You are on page 1of 4

Aula 07 – Economia Internacional e Desenvolvimento Econômico

 Teoria de Comércio Internacional


 Processos de Abertura Econômica
 Equilíbrio do Balanço de Pagamentos
 Regimes, políticas e riscos cambiais
 O papel da Economia Política

Porque os países transacionam entre si?

- Aumentar o consumo;

- Aumentar o bem-estar;

- quando se especializam na produção de mercadorias nos setores em que dispõem de


vantagens comparativas.

- Os países transacionam pelas mesmas razões que levam os indivíduos a se especializarem em


algumas atividade: onde imaginam obter maior remuneração possível.

- Quando há a especialidade, existe a alocação de recursos escassos de modo eficiente com


vistas a aumentar o seu padrão, de consumo e bem-estar.

No plano internacional = interdependência alocativa = produtividade

a) Via Concorrência:

– eleva os riscos de atividade. Estimula as empresas a buscarem o modo mais


eficiente de alocar recursos escassos;

- estímulo natural a concentração a concentração dos fatores de produção


(terra, trabalho, capital, criatividade, energia, etc.)

- relação de qualidade e preço.

b) Via Economia de Escala:

- reduções de longo prazo dos custos (médios ou por unidade), que ocorrem
quando aumenta a escala de produção de uma firma.

- Quanto mais unidade do produto uma firma produz, menor o custo médio de
produção ou o custo por unidade produzida. Grande parte dos custos de produção são fixos.

- O crescimento do mercado consumidor potencial abre a oportunidade de que


as empresas do país explorem economias de escala, tornando-se mais eficientes.
- Para isso se dá o nome de divisão internacional do trabalho (especialização da produção de
mercadorias)

- A dotações de fatores de produção, levam os países a se especializarem em produtos ou


serviços diferentes. Cada país encontrará um conjunto de mercadorias em que é capaz de se
especializar e com isso exportar mais para o mercado internacional.

O que ocorre quando um país não detém vantagens comparativas?

- Todo país, assim como o indivíduo, possuem vantagens comparativas, mesmo quando
apresenta desvantagens absolutas.

- Mesmo se for menos eficiente e produtivo que todos os demais, ainda assim, fará sentido
para ele especializar-se na produção de determinadas mercadorias e adquirir via comércio
todas as demais.

 Se todos os países possuem vantagens comparativas, como determinar quais são os


setores que ele é mais produtivo ou eficiente?

- Um país disporá de vantagem comparativa nos setores que utilizar mais intensamente os
fatores de produção presentes no país em maior abundância.

- A oferta abundante de um fator barateia seu preço relativo.

- Ex.: Mão-de-obra barata x capital abundante.

 O que acontece se um país dispuser de vantagens comparativas apenas, por exemplo, na


produção de mercadorias que tem preços baixos e que está em queda no mercado
internacional?

- Todo país possui algo.

- Exatamente o que acontece com países pobres ou em desenvolvimento: bens


manufaturados, ou primários são produzidos com menor eficiência do que comparados com os
países mais ricos, e são vendidos a preços menores, tendo em vista a baixa remuneração dos
seus trabalhadores.

 TEORIA DO COMÉRCIO = fazer o indivíduo ou o país a ser mais eficiente no uso de seus
ativos, acumulando riqueza.

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO = processo de longo prazo que requer o investimento dos


recursos escassos da sociedade de uma forma que eleve a produtividade geral da economia.
Emprego dos seus ativos pode gerar remunerações mais elevadas.

 Quem ganha e quem perde com a liberalização do Comércio 

- Liberalização Comercial = redução dos obstáculos artificiais que inibem importações (tarifas e
barreiras não-tarifárias).

- tendem a ampliar o número de produtores de um mesmo produto e a provocar o


aumento da concorrência em praticamente todos os setores da economia.
- Fácil distinção – Ganhadores e perdedores (curto prazo).

- Setores beneficiados e prejudicados com a liberalização do comércio.

- BENEFICIADOS = aqueles que a maior parte dos fatores de produção estão aplicados
nos setores em que o país dispõe de vantagens comparativas. Onde é mais produtivo. Onde é
mais competitivo.

- PREJUDICADOS = aqueles que a maior parte dos fatores de produção estão


vinculados aos setores nos quais o país não dispõe de vantagens comparativas. Pouco
competitivo internacionalmente.

- Prejuízos momentâneos = o país todo ganhará ao longo prazo, com o aumento da


eficiência da economia.

Análise de Economia Política:

a) Quais são os grupos potencialmente prejudicados e os potencialmente beneficiados


pelo processo de liberalização comercial?
b) O que farão no âmbito da economia e da política para avançar seus interesses?
c) Quais deles dispõem de maiores estímulos para se mobilizar em prol de seus
interesses de curto e de longo prazo?
d) Quais deles dispõem de maior capacidade de influência e de pressão política?
e) Que outros fatores podem influenciar o processo de decisão política relativo à
liberalização comercial?

Modelos de teoria do comércio internacional para definir os beneficiados e os


prejudicados:

- Explicações para as diferenças de produtividade do comércio internacional de um


país para o outro.

a) Modelo Ricardiano (David Ricardo): diferenças de produtividade do TRABALHADOR


nos diversos países, explica a diferença nos custos de produção de um mesmo
produto.
– Teoria mais antiga.
– Modelo mais simples.

b) Modelo da Especificidade dos Fatores (factor-specificity): duas razões


- Considera mais dois fatores, além do trabalho: terra e capital.
- Cada um desses fatores podem ser usados para determinados bens, e não para
todos.
- Baixa mobilidade: capital = indústria. Terra = agricultura.
- Assim, um país que tenha mais ‘capital’ será muito mais produtivo na produção de
manufaturas do que na produção de commodities agrícolas e vice-versa.

c) Modelo da teoria da produção dos fatores (factor-proportions): As vantagens


comparativas entre países está na relação entre a proporção que os diferentes fatores de
produção estão disponíveis nos diferentes países e à proporção que eles são usados para
produzir determinado produto.

- Dois fatores podem ser usados em outros setores em uma dimensão particular

- Diferente da teoria acima, onde, por exemplo, fatores são específicos = terra e capital
= agricultura e indústria.

- O custo de produção está atrelado ao custo do fator que costuma ser mais utilizado.

- E o preço do fator, deriva à medida que ele está disponível no país.

Ações Políticas =

- provocam resistência dos atores privilegiados pela atual conjuntura.

- Grupos beneficiados pela situação econômica fechada.

- Formação de coalizão de resistência.

Como bem público, a reforma estrutural traz a seus empreendedores problemas clássicos de
ação coletiva, cuja solução cabe essencialmente ao governo, definindo sua ação e estratégia
política

...

Referência: Capítulo 04, Economia política e globalização – Carlos Pio. Ed. IBRI, Brasília,2002.

www.henriquesartori.com