Вы находитесь на странице: 1из 14
Diego França Diogo Furlan
Diego França Diogo Furlan
Diego França Diogo Furlan

Diego França Diogo Furlan

Diego França Diogo Furlan

1885 – Conferência de Berlim

1885 – Conferência de Berlim Introdução “Há momentos em que o desenvolvimento está a tal ponto

Introdução

“Há momentos em que o desenvolvimento está a tal ponto amadurecido em todas as áreas da economia capitalista – no terreno da tecnologia, mercados financeiros, comércios, colônias – que é preciso ocorrer uma expansão extraordinária do mercado mundial. O conjunto da produção mundial será aumentado a um nível novo e mais abrangente. Neste momento, o capital começa a entrar num período de avanço impetuoso”.

I.Helphand (“Parvus”)

Esse pequeno trecho nos mostra que a economia mundial estava mudando de marcha, ou seja, tomando rumos diferentes. A doutrina capitalista de 1860 já não era mais útil para o mundo em mudança de 1880, então foi necessária a criação de uma nova doutrina capitalista. Helphand afirma que é preciso ocorrer uma expansão extraordinária do mercado mundial, isso nos remete diretamente à expansão ultramarina – pois através dela ocorreu a descoberta de novas terras, e assim, de novos mercados consumidores de produtos europeus - e assim, conseqüentemente, á conquista de outros territórios, como o continente africano, americano e outros territórios conquistados a partir dela. Essa expansão ultramarina acorreu para que as nações européias conseguissem mais produtos, pois o começo da nova era econômica ficou marcada pela depressão do comércio e da produção de matérias-primas – como o ferro. Assim a Europa foi obrigada a buscar novas fontes de matérias-primas para manter o grande desenvolvimento pelo qual estava passando. Com isso as nações européias começam a adotar o capitalismo industrial como nova filosofia econômica. O capitalismo industrial foi uma consequência da Segunda revolução industrial. Com ele houve uma nova divisão do trabalho, e a necessidade de mais matérias primas para manter o desenvolvimento dos paises europeus, isso

do trabalho, e a necessidade de mais matérias primas para manter o desenvolvimento dos paises europeus,

2

do trabalho, e a necessidade de mais matérias primas para manter o desenvolvimento dos paises europeus,

significava mais colônias. Historiadores definirão de modo sublime a nova filosofia econômica européia no século XIX:

“Agora ele (a nova doutrina capitalista) consistia numa pluralidade de ”economias nacionais” rivais, “protegendo-se” umas das outras.”

A mensagem do historiador é a seguinte: na Europa novas potências

estavam nascendo e chocando-se com as antigas, assim cada nação separada queria proteger sua própria economia para manter o próprio desenvolvimento livre de influências externas.

Os interesses capitalistas foram, não totalmente transformados, mas sim levemente alterados, visto que a idéia de lucro ainda persistia, porém a forma de obtê-lo mudara suavemente – isso ocorreu por causa da Segunda Revolução Industrial, a partir dela, inúmeros novos países sofreram o importante processo de industrialização.

A cada ano que se passa após a revolução francesa de 1789, fica mais

óbvio que as nações menos desenvolvidas são mais vulneráveis ao poderio dos países ricos. Isso porque possuem menos tecnologia e, desse modo, são mais fáceis de serem conquistados. Assim, o mundo se divide entre países desenvolvidos, ricos e com tecnologia superior, e os com baixo desenvolvimento, pobres e com tecnologias ultrapassadas: os países dominadores e os dominados. Nesse cenário, destaca-se a África, um continente sem identidade povoado por tribos de poucas conexões culturais e na grande maioria de completos selvagens. É necessário levar o progresso até lá. As nações européias civilizadas devem, assim, ajudar os selvagens africanos a se desenvolverem. Por conseqüência, ampliarão seu mercado consumidor e suas fontes de matéria- prima, solucionando o problema decorrente de sua intensa e bem sucedida industrialização. Para isso, foi necessário organizar uma reunião, na qual as nações dominadoras se juntarão e discutirão o futuro do continente africano de modo organizado e civilizado. Estamos à beira do século XX e devemos obter uma solução pacífica e organizada para o tema. Esta planilha enunciará alguns pontos da história da colonização africana; explicará resumidamente a situação européia como um todo, bem

po ntos da história da colonização africana; explicará resumidamente a situação européia como um todo, bem

3

po ntos da história da colonização africana; explicará resumidamente a situação européia como um todo, bem

como a situação norte americana a respeito dos interesses capitalistas sobre o continente africano por volta de 1880, algumas nações serão explicadas com maior destaque devido a importância dessas; por fim serão apresentados os tópicos fundamentais desta reunião, a Conferencia de Berlim.

a importância de ssas; por fim serão apresentados os tópicos fundamentais desta reunião, a Conferencia de

4

a importância de ssas; por fim serão apresentados os tópicos fundamentais desta reunião, a Conferencia de
Colonização Africana A colonização da África começou algu ns séculos antes desta conferência ser proposta

Colonização Africana

A colonização da África começou alguns séculos antes desta conferência

ser proposta e de todos os seus representantes sequer nascerem. Ela teve algumas etapas, as quais serão listadas mais abaixo, e teve motivos parecidos com alguns dos motivos da atual conferência de Berlim, como a busca pelo controle de postos de matéria prima e novos produtos, desconhecidos, ou não produzidos na Europa.

A primeira etapa da colonização começa timidamente, com a conquista

da cidade de Ceuta no litoral africano em 1415 pelo povo lusitano que, no início do século XV, era o mais desenvolvido em termos de tecnologia marítma.

A próxima etapa começa em 1430 quando a colonização é oficial. Houve

diversas expedições com destino no continente africano. Elas tiveram como meta, a busca de novos produtos a serem comercializados na Europa, e assim de lucro. Isso foi feito, no começo, por Portugal e Espanha, que também tinha um grande poderio marinho na época, e depois por diversos paises. Os primeiros começaram a montar pequenas feitorias (moradias provisórias no litoral, onde os colonizadores viviam e realizavam escambo com os nativos) e a comercializar com as tribos mais próximas. As tribos africanas recebiam peças sem valor dos europeus, em geral tecidos, todos de seda com cores vivas. Já os representantes da Europa conseguiam escravos negros. Assim começa o tráfico negreiro, que permaneceu por mais de 300 anos e gerou lucros absurdos para diversas nações européias. No século XVI, a África era um centro desse tráfico, hoje proibido em muitas localidades. Em 1530, são retirados mais de quatro mil escravos afro- descendentes. Até 1800, aproximadamente, é a atividade mais lucrativa a ser feita no continente africano. Atualmente a Africa se tornou um local perfeito para as potencias européias conseguirem matéria-prima barata e um novo mercado consumidor para seus produtos. Depois de explorar as tribos africanas do litoral os colonizadores avançaram cada vez mais para o interior e foram descobrindo cada vez mais produtos, e assim maiores possibilidades de lucro. Isso não foi feito por uma só nação, mas por diversos paises que tinham os mesmos

maiores possibilidades de lucro. Isso não foi feito por uma só nação, mas por diversos paises

5

maiores possibilidades de lucro. Isso não foi feito por uma só nação, mas por diversos paises

objetivos de lucrar. Essas expedições foram feitas, principalmente, por ingleses e franceses, que buscavam novos produtos. Isso estimulou outras expedições para o centro da África, como a do escocês Mungo Park, que passou mais de um ano longe de sua terra natal pesquisando a bacia do rio Niger. Acreditamos que as expedições mais recentes ao vasto continente africano foram feitas pelo português Serpa Pinto. Elas ocorreram entre novembro de 1877 e março de 1879, e ajudaram no mapeamento de muitas regiões, antes desconhecidas, entre Angola e Moçambique. Atualmente, fim do século XIX, o continente africano se encontra recortado e dividido por diversas nações diferentes de modo aleatório, ou seja, uma completa bagunça. Esse é mais um motivo para que essa conferência ocorra e refaça essa divisão de modo mais organizado, criando fronteiras bem delineadas entre as colônias.

ocorra e refaça essa divisão de modo mais organizado, criando fronteiras bem delineadas entre as colônias.

6

ocorra e refaça essa divisão de modo mais organizado, criando fronteiras bem delineadas entre as colônias.
Geografia Africana Notavelmente, a África tem grande parte de sua extensão de terra tomada por

Geografia Africana

Notavelmente, a África tem grande parte de sua extensão de terra tomada por desertos. Um terço do território é ocupado pelo deserto do Saara (8,6 milhões de km2). Nessa parte árida, porém, se localiza uma das regiões mais férteis do globo: a faixa de terra banhada pelo rio Nilo. Podem-se distinguir sete zonas climáticas e de vegetação. No centro do continente e na costa oriental de Madagascar, o clima e a vegetação são tropicais. O clima da costa de Guiné assemelha-se ao clima equatorial, mas tem apenas uma estação de chuvas. No norte e no sul, o clima próprio de floresta tropical é substituído por uma zona de clima tropical de savana que envolve 1/5 da África. Longe do equador, ao norte e ao sul, a zona do clima de savana transforma-se em uma zona de estepe seca. As zonas das extremidades noroeste e sudoeste são de clima mediterrâneo. Nos planaltos elevados da África meridional, o clima é temperado. A África tem uma área de clima árido, ou desértico, maior do que em qualquer outro continente, com exceção da Austrália. As florestas equatoriais ocorrem nas baixas latitudes, compreendendo a parte centro-ocidental da África. Como estão em áreas quentes e úmidas, possuem folhas largas (latifoliadas) e sempre verdes (perenes). As árvores podem ter até 60 m (castanheira). Apresentam grande variedade de espécies (floresta heterogênea). Os solos em geral são pobres. São conhecidas como autofágicas (que se alimentam de si mesmas) em função da grande quantidade de húmus proveniente das folhas, galhos e troncos. As savanas aparecem na faixa intertropical em locais onde ocorre uma estação seca (inverno), impedindo o aparecimento de florestas. São formações vegetais encontradas na larga faixa do centro da África, litoral da Índia. Têm plantas rasteiras (herbáceas), intercaladas por árvores de pequeno porte. No período de seca, as folhas caem para evitar a evaporação. Nas áreas desérticas, como no Saara, Kalaari, não há vegetação permanente. Em alguns locais, surge uma "erva rasteira" após as chuvas. Nas regiões onde aflora o lençol freático (lençol subterrâneo de água) podem surgir oásis, com palmeiras (tamareiras).

onde aflora o lençol freático (lençol subterrâneo de água) podem surgir oásis, com palmeiras (tamareiras). 7

7

onde aflora o lençol freático (lençol subterrâneo de água) podem surgir oásis, com palmeiras (tamareiras). 7

No que diz respeito à fauna, a África apresenta duas zonas diferenciadas.

A do norte e noroeste, que inclui o Saara e carateriza-se por uma fauna parecida

com a da Eurásia. A outra zona é a subsaariana, com uma grande variedade de animais, entre os quais estão os antílopes, as girafas, os elefantes africanos, os

leões e os leopardos. Além do Nilo, outros rios importantes para a África são o Congo, o Niger

e

o Zambeze. No que se refere aos lagos, a África possui alguns muitos extensos

e

profundos, a maioria situada no leste do continente, como o Vitória, o Niassa,

o

Rodolfo e o Tanganica. A maior parte da população africana constituída por diferentes povos

negros:

*sudaneses: em sua maior parte habitam as savanas que se

estendem do Atlântico ao vale superior do Rio Nilo. Vivem basicamente do agricultura ;

*bantos: habitam a metade do sul do continente e têm como

atividades principais a criação gado e a caça;

*nilóticos: são encontrados na região do Alto do Nilo e

caracterizam-se pela estatura elevada;

*pigmeus: de pequena estatura vivem, vivem principalmente na selva

do Congo e em seus arredores, onde baseiam sua subsistência na caça e na coleta de raízes;

*bosquimanos e hotentotes: habitam a região do Deserto

de Calaari, distinguem-se como grandes caçadores de antílopes e avestruzes.

hotentotes: habitam a região do Deserto de Calaari, distinguem-se como grandes caçadores de antílopes e avestruzes.

8

hotentotes: habitam a região do Deserto de Calaari, distinguem-se como grandes caçadores de antílopes e avestruzes.
Situação Européia A Europa, em 1880, passava por uma fase próspera, na qual muitas nações

Situação Européia

A Europa, em 1880, passava por uma fase próspera, na qual muitas

nações começavam sua industrialização e outras progrediam ainda mais no desenvolvimento. Detinha o controle do mundo, pois, quase todos os paises europeus, possuíam colônias intercontinentais, consequentemente dominando e influenciando boa parte do mundo. O mundo sentia o começo da globalização, as distâncias começavam a se encurtar, diversas evoluções aconteciam em diversos setores tecnológicos.

A invenção do telégrafo elétrico permitiu que as informações fossem

compartilhadas mais rapidamente. Em questão de horas informações poderiam rodar todo o globo terrestre. As estradas de ferro e a melhoria no rendimento dos motores permitiram que viagens, antes inviáveis ou até mesmo impossíveis, fossem realizadas em um período de tempo muito menor. De 1780 a 1880, a população mundial aumentou incrivelmente. Isso é apenas uma aproximação, pois os dados dos censos não são muito precisos. Na Europa, o aumento populacional foi ainda maior, proporcionalmente. Isso ocorreu, por ser o continente europeu o que mais se desenvolvia como um todo, devido à industrialização crescente em diversos países. Pelo que indicam as estatísticas, a renda per capta européia continuará aumentando exponencialmente. O PNB europeu também é incrivelmente superior ao de outras nações (cerca de duas vezes maior em 1830) e, pelo fantástico desenvolvimento do continente europeu, continuará crescendo rapidamente. Estatísticas mostram que, se continuar do jeito que está, em 30 anos, por volta de 1913, o PNB europeu será sete vezes maior do que o do resto do mundo. Isso nos mostra que a economia européia, além de estar em transformação, está em crescimento. Todos esse dados nos mostram que o continente europeu é o mais

desenvolvido dentre os todos os outros e que a África é um dos mais atrasados, não só em termos tecnológicos, mais em termos socioeconômicos. Por ter se desenvolvido tanto, a Europa saturou seu mercado consumidor. Diante da possibilidade de produzir cada vez mais e não ter para onde vender, surge a necessidade de descobrir novas fontes de matéria-prima e

produzir cada vez mais e não ter para onde vender, surge a necessidade de des cobrir

9

produzir cada vez mais e não ter para onde vender, surge a necessidade de des cobrir

mercado consumidor para os produtos industrializados. Isso pode ser resolvido

com a conquista de novas colônias, que geram lucro para a metrópole de diversas maneiras e suprem a necessidade atual. Dessa forma, iniciam-se atritos dentro do próprio continente europeu, uma vez que há uma constante disputa por colônias na África, extensa e inexplorada.

É importante ressaltar que o mundo da década de 1880 presencia uma

grande corrida armamentista, na qual diversos países investem grandes

quantias na indústria bélica, visando a proteção de suas colônias e suas nações. Como exemplo de nações que investem quantias absurdas na indústria bélica podemos citar Inglaterra, a Alemanha, o Império austro-húngaro, a Rússia, a Itália e a França, todas gastam em média 132 milhões de libras esterlinas.

A Europa é o centro do mundo na década atual e, por passar por uma era

de progresso e avanços tecnológicos, cada vez mais precisa obter um controle maior sobre a África.

por uma era de progresso e avanços tecnológicos, ca da vez mais precisa obter um controle

10

por uma era de progresso e avanços tecnológicos, ca da vez mais precisa obter um controle
Situação Lusitana Portugal foi pioneiro na colonização af ricana. Isso é devido às melhores condições

Situação Lusitana

Portugal foi pioneiro na colonização africana. Isso é devido às melhores condições para começar a expansão ultramarina em 1415. São elas:

Centralização do poder político nas mãos do rei; Mudança do sistema econômico para o mercantilismo , após a Revolução de Avis; Saída para o mar; Inovações em tecnologia marítima na Escola de Sagres.

Inovações em tecnologia marítima na Escola de Sagres. Dito isso, comecemos com a real expansão ultramarina
Inovações em tecnologia marítima na Escola de Sagres. Dito isso, comecemos com a real expansão ultramarina
Inovações em tecnologia marítima na Escola de Sagres. Dito isso, comecemos com a real expansão ultramarina
Inovações em tecnologia marítima na Escola de Sagres. Dito isso, comecemos com a real expansão ultramarina

Dito isso, comecemos com a real expansão ultramarina e consequentemente a colonização africana. Em 1415, Portugal dominou a cidade de Ceuta no litoral africano, em 1434 já tinha controle do Cabo Bojador

e em 1451, do Golfo da Guiné. Então, em 1453, a Constantinopla foi tomada

pelos bárbaros e houve a necessidade de um novo caminho para as Índias. Assim, em 1488, Vasco da Gama, Chegou ao Cabo da Boa Esperança e, dez anos depois, às Índias. Portugal conseguiu com essa expansão o controle de muitas colônias, não só na África como na América – as colônias foram feitas através do

seguinte processo: os portugueses chegavam ao litoral, estabeleciam feitorias

e começavam o comércio com as tribos litorâneas. Depois iam avançando cada

vez mais no coração do continente africano. Fosse isso, Portugal estaria muito bem, mas começou a adquirir diversas dívidas com a Inglaterra por diversos motivos. Assim foi perdendo muitas riquezas e terras para os ingleses. Atualmente possui alguns territórios, sendo que os mais importantes são Moçambique e Angola. Um projeto interessante seria unir essas duas colônias facilitando e barateando o transporte de produtos ao estabelecer uma ligação entre o oceano Atlântico e o Oceano Indico.

e barateando o transporte de produtos ao estabelecer um a ligação entre o oceano Atlântico e

11

e barateando o transporte de produtos ao estabelecer um a ligação entre o oceano Atlântico e

Situação FrancesaApenas quatorze anos após a derro ta para a Alemanha na Guerra Franco-prussiana, a França

Apenas quatorze anos após a derrota para a Alemanha na Guerra Franco-prussiana, a França carrega um profundo sentimento revanchista em relação aos alemães. Seu processo de industrialização foi afetado pela ausência de jazidas de

carvão no país e prejudicado pela derrota, visto que a França foi obrigada a ceder à Alemanha a região da Alsácia-Lorena, rica em jazida de ferro.

O país possui terras no continente africano, principalmente no norte e no

centro-oeste.

Situação Inglesaafricano, principalmente no norte e no centro-oeste. A Inglaterra foi pioneira na indust rialização pelos se

A Inglaterra foi pioneira na industrialização pelos seguintes fatores:

Acúmulo de riquezas pela Revolução Comercial; Disponibilidade de mão-de-obra; Supremacia naval e domínio do comércio marítimo, o que lhe permite organizar um imenso império colonial

o que lhe permite organizar um imenso império colonial A Revolução Industrial acelerou o processo de
o que lhe permite organizar um imenso império colonial A Revolução Industrial acelerou o processo de
o que lhe permite organizar um imenso império colonial A Revolução Industrial acelerou o processo de

A Revolução Industrial acelerou o processo de migrações do campo

para a cidade, o que intensificou o crescimento da população urbana e contribuiu para a formação de uma nova classe social, a operária. A jornada de trabalho, nas primeiras décadas de industrialização, durava de 14 a 16 horas diárias. Os baixos salários, em conseqüência de abundância de mão-de-obra e da utilização das máquinas reduziram o preço da força de trabalho a níveis de mera substância. O desemprego levou a uma formação do "exército industrial de reserva".

A Inglaterra possui colônias nas Américas, na Ásia e na costa oeste da

África.

industrial de reserva". A Inglaterra possui colônias nas Am éricas, na Ásia e na costa oeste

12

industrial de reserva". A Inglaterra possui colônias nas Am éricas, na Ásia e na costa oeste

Situação AlemãA Alemanha é uma nação jovem que com grandes pretensões desponta no cenário internacional. Há

A Alemanha é uma nação jovem que com grandes pretensões desponta

no cenário internacional. Há apenas quinze anos, o sentimento nacionalista despertado pela vitória sobre a França fomentou a unificação planejada pelo Chanceler Otto Von Bismarck, anfitrião da Conferência.

O país tem notável avanço tecnológico e já é considerado o segundo mais

industrializado da Europa. No entanto, devido à sua unificação tardia, não

possui colônias, problema que pode estar prestes a se solucionar.

Situação Norte-americanacolônias, problema que pode estar prestes a se solucionar. “Seja qual for a forma que escolhemos

“Seja qual for a forma que escolhemos para analisar a transformação dos EUA, se o final de um sonho revolucionário, ou início de uma era” Eric J. Hobsbawm

Os Estados Unidos da América foram achados e colonizados oficialmente pelo Reino Unido, ou seja, pela Inglaterra, em 1607, quando os primeiros colonizadores fundaram Jamestown. Depois disso os Estados Unidos da América ficaram sob domínio inglês até 4 de Julho de 1776, quando conseguiriam sua independência após uma dura e violenta batalha contra a Inglaterra. Após a independência os EUA se concentraram em expandir seu território, com a colonização do Oeste “Selvagem”; e aumentar sua economia, desenvolvendo o setor industrial ao máximo e expandindo sua área de influência. No Oeste, descobriram diversas minas de ouro, que ajudaram no seu desenvolvimento. Depois de ligarem os dois lados do novo país, conectando o oceano Pacífico ao Oceano Atlântico, os norte-americanos completaram sua

os dois lados do novo país, conectando o oceano Pacífico ao Oceano Atlântico, os norte-americanos completaram

13

os dois lados do novo país, conectando o oceano Pacífico ao Oceano Atlântico, os norte-americanos completaram

unidade territorial atual em 1867 quando compraram o Alasca do Império Russo.

Outro ponto importante para se levantar é a influencia norte americana sobre os paises sul-americanos, ou seja, a América do Sul e América central. Isso porque os Estados Unidos da América exerciam a política da boa-vizinhança e pregavam as idéias da doutrina Monroe – a qual tinha como base a seguinte mensagem: “A América para os Americanos”. Na década de 1880, acabam de sair de uma conturbada e sangrenta guerra civil e ainda estão definindo sua unidade territorial nacional. Vale ressaltar que boa parte do mundo, especialmente a Europa, está atenta aos Estados Unidos da América porque, no atual período, alguns milhões emigraram em direção à potência emergente. Portanto os Estados Unidos da América no final do século XIX demonstram ter grandes condições de superar a Europa (fato que, na opinião de poucos, já até ocorreu) no que se diz respeito a condições econômicas sociais, na melhoria da qualidade de vida local, tanto para moradores de longa data quanto para imigrantes. Uma potência em ascensão.

da qualidade de vida local, tanto para moradores de longa data quanto para imigrantes. Uma potência

14

da qualidade de vida local, tanto para moradores de longa data quanto para imigrantes. Uma potência