga çã Di Di Di Di
conseg
consegue e sob bre
conseg
e sob bre
reviver perdendo até 40% da água corpórea.
quando precisamos de água em nosso organismo, ele mesmo nos
Por
P P r que e e o processo de desidratação pode levar um organismo
r que
dá o alerta. Assim, sempre que tiver sede, beba água. O importante
à àà mort tt te?
e?
e?
é se manter hidratado.
v lg ç
u ação
o Divulgação
v lg ç
Divulgaçãoã
u
Divulgação o
ã
Divulga çã o
vul
Divulgação D u a
Divulg ã
u
Div
ulg ção o
l a
Divul
i
u ação
v lg ç
lg aç a ão Divulga
Divulgação Divulgaç
Divulgação
v l a
a
u u lg a ç
Editora Bernoulli
Divulgaçã o
9
Divulg ã o
Divulgação o
ivulgaçã
l a
Divul
i u
ivul
vul
o
Divulgação
D u
a
a ç
u ação
v g g
gação
lg a ç ção
i u u
u ação
lgaçãoã Divulgação vulgaçãovulgaçã
ç ão
Divulg ã o
lg ç o
a
Divuv lga ão
a ã
ã ão o
Divulgação o
v l a
Divul
i
Divulga ção
vul
Divulgação
u g
Divu u
D v
lga ação
lgação
u ação
v lg ç
DDi v u
ã
Divulgaaçã o
Divulgação
i ivulgação
u g
Divulg ação o
ã
Divulgaçã o
ivu u
v v u l
g
ação Di ulg
Di
Divulgação o
l a
Divulgação
D u
u
a ã
Divul
i
Di ulgação
i ulgação
Divulg ação o
ã
Divulgação
Divulgação
lgaçã
lgaçã
a a
v v u
ã
Divulgação
ivulgaçã o
l a
Divul
i ivul ação
u
ç
Di
vulgaçã o
ulgga
Divulgaçã
Ângelo Carvalho
ÂngeloÂngelo
valhovalho
SXC
Biologia
Frente A Capítulo 1 Exercícios de Fixação 04. (UFU-MG) A água é a substância que
Frente A
Capítulo 1
Exercícios de Fixação
04. (UFU-MG) A água é a substância que se encontra em maior quantidade no interior da célula.
célula.
célula.
Isso se e
sso se
sso se
justifi
justifi
justifica pelos
a pelo
a pelo
importantes papéis que exerce nos processos metabólicos. Qual o papel da
água
na regulação térmi ica
g g
açã
açã
rm
rm
dos
dos
dos
animais?
ma
ma
05. (UFSC) A água é a substância mais abundante na constituição dos mamíferos. É encontrada nos comparti imentos extracelula
nos co mparti
nos co mparti
entos e
entos e
tracelu lares
tracelu lares
(líquido intersticial), intracelulares (no citoplasma) e transcelulares (dentro de órgãos
como a
omo a
omo a
bexiga a
bexiga
bexiga
e e
o o o o
estô
estô
estômago). So obre
estômago). Sobre
ago).
ago).
obre
a a a a a
água e sua presença nos mamíferos, é
CORRETO
afirmar que
01.
a quantidade em que é encont
rada nos organismos é invariável de espécie para espécie ie.
a espé
a espé
ie.
02.
com o passar dos anos, existe
uma tendência de aumentar seu percentual nos tecido
os teci
os teci
dos.
dos.
04.
é importante fator de regulação térmica dos organismos.
08.
em tecidos metabolicamente ativos é inexistente.
16.
participa da constituição dos fl
uidos orgânicos que transportam substâncias
tância
tância
dissol
dissol
dissolvidas por
ol
ol olvidas por
das po
das po
todo o
todo o
todo o
todo o
c corpo.
corpo.
corpo.
o. o.
32.
constitui meio dispersante para facilitar a realização das reações
químicas.
uímica
uímica
s. s.
Soma (
)
2. Sais minerais
Os minerais, encontrados na matéria viva sob a forma insolúvel (imobilizados em estruturas esqueléticas, por exemplo) e
insol
insol
vel (i mobilizados em es strut tu a
vel (i im
obiliza ado o s em
obiliza
o s em
em
strut tu a
sob a forma solúvel (dissolvidos na água e dissociados em íons), representam, em média, de 3 a 5% da massa dos seres vivos.
m íons
m íons
, rep resentam, em méd dia, d
, rep pre
senta am
senta am m, , em m
3 3
Os animais normalmente os obtém através da ingestão de alimentos e de água
ão de
ão de
lime ent tos e de água
lime ent
os e d
os e d e água
água
gua
gua
( (on nde ta
( (onde também existe certa taxa de minerais
nde ta
t
t
m
m
dissolvidos) e, no caso dos vegetais, a obtenção se dá através da absorção da
e dá a
e dá a
avés
avés
és d
és d da absorção da
a abso
a abso
bso
bso
r
ç
ç ão d
ção d
ção d
ão d
água que está no solo.
água
ág
água a a
ág
u u
Alguns minerais e suas principais
ipai
ipai
funções no organismo
O iodo participa da formação
dos hormônios da tireoide,
que estimulam as reações
do metabolismo.
O fósforo é um dos
constituintes dos
ácidos nucleicos
e do ATP.
O sódio e o potássio são
são
são
indispensáveis
para a condução
ra a co
ra a co
du ução
ução
dos impulsos nervosos.
rvosos.
rvosos.
O cloro é importante para a formação
de ácido clorídrico (HC ), um dos
componentes do suco gástrico.
O ferro está presente na molécula de
hemoglobina e é importante para o
transporte de oxigênio no sangue.
O cál
cálcio
e o fósforo participam, juntos,
e o fó
o fósforo pa
oro p
da constituição dos ossos, na forma
da co
constituição o dos o o o
stituiçã
)) ) )
(fosfa
( (fosfato de cálcio).
o o o o Divulgaçãuu
Divulgaçãç o
Divulgação
u
l
a
ç
Divulgaçã
Div
ulgação
a ã
D
çãoçã
Divulgaçãoulgaçulgaç o
l a
Divulgação
iv
u
ç
ã
Divulgaçã
a ão Divv ulgação
10 0000
10
Di vulgavulg ã vulgaçaçção
Coleção Estudo EM1
Col
C C
leçãoleção EE
Divulgação
Divulgação
Divulgação
ivulgação
u u a
l
ç ç
Divulgaçã
Div
iv
ulgação
ulgaçã
ã
Divulgação D
ivulg
i
ç
ã
Divulgaçã o
Di
Di Di Di
Divulgaçãoulgaçulgaç ç
gaçãoa lgaçãoa ç
uulgagaçãoção
Divulgação
u
l
Divulgaçã
Divivi Divulgaçãoivulgação
ã
Divulgação
ç
ã
Divulgaç o ã
D
Divulg ação o
lgaçga ãoo ção
l ção
DiDiv ulgação
Di v
Div vu l a ç
u
lg
gação
ã
Divulgaçã o
D
Divulg a
ivulg ç ão o
Divulgaçã
Divulgação
ç
ã
lga ão
o Divulgaulga
DivulgaçãoDivulgação a
Divulgação
ivulgação
u u a
l a ç
Divulgaçã
Div
iv
ulgação
ulgação
ã
Divulgação
ivulgaç ã
ç
Divulgaçã o
Divulgaçã
Ângelo Carvalho

Di Di Di Di

Composição química dos seres vivos I es v es v os I os I Dentre
Composição química dos seres vivos I
es v
es v
os I
os I
Dentre os diversos minerais encontrados nos seres vivos,
pode-se destacar:
Iodo (I) – É um dos componentes dos s horm
ponen tes do
ponen tes do s hormônios
s horm
ônios
ônios
produzidos pela tireoide, glândula localiz zada
glându
glându
a local
a local lizada na parte
zada
a part
a part
anterior do pescoço, à frente da traqueia e pro
nte da
nte da
raquei a e produtora dos
raquei
e pro
utora
utora
os
os
● Cálcio (Ca) – Sob a sua forma insolúvel, é responsável
pela rigidez das estruturas esqueléticas (ossos, dentes,
conchas de moluscos). É o mineral mais abundante no
corpo humano, constituindo cerca de 1,5% do total da
massa corporal e concentrando-se nos ossos sob a forma
de fosfato de cálcio. Por isso, a carência desse elemento
pode comprometer a formação dos ossos na infância,
caracterizando o raquitismo, e, na fase adulta, pode
causar osteoporose.
hormônios T 3 (tri-iodotironina) e e T
ronina
ronina
e T
(t te traiod
(t
etraiodotironina ou
traiod
tironi
tironi
ou
44
tiroxina), que estimulam as reações s do metabolismo em
m as
m as
açõe
açõe
do me
do me
abolis
abolis
o em
o em
todo o corpo (metabolismo geral). Para produzir esses
boli
boli
g g
l). Para produzir esses
Pa
Pa
rod
rod
es
es
hormônios, a tireoide necessita de iodo,
ide ne
ide ne
essita
essita a de iodo,
e iodo
e iodo
por is
por isso, dev
por is
por isso, deve-
o, dev
o, dev
mos ingerir sais de iodo nos alimentos.
e iodo nos ali
e iodo nos ali limentos.
entos.
entos.
Os alimentos
Os alimentos mais
Os alim
Os alim
entos
entos
ricos em sais de iodo são aqueles originários
e iodo
e iodo
ão aq queles originários
ão aq
les ori
les ori
inário
inário
d
do ma
do mar e os
do ma a a
vegetais terrestres plantados em
estres planta a
estres planta a ados em
os em
os em
áreas lito
áreas litorâneas, pois
reas li
reas li
torâne e e
torâne
quanto mais próximos
s próx mos
s próx mos
a ao a a
a ao
litoral, mais rico
litoral, mais ricos em iodo são
litoral
litoral
mais r
mais r
cos em
cos em
m
m
os solos e, consequentemente, os vegetais ali plantados.
, cons
, cons
quent temente, os veget tais a al
quent
nt
nt
mente
mente
os veg
os veg
tais a al
Sob a forma iônica (Ca 2+ ), o cálcio participa de importantes
reações do metabolismo, como a contração muscular e
a coagulação sanguínea, sendo necessário também para
a transmissão de impulsos nervosos. A taxa reduzida
desse íon no plasma sanguíneo (hipocalcemia) pode
acerretar um retardamento da coagulação do sangue e
um mau funcionamento dos músculos. Leite e derivados
(queijo, iogurte, etc.), grãos de cereais, legumes, nozes
e sardinha são alimentos ricos em cálcio.
Fósforo (P) – Juntamente com o cálcio, sob a forma
de fosfato de cálcio, Ca 3 (PO 4 ) 2 , participa da formação de
o de
o de
estruturas esqueléticas. Na forma de íon fosfato (P POPO
3–3–
)) ),
44
participa da formação das moléculas dos ácidos nucleicos ss
ucleic
ucleic
(DNA e RNA) e do ATP. Leite e derivados, carnes, peixe
es, pe
es, pe
xesxes
Fig u a 6. A fal
Fig
Figura 6. A falta de sais de iodo em nosso organismo ocasiona
a 6. A
6. 6.
alta d
alta d
de s
de s
e
cereais são alimentos ricos em fósforo.
o o
o
m au fu
mau funcionamento da tireoide, que, então, passa a produzir
au fu
au fu
au fu unc io ona am n
io ona am n
Ferro (Fe) – Os sais de ferro formam o íon
Fe
Fe
2+2+
, q ue
ue
pa
p p ar-
pa
taxas men nores s d
taxas menores de hormônios, caracterizando um quadro conhecido
axas m
axas m
xa
xa
nores s d
ticipa da constituição da molécula de hemoglobina,
oglobi
oglobi
a, co
a, co ntid da
cont
cont da
por hipotireoidismo. Esse quadro ocasiona, além de uma redução
por hipotir eoid
por h
por h
or
or
tire eoid
tire
no sangue de muitos animais, responsável pelo transporte
vel
vel
tr ansporte
tr
ort
ort
das atividades metabólicas do organismo, a formação do bócio
das
das
das ativid a a
tivi
tivi
de oxigênio (O 2 ) no organismo. A carência de ferro acarreta
ncia de ferro
ncia de ferro acar rre eta
ro a
ro a
rre eta
(“papeira”, “papo”), que consiste no aumento exagerado do volume
(“
(“ pap pei eira”,
pei eira”,
na diminuição da taxa normal de hemoglobina, caracteri-
emogl
emogl
bina
bina
na, cara
na, c
c
ract
ract
acte
acte ri ri
da tireoide. Para evitar o bócio, que ocorria de forma endêmica em
a tir
a
a tir
ireoi
ireoi
zando um tipo de anemia conhecida por anemia a
a por
a por
nem
nem
mia
mia
fer opri
ferropriva
errop
errop
opri va .
alg
algumas áreas do nosso país, tornou-se obrigatório por lei que as
alg
a
lgum
lgum
Carnes, vísceras, espinafre, couve, brócolis, feijão e ervil ilha
ve, bró olis
ve, bró olis
is, fe
is, fe
feijã ão e er
ão e er
e e
e e rvil ilha
ha
ha
indústrias de sal de cozinha acrescentassem ao seu produto certo
indú
indú
são alimentos ricos em sais de ferro.
ee ferroferro
percentual de iodo.
pepe
Magnésio (Mg) – Sob a forma
form
form
iô ônic
iô ônic ca
M g g
Mg
Mg
2+2+
22
, , ,
pa articip
participa a a
articip
arti
arti
das reações de fosforilação que e e
ção q
ção q
sint
s sintetizam
s sintetizam
sint
zam
zam
o ATP e
o ATP e
ATP e
ATP e
da a
d a
da
da
Cobre (Cu) – Na forma iônica Cu 2+ , o cobre participa
manutenção da estrutura do ribossomo, organela celu-
ibossomo, organela cel
,,
na constituição da molécula de hemocianina, pigmento
lar responsável pela síntese de proteínas.
íntes
íntes
de proteínas.
de pro
de pro
ínas
ínas
as.
as.
Nas plan
Nas plantas,
Nas pl
Nas pl
constitui as moléculas de clorofila, ,
las de clorofila, ,
las de
lorofil
lorofil
ofil
ofil
su bs â ncia
sub
sub
su bs â ncia
substância re
substância respon-
respiratório de cor azul, encontrado no sangue de alguns
animais (crustáceos, aracnídeos e moluscos), cuja função
sável pela absorção da luz necessária
ão da
ão da
luz necessária
uz ne
uz ne
nec ces ssár
nec
ssár
sária
sária
à reali
à
à
à à realização da
reali
realiz
é
transportar oxigênio pelo organismo. Fígado, carnes
fotossíntese. Carnes, cereais e vegetais verdes em geral
rnes, c
rnes, c ereais e vegetais verde
reais e e
reais
veg
veg
egeta a
egeta
s s s verd
s verd
e
são importantes fontes de
es font tes de mag gné
es font
s de m
s de m
gné
nési
nési
frutos do mar estão entre os principais alimentos que
contêm cobre.
Sódio (Na)
–– So
So
ob b
a a
a for
for
forma de Na a a
a de N
a de N
++
, é e essencial para a
, é e e
condução dos impulsos
dos im
dos im
mpulsos
ulsos
ulsos
nervosos. Também exerce papel
nervosos. Tamb
rvoso
rvoso
. Tam
. Tam
Flúor (F) – Importante para a formação dos ossos e do
esmalte dos dentes. É encontrado na água e em alguns
importante na
nt
nt
manutenção do equilíbrio hídrico (osmó-
manutenção do equilí br
m m
t t
en
en
d d
o o
il il br
alimentos (peixes e chás, por exemplo). Em regiões onde
tico) das células.
das cé
das cé lulas.
ulas.
ulas.
O cloreto de só ódio (
O cloreto de sódio (NaCl), também
clore
clore
o de s
o de s
ódio (
o
teor de flúor na água destinada ao consumo da popu-
conhecido por sal
hecido
hecido por sal
por sal
por sal
de cozinha, é uma das principais fontes
de cozinha, é u ma da
de cozi
de cozi
ha, é u
ha, é u
ma da
lação é baixo, deve-se adicioná-lo à água potável nas
desse mineral para o nosso organismo.
sse m ineral para o nosso or ganism
sse m
neral
neral
ara o
ara o
osso o
osso o
ganism
Potás ss sio
Potá
Potá
sio
(( K) )) ––
A A
Assim
im co
im co mo o sódio, os íons K + têm
com
mo o s
mo o s
estações de tratamento (fluoretação) a fim de reduzir a
incidência da cárie dental. O excesso de flúor, entretanto,
acarreta a fluorose, doença que provoca lesões ósseas
imp portante
imp portante
rtante
rtante
papel
papel
papel
papel
na condução dos impulsos nervosos
na con dução
na con
na con
dução
e
manchas nos dentes.
e e na manutenção do equilíbrio hídrico. Ao contrário dos
e
na manutenção do eq uilíbrio
a man
a man
utençã
utençã
do eq
do eq uilíbrio
íons Na
nsns NaNa
+
, ,
, a co
a concentra
a co
centra
centra
ração dos íons K
ão do
ão do
+
é maior no meio
intr
intr
intracelular. Carnes s, leite, verduras e muitos tipos de
ula
ula
arn
arn
fruta
fruta
tas são im porta antes fontes de potássio.
são i
são i
porta
ta
ta
Cobalto (Co) – Constituinte da vitamina B 12 , participa
da produção das hemácias. Carnes e laticínios estão entre
as suas principais fontes.
●●
CC
Clor
roro
(C
(C
C
ll) )) ––
OO OO
Cl – é outro íon com importante papel no
equilíbrio o hídr rico. Além disso, no estômago de muitos ani-
quilíbr
quilíbr
o hídr
dri
dri
mais,
mais,
mais,
partic
p
partic ici
ici
cipa da formação do HCl (ácido clorídrico), um
dos s
dos
c
comp po
comp
po
onentes do suco gástrico, que atua na digestão
d d dete
de
d
dete er rminados tipos de alimentos, em especial aqueles
er
ivulgação Divulgação
que
ue
ue
s sã s
ão ricos em proteínas. Uma importante fonte de
clor ro para o nosso organismo é o sal de cozinha.
o orooro o
o Divulgação
Enxofre (S) – É um dos componentes dos aminoácidos
cistina e metionina, os quais participam da estrutura
de proteínas. Está presente, também, nas vitaminas
B 1 (tiamina) e B 8 (biotina). Sua deficiência retarda o
crescimento. Alho, amêndoa, aveia, cebola, couve,
carnes, ovos, peixes, leite e derivados são alimentos
ricos em enxofre.
D iv g a
Divulgação o
Divulgação Divulgaç
D v
g
o
D ivulgação
Divulgaçã o
D u
iv lg
a
vulgaçãovulgaçã
Divulgação D
u
l a
ão
l a
g
ã
o
ivulgação o
v
u
g ç
a
D vul
Divulgação Divulgação
D
iv i g a
g a
o D
o
Editora Bernoulli
i
11
Divulgação o
iv l a
u
Divi Divulgaçãov ulgaçãoulgaçã DiDivulgação
v
u g a ç o D u a
Divulgaçã o
i
lg
Divulgação
D Divulgação o
l ç ã
g
a
a o o
a ão
gação
a o o
g g a ção
l ação
Divulga
D
i
iv u
Divulgaçã o
v
D ivulgação
Divulgação o
D u
iv
g a
ivulgação o
v
u
g ç
a
Divulgação
D u
iv lg
a
Divulg ç ã
u
Divul
D
l
l l g a o o
g
çã
ã
ivu g ação o i l
u l lg a o
lg açãoo
lgação
i u u
l ação
Div
vu l
ç
D vulga
Divulgaçã
D
iv iv
Divulgaçã o
D u
iv lg
a
D
Divulg
ivulga
ã
o
Divulgação o
D u
iv lg a
D Divulgação o
v
g
a
ã
v
u
g ç
a
o
lgação
ã
i ulgga
Divulgação
ivulgaçã
l a
ç
ã ã
Divulg ação
Divulg ção
i u l
u
Divulgação o
D u
iv lg a
Divulgaçãoivulgação
D
ivulgação
v
u
g ç
a
o
Divulgaçã o
D
ivul açã
Creative Commons
Biologia
Frente A Capítulo 1 Exercícios de Fixação 06. (VUNESP) Em uma criança, foi constatada, por
Frente A
Capítulo 1
Exercícios de Fixação
06.
(VUNESP) Em uma criança, foi constatada, por meio de
08. (PUCPR–2009) Os sais minerais, encontrad dos no
erais,
erais,
contra ados nos mais
contra
dos no
mais
mais
exames, anemia provocada por deficiência alimentar.
variados alimentos, desempenham
penha
penha
função
funçã ão
funçã
importante na
impo
impo
ante n
ante n
O médico receitou medicamentos à base de ferro. Com
saúde do homem. Eles podem estar disso
de
de
ar
ar
solvidos na
vid
vid
for
for
forma de e e
essas informações, responda:
íons nos líquidos corporais, formando
is, for
is, for
ando
ando
cristais
c cr
c
stais en
stais en
encontrados s no
ontrad
ontrad
s no
esqueleto, ou ainda combinados com
ombin
ombin
dos co
dos co om
moléculas
moléculas orgân
moléc
moléc
las org
las org
nicas.
A)
Que tipo de anemia poderia ter a criança?
A alternativa que relaciona a a
elacion
elacion
CORCOR RETAMENT TETE
TAMETAME
o sal
o s
s l mine eral
l mine e e
B)
Qual a importância do ferro no processo em questão?
com sua função no orga anism
no or
no or
anism
m
m o
é
é:
é:
A) – participa dos
K
ipa do
ipa do
horm
horm
m ônios da
m
ios da
ios da
tireoide.
reoide
reoide
07.
(Unicamp-SP) A adição de iodo ao sal de cozinha foi
B) – constitui, juntamente com
F
stitui,
stitui,
untam
untam
m m
mente com
nte co
nte co
o Ca, o tecido ósseo e
o Ca,
o o
Ca, o tecid
Ca,
tecid do
t
do
estabelecida por lei governamental, após a análise da
os dentes.
ss
principal causa da elevada incidência de pessoas com
C)
P
– participa da
parti
parti
pa da
pa da
constituição da hemoglobina, proteína
constituição da hemoglo
nstitu
nstitu
o da h
o da h
mogl
mogl lo lo
bócio (também conhecido como papo ou papeira) no país.
encontra ada na a
ncont
ncont
ada na a as
hemác
hemác
hemácias s.
s.
EXPLIQUE, do ponto de vista fisiológico, por que essa
D)
CC
ll
– fortalece
ortalec
ortalec
ec ce
ec
os oss
os oss
os ossos e os den ntes e
os ossos e os dentes e e
e os d
e os d
ntes
previne as cáries.
medida deu bons resultados.
E
E)E)
Ca a
Ca
– – –
aux xi xilia na
aux xi
na
na
co
co
coagulação san
gulaçã
gulaçã
san
gg gugu uínea.
3. Vitaminas
avitaminoses e, geralmente,
avita
avita
inos se
inos se es e, geralmente,
e, g er
e, g er alm en t
m
m
en t
t têm como causa a deficiência
têm
têm
m
m
nutricional
ricio
ricio nal
ali
alimentar. Por outro lado, quando há excesso
alimentar. Por out
ali
ali
ali
nta
nta
tar.
tar.
r ou
r ou
de determinada a
e det te
e det te erminada
mina
vitamin na, fa al
vitamina, fala-se em hipervitaminose, que
vita am
vita am
- -
As vitaminas
são substâncias orgânicas de
natureza quí -- -
natur ezaeza quíquí
natur ezaeza quíquí
naturnatur eza quí -- --
naturnatur ezaeza quí-quí-
naturnatur eza quí-
naturnatur ezaeza quíquí
também pode acarretar distúrbios no organismo. O excesso
tamb ém pode acarreta ar dis ist úr
tamb bé
m pod
m pod de a a acarr
a acarr
ar
ar dis ist úr
mica diversificada, como hidrocarbonetos, ácidos orgânicos
os,os,
dede vit tami in
ee vv
tami in na a
D,
D,
po
po
p
p
or
or
exem
exem
e exemplo, pode determinar calcificações
m m
lo lo
amidas, aminas, etc.
gr raves em
ves e
certos
cer
certo
certo
órgã ão
órgã ão s.
órgãos.
s.
NH 2
A
A
A A
classificaç
c c
classificação das vitaminas é feita de acordo com a sua
assi
assi
ssific
ssific
ção d da
ção d da
ã ã
+
N N
S
sol lu ubilidade em água ou em lipídios. As vitaminas hidrosso-
sol lu ubilidade em
ilidad
ilidad
da
da
e
em á ág
á ág
a a
Figura 7. Fórmula estrutural
rut
rut
da
da
da
da
lúveis compreendem as vitaminas do chamado complexo B
veis compree n n
co
co
H 3 C
N
H 3 C
vitamina B1 (Tiamina) e seu
amin
amin
)
)
e
e
s eu
s
e a
e e
e a
vit
vit ami ina a
vitamina a
vita
vita
ina
C C. C No chamado complexo B, estão incluídas
OH
grupamento amina.
ina.ina.
di i iversa
diversas vitaminas que, embora tenham fórmulas diferen-
i iversa
r r
s s vi vita
s vi vita
tes, têm origem quase nas mesmas fontes e desempenham
tes, t
tes, tê
tes,
tes,
t êm ori
êm ori
O
nome vitamina, usado pela primeira vez po
ira vez
ira vez
po or C
p or Casi
C simir
simir
papa
pp ap
éé é
is s s
is
m uito parecidos no organismo. Fazem parte desse
m
Funk (químico polonês), está diretamente relacionado o
mente
mente
rela lacio
rela lacio iona ado o
ado
à à à
c c m plex
co
m
plex
exo várias vitaminas, como B 1 , B 2 , B 3 ou PP, B 6 , B 12 ,
descoberta dessas substâncias. Em 1911, Funk k
1911,
1911,
Fu unk
Fu unk
de escobr
descobriu u
escobr
cob riu u
cob
H, H,
H , ,
P, e
P, e entre outras. As vitaminas lipossolúveis compreendem
uma substância imprescindível para certos s
a certo
a certo s
proc cessos vita
processos
p p
proc
sos vi
sos vi
os
os
vitai is.
is.
asas vv vitaminas A, D, E e K.
Sua análise química revelou ser esta uma amina, uma
esta u
esta u
a a amina, uma
a a am
a am
a, u m
a, u
, ,
m
v
vez
vez
que possuía em sua estrutura o grupamento amino (–NH
gr
gr
mento amino (–NH
en
en
in
in
N N
).
2
Por isso, Funk passou a chamar tal substância de vitamina,
ar tal s
ar tal s ubstância de vitamina,
bstân
bstân
a de e v
a de e v
amina
amina
que significa “amina da vida”. Posteriormente, outras subs-
”. Post
”. Post
eriormente, outras subs
riorm
riorm
me
me
te, , ou ut
te, , ou
ras su
ras su
ra
ra
tâncias com propriedades semelhantes àquela descrita
semel
semel
hantes àquela descrita
ante es àq quel la
ante es
quel la
de escrit
escrit
por
Figura 8. As vitaminas estão distri-
buídas em diversos alimentos de
origem animal e vegetal. Assim,
Funk foram descobertas. Entretanto, a a
s. En
s. En
tretanto, a a
etant
etant
a análise química
a
an
an n
análise qu
li li
lise
lise q
q
delas mostrou que nem todas possuíam em
m tod
m tod
as possuíam em
s poss
s poss
íam e
íam e e e
sua e
sua e
s sua e
s sua estrutura
molecular o grupamento
ento
ento
amino.
amino.
mino.
mino.
Por essa pers
Por essa perspectiva, a
or es
or es
a pers
a pers
designação vitaminas para se referir a
nas p ara se referir a
nas p
a se
a se
ferir
ferir
todas
todas
todas
todas
elas não é
correta, mas foi consagrada pelo uso
co
co
grada pelo uso
ra
ra
elo
elo
e,
e,
e,
e,
por isso, é aceita e
por iss
is
iss
amplamente utilizada .
tilizad
tilizad
As vitaminas,
minas,
minas,
apesa
de se
de serem substâncias requeridas
de serem sub stânci
m su
stânci
pelo organismo o
nismo
nismo
em pequenas
em pe
quena
quantidades (menos de 1%
quantid dades
quanti
dades
da massa total do corpo), são indispensáveis. Isso porque a
sa tota
sa tota al do corpo), são indisp ensáv
do co
po), s
indis
ensáv
maioria delas atua
ia dela
ia dela as atua
s atua
como coenzima
omo c
enzim
ou pa
ou parte de uma, colabo-
ou pa
rando para
do
do par ra
par
o func
o funcionamento de muitas enzimas, substâncias
funcionamento de
onam
to de
muitas
muitas
que são o
sãosão
indispensáveis para
ndisp
ndisp
sáve
sáve
para
para a
as reações do metabolismo.
s rea
s rea
Assim, na ausência de
Assim
Assim
m, na ausência de
na au
ncia d
vitam
vitaminas, as enzimas que necessitam
uma dieta balanceada nos for-
nece a quantidade diária ideal de
vitaminas, para evitar quadros de
avitaminoses e de hipovitaminoses.
É bom ressaltar que, hoje, as
vitaminas também são pro-
duzidas de forma sintética
em laboratórios, o que
tornou possível a
correção des-
ses quadros de
forma rápida e
econômica.
dela
dela
não e
não exercem su uas f funções, gerando prejuízos para as
rcem
cé élulas e para o org ganis smo.
las e p
ra o o
Dep
Dep
ependendo o do t tipo de vitamina, sua carência provoca
ndend
ndend
o do t ti ti
distú
distúrbios de
distú
bios de
bios de
maio or
m
maio
or
r ou menor gravidade. A carência total
de e
de
uma dete
ma de
ma de
termi
termi inada vitamina no organismo constitui
min
min
ivulgação Divulgação
u uma u avitam
a avit
a avit
mino os
mino os se, e a carência parcial constitui uma hipo-
m m
As hipovitaminoses são mais comuns que as
o Divulgação o Divulgação
Divulgação
D u
i
lg
a
o
Divulgação
v
ç
Div
D
ulgação
o
Divulgaçã
v
vulgaçã ã
vulgação i l
D u
iv lg ç
a
o
Divulgação
v l
ç
iv lgaçã
o Divulgação
g ç ç ã D
12 2222
12
C C
Col
Coleção Estudo EM1
leçãoleção EE
D
Divulgação o
i i l a
u
lg
D v lg a ã o
Div
ulgação
g
a
o
Divulgação Divulgaçã o
ivulg ç
v l
v
Di
Di Di Di
Divulgação o
v
u
g
Divulgação
Divulgação o
D
iv lg ç
u
a
D u u u aç o
gaçãoa lgação
ç
a ão
Divulgação
Divulgação
i iv i lg a
Divulgação
Div
D v g a
ulgação
o
Divulgação
v
ç
Divulgaç o ã
v
Divulgação o
D
iv lg
u
Divu lg a o
D u
iv
lg çã
g
ç ç
v lga ã
lg ação
a
Di
vu lg ç ç
v
ulg
Divulgaçã ã
D
i
ivu a ção D D i
g
a
o
D Di
Div
ulgação
g a
o
Divulgaçã o
v
Divulgação o
D
ivulgaçã
iv v lg ç ç
u g
Divulgação
Divulgação o
D u
iv lg ç
u
a
Divulgação
ç
D ulgação
iv lgaçã
lga ão
ã
Divulgação
D
ivulgação
v
lg a ã
g ç
Divulgação
i
v
l
ç
Di u u g ã
v
ulgação
a a ã
Div
D
ulgação
g a
o
Divulgação
ivulgaç ç
Divulgaçã o
ivulgaç
Ângelo Carvalho

Di Di Di Di

Composição química dos seres vivos I es v es v os I os I Dependendo
Composição química dos seres vivos I
es v
es v
os I
os I
Dependendo da fonte alimentar, as vitaminas podem ser
encontradas já na forma ativa, prontas para serem absor-
vidas e utilizadas pelo organismo, ou também na forma
de provitaminas, isto é, numa forma precursora, ainda
não ativa, que precisa ser transformada em nosso orga-
nismo para poder ser utilizada. O caroteno, por exemplo,
encontrado nos vegetais, especialmente os que possuem
coloração amarela ou alaranjada (cenoura, mamão, laranja,
em nossa pele e mucosas, bem como
, bem
, bem
como
como
a a do
a a
do
do
tecido
ecido
ecido
epitelial glandular, também depende da a vita
m de
m de
ende d da vitamina A.
ende d
a vita
mina A
mina A
A carência dessa vitamina torna a pe ele ás
ina to
ina to
a a p ele áspera, com
a a p
ele ás
era, c
era, c
m m
descamações e erupções, que, geral lmente
es, qu
es, qu
, gera
, gera almente, aparece
lmente
, apar
, apar
cem
cem
primeiro nos membros superiores e, depois, se
s sup
s sup
iores
iores
, dep
, dep
is, se
is, se
est
sten
sten
--
dem por todo o corpo. Nas glândulas lacrimais, pode
rpo.
rpo.
as g
as g
ndulas lacrimais, pode
ulas
ulas
crim
crim
, po
, po
acarretar atrofia, que resulta em uma
que r esulta
que r esulta
em uma
m um
m um
dimin
dimin
diminuição
diminuição
uição
uição
da
produção de lágrimas com consequente ressecamento
rimas com c
rimas com consequente
c
nsequ
nsequ
nte res
nte res
ress secam
secam
m m
etc.) é a provitamina A, que em nosso organismo éé é é
formada em vitamina A.
trtrtrtransansans
transtranstrtrtr
trans
tr
ansansansans
ans-ans- -
ans- ---- --
da córnea, causando a chamada
ausan
ausan
o a c
o a c chamada
amada
amada
xeroft
xeroftalmia a
xeroft
xeroftal
almia
almia a
(“olho
ressecado”), que resulta em ulcerações,
que r
que r
sulta
sulta em ulcerações,
m ulce
m ulce
ções,
ções,
pe erda d d
perda da trans-
erda
parência da córnea e, em casos extremos, a cegueira.
a córn ea e, , em casos extrem
a córn ea e, ,
m caso
m caso
extre
extre
mos, a a a
mos, a
Por essa razão, a vitamina A também
razão
razão
a vita
a vita
ta
ta amina A também
ina A
ina A
mbém
mbém
é con n n
é con
é é conhecida como
a
vitamina antix ixeroixero
inaina aa
ro oftálmica.
ro
lmica
lmica
Coroide
CoroiCoroi de
Esclerótica
Córnea
ReRetiti tintin ina
Retina
Pupila
NN Nervo óptico o
rvo óp ptico o
rvo óp
óp
óp
Figura 9. O ergosterol e o 7-deidrocolesterol são dois exemplos
Íris
de provitamina D, que na nossa pele, por ação dos raios solares,
são transformados em vitamina D ativa. O ergosterol é produzido
zido
zido
Cristalino
pelos vegetais e absorvido pelo ser humano quando ingerido. O
rido. O
rido. O
Ângelo Carvalho
Ân
Ân
elo Carvalho
C
Carvalho
ho
ho
7-deidrocolesterol é um derivado do colesterol encontrado nas s s
rado n
rado n
secreções das glândulas situadas na nossa pele. Apesar desse
esaresar dd
ssesse
Figu ur
Figu ur a
Figura 10. A córnea (localizada na camada mais externa e
10.
A córne
c
córne ea
ea
( (
efeito benéfico, é preciso ter certos cuidados ao expor a pele
expor
expor
pele
pele
e e
anterior do olho) e a retina (camada mais interna do olho) são
ant te rior do
ant rior do o ol lho) ) e a
or d
or d
lho) ) e a
ao Sol, como usar protetor solar e evitar o período de maior
íodo d
íodo d
mai
mai or
aior
aior
estruturas
e tru
e tru
rutur ras
rutur
qu
que d p
qu
que d p
que dependem da vitamina A.
incidência dos raios UV, compreendido entre 10 h e 16 h.
0 h e
0 h e
h. h.
Al Al
Além disso, em nossos olhos, a vitamina A também é
lém
m di diss
m di diss
As necessidades diárias de vitaminas podem variar de
ode
ode
ari ar de
ari
u um
u um
ne
ne
necessári
necessária para a síntese de rodopsina, pigmento indis-
indivíduo para outro e em um mesmo indivíduo, conforme seus
víduo,
víduo,
onf for rme e se
onf for
e se
us
us
pe ns sáv vel
pe ensável para a visão em locais de pouca luminosidade,
en
en
sáv vel
hábitos de vida. Em algumas situações, o organismo poderá
s, o or gani nism
s, o or gani nism
mo pod
pod
ode
ode erá
p
p pois aumenta a sensibilidade da retina à luz. A rodopsina é
oi
ois
ois au
au
precisar de um aumento das necessidades vitamínicas.
idades
idades
vita mínic icas.
vita
tam
tam
icas.
Iss
I I
so o
so
o
formada por uma proteína (opsina) e um radical, chamado
for rma
for rma
f
acontece, por exemplo, quando há um trabalho musc cu ular
há um
há um
tra
tra
rabal
rabal
alho o mus
o mus
mus
mus
ular
ar
ar
retin
rr
retin
ineno (retinol), derivado da vitamina A. A falta dessa
intenso e prolongado, gravidez e lactação, na a
lacta
lacta
ão, , na
ão, , na
fase de e
fa ase de
ase de
e d
e d
cr r resc
cr r resc
sci
sci
--
vitvit itamina, portanto, acarreta ausência de rodopsina, o que
mento e da dentição, na recuperação após uma doenç ça, etc
eração ap pós u uma doença, etc.
eração ap pós u
ma do
ma do
a d
a d
ça,
ça,
ça, etc
causa hemeralopia (cegueira noturna).
Certos cuidados também precisam
pr
pr
isam
am
am
ser tomados par
ser tomados para
r to
r to m
to
to
os
os
Luz
que os alimentos não percam seu valor r
rcam
rcam
eu valor r
eu va
eu va
vita
v vitamínico, u
v vitamínico, uma
vita
ínico
ínico
ín
ín
RODOPSINA
RETINENO + OPSINA
vez que algumas vitaminas são o
nas sã
nas sã
facilm
facilmente
facilmente
facilm
nte
nte
te
te
d destruídas
d destruídas pelo
struíd
struíd
Obscuridade
calor e pela exposição prolongada a
prolo
prolo
gada a
ada
ada
a ao
a ao o
ox
ox
oxigênio do ar. Como
oxigênio do ar
oxig gê
oxig êni io do
io do
regra geral, para preservar ao máximo o
servar
servar ao máximo o
o má áx im
o má áx
o o
o o
v v
valor vitamínico de
valor vita
lor
l
lor vit
vit
verduras e legumes, estes devem ser, preferencialmente,
es, est
es, est es devem ser, prefere
s dev
s dev
m s ser,
m s ser,
pr
pr
prefer
prefer
consumidos crus ou cozidos por
ou coz idos por
ou coz
os por
os por
pouco tempo. O
pouco tempo. O líquido resul-
ouco t
ouco t
empo.
empo.
m
m
tante do cozimento pode ser
ento
ento pode ser
de se
de se
utilizado para
utiliza
utilizado para fazer sopas ou
utiliza
o par
o par
Na presença de luz, a rodopsina é desdobrada em
retineno e opsina. Na obscuridade, ocorre a síntese da
rodopsina. A síntese desse pigmento visual depende de
retineno, cujas fontes são as moléculas de vitamina A.
caldos, de modo que as vitaminas
do qu
do qu ue as vitaminas
s vit
s vit
inas
inas
nele pre
nele presentes não sejam
le pr
le pr
perdidas. Os vegetais
Os ve
Os ve
etais
etais
etais
para salada e as frutas só devem ser
para salada e as fruta
ra sa
ra sa
da e
da e
fruta
cortados na hora de serem servidos
na ho ora de serem servidos
na ho
ra de s
ra de s
erem s
erem s
rvidos
rvidos
para e
p para evitar a oxidação
para e
destrutiva de e
tiva de
tiva de
suas vitaminas pelo contato mais prolongando
suas v
suas v
suas vitaminas pelo co ontato
tamin
tamin
pelo c
pelo c
ontato
Para refletir
com o oxigê ênio d
o oxig gênio do
o oxig ênio d
ar.
a
ar.
Em diferentes situações, somos capazes de perceber os efeitos
Den tre as vitaminas conhe cidas,
Den ntre as vitaminas conhecidas, citam-se como princi-
re as v
re as v
itamin
itamin
s conh
s conh
cidas,
das reações da síntese e do desdobramento da rodopsina em nossa
pais a
pais a
pais as
a seguint
segui
segui
ntes:
ntes:
retina. Considere as seguintes situações:
●●
Vitamina A (axerof
itam
itam
aa AA ((
erof ftol, retinol) – É encontrada prin-
erof
l,, l rere
I.
Quando entramos numa sala de projeção em que o filme já tenha
cipalmente
cipa
cipa
ente
ente
no leite e e derivados, gema do ovo e óleos de
leit
leit
começado, costumamos ficar temporariamente “cegos”. Entretanto,
fíga ado de pei
fíga
o de p
o de p
ixes.
Nos vegetais, como mamão, cenoura,
após alguns segundos, a nossa visão torna-se mais nítida.
ab
ab
abóbora e
bora
bora
outr
outr ros de coloração amarelo-laranja, ela é
tro
tro
II.
Quando passamos rapidamente de um lugar escuro para outro
encontrad
ncontr
ncontr
ada s so
ada s ob a forma de provitamina A (caroteno).
so
muito claro, é comum os nossos olhos ficarem temporariamente
Essa vit itami ina colabora para o crescimento de animais,
Essa
Essa
itami
min
min
ofuscados durante alguns segundos até a nossa visão se nor-
incl
incl clus sive e e
sive
o o o homem, estimulando a ossificação através
malizar.
d da d
sínt tes
s
sínt
tes
ese da substância que faz parte da matriz óssea
Por que na situação I ocorre uma “cegueira” temporária e, na
(su bstância intercelular do tecido ósseo). A integri-
ubs
ubs
bstbst
ã Divulgação
situação II, um ofuscamento?
dad de do tecido epitelial de revestimento encontrado
a adeade a
Divulgação
iv lg ç
u
a ã
Divulgação o
i
u
l
ã
Divulgação
Divulgação
i
u
lg ç
a ã
Divulgaçã o
iv lg
u
a
vulgaçãovulgaçã
Divulgação D u a ã
v
u
a ç o
i
l
ç o
ã Divulgação
u a a ã
i u u l
Divulgação Divulgação Divulgação
Divulgação
iv i l a
u
lg ç
a ç
Editora Bernoulli
13
Divulgação o
v
u
a ã
ç
ivulgaçã
v
Divulgação Divulgaçã o
i
ivulg ç
u
lg
a ã
iv
u
lg
a
Divulgação
D Divulgação o
i
l
ç
ç ç
lg ç ç ç
gação
l ação
iv u u u
a ã ã
Divulgação o
v
u
ç
ã
Divulga o
iv iv g g çã ã
a
Divulgação
v
g
Divulgaçãovvulgaçãgaçaçaç
ã o ãoãã
Divulgação
i
u
lg ç
a ã
Divulgação
iv
u
lg
a
Divulgação
u
l
a ã
ç
Divu lg l ga ç ç o o
D u
i
l
ã
l ação
lgação
l ação
Div vu ul l g
Di
ga ç oo
ulu lgalgaççã
Divulgaçã o
iv
u
lg
a
D
ivulgação
ivulgação
i u
u
l
a ã
ç
Divulgação o
u
ç
ã
Divulgaçã o
ivu u g
iv iv u
DDiivulgaçv Divulgaçãivulgaçulg
D Divulgaçã o
i
u
l
a ã
ç
Divulgação
i
u
lg ç
a ã
lgação
i ulgga
Divulgação
Divulgação
lg
a
ç ç ã
ã
D Divulgaç
Divulgaç ãooooo
l
g
Divulgação o
u
ç
ã
Divulgação
i ivulgaç ã
u
lg ç
a
Divulgaçã o
iv
Creative Commons
Biologia
Frente A Capítulo 1 ● Vitamina B1 (tiamina) – Essa foi a primeira vitamina descoberta
Frente A
Capítulo 1
● Vitamina B1 (tiamina) – Essa foi a primeira
vitamina descoberta e suas principais fontes são
lêvedos, cutículas de cereais (arroz, trigo, etc.), soja,
feijão, fígado, peixes, ovos, leite e derivados. Atua
como coenzima nas descarboxilases, enzimas de
grande importância nas reações da respiração celular
realizadas a partir da glicose. Como o tecido ner-
voso é extremamente dependente da glicose como
fonte de energia, a carência dessa vitamina provoca
polineurite e, consequentemente, atrofia e paralisia
dos músculos. Esse quadro clínico caracteriza a avita-
minose conhecida por beribéri, fazendo da vitamina B 1
a vitamina antiberibérica. Essa doença, além de causar
● Vitamina B8 ou H (biotina) – É encontrada pri rincipa
encon rada p rincipal-
encon rada p
rincipa
mente nos legumes, frutos, ovos, fígado, leite e
, fígad
, fígad
leite e
leite e
derivado os
deriva
deriva
os
e
no lêvedo. Sintetizada por bactérias da no ossa m
bactér
bactér
s da nossa
s da n
n
ossa m
mic icro
icro
--
biota intestinal, preserva os epitélios de
s epit
s epit
ios de
ios de
revestimento
revest
revest
mento
mento
(pele e mucosas) e contribui para evit tar a queda dos
bui p
bui p
a evit
a evit
r a q
r a q
da d
da d
pelos. Sua carência pode causar derma atite generalizada
cau
cau
r der
r der
tite g
tite g
erali
erali
da
da
e alopecia.
● Vitamina B9 (ácido fólico
o fóli
o fóli
o)o) –– Recebeu o nome ácid d d
Recebeu o nome ácido
cebeu
cebeu
o nom
o nom
ácid
fólico porque foi encontrada primeiramente nas folhas
encont ada p p
encont ada p primeiramente p nas
meira
meira
ente n
ente n
as folh
as folh
lh
lh
dos vegetais. Entretanto,
ntreta nto,
ntreta nto,
também
ta
ta
ta
ta
também
mbém
mbém
está pre esente
está presente em
stá pr
stá pr
esente
te
te
alimentos de origem animal, como fígado, coração e
orige
orige
anim
anim
m
m
mal, como fígado,
l, com
l, com
fígad o, cor
fígad o, cor
ora
ora
rins de bovinos. Além disso, é sintetizada
os. Al
os. Al
m diss
m diss
ss so, é sintetizada
ss
, é sint
, é sint
tizada
tizada
p
por numerosas
por nu
por nu
nu
nu
bactérias, inclusive as s
lusilusi
da nossa microbiota ii inin
dd da nossa microbiota intestinal. É
ossaossa
crobcrob
polineurite e profunda fraqueza muscular, que impede
necessária para a formação dos ácidos nucleicos, uma
ria pa
ria pa
a a fo
a a fo o ormação dos ácidos nu
o
mação
mação
os ác
os ác
dos n
dos n n n
muitas vezes o indivíduo de manter-se em pé sozinho,
vez que participa
e part cipa
e part cipa
como coenzima da reação que sintetiza
co
co
c c
como
mo coe
mo coe
coenzima da a reaç çã
zima d
zima d
a reaç çã
provoca na pessoa doente uma má absorção de alimen-
nucleotídeos e no processo de maturação das hemácias.
eotíde os e no
eotíde os e n o processo de mat turaç çã
n
no
proces
proces
o de m
o de m
turaç çã
tos no intestino, emagrecimento, anorexia, crescimento
Na carência dessa vitamina, glóbulos vermelhos imatu-
carên cia de e e
carên cia de essa vitamina, gló óbulo os
a vita
a vita
ina, g
ina, g
óbulo os
retardado e insuficiência cardíaca com retardamento dos
ros sã
ros sã
ros são lançados na corrente
lança
lança
ça ados na corrente
ça
os na
os na
orrente
orrente
s sanguínea, ocasionando a
sang gu
sang gu
batimentos cardíacos (bradicardia).
ane mia perniciosa.
ane
ia pe er
ia pe er rniciosa.
iciosa.
iciosa.
● Vitamina B2 (riboflavina) – Contém uma molécula
●● ●
V V
Vitamina
ami in
ami in na
B1 2 2
B1
B12 (cianocob ala
B12 (cianocobalamina) – Possui cobalto
(cia an o
ia an o
ia
oba
oba ala
de ribose em sua constituição química e é facilmente
em sua constituição e suas principais fontes são lêvedo,
em
em sua constituição e suas
con
con
co
co
tuiç
tuiç
uiçã
uiçã
sua
sua
r r
encontrada em vários alimentos, como leite e derivados,
car
car rn e, fíga ado,
rn ne, fígado,
e, fíga
fí ga
fí ga d o o,
o, o
pe
pe
peixes
peixes, leite e derivados. À semelhança
pei
pei
es, lei
es, lei
eit e
eit e
ovos, legumes, vegetais folhosos, fígado, lêvedo da cer rr--
d d o
do
do
ácido
ácido
ácido
fólico,
fólico,
fól lico,
ól lico,
ól
o,
o,
atua como coenzima na biossíntese dos
atu ua co
ua co
co
co
o o
veja, entre outros. É sintetizada em pequena quantida ade
ade
ácidos nucleicos s e te em
cidos s s nu uclei
cidos nucleicos e tem função essencial no processo de
uclei
eic
eic
s e te em
f f
pelas bactérias da nossa microbiota intestinal natural e
tural e
tural e
matu u
matu
maturação
ração
ação
ação
ção
ção
dos
d
d dos glóbulos vermelhos. Dessa forma, sua
s gló
s gló
lób ul
lób ul
faz parte das citocromo oxidases e citocromo redutases, , ,
dutase
dutase
car
car rência também causa a anemia perniciosa e, por isso,
ar
ar ên ncia t
ncia t
cia ta
cia ta
tam bém
b b
bém
m m
a a
enzimas que também atuam nas reações da respiraçã
respir
respir
ção
ção
é é
é conhecida como vitamina antianêmica.
conhecida a co om o
onhe
onhe
n n
a co om o
celular. Tem importante papel no crescimento do org aa--
toto dodo
rgarga
●● ●
Vitamina
itamina P (rutina) – Encontrada principalmente em
aa
PP
nismo e sua carência pode acarretar queilose, fotofob bia,
se,se, ff
ofoofo
leg gu me es s e
leg
legumes e vegetais folhosos, essa vitamina fortalece as
gu
es s e
perturbações digestivas, depressão nervosa, diminuiçã o
osa, d min nuiç
osa, d min nuiç
ição o
pa
pa
par ed eses dd
par redes dos capilares sanguíneos, evitando sua fragili-
ede
ede
da vitalidade e predisposição para desordens mentais s. s. s.
orden
orden
meme ent
ent tai s.
dade. Sua carência pode determinar o aparecimento de
d
d
dad
de.
de.
e. S
e. S
● Vitamina B3 (niacina, nicotinamida, vitamina PP)
ida,
ida,
ita ami ina a PP)
ita ami
a PP)
PP)
PP)
m icroicro varizes.
micmic
– Suas principais fontes são lêvedo de cerveja, carnes
do de cer rvej ja, carne
do de cer rvej
carne
car
car nes
Vit tamina C (ácido ascórbico) – Suas principais fontes
Vit
magras, ovos, fígado, peixes, leite e derivados.
te e de riva
te e de riva
vado os.
vado
Faz p
Faz p
Faz p
Faz part te
a z pa
a z pa
te
ss são frutas cítricas (acerola, limão, laranja, etc.), tomate,
da constituição das desidrogenases, , ,
enase
enase
que
q
q
que
que
e
são enzim
são enz
ão en
ão en
en
en
mas
mas
pimentão e hortaliças verdes e folhosas (couve, agrião,
participantes das reações de desidrogenação (reaç
eses
rogenação (reações
ee
(( re
eses
que liberam hidrogênios), e do NAD,
e do
e do
NAD,
AD,
AD,
substância que
substância que
bst
bst
stân
stân
ia qu
ia qu
atua como aceptor e transportador de
nsport ador de
nsport
dor de
dor de
de
de
hidrogênios nas
hidrogênios na
hid rog
hid rog
idro
idro
n n
nios n
nios
n
etc.). Essa vitamina evita a fragilidade dos capilares
sanguíneos, tem função antioxidante e atua na síntese
do colágeno, proteína que confere resistência ao tecido
reações da respiração celular. A carência dessa vitamina
elular. A carência dessa vitam
elular.
car rên
car rên ncia ia d des
ia des
d
sa a vita
a vita
conjuntivo. Sua carência causa perda de apetite, de peso
no organismo causa a pelagra, doença a
pelag
pelag ra, doença a
, doe
, doe
grave que,
grav
g
grave que,
grav v
g
e
e que,
que,
s se não
e da resistência orgânica, além da avitaminose escorbuto,
tratada, pode culminar na morte do indivíduo. Essa doença
ar na morte do indivíduo. Essa
ar na
orte do
orte do
indiví
indiví
ivíd
ivíd
o. Ess
o. o.
o. Ess
se caracteriza por uma dermatite intensa, com rachadu-
r uma dermatite intensa, com
r uma
ermati
ermati
inten
inten
a, com
a, com
ras dolorosas na pele, lesões
a pele
a pele , lesões
lesões
lesões
das mucosas,
das mucosas,
as mu
as mu
cosas,
cosas,
em especial
caracterizada por hemorragias cutâneas e gengivais e
por inflamação nas articulações. É por isso chamada de
vitamina antiescorbútica.
a
mucosa intestinal, provocando
nalnal , provocando
ococ
didi
diarreia e
diarreia e neurite grave
aa ee
do sistema nervoso central, o que pode
nervo so central, o que pode
nervo
o cent
o cent
al, o q
al, o q
pode
pode
le evar à
levar à demência.
evar à
Por apresentar esses sintomas, a pelagra também ficou
entar
entar esses sintomas, a pela agra ta
esses s
esses s
intoma
intoma
, a pel
, a pel
agra ta
Para refletir
conhecida como a “doença
ida co
ida co mo a “doença
o a “d oença
o a “d oença
dos três D” e, por previni-la,
dos três D” e,
os três
os três
D” e,
A maioria dos mamíferos sintetiza vitamina C no corpo. Os prima
-
a
vitamina B
minamina
tam
tam
mbém é
ém é
ém é
chamada a de vi
hamad da de vitamina PP (pre-
hamad
a de vi
33
tas, inclusive humanos, não possuem essa capacidade, precisando,
ventiva da pelagra) e de
tiva d
tiva d da pelagra) e de
pelag
pelag
a) e d
a) e d
vitamin na anti
vitamina antipelágrica.
vitami
vitami
na anti
então, obtê-la na dieta. Por ser essencial para o organismo, a taxa
diária necessária está em torno de 75 a 100 mg. Entretanto, algumas
Vitam
Vitam
Vitam
min nana
BB 5
(ácido pant
(ácid
(ácid
pant
pant totênico) – Suas principais
otênic
otênic
campanhas publicitárias estimulam a ingestão diária de comprimidos
fontfont
font tes
são
são
são
carne, fígado,
arne,
arne,
gado
gado o, rim, ovo, laticínios, feijão,
rim,
rim,
contendo até 2 000 mg dessa vitamina. Qual é o destino da maior
s
s soja, amendoim
oja, amendoim
, am
, am
doim
doim
e milh
e milho. Atua na respiração celular e
milh
milh
parte da vitamina C que as pessoas tomam em excesso em relação à
na síntese da hem
sínte
sínte
e da h
e da h
moglo lo
moglo obina, e sua carência pode causar
lo
sua necessidade corporal?
anemia, fadiga e for rmigamento nos pés e nas mãos.
anemi
anemi
, fadig
, fadig
e for
or
or
Vit
Vit tamina
mina
mina
B
B6
B6 (
(
pp piridoxina) – Encontrada em carnes,
c cereais c inte
reais in
reais in
tegrai is, verduras, fígado e atua como coenzima
tegrai
ais
ais
nas reaç ções s s
as rea
as rea
ções
m m
metabólicas
dos aminoácidos. Sua carência
caus
caus
causa al era ações neurológicas, dermatite, fraqueza mus-
alter
alter
era
cu
cu
cular e
c cálculos renais.
o Divulgação
● Vitamina D (calciferol) – É encontrada em alimentos
como leite e derivados, gema do ovo e óleo de fígado de
bacalhau e, por meio da exposição aos raios solares, essa
vitamina é sintetizada em nossa pele. A vitamina D exerce
importante função no metabolismo do cálcio e do fósforo,
Divulgação
D u
v
g
ç
ã
Divulgação
i
u
lg
a
Divulgação
v
u
g
a
ã
o
Divulgação
D
v
u
g
a
Divulgaçã
i
u
lg
a
vulgação i u a
vulgaçã o
Divulgação D v g ã
u
aç o
u aç ã
g ç ç
14 4444
14
Col leçãoleção EE
Coleção Estudo EM1
CC
Divulgação
Divulgação Divulgação ivulgaçã
D
D
v v g ç
u u
g
ã ã
Divulgação Divulgação o
i
ã
Divulgação o
u
g
a
v
u
g
a
ã
Divulgação i lg
D
vul
v
u
g
Divulgaçã o
u
a
Di
Di Di Di
Divulgação
g ç ã
Divulgação o
D v
v g g
gaçãoa lgação
ç
g ção
Divulgação o
i u
g
a
Divulga
D
i
u
ação
Divulgação
v
u
l a ã
a ã o
ç
Divulgação
v
u
g
a
ã
o
Divulgação
D u
v
g
a
Divulgaçã o
i
u
lg
a
Divulgação o
D u
iv lg ç ã
Divul a aç o o
D v u g ã
g
ã
o
l ção
a
Div vu l ga ç ç o
D
i
u
lg
a ã
Divulgaçã o o
D
ivulg
ação o
Di u
Divulgação
g
a
ã
o
Divulgaçã o
i
l
Divulgação o
D
ivulgaçã
iv v lg ç ã
u
ç
Divulgação o
i u
g
a
Divulgação o
D v g
u
ã
Divulgação
D u
v
g
a
i iv u lgação
lga ão
ã
u gação
D vulgaç
Divulgação o
i u
g
a
Divulgação o o
Divulgação
u
a a
Div l a ã
a
ç
Divulgação
ivulgaçã o
u
g
a
ã
Divulgação
v
u
g
a
Divulgaçã o
D
lgaçã

Di Di Di Di

Composição química dos seres vivos I es v es v os I os I estimulando
Composição química dos seres vivos I
es v
es v
os I
os I
estimulando a absorção desses elementos no intestino e a
Vitamina K (filoquinona, naftoquinona a) – F F
nafto
nafto
uinon a
uinon
a) –
Fígado,
gado,
gado,
fixação dos mesmos nos ossos e dentes. Na ossificação, é
indispensável a presença de sais de cálcio e fósforo para a
plena formação desses órgãos e, para a perfeita fixação des-