Вы находитесь на странице: 1из 22

6.

ª SESSÃO – O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO

Integração da auto-avaliação da BE na avaliação da escola/agrupamento

Avaliação das Escolas Auto-avaliação da BE

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)

1.1 Contexto físico e social B. – Leitura e Literacia A BE disponibiliza uma


B.1 – Trabalho da BE ao colecção variada e adequada
 Qual é o impacto, no funcionamento da escola,
serviço da promoção da aos gostos, interesses e
das características sociológicas dos diferentes necessidades dos utiliza-
núcleos populacionais onde se insere? leitura na escola/
dores.
 No caso dos agrupamentos, existem agrupamento.
A BE identifica novos públicos
diferenças relevantes para cada um dos e adequa a colecção e as
estabelecimentos? práticas às necessidades e às
práticas desses públicos
1. CONTEXTO E
(CEF, EFA, CNO, outros).
CARACTERIZAÇÃO GERAL C. – Projectos, parcerias e
DA ESCOLA actividades livres e de
abertura à comunidade
C.1 – Apoio a actividades
livres, extra-curriculares e de
A BE apoia as actividades
enriquecimento curricular
livres de leitura, estudo e
C.1.1 – Apoio à aquisição e
execução de trabalhos
desenvolvimento de métodos escolares, realizadas fora do
de trabalho e de estudo horário lectivo e de contextos
autónomos. formais de aprendizagem.
2

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)

D. – Gestão da BE
D.3 – Gestão da Colecção/da
Informação
D.3.2 – Adequação dos livros A colecção é equilibrada em
e de outros recursos de quantidade, entre suportes
informação (no local e online)
online) (impresso e não impresso) e
entre as diferentes áreas
às necessidades curriculares
(recreativa e relacionada com
e aos interesses dos
o currículo), garantindo
utilizadores na escola/ condições de acesso e uso a
agrupamento.
agrupamento todos os utilizadores.

1. CONTEXTO E
CARACTERIZAÇÃO GERAL
D. – Gestão da BE
DA ESCOLA
D.2 – Condições humanas e
(cont.) 1.2 Dimensão e condições físicas da escola materiais para a prestação de
 Como avalia a escola ou agrupamento a serviços
dispersão/concentração dos seus espaços D.2.3 – Adequação da BE em A BE reflecte e integra os
escolares? termos de espaço às normativos definidos pelo
 Qual o impacto da diversidade de níveis de necessidades da escola/ ME/RBE.
educação e de ensino ministrados, bem como agrupamento.
agrupamento A BE disponibiliza condições
do número de crianças/alunos e de de espaço capazes de
responder, no seu
grupos/turmas?
funcionamento, às
 As instalações da escola apresentam um nível solicitações da comunidade
de qualidade e segurança adequado? escolar e a uma utilização
 Há uma adequada diversidade dos espaços diversificada.
específicos? O mobiliário é adequado em
termos de ergonomia,
quantidade, …

Margarida Carvalho
3

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)

B – Leitura e Literacia
B.1 – Trabalho da BE ao A BE identifica problemáticas
e dificuldades neste domínio
1.3 Caracterização da população discente serviço da promoção da
e delineia acções e
 Como avalia o impacto do nível leitura na escola/agrupa- programas que melhorem as
socioeconómico das famílias dos alunos mento. situações identificadas.
(escolaridade e áreas profissionais
predominantes nos encarregados de
educação) no seu percurso escolar?
 Qual é o impacto da diversidade linguística,
cultural e étnica dos alunos?
 Há problemas específicos com a assiduidade
1. CONTEXTO E dos alunos?
CARACTERIZAÇÃO GERAL  Como caracteriza a população discente no
DA ESCOLA tocante à necessidade de apoios D. – Gestão da BE
(cont.) socioeducativos? D.1 – Articulação da BE com
a Escola/Agrupamento. Aces-
1.4 Pessoal docente so e serviços prestados pela
 Como caracteriza o pessoal docente, tendo em BE
atenção o seu vínculo à escola e experiência D.1.2 – Valorização da BE Os órgãos de administração e
profissional? pelos órgãos de direcção, gestão põem em prática uma
política de afectação de
 Atendendo a estes factores, que critérios administração e gestão da
recursos humanos adequados
segue a escola para a distribuição do serviço escola/ agrupamento.
agrupamento às necessidades de desenvol-
docente? vimento da BE.
 Que impacto têm os níveis de assiduidade dos D.2 – Condições humanas e
docentes na organização das actividades da materiais para a prestação de
escola? serviços
D.2.1 – Liderança do PB na O PB exerce uma liderança
escola/agrupamento.
escola/agrupamento forte e eficaz promovendo:
O trabalho sistemático e a

Margarida Carvalho
4

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
comunicação com os órgãos
de direcção, administração e
gestão … e demais estruturas
de coordenação educativa e
supervisão pedagógica.
1.4 Pessoal docente (cont.)
Uma participação efectiva no
 Como caracteriza o pessoal docente, tendo em conselho pedagógico e
atenção o seu vínculo à escola e experiência demais estruturas de
profissional? coordenação educativa e
 Atendendo a estes factores, que critérios supervisão pedagógica…
segue a escola para a distribuição do serviço Uma gestão integrada que
docente? rentabilize recursos…
 Que impacto têm os níveis de assiduidade dos Uma boa gestão dos recursos
humanos…
docentes na organização das actividades da
A mobilização das comuni-
1. CONTEXTO E escola? dades educativa e escolar …
CARACTERIZAÇÃO GERAL A implementação da auto-
DA ESCOLA avaliação…
(cont.)

D.2.2 – Adequação dos O PB afecto possui


recursos humanos às formação e competências
necessidades de funciona- adequadas ao seu
mento da BE na escola/ conteúdo funcional, nos
agrupamento.
agrupamento termos da legislação
vigente.
A equipa é pluridisciplinar,
adequada em número e
possui formação e
competências adequadas
ao seu conteúdo funcional.
O PB e a equipa têm uma

Margarida Carvalho
5

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
atitude proactiva.

[Referência aos funcionários


1.5 Pessoal não docente não docentes que integram a
equipa da BE ( D.2.2)]
 O número de funcionários não docentes e a
D. – Gestão da BE
sua distribuição por nível de ensino são
D.1 – Articulação da BE com
adequados? E o seu vínculo?
a Escola/Agrupamento. Aces-
 Como estão organizadas as áreas funcionais
so e serviços prestados pela
administrativas e de suporte ao ensino e qual
BE
é a sua capacidade de resposta? A BE funciona num horário
D.1.3 – Resposta da BE às contínuo e alargado que
 Que impacto têm os níveis de assiduidade dos
necessidades da escola/ possibilita o acesso dos
1. funcionários não docentes na organização das
CONTEXTO E agrupamento.
agrupamento utilizadores no horário lectivo
actividades da escola?
CARACTERIZAÇÃO GERAL e acompanha as
DA ESCOLA necessidades de ocupação
(cont.) em horário extra lectivo.
A BE cria condições e é usada
como recurso e como local de
lazer e de trabalho.
D. – Gestão da BE
D.1 – Articulação da BE com
1.6 Recursos financeiros a Escola/Agrupamento. Aces-
 O financiamento da escola é adequado? A so e serviços prestados pela
escola tem sido capaz de, autonomamente, BE. Os órgãos de administração e
mobilizar recursos? D.1.2 – Valorização da BE gestão atribuem uma verba
 Como e quem, na escola, define as opções pelos órgãos de direcção, anual para a renovação de
orçamentais? administração e gestão da equipamentos, para a
escola/agrupamento.
escola/agrupamento actualização da colecção e
para o funcionamento da BE.
D.3 – Gestão da Colecção/da
Informação. A política documental

Margarida Carvalho
6

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
D.3.1 – Planeamento/gestão encontra-se definida para a
da colecção de acordo com a escola/agrupamento.
inventariação das neces- A política de desenvolvimento
da colecção está formalizada
sidades curriculares e dos
e foi submetida ao parecer do
1. CONTEXTO E 1.6 Recursos financeiros (cont.) utilizadores da escola/
conselho pedagógico –
CARACTERIZAÇÃO GERAL  O financiamento da escola é adequado? A agrupamento.
agrupamento documento – Política de
DA ESCOLA escola tem sido capaz de, autonomamente, Desenvolvimento e Gestão da
(cont.) mobilizar recursos? Colecção.
 Como e quem, na escola, define as opções As práticas de avaliação,
orçamentais? desbaste, de selecção e
aquisição de documentação
são realizadas de acordo com
as orientações definidas.

2.1 Prioridades e objectivos A – Apoio ao Desenvol-


 Que prioridades estão subjacentes ao projecto vimento Curricular
educativo? A.1 – Articulação Curricular
 Que objectivos estabelece para as áreas mais da BE com as Estruturas de
relevantes? Coordenação Educativa e
Supervisão Pedagógica e os
Docentes
2. O PROJECTO
A.1.1 – Cooperação da BE A BE colabora com o conselho
com as estruturas de pedagógico no sentido de se
EDUCATIVO integrar no projecto
coordenação educativa e
educativo, no regulamento
supervisão pedagógica da
interno e nos planos anual e
escola/agrupamento.
plurianual de actividades.

B – Leitura e Literacia A leitura e a literacia constam


B.2 – Integração da BE nas como meta no projecto
estratégias e programas de educativo e curricular, em
leitura ao nível da articulação com a BE.

Margarida Carvalho
7

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
escola/agrupamento.

D. – Gestão da BE
2.1 Prioridades e objectivos (cont.) D.1 – Articulação da BE com
 Que prioridades estão subjacentes ao projecto a Escola/Agrupamento. Aces-
educativo? so e serviços prestados pela
 Que objectivos estabelece para as áreas mais BE
relevantes? D.1.1 – Integração/acção da A escola inclui a BE na
BE na escola/ agrupamento.
agrupamento formulação e desenvol-
vimento da sua missão,
princípios e objectivos
estratégicos de aprendi-
zagem.

2.2 Estratégias e planos de acção D.1.2 – Valorização da BE Os órgãos de administração e


2. O PROJECTO  Que áreas privilegia a escola para o pelos órgãos de direcção, gestão (conselho geral, director,
desenvolvimento educativo? administração e gestão da conselho pedagógico) apoiam a
EDUCATIVO
 Que acções são desencadeadas e que relação escola/agrupamento.
escola/agrupamento BE e envolvem-se na procura
(cont.) de soluções promotoras do
têm com as prioridades do projecto
educativo? seu funcionamento.
 Como são envolvidas as diferentes estruturas D.1.1 – Integração/acção da O PB tem assento no
e órgãos de administração e gestão e como BE na escola/ agrupamento.
agrupamento conselho pedagógico.
são distribuídas responsabilidades? O regulamento interno da
 Qual é a estratégia da escola para a formação escola contempla:
contínua de docentes e não docentes em -Missão e objectivos da BE;
função do projecto educativo? -Organização funcional do
espaço;
-Organização e gestão dos
recursos de informação;
Gestão dos recursos
humanos afectos à BE;
-Serviços prestados à
comunidade escolar no

Margarida Carvalho
8

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
âmbito do projecto
educativo;
Regimento do funcionamento
das BE.
2.2 Estratégias e planos de acção (cont.)
O plano de desenvolvimento
 Que áreas privilegia a escola para o da BE acompanha, em
desenvolvimento educativo? termos de acção estratégica,
 Que acções são desencadeadas e que relação o projecto educativo da
2. O PROJECTO têm com as prioridades do projecto escola e outros projectos.
EDUCATIVO educativo? O plano anual de actividades
 Como são envolvidas as diferentes estruturas da BE relaciona-se, em
(cont.)
e órgãos de administração e gestão e como termos de objectivos
são distribuídas responsabilidades? operacionais, com o apoio ao
currículo, com o plano anual
 Qual é a estratégia da escola para a formação
de actividades da escola e
contínua de docentes e não docentes em com outros projectos em
função do projecto educativo? desenvolvimento.

3.1 Estruturas de gestão A – Apoio ao Desenvol-


 Como caracteriza o funcionamento das várias vimento Curricular
estruturas e órgãos da escola e o seu A.1 – Articulação Curricular
relacionamento? da BE com as Estruturas de
 Como caracteriza o funcionamento das Coordenação Educativa e
estruturas de orientação e a abrangência da Supervisão Pedagógica e os
3. A ORGANIZAÇÃO E sua acção? Docentes
A.1.1 – Cooperação da BE A BE colabora com os
GESTÃO DA ESCOLA
com as estruturas de departamentos
coordenação educativa e curriculares /áreas
disciplinares para conhecer os
supervisão pedagógica da
diferentes currículos,
escola/agrupamento.
programas e orientações
curriculares, visando
integrar-se nas suas

Margarida Carvalho
9

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
planificações.
A BE colabora com os
coordenadores de estabeleci-
mento de ensino, os
3.1 Estruturas de gestão (cont.)
conselhos de turma e com os
 Como caracteriza o funcionamento das várias docentes titulares das turmas
estruturas e órgãos da escola e o seu com o objectivo de conhecer
relacionamento? os diferentes projectos
 Como caracteriza o funcionamento das curriculares …
estruturas de orientação e a abrangência da A utilização da BE é
sua acção? rentabilizada pelos docentes
no âmbito das suas
actividades lectivas…
A.1.2 – Parceria da BE com
os docentes responsáveis A BE programa com os
docentes responsáveis o
3. A ORGANIZAÇÃO E pelas áreas curriculares não
apoio às áreas de projecto.
GESTÃO DA ESCOLA disciplinares (ACND) da A BE colabora com os
(cont.) escola/agrupamento. docentes das turmas e/ou
directores de turma na
concepção e realização de
actividades no âmbito da
formação cívica
A BE contribui para o
enriquecimento do trabalho
de estudo acompanhado…
A.1.3 – Articulação da BE
A utilização da BE é
com os docentes
rentabilizada pelos docentes
responsáveis pelos serviços em actividades de educação
de apoios especializados e especial e apoios educativos
educativos (SAE) da desenvolvidos em parceria
escola/agrupamento. com a BE ou de forma
autónoma.

Margarida Carvalho
10

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
A.1.4 – Ligação da BE ao
Plano Tecnológico da A BE participa no PTE e no
Educação (PTE) e a outros plano TIC no sentido de
promover a utilização das TIC
3.1 Estruturas de gestão (cont.) programas e projectos
no contexto das actividades
 Como caracteriza o funcionamento das várias curriculares de acção,
curriculares.
estruturas e órgãos da escola e o seu inovação pedagógica e A BE apoia os docentes no
relacionamento? formação existentes na desenvolvimento de outros
 Como caracteriza o funcionamento das escola/agrupamento. programas e projectos (PNL,
estruturas de orientação e a abrangência da Plano Nacional do Ensino do
sua acção? Português, Plano de Acção da
Matemática, Educação para a
Saúde, Educação para a
Cidadania, Formação em Ensino
Experimental das Ciências,
Desporto Escolar, Centro de
Novas Oportunidades, outros).
A utilização da BE é
3. A ORGANIZAÇÃO E
rentabilizada pelos docentes
GESTÃO DA ESCOLA em actividades …relacionadas
(cont.) com a utilização das TIC e …
outros programas e
projectos.
A.1.5 – Integração da BE no
plano de ocupação dos A utilização da BE é
tempos livres escolares (OTE) rentabilizada em actividades
de estudo, leitura e pesquisa
da escola/agrupamento.
orientada, clubes, uso das
TIC ou outras actividades
relacionadas com a OTE.
A.1.6 – Colaboração da BE
com os docentes na O plano de actividades da BE
inclui actividades de apoio
concretização das actividades
curricular a turmas/grupos
curriculares desenvolvidas no /alunos.
espaço da BE ou tendo por A Equipa da BE participa com

Margarida Carvalho
11

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
base os seus recursos. os docentes em actividades
de sala de aula, quando
solicitada.
3.1 Estruturas de gestão (cont.) A – Apoio ao Desenvol-
 Como caracteriza o funcionamento das várias vimento Curricular
estruturas e órgãos da escola e o seu A.2-
A.2- Promoção das Literacias
relacionamento? da Informação, Tecnológica e
 Como caracteriza o funcionamento das Digital
estruturas de orientação e a abrangência da A.2.1 – Organização de
O plano de trabalho da BE
sua acção? actividades de formação de
inclui actividades de
utilizadores na escola/
formação de utilizadores com
agrupamento. turmas/grupos/alunos e com
docentes no sentido de
promover o valor da BE,
motivar para a sua utilização,
esclarecer sobre as formas
3. A ORGANIZAÇÃO E
como está organizada e
GESTÃO DA ESCOLA ensinar a utilizar os
(cont.) diferentes serviços.
A.2.2 – Promoção do ensino
em contexto de competências A BE promove a integração,
de informação na escola/ com as estruturas de
agrupamento. coordenação educativa e
supervisão pedagógica e dos
docentes, de um plano para a
literacia da informação no
projecto educativo e
curricular e nos projectos
curriculares das turmas.
A.2.3 – Promoção do ensino
em contexto de competências Os projectos escolares de
tecnológicas e digitais na iniciativa da BE, ou apoiados
escola/ agrupamento. por ela, incluem actividades
de consulta e produção de

Margarida Carvalho
12

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
informação e de intercâmbio
e comunicação através das
TIC…
A equipa da BE organiza e
3.1 Estruturas de gestão (cont.)
participa em actividades de
 Como caracteriza o funcionamento das várias formação para docentes e
estruturas e órgãos da escola e o seu alunos no domínio da literacia
relacionamento? tecnológica e digital.
 Como caracteriza o funcionamento das A equipa da BE apoia os
estruturas de orientação e a abrangência da utilizadores na selecção e
sua acção? utilização de recursos
electrónicos e media, de
acordo com as suas
necessidades.

A.2.4 – Impacto da BE nas Os alunos incorporam no seu


3. A ORGANIZAÇÃO E competências tecnológicas, trabalho … as diferentes fases
GESTÃO DA ESCOLA digitais e de informação dos do processo de pesquisa e
(cont.) alunos na escola/agrupa- tratamento de informação:
mento. identificam fontes de
informação e seleccionam
informação, recorrendo quer
a obras de referência e
materiais impressos, quer a
motores de pesquisa,
directórios, bibliotecas digi-
tais ou outras fontes de
informação electrónicas,
organizam, sintetizam e
comunicam a informação
tratada e avaliam os
resultados do trabalho
B. – Leitura e Literacia realizado.

Margarida Carvalho
13

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
B.1 – Trabalho da BE ao A BE promove acções forma-
serviço da promoção da tivas que ajudem a
leitura na escola/ desenvolver as competências
na área da leitura.
3.1 Estruturas de gestão (cont.) agrupamento.
A BE incentiva a leitura
 Como caracteriza o funcionamento das várias informativa, articulando com
estruturas e órgãos da escola e o seu os departamentos curricu-
relacionamento? lares no desenvolvimento de
 Como caracteriza o funcionamento das actividades de ensino e
estruturas de orientação e a abrangência da aprendizagem ou em
sua acção? projectos e acções que
incentivem a leitura.
A BE incentiva a leitura em
ambientes digitais explorando
as possibilidades facultadas
pela WEB.

3. A ORGANIZAÇÃO E
B.2– Integração da BE nas
GESTÃO DA ESCOLA
estratégias e programas de A BE articula actividades com
(cont.) os docentes…
leitura ao nível da
escola/agrupamento.

D. – Gestão da BE
D.1 – Articulação da BE com
a Escola/Agrupamento. Aces-
so e serviços prestados pela
BE
D.1.1 – Integração/acção da
BE na escola/ agrupamento.
agrupamento A BE adequa os seus
objectivos, recursos e
actividades ao currículo
nacional, ao projecto
curricular da escola e aos

Margarida Carvalho
14

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
projectos curriculares das
turmas.

3.1 Estruturas de gestão (cont.) D.1.2 – Valorização da BE


 Como caracteriza o funcionamento das várias pelos órgãos de direcção, Os órgãos de administração e
estruturas e órgãos da escola e o seu administração e gestão da gestão … e os departamentos
relacionamento? escola/agrupamento.
escola/agrupamento curriculares estabelecem
estratégias visando a
 Como caracteriza o funcionamento das
articulação entre a BE e as
estruturas de orientação e a abrangência da demais estruturas
sua acção? educativas.

Os docentes valorizam o
papel da BE e integram-na
nas suas práticas de
ensino/aprendizagem.
3. A ORGANIZAÇÃO E D.1.3 - Resposta da BE às
necessidades da escola/
GESTÃO DA ESCOLA A BE desenvolve projectos
agrupamento.
agrupamento
(cont.) com a escola/agrupamento.

A BE assume-se como pólo


de fomento e de difusão
cultural.

D.3 – Gestão da Colecção/da


Informação
D.3.3 – Uso da colecção
pelos utilizadores da escola/
agrupamento.
A BE assegura a circulação de
fundos documentais em todo
o agrupamento.

Margarida Carvalho
15

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)

3.2 Gestão pedagógica C. – Projectos, parcerias e


 Quais as opções de gestão pedagógica para a actividades livres e de
construção da equidade e da justiça, abertura à comunidade
assegurando a integração de todos na C.1 – Apoio a actividades
comunidade educativa? livres, extra-curriculares e de
 Como é feita a supervisão pedagógica e a enriquecimento curricular
monitorização dos resultados? C.1.2 – Dinamização de
 Como é assegurada a qualidade científica e actividades livres, de carácter
pedagógica da actividade lectiva? lúdico e cultural na escola/
Os alunos encontram na BE
 Como são apoiados os professores com agrupamento.
agrupamento
um conjunto de propostas de
dificuldades no desempenho das suas actividades visando a
funções? utilização criativa dos seus
3. A ORGANIZAÇÃO E tempos livres, que lhes
GESTÃO DA ESCOLA permitem desenvolver a
(cont.) sensibilidade estética e o
C.1.3 – Apoio à utilização gosto pelas artes, ciências e
autónoma e voluntária da BE humanidades.
como espaço de lazer e livre
fruição dos recursos. Os alunos beneficiam de
acesso livre e permanente à
BE.
D. – Gestão da BE
D.3 – Gestão da Colecção/da
Informação
D.3.5 – Difusão da
informação.
A BE organiza e difunde
listagens de recursos de
informação (documentos

Margarida Carvalho
16

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
impressos, recursos digitais e
online) …
A BE usa a página WEB e a
denominada segunda geração
3.3 Procedimentos de auto-avaliação D. – Gestão da BE
de serviços disponibilizados…
institucional D.1 – Articulação da BE com
 Como é que a escola monitoriza e avalia a sua a Escola/Agrupamento. Aces-
actividade e resultados? so e serviços prestados pela
 Que agentes internos e apoios externos são BE.
envolvidos nos procedimentos de auto- D.1.4 – Avaliação da BE na
avaliação institucional? escola/agrupamento.
A BE implementa um sistema
de auto-avaliação contínuo.
Os instrumentos de recolha
da informação são aplicados,
de forma sistemática, e no
3. A ORGANIZAÇÃO E decurso do processo de
GESTÃO DA ESCOLA gestão.
Os órgãos de administração e
(cont.)
gestão são envolvidos no
processo de auto-avaliação
da BE.
Os resultados da auto-
avaliação são divulgados
junto dos órgãos de direcção,
administração e gestão
(conselho geral, director,
conselho pedagógico), estru-
turas de coordenação
educativa e de supervisão
pedagógica, e da restante
comunidade ….
A auto-avaliação da escola
integra os resultados da

Margarida Carvalho
17

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
auto-avaliação da BE

4.1 Articulação e participação dos pais e B – Leitura e Literacia


encarregados de educação na vida da escola B2 – Integração da BE nas A BE envolve a família em
estratégias e programas de projectos ou actividades na
 Que acolhimento e incentivo são
leitura ao nível da área da leitura.
proporcionados à participação dos pais e
encarregados de educação na vida da escola e escola/agrupamento.
ao acompanhamento dos educandos?
 Como caracteriza os índices de participação C. – Projectos, parcerias e
dos pais e encarregados de educação? actividades livres e de
abertura à comunidade
C.2 – Projectos e parcerias.
C.2.4 – Estímulo à A BE desenvolve projectos ou
4. LIGAÇÃO À participação e mobilização actividades continuadas com
os pais/EE em diferentes
COMUNIDADE dos pais/encarregados de
domínios.
educação no domínio da
A BE promove acções de
leitura e do desenvolvimento formação para pais /EE.
de competências das crianças
e jovens que frequentam a
escola/agrupamento.
escola/agrupamento

4.2 Articulação e participação das autarquias C.2.1 – Envolvimento da BE A BE tem a iniciativa ou está
implicada em projectos de
 Qual o nível de participação das autarquias na em projectos da respectiva
âmbito regional, nacional ou
vida da escola? escola/agrupamento ou
internacional.
 Quais as áreas principais de cooperação? desenvolvidos em parceria, a
nível local ou mais amplo.
amplo
4.3 Articulação e participação das instituições
locais – empresas, instituições sociais e C.2.2 – Desenvolvimento de A BE desenvolve actividades
culturais e projectos em comum com
trabalho e serviços
outras escolas, agrupamentos
 Qual o nível de participação das instituições colaborativos com outras

Margarida Carvalho
18

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
locais na vida da escola? escolas, agrupamentos e BE. e BE.
 Que áreas de cooperação são mais
frequentes? C.2.3 – Participação com
O PB participa com carácter
outras escolas/agrupamentos
regular em reuniões de
e, eventualmente, com
trabalho concelhias ou
outras entidades (RBE, DRE, interconcelhias promovidas
CFAE) em reuniões da pela BM/SABE, RBE ou outro
BM/SABE ou outro grupo de parceiro.
trabalho a nível concelhio.
4. LIGAÇÃO À
COMUNIDADE
C.2.5 – Abertura da BE à
(cont.) A BE funciona em parceria
comunidade local. com a Junta de freguesia, ou
com a CM e BM, de modo a
garantir a sua abertura à
comunidade local.

5.1 Disciplina e comportamento cívico


 Que importância é atribuída à educação para a
cidadania no projecto educativo?
 Há situações graves de indisciplina ou
violência? Como é que a escola as enfrenta?
5. CLIMA E AMBIENTES
C. – Projectos, parcerias e
5.2 Motivação e empenho actividades livres e de
EDUCATIVOS
 Que formas de recepção e acolhimento dos abertura à comunidade
alunos tem a escola instituídas? C.1 – Apoio a actividades
 Qual a estratégia de integração dos novos livres, extra-curriculares e de
docentes? enriquecimento curricular
 De que meios de informação e comunicação C.1.4 – Disponibilização de A formação de monitores é
dispões a escola para a integração e o espaços, tempos e recursos incentivada, bem como o

Margarida Carvalho
19

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
envolvimento da comunidade escolar? para a iniciativa e apoio dos alunos mais velhos
intervenção livre dos alunos.
alunos aos mais jovens e a
entreajuda entre todos.
5.2 Motivação e empenho (cont.) C.1.5 – Apoio às actividades
 Que formas de recepção e acolhimento dos A BE planeia com os
de enriquecimento curricular
alunos tem a escola instituídas? responsáveis a realização de
(AEC), conciliando-as com a
AEC, sempre que estas têm
 Qual a estratégia de integração dos novos utilização da BE.
BE lugar no espaço da BE ou têm
docentes? por base a utilização dos seus
 De que meios de informação e comunicação recursos.
dispões a escola para a integração e o D. – Gestão da BE
envolvimento da comunidade escolar? D.2 – Condições humanas e
materiais para a prestação de
serviços
D.2.4 – Adequação dos
computadores e Os equipamentos respondem
em actualidade, adequação e
5. CLIMA E AMBIENTES equipamentos tecnológicos
funcionalidade aos desafios
ao trabalho da BE e dos que o paradigma actual
EDUCATIVOS
utilizadores na escola/ coloca e ao trabalho e uso da
(cont.) agrupamento. documentação em diferentes
suportes.
O n.º de computadores
responde à procura e às
solicitações da escola/
agrupamento.
O hardware está actualizado
e o software responde às
exigências das solicitações.
O PB rentabiliza possibi-
lidades de afectação de
recursos e de trabalho no
contexto do desenvolvimento
do PTE…
A BE funciona em rede…

Margarida Carvalho
20

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
A BE recorre a diferentes
tipos de ferramentas: WEB,
plataforma…
5.2 Motivação e empenho (cont.)
 Que formas de recepção e acolhimento dos D.3 – Gestão da Colecção/da
alunos tem a escola instituídas? Informação
5. CLIMA E AMBIENTES  Qual a estratégia de integração dos novos D.3.4 – Organização da
Informação. Informatização O catálogo está pesquisável
EDUCATIVOS docentes?
da colecção. online.
(cont.)  De que meios de informação e comunicação
dispões a escola para a integração e o
envolvimento da comunidade escolar?

6. RESULTADOS 6.1 Resultados académicos B – Leitura e Literacia Os alunos usam o livro e a BE


 Como avalia a escola os resultados B.3 – Impacto do trabalho da para ler de forma recreativa,
académicos? BE nas atitudes e para se informar ou para
 A escola procede a uma avaliação sistemática competências dos alunos, no realizar trabalhos escolares.
dos resultados escolares numa perspectiva âmbito da leitura e da Os alunos, de acordo com o
temporal – evolução nos últimos 3 a 4 anos? literacia. seu ano/ciclo de escolaridade,
Que indicadores de referência a escola manifestam progressos nas
competências de leitura …
elabora e trabalha?
Os alunos desenvolvem
 Como é feita a análise do sucesso dos alunos trabalhos onde interagem
nos diferentes níveis de educação e ensino? com equipamentos e
Como se tem em conta a qualidade desse D. – Gestão da BE ambientes informacionais
sucesso? D.1 – Articulação da BE com variados…
a Escola/Agrupamento. Aces-
so e serviços prestados pela BE.
D.1.2 – Valorização da BE A escola encara a BE como
pelos órgãos de direcção, recurso fulcral no desenvol-
administração e gestão da vimento do gosto pela leitura,
escola/agrupamento. na aquisição das literacias
escola/agrupamento
fundamentais, na progressão

Margarida Carvalho
21

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
nas aprendizagens e no
sucesso escolar.

6.2 Resultados sociais da educação A – Apoio ao Desenvol-


 Tem a escola um conhecimento sistemático do vimento Curricular
impacto da sua acção educativa? A.2-
A.2- Promoção das Literacias
 Que estratégias de monitorização e da Informação, Tecnológica e
remediação do abandono escolar são Digital
prosseguidas? Os alunos demonstram…
A.2.4 – Impacto da BE nas compreensão sobre proble-
 Tem conhecimento do percurso escolar e/ou competências tecnológicas, mas éticos, legais e de
profissional dos alunos após a saída da digitais e de informação dos responsabilidade social asso-
escola? alunos na escola/ agrupa- ciados ao acesso, avaliação e
mento. uso da informação e das
novas tecnologias.

A.2.5 – Impacto da BE no Os alunos estabelecem entre


si um ambiente de confiança
desenvolvimento de valores e
e de respeito mútuo,
atitudes indispensáveis à
cumprindo normas de
formação da cidadania e à actuação, de convivência e de
aprendizagem ao longo da trabalho, inerentes ao
vida. sistema de organização e
funcionamento da BE.
Os alunos revelam valores de
cooperação, autonomia e de
responsabilidade…
Os alunos demonstram
atitudes de curiosidade,
iniciativa, criatividade e
reflexão crítica, necessários a
uma aprendizagem baseada
em recursos.

Margarida Carvalho
22

Campos de Domínio Factores Críticos de


Tópicos descritores dos campos de análise
análise Subdomínio Sucesso
IGE
IGE Indicadores (referenciais)
7. OUTROS ELEMENTOS RELEVANTES PARA A CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA
Dezembro de 2009

Margarida Carvalho