Вы находитесь на странице: 1из 8

Projecto de estatutos - Associação de Pais, Encarregados de Educação e

Familiares da Creche,
Jardim-de-infância e Catl do Centro Social da Paróquia de S. Lázaro

Capítulo Primeiro
Da denominação, natureza, fins e objectivos específicos

Artigo 1º
A Associação de Pais, Encarregados de Educação e Familiares da Creche, Jardim-de-
infância e Catl do Centro Social da Paróquia de S. Lázaro, também designada
abreviadamente por APSL, congrega e representa Pais, Encarregados de Educação e
Familiares do Centro Social da Paróquia de S. Lázaro.

Artigo 2º
A APSL é uma associação sem fins lucrativos, com duração ilimitada, que se regerá
pelos presentes estatutos e, nos casos omissos, pela lei geral.

Artigo 3º
A APSL tem a sua sede social no Centro Social da Paróquia de S. Lázaro, na Rua Sá
de Miranda, freguesia de S.Lázaro, concelho de Braga.

Artigo 4º
A APSL tem por finalidade a defesa, promoção da educação, desenvolvimento global
e bem estar da criança de uma forma abrangente, centrada na família e no contexto
de comunidade em que se insere.

Artigo 5º
São objectivos da APSL:
a) Contribuir, por todos os meios ao seu alcance, para que os pais, encarregados de
educação e familiares possam cumprir integralmente a sua missão de educadores;
b) Contribuir para o desenvolvimento equilibrado da personalidade da criança;
c) Propugnar por uma política educativa que respeite e promova os valores
fundamentais da pessoa humana.

Artigo 6º
Compete à APSL:

1
a) Pugnar pelos justos e legítimos interesses das crianças na sua posição relativa à
instituição e à educação e cultura;
b) Estabelecer o diálogo necessário para a recíproca compreensão e colaboração
entre os pais, os encarregados de educação e os amigos e todos os membros da
instituição;
c) Promover e cooperar em iniciativas da instituição;
e) Promover o estabelecimento de relações com outras associações similares ou suas
estruturas representativas, visando a representação dos seus interesses junto de
diferentes estruturas.

Artigo 7º
1. Para realização da sua finalidade, a Associação propõe-se criar e manter as
seguintes actividades:
a) Constituir um fórum para pais, encarregados de educação e profissionais de
diversas formações e sectores de actividade com intervenção no domínio Educação
de crianças;
b) Promover seminários, conferências, reuniões, congressos, e outras actividades
similares;
c) Cooperar com instâncias oficiais, governamentais ou privadas emitindo pareceres,
fazendo sugestões e tomando as iniciativas convenientes;
d) Constituir comissões especializadas para análise de questões;
e)Cooperar com outras entidades, associações, instituições, escolas, universidades,
ligas em defesa dos direitos da criança.
2. A organização e funcionamento dos diversos sectores de actividades constarão de
regulamentos internos elaborados pelo Conselho Executivo.

Capítulo Segundo
Dos associados

Artigo 8º
São associados da APSL os pais, os encarregados de educação e familiares das
crianças que se encontrem matriculadas na instituição e que voluntariamente se
inscrevam na Associação.

Artigo 9º
São direitos dos associados:
a) Participar nas assembleias gerais e em todas as actividades da APSL;

2
b) Eleger e serem eleitos para os órgãos sociais da APSL;
c) Serem mantidos ao corrente de toda a actividade da APSL.

Artigo 10º
São deveres dos associados:
a) Cumprir os presentes estatutos;
b) Cooperar nas actividades da APSL;
c) Exercer, com zelo e diligência, os cargos para que forem eleitos;
d) Pagar a jóia e as quotas que forem fixadas.

Artigo 11º
Perdem a qualidade de associados:
a) Os que o solicitem por escrito;
b) Os que infringirem o que se encontra estabelecido nos presentes estatutos;
c) Os que não satisfaçam as suas quotas no prazo que lhes venha a ser comunicado;
d) Os que não satisfaçam os requisitos constantes do artigo 8º dos presentes
Estatutos.

Capítulo Terceiro
Dos órgãos sociais

Artigo 12º
1. São Órgãos Sociais da APSL: a Assembleia Geral, o Conselho Executivo e o
Conselho Fiscal.
2. Os membros dos órgãos sociais devem tomar posse dos seus cargos no prazo de 8
dias após a realização da assembleia geral.
3. De todas as reuniões dos órgãos sociais serão lavradas actas.

Artigo 13º
Os membros da mesa da Assembleia Geral, o Conselho Executivo e o Conselho
Fiscal são eleitos anualmente, por sufrágio directo e secreto pelos associados que
componham a assembleia geral.

Secção I
Da Assembleia Geral

Artigo 14º

3
1. A assembleia geral é constituída por todos os associados no pleno gozo dos seus
direitos.
2. Para efeitos do previsto no número anterior, o conselho executivo manterá
actualizada a lista dos associados no pleno gozo dos seus direitos.

Artigo 15º
1. A mesa da assembleia geral terá um presidente e dois secretários (primeiro e
segundo);
2. Compete ao presidente da assembleia geral convocar as reuniões, dirigir as
sessões e assinar com os secretários as actas das sessões, bem como dar posse aos
novos membros eleitos em assembleia geral.
3. O presidente da mesa será substituído, na(s) sua(s) falta(s) e impedimentos, pelo
primeiro secretário e este pelo segundo.

Artigo 16º
1. A assembleia geral reunirá em sessão ordinária no primeiro período de cada ano
lectivo para discussão e aprovação do relatório anual de actividades e contas e para
eleição dos órgãos sociais;
2. A assembleia geral reunirá em sessão extraordinária:
a) por iniciativa do presidente da mesa;
b) a pedido do conselho executivo ou do conselho fiscal ou
c) por petição subscrita por, pelo menos, vinte associados no pleno gozo dos seus
direitos.

Artigo 17º
A convocatória para a assembleia geral será feita com a antecedência mínima de oito
dias, por circular enviada a todos os associados, indicando a data, hora, local e ordem
de trabalhos.

Artigo 18º
1. A assembleia geral considera-se legalmente constituída se estiverem presentes,
pelo menos, mais de metade dos associados, funcionando meia hora mais tarde com
qualquer número de associados.
2. As deliberações são tomadas pela maioria simples, salvo as que recaiam sobre a
dissolução da associação e alteração dos estatutos as quais carecem dos votos de
dois terços dos presentes.

4
3. Quaisquer outras pessoas poderão assistir e intervir, sem direito a voto, e desde
que expressamente convidados pelo presidente da assembleia ou sob proposta do
conselho executivo.
4. As votações serão feitas de braço no ar. Porém, serão secretas todas as votações
que digam respeito a pessoas, bem como aquelas para que seja pedida e aprovada tal
forma de votação.

Artigo 19º
São atribuições da Assembleia Geral:
a) Aprovar e alterar os estatutos;
b) Eleger e exonerar os membros dos corpos sociais;
c) Fixar anualmente o montante da jóia e da quota e as condições do seu pagamento;
d) Discutir e aprovar o relatório de actividades e contas da gerência;
e) Apreciar e votar a integração da APSL em Federações e/ou Confederações de
associações similares;
f) Dissolver a APSL;
g) Deliberar sobre a exoneração de associados;
h)Pronunciar-se sobre outros assuntos que sejam submetidos à sua apreciação.

Artigo 20º
Processo eleitoral

1. A eleição dos membros dos corpos gerentes efectua-se mediante a apresentação


de listas, com os respectivos cargos discriminados, sendo eleita, por voto secreto, a
lista mais votada.
2. As listas serão entregues ao presidente da mesa da assembleia geral
acompanhadas da declaração dos próprios, dizendo que aceitam tal candidatura, até
24 horas antes do início da assembleia geral eleitoral, o qual fará afixar na sede da
APSL, depois de as rubricar e numerar. Se não for apresentada nenhuma lista dentro
desse prazo, o presidente da mesa proporá uma lista durante a assembleia, depois de
auscultar eventuais interessados.
3. O acto eleitoral decorrerá durante a assembleia geral, funcionando como mesa
eleitoral a mesa da Assembleia Geral e competindo a esta a organização de todo o
processo.

Secção II
Do Conselho Executivo

5
Artigo 21º
A APSL será gerida por um Conselho Executivo constituído por cinco associados: um
presidente, um vice-presidente, um tesoureiro, um secretário e um vogal.

Artigo 22º
1. O Conselho Executivo reunirá trimestralmente e sempre que o presidente ou a
maioria dos seus membros o solicite.
2. As deliberações são tomadas por maioria, tendo o presidente voto de qualidade em
caso de empate.
3. Os Presidentes da Assembleia Geral e do Conselho Fiscal poderão assistir às
reuniões do Conselho Executivo, mas sem direito a voto, desde que convidados pelo
seu Presidente.

Artigo 23º
Compete ao Conselho Executivo:
a) Prosseguir os objectivos para que foi criada a APSL;
b) Executar as deliberações da assembleia geral;
c) Zelar pelo cumprimento da lei, dos estatutos e das deliberações dos órgãos da
APSL;
d) Administrar os bens da APSL e providenciar pela angariação de fundos;
e) Submeter à assembleia geral o relatório de actividades e contas anuais para
discussão e aprovação;
f) Assegurar a organização e o funcionamento dos serviços, bem como a escrituração
dos livros nos termos da lei;
g) Organizar o quadro de pessoal, bem como contratar e gerir o pessoal da APSL;
h) Representar a APSL, em juízo e fora dele;
i) Celebrar e assinar protocolos de cooperação com serviços oficiais ou outras
Instituições e Associações;
j) Fazer aquisições, alienações ou arrendamentos necessários ao funcionamento da
APSL;
l) Elaborar os Regulamentos Internos que tenha por convenientes;
m) Propor à Assembleia Geral o montante das jóia e quota a fixar para o ano seguinte;
n) Admitir os associados;
o) Mandatar o seu Presidente ou qualquer outro dos seus membros a exercer as
competências expressas neste artigo.

6
Secção III
Do Conselho Fiscal

Artigo 24º
1. O Conselho Fiscal é constituído por três associados: um presidente e dois vogais.
2. As deliberações são tomadas por maioria, tendo o presidente voto de qualidade em
caso de empate.

Artigo 25º
Compete ao Conselho Fiscal:
a) Dar parecer sobre o relatório de actividades e contas da direcção;
b) Verificar, periodicamente, a legalidade das despesas efectuadas e a conformidade
estatutária dos actos da direcção.

Artigo 26º
O Conselho Fiscal reunirá uma vez por semestre ou por solicitação de dois dos seus
membros.

Capítulo Quarto
Do regime financeiro

Artigo 27º
Constituem, nomeadamente, receitas da APSL:
a) As jóias e quotas dos associados;
b) As subvenções ou doações que lhe sejam concedidas;
c) Vendas organizadas pela própria APSL.
d) Os donativos ou subscrições;
e) Receitas provenientes de publicações, publicidade ou de outras actividades
estatutariamente não proibidas;
f) Rendimentos de bens ou valores que possua.

Artigo 28º
1. Para obrigar a APSL são necessárias e bastantes as assinaturas conjuntas de
quaisquer três membros do Conselho Executivo, ou as assinaturas conjuntas do
presidente e do tesoureiro.

7
2. Nas operações financeiras são obrigatórias as assinaturas conjuntas do
presidente e tesoureiro.

Artigo 29º
As disponibilidades financeiras da APSL serão obrigatoriamente depositadas num
estabelecimento bancário, em conta própria da associação.

Artigo 30º
Em caso de dissolução, o activo da APSL, depois de satisfeito o passivo, reverterá
integralmente a favor da entidade que a Assembleia Geral determinar.

Capítulo Quinto
Disposições gerais e transitórias

Artigo 31º
O ano social da APSL principia em um de Setembro e termina em trinta e um de
Agosto.

Artigo 32º
Os membros dos corpos sociais exercerão os seus cargos sem qualquer
remuneração.

Artigo 33º
Entre a aquisição de personalidade jurídica pela APSL e a primeira assembleia geral
que se realizar, esta será gerida por uma Comissão Instaladora constituída por cinco
dos sócios fundadores.