You are on page 1of 18

MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA

BIBLIOTECA ESCOLAR

AVALIAR PARA MUDAR…

WORKSHOP FORMATIVO

Novembro de 2009

Professora Bibliotecária: Carla Esmerado


Destinatários:

- Elementos do Órgão de Gestão;


- Coordenadores de Departamento;
- Coordenadores dos Directores de Turma;
- Equipa da BE.

Objectivos:

- Perceber a estrutura e os conceitos implicados na construção do Modelo de Auto-Avaliação


da BE;
- Entender os factores críticos de sucesso inerentes à sua aplicação;
- Reflectir sobre a importância da recolha sistemática de evidências.

 Temas a abordar:
1- Pertinência da existência de um Modelo de Auto-Avaliação para as BEs;
2- O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria. Conceitos implicados;
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
3- Organização estrutural e funcional;
4- Integração / Aplicação à realidade da escola / biblioteca escolar. Oportunidades e
constrangimentos;
5- Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe. Níveis de participação
da escola.

 Duração prevista:

- 2 horas.

Dinamizadora:

- Professora bibliotecária.

 Actividades:

- Apresentação do Powerpoint;
- Esclarecimento de dúvidas / debate de ideias;
- Preenchimento de um inquérito de avaliação da actividade.
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
“A biblioteca escolar proporciona informação e ideias
fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade
actual, baseada na informação e no conhecimento.
A biblioteca escolar desenvolve nos alunos competências
para a aprendizagem ao longo da vida e estimula a
imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos
responsáveis.”

Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"


1- Pertinência da existência de um Modelo de Auto-Avaliação para
as Bibliotecas Escolares.

A Biblioteca Escolar:

 Contribui positivamente para a qualidade do o processo de ensino e da


aprendizagem
 Ajuda a promover o sucesso educativo
 Promove o desenvolvimento de competências de aprendizagem ao longo da
vida…
…por isso…

…é importante conhecer o impacto que as actividades realizadas pela e


com a BE têm no processo de ensino e na aprendizagem (“Evidence-based
practice puts emphasis on student learning outcomes.” 1), bem como o grau de
eficiência dos serviços prestados e de satisfação dos utilizadores da BE. 2

1 Ross (2002)

2 Modelo de Auto-avaliação. Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"


2- O Modelo enquanto instrumento pedagógico e de melhoria.

Conceitos implicados.

- Processo continuado que implica a recolha sistemática de evidências – Evidence - based


practice 1
- Noção de valor: experiência e benefícios que se retiram da avaliação;

- Avaliação da qualidade e eficácia da BE, como processo pedagógico e regulador


busca da melhoria contínua da BE;

- Processo pedagógico e regulador, adaptado à realidade de cada escola;

- Não constitui um fim; deve conduzir à reflexão, contribuindo para a mudança concreta de
práticas .

1 Ross (2002)
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
3- Organização estrutural e funcional.

“representam as áreas
essenciais para que a BE
cumpra, de forma efectiva, os
4 DOMÍNIOS pressupostos e os objectivos
que suportam a sua acção
no processo educativo.” 2
“apontam para as áreas nucleares
em que se deverá processar o trabalho
da/com a BE e que têm sido
identificados como elementos
determinantes e com um impacto
positivo no ensino e na aprendizagem.” 2
2 Modelo de Auto-avaliação.
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
Domínios a avaliar:

A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular


 A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os
docentes
 A.2. Desenvolvimento da literacia da informação

B. Leitura e Literacias

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à

Comunidade
 C.1. Apoio a actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento
curricular
 C.2. Projectos e Parcerias

D. Gestão da Biblioteca Escolar


 D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços
prestados pela BE
 D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços
 D.3. Gestão da colecção
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
Os domínios serão avaliados em função dos seguintes critérios:

 Indicadores : áreas essenciais de intervenção em cada domínio;

 Factores críticos de sucesso: situações, ocorrências e acções que operacionalizam o


respectivo indicador;

 Recolha de evidências: instrumentos de recolha de evidências de suporte ao processo


de avaliação (registos de observação, questionários, checklists, registos estatísticos,
informação documental, registos de reuniões / contactos…)

 Estratégia de melhoria: conjunto de acções promotores da qualidade da acção da BE


em cada domínio.

Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"


Exemplo de avaliação de um subdomínio:

Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"


Etapas do processo de aplicação:

1ª Selecção do domínio a avaliar;

2ª Recolha de evidências (através de questionários, documentos, actas, registos…);

3ª Tratamento da informação recolhida: gestão e interpretação dos dados;

4ª Identificação do perfil de desempenho;

5ª Registo da auto-avaliação;

6ª Divulgação dos resultados;

7ª Elaboração e divulgação de um plano de melhoria.


Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
4- Integração / Aplicação à realidade da escola / biblioteca
escolar. Oportunidades e constrangimentos.
-Identifica pontos
-Trabalho
fracos e fortes;
colaborativo;
OPORTUNIDADES
- Estabelece
- Articulação
prioridades de
com toda a
acção;
escola;
Adopção de uma
cultura de avaliação.

-Demasiada burocracia;

-Falta de formação da equipa


CONSTRANGIMENTOS (tratamento estatístico…);

- Ensino ainda muito individualista


que limita o trabalho colaborativo.
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
5- Gestão participada das mudanças que a sua aplicação impõe.
Níveis de participação da escola.

“Espera-se que o processo de auto-avaliação mobilize toda a escola, melhorando


através da acção colectiva as possibilidades oferecidas pela BE.” 2

Para concretizar todo este processo de auto-avaliação, há necessidade de


envolvimento de diferentes tipos de actores e utilizadores:

 Professora bibliotecária;
 Equipa e colaboradores da BE;
 Órgãos de gestão da escola;
 Docentes;
 Alunos;
 Encarregados de Educação;
 Todos os utilizadores da BE.
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
2 Modelo de Auto-avaliação.
IMPACTO DA AUTO-AVALIAÇÃO DA BE

- Na BE:
- Identificação das práticas bem sucedidas;
- Identificação e melhoria dos pontos mais fracos;
- Afirmação e reconhecimento do papel da BE.

- Na Escola:
- (Re)conhecimento da trabalho da BE;
- Melhoria ao nível da articulação entre a comunidade educativa e BE;
- Melhoria ao nível das aprendizagens dos alunos.

Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"


MODOS DE COMUNICAÇÃO DOS RESULTADOS

- Elaboração de um Relatório de auto-avaliação;

- Divulgação do Relatório no Órgão de Gestão e Conselho Pedagógico;

- Integração do Relatório de auto-avaliação da BE no relatório anual de


actividades da escola.

Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"


Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
 Espaço para esclarecimento de dúvidas.

 Reflectindo sobre o subdomínio do Modelo de Auto – Avaliação:

A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os


docentes

De que forma poderemos concretizar esta articulação com cada


uma das áreas?

- Solicito que, na próxima reunião de Departamento, reflictam


sobre este assunto e que procurem apresentar sugestões de actividades
com vista à articulação entre a BE e as várias áreas disciplinares.
Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"
BIBLIOGRAFIA:

Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-Avaliação

Texto da sessão, disponibilizado na plataforma.

Eisenberg, Michael & Miller, Danielle (2002) “This Man Wants to Change Your
Job”, School Library Journal. 9/1/2002
<http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html> [09/11/2009].

Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers: learning outcomes and


evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General Conference August.
http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf [09/11/2009].

Todd, Ross (2008) “The Evidence-Based Manifesto for School Librarians”.


School Library Journal. 4/1/2008. <
http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA6545434.html> [09/11/2009].

Unesco (1999). Manifesto da Unesco sobre as bibliotecas escolares, disponível


em http://www.apbad.pt/pmanif_bibescol.htm [12/11/ 2009].

Workshop "AVALIAR PARA MELHORAR"