Вы находитесь на странице: 1из 6
GEOTECNOLOGIAS: acessibilidade aos bancos de dados gratuitos na WEB Otacílio Santos de Araújo 1 ,

GEOTECNOLOGIAS: acessibilidade aos bancos de dados gratuitos na WEB

Otacílio Santos de Araújo 1 , Thiago Rossi Domingues 1 , Antonio Carlos Silveiro da Silva 1 , Edgley Pereira da Silva 2 , Rivanildo Dallacort 2

1 Engenheiro Florestal, Mestrando em Biodiversidade e Agroecossistemas Amazônicos, e-mail: otaciliorayk@gmail.com; thiagorossimt@gmail.com; 2 Doutor em Agronomia, Dept. Agronomia - UNEMAT, e-mail: edyps2004@hotmail.com; rivanildo@pq.cnpq.br

Universidade do Estado de Mato Grosso, Alta Floresta MT, Brasil, Campus II - Av. Perimetral Rogério Silva, s/n-Jardim Flamboyant - Fone: (66) 3521-1464 / 4991

RESUMO

É notório o acentuado papel da internet na difusão e acesso das geotecnologias espaciais, sendo a mídia mais promissora na propagação desses aparatos tecnológicos a sociedade. Nesta perspectiva o objetivo do trabalho é realizar um levantamento das fontes ligadas a geociências, disponíveis gratuitamente na internet que possam auxiliar professores e acadêmicos do Curso de Engenharia Florestal no âmbito da tecnologia espacial, bem como apresentar de forma facilitada o acesso a geotecnologias. O levantamento baseou no envio de e-mail ao corpo docente do curso de engenharia florestal e em pesquisa a artigos científicos sobre geotecnologias. As áreas que apresentaram uso e que dispunham dados gratuitamente na internet foram: Arborização Urbana, Ecologia, Geologia e Solos, Incêndios Florestais, Meteorologia e Climatologia, Planejamento: Manejo de Fauna, Manejo de Bacias Hidrográficas, Impactos Ambientais, Sensoriamento Remoto e SIG, e Topografia; nessas áreas foram levantados 34 URL (links). Com este trabalho acredita-se ter cooperado com a divulgação de sites úteis sobre as geotecnologias, visando destacar que estes são meios poderosos para se atingir vários dos objetivos propostos pelo curso de Engenharia Florestal.

Palavras Chave: Sensoriamento Remoto, SIG, Dados geoespaciais.

ABSTRACT

GEOTECHNOLOGY: accessibility to databases free on the Web

It is notorious the sharp role of the internet in the dissemination and access of spatial geo-technologies, the most promising media in the spread of these technological devices society. In this perspective the objective is to survey the sources linked to geosciences, freely available on the internet that can assist teachers and academics students of Forestry within space technology, and to present an easier way to access geo. The survey was based on sending e-mail to the faculty of the course of forestry research and scientific articles on geotechnology. The areas that showed use and data that had been free on the internet: Urban Forestry, Ecology, Geology and Soils, Forest Fires, Meteorology and Climatology, Planning: Wildlife Management, Watershed Management, Environmental Impacts, Remote Sensing and GIS, and topography; these areas were raised 34 URL (links). This work is believed to have cooperated with the dissemination of useful sites on geotechnology, aiming to emphasize that these are powerful means to achieve several of the objectives proposed by the course of Forestry.

Keywords: Remote Sensing, GIS, geospatial data.

INTRODUÇÃO

As geotecnologias referentes aos Sistemas de Informações Geográficas (SIG) e ao Sensoriamento Remoto e suas aplicações nos diferentes campos do conhecimento têm aumentado (FLORENZANO, 2005), e apesar da aplicação nas áreas das ciências da terra e ambientais, essas tecnologias não têm sido suficientemente exploradas, isso devido à falta de formação continuada e os avanços da tecnologia (DORNELAS et al., 2009). A expansão da utilização de Sistemas de Informações Geográficas (SIGs) tem permitido a caracterização espaço-temporal de variáveis ambientais. O desenvolvimento de sistemas computacionais para aplicações gráficas vem, cada vez mais, influenciando as áreas de cartografia, mapeamento, análise de recursos naturais e planejamento urbano e regional (CARVALHO & DI MAIO, 2011). Diante isso, há uma crescente disponibilidade de SIGs, tais como o gvSIG, o SPRING, o Quantum GIS, o Terraview, o Maxent, e também

dados orbitais, como aqueles dos satélites CBERS e LANDSAT, disponibilizados na Internet de forma gratuita,

dados orbitais, como aqueles dos satélites CBERS e LANDSAT, disponibilizados na Internet de forma gratuita,

proporcionando fomentar a inclusão digital e a melhoria da qualidade do ensino nas escolas públicas (SILVA et al., 2012).

É notório o acentuado papel da Internet na propagação e acesso a este novo aparato tecnológico, uma

vez que diferentes instituições, privadas ou governamentais, estrangeiras ou brasileiras têm liberado o acesso a seus dados, produtos e pesquisas para a comunidade (CARVALHO & DI MAIO, 2011), constituindo a internet a mídia mais promissora na difusão e acesso a estas novas tecnologias junto a sociedade (OLIVEIRA FILHO & DISPERATI, 2009). Nesta perspectiva, explorando essa ferramenta, a presente pesquisa objetiva realizar um levantamento das fontes ligadas a geociências, disponíveis gratuitamente na internet que possam auxiliar professores e acadêmicos do Curso de Engenharia Florestal no âmbito da tecnologia espacial, bem como apresentar de forma facilitada o acesso a geotecnologias. Espera-se ainda, que o produto gerado neste trabalho auxilie também a conscientizar o público-alvo da importância do uso das informações geoespaciais em suas atividades acadêmicas

e profissionais.

MATERIAIS E MÉTODOS

A primeira fase constitui em enviar um e-mail aos docentes do Curso de Engenharia Florestal,

perguntando se eles desfrutam de alguns sites que disponibiliza gratuitamente fonte de dados de geotecnologia, e

o mesmo, solicitando que especificasse os links e suas aplicações.

A segunda fase constitui em pesquisa de artigos científicos na internet sobre geotecnologias e suas

aplicações, uma vez, que os autores citam suas fontes de dados utilizados.

A terceira etapa, após serem elencados os sites que disponibiliza Banco de Dados gratuitos, eles

formam classificados de acordo com sua abordagem dentro da grade do curso de Engenharia Florestal Campus Alta Floresta-MT, enquadrando nas disciplinas vigentes no curso de graduação. Desta forma, facilita a especialidade na busca, para os professores e alunos a acessar sites específicos da disciplina. Com intuito de tornar o material mais didático, foram inseridas breves explicações dos objetivos de cada página, e algumas

especificações de aplicações dos dados disponíveis. Em seguida foram classificados os sites mais relevantes, ou seja, sites que dispunham Bancos de Dados com abrangência nacional, internacional e instituições.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Visando melhorar o entendimento e a busca por informações, os sites catalogados pelo levantamento foram distribuídos em oito áreas importantes do curso de engenharia florestal. Dentro das oito áreas de estudo foram catalogados 34 sites que disponibilizam Bancos de Dados gratuitos na WEB sobre geociências, a saber: (a) Sensoriamento Remoto e SIG, com 6 sites, (b) Meteorologia e Climatologia, com 6 sites, (c) Ecologia, com 6 sites, (d) Geologia e Solos, com 4 sites, (e) Topografia, com 4 sites, (f) Planejamento: Manejo de Fauna, Manejo de Bacias Hidrográficas, Impactos Ambientais, com 4 sites, (g) Incêndios Florestais, com 2 sites e (h) Arborização Urbana, com 2 sites.

De forma geral, foi observado que a maioria das áreas do curso de Engenharia Florestal faz o uso das

geotecnologias, demonstrando a importância de reunir e especificar as diversas fontes dos Bancos de Dados para difundir o conhecimento.

O aumento acelerado das informações advindas das geotecnologias exige que o cidadão desenvolva a

capacidade de selecioná-las, considerando seus objetivos, isso implica no desenvolvimento de analisar, e reclassificar a informação (MEC, 2000). Entendemos que a proposta de difundir e disponibilizar os links que direciona os docentes e discentes a sites específicos da área, torna as aulas mais didáticas e aumentam as aplicações e experimentos fazendo uso destas fontes de dados e informações. Menezes et al. (2004) enfatizam que o uso das novas geotecnologias espaciais como recurso didático no processo ensino-aprendizagem

desmitifica a ideia que a geotecnologia é algo distante e abstruso. Foi elaborado um organograma (Figura 1) com as oito áreas de estudo e os órgãos/instituições detentores dos bancos de dados.

Portal Brasileiro de Dados Abertos Arborização Urbana IBGE Species Link. Fundação SOS Mata Atlântica Ecologia
Portal Brasileiro de Dados Abertos Arborização Urbana IBGE Species Link. Fundação SOS Mata Atlântica Ecologia
Portal Brasileiro de Dados Abertos
Arborização Urbana
IBGE
Species Link.
Fundação SOS Mata Atlântica
Ecologia
ImazonGeo
Dados do PROBIO
PMDBBS
SIGMINE
MMA
Geologia e Solos
GeoPortal Digital
GEOBANK
BDQUEIMADAS
Incêndios Florestais
LAPIG
HidroWEB
INMET
Meteorologia e Climatologia
Worldclim
The Nature Conservancy
NEO NASA Earth Observations
GeoSNIC
DEGRAD
Planejamento
EMBRAPA Amazônia Oriental
SIMRPPN
CDSR
USGS
Sensoriamento Remoto e SIG
IBAMA
PRODES
DETER
CGIAR-CSI
Brasil em Relevo
Topografia
Topodata
ASTER GDEM
GEOTECNOLOGIAS

Figura 1. Organograma das áreas de estudo e os órgãos/instituições detentores dos bancos de dados. Figure 1. Organizational chart of the study areas and organs / institutions holders of database.

Com finalidade de tornar o material mais didático e acessível, as URL (links) foram inseridas para direcionar o usuário as fontes de Bancos de Dados, conforme a área de conhecimento.

Arborização Urbana:

Portal Brasileiro de Dados Abertos: possibilita download no formato shepefile de malha geométrica dos municípios brasileiros, auxilia na organização urbana: http://dados.gov.br/dataset/malha-geometrica-dos- municipios-brasileiros; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): possibilita download de mapas estatísticos, regiões de influencia das cidades, divisão urbana e regional, entre outros: ftp://geoftp.ibge.gov.br/.

Ecologia: Species Link: Estão acumulados mais de dois milhões de registros georreferenciado, resultantes das pesquisas

Ecologia:

Species Link: Estão acumulados mais de dois milhões de registros georreferenciado, resultantes das pesquisas ou contidos em acervos de coleções biológicas nacionais e estrangeiras, possibilita o download das ocorrências das espécies: http://splink.cria.org.br/; Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE): permite download de diversas informações sobre o Bioma Atlântico: http://mapas.sosma.org.br/; ImazonGeo - Geoinformação sobre a Amazônia - Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia:

permite o download de dados ambientais: http://www.imazongeo.org.br/doc/downloads.php PROBIO (Mapas de Cobertura Vegetal dos Biomas Brasileiros) Ministério do Meio Ambiente (MMA): Possibilita download de mapas de cobertura dos biomas brasileiros:

http://mapas.mma.gov.br/mapas/aplic/probio/datadownload.htm; PMDBBS: Projeto de Monitoramento dos Biomas Brasileiros por Satélite - Cerrado Ministério do Meio Ambiente (MMA): Disponibiliza imagens de satélites e shapefile de monitoramento:

http://siscom.ibama.gov.br/monitorabiomas/cerrado/index.htm; PMDBBS: Projeto de Monitoramento dos Biomas Brasileiros por Satélite - Pantanal Ministério do Meio Ambiente (MMA): Disponibiliza imagens de satélites e shapefile de monitoramento:

http://siscom.ibama.gov.br/monitorabiomas/pantanal/pantanal.htm.

Geologia e Solos:

SIGMINE: Informações Geográficas da Mineração - DNPM: Departamento Nacional de Produção Mineral: possibilita o download de dados geológicos e mineração: http://sigmine.dnpm.gov.br/webmap/; Ministério do Meio Ambiente (MMA): Mapas de geologias e vários temas ambientais:

http://mapas.mma.gov.br/i3geo/datadownload.htm;

GeoPortal Digital - EMBRAPA Solos (CNPS): Apresenta um vasto acervo sobre pedologia, geologia e meio ambiente, permite o download dos dados no formato ESRI Shapefile (.shp):

http://mapoteca.cnps.embrapa.br/; GEOBANK: Banco de Dados de Informação Geocientífica - Serviço Geológico do Brasil (CPRM) informações geocientíficas do Serviço Geológico Brasileiro, permite o download dos dados no formato ESRI Shapefile (.shp), KML e outros: http://geobank.sa.cprm.gov.br/.

Incêndios Florestais:

BDQUEIMADAS: Banco de Dados Queimadas - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE):

permite download de dados de focos de queimadas: http://www.dpi.inpe.br/proarco/bdqueimadas/; LAPIG: Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento Universidade Federal de Goiás (UFG): permite download de áreas queimadas e cenários futuros do desmatamento e mudanças climáticas:

http://www.lapig.iesa.ufg.br/lapig/index.php/produtos/dados-vetoriais#queimadas.

Meteorologia e Climatologia:

HidroWeb Agência Nacional de Águas (ANA): possibilita o download de arquivos no formato ESRI Shapefile (.shp) sobre precipitação: http://hidroweb.ana.gov.br/; INMET- Instituto Nacional de Meteorologia: possibilita o download das variáveis climáticas oriundas de estações automáticas, convencionais e radiossondas: http://www.inmet.gov.br/; Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos: disponibiliza dados meteorológicos http://bancodedados.cptec.inpe.br/; Worldclim Global Data Clima: disponibiliza dados climáticos para modelagem ecológica de GIS, com uma serie histórica, atuais e futuro, baseado nos dados do Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) http://www.worldclim.org/; The Nature Conservancy Climate chance Knowledge Portal: possibilita fazer o download de dados meteorológicos de uma série histórica por área demarcada: http://climatewizardextreme.org/; NEO NASA Earth Observations National Aeronautics and Space Administration (NASA): permite download de imagens de satélites e produtos como irradiação solar, temperatura dos oceanos, entre outros:

http://neo.sci.gsfc.nasa.gov/.

Planejamento: Manejo de Fauna, Manejo de Bacias Hidrográficas, Impactos Ambientais. GeoSNIC: Sistema Nacional de Informações das Cidades Ministério das Cidades (MCidades):

disponibiliza acesso a shapefile de Hidrografia, Zonas Climáticas, Unidades Federais, Biomas e software livres com tutorias: http://www.brasilemcidades.gov.br/src/html/downloads.html; Ministério do Meio Ambiente (MMA): Disponibiliza dados vetoriais, base cartográfica, Unidades Conservação, Bacias Hidrográficas, Zoneamento Econômico Ecológico, Biomas, e outros. Possibilita o download pelo site: http://mapas.mma.gov.br/i3geo/datadownload.htm;

DEGRAD: Mapeamento da Degradação Florestal na Amazônia Brasileira – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

DEGRAD: Mapeamento da Degradação Florestal na Amazônia Brasileira Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE): mapeia áreas em processo de degradação, possibilita o download dos dados produzidos no formato Shapefile: http://www.obt.inpe.br/degrad/; EMBRAPA Amazônia Oriental - Zoneamento Ecológico-Econômico da Rodovia BR-163: possibilita o download dos dados ambientais: http://zeebr163.cpatu.embrapa.br/index.php; SIMRPPN: Sistema Informatizado de Monitoria de RPPN (Reservas Particulares do Patrimônio Natural) - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), permite o download dos dados das unidades de conservação e outros dados ambientais: http://sistemas.icmbio.gov.br/simrppn/publico/.

Sensoriamento Remoto e SIG:

Centro de Dados de Sensoriamento Remoto (CDSR) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE): possibilita o download de imagens dos satélites da série CBERS (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) 2 e 2B; LANDSAT 1, 2, 3, 5 e 7; ResourceSat-1, Terra 1, Aqua 1: http://www.dgi.inpe.br/CDSR/; U.S. Geological Survey (USGS) Global Visualization Viewer (GLOVIS): possibilita o download de imagens da série LANDSAT 01 até 08, imagens MODIS e outros: http://glovis.usgs.gov/; Institudo Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA): Acervo de série

histórica

http://siscom.ibama.gov.br/mapoteca_img/landsat_georef_html/LANDSAT- GEORREFERENCIADA.html; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA): Acervo de Imagens CBERS georreferenciadas: http://siscom.ibama.gov.br/mapoteca_img/cbers_georef_html/CBERS- Georreferenciado.html; PRODES: Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE): possibilita download de mapas com desmatamento por Unidades de Conservação, Município e outros: http://www.dpi.inpe.br/prodesdigital/prodes.php; DETER: Sistema de Detecção de Desmatamentos em Tempo Real Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE): Possibilita o download de imagens MODIS e dados vetoriais no formato Shapefile:

http://www.obt.inpe.br/deter/indexdeter.php.

Imagens LANDSAT georreferenciadas:

de

Topografia:

Consortium for Spatial Information / Consultative Group for International Agriculture Research

(CGIAR-CSI) - SRTM: Shuttle Radar Topography Mission : disponibiliza gratuitamente o Modelo Digital de

Elevação por

http://srtm.csi.cgiar.org/SELECTION/inputCoord.asp; Brasil em Relevo - EMBRAPA Monitoramento por Satélite (CNPM): disponibiliza gratuitamente o Modelo Digital de Elevação por interferometria, com correções altimétrica feitas para o Brasil, com resolução espacial 90m: http://www.relevobr.cnpm.embrapa.br/download/index.htm; Topodata: banco de dados geomorfométricos locais do Brasil: possibilita o download de Modelo Digital de Elevação (MDE) derivado do MDE SRTM, refinados por krigagem para uma resolução espacial de 30m:

interferometria com resolução espacial de 90m:

http://www.dsr.inpe.br/topodata/acesso.php ou http://www.webmapit.com.br/inpe/topodata/; ASTER GDEM Advanced Spaceborne Thermal Emission And Reflection Radiometer: disponibiliza gratuitamente o Modelo Digital de Elevação por estereoscopia óptica convencional, com resolução espacial de 30m: http://gdex.cr.usgs.gov/gdex.

CONCLUSÃO

Acredita-se ter cooperado com a divulgação de sites úteis sobre as geotecnologias. Este trabalho torna-se de fundamental importância na exploração de técnicas de sensoriamento remoto e SIG, contudo, não se teve o intuito de exaurir todas as fontes de bancos de dados, e sim destacar que elas são meios poderosos para se atingir vários dos objetivos propostos pelo curso de Engenharia Florestal.

REFERÊNCIAS

CARVALHO, M. V. A.; DI MAIO, A. C. Proposta para a difusão de dados e informações geoespaciais disponíveis gratuitamente na internet junto aos graduandos e professores da educação básica. Anais do XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Curitiba, Brasil, INPE, p. 3351-3358, 2011.

DORNELAS, T. S.; CARVALHO, M. V. A.; SLOVINSCKI, N. C.; DI MAIO, A. C. Sensoriamento remoto na WEB: acesso livre a materiais instrutivos como subsídio as aulas de Geografia. Anais XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Natal, Brasil, INPE, p. 2405-2412, 2009.

FLORENZANO, T. G. Geotecnologias na Geografia Aplicada: difusão e acesso. Revista do Departamento de Geografia

FLORENZANO, T. G. Geotecnologias na Geografia Aplicada: difusão e acesso. Revista do Departamento de Geografia, v. 17, p. 24-29, 2005.

MENEZES, P. M. L.; CRUZ, C. M. M.; SAMPAIO, A. C. F. O uso de dados do sensoriamento remoto como recurso didático para o ensino da cartografia na geografia/Use of the Remote Sensing Products like Didactic Resource to Education of Cartography in Geography. Caminhos de Geografia, v. 5, n. 13, 2004.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio Parte II:

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 71 p. 2000.

OLIVEIRA FILHO, P. C.; DISPERATI, A. A. O geoprocessamento na Internet. AMBIÊNCIA, v. 3, n. 3, p. 413-434, 2009.

SILVA, S. M. P.; FAUSTINO, A. B.; SILVA, M. R. S. A formação de recursos humanos e materiais para o ensino de geografia em escolas públicas com apoio de sensoriamento remoto (SR) e de sistemas de informações geográficas (SIG). Revista Geotemas, v. 2, n. 1, p. 99-109, 2012.