Вы находитесь на странице: 1из 6
§ 16. Oposi¢ao ao pedido de insolvéncia pelo devedor = pessoa coletiva Tribunal Judicial da Comarca de —" juizo —* Secgao Proc. n.° Ex. Sr. Dr. Juiz de Direito (denominacao social), melhor identificada a fis. __ nos presentes autos citada da Peticdo Inicial com 0 pedido de declaragio de insolvéncia deduzido por (nome completo da Requerente) vem, nos termos para os efeitos do art. 30.°, n.° 1 do CIRE®!, deduzir OPOSIGAO 0 que faz nos termos e com os fundamentos seguintes: 1, DOS FUNDAMENTOS ALEGADOS PELA REQUERENTE i Para melhor percetibilidade, em termos sumérios, alega a Requerente que a Requerida a) Tem para com a Requerente uma divida no montante de € (por extenso) euros); b) Para pagamento da divida, a Requerida emitiu um cheque sacado sob © Banco (denominagéo de instituicao no montante de €(____ {por extenso) euros) que veio a ser devolvido por falta de provisdo; "Cit art® 302 do CIRE (Ref. JusNet 22/2008), 2 Re, JusNet 22/2004 JusFormulrios Insolvéncia e Recuperacdo de Empresas 2. Parte. Declarago da situagao de insolvéncia vezes sede da empresa com vista a0 res- (morada ©) Sendo que se destocou va petivo pagamento sita no entendimento da Requerente em completa), em (localidade) nunca encontrando ninguéi d) Tendo-lhe sido transmitido pelo responsivel do parque industrial que varias pessoas jé se tinham deslocado aquele local com vista & satisfacio dos créditos todavia em vao; ©) E que se assistiam a movimentagGes estranhas no perfodo noturno com Vista & remogao de objetos do armazém. 22 Com base na factualidade descrita conclui com os fundamentos constantes nos ar. _° a _.° da Petigao Inicial pela procedéncia do pedido formulado ale- gando que a Requerida nao dispée de capacidade financeira para honrar os seus compromissos com os credores. DA IMPROCEDENCIA DO PEDIDO FORMULADO PELA REQUERENTE a © pedido de insolvéncia formulado pela Requerente é temerétio e com manifesta mé-fé conforme se demonstrard em seguida ay A Requerida nao nega que ndo procedeu ao pagamento do cheque, mas decidiu cancelar 0 cheque com o fundamento de falta e vicios na formagio da vontade por declaracao escrita junto a Instituigao de Crédito (vd, Doc. n.°__). a ‘A Requerente omite dolosamente que a Requerida, para poder corresponder com © Cliente {denominagao social) cuja encomenda tinha de seguir imprete- rivelmente em _/_/__, para (vg. localidade ou pais), tinha de proceder & moagem do caf ‘com as caracteristicas (indicar as caracteristicas da matéria prima). 6° A Requerida ao fazer © pedido de encomenda junto & Requerente por carta, cexpressamente referiu a exigéncia daquela matéria-prima com as caracterfsticas supra descritas (vd. Doc. n.2__) 100 © Wolters Kluwer Portugal EL _ ———_———— ————————_—_—— a eae ee 7° A Requerida procedeu em _/_/__ a entrega da encomenda no armazém da Requerente localizado justamente na morada indicada pela Requerida no art — da Peticio Inicial e foi-Ihe entregue o cheque nessa altura. ar Naquele mesmo dia o Sr. (nome completo}, responsavel pelo Departamen- to da Qualidade da Requerida, foi verificar a matéria-prima e constatou que era diferente da pedida e de qualidade muito inferior. 9° De imediato, reportou 0 facto ao secretariado da Requerida, na pessoa do Sr. {nome completo) que tentou sem sucesso entrar em contacto com um dos responsdveis da Requerida, todavia em vio e; 10 Procedeu ainda ao envio do fax ao qual nao obteve até a presente data qualquer tipo de missiva pela Requerida (vd. Doc. n° _) We Face ao exposto, para evitar prejuizos maiores, resolveu cancelar o cheque, tendo que adquirir a matéria-prima junto do Fornecedor (denominagao social) que obrou um preco superior atendendo a urgéncia do pedido formulado pela Requeri- dda que tinha de corresponder com o seu Cliente Final (denominagao social). 12° A presente acdo de insolvéncia formulada pela Requerente é temeréria uma vez que, a Requerida nunca teve a sede na morada indicada no art° _.° da sua Peti- ao Inicial, 13.2 Por sua vez, € no ambito de um processo de reestruturacio empresarial a decor rer, decidiu acabar com 0 departamento de logistica pondo termo ao contrato de atrendamento do armazém custo desnecessario pois contratou com a empresa (denominacio social) a distribuic3o da sua mercadoria. 14 ‘A Requerente sempre teve conhecimento da sede da Requerida e prova do expos- to 6 a presente acao em que a Requerida € citada na sua sede que, alids, consta JusFormulitios Insolvéncia e Recuperacio de Empresas 101 2.* Parte. Declaragio da situagao de insolvéncia na certidao de registo comercial indicando-se 0 cédigo de acesso a certidao per manente n.° 152 Por sua vez, a Requerida ndo sabe nem tem a obrigacdo de saber se os factos descritos nos art. _.° a _.° da Peticdo Inicial sfo verdadeiros, pois tratam-se de factos pessoais, razo pela qual so impugnados especificadamente. 16° Efetivamente, a Requerida tem passivo, mas esté a honrar os seus compromissos ‘como pessoa de bem que 6. 1 ae Com efeito, esté a pagar pontualmente as prestagées mensais decorrentes dos dois acordos de revogagao de contratos de trabalho celebrados com os trabalhadores {nome completo) ¢ (nome completo} conforme tales de transfe- r@ncia bancéria (vd, Docs. n.°_e__) 182 Encontra-se a saldar em prestacdes mensais as dividas & Seguranca Social vd, Docs. n.°°__e 192 Reestruturou 0 seu financiamento junto ao (denominacdo de instituicZo financeira) encontrando-se a liquidar uma prestacdo mensal de € (por extenso) euros) - vd. Doc. n° _. 202 ‘Tem créditos a haver em montante superior a € (por extenso) euros) de Clientes que sempre honraram 0s seus compromissos para com a Requerida do qual se indicam a titulo meramente exemplificativo: - (denominagdo social do Cliente), com sede social em (morada completa), em localidade), com 0 crédito a haver de eeee (por extenso) euros); - (denominacao social do Cliente), com sede social em (morada completa), em (ocalidade), com o crédito a haver de € (por extenso) euros); ® Wolters Kluwer Portugal eee ee eee eee eee Oe a2 ‘Tem ativos no montante de __ € (___(por extenso) euros) e foi agora con- cedido pelo (denominagao social de entidade financeira) uma linha de crédito até ao montante de r {por extenso) euros). 22° Decerto que a Requerida tem dificuldade em obter a cobranga de alguns créditos sendo vitima, & luz do que sucede com muitas empresas, do crédito mal parado. Todavia, no retine os requisitos necessdrios para ser declarada a sua insolvéncia. 232 A Requerente litiga com mé-fé manifesta pois omite dolosamente factos que so essenciais para a presente lide, razo pela qual, deve ser condenada de acordo com sio critério do doutro Tribunal. 24s A data da propositura da presente acao judicial sao sécios da Requerida: - (rome completo), com uma quota de €( (por extenso) euros) e com domicilio em (morada completa), em (localidade); - (rome completo) com uma quota de € (por ‘extenso} euros) e com domi (localidade). io em (morada completa), em Sendo exercida a geréncia em conjunto por aqueles. 2 Por sua vez os 5 (cinco) maiores Credores da Requerida séo: - (denominagao social), NIF com sede na Avenida__, em (localidade), e com um crédito no montante de € (por extenso) euros); = (nome completo), NIF__, com domicilio em __ (mora- da completa), em (localidade) © com um crédito no montante de €(___ {por extenso) euros); ~ (denominacao social), NIF com sede na Avenida em (localidade), e com um crédito no montante de € (por extenso) euros); JusFormularios Insolvéncia e Recuperacao de Empresas 2.8 Parte. Declaracao da situagao de insolvéncia eI ee ee ee =____ {nome completo), NIF , com domictlio em (mora- da completa), em localidade) e com um crédito no montante de me (por extenso) euros); € - (denominacao social), NIF com sede na Avenida em (localidade), ¢ com um crédito no montante de € {por extenso) euros); Termos em que, nos melhores de direito e sempre com o mui douto supri- mento de V. Ex.* respeitosamente se requer que seja julgado improcedente, por manifestamente infundado, 0 pedido de insolvéncia formulado pela Requerente e, em sua consequéncia, NAO ser decretada a referida insol- véncia, absolvendo-se a Requerida do pedido. Mais se requer a condenacio da Requerente como litigante de mé-fé em quantia a apurar por sao critério desse douto Tribunal, bem como em custas e procuradoria condigna. PROVA: Documental _ ( {por extenso}} Docs... ROL DE TESTEMUNHAS A APRESENTAR: 1)___ (nome completo}, (profissao), (morada completa); 2 (nome completo), {(profissao), (morada completa) VALOI € (por extenso} euros) JUNTA: Procuraco Forense, _ {por extenso}) Docs. e Comprovative do pagamento da Taxa de Justica mediante DUC. ED. OADVOGADO, {assinatura) ® Wolters Kluwer Portugal