Вы находитесь на странице: 1из 4

TINTAS, BETUMES E VERNIZES

Tinta – É constituída essencialmente por pigmentos, cargas, veículos e aditivos. É pigmentada.


Aplicada em camada fina, forma uma película sólida, corada e opaca quando seca.

Verniz – Não é pigmentado. Quando aplicada em camada fina, converte-se numa película seca,
transparente e não opaca. O verniz pode ser corado
Os vernizes celulosos (para madeiras) não devem ser aplicados em madeiras colocadas no
exterior porque este tipo de verniz não tem bom comportamento face aos agentes exteriores
(variações de temperatura, luz solar, etc.)
Nota: a cor pode ser dada por corantes (solúveis) ou pigmentos (não são solúveis)

- pigmento – confere opacidade; melhor resistência aos UV e à corrosão


- veículo – fixo: ligante (normalmente são resinas); volátil: solvente, diluente
- carga – dar corpo à tinta ( ex. a areia nas tintas texturadas)
- aditivos – secante, plastificante, fungicida

Exigências
- protecção da superfície
- facilidade de aplicação
- fraca toxicidade
- secagem rápida
- resistência à lavagem
- estética
- durabilidade
- economia

Esquemas de pintura

Madeira
Envernizamento
1ª -demão de tapa-poros
2ª – 2 ou mais demãos de verniz intercaladas com lixagens com lixas progressivamente mais
finas
Pintura
1º - 1 demão de barrocamento- seguida de lixagem
2º - 1 demão de subcapa (ligação do primário ao acabamento)
3º - 1 ou + demãos de tinta de acabamento (esmalte)

Metais
1º - 1 demão de primário (anti-corrosivo)
2º - 1 demão de subcapa
3º - 1 demão de tinta de esmalte (camada impermeabilizante e decorativa)

Rebocos e betões
Tinta de água
- primário anti-alcalino (selante)
- 1ª demão diluída a 20%
- 2ª demão de tinta simples

Tinta de areia (texturada)


- 1ª demão diluída
- 2ª demão de tinta simples

Tinta de carapas
- aplicação à espátula
- passagem com rolo com relevo
- aplicação de verniz (opcional)

Membrana elástica
- 1ª demão diluída
- 2ª demão simples

Borracha colorada (boa resistência química)


- 1ª demão diluída
- 2ª demão simples

LIGANTES HIDROCARBONATADOS (BETUMES)


Ligantes hidrocarbonatados – conjunto de materiais de base betuminosa, com origem no
petróleo, que são utilizados como matéria prima básica para a concepção de outros produtos
elaborados e pré-fabricados para a indústria da construção civil

Utilização
- estabilização de solos
- revestimentos superficiais
- argamassas e betões betuminosos
- impermeabilização de edifícios e obras públics

Variedades
- betume asfáltico – betume de origem petrolífera obtido a partir do petróleo bruto por meio
de destilação, insuflação ou cracking; sólido ou semi-sólido; podem ser aplicados tal como vão
da refinaria
- betume fluidificado – obtidos através de incorporação nos betumes asfálticos de solventes
(que posteriormente se evaporam)
- emulsões betuminosas – resultam da dispersão do betume asfáltico. As pequenas partículas
em água, com o auxílio de emulsionantes que provocam o decréscimo de tensão superficial.
Tratamento superficiais com gravilhas, tratamento de macadames por penetração
- mástiques betuminosos – misturas de betume asfáltico com filer e areia fina; com
aquecimento tomam uma consistência que permite estendê-los com uma espátula; podem
também ser de aplicação a frio
- pinturas betuminosas – podem ser com dispersão ou com dissolução
- colas betuminosas – fins adesivos
- betumes modificados (betumes + polímeros) – introdução de polímeros para os tornar mais
plásticos. (penetração baixa; temperatura de amolecimento elevada)
Comportamento reológico e constituição química
- comportamento visco-elástico ( típico dos polímeros)
- constituição química: hidrocarbonetos
- os diversos tipos de betume distinguem-se através do grau de variação das respectivas
viscosidades em função do tempo ou da temperatura
- a viscosidade é avaliada pelo ensaio de penetração
- os materiais betuminosos possuem componentes voláteis que se evaporam gradualmente ->
endurecimento, fendilhação, perda de plasticidade

Ensaios de caracterização
- penetração – uma agulha com uma massa normalizada (100g) penetra no betume durante
25seg. Regista-se o comprimento que penetrou
- ponto de amolecimento – temperatura para a qual uma esfera desce 2,5cm, estando ela
colocada no interior de um betume
Solventes utilizados
- gasolina – cura rápida
- petróleo – cura média
- gasóleo – cura lenta
Vantagem das emulsões betuminosas (betume + água + emulsionante)
- não é preciso aquecimento
- mais baratos
- boa adesão
- utilização de inertes húmidos
- pode ser feito no Verão ou no Inverno
- evita consumo de combustível
- doses mais exactas
- evita risco de explosão ou incêncio
Podem ser (consoante o emulsionante); aniónicas (básicas), catiónicas (ácidas)

Designação:
- betumes de destilação directa: 180/200 - penetração/penetração [décima de mm]
- betumes modificados: 90/40 – ponto de amolecimento [ºC/penetração]

Revestimentos de impermeabilização
- a tipologia do sistema escolhido depende das características do suporte, condições de
acessibilidade e de utilização da superfície, do meio ambiente, do método de ligação à base
das membranas que integram o complexo betuminoso.
- colagem das membranas – maçarico no local (mais recente, mais rápido), ou método de
colagem a quente com betume asfáltico oxidado aquecido em caldeiras
- As membranas podem estar:
- coladas entre si e no seu suporte (aderente)
- desligadas do seu suporte (independentes)
- coladas parcialmente (semi-aderentes)
- Factores determinantes do sucesso:
- escolha correcta das membranas betuminosas
- qualidade de execução e montagem
- tratamento adequado dos pontos singulares da cobertura
- superfície a tratar deve estar bem regularizada e limpa
- inclinação para não ocorrer estagnação permanente de águas