Вы находитесь на странице: 1из 2

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

1ª C Â M A R A

Processo TC nº 02928/08

PREFEITURA MUNICIPAL DE COREMAS.


INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO.
JULGA-SE REGULAR COM RESSALVAS, APLICA-SE MULTA
E FAZ-SE RECOMENDAÇÃO.

ACÓRDÃO AC1 – TC – 00496 /2010

Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC nº 02928/08, referente


à Inexigibilidade de Licitação n.º 01/08, realizada pela Prefeitura Municipal de Coremas,
objetivando a contratação direta de pessoa jurídica para prestação de serviço na realização de
18 shows artísticos no carnaval daquele Município com bandas musicais, e

CONSIDERANDO que a inexigibilidade de licitação em exame processou-se


com fundamento nas disposições normativas da Lei Nacional n.º 8.666/93;

CONSIDERANDO que a unidade técnica, em sua manifestação inicial, fls.


84/85, detectou as seguintes irregularidades:

a) ausência de comprovação de que a empresa contratada é representante


exclusiva das bandas que prestaram o serviço;
b) a despesa foi efetuada através de unidade orçamentária correspondente à
Divisão de Educação e Cultura;
c) falta da justificativa do preço de acordo com o art. 26, § único, inciso III, da Lei
n.º 8.666/93, incluindo demonstração de preço cobrado pelas bandas em outras
localidades;
d) existência de pagamento parcelado no projeto básico, no processo de
inexigilidade e no contrato, caracterizando infração ao disposto no art. 40 da Lei
de Licitações e Contratos;

CONSIDERANDO que, devidamente notificado, o Prefeito Municipal de


Coremas, Sr. Edilson Pereira de Oliveira, apresentou a defesa de fls. 89/98, procurando
desconstituir as máculas suscitadas inicialmente;

CONSIDERANDO que a unidade de instrução, em sede de análise de defesa,


fls. 100/102, manteve as irregularidades relativas aos itens “a” e “c” mencionadas
anteriormente e reputou sanadas as demais;

CONSIDERANDO que o órgão ministerial junto ao TCE/PB, mediante o parecer


nº 071/2009, fls. 103/106, em síntese, opinou pela:

a) irregularidade da inexigibilidade de licitação em apreço, tendo em vista a


ausência de comprovação da exclusividade da empresa contratada, assim como
pela irregularidade do contrato dela decorrente;;
b) aplicação de multa pelo ato ilegal produzido, com fundamento na CF/88, art.
71, inciso VIII, e LCE 18/93, art. 56;
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

1ª C Â M A R A

Processo TC nº 02928/08

c) determinação para que a Auditoria apure a adequação das despesas, quando


da análise das contas anuais do Município em questão relativas ao exercício de
2008;

CONSIDERANDO os termos dos relatórios da unidade técnica de instrução, do


pronunciamento do representante do Ministério Público Especial, do voto do relator e o mais
que dos autos consta,

DECIDEM, por unanimidade de seus membros, em sessão realizada nesta data,


pela:

1. regularidade com ressalvas da Inexigibilidade de Licitação n.º 01/08 e do


Contrato n.º 22/08;

2. aplicação de multa pessoal ao Prefeito Municipal de Coremas, Sr. Edilson


Pereira de Oliveira, no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais), com fulcro no art.
56, II, da Lei Orgânica desta Corte de Contas, face à transgressão de normas
legais e constitucionais, concedendo-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para
efetuar o recolhimento do referido montante ao erário estadual, em favor do
Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal;

3. recomendação à Prefeitura Municipal de Coremas no sentido de agir com


observância às normas preconizadas na Lei Nacional n.º 8.666/93, evitando
a repetição das máculas detectadas nos presentes autos.

Presente ao julgamento o (a) Representante do Ministério Público


Especial.
Publique-se, registre-se e cumpra-se.
TC – Sala das Sessões da 1ª Câmara, em 18 de março de 2010.

JOSÉ MARQUES MARIZ UMBERTO SILVEIRA PORTO


CONS. PRESIDENTE CONS. RELATOR

REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO


JUNTO AO TCE/PB

Похожие интересы