Вы находитесь на странице: 1из 1
O TRIBUNAL DA RAZÃO Kant ensinava que "não se aprende filosofia, mas apenas a filosofar"

O TRIBUNAL DA RAZÃO

Kant ensinava que "não se aprende filosofia, mas apenas a filosofar"

"não se aprende filosofia, mas apenas a filosofar" Nascido em Königsber g, pequena cidade de Alemanha,

Nascido em Königsber g, pequena cidade de Alemanha, Kant ( 1724- 1804) teve uma vida longa e t ranquila, dedic ada ao ens ino e à investigação filosófica. Homem metódico e de hábitos arraigados, lecionou durante quarenta anos na universidade de Königsberg, somente deixando o magistério por problemas de saúde. Morreu aos 80 anos, sem nunca ter se afastado das imediações de sua pequena cidade natal.

se afastado das imediações de sua pequena cidade natal. O maior filósofo da Modernidade e o

O maior filósofo da Modernidade e o principal pensador da filosofia das Luzes

Foi um grande admirador de Rousseau, e concordava com ele que a filosofia deveria se colocar ao lado dos interesses dos seres humanos

Isso pode até parecer estranho, pois iremos falar de DEVER e iremos relacioná-los com liberdade, mas para Kant isso não tem nada de estranho. As leis morais são necessárias e universais, mas, ao mesmo tempo, derivam dos próprios homens. Portanto, apesar de agir por dever, o homem é livre, pois deve seguir as leis que ele próprio criou;

30. 30.

Immanuel Kant

Immanuel Kant

ele próprio criou; 30. 30. Immanuel Kant Immanuel Kant Formas de Agir (ideia da boa vontade)

Formas de Agir (ideia da boa vontade)

DE ACORDO COM O DEVER

anti-ético/imoral, por interesse

exterior ao homem, imposição

Sendo assim, mesmo um sujeito que está indo de acordo com a lei exterior a
Sendo assim, mesmo um sujeito que está indo de acordo com a lei exterior a

Sendo assim, mesmo um sujeito que está indo de acordo com a lei exterior a sua consciência, ou ainda, agindo por impulsos da sensibilidade (prazer ou pena) ele estará agindo EM CONFORMIDADE AO DEVER.

consciência, ou ainda, agindo por impulsos da sensibilidade (prazer ou pena) ele estará agindo EM CONFORMIDADE

sem interesse, estaria sendo ético

O rigor de Kant vai além disto, para ele só se age POR DEVER se e

somente se ESTIVER DE ACORDO COM A MORALIDADE VERDADEIRA, que reside na pureza da intenção baseado na RAZÃO PURA PRÁTICA.

O

dever, segundo Kant, não é um catálogo de virtudes nem uma lista de "faça

isso" e "faça aquilo" O DEVER é uma forma que deve valer para toda e qualquer ação moral. Ou sej a, toda essa razão pura prática, tem, formalmente, alcance universal, por isso são as mesmas para todos os Homens em todos tempos e lugares.

AGIR POR DEVER

Imperativo

Hipotético (não Kantiano)

Se eu tiver que conseguir isso tenho que fazer aquilo.

Faz porque é obrigação

Ao contrário do Imperativo categórico, não é uma obrigação mas sim uma condição para chegar a um determinado fim

Senso de dever

O dever é Imperativo Cat egór ico. Não é m otivação psicológica, m as lei m or al interior.

Categórico

O imperativo categórico exprime-se numa forma geral: Age em conformidade apenas com máxima

numa forma geral: Age em conformidade apenas com máxima que possas querer que se torne uma

que possas querer que se torne uma lei universal. Em outras palavras, o ato moral é aquele que se realiza como acordo entre a vontade e as leis universais que ela dá a si mesma.

palavras, o ato moral é aquele que se realiza como acordo entre a vontade e as

Vem a ser o dever de agir na conformidade dos princípios que se quer que sejam aplicados por todos os seres humanos.