You are on page 1of 48

FAÇA E ACONTEÇA

Programa de Capacitação
Empresarial

GESTÃO DE
CUSTOS
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS
Sumário

Introdução 5

Módulo 1: Os custos no dia a dia do Empresário

TÓPICO 1: O QUE SÃO CUSTOS E DESPESAS 9


TÓPICO 2: O CONCEITO DE FIXO E VARIÁVEL 11
TÓPICO 3: IDENTIFICANDO E CALCULANDO OS CUSTOS 14

Módulo 2: Estou ganhando dinheiro com a venda do


produto/serviço?

TÓPICO 1: MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO – GANHANDO O JOGO 31


TÓPICO 2: PONTO DE EQUILÍBRIO – O JOGO DO ZERO A ZERO 35
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS
INTRODUÇÃO

O
O lá, pessoal! Neste módulo vamos falar sobre a Gestão de Cus-
tos das empresas.

O quê! Você é daqueles que não gosta de números?


Odeia matemática e qualquer coisa relacionada a ela?
Bom pessoal, o nosso objetivo é que você mude um pouco essa visão
e perceba a real importância de conhecer os conceitos fundamentais de
uma boa Gestão de Custos.
Vamos encarar a Gestão de Custos como uma habilidade que precisa-
mos desenvolver para a melhoria das nossas vidas e da saúde dos nossos
negócios.
Afinal de contas, se não sei quanto eu gasto, como posso saber se
estou ganhando dinheiro?
Com um pouquinho de esforço a gente chega lá.

Para conseguirmos alcançar estes objetivos, iremos tratar dos seguin-


tes assuntos:

Módulo1: Os custos no dia a dia do Empresário

Tópico 1: O que são Custos e Despesas


Tópico 2: O Conceito de Fixo e Variável
Tópico 3: Identificando e Calculando os Custos

Módulo 2: Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?

Tópico 1: Margem de Contribuição – Ganhando o jogo


Tópico 2: Ponto de Equilíbrio – O jogo do zero a zero
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS
OO lá, pessoal!

O seu negócio pode ser uma grande idéia, mas assim como a estratégia,
recursos humanos, processos, finanças e marketing são importantes para a
empresa, saber calcular e controlar os custos dos produtos/serviços ofereci-
dos é essencial para que a empresa alcance o sucesso.

Neste módulo, iremos aprender a identificar e controlar os CUSTOS dos


produtos/serviços oferecidos pela nossa empresa. Antes de entrarmos propri-
amente na GESTÃO DE CUSTOS, vamos fazer uma pequena reflexão.

7
eja! Para que uma empresa funcione bem é preciso que as várias partes
que a compõem trabalhem de maneira harmônica. No caso de um comércio,
por exemplo, é fundamental que não faltem mercadorias para vendas, que um
bom atendimento seja dado ao cliente, que a localização da loja seja boa,
enfim, todas as partes da empresa devem estar orientadas para que o negócio
dê certo.

Mas o que os CUSTOS têm a ver com o funcionamento da empresa?

Quando a empresa realiza suas operações e atividades, gasta determina-


dos recursos, seja matéria-prima, mercadorias, dinheiro ou pessoas, por exem-
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

plo. Quando a empresa conhece e identifica todos os gastos desses recursos,


então ela poderá controlar os seus custos.

Então, CUSTOS é algo invisível?

Exatamente, você não poderá “ver e nem apalpar” os custos, mas sim
apenas “ver e apalpar” os componentes que compõem os custos de determi-
nado produto ou serviço.

Vamos ajudá-lo a entender, interpretar e calcular os custos dos produtos/


serviços do seu negócio.

Módulo 1: Os custos no dia a dia do Empresário

Os tópicos deste módulo são:

TÓPICO 1: O QUE SÃO CUSTOS E DESPESAS

TÓPICO 2: O CONCEITO DE FIXO E VARIÁVEL

TÓPICO 3: IDENTIFICANDO E CALCULANDO OS CUSTOS

8
TÓPICO 1: O QUE SÃO CUSTOS E DESPESAS

Os custos no dia a dia do Empresário


OO mercado está cada vez mais competitivo e a cada dia os consumidores
estão exigindo preços mais baixos. Muitas vezes quem está determinando o
preço dos produtos/serviços é o mercado e não somente o empresário.

Dentro desse contexto de ampla concorrência, é fundamental saber se


estamos “ganhando” dinheiro quando produzimos e vendemos um produto ou
serviço. Se estivermos vendendo nossos produtos e serviços sem a obtenção
de lucro, encontraremos dificuldades na continuidade dos negócios.

E para não corrermos esse risco, precisamos conhecer o conceito de cus-


tos e despesas.

Conhecendo Custos

CUSTOS são todos os gastos relacionados a um produto até deixá-lo


em condições de vender. Ou seja: tudo aquilo que é utilizado para produ-
zir um bem ou serviço ou adquirir um bem para ser vendido.

Os custos não são calculados de maneira igual para qualquer ramo de


atividade, por isso é fundamental você:
Conhecer o ramo de atividade: indústria, comércio ou serviços.
Identificar o que se “gasta” em cada ramo de atividade.
MÓDULO 1

9
Existem outros gastos como a energia elétrica da área de vendas ou os
gastos com propaganda, por exemplo. Todos esses gastos que não estão rela-
cionados diretamente com a produção ou venda do produto/serviço serão cha-
mados de DESPESAS.

DESPESAS são todos os gastos que não estão relacionados direta-


mente com o produto/serviço, mas são necessários para atender a estru-
tura da sua empresa, ou seja, são gastos para “tocar a empresa adiante”.

É importante você saber a diferença entre CUSTO e DESPESA. Enquan-


PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

to CUSTO está diretamente ligado ao produto/serviço, a DESPESA não está


diretamente ligada ao processo de produção ou venda do produto ou serviço.
Vejamos alguns exemplos de custos e despesas:

CUSTO DESPESA

Matéria-Prima Aluguel

Frete da Matéria-Prima Retirada dos Sócios

Produto comprado para revenda Propaganda

Material consumido na prestação de serviço Salários de Funcionários administrativos

Energia Elétrica das Máquinas da Indústria Comissão de Vendedores

10
TÓPICO 2: O CONCEITO DE FIXO E VARIÁVEL

TT

Os custos no dia a dia do Empresário


anto os custos como as despesas devem ser classificados como Fi-
xos ou Variáveis. Os custos e despesas FIXOS são aqueles que acontecem
de forma independente ao volume de produção ou venda do produto/serviço.
Isto é, eu tenho sempre o mesmo custo ou despesa, sem importar a quantida-
de vendida do produto ou serviço.
De maneira contrária, os custos e despesas VARIÁVEIS são aqueles que
sofrem alterações de acordo com o volume de produção ou venda do produto
ou serviço. Isto é, eles aumentam à medida que a empresa produz ou vende
mais produtos/serviços e diminuem quando a empresa produz ou vende me-
nos.
Vejamos alguns exemplos e explicações que vão nos auxiliar no entendi-
mento do conceito de Fixo e Variável.

EVENTO FIXO/VARIÁ- EXPLICAÇÃO


VEL

Energia Elétrica de Não importa quanto eu venda, o con-


Fixa
uma loja no Shopping sumo permanece fixo.

Farinha de Trigo em Quanto mais pães eu vender mais


Variável
uma panificadora Farinha de Trigo vou precisar.

Quanto mais computadores o ven-


Comissão de Vende- dedor comercializar, mais receberá
dores numa Loja de Variável
como comissão, sendo variável o
MÓDULO 1

Informática que irá receber.

Não importa a quantidade de carros


Salário do Mecânico Fixo que a oficina tiver para arrumar, o
em uma oficina salário do mecânico terá que ser
pago.

11
A principal justificativa para a separação entre Fixo e Variável é identificar-
mos todos os custos e despesas fixas para saber quanto iremos gastar mes-
mo que a empresa não tenha nenhuma venda. Essa é uma informação muito
importante para a condução do seu negócio. Sabendo identificar os custos e
despesas fixas, você terá condições de saber quanto a empresa gasta mesmo
sem receber nenhum pagamento por um bem ou serviço produzido ou
comercializado.

Outra informação importante é saber a diferença entre Pró-Labore e Lu-


cro. O Pró-Labore corresponde à retirada do sócio pelo trabalho que prestou.
Seria como se fosse um salário do proprietário. Podemos identificar o Pró-
Labore como sendo uma Despesa Fixa. Já o Lucro é o resultado da operação
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

da empresa e pode ter várias utilizações, como reinvestimento no próprio ne-


gócio, antecipação do pagamento de dívidas ou até mesmo distribuição aos
sócios.

DICA

Acompanhe o diagrama a seguir e veja a separação dos


gastos de uma empresa:

12
Os custos no dia a dia do Empresário
Gastos

Custos Despesas

Ligados à produção de novos Ligados à manutenção do Negó-


bens ou serviços cio, tocam a empresa adiante.

Fixos Variáveis Fixas Variáveis

Não variam Variam em Não variam Variam em


em função do função do em função do função do
volume de volume de volume de volume de
produção produção produção ou produção ou
vendas vendas
MÓDULO 1

Manutenção mensal Salários da Comissões


das máquinas da Matéria-Prima
Administração sobre vendas
indústria

13
TÓPICO 3: IDENTIFICANDO E CALCULANDO OS CUSTOS

OO lá, pessoal!

Para facilitar o entendimento deste Tópico, você irá conhecer como funci-
onam as empresas da Família Vieira – que nos acompanha ao longo de todo o
Programa Faça e Aconteça, e trabalha em ramos de negócio diferentes:

Uma panificadora - Indústria.


Uma mercearia - Comércio.
Uma prestadora de serviços de informática - Serviços.

Como são ramos de negócios diferentes, é importante conhecermos como


“andam” os custos nessas três empresas.
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Iremos aprofundar o conhecimento em cada uma dessas empresas e as-


sim poderemos identificar o comportamento e calcular os custos envolvidos.

Panificadora - INDÚSTRIA:

Vamos conhecer como funciona a panificadora da Família Vieira.

Seu Antônio fez um curso de panificação no SENAI e decidiu ocupar uma


área livre no terreno de sua casa. Iniciou-se assim sua panificadora. Sua ativi-
dade básica é produzir pães e tortas que são distribuídas para venda em vári-
os locais, principalmente para a loja de sua esposa.

É ele quem compra todas as matérias-primas que serão consumidas ao


longo do mês. Possui um amplo local de estocagem e os produtos, mesmo
sendo perecíveis, não estragam enquanto aguardam o momento de serem
utilizados para a fabricação.
Seu processo de produção está centrado em dois produtos. Pães e Tor-
tas.

14
Desde o início da panificadora, seu Antônio possui a FICHA TÉCNICA dos

Os custos no dia a dia do Empresário


produtos que fabrica. Com essa Ficha, ele tem condições de saber quanto de
cada matéria-prima é consumido para fazer um pão ou uma torta. Essa informa-
ção é muito importante para calcular os custos.

Ficha Técnica é uma ficha ou formulário que mostra quanto e


quais matérias-primas é preciso para fabricar 1 (uma) unidade
de um determinado produto. Essa ficha ou formulário mostra
também quanto custa cada item da matéria-prima e o custo total
de matéria-prima para produzir cada unidade do produto.

Vejamos as Fichas Técnicas de dois produtos fabricados na panificadora


da Família Vieira:

Produto: Pão – 1 unidade


ITEM QUANTIDADE MATÉRIA-PRIMA PREÇO DE CUSTO

Farinha de Trigo 400 gr 1,00


Schorot de Trigo 100 gr 0,28
Polvilho Azedo 20 gr 0,03
Semente de Linhaça 20 gr 0,26
Leite 40 ml 0,06
Sal Refinado 50 gr 0,02
Custo Unitário Total da Matéria-Prima consumida 1,65

Produto: Torta – 1 unidade


ITEM QUANTIDADE MATÉRIA-PRIMA PREÇO DE CUSTO
Farinha de Trigo 1.500 gr 3,75
Fermento 10 gr 0,10
Leite 500 ml 0,73
MÓDULO 1

Açúcar 20 gr 0,04
Margarina 20 gr 0,03
Baunilha 12 gr 0,07
Pedaços de Fruta 400 gr 1,03
Ovos 6 un 1,16
Custo Unitário Total da Matéria-Prima consumida 6,91

15
Atualmente o Seu Antônio fabrica, por mês, 25.000 pães e 600 tortas. A
capacidade de produção da panificadora é superior, mas ele não consegue ven-
der mais do que isso.

Possui todos os equipamentos para a produção dos mesmos, sendo bas-


tante automatizada a empresa. Isso faz com que o consumo de energia elétrica
seja bastante alto. Em média, a conta de luz dá em torno de R$ 500,00 por mês.

Possui dois ajudantes que auxiliam na produção e uma secretária encarre-


gada do atendimento aos clientes, emissão dos pedidos, faturamento e cobran-
ça. Todas as demais atividades, principalmente as ligadas ao processo de pro-
dução, são desenvolvidas pelo seu Antônio. Para os funcionários o seu Antônio
paga um salário compatível com a realidade da região (aprendeu no Curso de
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Recursos Humanos como remunerar adequadamente seus empregados). Seu


Antônio também fez o Curso de Finanças do Programa Faça e Aconteça, e lá
aprendeu que não deve misturar o seu caixa pessoal com o da empresa, então
definiu uma retirada mensal, separando os gastos pessoais dos da empresa.
Vejamos no quadro abaixo os gastos de pessoal na panificadora:

Retirada Mensal do Proprietário 1.500,00

Salário do Ajudante 1 500,00

Salário do Ajudante 2 500,00

Salário da Secretária 350,00

16
Os custos no dia a dia do Empresário
Existem ainda outros gastos, relacionados abaixo:

Telefone 100,00

Energia Elétrica 500,00

IPTU 55,40

Contador 260,00

Água 140,00

Com essa descrição você está conhecendo basicamente todos os gastos


da panificadora do Seu Antônio. Vamos verificar agora como é fácil classificar
e calcular os seus custos e despesas:

Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de produ-


ção):

Retirada Mensal do Proprietário 1.500,00

Salário do Ajudante 1 500,00

Salário do Ajudante 2 500,00

Salário da Secretária 350,00

Telefone 100,00

Energia Elétrica 500,00


MÓDULO 1

IPTU 55,40

Contador 260,00

Água 140,00

TOTAL CUSTO/DESPESA FIXA 3.905,40

17
Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de produ-
ção):

CUSTO TOTAL CUSTO/


ITEM QUANTIDADE
UNITÁRIO DESPESA VARIÁVEL
Pão 1,65 25.000 41.250,00
Torta 6,91 600 4.146,00

PRONTO!!! Agora já sabemos quanto é que a panificadora gasta por mês


para produzir essa quantidade de pães e tortas. Sabemos que, se a empresa
não vender nada durante o mês, ainda assim gastará R$ 3.905,40 mesmo
ficando parada (Custo Fixo).
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Mercearia - COMÉRCIO:

A Loja da Família Vieira comercializa vários produtos de conveniência.


Atende principalmente o bairro em que está situada. O principal produto que
vende são os pães e as tortas que compra da panificadora do seu Antônio.

Para simplificar o entendimento, iremos calcular somente os custos e des-


pesas para a venda dos pães e das tortas, mas todos os outros produtos
comercializados podem ser calculados da mesma maneira.

No quadro abaixo estão especificadas as compras do mês da mercearia


com a panificadora, considerando que compre o pão a R$ 1,95 a unidade e a
torta a R$ 8,10 cada uma:

CUSTO TOTAL CUSTO/


ITEM QUANTIDADE
UNITÁRIO DESPESA VARIÁVEL
Pão 1,95 4.500 8.775,00
Torta 8,10 50 405,00

18
Os custos no dia a dia do Empresário
A mercearia de dona Elisabete é bem arrumada. Os produtos ficam em
estantes bem iluminadas e limpas. Ela considera fundamental que o cliente, ao
chegar na mercearia, veja a limpeza e perceba o asseio com que são manuse-
ados os diversos produtos comercializados. Isso faz com que os gastos de
energia elétrica, material de limpeza e manutenção sejam constantes, pois
dona Elisabete não deixa ficar nada estragado. Além disso, faz questão de
entregar o produto ao consumidor em uma embalagem apropriada. Em média
esses são os gastos mensais:

Energia Elétrica 150,00


Material de Limpeza 85,00
Manutenção em Geral 200,00
Embalagens 185,00

Dona Elisabete trabalha com a ajuda de mais duas atendentes que tam-
bém auxiliam na limpeza da mercearia. Nos horários de muito movimento,
dona Elisabete fica no caixa e as atendentes ficam à disposição dos clientes.
Nos momentos de baixa no movimento, então as atendentes se revezam na
limpeza e dona Elisabete realiza as outras funções de uma empresária de
pequena empresa. A exemplo de seu Antônio, também não mistura seus gas-
tos pessoais com a mercearia, realizando uma retirada mensal. Dona Elisabe-
te também aprendeu no Programa de Capacitação Empresarial Faça e Acon-
teça, no Curso de Recursos Humanos que é fundamental para o sucesso da
empresa manter os funcionários motivados. Assim ela implementou um incen-
tivo às atendentes que é o comissionamento sobre as vendas de 0,5% do valor
vendido.

Vejamos os gastos com pessoal da mercearia:


MÓDULO 1

Retirada Mensal do Proprietário 950,00


Salário da Atendente 1 400,00
Salário da Atendente 2 400,00
Comissão 0,5% sobre as vendas

19
Existem ainda outros gastos, relacionados abaixo:

Telefone 100,00
IPTU 50,20
Contador 260,00

Com essa descrição você está conhecendo basicamente todas as despe-


sas e custos da mercearia de dona Elisabete. Vamos verificar agora como é
fácil classificar e calcular esses custos e despesas:

Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de produ-


tos comercializados):
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA

Energia Elétrica 150,00


CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Material de Limpeza 85,00


Manutenção em Geral 200,00
Embalagens 185,00
Retirada Mensal do Proprietário 950,00
Salário da Atendente 1 400,00
Salário da Atendente 2 400,00
Telefone 100,00
IPTU 50,20
Contador 260,00
TOTAL CUSTO/DESPESA FIXA 2780,20

Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de produ-


tos comercializados):

CUSTO TOTAL CUSTO/


ITEM QUANTIDADE
UNITÁRIO DESPESA VARIÁVEL
Pão 1,95 4.500 8.775,00
Torta 8,10 50 405,00

20
Os custos no dia a dia do Empresário
Não podemos esquecer, ainda, da Comissão das atendentes de 0,5%,
que iremos calcular sobre as vendas da mercearia!

PRONTO!!! Somando todos os valores citados anteriormente podemos


calcular quanto a mercearia gasta por mês para comprar e vender seus produ-
tos.

Empresa de Informática - SERVIÇOS:

A prestadora de serviços da Família Vieira, administrada por Jorge, atua


em vários segmentos. Além de dar manutenção em máquinas e equipamentos
de informática, comercializa produtos da área e, além disso, desenvolve um
software de gestão para pequenas empresas.

Para calcular os custos dessa empresa é fundamental separarmos as suas


atividades. Assim sendo, a venda de produtos de informática e do software de
gestão são tratados exatamente igual à mercearia, pois se trata de um comér-
cio. Mas os gastos das atividades de manutenção do software e de equipa-
mentos de informática como prestação de serviços, devem ser calculados de
maneira diferente.

Vamos conhecer um pouco mais como funciona a empresa de serviços de


informática da Família Vieira. Jorge dividiu a prestadora de serviços em duas
atividades básicas. Manutenção de software de gestão e manutenção de má-
quinas e equipamentos de informática. Para a manutenção do software de
gestão, Jorge montou uma central de atendimento telefônico com duas
MÓDULO 1

atendentes. As dúvidas maiores são solucionadas por um programador. Quan-


do o problema é grave, e as atendentes e o programador não conseguem
resolver pelo telefone, é agendada uma visita da assistência técnica e, persis-
tindo o problema, é realizada uma visita do programador até o cliente.

Jorge, seguindo a mesma postura da família, realiza retiradas mensais,


21
não misturando os seus gastos com os da empresa. Assim, os gastos
com a sua retirada e com os salários dos empregados são os seguintes:

Retirada Mensal do Proprietário 750,00


Salário da Atendente 1 500,00
Salário da Atendente 2 500,00
Salário do Técnico 750,00
Salário do Programador 900,00

A sua empresa tem ainda as seguintes despesas:

Energia Elétrica 90,00


Telefone 450,00
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

IPTU 20,00
Contador 100,00

Além disso, para cada visita ao cliente, Jorge gasta em média R$ 15,00
para o deslocamento do programador.

PRATIQUE

Vamos calcular os Custos e Despesas Fixas e Variáveis da Prestadora


de Serviços? É só fazer como nas outras empresas que aprendemos ante-
riormente:

Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de


serviços prestados):

22
Os custos no dia a dia do Empresário
TOTAL CUSTO/DESPESA FIXA

Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de servi-


ços prestados):
MÓDULO 1

23
Veja se você acertou!!!

Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de servi-


ços prestados):

Retirada Mensal do Proprietário 750,00


Salário da Atendente 1 500,00
Salário da Atendente 2 500,00
Salário do Técnico 750,00
Salário do Programador 900,00
Energia Elétrica 90,00
Telefone 450,00
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

IPTU 20,00
Contador 100,00
TOTAL CUSTO/DESPESA FIXA 4.060,00

Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de servi-


ços prestados):

Deslocamento de Visita Técnica 15,00

PRONTO!!! Agora já sabemos quanto é que a empresa de Jorge gasta


por mês para prestar manutenção de software aos seus clientes.

REFLEXÃO:
Existem outros CUSTOS e DESPESAS que não foram citados nos
exemplos que foram desenvolvidos?

24
Os custos no dia a dia do Empresário
DICA

Sim. As empresas possuem outros gastos como impostos federais e


estaduais, 13º Salário, impostos sobre a folha de pagamento, despesas
de manutenção, despesas de propaganda e divulgação e despesas ban-
cárias, por exemplo, que não foram especificados. Isso porque o objetivo
é que você entenda o método para o cálculo do custo, e a partir daí,
adapte a SUA REALIDADE. Assim sendo, o objetivo é mostrar o básico, e
a partir dele você construir um conhecimento maior, necessário para a
condução do seu negócio.

LEMBRE:

Você precisa saber o que você gasta para produzir ou


comercializar os seus produtos ou serviços.
Você precisa saber quanto você gasta de matéria-prima ou mer-
cadoria para produzir ou comercializar os produtos ou serviços.
Faça um teste, se você não produzir nem vender nenhum pro-
duto ou serviço quais são os gastos que você ainda terá para manter a sua
empresa funcionando?

PRATIQUE

Preencha e calcule quais os itens abaixo devem ser incluídos nos gastos
da empresa:

Mensalidade da Escola do Filho 120,00


MÓDULO 1

Salário da Atendente 500,00


Compras para Casa 300,00
Energia Elétrica da Loja 250,00
Aluguel da Loja 300,00
TOTAL

25
Veja se você acertou!!!

Salário da Atendente 500,00


Energia Elétrica da Loja 250,00
Aluguel da Loja 300,00
TOTAL 1.050,00
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

LEMBRE:
É essencial você saber que a área de custos é muito importante na
empresa e está ligada diretamente à estratégia empresarial. Quando você
está iniciando ou gerenciando um negócio de micro ou pequeno porte, os
conhecimentos adquiridos neste curso serão suficientes para lhe auxiliar
nessa tarefa. Com o crescimento do negócio, você deverá aprofundar
seus conhecimentos na área de custos, para tanto, poderá utilizar outros
cursos que o SEBRAE/SC oferece.

26
Os custos no dia a dia do Empresário
FF AMÍLIA VIEIRA

Após estudar a apostila de custos, a família Vieira se reuniu para discutir


como se dá a aplicação do conteúdo demonstrado anteriormente em seus
negócios.

Jorge, o responsável pela empresa de prestação de serviços de software,


falou que o levantamento de custos na sua empresa nunca foi utilizado. Ele
afirmou que, em função da concorrência, o preço de manutenção dos serviços
é praticamente definido pelos clientes. Sendo assim, ele disse que agora terá
condições de levantar os custos da prestação do serviço e já está preocupado
em saber se está ganhando ou perdendo dinheiro com o preço cobrado pelo
mesmo.

MÓDULO 1

27
Já no caso da panificadora, seu Antônio explicou que faz um controle
simples dos custos. Ele soma tudo que foi pago durante o mês e divide pela
quantidade de itens produzidos. Após o curso, ele constatou a necessidade do
levantamento exato dos custos e que este levantamento em muito auxiliará na
gestão da empresa.
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Elisabete afirmou que o cálculo de custo na sua loja é bastante simples,


afinal é fácil identificar o valor que foi pago pelo produto e mais fácil ainda o
valor que foi vendido. Como ela mantém todos os registros financeiros das
saídas de caixa, consegue facilmente calcular os custos dos produtos
comercializados em sua empresa. Afirmou que como mantém atualizados os
controles de Contas a Pagar e a Receber, bem como o Controle Financeiro e
Movimento do Caixa (você pode aprender sobre esses controles no Curso de
Gestão Financeira), as informações para levantamento e cálculo dos custos
são facilitadas.

28
Os custos no dia a dia do Empresário
POSSO CONTINUAR

TESTE OS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO MÓDULO 1: OS CUSTOS NO DIA-A-


DIA DO EMPRESÁRIO.

Questão 1:
Para uma boa Gestão do seu negócio, os Custos devem ser analisados quando:

a) Somente quando o lucro não está aparecendo;


b) Somente se o seu negócio é uma Indústria ou Serviço, pois no comércio isso não é
necessário;
c) Em qualquer situação uma análise criteriosa dos custos se faz necessária;
d) Analisar os Custos é algo feito somente por especialistas em grandes empresas.

Questão 2:
O pró-labore do sócio deve ser incluído no cálculo dos custos da empresa?
a) Não;
b) Somente para a contabilidade;
c) Somente quando o Fluxo de Caixa for positivo;
d) Sim, sempre deve ser incluído.

Questão 3:
Sobre os Custos Fixos, assinale a alternativa correta.

a) São aqueles gastos que não se alteram em função do volume de produção, venda
ou prestação de serviços da empresa.
b) São responsáveis por uma parte insignificante dos gastos das empresas;
c) Em qualquer tipo de empresa eles são compostos exclusivamente por gastos com
salário.
d) São responsáveis pela maior parte dos gastos de todas as empresas;

Questão 4:
MÓDULO 1

Se uma empresa de qualquer ramo de atividade possui um custo fixo de R$3.500,00, signi-
fica dizer que mesmo se ela não vender nada durante o mês terá que pagar esse valor?

a) Verdadeiro
b) Falso

Questão 1: LETRA C - Questão 2: LETRA D - Questão 3: LETRA A - Questão 4: VERDADEIRO

29
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

30
TÓPICO 1: MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO – GANHANDO O JOGO

Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?


OO lá, pessoal!
O seu negócio pode ser uma grande idéia, mas você precisa saber quanto
está ganhando com os produtos ou serviços comercializados. Atualmente, em
função da concorrência existente, o mercado é quem define o preço dos pro-
dutos e serviços. Isto é, o empresário de pequenos empreendimentos possui
pouco poder para aumentar os preços ou aumentar suas margens de
lucratividade. Algumas vezes o preço do seu produto ou serviço é fixado so-
mente olhando o preço do concorrente. Sendo assim, só resta uma maneira
para manter o controle dos seus negócios: controlar o que se gasta.
Controlando o que se gasta e sabendo por quanto se vende, você terá
condições de identificar se a sua empresa gera lucro, pois somente com a
geração de lucro é que a empresa tem condições de se manter competitiva no
mercado e realizar investimentos que lhe propicie melhorias.
Para uma boa gestão de uma micro ou pequena empresa é fundamental
que o empresário tenha informações sobre o andamento do seu negócio e do
funcionamento de sua estrutura. Quando tratamos sobre custos, duas infor-
mações são fundamentais para a condução do negócio.
A primeira delas é a Margem de Contribuição, que define quanto cada
produto contribui para ajudar a pagar as despesas fixas. A segunda informa-
ção importante é sobre o Ponto de Equilíbrio, que indica ao empresário qual o
mínimo de vendas que a empresa tem que gerar para cobrir seus custos e
despesas.

Para aprendermos mais sobre essas questões, iremos estudar os seguin-


tes tópicos:
MÓDULO 2

Módulo 2: Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?

Os tópicos deste módulo são:

TÓPICO 1: MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO – GANHANDO O JOGO

TÓPICO 2: PONTO DE EQUILÍBRIO – O JOGO DO ZERO A ZERO

31
Margem de Contribuição é a diferença entre o preço de venda de um
produto ou serviço e a soma dos custos e despesas variáveis. Isto é, a empre-
sa vende um produto ou serviço por um determinado preço. Se descontarmos
deste preço de venda as despesas e custos variáveis, o que sobra é a Margem
de Contribuição.

Este nome é utilizado, pois a Margem de Contribuição pode ser entendida


como o valor que cada produto ou serviço “contribui” para o pagamento dos
custos e despesas fixas e para a formação do lucro da empresa.

Custos e Despesas Fixas


PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA

Ajuda a pagar
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Margem de Contribuição

Lucro

Vamos exemplificar o cálculo da Margem de Contribuição com os negóci-


os da Família Vieira:

Na panificadora, ao final do Módulo 1, temos a seguinte situação em rela-


ção aos custos variáveis (tomando-se por base a Ficha Técnica dos dois pro-
dutos em estudo) e iremos supor os preços de venda praticados conforme a
tabela abaixo:

PRODUTO/SERVIÇO CUSTO VARIÁVEL PREÇO DE VENDA

Pão 1,65 1,95

Torta 6,91 8,10

32
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
LEMBRE:
Margem de Contribuição = Preço de Venda – Custos e Despesas Va-
riáveis

A Margem de Contribuição é calculada por produto ou serviço. Tomando o


exemplo da panificadora da Família Vieira, vejamos qual seria a Margem de
Contribuição dos seus produtos:

PREÇO DE CUSTO VA- MARGEM DE


PRODUTO/SERVIÇO
VENDA RIÁVEL CONTRIBUIÇÃO
Pão 1,95 1,65 0,30

Torta 8,10 6,91 1,19

Como ficaria então o cálculo da Margem de Contribuição na mercearia da


Família Vieira? Não podemos esquecer da comissão de vendas no valor de
0,5%.

PRODUTO/ PREÇO DE CUSTO VA- COMISSÃO MARGEM DE


SERVIÇO VENDA RIÁVEL DE VENDA CONTRIBUIÇÃO
Pão 2,50 1,95 0,0125 0,5375
Torta 50,00 8,10 0,25 41,65
MÓDULO 2

REFLEXÃO:
Qual a verdadeira utilidade para o empresário calcular a Margem
de Contribuição dos produtos e serviços?

33
DICA
Um dos principais indicadores que mostram se a empresa vai bem
é o lucro. Quando um produto ou serviço apresenta uma boa Margem
de Contribuição, representa que está auxiliando a empresa a ter lucro.
As empresas que trabalham com vários produtos ou serviços, co-
nhecendo a Margem de Contribuição de cada um deles, poderão adotar
estratégias diferenciadas, buscando aumentar as vendas daqueles pro-
dutos e serviços que possuem maior Margem de Contribuição.
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

PRATIQUE

Exemplificamos anteriormente o cálculo da Margem de Contribuição para


os produtos da Panificadora e da Mercearia da Família Vieira.
Vamos praticar agora, calculando a Margem de Contribuição para a
Prestadora de Serviço. Vamos relembrar a situação desta empresa e imaginar
que o preço cobrado para uma visita técnica é de 35,00 reais por hora.

CUSTO VA- MARGEM DE


PRODUTO/SERVIÇO PREÇO
RIÁVEL CONTRIBUIÇÃO
Visita Técnica 35,00 15,00

GABARITO: 20,00

34
TÓPICO 2: PONTO DE EQUILÍBRIO – O JOGO DO ZERO A ZERO

Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?


OO conceito do Ponto de Equilíbrio é bem simples. É só você imaginar
uma balança...

Quando as duas bandejas da balança estão na mesma posição é porque


elas possuem o mesmo peso. Não existe diferença entre elas. É assim na
empresa quando se aprende o conceito de Ponto de Equilíbrio...

Quando os custos e despesas da empresa são iguais ao que foi gerado


de vendas ou receita, então ela está no seu Ponto de Equilíbrio.

Venda ou receita gerada


Custos e Despesas Fixas pela comercialização dos
e Variáveis produtos ou serviços

Vejamos um exemplo:
MÓDULO 2

Você se lembra da panificadora da Família Vieira?


No Módulo 1, calculamos os custos envolvidos nessa operação e no Tópi-
co 1 (deste Módulo) calculamos a Margem de Contribuição de dois produtos
da panificadora. Agora vamos aprender a calcular o seu Ponto de Equilíbrio!

35
A situação da panificadora é a seguinte:

Custo/Despesa Fixa 3.905,40


Margem de Contribuição do Pão 0,30
Margem de Contribuição da Torta 1,19

Como já vimos o Ponto de Equilíbrio é a igualdade (equilíbrio) entre os


custos/despesas fixas e variáveis com o valor das vendas dos produtos ou
serviços.
Para auxiliar o cálculo do Ponto de Equilíbrio, vamos recordar o conceito
de Margem de Contribuição, que é a diferença entre o preço de venda de um
produto ou serviço e os custos e despesas variáveis. Vimos também que a
Margem de Contribuição é o valor que cada produto ou serviço contribui para o
pagamento dos custos e despesas fixas.
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

Podemos concluir então que quando a soma da Margem de Contribuição


de todos os produtos e serviços vendidos é igual aos custos e despesas fixas,
temos uma situação de equilíbrio, isto é, a empresa não ganha nem perde
nada, pois as receitas são iguais aos custos e despesas.
Para entendermos melhor vamos pegar um exemplo da Família Vieira.
Sabendo que os custos fixos da panificadora somam R$ 3.905,40, precisamos
conhecer quanto teremos que vender de pães e tortas para alcançarmos o
Ponto de Equilíbrio!

Entretanto, apenas para facilitar o entendimento, vamos imaginar que a


panificadora vendesse somente pão, e com essa venda teria que pagar todos
os custos e despesas. Para saber a quantidade de pães que ela teria que
vender basta dividir o valor total dos Custos Fixos pela Margem de Contribui-
ção do pão.

Assim teríamos:

CUSTO MARGEM DE PONTO DE EQUILÍBRIO


PRODUTO
FIXO CONTRIBUIÇÃO EM QUANTIDADE
Pão 3.905,40 0,30 13.018

36
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
E se a panificadora vendesse apenas torta? Então teríamos a seguinte situa-
ção:

CUSTO MARGEM DE PONTO DE EQUILÍBRIO


PRODUTO
FIXO CONTRIBUIÇÃO EM QUANTIDADE
Torta 3.905,40 1,19 3.282

Como, no entanto, a panificadora trabalha com os dois produtos, seu Antônio


deve distribuir o custo fixo pela proporção de venda de cada um. Por exemplo, na
panificadora da Família Vieira os pães representam 85% das vendas e as tortas
representam 15%. Calculando o custo em relação a esses percentuais, teríamos
então a seguinte situação:

Total do Custo Fixo: R$ 3.905,40


Vendas de Pães – representam 85% = R$ 3.319,59
Vendas de Tortas – representam 15 % = R$ 585,81

Portanto:

CUSTO MARGEM DE PONTO DE EQUILÍBRIO


PRODUTO
FIXO CONTRIBUIÇÃO EM QUANTIDADE
Pão 3.319,59 0,30 11.066
Torta 585,81 1,19 493
Total 3.905,40 11.559
PONTO DE EQUILÍBRIO EM QUANTIDADE 11.559
MÓDULO 2

Veja que a panificadora da Família Vieira terá que vender no mínimo a quanti-
dade de 11.066 pães e 493 tortas para cobrir todos os custos e despesas fixas,
mantendo as proporções definidas por produto. Esse é o seu Ponto de Equilíbrio
em quantidade!!!
Lembre-se, o Ponto de Equilíbrio da empresa é o jogo do empate, isto é, a
empresa realiza todas as operações, mas não ganha e nem perde nada.

37
REFLEXÃO:
Mas qual é a importância de conhecermos o Ponto de Equilíbrio da
empresa???

DICA
Com o cálculo do Ponto de Equilíbrio, o empresário poderá saber
qual a situação real de sua empresa, ou seja, se o que ela está venden-
do é suficiente para, pelo menos, pagar todas as despesas e dessa
forma não ter prejuízo. Conhecendo essa informação, poderá optar por,
por exemplo, fazer promoções para aumentar as vendas ou reduzir suas
despesas para que chegue ao Ponto de Equilíbrio.
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

PRATIQUE

Já aprendemos a calcular o Ponto de Equilíbrio da panificadora da Famí-


lia Vieira. Praticaremos, agora, calculando o Ponto de Equilíbrio da mercearia
com os conteúdos já vistos!

Vamos relembrar as informações!

A situação da mercearia é a seguinte:

Custo/Despesa Fixa 2.780,20


Margem de Contribuição do Pão 0,5375
Margem de Contribuição da Torta 41,65

Dona Elisabete fez o levantamento das vendas e constatou que 80% das
vendas correspondem a pães e os 20% restantes correspondem às tortas que
são vendidas. Então:

Vendas de Pães – representam 80% = R$ 2.224,16


Vendas de Tortas – representam 20 % = R$ 556,04

38
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
Vamos calcular o Ponto de Equilíbrio:

CUSTO MARGEM DE PONTO DE EQUILÍBRIO


PRODUTO
FIXO CONTRIBUIÇÃO EM QUANTIDADE
Pão 2.224,16 0,5375
Torta 556,04 41,65
Total 2.780,20
PONTO DE EQUILÍBRIO EM QUANTIDADE

Veja se você acertou!!!

CUSTO MARGEM DE PONTO DE EQUILÍBRIO


PRODUTO
FIXO CONTRIBUIÇÃO EM QUANTIDADE
Pão 2.224,16 0,5375 4.138

Torta 556,04 41,65 14


Total 2.780,20 4.152
PONTO DE EQUILÍBRIO EM QUANTIDADE 4.152

Veja que a mercearia da Família Vieira terá que vender no mínimo a quan-
tidade de 4.138 pães e 14 tortas para cobrir todos os custos e despesas fixas.
Esse é o seu Ponto de Equilíbrio em quantidade!!!

LEMBRE:
Nos exemplos que adotamos não consideramos os impostos sobre
MÓDULO 2

as vendas. De acordo com o tamanho da empresa e das características do


seu negócio, você deve procurar a melhor maneira de enquadrá-la para
fins de tributação, escolhendo sempre a opção que lhe deixará legalmente
tranqüilo e recolhendo menos impostos.
Os impostos devem sempre ser analisados, pois muitas vezes deter-
minam a lucratividade ou não da empresa.

39
DICA
Veja como é fácil analisar o impacto dos Custos na empresa.

Receitas (1)
(-) Custos Variáveis (2)
= Margem de Contribuição (3)
(-) Custo Fixo (4)
= Lucro/Prejuízo
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

As Receitas (1) são as entradas de recursos financeiros na empre-


sa, resultantes, principalmente, da venda de produtos e serviços. Se
diminuirmos desse total de receitas os Custos Variáveis (2), aqueles
que variam de acordo com o volume de produção ou venda, chegamos
à Margem de Contribuição (3).

Se diminuirmos da Margem de Contribuição (3) o Custo Fixo, aque-


le que não se altera em função do volume de produção ou venda, che-
gamos ao lucro ou prejuízo gerado pela empresa.

Essa visão é simples, mas de extrema importância, pois de uma


maneira rápida o empresário pode obter informações sobre a situação
real de sua empresa.

40
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
FF AMÍLIA VIEIRA

Ao final dos estudos da apostila de custos a Família Vieira se reuniu para


discutir os conceitos de Margem de Contribuição e Ponto de Equilíbrio que
foram aprendidos neste Módulo.

Seu Antônio explicou que nunca tinha calculado a Margem de Contribui-


ção dos dois produtos que fabrica. Agora percebe que precisa vender muitos
pães para igualar o retorno gerado por uma única torta. Após fazer o Curso de
Estratégia, seu Antônio já estava decidido a desenvolver uma linha maior de
pães, e, agora, irá associar ao conceito da Margem de Contribuição, isto é,
além de produzir novos tipos de pães, definiu que a Margem de Contribuição
deverá ser, no mínimo, 30% maior do que a Margem de Contribuição do pão
atual. Agindo dessa forma, seu Antônio espera garantir uma margem de lucro
maior para a panificadora e assim sobrará mais dinheiro.

MÓDULO 2

41
Dona Elisabete disse que sempre manteve os controles financeiros em
ordem, mas nunca tinha se preocupado em calcular o Ponto de Equilíbrio da
mercearia. Ela sempre fazia os registros diariamente mas só buscava infor-
mações ao final do mês. Agora, conhecendo o Ponto de Equilíbrio de sua
empresa, Dona Elisabete disse que irá concentrar melhor suas ações para
alcançar o Ponto de Equilíbrio mais rápido, auxiliando assim na definição de
promoções e descontos para fechamento de vendas.
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

42
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
Jorge, o responsável pela empresa de prestação de serviços de software,
falou que os conceitos de Margem de Contribuição e Ponto de Equilíbrio nun-
ca são utilizados pela sua empresa, pois são muito complicados de calcular e
o retorno que oferecem é praticamente nulo. Conhecendo mais sobre eles,
concluiu que desperdiçou muito tempo e dinheiro, e que agora quer descobrir
e calcular exatamente os custos de sua empresa, para a partir deles poder
calcular a Margem de Contribuição dos produtos que comercializa bem como
dos serviços que são prestados. Assim, como ultimamente os recursos finan-
ceiros estão bastante “curtos”, Jorge definiu que irá priorizar a venda e a pres-
tação de serviços que possuam uma maior Margem de Contribuição, auxilian-
do assim a levantar o negócio e a sobrar mais dinheiro no caixa da empresa.

MÓDULO 2

43
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

44
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
POSSO CONTINUAR

TESTE OS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO MÓDULO 2: ESTOU GANHANDO


DINHEIRO COM A VENDA DO PRODUTO/SERVIÇO?
Responda todas as perguntas desta etapa com as seguintes informações da prestadora de serviços
da Família Vieira:

A situação é a seguinte:

Custo/Despesa Fixa 3.310,00


Margem de Contribuição da Visita Técnica 20,00

Questão 1: O Ponto de Equilíbrio para a prestadora de serviços corresponde:


a) À quantidade de visitas técnicas que deverão ser realizadas para cobrir os custos variáveis;
b) À quantidade de visitas técnicas que deverão ser realizadas para a prestadora ter um lucro
de duas vezes o valor dos custos e despesas fixas;
c) À quantidade de visitas técnicas que deverão ser realizadas para cobrir os custos e despesas
fixas e variáveis;
d) À quantidade de produtos que a prestadora de serviços terá que incluir nos serviços para
poder alcançar um resultado positivo.

Questão 2: O Ponto de Equilíbrio para a prestadora de serviços é igual a:


a) 166 visitas técnicas;
b) 167 visitas técnicas;
c) 266 visitas técnicas;
d) 267 visitas técnicas.
Questão 3: Uma empresa que comercializa vários produtos deverá sempre calcular a Mar-
gem de Contribuição de cada produto, pois com essa informação poderá:
a) Concentrar seus esforços de venda nos produtos mais baratos;
b) Concentrar seus esforços de venda nos produtos com maior margem de contribuição;
c) Concentrar seus esforços de venda nos produtos com menor margem de contribuição;
d) Concentrar seus esforços de venda nos produtos com maior custo variável.

Questão 4: Vamos supor a seguinte situação para a prestadora de serviços:


Receitas = 5.000,00
(-) Custos Variáveis = 3.050,00
= Margem de Contribuição = 1.950,00
(-) Custo Fixo (4) = ?
MÓDULO 2

= Lucro/Prejuízo = 950,00

a) 1.950,00;
b) 950,00;
c) 1.000,00;
d) 3.050,00.

Questão 1: LETRA C - Questão 2: LETRA A - Questão 3: LETRA B - Questão 4: LETRA C

45
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

46
Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço?
FAÇA E ACONTEÇA
Avaliação do Programa

Avalie com notas de 0 a 5 as opções abaixo, sendo 5 a nota máxima.


Caso você não tenha utilizado alguma das opções abaixo, DEIXE EM
BRANCO.

AVALIAÇÃO DO PROGRAMA - FAÇA E ACONTEÇA NOTA:


Conteúdo 0A 5
• Conteúdo do curso - adequação do conteúdo, organização, encadeamento
• Apresentação Gráfica
• Linguagem
Avaliação dos Alunos
• Sistema de Avaliação - quantidade da matéria, dificuldade
Tutor (somente para Internet)
• Contribuições como líder das discussões, efetividade, organização, preparação,
entusiasmo, abertura aos pontos de vista dos alunos
• Tempo de retorno das perguntas, uso do material e das mídias
Monitor (Todos)
• Qualidade das Respostas e Atendimento
• Tempo de retorno das perguntas, disponibilidade
Estrutura de apoio
• Lista de discussão
• 0800 (Monitoria)
• Portal Internet - Gestão Acadêmica e Administrativa
Avaliação Geral do Programa
MÓDULO 2

• Avaliação Geral do Programa

“Após responder este questionário, encaminhe-o para a Coordenação do


Faça e Aconteça utilizando o 0800 ou o correio. Somente com a sua ajuda
poderemos melhorar ainda mais o Programa!!”

47
PROGRAMA FAÇA E ACONTEÇA
CURSO DE GESTÃO DE CUSTOS

48