Вы находитесь на странице: 1из 14
NUTRIÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR Profa. Elineides S. Silva
NUTRIÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR Profa. Elineides S. Silva

NUTRIÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR

Profa. Elineides S. Silva

Faixa etária

2 (24 meses) a 6 (6 anos, 11 meses e 29 dias)

Características da Idade

•Menor ritmo de crescimento; •Até os 2 anos crescimento reflete condições de nascimento (gestação) e ambientais (nutrição); •A partir dos 2 anos potencial genético passa a ter impacto sobre o crescimento da criança; •Inapetência comportamental e orgânica;

anos potencial genético passa a ter impacto sobre o crescimento da criança; •Inapetência comportamental e orgânica;
anos potencial genético passa a ter impacto sobre o crescimento da criança; •Inapetência comportamental e orgânica;

Características da idade

• Curiosidade natural;

• Controle dos esfíncteres;

• Aprendizagem por mimetismo;

• Independência alimentar;

• Seletividade alimentar;

• Formação dos hábitos alimentares;

• Uma boa progressão do peso e estatura representa uma adequada nutrição, mesmo que o consumo habitual da criança não aparente tal adequação.

Características da Alimentação

• Alimentação da família;

• Horários mais regulares;

• As mamadeiras devem ser substituídas pelo copo;

• Neofobia alimentar: nessa fase são relutantes a experimentar novos alimentos;

• Mídia (televisão) exerce forte influência;

• Alimentação na creche, escolinha.

Características da Alimentação

A saúde na idade pré-escolar se refletirá definitivamente na adolescência e vida adulta, sendo fundamental que sejam atendidas as exigências nutricionais nesta faixas etária.

RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS

ENERGIA:

Equações para o cálculo do gasto energético basal (GEB):

 

OMS (WHO, 1985)

Schofield (1985)

Equação para o GEB - Masculino

Equação para o GEB - Masculino

 

0 a 3 anos

60,9 (P) - 54

< 3 anos

0,167(P) +15,17(E) – 617,6

3

a 10 anos

22,7 (P) + 495

3 a 10 anos

19,59(P) +1,303(E) + 414,9

Equação para o GEB - Feminino

Equação para o GEB - Feminino

 

0 a 3 anos

61 (P) - 51

< 3 anos

16,252(P)+10,232(E) – 413,5

3

a 10 anos

22,5 (P) + 499

3 a 10 anos

16,969(P) +1,618(E) + 371,2

P: peso (Kg) E: estatura (cm)

Métodos para cálculo do GET

Método Simplificado:

Multiplicar o GEB por 1,2 ou 1,3 no caso de crianças sedentárias. Multiplicar o GEB por 1,4 ou 1,5 no caso de crianças ativas.

Métodos para cálculo do GET

Método Detalhado:

**Multiplicar as horas do dia de acordo com as atividades – somar todas e dividir por 24 horas = fator atividade a ser utilizado**

Atividades

Cálculo do GET

Dormindo ou deitado

GEB x 1,0

Atividades muito leves

GEB x 1,3 a 1,5

Atividades leves

GEB x 1,6 a 2,5

Atividade moderadas e intensas

GEB x 2,5 a 5,0

Métodos para cálculo do GET

Descrição das atividades:

Atividades muito leves: sentado, escrevendo, estudando, tocando um instrumento musical. •Atividade leves: andando devagar, passeando de bicicleta, dançando, brincando de bola. •Atividades moderadas: andando depressa, correndo, andando de bicicleta, dançando em ritmo acelerado, natação, ginástica olímpica, jogando futebol, vôlei, basquete.

Métodos para cálculo do GET

Exemplo – Método Detalhado:

Idade: 5 anos, sexo: masculino, peso: 18 Kg, altura:

106cm

Atividades diárias: sono 9hs, brincar no parque 3hs, escolinha 4hs, desenhando e estudando em casa 3hs, correndo de um lado para o outro 2hs, assistindo TV 3hs.

Cálculo GEB - OMS: 903,6Kcal

9 x 1 + 3 x 2,0 + 4 x 1,8 + 3 x 1,4 + 2 x 2,5 + 3 x 1,3 = 36 = 1,5

24

Cálculo do GET = GEB x 1,5 = 1355,4Kcal

Métodos para cálculo do GET

Cálculo do GET estimado por recomendações de energia por quilograma de peso corporal

GET = peso corporal (kg) x recomendação de energia (kcal/ kg / dia)

Recomendações de energia por quilograma de peso corporal segundo idade e sexo

IDADE

Recomendação de energia ( kcal/kg/dia )

(anos)

Meninos

Meninas

1-2

104

106

2-3

104

102

3-4

99

95

4-5

95

92

5-6

92

88

6-7

88

83

* Fonte: OMS (1985)

Métodos para cálculo do GET

Recomendações diárias de energia para crianças (RDA, 1989)

 

Idade

Diária (kcal)

Por Kg (kcal)

1

a 3 anos

1300

102

4

a 6 anos

1800

90

DETERMINAÇÃO DA EER

 

Determinação da EER

 

Idade

Fórmula

 

13 a 35 meses

(89 x peso Kg – 100) + 20 kcal

3

a 8 anos - MENINOS

EER = 88,5 - (61,9xI)+PAx[(26,7xP)+(903xE)]+20kcal Onde:

 

PA=1,00 – sedentário PA=1,13 –pouco ativo PA=1,26 – ativo PA=1,42 – muito ativo I=idade(anos), P=peso(Kg) e E=estatura(m)

3

a 8 anos - MENINAS

EER = 135,3 - 30,8xI)+PAx[(10,0xP)+(934xE)]+20kcal Onde:

 

PA=1,00 – sedentário PA=1,16 –pouco ativo PA=1,31 – ativo PA=1,56 – muito ativo I=idade(anos), P=peso(Kg) e E=estatura(m)

Recomendações Nutricionais

CARBOIDRATOS

45 - 65% do GET (DRI/2002) Cuidado com o consumo elevado de carboidratos simples (açúcar) e redução do consumo de micronutrientes. Sacarose e saúde bucal na infância

LIPÍDIOS

1

- 3 anos

30% - 40% do GET

30% - 40% do GET

4

- 18 anos

25% a 35% do GET (DRI/2002)

Cuidado com restrições excessivas.

Recomendações Nutricionais

PROTEINA

Recomendações de proteína de acordo com o sexo e idade

 

Idade

Meninos (g/dia)

Meninas (g/dia)

1

a 3 anos

13,0 (1,05g/Kg/dia)

13,0 (1,05g/Kg/dia)

4

a 8 anos

19,0 (0,95g/Kg/dia)

19,0 (0,95g/Kg/dia)

Fonte: IOM, 2002

1 - 3 anos 4 - 18 anos

(0,95g/Kg/dia) Fonte: IOM, 2002 1 - 3 anos 4 - 18 anos 5%- 20% do GET

5%- 20% do GET 10% – 30% do GET (DRI/2002)

PAVB = 2/3 do total recomendado

Recomendações Nutricionais

FIBRAS

> 2 anos: idade + 5g

Ex.: criança de 4 anos deve ingerir: 4 + 5 = 9g/dia

Evitar quantidade excessiva de fibras.

Recomendações Nutricionais

VITAMINAS E MINERAIS

CÁLCIO:

•Formação de ossos e dentes; •Ingestão de 2 a 3 porções de produtos lácteos atinge recomendação.

Idade (anos)

Cálcio (mg/dia)

1

a 3

700

4

a 6

1000

Fonte: IOM, 2010

Recomendações Nutricionais

FERRO

- Prevalência elevada de anemia nessa faixa etária.

- Conseqüências da anemia:

Prejuízo no desenvolvimento e coordenação motora; Prejuízos no desenvolvimento cognitivo e da linguagem; Falta de atenção; Insegurança; Redução da atividade física.

Insegurança; Redução da atividade física. Uso do LV em substituição às refeições principais pode

Uso do LV em substituição às refeições principais pode ser um determinante da anemia.

Recomendações Nutricionais

FERRO

Idade (anos)

Ferro (mg/dia)

1

a 3

7

4

a 6

10

Fonte: IOM, 2002

Recomendações Nutricionais

VITAMINA A

•Importante papel no sistema imunológico; •Reduz gravidade das doenças e mortalidade infantil; Crianças com deficiência de vit. A são mais susceptíveis a infecções.

Quantidades diárias dos principais alimentos compatíveis com as necessidades nutricionais de pré- escolares

ALIMENTOS

 

PRÉ-ESCOLAR

Arroz*

2 a 3 colheres (sopa)

Feijão*

 

1

concha pequena

Carne*

2

colheres (sopa) – 100g

Legumes cozidos*

 

2

colheres (sopa)

Hortaliças cruas*

 

2 folhas

Frutas**

2

unidades (100 a 150g)

Suco de frutas**

 

1

copo (200mL)

Leite**

 

3 copos (600mL)

Pão francês**

 

2 unidades (100g)

Doces**

 

1 unidade (50g)

Açúcar**

 

2

colheres (sopa)

Ovo

 

2

a 3 por semana

Óleo***

 

15 a 20g

Fonte: Vitolo, 2003

Quantidades diárias dos principais alimentos compatíveis com as necessidades nutricionais de pré- escolares

* para cada refeição principal do dia (almoço e jantar) ** quantidade diária total *** óleo contido nas preparações das duas refeições diária

Recomendações para a prática dietética do pré-escolar

- Permitir que a criança controle seu consumo alimentar, especialmente no que diz respeito ao tamanho da refeição;

- Intervalo de 2 a 3 horas entre a ingestão de qualquer alimento e o horário das principais refeições;

- Fracionamento da dieta: 6 refeições diárias;

- Se houver recusa da refeição principal, não substituir por leite ou outros produtos lácteos. Oferecer mais tarde;

- Diversificar alimentos, forma de preparo e apresentação das refeições de maneira a estimular o aspecto sensorial da alimentação (combinações coloridas, consistência sólida, alimentos separados no prato);

Recomendações para a prática dietética do pré-escolar

- Evitar alimentos de alta concentração energética e calorias vazias (doces, refrigerantes, salgadinhos), especialmente nas 2 horas que antecedem as grandes refeições;

- Não oferecer sobremesa como recompensa ou retirá-la como punição, para evitar a supervalorização deste tipo de alimento;

- O horário da refeição deve ser agradável, mas não pode tornar-se um entretenimento. Portanto, não se deve utilizar brinquedos para convencer a criança a comer e nem estimular a criança a assistir televisão durante a refeição;

Recomendações para a prática dietética do pré-escolar

- Deixar a criança manipular o alimento e auto-alimentar- se;

- Manter a presença de verduras e legumes nas refeições mesmo que a criança não os aceite, mas sem a obrigatoriedade do consumo e sem comentários, caso sobrem no prato;

- Servir as refeições sem a presença de sucos, refrigerantes ou líquidos açucarados. Esses líquidos podem ser oferecidos após o término da refeição;

- Evitar condimentos e moderar o sal.

Pirâmide Alimentar Infantil - 2 a 3 anos de idade

Arroz, pão, massa, batata, mandioca – 5 porções
Arroz, pão, massa, batata, mandioca – 5 porções

Feijões – 1 porção

Óleos e gorduras – 1 porção

Açúcares e doces – 1 porção

Carnes e ovos – 2 porções

Leite, queijo e iogurte – 3 porções

Verduras e Legumes –

3 porções

Frutas – 3 porções

Fonte: Philippi, 1999

OBRIGADA!