Вы находитесь на странице: 1из 24

k Recife, 18 de maio de 2015

www.jconline.com.br -ano 97 - número 138 - R$ 2,00

Fotos: Ide Gomes/Frame/Estadão Conteúdo

exemplar do assinante

Ide Gomes/ Frame / Estadão Conteúdo exemplar do assinante SEGUNDA-FEIRA k Seleção “vendida” e CBF

SEGUNDA-FEIRA

k Seleção “vendida” e CBF “comprada”

Documentos publicados pelo jornal O Estado de São Paulo denunciam critérios comerciais nas convocações. A CBF nega. k 3

q esportes Pela Série A do Brasileiro, o empate do Sport por 2x2 com o
q esportes
Pela Série A do Brasileiro, o empate do Sport por 2x2
com o Flamengo, ontem, no Maracanã, seria lamentado,
já que o time vencia por 2x0 e controlava o jogo. Mas
Magrão se machucou e Diego Souza foi para o gol. A
vitória não veio. Mas o gosto ficou na boca do torcedor
rubro-negro. O Leão agora tem o segundo lugar. k 1, 2 e 4
NA RAÇA Magrão se
machucou sozinho. Com
as substituições já feitas,
coube a Diego Souza
defender o gol leonino
nos dez minutos finais

Ajustes e mais aumentos de impostos

Assunto foi discutido ontem, em Brasília, com equipe econômica eapresidente Dilma. A ideia é evitar “risco de rebaixamento”. k página 3

E os concursos?

Em um ano difícil, é ficar de olho nas oportunidades já abertas até agora. k página 8

Aloísio Magalhães

Exposição com trabalhos do

designer pernambucano será

aberta dia 27.

k caderno c 1

do designer pernambucano será aberta dia 27. k caderno c 1 k Virada Esportiva atrai 50

k Virada Esportiva atrai 50 mil pessoas em 24 horas

Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem

Promovido pela Prefeitura do Recife, projeto é descentralizado e ocorre em vários bairros. k capa dois

Professor é amarrado e assassinado

José Bernardino, 48, foi encontrado no seu apartamento , no Edifício Módulo, com pancadas na cabeça, provocadas com ferro de passar. k página 10

CPI da Petrobras vem hoje à Refinaria Abreu e Lima, em Suape

k página 4

Hoje éoprimeiro dia útil para testar as novas linhas do BRT

k página 12

Refinaria Abreu e Lima, em Suape k página 4 Hoje éoprimeiro dia útil para testar as
Refinaria Abreu e Lima, em Suape k página 4 Hoje éoprimeiro dia útil para testar as
Refinaria Abreu e Lima, em Suape k página 4 Hoje éoprimeiro dia útil para testar as

2 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

capa dois

www.jconline.com.br

k

Editores de Arte e Infografia:

Bruno Falcone Stamford bfalcone@jc.com

Fabiana Martins fmartins@jc.com.br Karla Tenório ktenorio@jc.com.br

Fale conosco: (81) 3413.6482

Editor-assistente de abertura:

Diana Moura diana@jc.com

Editor-assistente de fechamento:

Rafael Carvalheira rvieira@jc.com Fale conosco: (81) 3413.6408

Carvalheira rvieira@jc.com Fale conosco: (81) 3413.6408 cláudio humberto Cláudio Humberto, Teresa Barros e Ana

cláudio humberto

cláudio humberto

Cláudio Humberto, Teresa Barros e Ana Paula Leitão

claudiohumberto@odianet.com.br twitter: @colunaCH

Leitão claudiohumberto@odianet.com.br twitter: @colunaCH Internet de R$ 2,3 milhões Dilma não dispensa internet

Internet de R$ 2,3 milhões

Dilma não dispensa internet rápida nem quando viaja no “Air Force 51”, que custou ao contribuinte R$ 156 milhões, e no jatinho da Embraer: a Presidência contratou internet, fax e telefone via satélite exclusivos para serem usados nos dois aviões dela. O custo é de R$ 2,3 milhões por ano e usa exclusivamente equipamentos SwiftBroadband, da inglesa Inmarsat, que tem rede de 11 satélites espalhados pelo mundo. A previsão da Presidência é de que o telefone satélite do avião custe R$ 2 mil/mês; o fax, R$ 1 mil/mês; e a internet, R$ 188 mil por mês. As empresas de telefonia brasileiras não possuem a tecnologia exigida por Dilma para equipar os jatos. Dilma “contorna” com tecnologia inglesa problema típico brasileiro: internet péssima. A diferença é que a conta não é ela quem paga. O contrato de R$ 2,3 milhões por ano para bancar internet via satélite nos aviões de Dilma é válido por 12 meses e renovável por até 5 anos.

k Governo: receita de R$ 1,05 tri José Cruz/Agência Brasil
k
Governo: receita de R$ 1,05 tri
José Cruz/Agência Brasil

As receitas do governo federal, retiradas do contribuinte com impostos, multas e taxas, além de outras arrecadações oriundas de investimentos e outras cobranças, já ultrapassam R$ 1,05 trilhão, pela Transparência. O valor é ainda mais impressionante, pois foi atingido só nos primeiros quatro meses de 2015 e equivale à quase metade dos R$ 2,23 trilhões embolsados pelo governo Dilma em todo o ano passado.

Incompetência

Mesmo arrecadando R$ 7,86 bilhões por dia desde o início do segundo mandato, o governo Dilma explica o arrocho fiscal com a falta de grana.

Maior fatia

Só o Ministério da Fazenda arrecadou R$ 892 bilhões até 14 de maio, 27% a mais do que os R$ 700 bilhões registrados pelo “Impostômetro”.

Futuro recorde

Se mantiver o empenho de meter a mão no bolso do contribuinte até o fim do ano, o governo vai fechar 2015 com receitas de R$ 2,87 trilhões.

Mulher-bomba

Deputados do PP temem a convocação de Stael Fernanda Rodrigues Janene, ex-mulher de José Janene, para depor na CPI da Petrobras. Ela parece saber muito e pode comprometer os corruptos.

Ilegal não é

Causou estranheza a presença de ministros de estado em uma reunião político-partidária na residência oficial do vice-presidente Michel Temer. Apesar de muito suspeita, especialistas dizem não haver “ilegalidade”.

Agiliza, Dilma

Michel Temer avisou a Dilma Rousseff que, para que a articulação política continue funcionando, é preciso andar com as nomeações pendentes. Esta é a principal reclamação da base atualmente.

Relator irrita

Não se fala a mesma língua no PMDB: o relator da reforma política, Marcelo Castro (PMDB-PI), conseguiu irritar Renan Calheiros, Michel Temer e o seu padrinho Eduardo Cunha ao recuar de pontos chave do relatório como mandato de 10 anos para senadores e o “distritão”.

Virada Esportiva atrai multidão

MOVIMENTO As 24 horas de esportes promovidas pela Prefeitura atraíram, em todo o período, cerca de 50 mil pessoas. Mas houve reclamação contra a falta de organização

A segunda edição da Vi- rada Esportiva reu- niu cerca de 50 mil

pessoas entre as 16h do sába- do e as 16h do domingo, se- gundo a Prefeitura da Cidade do Recife (PCR), que assina o evento. O número é a soma de quem passou, durante as

24h, pelos sete polos e 16 Aca- demias da Cidade, que reuni- ram 200 modalidades gratui- tas para exercitar o corpo e mente. A PCR investiu os mesmo R$ 1,2 milhão do ano passado, quando aconteceu a primeira edição, mas, desta vez, com o dobro de modali- dades. No Marco Zero, polo mais concorrido, os recifenses pu- deram aproveitar atividades como bike indoor, totó huma- no, gincana, basquete, hand- ball, poker, xadrez, dama, além de conhecer modalida- de náuticas. Teve até uma ca- ça ao tesouro que reuniu 35 famílias. O tesouro estava es- condido no Parque das Escul- turas.

O pessoal teve que atraves-

sar de barquinho para encon- trar o prêmio simbólico, uma sacolinha de guloseimas. A ca- ça fez sucesso junto à criança- da. À noite, o campeonato pre- miou os ganhadores com dois tablets e uma TV. No entanto, dois dos outros principais polos, Dona Lindu e Pina, estavam menos movi- mentados que em 2014. Al- guns participantes reclama- ram da falta de organização do evento, que, desta vez, foi preparado num tempo mais curto, e disseram sentir falta de um mapa que sintetizasse onde estava cada atividade.

Fotos: ALexandre Gondim/JC Imagem
Fotos: ALexandre Gondim/JC Imagem
estava cada atividade. Fotos: ALexandre Gondim/JC Imagem CORPO E MENTE Na imagem mais acima, o totó

CORPO E MENTE Na imagem mais acima, o totó humano, que fez muito sucesso. Na outra foto, público se divertindo

O estudante universitário e jogador de handball Ed Caval- canti, por exemplo, comen- tou que faltou bola no Pina. Apesar disso, curtiu a segun- da edição, foi campeão na mo- dalidade. O técnico em segurança

Gleyson Diniz e a educadora física Izabela Macedo partici- param pela primeira vez. “Sempre venho ao Marco Ze- ro para patinar”, disse ele, que, neste domingo, também participou das gincanas e, no sábado, do bike indoor.

participou das gincanas e, no sábado, do bike indoor. “ “Faltou bola no handball de areia

“Faltou bola no handball de areia no Pina”, comentou o estudante e jogador de handball Ed Cavalcanti. Mas ele elogiou o evento. Foi campeão em Boa Viagem e seguiu para jogar no Antigo.

Foi campeão em Boa Viagem e seguiu para jogar no Antigo. “ “Viemos para o bike

“Viemos para o bike indoor no sábado à noite e, no domingo, viemos de novo, participamos também da gincana”, relataram Izabella e Gleyson que estavam no Marco Zero. Adoraram o evento.

Caruaru comemora 158 anos

A Princesa do Agreste,

Caruaru comemora

158 anos hoje. Éaterra

de Mestre Vitalino, da feira, dos artesãos do Alto do Moura, de uma grande festa de São João, da banda de pífano, dos grupos de bacamarteiros e uma das ci- dades que mais contribuíram para divulgar dois dos ritmos mais importantes do Nordeste:

o forró e o baião. Afinal quem não se lembra da voz de Luiz Gonzaga cantando: “de tudo que há que há no mundo, nela tem pra vender”. A canção é de Onildo Almeida e retrata bem a famosa feira da cidade.

O município tem uma popula-

ção de 337.416 habitantes, sen- do o mais populoso do interior do Estado. Apesar da crise eco- nômica nacional e internacio- nal, Caruaru vem apresentando

Alexandre Severo /JC Imagem
Alexandre Severo /JC Imagem

ANIVERSÁRIO Cidade tem forte tradição econômica e cultural

um crescimento acima da mé- dia nacional em vários setores, puxada principalmente pelo co- mércio. A realização da Feira da Sulanca traz um movimento

superior a 60 mil pessoas por semana, entre compradores de todo Nordeste e confeccionis- tas da região, todas as segundas- feiras. O evento também escoa

a produção das confecções fa-

bricadas em municípios próxi- mos como Santa Cruz do Capi- baribe e Toritama.

O surgimento da Princesa do

Agreste ocorreu num local on- de eram trocadas mercadorias

e

paradas na Fazenda Caruaru, atual Marco Zero da cidade lo- calizado próximo à Igreja da Conceição. A troca era princi- palmente de produtos agríco- las, como bodes, bois e aves, en- tre outros. Depois, foi iniciada a comercialização em moeda cor- rente, o que contribuiu para o surgimento do povoado. A tradi- cional Feira de Caruaru foi reco- nhecida em 2007 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artís- tico Nacional (Iphan) ao ser tombada como Patrimônio Ima- terial Brasileiro.

os viajantes faziam pequenas

k Frase

Se não querem a reforma, vão ter que votar e assumir ser contra”

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que marcou votar a reforma política no dia 26

Telhado branco

Desde que o registro biométrico de presença chegou à Câmara, o fluxo de antigos servidores se tornou maior, mas com breve permanência na Casa. Batem o ponto, reclamam e vão embora. E não se aposentam.

Elefante branco

O secretário de Turismo do DF, Jaime Recena, falou na Câmara sobre a subutilização dos estádios da Copa. O Mané Garrincha, que custou R$ 1,5 bilhão, virou elefante branco no governo a que ele serve.

k Expediente

jornal do commercio

DIRETORIA

Presidente João Carlos Paes Mendonça Vice-Presidente Jaime de Queiroz Lima Filho Diretor Eduardo Amorim de Lemos

COMITÊ DE CONTEÚDO DO SJCC Ivanildo Sampaio (Coordenador) Eduardo Lemos Beatriz Ivo Lúcia Pontes

DIRETORIA OPERACIONAL

Diretor de Redação

Diretora

Laurindo Ferreira

Administrativo-Financeira

Diretora-Adjunta

Luciane Sallas

de Redação

Diretora Comercial

Maria Luíza Borges

Roseane Gonçalves

Diretora de Mercado Leitor

Diretor Industrial

Verônica Barros

Satyro Gil

Noticiário nacional Agência Estado (AE), Agência Globo (AG), Folhapress Noticiário internacional Agência France Presse (AFP) Central de atendimento ao leitor Grande Recife: 3413.6100 Interior e outros Estados:

0800-081-5100

Horários 6h30 às 18h30 - 2ª a 6ª feira 6h30 às 11h30 - Sábados, domingos e feriados e-mail: atendimento@jc.com.br

Endereço Rua da Fundição, 257 - Santo Amaro Recife - PE CEP: 50.040.100 Pabx: 3413.6110

Redação: 3413.6174 Fax: 3413.6430

Pabx: 3413.6110 Redação: 3413.6174 Fax: 3413.6430 VENDA AVULSA   ASSINATURAS     Grande

VENDA AVULSA

 

ASSINATURAS

   

Grande Recife

Interior

s/classificados

PE

Outros

Estados

 
 

Diária anual

R$ 782,00

R$

750,00

Dias úteis

R$

2,00

R$

5,00

 

Domingos

R$ 3,00

R$ 6,00

Diária semestral

R$ 391,00

R$

375,00

Exemplares

 

Atrasados

R$ 6,00

R$ 6,00

Fins de semana anual

R$ 260,00

R$

249,00

MERCADO NACIONAL Engenho de Mídia Recife (81) 3126.8181 São Paulo (11) 3854.9030 Brasília (61) 3328.5683 Rio de Janeiro (21) 2213.0904 www.engenhodemidia.com.br

Os exemplares do Jornal do Commercio de venda avulsa não são comercializados diretamente ao público. Neste caso, a venda é feita por bancas de terceiros devidamente autorizados pelas prefeituras, agentes autônomos e representantes comerciais credenciados (pessoas jurídicas), que adquirem o jornal para revenda ao público. As assinaturas, com entrega domiciliar, são vendidas por representantes autônomos, empresas prestadoras de serviço e funcionários da Editora Jornal do Commercio.

IMPOSTOS Carga tributária (de produtos e serviços aos consumidores) aproximada: 3,65%

 

Fale conosco:

  (81)3413.6174
 

(81)3413.6174

www.jc.com.br

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 3

política

www.jconline.com.br

k

Editores:

Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br

Bianca Negromonte bianca@jc.com.br Gilvan Oliveira goliveira@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6182 Twitter: @jc_politica

Fale conosco: (81) 3413-6182 Twitter: @jc_politica Vêm aí cortes e mais impostos GOVERN0 Dilma e sua

Vêm aí cortes e mais impostos

GOVERN0 Dilma e sua junta orçamentária discutiram como garantir o ajuste fiscal. Medidas devem ser anunciadas até sexta-feira

Agência Estado

B RASÍLIA - O governo pretende combinar os cortes em gastos pre-

vistos no Orçamento deste ano com uma nova rodada de aumento de impostos. O obje- tivo da medida, preparada pe- lo Ministério da Fazenda, é re- forçar o ajuste fiscal e afastar o risco de rebaixamento da no- ta de crédito do Brasil. A presi- dente Dilma Rousseff come- çou a discutir ontem o tama- nho do contingenciamento, que será definido após nego- ciações nesta semana com o Congresso. O corte deve ser da ordem de R$ 70 bilhões. Os ministros Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento) e Aloizio Mer- cadante (Casa Civil), que com- põem a junta orçamentária, le- varam propostas distintas à reunião de quatro horas, no Palácio da Alvorada. Hoje, o tema será tratado com a coor- denação política do governo. Levy apresentou uma esti- mativa de corte mais elevada, de R$ 78 bilhões, que compen- saria as perdas aplicadas pe- los parlamentares no ajuste fiscal. As modificações feitas pela Câmara nas medidas pro- visórias que alteram benefí- cios trabalhistas e previden- ciários incluíram desde restri- ções mais leves que as preten- didas pela equipe econômica no seguro-desemprego e na pensão por morte até a

Charles Sholl/Futura Press/Estadão Conteúdo
Charles Sholl/Futura Press/Estadão Conteúdo

SIGILO Ministro da Fazenda chega à reunião. Sem imprensa

flexibilização do fator previ- denciário. Mercadante defendia corte não superior a R$ 60 bilhões no total, de forma a não parali- sar a máquina federal, posi- ção mais próxima à do minis- tro do Planejamento, Nelson Barbosa. Na Fazenda, a avaliação é que quanto menor for o corte, maior será a necessidade de “complementação” com au- mento de impostos. O objeti- vo central do governo é cum- prir a meta fiscal deste ano:

1,2% do Produto Interno Bru- to (PIB). Prevalecendo a visão de Le- vy sobre o corte, a decisão de- ve gerar atritos com o PT, cujos parlamentares defen- dem ajuste menos amargo. Entre os auxiliares de Dil-

ma, a defesa de Levy por um bloqueio mais severo tem por objetivo não só acenar aos agentes financeiros, mas tam- bém proteger as contas públi- cas de eventuais alterações promovidas pelo Congresso no projeto de lei que revê a po- lítica de desoneração da folha de pagamento, outra medida fundamental para fechar as contas oficiais. O martelo so- bre a amplitude do contingen- ciamento só deve ser batido após a votação desta proposta na Câmara, prevista para ocor- rer às vésperas do anúncio dos cortes, nesta semana. O governo estima poupar R$ 14 bilhões com as restri- ções aplicadas em benefícios trabalhistas e previdenciários que estão em discussão no Se- nado.

com as restri- ções aplicadas em benefícios trabalhistas e previdenciários que estão em discussão no Se-
com as restri- ções aplicadas em benefícios trabalhistas e previdenciários que estão em discussão no Se-

4 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

política

www.jconline.com.br

cena política

cena política

k Da editoria de Política, Brasil e Internacional

PSDB vai ao ataque na TV

Será em clima de campanha eleitoral o programa político do PSDB que vai ao ar amanhã, pela TV. As chamadas foram veiculadas nesse final de semana e apontam para uma linguagem agressiva. Como era de se esperar, a pauta gira em torno das denúncias de corrupção, particularmente na Petrobras. A falta de controle nos gastos e a má-gestão do País também são motes dos tucanos. Com jeito de superprodução, o “teaser” procura mostrar o que considera a farra com o dinheiro público promovido pelo governo do PT. O texto, interpretado por um ator, alerta: "A corrupção na Petrobras, quase 40 ministérios, aumento da luz, da gasolina e quase 8% de inflação. O governo do PT quer empurrar esse conta pra você." Não se sabe se, no programa, o PSDB vai inserir o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, tema que divide o ninho dos tucanos. É pesado o cabo de guerra entre o grupo pró-impeachment e expoentes do partido que pedem mais prudência. Neste último grupo estão nomes como o ex-presidente Fernando Hernrique Cardoso e o ex-ministro José Serra, consideradas vozes de mais bom senso da legenda, quanto ao asunto em tela.

k PSOL: expulsão lá e rejeição cá Diego Nigro/JC Imagem
k
PSOL: expulsão lá e rejeição cá
Diego Nigro/JC Imagem

Por 53 votos a 1, a direção nacional do PSOL expulsou da legenda o deputado federal Cabo Daciolo (RJ), eleito em 2014 na esteira da fama obtida como líder de uma greve de bombeiros. Ele tentou trocar a palavra “povo” pela palavra Deus na Constituição Federal e defendeu PMs do caso Amarildo. O partido decidiu não pedir o mandato de volta. Na mesma reunião, o PSOL rejeitou a filiação da advogada Noélia Brito (foto), ativa militante dos movimentos sociais aqui no Estado. Segundo Noélia, a influência do grupo político do deputado estadual Edilson Silva foi decisiva para a rejeição.

Denúncias trazem CPI à refinaria

LAVA JATO Integrantes da Comissão fazem visita a Suape para inspecionar denúncias surgidas a partir das delações premiadas

denúncias surgidas a partir das delações premiadas Mariana Mesquita mmesquita@jc.com.br A s denúncias de

Mariana Mesquita

mmesquita@jc.com.br

A s denúncias de superfa- turamento, desvios e outros crimes de cor-

rupção envolvendo a refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Ipoju- ca, trazem, hoje, uma comitiva de deputados federais a Per- nambuco para verificar, in loco, a situação do empreendimento. Os parlamentares integram a Comissão Parlamentar de In- quérito (CPI) da Petrobras e se baseiamnos dados obtidos atra- vés das delações premiadas de réus que já foram presos e de depoimentos diversos colhidos pela CPI. Entre os integrantes do grupo, estará presente Kaio Maniçoba (PHS-PE), represen- tante pernambucano e terceiro vice-presidente da CPI. Os deputados devem sair do Recife rumo à refinaria por vol- ta das 10h, de helicóptero, e vis- toriar a área industrial do com- plexo. Às 14h30, a Petrobras fa- rá uma apresentação e prestará esclarecimentos sobre even- tuais dúvidas dos parlamenta-

Heudes Regis/JC Imagem
Heudes Regis/JC Imagem

RNEST As denúncias da Lava Jato afetaram o empreendimento

res, que devem regressar à capi- tal às 17h.

PREJUÍZOS

Oempreendimento está para- lisado desde o início do ano.

Com 80% das obras concluídas,

a refinaria Abreu e Lima foi

O impacto causado pelo es- quema de corrupção na Petro- bras causou uma perda de cer- ca de R$ 6,2 bilhões em 2014. O valor foi apontado pelo balanço contábil da empresa, divulgado em abril. No mesmo documen- to, está indicada uma acentua-

muito atingida pela crise. Por conta das denúncias da Opera- ção Lava Jato, as obras da se- gunda fase sofreram atrasos. A previsão do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Petróleo de Pernambuco e da Paraíba (Sindipetro PE/PB) era

da desvalorização (ajuste de perda de ativos) da refinaria

de que 1.500 pessoas trabalha- riam no empreendimento. Ho-

Abreu e Lima, que passou de

je,

apenas 500 estão em ativida-

R$ 16,4 para R$ 7,3 bilhões.

de.

Oposição quer balanço quadrimestral

A Secretaria Estadual da Fazenda quer adiar o balanço quadrimestral

das contas de Pernambuco, que, de acordo com a Lei da Responsabilidade Fiscal (LRF), teria que ser apresentado à Co- missão de Finanças, Orçamen- to e Tributação da Assembleia

Legislativa (Alepe) até o dia 30 de maio. A denúncia é do depu- tado estadual Silvio Costa FI- lho (PTB). Segundo ele, “não há qualquer justificativa para o fato”. “O secretário simples- mente comunicou à Alepe que

o balanço só será apresentado

no dia 10 de junho”, acusa. De acordo com a lei, o gover- no é obrigado a apresentar o balanço do quadrimestre den- tro do prazo de um mês após o fechamento das contas, para

que se possa avaliar os gastos e

o cumprimento das metas fis-

cais. “Os fornecedores e os ser- vidores estaduais estão em sus- penso, aguardando esses nú- meros”, diz Costa Filho. É o ca- so dos policiais civis e milita- res, dos servidores do Poder Judiciário Estadual e, ainda, dos professores, que interrom- peram sua greve com a pro- messa de uma negociação sala- rial após a divulgação dos re- sultados do balanço econômi- co. “Pernambuco só terá valo- res objetivos para uma mesa de negociação após divulgar es- ses dados, e não há explicação para a demora. O governo tem

tudo informatizado e desde o fim de abril já deve ter consoli- dado essas informações”, des- taca. Durante toda a tarde de on- tem, nossa reportagem tentou, sem sucesso, falar com o presi- dente da Comissão de Finan- ças, Orçamento e Tributação da Alepe, Clodoaldo Maga- lhães (PSB), e com o secretá- rio estadual da Fazenda, Már- cio Stefanni. (M.M.)

Mea-culpa

O ministro de Ciência e Tecnologia, o ex-deputado Aldo Rebelo (PCdoB) fez um mea-culpa e afirmou que foi um equívoco político pedir impeachment do então presidente Fernando Henrique Cardoso. “Foi um erro. Ponto”, disse Rebelo.

Caminhando

Falando em “Fora, Dilma”, as dificuldades que o movimento vem encontrando preocupa alguns de seus líderes . A marcha atual do Movimento Brasil Livre, que vem percorrendo alguns Estados, não conseguiu ainda superar a marca dos 22 andarilhos.

Mea-culpa (2)

O ministro, que pertence

ao chamado “núcleo duro” do governo federal, no entanto, demorou 12 anos para reconhecer o “erro”. O que acontece justamente quando setores da oposição fazem o mesmo com a presidente Dilma Rousseff. Demorou.

Começou, sim

O prefeito do Recife,

Geraldo Julio (PSB), vai anunciar, dentro de 10 dias, um levantamento de obras que foram retomadas pela Prefeitura do Recife e que estão em andamento na cidade. E depois dizem que 2016 ainda não começou.

Caixa preta da Alepe parece ser inviolável

Matéria do JC, sábado, mostra que o nosso legislativo estadual não tem pressa alguma para criar portal da transparência. Nem aí.

pressa alguma para criar portal da transparência. Nem aí. Sai agora em maio um dos livros

Sai agora em maio um dos livros mais avassaladores sobre o stalinismo do Partido Comunista Brasileiro: O espelho, do jornalista Osvaldo Peralva. Enviado pelo PCB a Moscou, em 1953, Peralva viu os métodos do regime de Joseph Stálin e a sua reprodução no Brasil pelo Partidão. O autor, que rompeu com o PCB no final dos anos 1950, traça perfis contundentes de mitos como Luis Carlos Prestes e Carlos

contundentes de mitos como Luis Carlos Prestes e Carlos Marighela. Publicado originariamente em 1960, o livro

Marighela. Publicado originariamente em 1960, o livro passou três décadas fora de catálogo.

Carlos Prestes e Carlos Marighela. Publicado originariamente em 1960, o livro passou três décadas fora de
Carlos Prestes e Carlos Marighela. Publicado originariamente em 1960, o livro passou três décadas fora de

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 5

brasil

www.jconline.com.br

k

Editores:

Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br

Bianca Negromonte bianca@jc.com.br Gilvan Oliveira goliveira@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6182 Twitter: @jc_brasil

Fale conosco: (81) 3413-6182 Twitter: @jc_brasil ancelmo gois Ancelmo Gois agois@oglobo.com.br pelo twitter:

ancelmo gois

ancelmo gois

Ancelmo Gois

agois@oglobo.com.br pelo twitter: @ancelmocom

Ancelmo Gois agois@oglobo.com.br pelo twitter: @ancelmocom Bancada em guerra Fim de semana de confrontos no Rio

Bancada em guerra

Fim de semana de confrontos no Rio

A bancada feminina do Congresso está de mal com o

Ministério da Saúde. Tudo por causa de uma portaria ministerial, assinada no ano passado, impedindo que mulheres com menos de 50 anos façam exames de mamografia no SUS. Deputadas e senadoras se uniram para derrubar a portaria, por via legislativa. Dados levantados pelas parlamentares mostram que dos 50 mil casos de câncer de mama registrados anualmente, cerca de 12 mil são de mulheres entre 40 e 49 anos.

Nelson Jr./STF
Nelson Jr./STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, convocou uma

audiência pública para 15 de junho. Quer discutir se é constitucional o ensino religioso confessional nas escolas públicas. Ele Convidou representantes católicos, protestantes, espíritas, judeus, muçulmanos, umbandistas e budistas.

Além destes

Houve 227 inscrições voluntárias, incluindo a Igreja de Bruxaria e a Igreja de Satã. Hoje, sai a lista com os 25 participantes da audiência.

Longe dos bebês

O setor de saúde, uma

das poucas áreas da economia que permaneciam com restrição ao capital estrangeiro, foi liberado recentemente. Mas tem especialista achando que o gringo vai fugir de áreas de pouca rentabilidade: maternidade, por exemplo. A conferir.

Deu ciúme

A visita do presidente

francês François Hollande, semana passada, a Cuba, causou ciúme no resto da Europa. Ele foi o primeiro chefe do continente a pisar em Havana depois que Obama furou o bloqueio à ilha.

Amazônia

A Rádio Verde diz que no Dia do Meio Ambiente, 5 de

junho, Dilma deve anunciar

a ampliação de áreas de

preservação em alguns trechos da Amazônia. Municípios que já têm 73% de sua área preservada

devem passar a ter 85% do território interditado.

Intimidade

Está no prelo um novo livro sobre Ayrton Senna (1960-1994). Com lançamento previsto para

julho, "100 Senna" terá cem imagens inéditas do piloto

e de objetos pessoais dele.

Zona Franca

Gilson Peranzzetta e Mauro Senise comemoram 25 anos de parceria lançando o CD "Dois na rede" (Fina Flor), na sexta-feira, na Sala Cecilia Meireles.

k Uma vilã muito especial Morena, ruiva ou loura. Tanto faz. Giovanna Antonelli, 39 anos,
k
Uma vilã muito especial
Morena, ruiva ou
loura. Tanto faz.
Giovanna Antonelli,
39 anos, mãe de
Pietro, Antonia e
Sofia, está sempre
linda. Agora,
mudou de novo:
está loura. O visual
é para a próxima
novela de João
Emanuel Carneiro,
“A regra do jogo”,
que deve estrear
em agosto.
Giovanna será,
como já definiu o
autor, “uma vilã
torta”.
Ale de Souza/Divulgação

Veja só

O jornal “El País”

lamentou a política do ex-primeiro ministro José María Aznar, do conservador PP, que apoiou os EUA nas sucessivas tentativas de sufocar Cuba via bloqueio econômico.

Veja só (2)

Para que se tenha uma ideia de como a E spanha mantém fortíssimas ligações com Cuba e com o m ercado cubano:

um único grupo empresarial espanhol administra 27 hotéis de luxo na ilha.

VIOLÊNCIA Quatro comunidades, três delas com UPPs, foram palco de tiroteio entre traficantes e policiais. Na Mangueira, homem morreu ao ser atingido por bala perdida

Agência Globo

R IO – O fim de semana foi de confrontos entre policiais e traficantes

em quatro comunidades cario-

cas – três delas têm Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) e uma está ocupada pela polícia.

O caso mais grave ocorreu no

Morro dos Telégrafos, na Man- gueira, onde o comerciante Ale- xandre Cavalcante de Oliveira, 36 anos, foi morto com um tiro na cabeça na porta de casa, na noite de sábado. Ele morava em frente a um contêiner da UPP, no alto do morro, e saía para o trabalho quando foi atingido por uma bala perdida. No Complexo do Alemão, houve tiroteios na manhã do do- mingo, sem feridos. À tarde, por volta das 14h, agentes da UPP Adeus/Baiana – duas comunida- des que integram o conjunto de favelas – foram até a Rua Sabaúna depois de ouvirem ti- ros, segundo a coordenadoria das Unidades de Polícia Pacifica- dora, e trocaram disparos com criminosos armados num carro. Os bandidos conseguiram fugir e abandonaram o veículo. Pouco depois, uma pessoa baleada deu entrada no Hospital Getúlio Var-

Fernando Quevedo/Ag. O Globo
Fernando Quevedo/Ag. O Globo

TIROS Parentes de Alexandre acusam a polícia por disparos

gas, na Penha. O caso é investiga- do pela 21ª DP (Bonsucesso). Na Maré, que foi ocupada pa- ra a implantação de quatro UPPs, um morador foi ferido na perna durante troca de tiros en- tre militares da Força de Pacifi- cação e criminosos, na manhã de domino. Ele foi socorrido pe-

lo Exército. O conjunto de fave- las passa por um processo de substituição das tropas federais por PMs desde 1º de abril. As fa- velas da Praia de Ramos, Roquet- te Pinto, Nova Holanda, Parque União, Rubem Vaz e Nova Maré já estão ocupadas pela PM. Ainda pela manhã, houve in-

tenso tiroteio na Rocinha. Poli- ciais militares foram recebidos a tiros por volta de 9h30, enquan- to faziam patrulhamento de roti- na no local conhecido como Rua 2. A PM vasculhou a área, mas não apreendeu armas nem dro- gas. Os suspeitos conseguiram fugir. Duas mulheres, uma atin-

gida na perna e outra por estilha- ços, foram atendidas no Hospi- tal Miguel Couto. Arídio Cavalcante, irmão de Alexandre Cavalcante de Olivei- ra, morto na Mangueira, questio- nou a eficiência da presença da UPP na comunidade. “Devia ser

o lugar mais seguro da Manguei-

ra, mas não é. A presença dos po- liciais só nos deixa com mais me- do, já que a formação dos PMs é muito ruim. Às vezes, os poli- ciais se assustam com eles mes- mos e até trocam tiros entre si. São completamente desprepara- dos”, desabafou, afirmando que

a família vai processar o Estado. Alexandre era sócio do irmão numa lan house na Mangueira e trabalhava à noite. Ele era pai de três filhos e sua mulher está grávida de oito meses. Dois de- les, uma menina de 6 e um meni- no de 3, viram o pai ser morto. A filha mais velha completou 13 anos no domingo.

Coronel morto a mando da mulher

Folhapress

A Polícia Civil do Distri- to Federal prendeu, no último sábado, a

mulher e a cunhada do tenen-

te-coronel do Exército Sérgio Cerqueira, suspeitas de terem encomendado o assassinato

do militar. A motivação do cri-

me seria uma pensão de cer-

ca de R$ 10 mil. O oficial do Exército e a mulher dele estavam em pro- cesso de separação e, neste ca- so, a mulher receberia pensão de R$ 2 mil. Insatisfeita, que- ria garantir o recebimento in- tegral do dinheiro. Então, se- gundo a investigação policial, planejou a morte de Cerquei- ra. Ela e a irmã teriam contra- tado quatro homens para for-

Valor da pensão a ser recebida pela esposa teria motivado o crime

jar um latrocínio. Os crimino- sos sequestraram e mataram o coronel com um tiro na ca- beça na sexta-feira. Segundo a Polícia Civil do DF, a cunhada e os quatro ma- tadores de aluguel confessa- ram o crime. As duas respon- derão por homicídio qualifica- do, podendo pegar até 30 anos de prisão.

Detido avião com 361 kg de cocaína

Agência Estado

F ORTALEZA – Aviões da Força Aé- rea Brasileira (FAB)

Testemunhas informa- ram à PF que os tripulantes fugiram utilizando duas ca- minhonetes assim que pou- saram a aeronave.

interceptaram um Cessna que transportava 361,7 qui-

Esta foi a terceira apreen-

OUTROS CASOS

los de cocaína em Boa Via- gem, a 220 quilômetros de Fortaleza (CE), no último sábado. Quando a Polícia Federal chegou ao local, os bandidos já haviam fugido.

são de aviões com drogas em pouco mais de um mês

Em 11 de abril último, um avião que vinha do Para- guai caiu na fronteira do Ceará com o Piauí conten- do 250 quilos de cocaína. No mesmo mês, no dia 14, outro avião de médio porte foi interceptado no município de Canindé, a

no Ceará.

120 quilômetros de Fortale-

O pouso do Cessna foi fei-

za, com 400 quilos de cocaí-

to

em Santa Cruz, a 30 qui-

na.

lômetros da sede de Boa Viagem, por determinação de aviões da FAB.

Nesta última apreensão, além da droga, foram deti- das cinco pessoas.

k rápida

Turista vietnamita é esfaqueada por assaltantes no Centro do Rio

A turista vietnamita Tran Vu Ha, 39 anos, foi esfaqueada em tentativa de assalto no Centro do Rio, domingo, enquanto passeava com um amigo. Segundo a Polícia Militar, três adolescentes participaram da ação, abordando os turistas perto da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), na Praça XV. A turista foi atendida no Hospital Municipal Souza Aguiar, onde segue internada, em estado estável, mas sem previsão de alta. Tran Vu Há foi socorrida por seguranças do Paço Imperial. Acionados, policiais militares apreenderam os três jovens. Na Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat), o amigo da vítima reconheceu um dos assaltantes. Os assaltos a transeuntes têm aumentado no Centro do Rio, uma das regiões preferidas dos turistas.

um dos assaltantes. Os assaltos a transeuntes têm aumentado no Centro do Rio, uma das regiões
um dos assaltantes. Os assaltos a transeuntes têm aumentado no Centro do Rio, uma das regiões

6

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

internacional

www.jconline.com.br

de 2015 I segunda-feira internacional www.jconline.com.br k Editores: Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br

k

Editores:

Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br

Bianca Negromonte bianca@jc.com.br Gilvan Oliveira goliveira@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6182 Twitter: @jc_internacional

Papa canoniza duas palestinas

VATICANO Mariam Bawardi eMarie-Alphonsine Ghattas viveram no séc. 19 e são as primeiras santas palestinas da era moderna. Francesa e italiana também viraram santas

AFP

C IDADE DO VATICA- NO – O papa Francisco declarou santas, on-

tem, quatro religiosas que vive- ram no século 19, duas palesti- nas, uma francesa e uma italia- na, e encorajou a multidão a se- guir seu “exemplo luminoso”. Mariam Bawardi (1846-1878), Marie-Alphonsine Ghattas (1843-1927), Jeanne-Emilie de Villeneuve (1811-1854) e Maria Cristina dell’Immacolata (1856-1906) foram canonizadas em missa celebrada ao ar livre na Praça de São Pedro do Vatica- no. Diante de uma multidão de fiéis, o sumo pontífice exaltou a trajetória das religiosas, “mode- los de santidade que a Igreja nos convida a imitar”, e cujos retra- tos decoravam a fachada da Basílica de São Pedro. “Viver em Deus e seu amor para anun- ciar com as palavras e com a vi- da a ressurreição de Jesus, dan- do testemunho da unidade en- tre nós eoamor a todos: éoque fizeram as quatro santas procla- madas no dia de hoje”, disse o papa. Em sua homilia, o santo pa- dre comentou a personalidade das quatro mulheres. Amissa te- ve a presença do presidente pa- lestino, Mahmud Abbas, que se reuniu na véspera com Francis- co, e do ministro francês do Inte- rior, Bernard Cazeneuve. Tam- bémesteve presente uma delega- ção de 2 mil pessoas de igrejas locais e de territórios palestinos, Israel e Jordânia. As duas religiosas palestinas são as primeiras canonizadas na era moderna. Francisco desta-

Fotos: Alberto Pizzoli/AFP
Fotos: Alberto Pizzoli/AFP

FIÉIS Bandeiras palestinas tomaram conta da bela Praça de São Pedro no domingo de sol

tomaram conta da bela Praça de São Pedro no domingo de sol UNIÃO Abbas visitou o

UNIÃO Abbas visitou o papa

cou que Mariam Bawardi foi “um instrumento para o encon- tro e a comunhão com o mundo muçulmano”. Mariam Bawardi fundou em Belém o primeiro convento car- melita da Palestina e faleceu em acidente, aos 32 anos, após ser- vir a famílias pobres em Alexan- dria e Jerusalém. Órfã, negou-se a casar e a converter-se ao Islã. Atambémpalestina Marie-Al- phonsine Ghattas se tornou reli- giosa aos 14 anos e fundou em 1880 a congregação do Santo Ro- sário de Jerusalém. Já a irmã Jeanne-Emilie de Villeneuve, que “consagrou sua vida a Deus e aos pobres, aos doentes, aos prisioneiros e aos

explorados”, nas palavras do Pa- pa, fundou a congregação de Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Castres, no su- doeste da França. Por fim, a napolitana Maria Cristina dell’Immacolata, fun- dou em 1903 uma congregação de Adoradoras e recebeu a “for- ça para suportar o sofrimento” graças à oração, destacou o pa- pa. Em seu encontro privado com o presidente Abbas, o santo padre classificou o dirigente pa- lestino de “anjo da paz”. Os dois defenderam “a necessidade do diálogo interreligioso” frente à ascensão do jihadismo no Orien- te.

frente à ascensão do jihadismo no Orien- te. EI domina cidade a 100 km de Bagdá

EI domina cidade a 100 km de Bagdá

AFP

B AGDÁ – O grupo jiha-

dista Estado Islâmico

(EI) afirmou ontem

que tomou o controle total da ci- dade iraquiana de Ramadi, 100 km a oeste de Bagdá, um grave revés para as forças pró-gover- no.

O EI reivindicou a vitória em

fóruns jihadistas. “Deus permi- tiu aos soldados do Califado lim- par toda a cidade de Ramadi”, escreveu o grupo, acrescentan- do: “eles a controlam, com os ba- talhões de tanques e lançadores de mísseis no seu interior e cen- tro de comando de operações (na província de Al-Anbar)”. “Dezenas (de membros das forças pró-governo) foram mor- tos e centenas de renegados fu- giram”, comemorou, referindo- se aos combatentes das tribos sunitas aliadas ao governo. Pouco antes, o porta-voz e as- sessor do governador da provín- cia, Muhannad Haimour, anun- ciou a perda do centro de co- mando das forças de segurança em Ramadi.

O EI lançou, na última quinta-

feira, uma nova ofensiva em Ra- madi com uma onda de atenta- dos suicidas. Os combates deixa- ram cerca de 500 mortos em dois dias, de acordo Muhannad Haimour. O EI já controla a maior parte da vasta província

desértica de Al-Anbar, que se es- tende das fronteiras coma Síria,

Jordânia e Arábia Saudita até os portões de Bagdá. Do outro lado, o Pentágono afirmou, neste domingo, que a situação na cidade iraquiana permanece “fluida e em dispu- ta”, apesar das declarações do EI. “Rejeitamos a proclamada tomada de Ramadi por parte do EI. OPentágono continua moni- torando informes sobre duros combates na cidade e a situação continua sendo fluida e disputa- da. É cedo para dar declarações definitivas”, disse o porta-voz do Pentágono, Maureen Schu- mann.

O primeiro-ministro iraquia-

no, Haider al-Abadi, ordenou às tropas que “mantenham suas posições” e prometeu o envio de reforços a Ramadi.

Tiroteio deixa nove mortos no Texas

W ASHINGTON –

Nove pessoas

morreram e vá-

rias ficaram feridas, ontem, em um tiroteio entre gan-

gues rivais ena cidade de Wa- co, no Texas, nos Estados Unidos.

A briga começou no esta-

cionamento de um restauran- te. “Primeiro, os grupos ri- vais se enfrentaram com ta- cos de beisebol e facas e, de- pois, houve troca de tiros”, re- latou o sargento W. Patrick Swanton, em entrevista à emissora de TV KWTX. Em sua página no Face- book, a polícia anunciou que

nenhum oficial foi ferido no incidente e vários homens ar- mados, detidos. A área do ti-

roteio foi cercada pelos poli- ciais.

O Departamento de Polí-

cia de Waco pediu à popula-

ção que evitasse o local. “Por

favor, evitem a área do Cen- tral Texas Market Place, já que não é segura. Os oficiais estão prendendo as pessoas que estão com armas no lo- cal”, postou a polícia na mí- dia social.

A localidade fica no Cen-

tro do Estado do Texas e tem população estimada em cer- ca de 129 mil habitantes.

k rápidas

Líbia detém 400 imigrantes ilegais somalis e etíopes a caminho da Itália

A Líbia deteve, ontem, 400 migrantes ilegais que se preparavam

para partir à Europa. Estas detenções ocorrem na véspera de uma reunião de ministros das Relações Exteriores e de Defesa da União Europeia em Bruxelas, que discutirá uma operação naval contra os traficantes que operam no Mediterrâneo. Os migrantes, provenientes em sua maioria da Somália e da Etiópia, foram detidos na madrugada de domingo quando se preparavam para embarcar em Tajura, pequena cidade a leste da capital. Entre os presos estão várias grávidas. As estimativas são de que mais de 34.500 migrantes chegaram à Itália só este ano.

UE acredita que condenação de Mohamed Mursi à morte será revista

A União Europeia (UE) aguarda a revisão no processo de

apelação da decisão de condenar o ex-presidente egípcio Mohamed Mursi à morte. “A decisão do tribunal de condenar à morte o ex-presidente Mursi e mais de cem de seus partidários, em um julgamento em massa, não está de acordo com as obrigações internacionais do Egito”, reagiu a alta representante da diplomacia europeia, Federica Mogherini. “As autoridades judiciais egípcias devem garantir, conforme as normas internacionais, o direito dos acusados a um processo justo e a investigações apropriadas e independentes”, insistiu. “A UE acredita em que a sentença será revista”, concluiu Mogherini.

apropriadas e independentes”, insistiu. “A UE acredita em que a sentença será revista”, concluiu Mogherini.

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 7

economia

www.jconline.com.br

k

Editores:

Saulo Moreira smoreira@jc.com.br Mona Lisa Dourado mldourado@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6186 Twitter: @jc_economia

Fale conosco: (81) 3413-6186 Twitter: @jc_economia Contra arrocho fiscal, FGTS SETOR IMOBILIÁRIO Dinheiro
Fale conosco: (81) 3413-6186 Twitter: @jc_economia Contra arrocho fiscal, FGTS SETOR IMOBILIÁRIO Dinheiro

Contra arrocho fiscal, FGTS

SETOR IMOBILIÁRIO Dinheiro acumulado pelos brasileiros é tido como a solução para estimular uma área afetada pela crise

B RASÍLIA – A poupan- ça forçada do traba- lhador brasileiro pas-

sou a ser cobiçada em Brasília como a solução capaz de re- solver o problema de falta de recursos para destravar o cré- dito subsidiado à casa própria

e às empresas. Criado em

1966 como alternativa à regra que tornava o trabalhador es- tável após dez anos de empre- sa, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passou ser a fonte única para resolver a secura de recursos em meio ao ajuste fiscal e ao desempenho pífio da econo-

mia. “Parece que o fundo se tor- nou a última garrafa de água do deserto”, brinca um mem- bro da equipe econômica do governo quando questionado se o FGTS tem caixa para so- correr o Banco Nacional de

Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o crédito imobiliário. “Que bom que to- do mundo quer os recursos do fundo. É um sinal positivo, de boa administração. É preci- so lembrar que o dinheiro é do trabalhador e é essencial em várias áreas da econo- mia”, afirmou o ministro do

Baixa remuneração provoca polêmica

A remuneração das contas vinculadas ao FGTS é um dos te- mas mais polêmicos. O mais re- cente dos projetos, apadrinhado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sugere que a corre-

ção das contas seja feita pela ta-

xa da poupança (6,17% ao ano

mais Taxa Referencial) para de- pósitos a partir de 2016. Hoje, o ajuste é de 3% ao ano mais TR (Taxa Referencial). Se aumen- tar a correção, o financiamento para os setores atendidos pelo fundo (habitação, saneamento e infraestrutura) precisa ser mais custoso. Outro ponto discutido

é a liberdade de escolha para os investimentos. Hoje, o dinheiro administrado pela Caixa é apli- cado segundo diretrizes formu- ladas pelo conselho curador, sendo que a metade dos 24 inte- grantes é indicada pelo governo. Como a aprovação é pela maioria mais um voto, conselhei- ros afirmam, sob condição de anonimato, que a vontade do go- verno sempre prevalece. Se hou- ver empate, o voto de minerva é do ministro do Trabalho. Espe- cialistas defendem que o ideal seria abrir concorrência para que outros bancos oferecessem opções mais rentáveis ao fundo.

Verba pode irrigar segmento e permitir mais financiamentos para a casa própria

Trabalho, Manoel Dias, ao jor- nal O Estado de S. Paulo. Só de patrimônio líquido o FGTS tem R$ 75 bilhões, ci- fra superior à economia pro- metida pelo governo para o pagamento dos juros da dívi- da, o superávit primário, de todo o ano, de R$ 66,3 bi- lhões. Os ativos estratosféri- cos do FGTS foram acumula- dos ao longo de décadas por mecanismos de poupança for- çada dos trabalhadores, a fim de suprir a falta de recursos privados para investimentos de longo prazo. São destina- dos, por lei, ao financiamento

de longo prazo. São destina- dos, por lei, ao financiamento de habitação popular, sanea- mento e

de habitação popular, sanea- mento e infraestrutura No en- tanto, há interesse por esses recursos em toda parte. Le- vantamento feito pela reporta- gem aponta que na Câmara há 104 projetos de lei envol- vendo o FGTS, além de uma emenda à Constituição. No Senado, são outros 37 proje- tos. As propostas dos parlamen- tares pedem, em sua maioria, a permissão para que o traba- lhador possa usar os recursos do FGTS em várias situações, da quitação das mensalidades de curso superior a compra

de máquinas e equipamentos agrícolas, passando por paga- mento de pensão alimentícia, abertura de microempresa e até mesmo tratamento de in- fertilidade. Há ainda projeto que propõe que não haja res- trição para poder usar os re- cursos. Pelas regras atuais, o traba- lhador pode sacar o dinheiro quando se aposenta, na com- pra de casa própria, demissão sem justa causa, fechamento da empresa onde trabalhava ou em casos de doenças gra- ves dele mesmo ou cônjuges e filhos.

sem justa causa, fechamento da empresa onde trabalhava ou em casos de doenças gra- ves dele
sem justa causa, fechamento da empresa onde trabalhava ou em casos de doenças gra- ves dele

8 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

emprego & concurso k

www.jconline.com.br

Editores:

Saulo Moreira smoreira@jc.com.br Mona Lisa Dourado mldourado@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6186 Twitter: @jc_economia

Fale conosco: (81) 3413-6186 Twitter: @jc_economia Enquanto concurso melhor não vem SELEÇÃO Em ano de

Enquanto concurso melhor não vem

SELEÇÃO Em ano de contingenciamento e poucos anúncios de novos certames, concurseiros devem aproveitar oportunidades em aberto, com salários de até R$ 11.483,49

Talita Barbosa

tbarbosa@jc.com.br

A imprevisibilidade que está adiando a abertu- ra de alguns dos con-

cursos públicos mais espera- dos para este ano frustra os concurseiros. Diante disso, as oportunidades oferecidas em certames menos disputados e os editais já em trâmite tra- zem um alívio para quem quer ingressar no funcionalis- mo público em 2015. Focar um determinado con- curso é ideal para que o candi- dato não se perca durante a preparação. No entanto, isso não impede que o concursei- ro se inscreva em outras sele- ções que surgirem, considera- das menos atraentes. No interior, os concursos das prefeituras de São José do Egito e Pesqueira, com inscri- ções abertas até os dias 21 e 30 deste mês, respectivamen- te, são uma opção. Já os interessados em se- guir carreira nas Forças Arma- das podem se inscrever na se- leção para admissão aos cur- sos de graduação da Escola Naval. Estão abertas 43 vagas em aberto, sendo 31 para ho- mens e 12 para mulheres. Do total, oito oportunidades são para pessoas negras. Para a in- vestidura no cargo, é necessá- rio ter entre 18 e 23 anos de idade no primeiro dia do mês de janeiro de 2016, possuir o ensino médio completo ou es- tar em fase de conclusão e não ser casado. As inscrições vão até o dia 5 de junho por meio dos sites www.ensino. mar.mil.br e www.ingresso-

Renato Spencer/Acervo JC
Renato Spencer/Acervo JC

TESTE Certames menos atrativos podem servir de experiência

marinha.mar.mil.br. A inscri- ção custa R$ 30. Para os jovens com idade de no mínimo 17 e no máximo 22 anos até 31 de dezembro do ano da matrícula, o Exérci- to está com 500 vagas no cur- so de Formação e Graduação de Oficiais de Carreira da Li- nha de Ensino Militar Bélico. As inscrições vão até o dia 10 de julho, através do endereço eletrônico www.espcex.ensi- no.eb.br. O valor da taxa de participação é de R$ 90 e é ne- cessário que os candidatos te- nham altura mínima de 1,60 metro.

No início deste mês, o go- vernador Paulo Câmara anun- ciou que entre as medidas do pacote que visa ao fortaleci- mento e ampliação do progra- ma Pacto pela Vida, está a rea- lização de um concurso com 2.366 vagas para as polícias. A previsão é de que o edital seja lançado ainda este ano. Serão oferecidas vagas para a Polí- cia Militar (1.500 soldados), Polícia Civil (500 agentes e 50 escrivães) e Polícia Científica (316 cargos). Quatro editais que também trazem um alívio para quem quer uma chance na área pú-

blica são os do Instituto Brasi- leiro de Geografia e Estatísti- ca (IBGE), da Polícia Federal

e do Instituto Nacional de Me-

teorologia (Inmet). O IBGE deve oferecer 660 oportunida- des para os níveis médio e su- perior. Ainda em agosto de 2014, o Instituto encaminhou ao Ministério do Planejamen- to um pedido para a abertura do concurso público. Do total, serão 440 vagas para o cargo de técnico, que exige nível médio, e 220 para formados nas áreas de tecno-

logista ou analista. As ofertas serão tanto para as agências do interior quanto para as se- des estaduais do IBGE. Já o certame da Polícia Federal pretende divulgar já no segun- do semestre deste ano os edi- tais para a contratação de 558 profissionais, sendo 491 para

o cargo de delegado e 67 para perito. No caso das provas do In-

met, a realização do concurso

é ainda mais iminente. O edi-

tal chegou a ser divulgado. No entanto, o Ministério da Agri- cultura, Pecuária e Abasteci- mento (Mapa) informou, atra- vés do Diário Oficial da União, que devido a questões

técnicas, as inscrições, que es- tavam previstas para ocorrer entre os dias 20 de abril e 19 de maio, foram canceladas. O órgão informou que as novas datas serão divulgadas em bre- ve. O concurso do Inmet vai selecionar 242 profissionais para cargos dos níveis médio

e técnico, com remunerações que podem chegar a R$

11.483,49.

Chance de estágio no Santander

O banco Santander está

com inscrições aber-

tas para o Programa

Contínuo de Estágio da empre- sa. As oportunidades são para estudantes de mais de 25 gra- duações, em unidades distribuí- das por todas as regiões do Bra- sil. De acordo com a instituição, as inscrições para a seleção fi- cam abertas durante todo o ano, com diversas vagas ofereci- das durante cada mês. Para par- ticipar, é preciso que os gra- duandos tenham a conclusão do curso prevista entre julho de 2016 e julho de 2017, pos- suam, pelo menos, nível inter- mediário em inglês, habilida- des com o pacote Office, espe- cialmente com Excel, disponibi- lidade para estagiar 30 horas por semana e residir ou estu-

Oportunidades no banco são para estudantes de mais 25 cursos de graduação

dar em até 100 km do local on-

de tem interesse em estagiar.

Os aprovados na seleção atuarão a partir do modelo “Job Rotation”, no qual o pro- fissional faz paradas programa- das em cada setor do banco. Ou

seja, o estagiário atuará em to- das as áreas da instituição. Se- gundo a Cia de Talentos, con- sultoria encarregada da sele- ção, serão oferecidos benefí- cios como férias, vale-refeição e vale-transporte e salário com- patível com o mercado, oscilan-

do de acordo com a localidade.

Para concorrer os interessados devem se inscrever pelo site www.ciadetalentos.com.br, na aba “Confira as oportunida-

des”, na qual consta o logotipo

seleção a partir do telefone (11) 5112-3232, de segunda a sexta- feira das 8h às 18h.

DEFENSORIA

A Defensoria Pública da União (DPU) no Recife está com inscrições abertas do pro- cesso seletivo para formação de cadastro reserva de estagiá- rios de Direito. As inscrições começam hoje (18) e seguem até o dia 31 deste mês. O edital está disponível no site do Cen- tro de Integração Empresa-Es- cola (CIEE), que organiza a se- leção. Além do edital, os candi- datos também devem efetuar a inscrição para o concurso, de forma gratuita, pelo endereço www.ciee.org.br. Os estudan-

do

banco. Em caso de dúvidas,

tes terão direito a uma bolsa-au-

o

estudante pode entrar em

xílio no valor de R$ 800 e ao au-

contato com a organizadora da

xílio-transporte.

Igo Bione/JC Imagem
Igo Bione/JC Imagem

VAGAS Tramita desde 2014 solicitação para 4.730 postos

Edital do INSS

sai ainda em 2015

E ncarado por muitos

concurseiros como o

certame mais espera-

do do ano, o concurso do Insti- tuto Nacional do Seguro So- cial (INSS), deve ocorrer no segundo semestre de 2015. O pedido de solicitação para es- ta seleção tramita desde o ano passado no Ministério do Pla- nejamento, Orçamento e Ges- tão (MPOG). O último concur- so do INSS foi realizado em 2011. Para o cargo de técnico, que requer nível médio, a re- muneração é de R$ 5.016,87. No mês de abril, o deputa- do federal do PSOL-RJ, Chico

Alencar, solicitou um requeri- mento de informação acerca da realização do concurso. No documento, o deputado

questionou quando o certame será realizado, para quais car- gos, quantas vagas serão aber- tas e se o MPOG tem ciência do número de servidores do INSS que estão se aposentan- do e o que está sendo feito em relação a isso. De acordo com a justificati- va, são 4.730 vagas a serem preenchidas: duas mil para técnico do seguro social (ní- vel médio), 1.150 de perito médico (superior em Medici- na) e 1.580 de analista do se- guro social (nível superior

em várias áreas). O documen- to do deputado afirma que o déficit de recursos humanos

do INSS foi apontado por uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que indicou que o Ins- tituto poderá entrar em co- lapso devido ao grande nú- mero de aposentadorias pre- vistas.

Último concurso para o instituto de previdência ocorreu em 2011

Segundo o presidente da Associação Nacional dos Ser- vidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps),

Alexandre Barreto, a realiza- ção de um novo concurso é

de extrema urgência. “A aber-

tura do concurso é urgente e

inevitável, pois o INSS conta com mais de 10 mil servido- res com idade para se aposen- tar, que só não se desligaram ainda porque recebem abono

de permanência”, afirmou.

Através de uma nota, a pas- ta informou que será feito um contingenciamento do or- çamento aprovado pelo go- verno federal. Após concreti-

zada essa avaliação, o concur-

so deverá ser autorizado.

KPMG seleciona trainnes no Recife

A rede global de consul- torias independentes KPMG está com inscri-

ções abertas para o Novos Ta-

lentos Brasil, programa de trai- nee da empresa. Para Recife, as oportunidades são para profis- sionais das áreas de auditoria, consultoria e tributos. Para concorrer, os interessa- dos devem estar cursando as graduações de Administração, Ciências Contábeis e Econo- mia a partir do 4º período até dois anos depois de formados.

A seleção será feita a partir

de um teste online, dinâmica e entrevista por competência. Na etapa final, haverá entrevista com o sócio responsável pela respectiva área de atuação. “Essa oportunidade é positi-

va para ambas as partes, já que

a maioria dos jovens chega

aberta ao aprendizado e a KPMG, por sua vez, oferece um plano de carreira concreto aos talentos que se destacam”, afirma um dos sócios da KPMG, João Neto. A empresa diz que a contrata-

ção dos aprovados está previs-

ta para o início de setembro. O

regime de trabalho é no mode-

lo CLT, com remuneração com-

patível com o mercado e todos

os benefícios, incluindo o subsí-

dio à graduação. As inscrições vão até junho.

Para participar, os interessados devem se inscrever através do site www.kpmg.com.br, na se- ção De olho no futuro, dentro

da aba Carreiras.

k rápidas

TIM abre vagas para profissionais com deficiência física no Recife

A TIM está com oportunidades abertas para profissionais com deficiência física. As vagas são para todas as diretorias, além das lojas e call center, e contemplam profissionais com qualquer tipo de deficiência que tenham o ensino médio completo. Os currículos deverão ser entregues no estande montado pela empresa entre os dias 17 e 31 de maio, na Feira de Oportunidades Especiais que ocorre no RioMar Shopping. No estande haverá um intérprete de libras para auxiliar os interessados em cadastrar o currículo. A empresa informa que oferece remuneração compatível com o mercado e benefícios como participação nos lucros e resultados, auxílio creche e programa de reconhecimento diferenciado.

Oportunidades para turismólogos no Instituto Ricardo Brennand

O Instituto Ricardo Brennand, localizado no Bairro da Várzea, zona oeste do Recife, realiza na próxima terça-feira, uma formação gratuita para turismólogos, como parte da programação especial para a 13º Semana Nacional dos Museus. A atividade ocorre das das 15h às 17h, e visa debater com os profissionais da área questões relacionadas ao Turismo Cultural Sustentável. No total, são 100 vagas e os participantes não pagarão a entrada para o museu. Os interessados devem se inscrever pelo email formação.oficina@institutoricardobennand.org.br. Mais informações através do telefone : 2121.0365/0349.

Cursos de graça no Senai de Igarassu. Inscrição até sexta-feira

O Programa Novos Talentos, realizado pela Secretaria de

Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação (Sempetq), abre inscrições, a partir de hoje, para 40 vagas gratuitas em cursos de formação profissional. As oportunidades são para o curso de metrologia dimensional e as aulas serão ministradas pelo Senai no município de Igarassu. O curso tem carga horária de 60 horas-aula durante os turnos da manhã e tarde. O programa atende a jovens e adultos com idade mínima de 18 anos, com ensino fundamental concluído. As inscrições vão até a próxima sexta (22). Para se inscrever, basta o aluno acessar o site da secretaria (www.sempetq.pe.gov.br) e clicar no link do programa.

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 9

economia

www.jconline.com.br

A energia e seu bolso

A mudança de prioridades e os

erros de planejamento têm

sido uma constante na forma

como o governo federal trata sua polí- tica energética (não só o setor elétri- co). Primeiro, foi o biodiesel que iria gerar milhares de empregos na agri- cultura familiar, “tornando mais de- senvolvidas as regiões mais pobres do Brasil”, como disse o então presi- dente Lula Inácio Lula da Silva no au- ge de sua empolgação com o óleo de mamona, no começo do primeiro mandato. Depois, foi o boom do eta- nol defendido por Lula como uma das soluções energéticas para o mun- do. Nenhum dos dois deslanchou. O setor de álcool está passando por uma grande crise e o biodiesel é pro- duzido apenas por grandes empresas sem qualquer participação da agricul- tura familiar. Para coroar tantas mudanças de fo- co, veio o pré-sal, apontado também por Lula como uma das riquezas que iriam tornar o País desenvolvido. Is- so pode até ocorrer ocorrer no futu- ro, mas agora, com a queda no preço do barril de petróleo e a corrupção na Petrobras, o que se constata é a di- ficuldade da estatal de dar prossegui- mento ao projeto do pré-sal. No Brasil, cerca de 80 usinas de açúcar e álcool fecharam – incluindo seis em Pernambuco – e 67 estão em recuperação judicial num período que vai 2008 a 2014. O que mais contribuiu para o cená- rio de dificuldade foi o preço da gaso- lina controlado pelo governo federal para conter a inflação, segundo em- presários e executivos. “O governo fe- deral gosta de fazer uma política sui- cida com o subsídio da gasolina, bene- ficiando um consumidor que usa um transporte individual. Esse controle também teve fins eleitoreiros”, criti- ca Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), instituição privada que estuda o se- tor. Em outras palavras, pode-se di- zer que o governo fez com a gasolina o mesmo que fez com a energia elétri- ca: manteve os preços artificialmente baixos de olho em ganhos políticos e eleitorais. Agora, chegou a conta pa- ra os brasileiros. O preço da gasolina tem uma rela- ção direta com o do álcool, que é com- petitivo, quando corresponde a cerca de 70% do preço da primeira. “Nos últimos seis anos, a gasolina teve um preço artificial mais baixo do que a realidade do custo da Petrobras e dos nossos”, explica o presidente do Sin- dicato da Indústria do Açúcar e do Ál- cool de Pernambuco (Sindaçúcar- PE), Renato Cunha. O subsídio à ga- solina e ao diesel custou R$ 80 bi- lhões a Petrobras, segundo especialis- tas que dizem que esse número foi apresentado ao conselho de adminis- tração da estatal no final de 2013. A Petrobras não se posicionou sobre a informação. “Mas tudo que foi subsi- diado será cobrado de todos os brasi- leiros”, acrescenta Adriano. Em 2005-2006, o planejamento do governo federal era estimular a pro- dução de biocombustíveis para de- pender menos do petróleo e deriva- dos. “A falta de uma política de longo prazo para os combustíveis reno- váveis nos condena a ser um grande importador de diesel e gasolina”, afir- ma o presidente da Datagro Consulto- ria, Plínio Nastari, um dos maiores conhecedores do setor sucroalcoolei- ro. No ano passado, o País importou 11,27 bilhões de litros de diesel e 2,17 bilhões de litros de gasolina. Em 2013, foram 10,2 bilhões de litros de diesel importados. “É um dispêndio enorme para o consumidor que po- dia ser evitado”, diz. Enquanto as importações aumenta- ram, a previsão era de que o Brasil apresentasse uma colheita de 710 mi- lhões de toneladas de cana-de-açú- car na safra 2015/2016, segundo o

Um país sem modelo

energético

Não faz tanto tempo. A prioridade era o

biocombustível, depois o etanol foi a bola da vez. Seríamos os maiores produtores de álcool. Veio o pré-sal e os planos grandiosos com base no ouro negro.

Com o petrolão e a Petrobras enfraquecida, surgiram

novas incógnitas. A falta de planejamento na área energética é o tema da segunda reportagem da série A energia e seu bolso, de Angela Fernanda Belfort

ETANOL Renato Cunha: preço artificial da gasolina afeta o álcool Sérgio Bernardo/JC Imagem
ETANOL Renato
Cunha: preço
artificial da gasolina
afeta o álcool
Sérgio Bernardo/JC Imagem
da gasolina afeta o álcool Sérgio Bernardo/JC Imagem Para enfrentar o aquecimento global precisa-se definir uma

Para enfrentar o aquecimento global precisa-se definir uma nova matriz energética para o mundo. O biocombustível é uma oportunidade extraordinária para darmos respostas aos países mais

pobres”, defendeu o presidente Lula (PT) num discurso feito no dia 16 de março de 2009 em Nova Iorque, Estados Unidos.

Plano Decenal de Expansão de Ener- gia Elétrica (PDE-2006-2015). A atual safra (2015/2016) vai ficar em 653 milhões de toneladas. A crise re- duziu o plantio em 50 milhões de to- neladas entre 2011 e 2014. Também contribuíram para a es- tagnação do setor a crise internacio- nal de 2008 que restringiu o crédito no mundo e a queda no preço do bar- ril de petróleo. Em 2008, o barril che- gou ao ápice de US$ 145. No ano pas- sado, o Brasil produziu 28,2 bilhões de litros de álcool, enquanto os Esta- dos Unidos fabricaram 54,1 bilhões de litros de etanol. O produto norte- americano é importado pelo Nordes- te. “É mais um fator a complicar a produção na região”, conclui Nastari. Para completar, nem parece que o País precisa de energia elétrica por- que não houve estímulo à produção de eletricidade a partir do bagaço da cana. Com algumas adequações nas usinas, poderiam ser gerados 10 mil MW médios usando o que já está plantado. É quase uma Belo Monte.

Fernando da Hora/JC Imagem
Fernando da Hora/JC Imagem

FRUSTRAÇÃO Atraído pelo sonho do pré-sal, Lucilânio Oliveira saiu do Japão para vir trabalhar numa empresa que presta serviço ao EAS

para vir trabalhar numa empresa que presta serviço ao EAS Acreditou no pré-sal e está desempregado

Acreditou no pré-sal e está desempregado

O soldador cearense Lucilânio Oli-

veira saiu do Japão, onde trabalhava no setor naval, e chegou ao Recife em março de 2010 para trabalhar numa terceirizada do Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Ipojuca. Desde janeiro últi- mo, está desempregado. “Não acredi- tei que isso ia ocorrer. Diziam que a in- dústria naval tinha encomendas para os próximos 25 anos”, conta. A retoma- da do setor naval no Brasil foi impul- sionada por uma encomenda de 49 na- vios feita pela Transpetro, subsidiária da Petrobras, e pelas novas descober- tas do pré-sal, que gerou a compra de muitas plataformas de petróleo. A cri-

se no setor já fez cerca de 12 mil traba- lhadores perderem o emprego – sen- do mais de 1 mil em Pernambuco –, de acordo com informações da Confede- ração Nacional dos Metalúrgicos.

A corrupção foi uma das responsá-

veis por essa crise porque várias das em- presas envolvidas no petrolão atuam no setor naval e muitas ficaram sem rece- ber da Petrobras. No entanto, isso não foi o que deu mais errado, segundo es- pecialistas do setor. O maior erro, na opinião deles, foi uma série de variáveis ligadas ao planejamento: a queda no preço do barril do petróleo, o aumento do uso do gás de folhelho (xisto) nos Es- tados Unidos, a alta do câmbio no Bra- sil (que impacta a dívida da Petrobras e a importação de petróleo e derivados), entre outros. “O governo federal ven- deu um sonho que era passível de não se executar, porque existiam muitos fa- tores que podiammudar drasticamente esse quadro”, explica o professor adjun- to do Departamento de Geologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) José Antonio Barbosa. “O pla- nejamento do pré-sal foi feito com o barril do petróleo a US$ 100. O óleo vol- tou a ficar barato no mundo e tudo terá que ser redesenhado.”

Antes da crise, a expectativa era de que o pré-sal representasse 52% da pro- dução de petróleo do Brasil até 2018. Atualmente, corresponde a 20%. “A realidade não é tão negra quanto se pin- ta eosonho não era tão róseo quanto parecia. Uma parte disso não era razoá- vel e incluiu projetos que não eramren- táveis nem se justificavam, no curto prazo, como a implantação das unida- des de refino no Maranhão e no Cea- rá”, defendo o professor da Coppe/ UFRJ Alexandre Szklo. A assessoria de imprensa da Petrobras informa que a estatal e seus parceiros reiteram que o pré-sal é economicamente viável em um cenário de preços abaixo do atual e que os projetos de exploração em águas ultraprofundas são suportados por uma visão de longo prazo.

q Mais na web

Vídeos e entrevistas sobre este assunto em www.jconline.com.br

10 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

cidades

www.jconline.com.br

k

Editor:

André Malagueta Galvão agalvao@jc.com.br Betânia Santana bsantana@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413.6187 Twitter: @jc_cidades

Fale conosco: (81) 3413.6187 Twitter: @jc_cidades Morto a golpes de ferro de passar VIOLÊNCIA Professor do

Morto a golpes de ferro de passar

VIOLÊNCIA Professor do Agnes é encontrado morto, na madrugada de ontem, em seu apartamento, no Edifício Módulo, com os pés amarrados e fios enrolados no pescoço.

O corpo do professor Jo- sé Bernardino da Silva Filho, conhecido co-

mo Betinho do Agnes, será en- terrado hoje às 11h no Cemité- rio de Santo Amaro. Parentes, amigos e colegas de profissão estarão concentrados no local a partir das 10h. Não haverá veló- rio. Ele foi encontrado morto em seu apartamento na madru- gada de ontem, com os pés amarrados e fios enrolados no pescoço. A morte foi provocada por pancadas na cabeça com um ferro de passar roupas, se- gundo a Polícia Civil. Em nota à imprensa, a Polícia Civil tam- bém informou que a “vítima era homossexual e costumava levar diversos garotos para o lo- cal”. Essa será a linha da investi- gação. Amigos e familiares, no entanto, afirmaram desconhe- cer a opção sexual de José Ber- nardino. Até ontemnão havia informa- ções exatas sobre quem encon- trou o cadáver, que estava sem roupas, sobre a cama, com os pés amarrados com o fio de um ventilador. No pescoço, estava o fio do ferro de passar usado para matar a vítima. Betinho ti- nha 48 anos e depois da morte

Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem

MUITA DOR Chocados, familiares e amigos estiveram ontem no IML para liberação do corpo

da mãe passou a morar sozinho em um apartamento do Edifí- cio Módulo, na área central do Recife. Embora a notícia da morte tenha se espalhado on- tem com a descoberta do cor- po, a vítima teria sido assassina-

da pelo menos 24 horas antes. Amigos que estavam no Institu- to de Medicina Legal (IML) on- tem pela manhã disseram que desde a sexta-feira passada o professor não aparecia. “Ele não foi trabalhar e não deu notí-

cias, o que não era comum”, co- mentou o chefe de manutenção Everaldo Trajano, 47 anos. Ele e outros quatro amigos foram os primeiros a chegar ao n IML, onde o corpo foi recebido para necropsia.

Reprodução
Reprodução

BETINHO Professor tinha 48 anos e era querido por todos

Questionados pelo JC no

Graças (Zona Norte do Recife),

IML, os amigos e familiares afir-

e

em outra escola da rede muni-

maram que desconheciam a su-

cipal de ensino. Perplexos com

posta homossexualidade de Be-

a

morte e com as condições que

tinho. Os parentes também re-

o

homem foi encontrado, ami-

jeitaram as demais informações da Polícia. “Ninguém nunca soube disso, muito menos essa história de garoto de programa. Se disseram isso é pra denegrir a imagem do meu irmão, que vi- via de casa para o trabalho e pa- ra a igreja”, disse uma das ir- mãs do professor, a agente de saúde Márcia Pereira, 51 anos. Ela, os amigos e os demais pa- rentes que estavam no local sou- beram da informação através da reportagem e se mostraram

gos e familiares que estavam aguardando a liberação do cor- po ontem, IML, afirmam que ele era uma pessoa muito queri- da e sociável. “Ele era alegre, brincalhão e fazia amizades muito facilmente”, conta o mo- toboy Jonatas da Silva, amigo de Betinho há mais de 20 anos que soube da notícia através do WhatsApp na manhã de ontem. Na página do Facebook do JC, centenas de pessoas com- partilharam e comentaram a no-

surpresos com a informação da

tícia, a maioria delas exaltando

Polícia. “Ele tinha três empre-

o

caráter e o trabalho do profes-

gos e vivia pra isso”, comple- mentou outra irmã, a porteira Sandra Pereira, 53 anos. Betinho era evangélico da Igreja Pentecostal e trabalhava como coordenador no Colégio Agnes, localizado no bairro das

sor. Algumas sugeriram que os alunos das instituições onde ele trabalhava vestissem preto ho- je. O caso será investigado pela 1ª Delegacia de Homicídios e fi- cará sob responsabilidade do delegado Alfredo Jorge.

je. O caso será investigado pela 1ª Delegacia de Homicídios e fi- cará sob responsabilidade do

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 11

opinião JC

www.jconline.com.br

k

Diretor de Redação:

Laurindo Ferreira laurindo@jc.com.br Diretora-Adjunta de Redação:

Maria Luiza Borges marialuizaborges@jc.com.br

Editores de fotografia:

Arnaldo Carvalho acarvalho@jc.com.br Chico Porto cporto@jc.com.br Heudes Regis hregis@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413.6433

q editorial q Charge k ronaldo Sobreviventes A infância marcada por uma tra- gédia natural
q editorial
q Charge k ronaldo
Sobreviventes
A infância marcada por uma tra-
gédia natural ou humanitária
é a triste realidade para parce-
crescem em zonas de conflito no leste
do país. Na Síria o cenário é ainda pior:
la expressiva da geração de crianças e
adolescentes no mundo hoje. Como
Marcos Oliveira mostrou em matéria
no último dia 10, o desamparo, a soli-
dão e o medo do que pode acontecer
no minuto seguinte, após ruptura mui-
tas vezes violenta, são sentimentos co-
muns que acompanham o cotidiano – e
amadurecimento – dessa geração.
O recente terremoto no Nepal dei-
xou o saldo de mais de um milhão de
crianças desabrigadas. Na Nigéria, em
consequência das ações terroristas do
grupo Boko Haram, cerca de 800 mil
crianças viraram fugitivas, pois cente-
nas delas, a maioria meninas, já foram
sequestradas pelos radicais e transfor-
madas em escravas sexuais. Algumas
vão nascer de situação dramática: em
apenas uma semana, mais de 200 mu-
lheres liberadas pelo Boko Haram após
um período de escravidão estavam grá-
vidas.
Na Ucrânia, 1,7 milhão de crianças
o
8 milhões de menores sofrem no corpo
e na alma a disputa sangrenta que do-
mina o território há quatro anos. No
Iraque, uma legião de 1 milhão de crian-
ças perdeu suas casas devido aos confli-
tos pelo domínio nacional. Em todo o
planeta, estima-se que haja 230 mi-
lhões de crianças habitando locais on-
de ocorrem conflitos. Nessas regiões,
além do envolvimento direto com a vio-
lência e a morte, os menores estão ex-
postos a doenças, desnutrição, como
no Sudão do Sul, em que o nível de des-
nutridos chega a 30% – convivendo
com um exército de 12 mil menores ar-
mados. Segundo a Organização das Na-
ções Unidas, 300 mil soldados mirins
foram recrutados em nada menos que
86 países, em 2014. Muitos deles, reco-
nhece a ONU, se apresentaram para
vingar a morte de familiares, ou sim-
plesmente para escapar da miséria.
A situação é preocupante em escala
global. Um trauma é caracterizado pela
memória perene da dor que vem junto
ao fato traumatizante. De acordo com a
experiência de agentes humanitários
da Unicef, o Fundo nas Nações Unidas
para a Infância, criado em 1946, os de-
senhos feitos por essas crianças repre-
sentam quase sempre gargantas corta-
das, mutilações e afogamentos. Imagi-
ne-se o que não passa pela mente delas
o tempo inteiro, e a dificuldade que te-
rão para romper o estigma das lembran-
ças e, com sorte e o apoio necessários,
ingressar na vida adulta livres dos trau-
mas. Com a inocência roubada, a gera-
ção presente que se desenvolve como
testemunha ou até partícipe de uma tra-
gédia éoretrato do fracasso da
universalização dos direitos humanos,
utopia do século 20 que desponta co-
mo assustador presságio no século 21.
E se juntamos a esse quadro desola-
dor o descaso em relação à situação de
crianças e adolescentes que não pos-
suem o acesso devido a direitos bási-
cos, como educação e saúde, a exemplo
do que acontece no Brasil, a projeção
dos sobreviventes dessa infância perdi-
da é ainda mais sombria.

voz do leitor

infância perdi- da é ainda mais sombria. voz do leitor por carta Ligue para a Redação
por carta Ligue para a Redação do jc : (81) 3413.6178 Envie suas cartas para

por carta

Ligue para a Redação do jc:

(81) 3413.6178

Envie suas cartas para a Rua da Fundição 257, Santo amaro

Envie suas cartas para a Rua da Fundição 257, Santo amaro pelo comuniQ Faça o download

pelo comuniQ

Faça o download e acompanhe pelo comuniqapp.com.br

Caos na UPE

A Universidade de Pernambuco está perdendo funcionários por não ter como remunerá-los. Já

estamos em maio e o governo do Estado ainda não mandou

a verba do ano. Foi dito em

assembleia que a instituição só tem verba para funcionar até agosto. Se o governo não enviar a mesma quantia que era dada há dois, três anos, a universidade não terá mais condições de funcionar. Nós, servidores da UPE, demos duro, lutamos para chegar aonde estamos. Faremos uma paralisação com o intuito de chamar a atenção do governador Paulo Câmara para a situação da universidade e dos seus hospitais-escolas.

k Lourice Rocha por e-mail

Estacionamento

Lamentável o descaso da CTTU quanto aos estacionamento de carros e caminhões, nos dois sentidos da Rua Conselheiro Nabuco, em Casa Amarela. Ali os acidentes são constantes e há um monte de asfalto e cimento, sem sinalização alguma. Sem contar que os péssimos motoristas saem de qualquer jeito. Mais valeria que colocassem ali uma sinalização com câmeras.

k Josina Ferro via comuniQ

Multas por trotes

Espero que seja aprovado pela Câmara dos Deputados o projeto de lei 45/15, que estabelece detenção e multa para as pessoas que comunicarem falsas ocorrências à polícia ou ao Corpo de Bombeiros. São muitos os casos de trotes

registrados e que prejudicam

a quem realmente precisa de ajuda.

k João Lamour por telefone

k Flagrante

Alexandre Lopes / Voz do Leitor
Alexandre Lopes / Voz do Leitor

Bancos utilizados de forma inadequada

No Terminal Integrado de Camaragibe, bancos que deveriam funcionar como opção de descanso para os usuários fazem as vezes de “curral” para organizar a fila.

k Alexandre Lopes tolouco13@gmail.com

Gleibson Pereira / Voz do Leitor
Gleibson Pereira / Voz do Leitor

Quadra tomada pelo mato

O mato toma conta da quadra da Escola Pintor Lauro Villares, em Roda de Fogo e nós, estudantes, ficamos sem poder usar o espaço nas aulas de educação física.

k Gleibson Pereira via comuniQ

Lixo em frente à igreja

Na Rua Rubineia, no Jordão Baixo, a população

joga lixo em frente à Igreja Presbiteriana e o caminhão do lixo demora a passar. A

prefeitura poderia colocar ali

uma placa de “proibido jogar lixo” para conscientizar a população.

k Genildo Correia por telefone

Lugar marcado

Como a CTTU afirma estar cuidando da Ilha do Leite, se no entorno da Praça Miguel de Cervantes, mais precisamente na Rua Minas Gerais, proprietários de imóveis colocam cones plásticos para reservar vagas de veículos e cavaletes com correntes fixadas na própria via pública? Se existisse fiscalização de verdade, nada disso ocorreria

k Gustavo Henrique Santos

Leal

gustavohenriquesantosleal@g

mail.com

Luminária

Há mais de um ano peço providências quanto à manutenção de uma luminária no Mercado da Encruzilhada. O risco é de cair na cabeça dos frequentadores. Chamei, mais de uma vez, a responsabilidade do administrador do espaço, e nada foi resolvido.

k Adriano Max via

comuniQ

Trânsito

A CTTU fez uma mudança

na Av. Recife para “melhorar o tráfego”, fechando a entrada da Rua Jean Emile Favre e prejudicando os moradores do Ibura com grande engarrafamento na Av. Dois Rios e Av. Dom Helder Câmara. Motoristas que vêm da Cidade Universitária retornam ao Ibura para cruzar

a Av. Recife e sair na Jean

Emile Favre, provocando um grande transtorno para os moradores, além do semáforo fechar muito rápido (30 segundos). O descaso é

grande: pessoas que trabalham

e estudam na área e ainda as

que frequentam as clínicas médicas do Ipsep estão descendo dos ônibus para ir caminhado até seus destinos.

k Andrea Nazario por e-mail

Frustração

O Brasil está frustrado com a maneira como vêm sendo conduzidos os trabalhos investigativos da Lava Jato pelo STF e pela Procuradoria Geral da União. Salvo os excelentes serviços prestados até agora pelo juiz Sergio Moro, que não tem medido esforços para convocar e julgar os implicados. O povo também se

sentiu agredido com a liberação para regime semiaberto de nove altos diretores de empreiteiras, sobretudo do chefe do Clube do Bilhão, Ricardo Pessoa, diretor da UTC e amigo do ex-presidente Lula,

que havia prometido, em delação premiada, trazer à tona os nomes das principais cabeças políticas envolvidas.

k José Mussolini Gabriele por

e-mail

k Frase

‘Tão numerosos como as estrelas do céu e incontáveis como as areias das praias’ são os escândalos envolvendo este governo PT, que está vivendo as consequências por esconder e distorcer a verdade.”

k Agostinho Holanda por e-mail

k Pede-se providência

Desordem em movimentada avenida

Quem trafega pela Av. Abdias de Carvalho, nas imediações da Funase, já se acostumou a driblar os camelôs vendendo entre os carros as mais variadas mercadorias: água, frutas, acessórios Há momentos em que somos obrigados a praticamente parar o veículo

para não atropelá-los, o que prejudica muito o fluxo naquela importante via. Como se não bastassem os problemas de mobilidade, há os riscos de acidentes, a sujeira e o odor de xixi pelas calçadas.

k José Inácio Nery Filho, por

e-mail

Ônibus velhos e quebrados

Não acredito que o Grande Recife Consórcio não veja o que está acontecendo com os usuários da Empresa Cidade

Alta, que sofrem com ônibus velhos e quebrados. Não é

possível continuar utilizando um transporte coletivo com essas condições.

k Bartolomeu Morais, por

e-mail

k Os textos assinados publicados em Opinião e Voz do Leitor não refletem necessariamente a posição do Jornal do Commercio. O JC se reserva o direito de editar e adaptar os textos à linguagem jornalística.

12

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

cidades

2 Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira cidades www.jconline.com.br 1º dia útil para

www.jconline.com.br

1º dia útil para novas linhas e estações

TRANSPORTE Após críticas de usuários no fim de semana, BRT tem o desafio de funcionar melhor hoje no trecho que liga Igarassu e Paulista ao Cais do Apolo

H oje será uma dia deci- sivo para duas novas linhas do BRT (ôni-

bus de trânsito rápido) e qua- tro estações que começaram a funcionar no último sábado, quando alguns usuários recla- maram. A expectativa é de que mais pessoas utilizem o serviço porque a segunda-feira é um dia de maior movimento. As li-

nhas são: a 1946, que vai ligar o Terminal de Integração (TI) de Igarassu ao Cais do Apolo, no Centro do Recife; e a 1976, que fará a mesma conexão a partir do TI Pelópidas Silveira, no entroncamento da PE-22 com a PE-15, em Paulista. Com

o reforço, mais 32 BRTs vão

passar pelo corredor Norte-Sul transportando 45 mil passagei- ros por dia. A entrada em ope-

ração desses equipamentos e li- nhas vão fazer com que o BRT alcance 60% da sua capacidade operacional. Localizadas no centro do Re- cife, as novas estações do BRT são a Nossa Senhora do Carmo

na Avenida Dantas Barreto (es-

quina com a Av. Nossa Sra. do Carmo), a Maurício de Nassau no cruzamento da Av. Martins

de Barros com a Rua 1º de Mar-

ço; a Forte do Brum localizada

em frente à Prefeitura do Reci-

fe no Cais do Apolo e a Ístmo

do Recife em frente à sede da

Sérgio Bernardo/JC Imagem
Sérgio Bernardo/JC Imagem

NA FILA Com a nova estrutura, sistema vai atingir 60% de sua capacidade operacional

Polícia Federal (também no Cais do Apolo). O Corredor Norte-Sul deve- ria estar pronto desde o final de 2013, mas ainda não foi total- mente concluído. A nova opera- ção faz com que o Corredor Norte-Sul tenha 20 estações em funcionamento, embora fos- sem previstas 25, e quatro li-

nhas das oito inicialmente pro- gramadas. As duas novas li-

nhas vão operar de domingo a domingo. Alémdelas, passampelo Cor- redor Norte-Sul as linhas Via Livre 1915–PE-15 (Dantas Bar- reto) e a 1979, que liga o TI Pelópidas Silveira a Dantas Bar- reto, também no Centro. O BRT foi planejado para en- trar em operação antes da Co- pa de 2014. Em junho do ano passado, o sistema começou a

funcionar no Corredor Leste- Oeste com apenas duas esta- ções prontas.

Os ônibus têm ar-condiciona-

do e a principal característica do sistema é a regularidade já que os ônibus deveriam passar por vias exclusivas. No entan- to, os congestionamentos do Grande Recife podem compro- meter essa principal caracterís- tica dos BRTs.

Sintepe/Divulgação
Sintepe/Divulgação

ATO Estudantes defenderem o #MeuProfessorMerece

Professores ganham apoio dos alunos

E sta semana será decisi- va para a continuida- de das aulas da rede

pública estadual. Nesta quarta- feira, os professores reúnem- se com o governo estadual pa- ra a última negociação salarial desde a retomada das ativida- des, no dia 5 deste mês. A cate- goria faz assembleia na quinta para avaliar os encaminhamen- tos desse encontro. Para cha- mar a atenção para essa situa- ção, ontem profissionais e alu- nos proveram um ato cultural no Marco Zero, no Bairro do Recife. O ato foi realizado para di- vulgar o movimento #MeuPro- fessorMerece e fortalecer a ca- tegoria durante a negociação fi- nal com o governo do Estado, agendada para esta semana. Coordenado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educa- ção em Pernambuco (Sintepe), o evento distribuiu 300 cami- sas da causa, que foram feitas

com recursos do sindicato e continuarão a ser entregues gratuitamente a quem apoiar o projeto. Artistas em pernas-de- pau e instrumentos musicais integraram a manifestação. De acordo com a diretora de Comunicação do Sintepe, Mag- na Katariny, a hashtag #Meu- ProfessorMerece foi criada a partir de uma união de profes- sores e alunos para fomentar a cultura de valorização do pro- fessor. Os professores ficaram 24 dias em greve, entre os dias 10 de abril e5de maio. Dentre as exigências, a prin- cipal é o cumprimento da Lei do Piso Salarial, nº 11.738/2008, que prevê o rea- juste de 13,01% a todos os pro- fessores da rede estadual, e não apenas aos de nível médio. O governo alega que a atual cri- se financeira não oferece con- dições para garantir o pleito in- tegral dos professores.

dições para garantir o pleito in- tegral dos professores. Manifestação pela maconha A Marcha da Maconha

Manifestação pela maconha

A Marcha da Maconha reuniu ontem no Reci- fe cerca de 2 mil pes-

soas, segundo a organização do evento. De forma pacífica, acom- panhados pela CTTU e Polícia

Militar, os participantes concen- traram-se na praça do Derby no início da tarde e seguiram para a Rua da Aurora pela Conde da Boa Vista. Em discussão, além da política de drogas, questões feministas, desmilitarização da PM, internação compulsório em manicômios, entre outras.

A estudante de veterinária

Flávia Juliano estava no ato e contou que enfrenta um doença degenerativa fazendo também uso medicinal da maconha. “Pas-

ALexandre Gondim/JC Imagem
ALexandre Gondim/JC Imagem

ADESÃO Cerca de 2 mil pessoas participaram do ato

sei um mês sem movimentar as pernas, mas hoje (ontem) vou marchar. Consegui largar os re- médios para depressão. A maco- nha não me curou, mas me aju-

dou a lidar com a doença e a dor”. Promovido pelo Coletivo Antiproibicionista de Pernambu- co, o evento é parte do Maio Ver- de, que inclui diversas ações.

pelo Coletivo Antiproibicionista de Pernambu- co, o evento é parte do Maio Ver- de, que inclui

Nigro/JC Imagem/03-05-2015 Jorge Rodrigues/Estadão ConteúdoDiego

k Autonomia das convocações da seleção em xeque k 3 k Filipinho leva etapa no
k Autonomia das
convocações da
seleção em xeque k 3
k Filipinho
leva etapa no
Rio do Mundial
de Surfe
k 6
Vanderlei Almeida/AFP
Divulgação/WSL

k Editores:

k 6 Vanderlei Almeida/AFP Divulgação/WSL k Editores: Eduardo de Azevedo eazevedo@jc.com.br Marcos Leandro
k 6 Vanderlei Almeida/AFP Divulgação/WSL k Editores: Eduardo de Azevedo eazevedo@jc.com.br Marcos Leandro

Eduardo de Azevedo eazevedo@jc.com.br Marcos Leandro mleandro@jc.com.br Moisés de Holanda mvieira@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6188 www.jconline.com.br/esportes Twitter: @jc_esportes

esportesesportes

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

esportes Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira Empate bem dramático NO ALTO Magrão

Empate bem dramático

18 de maio de 2015 I segunda-feira Empate bem dramático NO ALTO Magrão foi personagem-chave no

NO ALTO Magrão foi personagem-chave no jogo no Rio

Teve de tudo um pouco no jogo entre Sport e Flamengo, ontem, no Maracanã. O Leão abriu 2x0, mas o time carioca descontou. No final do jogo, o goleiro Magrão se machucou e o Leão já havia substituído três jogadores. Assim, Diego Souza assumiu as luvas. Com um jogador a mais, o Mengão empatou, mas os leoninos seguraram com garra o 2x2. O Sport é o 2º na Série A, com 4 pontos. Pela Série C, o Salgueiro estreou com triunfo por 2x1 sobre o Botafogo-PB, fora, eéo 2º do Grupo A. No Náutico, o treinador Lisca chamou a torcida para ir em peso no jogo de amanhã contra o Criciúma, após vencer sábado o Boa por 1x0. Já no Santa, o foco é em equilibrar as finanças e saldar os salários atrasados.

em equilibrar as finanças e saldar os salários atrasados. k 4 e 5 VITÓRIA Kanu marcou

k 4 e 5

as finanças e saldar os salários atrasados. k 4 e 5 VITÓRIA Kanu marcou um dos

VITÓRIA Kanu marcou um dos gols do triunfo do Salgueiro

as finanças e saldar os salários atrasados. k 4 e 5 VITÓRIA Kanu marcou um dos
as finanças e saldar os salários atrasados. k 4 e 5 VITÓRIA Kanu marcou um dos
as finanças e saldar os salários atrasados. k 4 e 5 VITÓRIA Kanu marcou um dos

2 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

esportes

www.jconline.com.br/esportes

Boca vai apelar da exclusão

LIBERTADORES Boca Juniors vai recorrer da decisão da Conmebol, que eliminou a equipe do torneio

Da Redação, com agências

O presidente do Boca

Juniors, Daniel Ange-

lici, disse não concor-

dar com decisão da Conme- bol de desclassificar a equipe da Copa Libertadores, após a confusão que suspendeu a par- tida contra o River Plate, váli- da pelas oitavas de final da competição. Segundo o dirigente, os ti- mes deveriam voltar a campo para a disputa da segunda eta- pa. “Não estou de acordo com a decisão, os times deveriam jogar os 45 minutos restan- tes”, afirmou Angelici, que complementou. “Nós vamos recorrer. Acho que os jogos são ganhos no campo e não no tribunal”, dis- se. A equipe tem até sete dias para entrar com recurso. Além da eliminação, o Boca ainda terá que disputar seus próximos quatro jogos organi-

zados pela Conmebol de portões fechados. Por fim, o Boca terá que ar- car com uma multa de aproxi- madamente US$ 200 mil (R$ 598 mil). O River Plate, por sua vez, avançou para as quar- tas de final da Libertadores e enfrentará o Cruzeiro.

ENTENDA O CASO

O clássico entre Boca Ju-

niors e River Plate aconteceu na última quinta e foi inter- rompido devido à violência

da torcida, no estádio da Bom-

bonera, contra os jogadores

do River. Um composto quími-

co foi atirado por um torce- dor não identificado do Boca

contra os atletas visitantes. Quatro jogadores do River tiveram inflamação na córnea devido ao contato com o gás.

O atacante Sebastián Driussi,

19, está internado por conta de uma encefalite, uma infla- mação no cérebro.

o gás. O atacante Sebastián Driussi, 19, está internado por conta de uma encefalite, uma infla-
o gás. O atacante Sebastián Driussi, 19, está internado por conta de uma encefalite, uma infla-

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 3

esportes

www.jconline.com.br

jornal do commercio 3 esportes www.jconline.com.br DENÚNCIA Estado de São Paulo alega que o Brasil precisa

DENÚNCIA Estado de São Paulo alega que o Brasil precisa jogar todos os amistosos com time principal, caso contrário a CBF ganha um valor menor pelo cachê acertado para a partida

Autonomia questionada

POLÊMICA Jornal aponta que convocações da seleção brasileira seguem interesses comerciais, mas CBF nega

D epois de a reportagem do jornal O Estado de São Pau- lo apontar que as convoca-

ções da seleção brasileira atendem a critérios comerciais, a CBF se defen- deu através de uma nota em seu site oficial. De acordo com a entidade, “os critérios de escolha dos convoca-

dos para os jogos da seleção brasilei- ra são e serão, sempre, técnicos”.

A reportagem publicada neste fi-

nal de semana apresenta documen- tos da CBF e seus parceiros comer- ciais, que exploram os amistosos da seleção brasileira desde 2006. De acordo com o jornal, a não convoca-

ção dos principais jogadores poderia acarretar no pagamento de apenas 50% do valor do amistoso.

A CBF se defendeu dizendo que “é

natural e compreensível que o con- trato de um jogo de futebol de uma grande equipe seja definido com ba- se na presença de seus grandes as- tros. Mas que isso não implicaria em qualquer interferência na lista dos atletas selecionados pelo treinador”. De acordo com a reportagem do jornal O Estado de São Paulo, as con- vocações da seleção brasileira não se- guem apenas critérios técnicos e o treinador é obrigado a atender inte- resses comerciais da entidade. Des- de 2006, ainda na gestão de Ricardo Teixeira, a CBF começou a negociar os amistosos da seleção junto a em- presa International Sports Events (ISE) - que segundo a reportagem, é uma empresa de fachada com sede nas Ilhas Cayman.

Até então, o acordo entre as duas partes não mencionava nenhuma exi- gência quanto às regras das convoca- ções. Mas, em 2011, as coisas muda- ram. Com a renovação do contrato por mais dez anos, a ISE sublicen- ciou a operação dos amistosos para a empresa Kentaro, que passou a exi- gir que todos os atletas midiáticos es- tivessem na lista dos selecionáveis.

No ano seguinte, já com a CBF sob o comando de José Maria Marin, os ru- mos dos amistosos da seleção passa- ram para as mãos da Pitch Interna- cional, mas a mesma cláusula foi mantida. De acordo com o documento obti- do pela reportagem do Estadão, “a CBF garantirá e assegurará que os jo-

gadores do Time A que estão jogan- do as competições oficiais participa- rão em qualquer partida”. O não cumprimento do acordo acarretaria no pagamento de apenas 50% da co- ta de comparecimento no amistoso, que hoje está estipulada em R$ 3,14 milhões. Caso alguma “estrela” não esteja na relação por motivo de le- são, a comissão médica da seleção tem de comprovar com um laudo e o seu substituto tem de atender um ní- vel similar com relação a valor de marketing, habilidade e reputação. O atual presidente da CBF, Marco Polo del Nero, defendeu o contrato que foi assinado na época de Ricardo Teixeira e afirmou que antes os amis- tosos da seleção realizados no Brasil davam prejuízo, mas que hoje não existe mais esse risco.

Marcello Dias/Estadão Conteúdo
Marcello Dias/Estadão Conteúdo

POSTURA Del Nero defendeu acordos firmados na gestão Ricardo Teixeira

q Bola na web

O que não está a venda nesse país? Num Congresso Nacional comprado de cooptados com mensalões e petrolões, a venda da seleção é mais uma entra centenasacordos firmados na gestão Ricardo Teixeira q Bola na web k Ricardo Castelo Pinto: 2015 e

k

Ricardo Castelo Pinto:

2015 e só hoje alguns descobriram o que a CBFé mais uma entra centenas k Ricardo Castelo Pinto: k Mairon Rodrigues: faz com a seleção

k Mairon Rodrigues:

faz com a seleção

caiu para os dirigentes da @CBF_Futebol. 7 a 1 foi pouco!o que a CBF k Mairon Rodrigues: faz com a seleção k Gui Barbosa: A máscara

k

Gui Barbosa: A máscara

vestia a amarelinha com o símbolo da CBF, só camisas com a bandeira do Brasil, agora não vou assistir maisda @CBF_Futebol. 7 a 1 foi pouco! k Gui Barbosa: A máscara k José Lauristo: Já

k

José Lauristo: Já não

Radialistas

analisam

denúncias

Os comentaristas da Rádio Jornal analisaram a pedido do JC as denún- cias feitas neste fim de semana pelo Estado de São Paulo. “Isso tudo é re- flexo do 7x1 (para a Alemanha, na Co- pa). Mostra o quanto a CBF é uma ba- gunça e não tem um planejamento

para o futuro de nosso futebol”, disse André Luiz Cabral. Para Ralph de Carvalho, os treina- dores acabam sendo reféns da entida- de. “Quem comanda a seleção tem de ter liberdade para convocar. Não se pode olhar apenas para o lado comer- cial dos amistosos. Desse jeito será impossível dar chance a um jogador promissor”.

Já para o ex-jogador Zé do Carmo

- que chegou a vestir a camisa da sele- ção brasileira -, hoje em dia as convo- cações da seleção não são feitas por merecimento. “Os treinadores preci- sam atender a interesses comerciais. Não são chamados os melhores, aque- les que estão melhor tecnicamente. Por isso que os atletas que atuam no Brasil são convocados cada vez me- nos, porque não são conhecidos na Europa, onde são realizados a maio- ria dos amistosos da seleção”.

Cesar Manso/AFP
Cesar Manso/AFP

MAIS Barça ainda pode conquistar a Copa do Rei e a Liga do Campeões

Barça campeão de novo

Da Redação, com agências

O Barcelona conquistou o títu- lo do Campeonato Espanhol, ontem, e agora mira a Trípli-

ce Coroa na temporada. Ao vencer o Atlético de Madrid por 1x0, no Vicen- te Calderón, o time catalão acabou com as chances do Real Madrid e asse- gurou o troféu com uma rodada de an- tecedência – os merengues golearam o Espanyol por 4x1. Trata-se do quinto título espanhol do Barcelona nos últimos sete anos. Desde 2008, o Barça levantou o tro- féu nas temporadas 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2012/2013 e agora na 2014/2015. Em 2011/2012, o caneco ficou com o rival Real Madrid. E, no ano passado, o campeão foi o Atlético de Madrid. No total, a equipe soma 23 títulos no Espanhol. A conquista de ontem foi a primei-

Após tabela com Neymar, Messi fez o gol que rendeu o título do Espanhol para o Barcelona

ra de Luis Enrique como treinador. Ele já havia levantado o troféu como jogador do próprio Barcelona nas tem- poradas 1997/98 e 1998/99. Esta, inclusive, pode ser a primeira de três conquistas na temporada. O Barça tem chances de faturar a Trípli- ce Coroa porque disputará a final da Copa do Rei contra o Athletic Bilbao, no dia 30, e a decisão da Liga dos

Campeões, diante da Juventus, no dia 6 de junho.

O JOGO

De um lado, a potência do Barcelo-

na, do outro, a força do Atlético em ca- sa. Foi com esse equilíbrio que as duas equipes começaram o confronto. O time anfitrião levou perigo primei- ro em cabeçada de Giménez e boa de- fesa de Bravo, aos 8. Os catalães res- ponderam em duas oportunidades de Messi. Oblak defendeu os lances.

O segundo tempo começou mais

truncado, mas novamente o Atlético tomou a iniciativa. Griezmann e Go- dín levaram perigo ao gol de Bravo aos 3eaos 6 minutos. Mas foram os vi- sitantes que abriram o placar aos 20. Messi tabelou com Neymar dentro da área e bateu para as redes. Esse foi o 115º gol do poderoso ataque catalão na temporada.

4 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

esportes

www.jconline.com.br

Teve de tudo no Maraca

RIO Sport abriu 2x0, mas Magrão se lesionou (já tinha levado um gol) e com Diego Souza na meta Flamengo chegou ao 2x2

C om Diego Souza improvisado como goleiro nos dez minutos finais da partida, o Sport arran-

cou um empate heroico por 2x2 contra

o Flamengo, ontem, no Maracanã, no

Rio de Janeiro, pela segunda rodada do Brasileirão. O camisa 87, que abriu o placar em cobrança de pênalti no pri- meiro tempo, precisou substituir Magrão, que deixou o campo com uma luxação no ombro direito – os leoninos

já havia feito as três mudanças.

O empate fez o Sport sair da lideran-

ça e agora divide a segunda posição como Atlético-MG – ambos têm4 pon-

tos e estão iguais nos critérios de desem- pate. Já o Flamengo é o 15º, com 1. Ago- ra, os leoninos terão dois compromis- sos em sequência na Ilha do Retiro. Nes-

ta quarta-feira, a partir das 22h, o Sport

encara o Santos pela partida de ida da

fase da Copa do Brasil. No domingo,

é

a

vez de enfrentar o Coritiba, às

18h30, pela 3ª rodada do Brasileirão.

A história do primeiro tempo pode

ser resumida ao seu último lance, quan- do Diego Souza abriu o placar para o Sport cobrando pênalti, aos 46 minu- tos. Gol que teve um sabor ainda mais especial no momento em que o meia co- memorou apontando para o número de sua camisa, 87, em referência ao ano do

título brasileiro do Leão (1987) que o ti- me carioca contesta até hoje na Justiça. Antes disso, a bola foi maltratada no Maracanã. Os times abusaram de pas- ses errados, lançamentos imprecisos e da falta de criatividade. Assim, antes de

os leoninos acharem o gol de pênalti, ca- da time só havia finalizado uma vez, e sem perigo. Os leoninos chegaram em

chute de Renê, aos 26, enquanto os fla- menguistas responderam em falta de Anderson Pico, aos 30.

O segundo tempo foi bem diferente.

Em desvantagem no placar, o Flamen- go voltou do intervalo com uma postu- ra mais ofensiva, apostando principal- mente nas bolas cruzadas dentro da área. Enquanto isso, o Sport explorava os contra-ataques em velocidade. As chances começaram a aparecer para os dois lados. Canteros podia ter empata- do aos 9eaos 20, mas parou em Magrão. Os leoninos responderam aos

14, num chute de Wendel rente à trave.

Aí veio o “lance de placa” da partida.

Aos 23, Joelinton recebeu na entrada da área e deu um lindo toque de calca- nhar para Élber, que bateu de “três de- dos” no ângulo direito, indefensável pa- ra Paulo Vitor. Golaço do Sport no Maracanã que parecia sacramentar a vi- tória leonina. No entanto, a vantagem durou apenas cinco minutos. Isso por-

que, de tanto insistir nas bolas aéreas, o Flamengo diminuiu com Canteros.

O Flamengo continuou em cima e po-

deria ter diminuído em pelo menos três lances. Até que veio a lesão de Magrão, que caiu sobre o ombro direito. Depois de ser atendido, o camisa 1 precisou dei- xar o gramado. Semdireito a mais subs- tituições, o Sport viu o meia Diego Sou- za colocar as luvas. Ele até fez duas boas defesas, mas não conseguiu segu- rar um chutaço no ângulo de Ewerton, aos 50: 2x2. O Sport reclamou de falta de fair play do Flamengo, que não devol- veu a bola para o Sport. Diego Souza ti- nha posto a bola para fora, uma vez que Élber estava com câimbras.

q Torpedos SMS

Envie JCSPO para 50005 para receber notícias sobre o Sport *(Custo 0,10 + imposto por mensagem)

q Ficha do jogo

Sport *(Custo 0,10 + imposto por mensagem) q Ficha do jogo 2 Flamengo Paulo Vitor; Pará,

2

Flamengo Paulo Vitor; Pará, Bressan, Wallace e Anderson Pico (Eduardo da Silva); Jonas (Márcio Araújo), Canteros, Almir (Paulinho) e Gabriel; Ewerton e Alecsandro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Ewerton e Alecsandro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo. 2 Sport Magrão; Samuel Xavier (Vitor), Matheus Ferraz,

2

Sport Magrão; Samuel Xavier (Vitor), Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Diego Souza e Élber; Mike (Rodrigo Mancha) e Samuel (Joelinton). Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Maracanã (RJ). Árbitro: Dewson Fernando Freitas (PA). Assistentes:

Alessandro Rocha de Matos (BA) e Márcio Gleidson (PA). Gols: Diego Souza aos 46 do 1º tempo; Élber aos 23, Canteros aos 28 e Ewerton aos 50 do 2º tempo. Cartões amarelos: Jonas e Canteros (F); Matheus Ferraz, Diego Souza e Joelinton (S). Público: 28.704. Renda: R$

1.058.102,50.

Dhavid Normando/Estadão Conteúdo
Dhavid Normando/Estadão Conteúdo

POLIVALENTE Meia Diego Souza brilhou nos minutos finais da partida no Maracanã (RJ), contra o Flamengo, substituindo o lesionado Magrão no gol

Marcello Dias/Estadão Conteúdo
Marcello Dias/Estadão Conteúdo

LESÃO Magrão deixou o campo com uma luxação no ombro direito

Eduardo exalta time de guerreiros

Otécnico Eduardo Baptista exaltou a entrega dos jogadores do Sport no em- pate por 2x2 com o Flamengo, ontem, no Maracanã, pela segunda rodada do Brasileirão. De acordo com o treinador, seus comandados foram “guerreiros” ao segurar o placar nos minutos finais da partida, quando o goleiro Magrão deixou o campo lesionado eomeia Die- go Souza precisou ir para o gol. “Ao mesmo tempo em que perdemos Magrão, perdemos também Diego Sou-

za, que foi para o gol, e Élber, que pas- sou a ter fortes câimbras. Ficamos sem três peças e mesmo assim seguramos o empate contra o Flamengo”, comentou

Eduardo. “Temos que enaltecer a fibra

e a hombridade de um grupo que há

dez dias estava marginalizado. Mas com trabalho no dia a dia, foco e cora- gem, conseguiu reverter essa situação”,

completou, referindo-se às críticas que

o time recebeu após os fracassos na Co-

pa do Nordeste e no Pernambucano. O meia Élber, autor do segundo gol do Sport, também enalteceu o poder de superação do time no fim da partida. “Conseguimos suportar a pressão deles apesar de estarmos com homens a me- nos. Mostrou que esse elenco temquali- dades. Se continuarmos com esse foco, vamos fazer um grande campeonato”, afirmou.

Magrão por 4 semanas fora do time

O goleiro Magrão deve passar, no

mínimo, quatro semanas fora do

Sport. O camisa 1 sofreu uma luxação

no ombro direito aos 35 minutos do

segundo tempo no empate por 2x2 com o Flamengo, ontem, no estádio

do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela segunda rodada do Brasileirão. Ele se machucou sozinho no lance, quan-

do caiu para defender um chute ras-

teiro no canto direito.

O atendimento ao goleiro dentro

do

campo durou quase dez minutos.

O

médico rubro-negro Leonardo

Monteiro precisou recolocar o om- bro de Magrão no lugar. O camisa 1 ainda pensou em permanecer na par- tida, mas as dores e a possibilidade de agravar a lesão não deixaram. No vestiário, Magrão teve o braço direito imobilizado. Na manhã de ho-

je, já no Recife, ele passará por exa- mes de imagem para apontar a gravi- dade da lesão. Sem o ídolo Magrão, quem assume o gol do Sport pelo período é Danilo Fernandes, que teve algumas chan-

ces nesta temporada em partidas da

primeira fase do Campeonato Per-

nambucano em que o técnico Eduar-

do Baptista decidiu poupar os titula-

res. Em todas, o reserva mostrou boa desenvoltura.

Roberto Filho/Estadão Conteúdo
Roberto Filho/Estadão Conteúdo

FESTA MERECIDA Em lance de placa, Élber marcou um golaço no Maraca

q Atuações

k Sport

Magrão – Apareceu bem quando preciso, principalmente no segundo tempo. Saiu lesionado no fim: 6,5. Samuel Xavier – O estreante foi uma boa válvula de escape pela direita, chegando no apoio ao ataque. Mas na defesa, deixou muitos espaços: 5. Matheus Ferraz – Mostrou deficiências em seu posicionamento, principalmente nas bolas aéreas: 4. Durval – Sua pior partida na temporada. O xerifão bateu cabeça entre os atacantes do Flamengo: 4. Renê – Destacou-se na marcação, mas ainda tímido no apoio ao ataque. Precisa ser mais agudo: 5,5.

Rithely – Muita pegada no desarme, mas atuando como primeiro volante não consegue chegar ao ataque como surpresa: 5,5. Wendel – Fez uma grande partida, tanto na marcação quando na hora de sair com a bola. Sua experiência é fundamental para o time em campo: 7. Élber – Enquanto teve pernas, movimentou-se bastante, ora pelo meio e ora pela esquerda. Ajudou na marcação e fez um belo gol no segundo tempo, após tabela com Joelinton: 7,5. Mike – O pior em campo. Parece perdido

q O craque

Diego Souza – Se não bastasse o diferencial que dá à criação do meio-campo e o gol de pênalti, mostrou personalidade e desenvoltura para substituir Magrão: 8.

que dá à criação do meio-campo e o gol de pênalti, mostrou personalidade e desenvoltura para

em meio aos defensores: 3. Samuel – Saiu lesionado no fim do primeiro tempo. Enquanto esteve em campo, foi pouco produtivo: 4,5. Joelinton – Não balançou as redes, mas foi decisivo. Participou dos dois gols. No primeiro, sofreu o pênalti. No segundo, deu um lindo passe de calcanhar para Élber marcar: 7. Rodrigo Mancha – Entrou e deu maior poder de marcação: 5. Vitor – Deu maior consistência à marcação pelo lado direito: 5. Eduardo Baptista – Fez uma boa leitura da partida. Mexeu corretamente e soube usar os antídotos certos para frear o Flamengo: 7. Média: 5,6.

k

Flamengo

k Arbitragem

Ficaram evidentes os problemas que o Flamengo tem, principalmente, do meio para a frente. Um time burocrático e sem poder de criação. Só chegou ao empate pelas contingências da partida: 5.

Uma boa arbitragem de Dewson Fernando Freitas. O paraense soube levar a partida, que ficou tensa em alguns minutos por conta das reclamações de ambos os lados. Os assistentes também não comprometeram o resultado: 7.

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 5

esportes

www.jconline.com.br

q Jogos da Série A

q Jogos da Série A

Lisca convoca galera

q Jogos da Série A Lisca convoca galera ARENA PE Treinador do Náutico chamou a torcida

ARENA PE Treinador do Náutico chamou a torcida alvirrubra para jogo ante Criciúma amanhã

A pós a suada vitória por 1x0 sobre o Boa Esporte, em Var- ginha-MG, no último sába-

do, o técnico Lisca aproveitou o bom momento para convocar a torcida do Náutico para a partida de amanhã diante do Criciúma, pela terceira ro- dada da Série B do Campeonato Bra- sileiro. Ele teme mais uma partida com público reduzido, por ser na Arena Pernambuco, às 21h50. O co- mandante chegou a pedir até mutirão dos alvirrubros. “Não vou lamentar, vou convocar

o torcedor”, disse, respondendo a pergunta sobre a dificuldade dos al- virrubros irem em jogos neste horá- rio na Arena erguida em São Louren- ço da Mata. “Vamos construir, cres- cer juntos. Vamos esquecer o passa- do. Pode fazer um mutirão. Torce- dor que tem carro pode levar quem não tem”, acrescentou. Sobre o Criciúma, Lisca prevê ou- tra partida complicada. “Eles têm jo- gadores experientes. Perderam na ro- dada passada e querem se recupe-

rar”, apontou, referindo-se à derrota

de sexta-feira, para o ABC, em Santa

Catarina. Em relação à vitória sobre o Boa Esporte, sábado, em Varginha, Lisca até brincou. “Quando fiz as mudan-

Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem

FELIZ Técnico Lisca vibrou muito com a suada vitória ante Boa Esporte

ças, trocando lateral por zagueiro e atacante por meia, podem ter dito que estava retrancando o time. Mas queria melhorar a marcação na direi- ta. Guilherme teve dificuldades. E com a entrada de Renato, queria ve- locidade no contra-ataque. Foi aí que conseguimos chegar ao gol. Co-

mo diz Levir Culpi (técnico do Atléti- co-MG), até no livro que ele escre- veu, prefiro ser um burro com sor- te”, disse, emendando um risada. O gol do Náutico foi marcado qua- se aos 49 minutos do segundo tem- po. Hiltinho fez boa jogada e tocou para Renato, que rolou de lado para

Diego marcar o gol, que deixou o

Náutico em terceiro lugar, com seis pontos conquistados – o Timbu per- de no saldo de gols para Sampaio Corrêa e Botafogo, que também ven- ceram as duas partidas.

O atacante Douglas também vi-

brou com o resultado, mesmo não tendo tido uma boa participação. “A equipe está de parabéns. Foi uma lu- ta de todo grupo.” Em relação à sua atuação, justificou: “A bola insistiu em não entrar. Zagueiro tirou, a bola foi para fora. Mas estou muito feliz pelo resultado.” Para a partida de amanhã, apenas Patrick Vieira está suspenso, fruto da expulsão de sábado. Três jogado- res brigam por sua vaga: Pedro Car- mona, William Magrão e Bruno Al- ves, com Renato correndo por fora. Hoje o time alvirrubro treina no período da tarde, no Centro de Trei- namento Wilson Campos, na Guabi- raba.

q Torpedos SMS

Envie JCNAU para 50005 para receber notícias sobre o Náutico *(Custo 0,10 + imposto por mensagem)

Equilibrar finanças é a ordem

Haim Ferreira

hferreira@jc.com.br

A pesar do bom momento na temporada, onde conquis- tou o título Campeonato Per-

nambucano e vem de uma goleada sobre o Paraná, na Série B, o presi- dente do Santa Cruz, Alírio Moraes, afirmou que, além do acesso à Pri- meira Divisão, o clube coral também terá outras prioridades em 2015. De acordo com o mandatário, no momento, a questão financeira é a mais urgente. A expectativa é sanar todas as dívidas até o início de ju- nho. Atualmente, os jogadores do Tricolor do Arruda estão com um

mês de salário atrasado, enquanto os funcionários não recebem há dois meses. “Quando assumi a gestão do Santa Cruz, o elenco estava com quatro me- ses de salários atrasados. Com cal- ma, estamos conseguindo mudar es-

sa situação. Nosso objetivo, agora, é

atingir um ponto de equilíbrio finan- ceiro. Pretendo, a partir do próximo mês, deixar todo mundo em dia”, afirmou.

A postura de cautela, por sinal,

também será adotada no que se refe-

re à chegada de reforços. Segundo

Alexandre Gondim/JC Imagem
Alexandre Gondim/JC Imagem

META Alírio Moraes quer regularizar situação financeira até junho

Alírio, o clube não fará nenhuma lou- cura para realizar contratações, mas garantiu que novos atletas deverão aparecer ao Arruda. “São jogadores que virão com um patrocinador exclusivo por trás. O objetivo é não ocasionar um peso no

nosso orçamento, que já depende de bilheterias, cotas de televisão, entre outras. Atualmente, nossa folha sala- rial gira em torno de R$ 600 mil. A ideia é que permaneça neste pata- mar. Se aumentar, será algo em tor- no de 20%”, complementou.

Até o momento, apenas quatro jo- gadores foram anunciados para a dis- puta da Série B: o lateral-direito João Carlos, o zagueiro Néris e, no último fim de semana, o lateral-es- querdo Marlon e o meia Lúcio, am- bos do Salgueiro. Ainda sobre contratações, o presi- dente afirmou que, ainda nesta sema- na, irá se reunir com o técnico Ricar- dinho para saber das principais ne- cessidades do elenco, visto que qua- tro atletas se desligaram da equipe tricolor - os laterais-esquerdos Tiago Costa e Léo Veloso, o lateral-direito Moisés, além do atacante Betinho. “Atualmente, penso em três ou quatro jogadores. Mas vamos valori- zar os jogadores que já estão aqui. Temos um elenco qualificado e acre- dito que eles podem render mais. In- dependente disto, a torcida pode fi- car tranquila. Se perdemos um joga- dor qualificado, haverá uma reposi- ção, no mínimo, no patamar igual”, fi- nalizou.

q Torpedos SMS

Envie JCSAN para 50005 para receber notícias sobre o Santa Cruz *(Custo 0,10 + imposto por mensagem)

Salgueiro estreia com vitória

O Salgueiro começou a Série C do Campeonato Brasilei- ro com o pé direito. O time

venceu o Botafogo-PB por 2x1, fo-

ra de casa, no estádio Amigão. O re-

sultado deixou o Carcará na 2ª co- locação do Grupo A, empatado em pontos com o Fortaleza, mas per- dendo no saldo de gols (2x1 para o clube cearense). Agora, o próximo

desafio será o Águia de Marabá, do- mingo, no estádio Cornélio de Bar- ros. Já o Belo amarga o 8º lugar e no domingo visita o ASA.

O time sertanejo foi superior ao

adversário durante boa parte da partida. No primeiro tempo, to- mou a iniciativa, apostando em in- vestidas pelos espaços dados pela equipe paraibana. A estratégia do

treinador Sérgio China foi de apos- tar nos contra-ataques. Após insistência, o Salgueiro che- gou ao primeiro gol. Aos 24 minu- tos, Rodolfo Potiguar puxou con- tra-ataque e tocou para Valdeir, que achou Kanu sozinho. O atacan-

te chutou na saída do goleiro Geni-

valdo, abrindo o placar.

O segundo tento saiu pouco de-

pois. Aos 35, novamente em jogada

Bobby Fabisak/JC Imagem
Bobby Fabisak/JC Imagem

TRIUNFO Estratégia do treinador Sérgio China deu certo na partida

Carcará marcou gols com Kanu e Paulinho Mossoró no primeiro tempo

de velocidade, Kanu cruzou na área e Paulinho Mossoró marcou, ampliando o placar para 2x0. O Bo- tafogo-PB estava tão mal que o téc- nico Marcelo Vilar fez duas altera- ções antes mesmo do intervalo. As trocas ajudaram a organizar o ti- me, rendendo equilíbrio maior no jogo. Na segunda etapa, o Carcará re- duziu o ritmo. Assim, o Belo conse-

guiu assustar mais. Em escanteio cobrado por Gustavo, o zagueiro André Lima bateu de primeira na pequena área, diminuindo o marca- dor aos 8 minutos. Depois, o time paraibano ainda acertou uma bola na trave, aos 36, mas não conse- guiu empatar.

OUTROS JOGOS

Os outros time do grupo do Sal- gueiro que estrearam com vitória foram o Vila Nova e o Fortaleza. O time goiano bateu o Cuiabá por 1x0, no estádio Serra Dourada, e perde no desempate com o Carca- rá por conta da quantidade de gols marcados. Assim, está em 3º. Já o

cearense venceu o rival local Icasa por 2x0, no Romeirão, em Juazei- ro do Norte, com gols de Rodrigo Almeida e Adalberto, assumindo a liderança.

Os outros jogos acabaram empa-

tados. No estádio Batistão, Confian- ça e ASA ficaram no 1x1, com gols de Amaral e André Nunes, respecti- vamente. Já o próximo adversário do Salgueiro, o Águia de Marabá, fi- cou no 1x1 com o América-RN, no estádio Zinho de Oliveira, no Pará.

Figueirense 0x0 Vasco

Na segunda partida do Brasileiro que aconteceu pela manhã, Figueirense e Vasco ficaram no empate por 0x0, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Com o resultado, as duas equipes seguem sem vencer na Série A. Os cruzmaltinos somam dois pontos de dois empates e estão no 14º lugar,

enquanto os catarinenses marcaram seu primeiro tento na competição, mas seguem no 19º, na zona de rebaixamento.

competição, mas seguem no 19º, na zona de rebaixamento. Santos 1x0 Cruzeiro A habilidade e a

Santos 1x0 Cruzeiro

A habilidade e a classe de Geuvânio

deram ao Santos a primeira vitória do time no Campeonato Brasileiro. Foi só por 1x0, mas o gol que ele marcou contra o Cruzeiro, na Vila Belmiro, valeu o ingresso. Por outro lado, o atual campeão brasileiro ainda não venceu no campeonato e amarga a lanterna da tabela de classificação. O Peixe soma quatro pontos está na sexta colocação.

Ricardo Botelho/Estadão Conteúdo
Ricardo Botelho/Estadão Conteúdo

Atlético 4x1 Fluminense

O Atlético-MG se recuperou rápido da

eliminação na Copa Libertadores. Na tarde de ontem, o Galo se impôs no estádio Mané Garrincha, em Brasília, dominou a partida e goleou o

Fluminense por 4x1, sem dificuldades.

O tricolor carioca pouco incomodou a

equipe alvinegra e viu suas redes serem balançadas por Jemerson, duas vezes, Dátolo e Luan. No fim do segundo tempo, Fred descontou de pênalti.

e Luan. No fim do segundo tempo, Fred descontou de pênalti. Ponte 1x0 São Paulo No

Ponte 1x0 São Paulo

No duelo de paulistas, melhor para a Ponte Preta, que venceu o São Paulo por 1x0, no Moisés Lucarelli, em Campinas. O único e lindo gol da partida foi marcado pelo meio-campo Renato Cajá, logo aos 13 minutos do primeiro tempo. A partida também marcou a estreia do atacante Felipe Azevedo, ex-Sport, com a camisa alvinegra. O jogador entrou como titular, mas não realizou uma boa partida.

entrou como titular, mas não realizou uma boa partida. Inter 1x0 Avaí Mesmo com o time

Inter 1x0 Avaí

Mesmo com o time reserva, o

Internacional venceu o Avaí por 1x0, ontem no Beira-Rio, em Porto Alegre.

O gol da equipe colorada foi marcado

pelo atacante Vitinho, aos 18 minutos do segundo tempo. Com os três primeiros pontos no campeonato, o

time gaúcho saiu da lanterna da Série

A e assume a 11ª colocação. Agora, o

Inter volta as suas atenções para a Copa Libertadores, onde enfrenta o Santa Fé-COL, na próxima quinta-feira.

onde enfrenta o Santa Fé-COL, na próxima quinta-feira. Joinville 0x0 Palmeiras Em partida sem torcedores, Joinville

Joinville 0x0 Palmeiras

Em partida sem torcedores, Joinville e Palmeiras não saíram do 0x0, na Arena Joinville, em Santa Catarina, e seguem sem vencer no Campeonato Brasileiro. As equipes vinham, respectivamente, de uma derrota e um empate. Com o resultado, o time paulista acabou caindo para a 13ª colocação com apenas dois pontos, enquanto os catarinenses somam apenas um, na 17ª colocação, abrindo a zona de rebaixamento.

6

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

esportes

6 Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira esportes www.jconline.com.br Filipinho reina no Rio

www.jconline.com.br

Filipinho reina no Rio

SURFE Filipe Toledo fez apresentações espetaculares e levou a etapa carioca no Circuito Mundial de Surfe

Vanderlei Almeida/AFP
Vanderlei Almeida/AFP

MANOBRA Toledo levou ao delírio os cariocas com um aéreo perfeito, que rendeu nota 10 no início da final

Da Redação, com agências

N inguém segura Filipe Toledo, o Filipinho. Ontem, o brasilei- ro conquistou o título da eta-

pa carioca do Circuito Mundial de Sur- fe (WCT) na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Contando com o apoio da torcida que marcou presença nas areias da Barra, o paulista abusou dos aéreos, sua principal especialidade, e bateu o australiano Bebe Durbridge na grande final do Pro Rio. Toledo levou ao delírio os cariocas com um aéreo perfeito, que rendeu no- ta 10 no início da final. Mostrando ver- satilidade, o brasileiro voltou a ganhar uma nota alta, desta vez apostando em rasgadas na onda: 8.33. Ainda haveria tempo de Filipe realizar mais três aé- reos, o terceiro deles lhe rendendo 9.87 de nota. Ao final, a promessa do surfe brasilei- ro ficou com 19.87 de somatório, contra 13.70 de Durbridge. Com o resultado, Filipinho pula para a segunda coloca- ção geral do Circuito Mundial, atrás apenas do também brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho. “Essa galera é uma coisa de loucos. Sempre sonhei em vencer aqui no Rio, e hoje conse- gui”, disse Filipinho, muito emociona- do.

CRÍTICAS

Surfistas que disputaram a etapa do Rio do Mundial, na semana passada, la- mentaram a poluição no mar. Alguns atletas chegaram a passar mal, como os americanos Kelly Slater e C.J. Ho-

bgood, o irlandês Glenn Hall, a america- na Sage Erickson e o o campeão brasi- leiro Filipe Toledo. Não se sabe exatamente se a polui- ção foi mesmo a causadora do mal-es- tar dos surfistas. Na opinião de Filipi- nho, tudo indica que sim. “No começo da semana eu passei mal, cheguei a vo- mitar. Deve ter sido por causa da polui- ção. Mas eu me recuperei”, afirmou o paulista. Quem passou mal na quinta- feira foi Slater. Ele teve dores de estô- mago e não disputou a competição com 100% da sua capacidade física.

Filipinho assumiu a 2ª colocação geral do Circuito Mundial, atrás de Adriano de Souza, o Mineirinho

O evento foi realizado a cerca de um quilômetro das águas sujas que saem do quebra-mar. Quando o vento vem do leste, como aconteceu na sexta-fei- ra, a situação realmente fica séria. “É o pior dos mundos”, conforme apontou o biólogo Mário Moscatelli. “A praia da Barra tem a sua pureza comprometida devido ao esgoto que vem dos rios e de- semboca nas lagoas, que estão podres, e que durante a maré baixa, escoam pa- ra o mar da Barra”, disse Moscatelli.

Mais dois ouros no fim

Gabriela Máxima

gmaxima@jc.com.br

A s pernambucanas Keila Cos- ta e Érica Sena encerraram a participação no Troféu Bra-

sil com a conquista de mais dois ou-

ros para o Estado. A primeira faturou

o lugar mais alto do pódio no salto tri- plo com a marca de 14m03, enquanto

a segunda se sagrou pentacampeã da marcha atlética com o tempo de

1h37min10. Cisiane Dutra ficou com

a prata ao completar a dobradinha

pernambucana nos 20km da marcha, com 1h39min29. No total, os atletas pernambucanos somaram cinco me- dalhas (quatro ouros e uma prata) na competição, que terminou ontem, em São Bernardo do Campo, em São Paulo. Como os vencedores das provas in- dividuais estão automaticamente classificados para o Sul-Americano no Peru, em junho, Wagner Domin- gos (campeão do lançamento do mar-

telo), Érica e Keila confirmaram a va- ga na competição que antecede a es- treia nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho. Aos 33 anos, Keila Costa levou dois ouros e, de quebra, ainda estabeleceu

o índice no salto em distância para o

Campeonato Mundial de Pequim, em agosto, e para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Com a marca de 6m70, ela deu um passo importantís- simo para a sua terceira participação em Olimpíadas. Vale lembrar que as três melhores do ranking nacional es- tão classificadas. A pernambucana só perde a vaga se outra rival ultrapassá- la e ela não conseguir ficar entre as três primeiras da lista da Confedera-

Teliana Pereira pede desculpas

D epois de ter sido desclassifi-

cada do torneio ITF de

Saint Gaudens, na França,

no último sábado, Teliana Pereira utilizou as redes sociais para pedir desculpas por ter tentado jogar a bo- la na parede e acabar atirando a ra- quete no público. De acordo com ela, não houve intenção alguma de fa- zer o arremesso, tampouco de ma- chucar alguém da plateia. “Estou muito chateada, foi triste o que aconteceu em Saint Gaudens. Em um momento de frustração jo- guei a bola contra a tela, a raquete es- capou da minha mão e parou na ar- quibancada. Por sorte pegou de ras- pão em uma pessoa e não a feriu, mas acabei desclassificada. É a regra. Nunca tive a intenção de jogá-la na quadra. Na hora, fui me desculpar

com a senhora atingida”, escreveu Teliana. Antes do momento da eliminação, a tenista disputava as quartas de fi- nal do torneio francês com a eslova- ca Jana Cepelova. A adversária ha- via vencido o primeiro set por 7/6 (7-5). Por conta da frustração, Telia- na quis jogar a bola para longe, mas errou o lançamento causando toda confusão. Mesmo que não tivesse acertado uma pessoa, a atitude da jo- gadora seria analisada. Agora, Teliana, atual número 77 do ranking internacional, volta suas atenções para Roland Garros. A dis- puta do segundo Grand Slam da tem- porada começa amanhã, também na França, e a tenista estreia no torneio classificatório em busca de uma vaga na chave principal.

Carla Carniel/Estadão Conteúdo
Carla Carniel/Estadão Conteúdo

DOURADA Keila Costa foi a primeira no salto triplo no Troféu Brasil

ção Brasileira de Atletismo (CBAt) até o prazo limite para obtenção dos índices, que termina no dia 5 de ju- lho de 2016. O resultado de Érica (1h37min10) não foi suficiente para ela melhorar seu melhor tempo no ano. A boa notí- cia é que ela já havia garantido a vaga no Mundial e nos Jogos do Rio ante- riormente, quando fez 1h29min37. Ci- siane, por sua vez, disputará os Jogos de Toronto, mas não estabeleceu a marca necessária de 1h35min para o Mundial e para as Olimpíadas. Mesma situação vivida pelo lança- dor de martelo Wagner Domingos. Ele precisa alcançar 76m para o Mun- dial de Pequim e 78m para obter a va-

Patrick Kovarik/AFP
Patrick Kovarik/AFP

ga olímpica. Seu resultado no Troféu de 73m66. “Ainda não foi dessa vez que eu conquistei o índice. Vou conti- nuar treinando para conseguir a mar- ca no Sul-Americano”, observou Wagner. Outros quatro pernambucanos par- ticiparam da competição, mas não conseguiram subir ao pódio. Thiago Benedito ficou no quarto lugar do lan- çamento do martelo, com a marca de 58m63. Também no martelo, Kero- layne Camile figurou em 8º lugar. Mi- rela Saturnino disputou os 10km e 5km, terminando as provas em 8º e 7º, nessa ordem. Para finalizar, Jona- than Brito concluiu os 100m com bar- reiras na 4ª colocação, com 14seg13. EXPLICAÇÃO Teliana alegou que não teve a intenção de jogar a raquete

bar- reiras na 4ª colocação, com 14seg13. EXPLICAÇÃO Teliana alegou que não teve a intenção de
k Brennand exibe série de pinturas em nova exposição Lira: maduro e ainda melhor em
k Brennand exibe
série de pinturas em
nova exposição
Lira: maduro e
ainda melhor
em novo
show solo
k 6
k 6
André Nery/JC Imagem
André Nery/JC Imagem

k

k 6 k 6 André Nery/JC Imagem André Nery/JC Imagem k Editores: Marcelo Pereira marcelop@jc.com.br Adriana
k 6 k 6 André Nery/JC Imagem André Nery/JC Imagem k Editores: Marcelo Pereira marcelop@jc.com.br Adriana

Editores:

Marcelo Pereira marcelop@jc.com.br Adriana Victor avictor@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413.6180 Twitter: @cadernoc www.jconline.com.br/cultura

cacadernoderno CC

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

derno C C Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira Bruno Albertim bruno.albertim@gmail.com C
derno C C Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira Bruno Albertim bruno.albertim@gmail.com C

Bruno Albertim

bruno.albertim@gmail.com

C onfirmado: depois do sucesso em São Pau- lo, ano passado, o Ins-

tituto Itaú Cultural traz a Ocu- pação Aloisio Magalhães ao Re- cife. No dia 27, será aberta a exposição com 70 obras, divi- didas em três momentos da carreira do pernambucano que, se foi designer em primei- ro plano, é um homem de uma complexidade difícil de ser enquadrada numa só cate- goria. Mais do que o pioneiro

e fundador do moderno de-

sign brasileiro, Aloisio pode ser considerado um dos cons- trutores do que hoje entende- mos como o Brasil contempo- râneo. Autor da série de litografias em preto e branco sobre Olin- da – fundamentais na inscri- ção e defesa da cidade como Patrimônio da Humanidade

pela Unesco – artista plástico

e gráfico, mestre de bonecos,

patrimonialista, homem públi- co, ideólogo, Aloisio Maga- lhães foi multidisciplinar an- tes disso sequer virar verbete. A mostra terá como sede o Mamam – o museu às mar- gens do Capibaribe que leva o nome do homem que introdu- ziu o design moderno não ape- nas no ensino, mas na vida co- tidiana do País. “A partir de 1960, Aloisio Magalhães integrou a primei- ra geração de designers mo-

dernos no Brasil, e se fez pre- sente tanto na discussão sobre

a educação de design no País

como no debate sobre o que constituía a nova atividade. Foi aí que ele montou a pri- meira versão do seu escritó-

rio de design, que viria a ser

o maior do País ao longo dos

anos 1970, e fez parte do gru- po que criou o primeiro cur- so de desenho industrial em nível superior, na Escola Su- perior de Desenho Indus- trial, no Rio de Janeiro”, dis- corre João Souza Leite, tam- bém designer, antigo colabo- rador do mestre e curador da exposição.

Como designer e, no dizer

do curador, “voz mais presen-

te na divulgação da nova pro-

fissão no período de 1960 a 80”, Aloisio inseriu o design além dos ambientes em que ele pode ser percebido como linguagem. Seu trabalho viabi- lizou vários aspectos do coti- diano brasileiro. “Seus dese- nhos para marcas e símbolos, seus projetos para programas de design e identidade visual de empresas chegaram a aten- der a dimensão de uma cidade como o Rio de Janeiro, e fize- ram de Aloisio um dos mitos do design brasileiro, tendo si- do, a um só tempo, o defensor de princípios que enfatizavam a relação com o contexto, con- trariamente ao que havia se definido antes como caracte- rística marcante do design mo- derno no Brasil”, diz o cura- dor. Responsável pela identida-

Um artista que desenhou o Brasil

TRIBUTO Depois de ser aberta em São Paulo, a exposição Ocupação Aloisio Magalhães virá ao Recife ainda este mês, reconhecendo a dimensão do designer pernambucano

este mês, reconhecendo a dimensão do designer pernambucano Fotos: Divulgação MUITOS EM UM O designer e
Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação
a dimensão do designer pernambucano Fotos: Divulgação MUITOS EM UM O designer e artista plástico Aloisio

MUITOS EM UM O designer e artista plástico Aloisio Magalhães atuou como gestor público e defensor da cultura e da criação artística popular do Brasil. Acima, um de seus cartemas – imagens com valores visuais equivalentes, dispostas lado a lado

de visual de empresas conti- nentais como a Petrobras e a Rede Globo (foi dele a primei- ra marca da emissora, uma es- trela de quatro pontas), por exemplo, Aloisio foi também o criador da identidade visual de uma série de famílias mone- tárias brasileiras. Criou, entre outros, o projeto gráfico da no- tas do cruzeiro novo: a cada

vez que um brasileiro ia à fei- ra, portanto, lidava diretamen- te com a obra de Aloisio Maga- lhães. Dono de argumentos sem- pre agudos sobre as riquezas das culturas populares brasi- leiras, quase sempre abafadas pela chamada cultura erudita, Aloisio foi também homem pú- blico. Ao assumir a direção do

Instituto do Patrimônio Histó- rico e Artístico Nacional (Iphan), em 1979, numa dita- dura militar em fase de disten- são, trabalhou agudamente contra o monopólio da políti- ca focada no patrimônio ape- nas de “pedra e cal”. Abriu ca- minho para o reconhecimento atual de práticas e saberes po- pulares serem reconhecidos

como patrimônio imaterial do Brasil. “Sendo pintor, designer ou formulador de políticas públi- cas, Aloisio foi, como sempre dizia, um ‘projetivo’ – alguém inteiramente consciente do que e do como projetar”, ob- serva Souza Leite. Na noite de abertura, o curador realiza pa- lestra no Mamam sobre o per-

sonagem símbolo da exposi- ção e seu ex-mestre, seguida de um coquetel.

A MOSTRA

A Ocupação Aloisio Maga- lhães trata das três personas mais evidentes que o pernam- bucano encarnou: o pioneiro no design moderno; o pensa- dor voltado para um desenvol- vimento social e econômico mais harmonioso; e o agente político que modificou o trato dos bens culturais do País. “Em toda a sua ação, Aloisio sempre privilegiou a ideia de um projeto de futuro para o

País, coisa de que tanto carece- mos hoje”, diz o curador. Estas três facetas do artista estão divididas na Ocupação Aloisio Magalhães em sete nú- cleos temáticos, apresentados por uma linha do tempo: Aloi- sio Magalhães; Um designer em três tempos; Aloisio, artis-

ta plástico; O Gráfico Amador;

Uma linguagem experimen- tal; Aloisio Magalhães, desig-

ner; As possibilidades do obje- to impresso; A cultura como objeto de ação política. Os núcleos se agrupam em três tempos, começando pelas pinturas, gravuras, aquarelas,

a experiência de O gráfico

amador – o misto de ateliê e

editora fundado no Recife, em 1954, que terminaria por in- fluenciar a linguagem gráfica do resto do País.

O “segundo tempo” da mos-

tra apresenta a sua realização no campo do design propria- mente dito (com a presença de marcas e símbolos impor- tantes, como o do Centenário do Rio de Janeiro e da Bienal de São Paulo). No terceiro, ve- mos, em textos e vídeos, a atuação patrimonialista de Magalhães. Aloisio Magalhães nasceu no Recife de 1927. Em 1982,

realizou sua última série de de- senhos – justamente o conjun- to de litografias responsáveis por ‘patrimonializar’ Olinda mundialmente. Em junho da- quele ano, representou o Bra- sil numa reunião de ministros da Cultura dos países de lín- gua latina em Veneza. Depois de uma defesa apaixonada das questões da cultura cotidiana

e popular oprimidas pela eru-

dição estéril, foi aclamado pre- sidente do encontro. Mas, de- pois do almoço e antes de reto- mar os trabalhos, sente-se mal

e morre dias depois, num 13 de junho, em Pádua. Tinha

apenas 55 anos quando sofreu

o acidente vascular cerebral. Não por acaso, 5 de no- vembro, data que marcou seu nascimento em 1927, é considerado o Dia Nacional do Designer.

e

k Ocupação Aloisio Magalhães – Abertura: 27 de maio, 18h. Em cartaz até 26 de julho. MAMAM – Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães. Rua Aurora, 265, Boa Vista. Informações:

3355-6870

2 jornal do commercio

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

caderno C

www.jconline.com.br/cultura

Romance gay seduz Cannes

FESTIVAL Protagonizado por Cate Blanchett, Carol, do diretor Todd Haynes, narra o amor de duas mulheres nos EUA dos anos 50

Catherine Marciano

AFP

C ANNES – Dois anos

após a Palma de Ouro

premiar o filme Azul é

a cor mais quente, uma nova his- tória de amor entre mulheres pode seduzir o júri de Cannes:

Carol, romance elegante com Cate Blanchett, entusiasmou parte da crítica. Fiel ao seu estilo sofisticado

e a uma determinada época, os anos 50 nos Estados Unidos, o americano Todd Haynes trata

o assunto de uma forma que

não tem nada a ver com o realis- mo cru de Abdellatif Kechiche. Depois de Longe do paraíso (2002), no qual Julianne Moo-

re vive dona de casa dos anos

50 que se entrega ao jardineiro negro, ele oferece um novo fil- me marcado pela pegada dos melodramas de Douglas Sirk. Em Carol, adaptado do ro- mance de Patricia Highsmith (1952), escrito sob um pseudôni- mo sobre um tema muito ousa- do para a época, Cate Blanchett encarna Carol Aird, mulher ma-

dura, sofisticada, mas frágil. Ela

é mãe de uma menina e prisio-

neira do casamento com um ri-

co banqueiro (Kyle Chandler). Face a ela, Rooney Mara (Mil- lennium: Os homens que não

amavam as mulheres) interpre-

ta Therese Belivet, jovem em-

pregada de loja de brinquedos e aspirante a fotógrafa, que se pergunta sobre sua relação com

o namorado. Entre Carol e Therese, o charme vai operar em uma pri- meira troca intensa de olhares na loja onde Therese trabalha.

Loic Venance/AFP
Loic Venance/AFP
de olhares na loja onde Therese trabalha. Loic Venance/AFP CENAS DO FESTIVAL No alto, Cate Blanchett
de olhares na loja onde Therese trabalha. Loic Venance/AFP CENAS DO FESTIVAL No alto, Cate Blanchett

CENAS DO FESTIVAL No alto, Cate Blanchett posa com a atriz Rooney Mara, com quem contracenou em Carol, do diretor Todd Haynes. Natalie Portman exibiu seu primeiro longa

A atração mútua, tensa e con-

servadora, vira um caso de amor, um reflexo de todos os obstáculos da sociedade da épo- ca, que minam um relaciona- mento homossexual. Cate Blanchett, 46 anos, que assumiu a pele do cantor Bob Dylan no filme anterior de To- dd Haynes Não estou lá (2007), elogiou “as notáveis referências

visuais” do cineasta. “Sabia que seria uma paleta de cores, qual seria a atmosfera”, disse a ga- nhadora do Oscar de Atriz em 2014 por Blue Jasmine de Woo-

dy Allen.

Blanchet contestou a revista Variety, que publicou que ela te- ria tido “numerosos” casos com mulheres. “Se eu tive relações sexuais com mulheres? A res- posta é não”, disse à imprensa. “Na minha memória, pergunta- ram-me se eu tive relações com mulheres e eu disse ‘sim, mui- tas vezes. Mas se você quer di- zer de relações sexuais com mu-

lheres, a resposta é não’. Mas is-

so não foi impresso”, explicou. A estética retrô com cores quentes, com cenas de interior banhadas em tons de rosa e amarelo envelhecio e uma Amé- rica vista pelas janelas dos car-

ros brilhantes, ajuda a instalar a pitoresca atmosfera dos anos 50 do filme, que seduziu parte da crítica em Cannes. A dupla

de atrizes foi muito citada.

A revista americana Variety declarou:“performance brilhan- te” das atrizes em um filme “de grande refinamento”. Já o britâ- nico The Guardian escreveu:

Cate Blanchett “cativa” num fil- me “belo” e “extremamente in- teligente.

Cineasta faz duras críticas à indústria

CANNES – Depois de apre- sentar, na última sexta, em Can- nes, seu primeiro trabalho atrás das câmeras, a atriz Natalie Port- man lamentou que os filmes fei- tos por mulheres continuem sen- do vistos como exercícios narci- sistas em uma indústria “total- mente desequilibrada” em favor dos homens. Em conversa com jornalistas, a atriz relatou a corrida de obstá- culos vivida ao longo de dez anos para produzir A tale of love and darkness, baseado no roman- ce homônimo do israelense Amós Oz. No longa, Natalie vive a mãe depressiva do autor. Segundo a atriz, a indústria do cinema ten- de a depreciar as diretoras. “Lembro-me de quando era

criança e Barbra Streisand diri- gia um filme, em que atuava. Di- ziam que era narcisismo. Tinha medo que pensassem isso de mim, embora nunca digam isso de um homem”, alfinetou. Natalie espera que a indústria do cinema mude. “As mulheres têm um problema com a palavra autoritária. Ainda se espera de nós que nos ocupemos de todo mundo ao nosso redor. Mas isso começa a mudar”, concluiu.

q Mais na web

Leia mais sobre o festival no www.jconline.com.br/cultura

q em pauta

k Hoje

MUSEU 1– Desta segunda até o próximo domingo, o Paço do Frevo comemora a 13ª Semana Nacional de Museus, com uma programação que inclui a visita guiada para o público, Vamos cair no passo – das 10h às 12h e das 15h às 17h –, e contação de histórias para a garotada (10h, 11h, 15h e 16h). 18h30. R$ 6 (inteira). Praça do Arsenal da Marinha, s/nº, Bairro do Recife. Fone: 3355-9500. MUSEU 2 – O Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam), em comemoração à Semana Nacional de Museus, promove uma série de atividades nesta segunda, terça e quarta, e no próximo sábado e domingo, que incluem desde bate-papo sobre sustentabilidade e arte até exposição, oficina e shows musicais. Acesso gratuito. Rua da Aurora, 265, Boa Vista. Fone: 3355.6870/6871.

k Amanhã

SONIDO – O projeto da Creperia Rouge recebe o cantor Vertin Moura. Juliano Holanda e Helton Moura, fazem participação especial. 21h. R$ 15. Praça de Casa Forte, 570. Fone:

3040-2552.

MUSEU 3 – Dando sequência à Semana dos Museus, o Museu da Cidade do Recife começa, a partir desta terça, ações de contação de histórias, tomando por base o cordel, com a contadora Lilian Azevedo. A Mostra Capibaribe meu rio, também integra a programação. 9h. Acesso gratuito. Forte das Cinco Pontas. Fone: 3355-9558/3106. MUSEU 4 – O Instituto Ricardo Brennand (IRB) promove atividades na Semana Nacional de Museus. Até o próximo domingo, com o tema Museu para uma sociedade sustentável, o IRB faz oficinas, encontro literário, roteiro de países que realizam práticas sustentáveis e exibe sessões de cinema seguidas de debate e shows musicais. R$ 20 (inteira). Alameda Antônio Brennand, s/nº, Várzea. Fone:

2121-0352.

MOSTRA Cinema & Feminino é o tema do evento promovido pela Aliança Francesa, até o próximo sábado. Na ocasião, debates e exibição de filmes acerca do universo feminino integram a programação. 19h30. Acesso gratuito. Rua Amaro Bezerra, 466, Derby. Fone: 3202-.6262. TERÇA NEGRA Em homenagem ao cantor Bob Marley, o projeto Terça Negra traz as bandas Natural

Bob Marley, o projeto Terça Negra traz as bandas Natural Fotos: Divulgação NOS PALCOS A Armazém
Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

NOS PALCOS A Armazém Cia. de Teatro encena peça no Luiz Mendonça; Fernanda Takai se apresenta no Santa Isabel

Resiste, Segunda Sessão e Marlevou.

A partir das 20h. Acesso gratuito.

Pátio de São Pedro, Bairro de São José.

k Quarta-feira, 20

EXPOSIÇÃO – Até o dia 20 de junho,

a mostra Visões do outro, dos

artistas Christina Machado e Renato

Valle pode ser vista na Arte Plural Galeria. A curadoria é de Raul Córdola. Acesso gratuito. Rua da Moeda, 140, Bairro do Recife. Fone:

3424-4431.

LITERATURA – O 2º Encontro de Literatura de Pernambuco acontece nesta quarta e quinta, no CAC da UFPE. A partir das 8h. Acesso gratuito. A programação completa pode ser vista no endereço:

literaturaempe.blogspot.com.br. EXPOSIÇÃO – Até o dia 20 de julho,

a mostra Cervantes e as três viagens

de Quixote pode ser vista no Museu Miitar Forte do Brum. Na ocasião, haverá uma conferência sobre o tema, às 19h. A visitação da Mostra pode ser feita de terça a sexta, das 9h30 às 16h30, e aos sábados e domingos, das 14h às 17h. Até domingo, o acesso é gratuito. Praça da Comunidade Luso Brasileira, s/nº, Cais do Apolo. Fone: 3224-4320.

k Quinta-feira, 21

IVANILDO VILA NOVA – O repentista comemora 50 anos de carreira, no Teatro de Santa Isabel. Sebastião Silva, Daniel Olímpio, Miro Pereira, Raimundo Caetano, Rogério Menezes e Raulino Silva são alguns dos violeiros convidados. 20h. R$ 15

(inteira). Praça da República, s/nº, Santo Antônio. Fone: 3355-3323. FIO DA MEIOTA – O repertório de samba do grupo Fio da Meiota é a pedida do Retalhos Bar. 21h. R$ 12 (couvert). Rua da Aurora, 1139, Santo Amaro. Fone: 3445-2787. BLUES – Alexandre Santiago e a sua Santiago Blues Trio apresentam-se no Downtow Pier, a partir das 20h. R$ 10 (homem) e R$ 5 (mulher). Av. Alfredo Lisboa, s/nº, Armazém 13, Bairro do Recife. Fone: 3424-6167.

k Sexta-feira, 22

FERNANDA TAKAI Na medida do impossível é o show que a cantora Fernanda Takai apresenta no Teatro Santa Isabel. No palco, a vocalista do Pato Fu canta músicas do novo trabalho – que leva o mesmo nome do show – e relembra sucessos de sua carreira. 21h. R$ 60 (inteira). Praça da República, s/nº, Santo Antônio. Fone: 3355-3324. LGBT – O Clube Metrópole

apresenta o Bailão Brega & Pop com

o cantor Kelvis Duran. Os DJs Gael, Palla, Raffa Dub & Debx e Alê, comandam a line-up. A partir das

22h. R$ 25 (inteira). Rua das Ninfas, 125, Boa Vista. Fone: 3423-0123. UK PUB – A dupla Felipe & Gabriel e Rafa Mesquita, além do duo Royal e

o DJ Leo Zerbone, são as atrações

do UK Pub desta sexta. 20h. R$ 40 (mulher) e R$ 50 (homem). Rua Francisco da Cunha, 165, Boa Viagem. Fone: 3465-1088. PAÇO DO FREVO – Jehovah da Gaita, com a participação especial de Renato Bandeira – da Spok Frevo Orquestra – e o contrabaixista e arranjador Bráulio Araújo, se apresentam no Evoé Frevo Café, no térreo do Paço do Frevo. 12h. Acesso gratuito. Praça do Arsenal da Marinha, s/nº, Bairro do Recife. Fone:

3355-9500.

TEATRO 1 – O espetáculo O dia em que Sam morreu, da Armazém Cia. de Teatro (RJ), é encenado no palco do Teatro Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu), nesta sexta e sábado, às 20h; domingo, às 19h. R$ 40 (inteira). Av. Boa Viagem, s/nº. Fone:

3355-9821.

TEATRO 2 – A peça Obsessão, do diretor carioca Henrique Tavares, estreia hoje no Teatro Boa Vista. A montagem fica em temporada até o dia 14 de junho. Sexta e sábados, às 21h e domingos às 19h30. R$ 60 (inteira). Rua Dom Bosco, 551, Boa

Vista. Fone: 2129-5961. BIQUÍNI CAVADÃO E HUMBERTO GESSINGER – O projeto Porque hoje é rock reúne o vocalista do Engenheiros do Hawaii e a banda Biquíni Cavadão em show no Chevrolet Hall. 20h. Ingressos de R$

80 (pista inteira) a R$ 1,4 mil (camarote 1º piso). Av. Agamenon Magalhães, Olinda. Fone: 3207-7500. LANÇAMENTO – A banda carioca Forfun se apresenta no Catamaran com show do novo disco Nu. A partir das 22h. R$ 40 (2º lote). Cais das Cinco Pontas, Recife. Fone:

3423-3345.

MUSEU 4 – O Plaza Shopping integra à sua programação de eventos um passeio em três museus da cidade. São eles: Casa-Museu Magdalena e Gilberto Freyre, Museu do Homem do Nordeste e Museu Murillo La Greca. A ação é gratuita e acontece todas as sextas-feiras deste mês de maio. O ônibus sai do Plaza às 10h, com um grupo de 30 pessoas. Rua Dr. João Santos Filho, Casa Forte. Fone: 3265-8100. COVER – Sérgio Gonçalves, Fábio Meneghin, Leandro Bortoletto e Leonardo Ciotti formam a Banda U2 One, que se apresenta nesta sexta e sábado, no Manhattan Café Theatro, relembrando sucessos da banda irlandesa. 21h. A a partir de R$ 80. Rua Francisco da Cunha, 881, Boa Viagem. Fone: 3325 – 3372.

k Sábado, 23

JOELSON – O artista plástico Joelson Gomes abre a exposição Infinitamente, a partir das 11h, no Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho. Esculturas e pinturas compõem a mostra, que ficará aberta para visitação até setembro. Informações e agendamentos: 3527-4025 e agendamento.engenho@fundaj.gov. br. INFANTIL – A contadora de histórias e cantora pernambucana Carol Levy, lança o novo disco CantaBichos, em show no Teatro Santa Isabel, neste sábado e domingo. Além das inéditas, ela canta as já conhecidas do público Ventilador de teto, Lobo legal e Pangaré, entre outras. 17h. R$ 60 (inteira). Crianças de até 24 meses não pagam. Praça da República, s/nº, Santo Antônio. Fone:

3355-3324.

AMANDA GÂNIMO – A vocalista do Samba de Iaiá e da Maria Cafusa se apresenta no Biruta Comedorias do Mar, com um repertório dedicado ao samba. A partir das 14h. R$ 7 (couvert). Rua Bem-Te-Vi, 15, Pina. Fone: 3326-5151. MALEDITA - O Catamaran promove mais uma edição da festa pop, com Nuno Pires, Thikos, Suilane, FuckyeahGuigs e Xande Medeiros no comando das picapes. R$ 30. Cais de Santa Rita, s/nº, Recife. Fone:

3424-2845.

k Domingo, 24

TEATRO 3 – A peça infantil Peppa Pig continua no Teatro Boa Vista. 10h. R$ 40 (inteira). Rua Dom Bosco, 551, Boa Vista. Fone: 2129-5961. MÚSICA – Marcello Rangel, Ruan Trajano e Vinícius Barros, que formam o Coletivo CantoAuto, se apresentam na Rouge. 19h. R$ 20h. Praça de Casa Forte, 570. Fone:

3040-2552.

14 BIS – O grupo mineiro faz show no Teatro Guararapes, dentro do projeto MPB Petrobrás. 20h. R$ 40 (inteira). Av. Professor Andrade Bezerra, s/nº, Olinda. Fone:

3182-8000.

MUSEU 5 – O M useu Murillo La Greca realiza, neste domingo, a segunda edição do Mercado das Pulgas – uma espécie de mercado livre em que o público pode trocar objetos, participar de atividades de lazer e fazer piquenique nos jardins do museu. Das 14 às 17h. Acesso gratuito. Fone:

3355-3126/3127.

k A programação, conteúdo das atrações e seus respectivos horários são de inteira responsabilidade das emissoras e sujeitas a alterações sem aviso.

Recife I 18 de maio de 2015 I segunda-feira

jornal do commercio 3

caderno C

www.jconline.com.br

dia a dia

do commercio 3 caderno C www.jconline.com.br dia a dia k Colunista: Mirella Martins mirella@ne10.com.br

k

Colunista:

Mirella Martins mirella@ne10.com.br Assistentes:

Anneliese Pires apires@jc.com.br Romero Rafael rrafael@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6418 twitter: @blogsocial1 instagram: blogsocial1

Para decifrar

Francisco Brennand abre hoje sua nova exposição, Exercício solitário, no foyer do Cine Theatro Deborah Brennand. São 30 obras pintadas por ele do ano passado a este. A principal delas, A esfinge, remete à linha de criação desta nova safra do artista: “decifra-me ou te devoro”. São mulheres a serem decifradas, imersas em temáticas subjetivas - como o tempo e sonhos - ou factuais, como as Olimpíadas.

Fã de Joca

Dani Hoover voltou do Rio, correndo, para produzir o lançamento do novo trabalho solo de Fernanda Takai - do Pato Fu -, que fará show sexta, no Teatro de Santa Isabel. A cantora não esconde de ninguém que é admiradora da cozinha do chef Joca Pontes e marcou para jantar no restaurante Ponte Nova no dia da apresentação. Joca se comprometeu a preparar um menu especial só para ela.

Divulgação

a preparar um menu especial só para ela. Divulgação MAIS UMA Francisco Brennand posa para a

MAIS UMA Francisco Brennand posa para a coluna diante de parte da sua nova obra que estará exposta por ocasião da Semana Nacional dos Museus

De olho na PCR

Por mais que esteja adaptado em Brasília, onde atua como primeiro vice-líder do PSDB, o deputado Daniel Coelho começou suas articulações para 2016. Semana passada, participou da primeira reunião de planejamento. Os tucanos ainda não decidiram se vão lançar nome próprio à PCR. Tem gente do partido bem favorável à ideia, assim também como a de lançar Bruno Araújo para o Senado em 2018 e Aécio tentar, novamente, ser presidente.

Lembre-se

Urêia, da Academia da Berlinda, comemora níver, sexta, no Baile Perfumado.

Fábio do Couto vai participar do Congresso de Ortopedistas de Língua Portuguesa, em Cabo Verde, na África.

No palco do Teatro Luiz Mendonça, O dia em que Sam morreu, de sexta a domingo. Foi eleita a melhor montagem de 2014.

O publicitário Luiz Augusto celebra hoje 15 anos da Agência Um, que mudará o nome, até o fim de ano, para Agência Quinze.

Dia 29, haverá cerimônia de reinauguração do busto do prático da barra Nelcy Campos, no Terminal Marítimo de Passageiros.

Expô de Isa Pontual e Rinaldo Carvalho, no restaurante Villa, quarta, às 19h.

O 16º Forró Iluminado da AACD será dia 28, na Arcádia Paço Alfândega.

Mariana Lucena e Wagner Francis comemoram um ano do Fiordes Buffet com festinha, quarta, na sede.

Celinha Abreu e Lima abre, dia 27, a casa de recepção La Salle, onde era a Iguana.

Thaís Carvalho/Divulgação
Thaís Carvalho/Divulgação

JOIAS A empresária Paula da Fonte antenada com as novidades do setor

Em Paris

Lelê Saddi, que vem ao Recife, quinta, lançar seu Guia sobre Paris, conta que o segredo para conhecer bem a Cidade Luz é andar a pé. Táxi não vale. Os seus locais favoritos são o Museu Dorsay, Jardim de Tuilleries, o restaurante L’Ami Louis e, claro, a Torre Eiffel. Depois do sucesso desta edição, a blogueira já prepara para escrever sobre outras cidades. Na DSH.

Consolidação

Graça Fernandes começou há 35 anos a sua Mercatore como projeto social. Primeiramente, suas roupas infantis foram sucesso no exterior, sendo vendidas até na Harrods e Sacks. Depois veio a vez do Brasil. Há cinco anos, iniciou operação em shoppings. Para celebrar a data, planeja várias ações: série de eventos no RioMar, surpresas no Instagram e até abertura de novas operações no País.

10 anos de arte

Os dez anos da Arte Plural serão comemorados, lógico, com uma exposição. Fernando Duarte chamou Renato Valle e Christina Machado para celebrar a efeméride. São 11 desenhos dele e 24 esculturas dela, totalizando 46 obras, dispostas nos dois ambientes da casa. O vernissage será amanhã, a partir das 19h, e deverá reunir artistas - que já expuseram ao longo desse tempo - e amigos dos dois, bem queridos na área.

Teatro mais TV

A paixão pelo teatro e pela TV faz atores dividirem seu tempo entre os universos. As estrelas de As noviças rebeldes, em cartaz sexta e sábado, no Teatro RioMar, são exemplos disso. Soraya Ravenle está em I Love Paraisópolis, novela de Wolf Maya, também diretor do espetáculo. Sabrina Korgut e Maurício Xavier entram em estúdio para gravar o próximo Pé na cova. E Helga Nemeczyk é um dos destaques do Zorra.

Lacerda Estúdio/Divulgação