Вы находитесь на странице: 1из 27

Sumário

A natureza...........................................................................................2
A felicidade do homem fiel.......................................................................3
Anaconda assustadora.............................................................................4
Eram dois amigos inseparáveis...................................................................5
As bicharadas animadas...........................................................................6
O cachorro e o gato................................................................................7
O Gato e o Rato....................................................................................8
A filha do fazendeiro e o seu cativeiro.........................................................9
Amor sem limites.................................................................................10
A lenda do menino Perdido.....................................................................11
O Menino Curioso.................................................................................13
O menino perdido recebe o titulo de príncipe...............................................14
O jovem sem destino..........................................Erro! Indicador não definido.
A natureza

A natureza é a mãe nativa dela própria porque todos os seres


nativos nasceram da própria natureza.

Como árvore dá alimentação para os animais e para as aves e


tem também adubo orgânico que serve para ela própria e também
para outras que dar frutas como uva, limão, laranja, goiaba e etc.

A natividade florestal é comum porque de tudo ela tem


comum arvores frutíferas que dar frutas para consumo humano e
também animais naturais que vivem no campo.

(Luiz Pereira da silva)


A felicidade do homem fiel

Era uma vez dois meninos que viviam no deserto sofrendo,


sofrendo, mas um dia Felipe disse Eduardo vamos a cidade e vamos
e lar se deram bem, foram vender salgadinhos.

Poucos dias voltaram para suas casas felizes porque


conseguiram seus objetivos.

Mas Rodrigo seu irmão ficou feliz ao ver seus irmãos voltaram
porque era ele que cuidava de seus irmãos porque seu pai tinha
falecido sua pobre mãe ficou muito triste porque amava muita a
sua esposa por isso foi preciso Rodrigo tomar conta de toda família
mais Felipe e Eduardo deram muitos resultados foram crescendo e
fazendo tudo para viver em paz, mas depois Eduardo se casou com
uma jovem muito bonita foi ai que mudou o seu cativeiro.
(Luiz Pereira da silva)

Anaconda assustadora

Era uma vez um menino que gostava de andar pelos desertos, o


seu maior companheiro era seu cachorro, um dia ele ia passando
no vale de uma montanha a borda de um rio, quando de repente
ouviu um assovio e ele disse:

-Vou agora mesmo ver o que é isso. E quando chegou lá deu um


grito muito assustador,

-Socorro!. Quando ele chamou seu cachorro, ele vinha latindo,


latino, ai ele viu que era uma anaconda muito grande e
assustadora e ele ficou muito nervoso, e voltando para sua casa,
chamou seu colega e voltou outra vez ao vale da montanha a
borda do rio, ao lugar que tinha visto a anaconda, e seu amigo
disse:

_Foi aqui mesmo que você viu a cobrinha? Ele respondeu:

_Foi aqui mesmo que eu vi, mas não era uma cobrinha, era uma
anaconda muito grande. Então, quando seu amigo viu, disse:

- Êita como ela é grande. E começou logo a correr, e seu amigo


gritou:

-Agora cheguei, a saber, que companheiro de verdade é o meu


cachorro Rompe ferro, Campeão de Amizade.
(Luiz Pereira da silva)

Eram dois amigos inseparáveis

Era uma vez, dois amigos muito colegas, mas certo dia uma
vizinha levantou um falso contra os dois, para eles foi muito feio,
mas Deus que não dorme viu os dois andando no seu trabalho e
sabe de tudo; então quem vai separar nossa amizade? Será que são
as pessoas, ou será que é Deus? Se Deus uniu, jamais nos separará.

Por que não adianta, o amor quando é verdadeiro, não tem limite.
(Luiz Pereira da silva)
As bicharadas animadas

Era uma Barata que tinha uma vizinha chamada Aranha,


certo dia a Barata cismou e disse:

- Camarada Aranha, eu estou desconfiada que você esteja me


traindo, você falou para o companheiro Grilo que eu estava saindo
com o companheiro Bicudo, você esta louca? Eu namorei foi com o
camarada Cachorro d’água. Mas ai quando tudo ia indo bem,
apareceu o Gafanhoto e disse:

-Baratinha, quer namorar comigo? Ela respondeu:

- Se eu gostasse de insetinho magro, eu namoraria a Muriçoca. O


Gafanhoto ficou furioso e disse:

- Vou colocar fogo na sua casa. Mas a Barata foi muito esperta,
quando ficou sabendo que o gafanhoto jurou de por fogo na sua
casa, convidou toda a bicharada e deu uma festinha, mandou um
convite especial para o Gafanhoto, o Gafanhoto ficou alegre, e foi
logo para a festinha, lá ficou namorando a Pomesa e disse:

_ah! É só alegria.
(Luiz Pereira da silva)

O cachorro e o gato

Num certo dia, tinha um cachorro andando na floresta


quando avisou um lindo gato.

Quando ele viu aquele gato começou a se aproximar dele, quando


ele estava bem perto do gato que o gato viu começou logo a
correr, ai o cachorro disse calma gatinho eu não vou fazer algo de
mal para você, eu só quero ser seu amigo.

O gato parou de correr e disse:

- Você não esta me enganando?

-O que é que você acha de eu ser tão grande, e enganar um


gatinho tão pequeno.

- Sou Gatinho e sou pequeno, sou bonito e sou ligeiro, não é


qualquer um cachorro que vai me enganar, se quiser ver minha
ligeireza é só tentar me pegar, minhas garras afiadas sobem em
qualquer parede, seu cachorro orelhudo e atrevido, nunca me
chame de gatinho porque eu lhe desafio, porque eu sou muito
ligeiro ta seu cachorro da boca grande.
(Davi da silva Santana)

O Gato e o Rato

Era uma vez, um gato e um rato, eles gostavam muito de


andar na floresta, eles só andavam juntos, mas certo dia, eles
decidiram se separar para sempre, então cada um seguiu o seu
rumo. O rato, como era muito danado, gostava muito de caçar
conversa com o senhor gato, mas o gato não gostou nada de o rato
ficar caçando conversa com ele, então o gato resolveu caçar
conversa com ele também. E foi por ai que os dois começaram a
brigar.

Num certo dia, o rato resolveu encrencar novamente, ai foi que o


gato ficou virado com o pobrezinho do ratinho, o gato disse:

- Ele que se cuide, porque eu estou pronto para guerra, vamos ver
quem é que vai vencer. Então cada um foi pegar as suas armas de
proteção, ai então começou a guerra, e o vencedor foi o nosso
pequenino ratinho, mas que safadinho em.
(Edilene Pereira de Oliveira)
A filha do fazendeiro e o seu cativeiro

Era uma vez, uma jovem que vivia em uma fazenda, seu pai era
muito rigoroso, não queria sua filha namorando, mas um dia sua
filha adoeceu, não tinha medico na cidade, então viu um moço de
outro lugar e era de família muito pobre, mas era elegante,
trabalhava com remédios, foi para a casa do fazendeiro.

Ela se apaixonou pelo rapaz, então quando seu Valdivino, viu


que estava rolando um bate papo, disse:

-Rodrigo, eu estou, pensando que você e Léia, minha filha, estão


namorando.

- Sim, nos estamos sim de conversa.

-Essa foi à melhor palavra que já ouvi da boca de um homem. Seu


Valdivino logo correu saltando de alegria, chamou sua esposa e
disse:

- to eu alegre, por que a nossa filha esta de amor novo. Então


Joana, sua esposa disse:

-Bem, eu já sabia de tudo, mas como você é experiente, descobriu


antes que te fizesse esta surpresa. Então toda nossa família esta
de parabéns. Vamos marcar a data do casamento.
(Luiz Pereira da silva)

Amor sem limites

Era uma vez, dois jovens que estudavam no colégio da sua cidade,
mas um certo dia foram a outra cidade e conheceram uma jovem,
e ficaram apaixonados pela menina.

Mas a menina não sentiu nada por eles, então eles ficaram
muito revoltados.

Mas passando um tempo, Paulinho comentou com seu colega


dizendo:

-Ricardo o que faremos para conquistá-la? Ricardo:

-Vamos bolar um plano.

-É mesmo, vamos dizer pra ela que somos ricos. Mas Ricardo não
combinou com o plano. Por que mentir sem razão, é como roubar.
Paulinho:

- Pois então eu estou fora dos seus planos. Mas Ricardo, estava
mesmo era apaixonado pela menina, e chegou com a verdade e ela
caiu de mansinha em seus braços, Tudo acabou bem. E Paulinho
acabou sozinho.
(Luiz Pereira da silva)
A lenda do menino Perdido

Era uma vez, um menino que ficava brincando pelas ruas, de


repente apareceu uma mulher que lhe disse:

-Filho o que faz essa hora da noite na rua? Ele respondeu:

- Não tenho casa, nem pai e nem mãe, por isso fico até a meia
noite pelas ruas, depois vou procurar lugar para ficar, então ela
lhe respondeu:

- Vamos para a minha casa.

- Já que a senhora esta me convidando eu vou. Então passando o


tempo o menino foi crescendo, tudo foi ficando diferente, porque
o menino queria saber de que família ele era, mas a mulher que o
tinha levado, não queria que ele descobrisse de que família, por
que era um menino muito bonito e sábio, por isso, ela não queria
perde-lo, por que o amava muito, mas passando o tempo o menino
descobriu que o nome do seu pai era Paulo Ricardo, por isso que
seu nome era Ricardo Filho, popular Ricardinho, então foi por isso
que a mulher que criava se alegrou muito, por que o Paulo Ricardo
era seu filho, quando o menino descobriu tudo e também ficou
sabendo quem era sua mãe, chegando a casa chamou a mulher que
lhe criava, de vovó, e ela chorava de alegria em saber que ele era
seu netinho querido, Ricardinho soube que a sua mãezinha querida
tinha ido para são Paulo, e não tinha o levado, por que não tinha
condições. Então lá ela faleceu, por isso que ele ficou esquecido e
perambulando pelas ruas, mas o nome da sua mãe era Valdiene de
Souza.

(Luiz Pereira da silva)


O Menino Curioso

Quando eu era pequeno ouvia falar na feira do meu povoado,


eu desejava ir um dia nesta feira, quando foi um belo domingo eu
fui a esta feira, lá eu vi coisa engraçada. Ouvi os homens
perguntarem uns aos outros:
- compadre lá choveu?

-Choveu sim, compadre. E já encheu meu barrero, já tem inté


feijão nascendo.

-ô compadre, que beleza, por que lá a mandioca que eu prantei,


uns pé que nasceu já ta inté morreno, lá num entra nem pipa, que
a estrada é muito ruim, nóis carrega água na dorna em cima de um
jegue, o bicho é miúdo e cansado, no prano inté que ele anda
cumpade, mas nos alto só sobe no empurrão, “siiio”! Êita bicho
danado é um jegue.

- O projeto da caatinga ainda não saiu lá não cumpade?

- oxente! Num sei nem o que qui é isso.

-pois é isso mermo cumpade, o projeto da cisterna, por que eu


mermo tenho duas lá em casa.

- Pois cumpade diz a esse projeto que vá La em casa, por que eu


quero saber disso tudo, eu preciso duma estrada, preciso duma
barragem inté de uma cisterna, mas pra isso que qui eu faço?

-É só você se associar.

-Mais eu não sei como qui é essas tal de associação.

- Cumpade, e na sua casa nunca passou um presidente de


associação?

-Eu num tou dizendo que eu moro é num deserto cumpade.

(Luiz Pereira da silva)


O menino perdido recebe o titulo de príncipe

Era eu de quatro anos de idade, quando viajava com meu pai


e minha mãe, ao chegar a uma estrada muito longa e deserta, foi
ai que tudo aconteceu, ao ver de longe uma carreta virada, vinha
meu pai cantando eu e minha mãe se alegrando ao ver o meu pai
cantar, não sabia eu que era o fim dos dois, o veiculo se chocou
com aquela carreta que estava atravessada na nossa frente, o
nosso bateu, no impacto eu cai e ouvi um som com se fosse uma
explosão, ao chegar ao local estava meu pai e minha mãe e, mas
três vitimas que estavam na carreta, foi ai que eu fiquei como
louco e desesperado, entrando na mata sem rumo na vida, sai logo
em um rio, e ali fiquei muito dias da minha vida, fiquei
alimentando-me com peixe cru, por que não tinha fogo, passei 22
anos naquela mata.

Cresceu meu cabelo e a minha barba, fiquei como um


homem lobo, mas passando os dias, um fazendeiro me achou
dormindo, logo foi a sua casa chamando a tropa de força, vieram e
me capturaram, me levaram amarrado para sua casa, acharam
eles que eu era louco, mas eu não era, por que ainda eu tinha
noção, de tudo quanto tinha acontecido, mas não dava para contar
por que na minha mente tudo estava como um filme de terror e
todo esse tempo que eu fiquei perto desse rio. Eu me considerava
como um homem lobo, sabia por onde voltar, mas não queria por
que não conhecia meus familiares, por que esta era a primeira vez
que eu ia visita os meus parente, por isso resolvi não voltar e esse
fazendeiro que me levou para sua fazenda, passou a me ensinar
tudo o quanto descobriu, que o meu caso era verdadeiro, ele
mesmo lembrou que a quase 23 anos tinha visto um acidente na
via principal, foi achado 5 corpos sem vida, então relacionou a sua
amizade com o jovem, não sabendo ele mesmo como era o seu
nome, mas como foi achado no rio Nilo, colocaram o seu nome Nilo
Campos da Mata, quando tiraram sua barba, viram que era um
homem prefeito, e cortaram também o seu cabelo, então a jovem
filha do fazendeiro se apaixonou pelo rapaz e logo o seu pai ficou
sabendo, na mesma hora mandou chamar o juiz daquela cidade e o
promotor e fez logo o casamento da sua Princesa Gabriele de
Araujo e deu o titulo ao seu genro, de príncipe Nilo Campos da
Mata.
Essa historia prova que nem tudo esta perdido.

(Luiz Pereira da silva)

O jovem sem destino

Era uma vez, um jovem que vivia pelas estradas, indo e


voltando, sem rumo na vida, mas um belo dia, passando pelo
caminho que nunca tinha passado, avistando de longe uma casa,
chegando a casa, avistou um velhinho que veio ao seu encontro,
mas tinha um cachorro deitado debaixo de umbuzeiro, quando
ouviu a voz do moço, veio latindo, latindo, logo o moço se achegou
o velhinho, e disse:
-Tio me dê um copo de água. E o velhinho assustado voltou para
dentro de sua casa e pegou logo o copo com água e entregou o
moço e disse:
-Da onde vem com tanta sede? Tu estás com fome também?
-Estou Sim já estava com três dias que eu não ouvia uma conversa
dessa, então o velhinho colocou comida para o moço, e ofereceu
ate dormida, no meio da conversa, ele perguntou:
-De onde você vem? E de que família você é?
- Eu sou de família cearense, fui desprezado de meu pai e de
minha mãe de todos os meus familiares, eles me acusaram como
ladrão, e me amaldiçoaram, é por isso que eu vivo perambulando,
então o velhinho lhe respondeu:
- Não existe maldição, o que existe mesmo é mau pressentimento,
-Por quê?
- por que homem nenhum tem poder para maldiçoar e nem tão
pouco para abençoar, só deus concede a vida e a morte, nem
todos têm sorte para viver depois da morte. E você filho, quer um
conselho de um velho amigo?
- quero sim.
-Pois eu vou lhe ensinar, quer ficar comigo para cuidar dos meus
gados, das minhas roças e cuidar também de mim que já estou
velho e cansado, vou ate lhe passar um atestado e nesse atestado
vai ficar o meu nome gravado e assinado por mim, você também
escreve o seu, então tudo o que é meu fica pra você. Tempo foi
passando e o velhinho foi ficando cada vez mais velho. Dois anos
depois resolveram se declarar uns aos outros, o nome do moço era
Cleriston Alves Madeiro e o nome do bom velhinho era Aristeu
Viana Barros, este é o fim dessa historia, o pobre peregrino
terminou com tudo em suas mãos.

(Luiz Pereira da silva)


A visão do homem infiel

Estava eu na minha cama, quando tudo aconteceu, eu dormindo,


sonhei que estava andando pelo deserto quando ouvi uma voz e vi
um claro na minha frente, a voz me dizia não tenha medo por que
este claro tomará parte da lua, volte ligeiro e entre pelos sete
caminhos, lá você vai encontrar o meu rebanho, e voltando, eu
encontrei em um dos sete caminhos um rebanho muito grande que
não dava para vê nem a sua largura e nem seu comprimento, mas
as pessoas que regia este rebanho, eu não me lembro das suas
faces, mas lembro das suas vozes, que me dizia:

-Todo este rebanho come e bebe, mas nós não atravessaremos


todos os desertos com este rebanho, mas nós não come nada
cozinhado por que tem um homem que tem carvão, mas ele é
muito miserável.
(Luiz Pereira da silva)

A morte do fazendeiro louco

Esta é uma historia muito assustadora

Eu ia indo em uma estrada, passando em uma casa velha, vi um


claro de uma luz, e uma voz assustadora e era a voz do fazendeiro
louco que morreu pela loucura do seu recursos, não foi recebido a
sua alma para que dormisse debaixo do trono de Deus, por que a
sua morte foi pela desgraça do seu recursos e quando esse tipo
morre nem desse ao inferno nem sobe para o céu, mas fica
vagando pelo espaço e se apoderando de todos aqueles que são
ricos e também tem avareza.
(Luiz Pereira da silva)
A tristeza transformada

Um dia eu viajando muito triste por que não tinha trabalho pra
mim, parei debaixo de uma arvore quando ouvi um sabiá cantar.

Então perguntei para mim mesmo por que este sabiá estar
tão alegre e eu triste, então parei e pensei, vou merendar, mas
quando merendei, joguei o restante da comida, logo aquela sabiá
desceu da arvore e foi comer aquela comida e vôo e eu continuei
triste no mesmo lugar, passada horas depois, vieram três sabiás,
assentando outra vez na arvore, cantavam... Cantavam.

Seis meses depois, voltei, quando cheguei à mesma arvore,


encontrei um belo ninho, era aquele sabiá, então eu entendi que a
gente, deve ficar no lugar que tem sombra e comida,

Essa é a historia da minha vida.


(Luiz Pereira da silva)

Похожие интересы