You are on page 1of 4

Cada vez mais profissionais de fora da área de TI têm adquirido habilidades em tecnologia ou

habilidades associadas à TI,...


Cada vez mais profissionais de fora da área de TI têm adquirido habilidades em tecnologia ou
habilidades associadas à TI, como a gestão de projetos, e as estão usando em seus trabalhos.
Do mesmo modo, muitos profissionais de TI estão aprendendo e aplicando mais conhecimentos
sobre estratégia corporativa em suas tarefas técnicas. À medida que o uso de habilidades de
TI se torna integrado na empresa, fica impraticável desenvolver essas habilidades por meio
das hierarquias convencionais de reporte. Assim, caberá às empresas reconhecer "profissões"
associadas à TI por meio das habilidades que são importantes, abundantes e amplamente
dispersas. O ideal é a criação de um líder que estabeleçapadrões, encoraje as boas práticas e
estimule o desenvolvimento pessoal na profissão.

Descobertas-chave

• Não-profissionais de TI fazem uso crescente de habilidades de TI.


• Profissionais de TI fazem uso crescentede habilidades não associadas à TI.

Tendências

• Até 2015, a proporção de pessoas em empresas usuárias com habilidades associadas à TI


quesão empregadas em empresas de TI terá caído para menos de 15% (0.8 de probabilidade).

Recomendações

• Reconheça algumas poucas "profissões" associadas à TI e indique um líder de profissão para


cada uma delas.

O que você precisa saber

Empresas de TI, RH e outras empresas líderes que são responsáveis por mudanças deveriam
reconhecer que muitas das pessoas que são necessárias para prover soluções de TI eficazes são
encontradas fora do departamento de TI. Os diretores executivos deveriam trabalhar com o
setor de RH para indicar um líder para cada uma das profissões mais críticas associadas à TI.

Pressupostos do Planejamento Estratégico

Até o início da década de 80, a maioria das pessoas com habilidades em tecnologia trabalhava
nos departamentos de TI das empresas e as exceções eram raras. Era comum ver engenheiros em
empresas cujos produtos ou processos faziam uso intensivo de computadores; modeladores de
sistemas climáticos em empresas meteorológicas; e analistas em empresas de serviços
financeiros.

Desde então, a TI se tornou parte integrante das funções da empresa. Como resultado, mais
pessoas estão trabalhando fora do setor de TI, mas cujos trabalhos envolvem tecnologia. Por
exemplo: gerentes de desenvolvimento de varejo, controladores financeiros e engenheiros
mecânicos. Às vezes, elas realizam trabalhos que pouco diferem das tarefas de analistas,
programadores ou operadores e muitos são atuantes gerentes de projetos.

Algumas dessas pessoas sãoqualificadas para usar a TI, mas elas não dominam os temas que a
tecnologia desenvolveu. Na maioria dos casos, não é possível transferi-las para o setor de
TI, porque suas ligações com setores outros são mais fortes. No entanto, elas realmente
precisam de algum suporte e, às vezes, de limitações.

Já as pessoas do setor de TI tiveram de aprender novas habilidades para atender às


necessidades emergentes. Por exemplo:

• Conforme os sistemas de TI se tornaram mais críticos para as operações corporativas, o


pessoal operacional dos setores de tecnologia tiveram que aprender sobre a gestão de
serviços.
• Conforme os projetos se tornaram mais amplos e mais estratégicos, o setor de TI exigiu mais
e melhores gerentes de projetos e de programas.
• Conforme os sistemas de TI penetraram mais fundo no trabalho corporativo das empresas, sua
introdução passou a parecer menos como a engenharia e mais como uma mudança organizacional, e
parte do pessoal de TI teve que aprender habilidades de gestão de mudanças.

Essas tendências continuarão. Desse modo, as habilidades que se requer dos profissionais de
TI se tornarão similares àquelas das outras funções da empresa (embora alguns profissionais
de TI precisem adquirir habilidades técnicas não necessárias em nenhum outro lugar). Daí as
equipes de TI se tornarão similares às outras da empresa.

A Figura 1 mostra como o Gartner espera que a localização do pessoal mude entre 2005 e 2015.
A mudança é impulsionada por duas tendências:

• Maior terceirização das operações de TI e do trabalho de desenvolvimento de softwares.


• A transferência de informações, processos e do trabalho de mudança organizacional dos
setores de TI para os departamentos de linha e para os funcionais.

A Propagação das Habilidades de TI

Muitas pessoas do setor de TI tiveram de ampliar suas habilidades de design de processoe de


gestão de informações. Para o design de processos, elas precisam integrar as tradicionais
habilidades organizacionais e de método (O&M) com a mais moderna reengenharia de processos
corporativos, como Six Sigma e habilidades de simulação. Para a gestão de informações, elas
precisam adquirir habilidades na exploração, e não apenas no gerenciamento e devem também
compreender como integrar uma variedade de abordagens analíticas e de gestão.

Para lidar com isso, os diretores executivos deveriam identificar conjuntos de habilidades ou
"profissões" associadas à TI onde a consistência e a qualidade da prática sejam críticas para
maximizar os benefícios da TI e minimizar os riscos associados à TI para a empresa. Eles
deveriam, então, trabalhar com o setor de RH e com outros líderes corporativos que sejam
responsáveis por mudanças para providenciar a indicação de um líder de profissão para aquelas
profissões em que os funcionários não possuem uma linha de reporte única. Isso é consistente
com a tendência geral de separar a gestão do trabalho do desenvolvimento de pessoas.

Papéis que poderiam ser vistos como profissões

Papéis tradicionais da TI

• Arquiteto
• Designer
• Programador
Papéis associados à TI

• Gerente de projetos
• Gerente de serviços

Papéis emergentes associados à TI

• Analista de negócios
• Gerente de mudanças
• Analista/designer de processos
• Gerente de informações

Reconheça um bocado de profissões associadas à TI

Não há nenhuma necessidade de separar os aspectos profissionais e pessoais da gestão ondea


maioria dos praticantes de uma profissão está localizada numa única área funcional. No
entanto, uma estrutura profissional separada será necessária para estabelecer padrões e
encorajar o desenvolvimento e a troca de idéias e experiências onde:

• A profissão for importante.


• Houver muitos praticantes.
• Os praticantes estiverem se espalhando em um grande número de unidades corporativas.

Esse reconhecimento não presume ou requer que a profissão seja reconhecida legal ou
socialmente fora da empresa. Há argumentos pró e contra o reconhecimento de umaou mais
profissões no setor de TI.No entanto, o caso em favor do reconhecimento interno será mais
sólido e sua aplicabilidade maior onde, como para a gestão de projetos, houver realmente um
reconhecimento.

Embora um grande número de empresas líderes, como a IBM e as empresas de serviços públicos do
Reino Unido, que introduziram estruturas profissionais, não há nenhum acordo sobre o conjunto
certo de profissões. De fato, o conjunto certo depende do setor industrial, da estrutura e da
história e aspirações da empresa.

• O trabalho de TI mais técnico pode ser reconhecido como umaúnica profissão, como
arquiteto/designer/programador, ou dividido em várias profissões.(Como a arquitetura costuma
ser umafunção central, ela é raramente vista como uma profissão separada.)
• A gestão de projetos/programas é a profissão mais bem compreendida e tem sido reconhecida
dentro e fora dos setor de TI há muitos anos.
• A gestão de serviços é bem compreendida em muitas empresas de serviços; no entanto, as
empresas de TI têm tido de lutar muito para obter as melhores práticas.
• O valor mais alto associado à TI costuma requerer habilidades especializadas no design de
processos e na gestão de informações e mudanças. Essas habilidades não são novas, mas sua
maior importância demanda maior reconhecimento.

A maioria das empresas não precisa reconhecer todas as nove profissões e algumas talvez não
precisem reconhecer nenhuma delas.

A necessidade dessa dimensão profissional da gestão não se restringe ao setor de TI — ela se


aplica também para finanças, marketing, RH, engenharia e assim por diante. Os profissionais
decada uma dessasáreas devem apreciar as outras profissionais e às vezes exercer competências
tiradas delas. Um contador, por exemplo, pode precisar trabalhar sobre as conseqüências
financeiras de uma nova segmentação de mercado. Qualquer um desses profissionais poderia
elaborar um processo, criar um orçamento para uma nova iniciativa e "vender" aquela
iniciativa para administradores sênior e colegas de trabalho. Em grandes empresas, essas
atividades podem se tornar tarefas em tempo integral.

Indique um líder de profissão

A tarefa do líder de profissão é encorajar o desenvolvimento da profissão na empresa. As


principais responsabilidades do líder de profissão são:
• Estabelecer padrões técnicos e profissionais para o trabalho da profissão.
• Encorajar que as pessoas adequadas juntem-se à profissão, que os membros desenvolvam suas
habilidades e que aqueles que praticam a profissão, mas não são indicados para ela, procurem
por oportunidades em outras áreas.
• Facilitar a partilha de conhecimentos e experiências na profissão (por exemplo, formando
uma comunidade de práticas profissionais).
• Representar os interesses da profissão quanto à gestão corporativa.

O líder de profissão combina partesdos papéis dos gerentes de linha, orientadores, gerentes
de qualificação e líderes dos centros de competência. Ele ou ela deveria acompanhar todos os
praticantes — não apenas aqueles do setor de TI. Até que reúna pessoas de várias partes da
empresa, o líder de profissão deve encorajar a troca de opiniões e experiências em toda a
empresa. Isso é particularmente benéfico para o setor de TI, cujossucessos dependem de sua
capacidade de propagar e explorar as sinergias e processos em toda a empresa.

O líder de profissão deveria ser um praticante de primeira linha, um bom orientador e uma
pessoa com capacidade analítica capaz de desenvolver padrões e práticas. Se já houver um
centro de excelência oferecendo orientação para uma profissão dispersada, então seu líder
provavelmente é o líder de fato de profissão e deveria ser formalmente reconhecido. Qualquer
que seja o conjunto de profissões, o líder de uma profissão associada à TI não precisa
necessariamente estar no setor de TI. Isso é melhor para as profissões mais técnicas, mas a
liderança na gestão de projetos e serviços pode estar em outras mãos. Por exemplo:

• Em uma empresa de engenharia, o líder de profissão da tarefa de gestão de projetos deveria


serum engenheiro de projetos.
• Em uma empresa de serviços, o líder de profissão da tarefa de gestão de serviços deveria
ser um gerente de serviços para clientes sênior.

Na maioria dos casos, o líder de profissão não assumirá um papel em tempo integral. Sua
tarefa deveria ser combinada com a prática da profissão ou com a liderança de um centro de
excelência.