Вы находитесь на странице: 1из 6

ESPAÇO-TEMPO E ALÉM

Bob Toben e Fred Alan Wolf em conversa com físicos teóricos

Os pensamentos aqui apresentados apóiam-se em recentes teorias científicas.

Todos eles fazem referência a artigos e comentários para os que desejam prosseguir em sua exploração.

A sabedoria de milhares de anos de experiência mística está caminhando de mãos dadas com o conhecimento que está emergindo de nossas ciências.

A imaginação está se expandindo.

Esta é a possível explicação agora mas, como a nossa consciência se modifica, nossos universos mudam, e outras interpretações podem então fazer mais sentido.

Isto é agora.

Muitas teorias científicas aqui apresentadas são totalmente especulativas.

A ESTRUTURA DO ESPAÇO-TEMPO

O universo físico não existe independentemente do pensamento dos participantes.

O

que denominamos realidade é construído pela mente.

O

mundo não é o mesmo sem você.

Construímos a nós mesmos e construímos uns aos outros para além do tempo. A seqüência temporal não tem significado, pois estas construções acontecem além do tempo. A maneira como olhamos as coisas afeta aquilo que olhamos por vias muito sutis. Por vias sutis, a maneira como prestamos atenção em nós mesmos e nos outros muda-nos continuamente em algo novo.

Percebidas a partir de dentro do espaço-tempo, estas unidades são auto-organizadoras. Todos os sistemas passam. Os processos da vida fluem.

Os campos organizam-se num processo de fluxo duplo. As funções de onda quântica proporcionam ao mundo respostas instantâneas. As ondas quânticas formam padrões no oceano de luz.

Pode o pensamento influenciar a intensidade das ondas quânticas? Construímos esta realidade a partir de tudo o que nos vem do tempo?

Tudo que podemos pensar ou perceber é trazido à percepção com nossos pensamentos individuais.

Cada construção de universo individual contém igualmente um número indefinido de outros universos, com todas as variações e todas as outras possibilidades.

Em padrões que variam constantemente cada universo individual forma todos os outros, e cada universo está conectado com cada um dos outros e com todos os outros. Conexão (pode ocorrer em níveis diferentes). O que está além dos universos é incompreensível. O espaço-tempo quadridimensional é destruído no colapso gravitacional e todas as leis da física são transcendidas!

Não há começo. Não há fim. Só há mudança.

As conexões, que se modificam continuamente entre os universos individuais, e a configuração de todas as realidades individuais constituem um processo continuo.

Não há começo e não há fim.

Cada realidade está constantemente formando e afetando todas as outras realidades além do tempo.

Para cada um de nós, existe simultaneamente um número indefinido de universos. Cada universo tem sua própria seqüência temporal. Cada universo pode ser uma ínfima variante do universo seguinte ou pode não ter relação alguma com ele.

A realidade “ordinária” que percebemos não é um universo único.

É a harmonia de fases dos movimentos de um número indefinidos de universos.

Todas as coisas são possíveis mas algumas são mais prováveis. Há um número indefinido de harmonias construindo um número indefinido de possibilidades. Nós existimos em todas as camadas de universo simultaneamente.

O único modo de romper e atravessar nossos cones de luz é com o pensamento. O salto quântico deve ocorrer a uma velocidade mais rápida que a da luz. Para outros níveis de consciência.

A gravitação reorganiza a luz para interpenetrar os universos. Os cones de luz de cada ponto do espaço-tempo ordinário (plano) são alinhados. Num forte campo gravitacional, os cones de luz inclinam-se e alinham-se em círculos. Somente deste modo eles podem saltar através do buraco negro, e cruzar a singularidade rumo ao interior de uma outra harmonia.

É possível viajar no espaço-tempo para o passado e para o futuro e, até mesmo, Para outros universos.

Num forte campo gravitacional, a luz reorganiza-se dentro de cada realidade e as realidades são comprimidas umas com as outras.

A viagem ocorre quando há um salto através da singularidade anular no interior de um buraco negro rotacional, onde as camadas de universo (harmonia) juntam-se umas às outras.

Todas as coisas estão interconectadas. Cada parte do seu universo está diretamente conectada a cada uma das outras partes. Antigo provérbio: Se você corta uma folha de grama, você abala o universo!

Você não pode mover-se sem influenciar todas as coisas no seu universo. Você não pode nem mesmo observar qualquer coisa sem modificar a objeto observado E até mesmo a si próprio.

Um quantum de energia de uma fonte de energia, ao tocar um objeto, faz com que seus átomos vibrem, modificando sutilmente o objeto. A energia refletida do objeto toca o observador e o modifica.

É possível que apenas pensando num objeto você possa modifica-lo e a si próprio. Quando um participante pensa num objeto isso modifica a função de onda quântica do participante que afeta diretamente o potencial quântico que afeta a função de onda quântica do objeto. O objeto de modifica sutilmente após “sentir” a instantânea força quântica operando fora da parede de luz .

Todo universo está vivo. Todo universo está interconectado.

A microestrutura do espaço tridimensional assemelha-se a um queijo suíço que apresenta flutuações incessantes.

As informações transmitem-se através de buracos de minhoca a velocidades ordinárias que aparentam ser maiores que a da luz aos observadores situados fora dos buracos de minhoca, conectando todos os pontos do espaço com todos os outros pontos. Em um número indefinido de padrões possíveis , mudando incessantemente , e executando seu

liga-desliga de freqüências incríveis, acima de 1.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000 vezes por segundo

Os universos auto-organizam-se. Os padrões do queijo suíço cósmico auto-organizam-se de maneira semelhante à do cérebro humano.

A auto-organização é necessária à nossa atual definição científica da vida.

Assim, se tudo é feito de queijo suíço cósmico, tudo, provavelmente, está vivo.

Há vida em todas as coisas? No nível submicroscópico todas as coisas estão se movendo, mudando, vibrando, crescendo, dissipando-se.

O

tempo não é absoluto.

O

espaço não é absoluto.

Num campo gravitacional muito intenso relativamente àquele onde o observador está situado, o tempo passa mais devagar

e as dimensões contraem-se do ponto de vista do observador.

Uma partícula clássica não tem tamanho fixo porque a gravidade altera o espaço e o tempo.

O campo gravitacional é tanto mais fraco quanto mais distante de sua influencia está a partícula.

O espaço é uma construção do pensamento.

A totalidade do universo,

todo o conhecimento está contido dentro de cada individuo e de cada coisa. Antigo provérbio: Conheça completamente um grão de areia

e você conhecerá o universo em sua totalidade.

Isso fica evidente se observarmos o microcosmos. Cada parte contém o todo. Um elétron é todos os elétrons. Uma partícula é todas as partículas.

A matéria nada mais é que luz (energia) capturada gravitacionalmente.

Quando olhamos suficientemente perto percebemos que um objeto não é “sólido”. Ela é sim, fantástica interação de anéis de luz, vibrando e rodopiando

no turbulento mar do espaço.

Matéria é luz capturada gravitacionalmente?

A incompreensível unidade insciente além do espaço-tempo torna-se ciente de si própria

Criando luz. A luz captura-se a si própria num colapso gravitacional! Formando um (míni) buraco negro quântico.

Na singularidade dentro do buraco negro não há espaço nem tempo.

A unidade fundamental da matéria pode ser formada de espuma quântica.

Observando de perto um buraco negro rotacional. Desenho

As “bolhas” de espuma quântica estão por toda parte. Somos ondulações num mar dessas bolhas. O tamanho do minuburaco negro/bolha não é absoluto. Ele se torna maior se observado mais de perto. Os miniburacos negros podem, ser semelhantes a este buraco negro astrofísico Que é imensamente maior.

A antimatéria é matéria num fluxo de tempo invertido.

Seria buraco branco/ buraco negro a unidade fundamental da matéria?

O mesmo processo que forma buracos negros forma também buracos brancos.

Só o tempo é invertido.

Assim o tempo flui em dois sentidos. Futuro – tempo – buraco negro – passado. Passado – tempo – buraco branco – futuro. Normalmente, só estamos cientes do fluxo num sentido: do passado para o futuro.

O espaço não é nada. É uma turbulência de miniburacos negros e miniburacos brancos (virtuais), ambos com massa positiva ou negativa incessantemente aparecendo e desaparecendo.

As partículas subnucleares são apenas ondulações no mar turbulento do espaço.

O movimento de um miniburaco negro “real” gera um padrão vibratório ou traço, Que detectamos como uma partícula subuclear.

Os átomos são formados por interações entre padrões vibratórios.

Os átomos interagem para formar moléculas, que por sua vez, também interagem,

O que detectamos como sendo nossos “corpos” físicos.

Sabemos apenas que existe algo que não é o espaço-tempo. Mas não sabemos o que é! Porque o além do espaço-tempo não é físico, é imensurável.

Na singularidade, todas as leis da física entram em colapso. Mas o que está além do espaço-tempo está dentro de todas as coisas.

Poderia o que está além do espaço-tempo conectar-se conosco e influenciar-nos dentro do espaço-tempo? Seria ele pura consciência?

A

onda quântica pode ser a portadora da consciência procedente do além espaço-tempo.

A

escala de organização do espaço-tempo é determinada pela onda.

O

grau de auto-organização da matéria é determinado pelo modo

como o turbulento mar responde à onda.

O fluxo vindo do além do espaço-tempo para dentro dele move-se nos dois sentidos.

Todas as coisas em todos os níveis de organização movimentam-se, basicamente, em sincrossimilaridade? Diferentes tamanhos de onda determinam diferentes níveis de organização. Uma vez, porém, que não existe, dentro do espaço-tempo tamanho absoluto, o tamanho da onda depende diretamente da maneira como ela é observada. Desse modo, podemos especular – há somente movimentos arquetípicos.

Todas as escalas de organização operam simultaneamente e movem-se sincrossimilarmente!!

Seria gravitação o mais importante dos campos? Campos eletromagnéticos são simplesmente “pegadas” na curvatura do espaço. Até mesmo os campos nucleares são apenas intensos campos gravitacionais de curto alcance. Os campos fracos que produzem neutrinos são também “pegadas” na curvatura do espaço.

Vibrações de padrões de pensamento em harmonias específicas estruturam toda a “matéria” e toda a luz da maneira como as experimentamos.

A mente pode ser um processador de realidades

que só nos autoriza uma estreita faixa de percepções de maneira que a realidade possa ser construída e aprimorada permitindo-nos, com isso, focalizar eventos específicos e experimentar o universo de maneira mais rica!