Вы находитесь на странице: 1из 3

EBI c/JI Dr.

Manuel Magro Machado

BIBLIOTECA ESCOLAR

Exmo. Sr.

Presidente da Comissão Administrativa Provisória,


Provisória

Prof. Manuel Monteiro Graça

Assunto: O Modelo de Auto-Avaliação


Auto das Bibliotecas Escolares e a relação com a Escola

A Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) construiu, ao longo doss últimos 13 anos, um


Programa actualmente caracterizado por uma comprovada sustentabilidade e pertinência.
Mais recentemente,
ecentemente, foi elaborado pelo Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (GRBE)
um documento designado por Modelo de Auto-Avaliação
Auto Avaliação das Bibliotecas Escolares
(MAABE), com o qual se pretende priorizar
p necessidades,, estabelecer alvos e promover a
mudança de algumas
lgumas práticas de trabalho/funcionamento
trabalho/ nas Escolas e Bibliotecas
Escolares, tendo em vista oss desafios da sociedade do séc. XXI.

A EBI c/JI Dr. Manuel


uel Magro Machado integrou a RBE no final do ano lectivo
l
2006/2007 e em 2008/2009 foi implementado pela primeira vez, neste estabelecimento
de ensino, o MAABE. Como bem sabe, partindo das evidências recolhidas e dos resultados
obtidos, está em elaboração
oração um Plano de Melhoria e,, por solicitação do GRBE, a BE voltará
a ser alvo de avaliação no presente ano lectivo. A auto-avaliação
avaliação assume-se,
assume
indiscutivelmente, como uma prática de gestão indispensável ao bom funcionamento e
consequente sucesso de qualquer organização. Em contexto educativo, a avaliação deverá
consistir num processo de auto-responsabilização
auto por parte do Órgão de Gestão da Escola,
dos Professores e da Equipa da BE.
BE Permite estabelecer uma aliança entre a prática e a
análise reflexiva,, resultando num aferir de impactos, pontos fortes e pontos fracos.
Enquanto instrumento de regulação, a auto-avaliação conduz à mudança e melhoria
contínua.

Neste sentido, o MAABE prevê:

- O envolvimento de toda a comunidade escolar no processo

• Professora Bibliotecária – auto-responsabiliza-se pelo desenvolvimento do


processo, divulgando-o junto da equipa da BE e dos órgãos de
gestão/decisão pedagógica e conduzindo-o até ao momento da sua
conclusão;
• Órgãos de gestão e de decisão pedagógica – auto-responsabilizam-se pelo
desenvolvimento do processo, colaborando na divulgação dos objectivos
da auto-avaliação da BE;
• Professores - auto-responsabilizam-se pelo desenvolvimento do processo,
colaborando na planificação/dinamização de actividades conjuntas com a
BE e preenchendo nos prazos previstos os documentos de recolha de
evidências previamente definidos;
• Alunos e Encarregados de Educação - auto-responsabilizam-se pelo
desenvolvimento do processo, participando nas actividades com/da BE e
preenchendo nos prazos previstos os documentos de recolha de evidências
previamente definidos.

- O envolvimento do Conselho Pedagógico

• À semelhança do ano lectivo transacto, e porque o Conselho Pedagógico foi


quase totalmente renovado com a colocação de novos professores na
Escola, os elementos que constituem este órgão receberão informações e
directrizes da Professora Bibliotecária no que respeita ao MAABE.
• O relatório final de auto-avaliação da BE (que integra pontos fortes da
biblioteca, áreas de melhoria, o nível de desempenho alcançado e as
estratégias para eliminar os pontos fracos) será apresentado em Conselho
Pedagógico.
• O Conselho Pedagógico tecerá as orientações que estarão na base da
posterior elaboração do plano de melhoria a incidir sobre o domínio alvo
de avaliação no presente ano lectivo.
- Uma relação entre a auto-avaliação da BE e a auto-avaliação da Escola

• Proceder-se-á à integração do relatório final de auto-avaliação da BE no


documento de auto-avaliação da Escola, este último uma base para a
avaliação externa a realizar pela Inspecção Geral de Educação.

Para terminar, salienta-se que o processo de auto-avaliação da BE (já desenvolvido


no ano lectivo transacto) pretende aferir se a missão, as metas e os objectivos
estabelecidos para a Biblioteca Escolar estão ou não a ser alcançados, permitindo
identificar as práticas que têm sucesso e que deverão manter-se e as fragilidades que
importa melhorar.

Certa de que compreende os desafios que a Escola, a Biblioteca Escolar e os


restantes parceiros têm e terão na construção de saberes e de uma "Sociedade Cognitiva",
a Professora Bibliotecária da EBI c/JI Dr. Manuel Magro Machado solicita autorização para
dinamizar um workshop formativo em torno do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas
Escolares, cuja planificação se anexa a esta comunicação.

Santo António das Areias, 22 de Novembro de 2009

A Professora Bibliotecária

_________________________________________

(Paula Morgado)