Вы находитесь на странице: 1из 4

CLICHÊS E PROVÉRBIOS

Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio

CLICHÊS E PROVÉRBIOS Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio Clichês e provérbios

Clichês e provérbios são ditos populares de diversas origens que podem ser aplicados em diferentes situações. A técnica consiste em analisar como estes ditos se aplicariam ao problema que se quer resolver. Sua vantagem é auxiliar o designer a fugir do pensamento convencional.

 

Clichês e Provérbios

A água bate na rocha, mas quem paga é o mexilhão. A bom entendedor, meia palavra basta. A cavalo dado não se olham os dentes. A corda sempre arrebenta pelo lado mais fraco. A fé é a força da vida. A grandes males, grandes remédios. A justiça tarda, mas não falta. A língua resiste porque é mole; os dentes cedem porque são duros. A lua não fica cheia em um dia. A má erva depressa nasce e tarde envelhece. A mentira tem pernas curtas. A morte não espera. A necessidade ensina a lebre a correr. A necessidade faz a lei. A noite é boa conselheira. A prática é a base da perfeição. A pressa é inimiga da perfeição. A união faz a força. Ações são melhores que palavras. Água mole em pedra dura tanto dá até que fura. Águas passadas não movem moinhos. Amigos, amigos; negócios, à parte. Antes só do que mal acompanhado. Antes tarde do que nunca. Aprenda com o povo, depois o ensine. As rosas caem os espinhos ficam Barco parado não faz viagem. Beleza não se põe a mesa. Cada macaco no seu galho. Caiu na rede é peixe. Candeia que vai à frente ilumina duas vezes. Casa arrombada, tranca na porta. Casa onde não entra sol entra o médico. Cobra que não anda não apanha sapo. Com fogo não se brinca. Da discussão nasce a luz. De algodão velho não se faz bom pano. De grão em grão a galinha enche o papo. Depois da noiva casada não lhe faltam pretendentes. Depois da tempestade vem sempre a bonança. Devagar com o andor, que o santo é de barro. Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és Dois é bom, três é demais. Dois erros não fazem um acerto. Duas cabeças pensam melhor que uma. É leve o fardo no ombro alheio. Em boca fechada não entra mosca. Em casa de ferreiro, espeto de pau. Em terra de cego, quem tem um olho é rei. Errando é que se aprende. Estamos todos no mesmo barco. Gato de luva não apanha ratos. Gato escaldado tem medo de água fria. Gato miador não é bom caçador. Há sempre um chinelo velho para um pé cansado.

Longa viagem começa por um passo. Mais anda quem tem bom vento do que quem muito rema. Mais vale um pássaro na mão do que dois voando. Mate dois coelhos com uma cajadada. Melhor acender uma vela no escuro que praguejar contra a escuridão. Não basta dirigir-se ao rio com a intenção de pescar. Não chore sobre o leite derramado. Não conte com o ovo na barriga da galinha. Não é com palha que se apaga o fogo. Não ergas alto edifício sem fortes alicerces; se o fizeres viverás com medo. Não há que ser forte. Há que ser flexível. Não se ensinam novos truques a velhos cachorros. Não te metas a comprar o que não podes pagar Nem tudo que reluz é ouro. Nunca diga: desta água não beberei! O homem comum fala, o sábio escuta, o tolo discute. O que chega fácil parte fácil. O seguro morreu de velho. O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta. Obra apressada, obra estragada. Para baixo, todos os santos ajudam. Parecer sem ser é fiar sem tecer. Pássaros madrugadores comem as minhocas. Pedra que rola não cria limo. Por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento. Pouco se aprende com a vitória, mas muito com a derrota. Pratica o bem sem olhar a quem. Pratique aquilo que você prega. Quando o gato está fora os ratos se divertem. Quanto mais alto, maior a queda. Quem comprar o que não precisa, venderá o que precisa. Quem não tem cão, caça com gato. Quem vê cara não vê coração. Querer é poder. Ri melhor que ri por último. Se fracassar da primeira vez, tente, tente, tente novamente. Se o sapato não apertar, use-o. Se quer manter limpa sua cidade, comece varrendo diante de sua casa. Tal pai, tal filho. Tamanho não é documento. Toda geração ridiculariza a moda antiga, mas segue fielmente à nova. Tudo é bom quando termina bem. Um dia é da caça, outro do caçador. Um grama de exemplos vale mais que uma tonelada de conselhos. Um homem está não onde mora, mas onde ama. Um olho no gato, o outro no prato. Um tostão economizado é um tostão ganho. Uma andorinha só não faz verão. Uma caminhada de mil léguas começa com o primeiro passo. Uma imagem vale por mil palavras. Vão-se os anéis, fiquem os dedos.

Lista de provérbios: http://www.lifesabirch.org/proverbios/

Exemplo de aplicação da técnica – 1

Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio

Exemplo de aplicação da técnica – 1 Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo

Um fabricante de rações animais deseja desenvolver uma nova ração para gatos. Considerando que o mercado é altamente competitivo, a empresa pensa em explorar alguma solução radicalmente diferente e, para isso, resolveu usar a lista de clichês e provérbios. Tal pai, tal filho. Imagine o dono do gato como o pai e o gato como o filho. Poderíamos produzir uma ração que o próprio dono gostaria de comer. Talvez uma comida pronta, aquecida no forno microondas. Talvez diferentes sabores em doses individuais. No sentido mais literal, qual era a comida dos antigos gatos? Podem-se fazer rações com gosto de ratos?

Mate dois coelhos com uma só cajadada. Seria exagero fornecer a comida e a bebida na mesma embalagem? Que tal uma tigela de comida junto com uma tigela de leite, separados por uma divisão da embalagem? Quem vê cara não vê coração. Será que os consumidores acreditam que dentro de uma bela embalagem há uma ração bem nutritiva? Talvez seja mais honesto usar embalagem transparente para que o consumidor possa enxergar o conteúdo. Se o sapato não apertar, use-o. Os consumidores pagariam um preço adicional por uma ração especial para cada tipo de gato? Isso poderia sugerir uma linha especial para gatinhos e outros para gatos adultos.

Exemplo de aplicação da técnica – 2

A partir do problema verificado de desmame precoce de bebês por suas mães, buscou-se uma solução através de um produto que auxiliasse na tarefa de amamentar. Devido à solução inovadora apresentada, foi necessário utilizar algumas técnicas durante a etapa do desenvolvimento de alternativas, e a técnica de clichês e provérbios foi utilizada para a criação de vários elementos durante o processo criativo. Após a definição de que era necessário que houvesse tanto um frasco para armazenamento do leite materno, quanto um copo para servir este leite ao bebê, além de massagem manual e outros elementos importantes, buscou-se então novas possibilidades para apresentar este produto ao consumidor. Antes tarde do que nunca: Mesmo que as bombas de sucção tenham seu espaço consagrado no mercado, nunca é tarde para incentivar a massagem manual através de um produto inovador e que beneficia a saúde da mulher e da criança. Desenvolver um produto incentivando a lactante a fazer a massagem manual para a coleta do leite materno não seria a solução? Tudo é bom quando termina bem: Um incentivo da utilização do copinho e não da mamadeira para que o bebê não largue o seio da mãe seria o ideal? Fazendo com que o produto seja complementar à amamentação natural, mas que não cause a substituição dela? Querer é poder: A massagem manual é o único método que incentiva a produção do leite em mulheres com problemas de baixa produção de leite. Um produto que permitisse que essas mulheres também pudessem amamentar não seria o correto? Um tostão economizado é um tostão ganho: Projetar um produto de baixo custo em sua aquisição e econômico em sua utilização seria vantajoso para todas as classes sociais consumidoras? Mate dois coelhos com uma só cajadada: Unir o frasco para armazenamento do leite com o da alimentação do bebê transformando os dois em um só produto seria o ideal? O seguro morreu de velho: Um produto que evitasse a proliferação de microrganismos patogênicos que podem contaminar o leite e prejudicar a saúde do bebê seria a melhor opção de segurança para o bebê. A melhor maneira de prevenir a contaminação do leite seria isolar o seio do ambiente no momento da ordenha? Quem vê cara não vê coração: Utilizar um frasco transparente para armazenar o leite e colocar no recipiente uma etiqueta com a data da coleta seria mais seguro? O primeiro procedimento permitiria que a mãe ou a pessoa que vai alimentar o bebê analisasse o estado do leite, o segundo permitiria o conhecimento da data de validade do leite. Nem tudo o que reluz é ouro: Os produtos de ordenha por sucção e a mamadeira além de não resolverem o problema da lactante, ainda podem prejudicar o aleitamento natural e a saúde do bebê. Desenvolver um produto que não cause esses problemas seria o ideal?

ANÁLISE MORFOLÓGICA

Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio

ANÁLISE MORFOLÓGICA Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio A análise morfológica tem

A análise morfológica tem por objetivo combinar elementos ou funções de um produto específico, facilitando a identificação de alternativas. Auxilia a fugir de soluções convencionais e explorar o uso de novos materiais ou novos mecanismos. Pode ser utilizada em vários momentos do desenvolvimento projetual, tanto na fase de criação de alternativas, como na fase de seleção de soluções geradas. Para sua utilização, é necessário inicialmente identificar os grupos de fatores ou funções do produto e para tanto é recomendável seguir determinadas regras:

Descrever o problema a ser solucionado de forma precisa;

Identificar as variáveis que caracterizam o problema (materiais; mecanismo);

Subdividir cada variável em classes (madeira, metal, vidro; mecânico, elétrico, manual);

Realizar combinações entre as classes das variáveis, na busca por possíveis soluções.

Na tabela abaixo foi realizada a análise morfológica de um relógio de pulso.

   

Classes

 

Variáveis

1

2

3

4

   

hora/min/seg, dia

hora/min/seg, dia

   

A

Variedade de informação

do mês, dia da semana

do mês

hora/min/seg

hora/min

B

Apresentação da informação

analógico

digital

   

C

Tipo de funcionamento

mecânico por

mecânico

eletromecânico por

eletromecânico por

corda

automático

bateria

bateria + quartzo

D

Resistência à

choque, água e

choque e água

choque

água

E

Material da caixa

profundidade metais nobres

metais comuns

plásticos

 

F

Forma da caixa

quadrado

oval

redondo

hexágono

G

Material da pulseira

metais nobres

metais comuns

plásticos

couro

ANÁLISE MORFOLÓGICA Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio A análise morfológica tem

Esta análise envolveu 7 variáveis, que se desdobraram em 25 classes, o que permitiu 6144 combinações possíveis (4 x 2 x 4 x 4 x 3 x 4 x 4) para o desenvolvimento do relógio. Uma das combinações possíveis poderia ser um relógio A4 + B1 + C2 + D3 + E2 + F3 + G4, ou seja, que possua apenas ponteiros de hora e minutos, analógico, com funcionamento mecânico automático, resistente à choque, em metal comum, de forma redonda com pulseira de couro. A vantagem principal está no exame de todas as combinações possíveis, gerando soluções que muitas vezes não seriam pensadas sem uma análise criteriosa. Entretanto, quando se trata de um grande número de combinações, como no exemplo dado (6144), torna-se difícil examinar todas. Desse modo, deve-se ter cautela na disposição das variáveis e número de classes. Uma possibilidade é atribuir pontos a cada classe, de modo que seriam apenas selecionadas as combinações de maiores pontuações.

DISCUSSÃO 66

Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio

DISCUSSÃO 66 Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio O objetivo desta técnica

O objetivo desta técnica é encontrar soluções para um problema muito complexo ou mal definido. O problema deve ser apresentado ao grupo de maneira mais clara possível, familiarizando os integrantes da situação/problema. Em seguida, o grupo deve ser dividido em subgrupos de seis indivíduos (pode variar de 3 a 8). Cada subgrupo delega um coordenador (secretário) que controla o tempo e anota as propostas. Os participantes discutem simultaneamente o problema e sugerem propostas de solução num intervalo de seis minutos. Este limitado tempo força os indivíduos a pensarem rapidamente e intensamente sobre o problema. Após este tempo, o grupo maior se reúne e os secretários expõem as idéias e anotam as dos demais grupos, para que todos tenham conhecimento de todas as propostas. Em seguida, os subgrupos tornam a se reunir e iniciam com a discussão das idéias expostas pelos outros grupos e retomam novas discussões por mais 6 minutos. Este procedimento deve ser repetido até que se apresentem algumas soluções concretas para o problema.

DISCUSSÃO 66 Metodologia do Projeto – Profa. Ms. Cristina do Carmo Lucio O objetivo desta técnica