Вы находитесь на странице: 1из 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS (DECISO)


HC 284 - Tópicos Especiais em Ciência Política XV
D i s c i p l i n a :

Segunda-feira: 13:30 a 17:30hs


H o r á r o
i :

1 semestre de 2010
V
a l i d a d e :

EP1 3º AND DPII


S
a l a :

Estudos monográficos sobre análise da argumentação na política


E m e n t a :

O objetivo do curso é estudar problemas teóricos e práticos referentes às relações entre internet e
O b j o
e t i v s :

os sistemas políticos contemporâneos, concentrando-se nos impactos das Novas Tecnologias de Informação e
Comunicação (NTICs), especialmente a internet, sobre as instituições da democracia representativa (partidos,
eleições e parlamentos). Será dada ênfase aos aspectos empíricos dessa relação bem como ao uso da internet
como ferramenta de pesquisa do cientista político. Nesse sentido, a questão que permeará todo o curso é a
seguinte: em que sentido as novas mídias estão agregando novas dimensões analíticas aos processos de
representação política e aos processos decisórios de uma maneira geral, especialmente nas eleições e no
processo eleitoral? Como a internet pode propiciar o surgimento de novas formas de argumentação no espaço
virtual?

Para abordar essa questão, o curso será constituído de quatro partes: (1) Uma primeira, onde serão examinados
conceitos e abordagens gerais necessários à compreensão dos impactos da internet nas sociedades
contemporânea; (2) Leitura e discussão de alguns estudos fundamentais sobre os impactos da internet nos
processos decisórios e de representação política das sociedades contemporâneas (Norris, Coleman; Chawdwik);
(3) Estudos de caso sobre os impactos da internet em aspectos específicos dos sistemas políticos, especialmente
as eleições; (4) agenda de pesquisa que deriva de todo esse debate e exame de estudos empíricos.

Aulas expositivas e debates/seminários em sala de aula de textos fundamentais sobre o tema


o o o g
M e t d l i a :

estudado. Tarefas a serem realizadas em casa com base no conteúdo das aulas. Atenção: é recomendável que
os alunos que se matricularem no curso tenham acesso à internet e alguma familiaridade com o programa Excel,
sob pena de não conseguirem acompanhar o conteúdo dado em sala de aula.

A principal avaliação será um trabalho de final de curso, de cunho empírico, onde os


A o
v a l i a ç ã e m é d i a f i n a l :

alunos deverão aplicar os conhecimentos obtidos ao longo do curso e produzir um estudo baseado
predominantemente em fontes de pesquisa coletadas na internet. Além disso, haverá uma avaliação
intermediária onde o estudante entregará um resumo de seu trabalho final na forma de um projeto de
pesquisa.
Estes trabalhos devem ser escritos em forma de pequenos textos ou “papers”, concisos, bem escritos e
objetivos, sem circunlóquios desnecessários para a resolução de um problema prático de pesquisa formulado ao
longo do texto. Caso sejam entregues num formato adequado, todos os trabalhos serão reunidos pelo professor
em um arquivo em formato pdf. e devolvidos aos alunos após o encerramento do curso, devidamente
comentados.

O trabalho deverá ser entregue numa cópia impressa e outra em arquivo Word para o e-mail do
professor (ssbraga@uol.com.br), formato: fonte arial 11, espaço 1,5 entre
r r o g u
i m p e t e i v e l m e n t e n s e i n t e

linhas, sem folha de rosto em nenhuma hipótese, com nome completo e legível do autor ou dos autores,
mínimo de 6 e máximo de 10 páginas, incluindo referências bibliográficas que deverão ser reduzidas ao mínimo
necessário para o entendimento da argumentação do texto.
Os critérios de avaliação dos trabalhos serão os seguintes, por ordem de importância:
1) Obediência estrita às regras acima estipuladas;
2) Originalidade na escolha do tema e uso da bibliografia discutida e indicada em sala de aula.
Compatibilidade da análise da bibliografia com o tema escolhido do trabalho final; evitar citações bibliográficas
meramente decorativas, sem aproveitamento ou debate com as idéias do texto citado.
3) Conteúdo do texto: Desenvolvimento adequado da argumentação e compatibilidade entre
argumentação e informações ou dados empíricos coletados. Todo o texto deve estar estruturado da seguinte
forma: a) introdução/justificativa do objeto; b) referencial teórico-metodológico, com referências a textos e
idéias teóricas que fundamentam a análise; c) análise de eventuais evidências empíricas e/ou dos argumentos
dos autores examinados; d) conclusões do trabalho realizado, redigidas de maneira clara e objetiva de
preferência discutindo com teses do trabalho anterior.
4) Aspectos formais do texto: As provas serão avaliadas tendo em vista a compreensão dos textos
indicados bem como dos debates travados em sala de aula. O português e a lógica do texto também serão
avaliados. Notas variam de zero a 100 (cem).

Para receber nota máxima, o trabalho deve estar pronto para ser submetido a algum
A o
t e n ç ã :

periódico das ciências sociais para avaliação a fim de ser publicado.

o o r o g r á o
n t e ú d p a m t i c :

U r o u o g r o u r o o o r o o o o r â A
n i d a d e 1 ) I n t d ç ã e a l a c s : s i m p a c t s d a i n t e n e t n a s c i e d a d e e n a p l í t i c a c n t e m p n e a s .

u o r r o o
e s t ã d a e p e s e n t a ç ã p l í t i c a .

- Estudos gerais sobre as relações entre internet e política (Castells, Wolton)


- A questão da representação política (Manin, Miguel, Stolkes)
- Eleições na idade mídia (e internética) (Rubin, Miguel)
U o b r o o r o o o o o r â o o o o
n i d a d e 2 ) R e f l e x õ e s s e s i m p a c t s d a i n t e n e t n s s i s t e m a s p l í t i c s c n t e m p n e s e c n c e i t d e

o o r u
s i s t e m a p l í t i c v i t a l ” .

- O conceito de e-democracia e tentativas de apropriação teórica do ciberespaço (Eisenberg, Gomes)


- Ciberotimistas, ciberpessimistas e cibercéticos (NorrisA)
- O conceito de “sistema político virtual” de Pippa Norris e as formas de ação política via web(NorrisB,
Penteado)
- Internet, participação e deliberação política (Gomes/Maia)
- Agenda de pesquisa nos tempos da Web 2.0 (Chadwick)
U o o o r u
n i d a d e 3 ) D i m e n s õ e s d s i s t e m a p l í t i c v i t a l .

Impactos da internet nos órgãos legislativos e elites parlamentares (Leston-Bandeira, Ward)


- Impacto da internet nas eleições [esse item será privilegiado no curso]
- Impactos da internet no sistema partidário (Ward, Rommele)
- Impacto da internet no governo eletrônico (Chawdik)
- Impacto da internet nos movimentos sociais e ciberativismo [cara de minas]
U u o o r b o
n i d a d e 4 ) D i s c s s ã d t a a l h f i n a l .

- O estudante deverá apresentar um projeto preliminar com os objetivos do trabalho e um trabalho final na
forma de artigo escrito rigorosamente segundo as normas acima.

o A u
l a n d e l a s :

A u o g r o u r o r r b o r o
l a 1 . E x p l i c a ç ã e a l d c s e p i n c i p a i s t e m a s a s e e m a d a d s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

1) O que será abordado no curso?;


2) Quais os principais tópicos examinados e critérios de avaliação?
Programa do curso.
r ê
R e f e n c i a :

A u o r o A b o r g g r
l a 2 . I m p a c t s d a i n t e n e t n a s c i e d a d e . d a e n s e a i s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

1) Como surgiu a internet e quais alguns de seus principais impactos nas várias dimensões dos sistemas
sociais modernos?;
2) Como se articulam as novas e as antigas mídias?
3) A internet acabará com a televisão?
r ê
R e f e n c i a s :

CASTELLS, M. (2003). A g a l á x i a i n t e r n e t : r e f l e x õ e s s o b r e a i n t e r n e t , o s n e g ó c i o s e a s o c i e d a d e . Rio de


Janeiro: Zahar. Caps. 1 e 5.
WOLTON, D. (2007). I n t e r n e t , e d e p o i s ? U m a t e o r i a c r í t i c a d a s n o v a s m í d i a s . 2 ed. Porto Alegre: Sulina.
Cap. 3. “As novas tecnologias, o indivíduo e a sociedade”.

A u o o o r r o o o o o o r b o
l a 3 . D i m e n s õ e s d c n c e i t d e e p e s e n t a ç ã p l í t i c a e c n c e i t d e d e m c a c i a d e p ú l i c ” .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

1) Quais as principais dimensões do conceito de representação política e por que este conceito é
importante para entender o papel da internet nos sistemas políticos contemporâneos?;
2) quais as principais contribuições de Manin et. al. e L. F. Muguel para a compreensão do conceito de
representação política?
3) como controlar o representante e como a internet pode contribuir para isso?
r ê
R e f e n c i a s :

Miguel, Luis Felipe.


r o o o r u o r
R e p e s e n t a ç ã p l í t i c a e m 3 D : e l e m e n t s p a a m a t e i a a m p l i a d a d a

. , Fev 2003, vol.18, no.51, p.123-140. ISSN 0102-6909.


r r o o
e p e s e n t a ç ã p l í t i c a

R e v . b r a s . C i . S o c .

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-


69092003000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
NICOLAU, J. M. (2002). Como controlar o representante? Considerações sobre eleições para a Câmara
dos Deputados . Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p. 219-236. D a d o s - R e v i s t a d e C i ê n c i a s S o c i a i s ,

http://www.scielo.br/pdf/dados/v45n2/10787.pdf
MANIN, B.; PRZEWORSLI, A.; STOKES, S. (2006). Eleições e Representação. São Paulo, n. 67, L u a N o v a ,

p. 106-138. http://www.scielo.br/pdf/ln/n67/a05n67.pdf ***


A u r
l a 4 . E l e i ç õ e s n a I d a d e M í d i a ( e i n t e n é t i c a ) .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s .

1) Qual o papel das eleições nos modernos sistemas representativos?


2) Representação e controle do representante no sistema eleitoral brasileiro.
r ê
R e f e n c i a s :

Miguel, Luis Felipe. .


u o o r r u r r o o o b r r o
M í d i a e v í n c l e l e i t a l : a l i t e a t a i n t e n a c i n a l e c a s a s i l e i

O p i n .

, Maio 2004, vol.10, no.1, p.91-111. ISSN 0104-6276


P

u b l i c a

http://www.scielo.br/pdf/op/v10n1/20316.pdf
RUBIM, A. A. C. (2001). Novas configurações das eleições na Idade Mídia. Campinas, v.
P ú

O p i n i ã o b l i c a ,

VII, n. 2, p. 168-181: http://www.scielo.br/pdf/op/v7n2/16937.pdf

O conceito de e-democracia e tentativas de apropriação teórica do ciberespaço


A u
l a 5 .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

EISENBERG, J. (2003). Internet, Democracia e República. Rio de D a d o s - R e v i s t a d e C i ê n c i a s S o c i a i s ,

Janeiro, v. 46, n. 3, p. 491-511. http://www.scielo.br/pdf/dados/v46n3/a03v46n3.pdf


GOMES, W. (2007). Belo Horizonte: Compós. 29 p. Paper D e m o c r a c i a d i g i t a l : q u e d e m o c r a c i a ?

apresentado ao Congresso do Compós em Belo Horizonte.


http://www.fafich.ufmg.br/compolitica/anais2007/gt_ip-wilson.pdf

Ciberotimistas, ciberpessimistas e cibercéticos. O conceito de “sistema político virtual” de Pippa Norris.


A u
l a 6 .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

1) Nesse item começará a ser discutido o trabalho final.


r ê
R e f e n c i a s :

NORRIS, P. (2001).
P

D i g i t a l D i v i d e : C i v i c E n g a g e m e n t , I n f o r m a t i o n o v e r t y , a n d t h e I n t e r n e t W o r l d w i d e .

Cambridge: Cambridge University Press. Cap. 5. “Theories of Digital Divide”. Disponível em


www.pippanorrris.com
PENTEADO, C. L. C. ; ARAUJO, R. P. A. ; SANTOS, M. B. P. . Ação Política na Internet. In: XIV Congresso
Brasileiro de Sociologia, 2009, Rio de Janeiro. Anais do XIV Congresso Brasileiro de Sociologia, 2009.
Disponível em: http://starline.dnsalias.com:8080/sbs/arquivos/14_6_2009_9_40_55.pdf

Internet, participação e deliberação política.


A u
l a 7 .

r ê
R e f e n c i a s :

GOMES, W. (2005). A democracia digital e o problema da participação civil na decisão pública. R e v i s t a

Unisinos, v. VII, n. 3, p. 214-222.set./dez .


F

r o n t e i r a s - e s t u d o s m i d i á t i c o s ,

http://www.unisinos.br/publicacoes_cientificas/images/stories/Publicacoes/fronteirasv9n3/09_art07_
gomes.pdf
GOMES, W.; MAIA, R. (2008). São Paulo: Paulus. C o m u n i c a ç ã o e d e m o c r a c i a : p r o b l e m a s e p e r s p e c t i v a s .

Cap. 7, “Democracia e internet como esfera pública virtual: aproximação às condições da deliberação”,
p. 277-294 & Cap. 8, “Internet e participação política”, p. 293-324. [Xerox]

A u o o o b U g r o u
l a 8 . l í t i c a n s t e m p s d a w e 2 . 0 . m a a e n d a d e e f l e x ã e d e p e s i s a .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

GOMES, W. ET. AL. (2009). "Politics 2.0": A campanha on-line de Barack Obama em 2008. R e v i s t a d e

Curitiba, v. 17, n. 34, p. 29-43.out. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-


P

S o c i o l o g i a e o l í t i c a ,

44782009000300004&script=sci_arttext
CHADWICK, A. (2009). Web 2.0: New challenges for the study of e-democracy in an Era of Informational
Exuberance. ???, v. 5, n. 1, p. 9-41.. J o u r n a l o f L a w a n d p o l i c y f o r t h e i n f o r m a t i o n a l s o c i e t y ,

A u o r o b r u o o
l a 9 . I m p a c t d a i n t e n e t s e a s e l e i ç õ e s . E s t d s d e c a s s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

1) Esta aula poderá ser desdobrada em duas.


r ê
R e f e n c i a s :

ANSTEAD, N.; CHADWIK, A. (2007).


P

a r t i e s , e l e c t i o n c a m p a i g n i n g a n d t h e I n t e r n e t : t o w a r d a

c o London: University of London. Working paper n. 5, Politics and


m p a r a t i v e i n s t i t u t i o n a l a p p r o a c h .

International Relations Working Paper.


BRANDÃO JR., F. A. F.
P

a l a n q u e s v i r t u a i s : a c a m p a n h a p r e s i d e n c i a l p e l a i n t e r n e t n a s e l e i ç õ e s d e 2 0 0 6 .

Brasília, 2008. 224 f. Dissertação (mestrado em Ciência Política) - Instituto de Ciência Política,
UnB/Universidade de Brasília. Capítulos a serem indicados.
GOMES, W.; AGGIO, C. ( 2009). C a m p a n h a s o n - l i n e : o p e r c u r s o d e f o r m a ç ã o d e q u e s t õ e s , p r o b l e m a s e

c o Curitiba: UPFR. Paper apresentado


n f i g u r a ç õ e s a p a r t i r d a l i t e r a t u r a p r o d u z i d a e n t r e 1 9 9 2 e 2 0 0 9 .

ao I Congresso de Pós-graduação em Sociologia da UFPR.

A u A r r r
l a 1 0 . i n t e n e t e a s e l i t e s p a l a m e n t a e s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

WARD, S.; LUSOLI, W. (2005). 'From weird to wired': MPs, the Internet and Representative Politics in
the UK. London, v. 11, n. 1, p. 57-81.spring . T h e J o u r n a l o f L e g i s l a t i v e S t u d i e s ,

NICOLÁS, M. A. I n t e r n e t e p o l í t i c a : g r a u s d e r e p r e s e n t a ç ã o p o l í t i c a e u s o d a i n t e r n e t p e l a s e l i t e s

p Curitiba, 2009. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Mestrado em


a r l a m e n t a r e s d a A m é r i c a d o S u l .

Sociologia, UFPR.
A u r r o u o b o r á
l a 1 1 . I n t e n e t e p a l a m e n t s . E s t d s d e a s p t i c a s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

LUSOLI, W.; WARD, S.; GIBSON, R. (2005). (Re)connecting Politics? Parliament, the Public and the
Internet. London, v. 59, n. 1, p. 24-42.nov. .
P

a r l i a m e n t a r y A f f a i r s ,
PEIXOTO, T. ( 2009). D i r e c i o n a m e n t o e s t r a t é g i c o : A L M G 2 0 1 0 - 2 0 2 0 . E s t u d o s d e b o a s p r á t i c a s :

d e mBelo Horizonte: ALMG/Assembléia Legislativa do Estado


o c r a c i a e l e t r ô n i c a n o B r a s i l e n o m u n d o .

de Minas Gerais. Relatório de pesquisa apresentado ao setor de planejamento da UFMG.


A u r r o o o
l a 1 2 . I n t e n e t e p a t i d s p l í t i c s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

BRAGA, Sérgio Soares; FRANCA, Andressa Silvério Terra; NICOLAS, María Alejandra. Os partidos
políticos brasileiros e a internet: uma avaliação dos websites dos partidos políticos do Brasil. Rev.
Sociol. Polit., Curitiba, v. 17, n. 34, Oct. 2009. Disponível em: www.scielo.com.br
ROMMELE, A. 2003. Political Parties, Party Comunnication and New Information and Comunication
Technologies. London, v. 9, n. 1, p. 7-20.
P P

a r t y o l i t i c s ,

Norris, P.. 2003. Preaching to the Converted? Pluralism, Participation and Party Websites.
P P

a r t y o l i t i c s ,

v. 9, n. 1, p. 21-45.
A u r o o o
l a 1 3 . I n t e n e t e m v i m e n t s s c i a i s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

MACHADO, J. A. (2007). Ativismo em rede e conexões identitárias: novas perspectivas para os


movimentos sociais. Porto Alegre, n. 18, p. 248-285.jul./dez. S o c i o l o g i a s ,

PEREIRA, M. A. P. C y b e r a t i v i s m o e d e m o c r a c i a : m o v i m e n t o s s o c i a i s e n o v o s r e p e r t ó r i o s d e a ç ã o .

Coimbra, 2008. Tese (Doutorado em Sociologia) - Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra.

A u A r o u o o o r b o
l a 1 4 . p e s e n t a ç ã e d i s c s s ã d s t e m a s d s t a a l h s f i n a i s .

Q u u g r
e s t õ e s s e i d a s :

r ê
R e f e n c i a s :

Textos livres a depender do interesse dos estudantes. De preferência relacionados a eleições.


A u g u
l a s s e i n t e s .

Bibliografia complementar:

ALBRECHT, S.; LÜBCKE, S.; HARTIG-PERSCHKE, R. 2007. Weblog BIMBER, B. A.; DAVID, R. Campaigning on-line: the Internet in U.
Campaigning in the German Bundestag Election 2005. S. elections. Oxford: Oxford University Press, 2003.
Social Science Computer Review, 25(4), p. 504-520. BIMBER, B.; DAVIS, R. 2003. Campaigning online: The Internet in
AYRES, J. M. 1999. From the streets to the Internet: The cyber U. S. Elections. New York: Oxford University Press.
diffusion of contention. In: The Annals of the American Bimber, Bruce. 2000. The study of information technology and
Academy of Political and Social Science. 566; 132-143. civic engagement. Political Communication, nº 17, págs.
BARBER, B. 1984. Strong democracy. Berkeley/Los 329-333.
Angeles/London: University of California Press. BRAGA, S. S.; FRANÇA, A. S. T.; CRUZ, L. C. Como os políticos
BARBER, Benjamin R. 1998. Three scenarios for the future of brasileiros estão usando a internet para se comunicar e
technology and strong democracy”. Political Science interagir com o eleitor? Um estudo sobre o uso da internet
Quarterly, 113 (4): 573-89. pelos candidatos às eleições de outubro de 2006 na região
BARGH, J. 2002. Beyond simple truths: the human-Internet Sul do Brasil. Revista Política & Sociedade. Universidade
interaction. In: Journal of social issues – consequences of Federal de Santa Catarina/UFSC, n. 10, abril de 2007.
the Internet for self and society: is social life being BRAGA, Sérgio Soares. Podem as novas tecnologias de
transformed? Vol. 58, nº1. informação e comunicação auxiliar na consolidação das
BENNET, W. L. and ENTMAN, R. M. 2003. Mediated Politics – democracias? Um estudo sobre a informatização dos
communication in the future of democracy. Massachusetts órgãos legislativos na América do Sul. Opinião Pública
Institute of Technology. [online]. 2007, v. 13, n. 1, pp. 1-50. ISSN 0104-6276. doi:
10.1590/S0104-62762007000100001.
BENNETT, L. 2004. Communicating global activism – strengths
and vulnerabilities of networked politics. In: VAN de DONK, BRAGATTO, R. C. Participação Democrática e Internet: Uma
Win, LOADER, B, NIXON, P, and RUCHT. D. Cyberprotest – Breve Análise Dos Websites dos Governos Federais dos
new media, citizens and social movements. London: Quatro Maiores Países Sul-Americanos. In: II COMPOLÍTICA
Routledge. - Congresso da Associação Brasileira de Pesquisadores em
Comunicação e Política, 2007, Belo Horizonte. Anais do II
BEST, Samuel J., e KRUEGER, Brian. Analyzing the Congresso da Associação Brasileira de Pesquisadores em
representativeness of Internet political participation. Comunicação e Política, 2007.
Political Behavior, vol. 27, n. 2 (Junho de 2005)
BRANDÃO, F.. BATISTA, C., M.. Palanques virtuais: o uso de sites, EISENBERG, J.; CEPIK, M. (Orgs.). Internet e Política: teoria e
e-mails e comunidades eletrônicas nas eleições de 2006. In: prática da democracia eletrônica. Belo Horizonte: UFMG,
6º Encontro da ABCP, Unicamp, Campinas, 2007. 2002.
CASTELLS, M. 2004. A galáxia Internet: reflexões sobre Internet, EVERARD, J. 2000.Virtual States: the Internet and the boundaries
negócios e sociedade. Lisboa: Fundação Calouste of the nation state. London: Routledge.
Gulbenkian. FERNANDEZ, R. 2005. Campanhas Eleitorais Brasileiras na
CHADWICK, A. 2006. Internet politics – states, citizens, and new Internet. Campinas. 145 p. Dissertação. Departamento de
communication technologies. New York: Oxford University Ciência Política do Instituto de Filosofia e Ciência Política da
Press. Universidade Estadual de Campinas.
CHAIA, Vera. As novas formas de participação política e as FERNANDEZ, R. G. Campanhas eleitorais na internet. 2005.
comunidades on-line: um Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - IFCH,
COHEN, D., T.. The Web of Candidates and Parties: Internet UNICAMP, Campinas. 136f.
Functionality in the 2004 Election. In: Annual Meeting of FERREIRA, A. A. de. Eleição de 2006 na Internet. Revista
the Midwest Political Science Association, April 20-22, Eletrônica Paraná Eleitoral. Curitiba, abr. 2006. Disponível
2006. em: <http://www.paranaeleitoral.gov.br/>. Acesso em 24
COLEMAN, S. (org.). 2001. 2001 Cyberspace Odyssey: the abr. 2006.
Internet in the UK Election. London: The Hansard Society. FISHKIN, J. S. (2002). Possibilidades democráticas virtuais:
CONVERSE, Philip E. The nature of belief systems in mass perspectivas da democracia via internet. In: EISENBERG, J.;
publics. Critical Review – Special issue on democratic CEPIK, M. (Orgs). I n t e r n e t e p o l í t i c a : t e o r i a e p r á t i c a d a

competence, vol. 18, nº 1-3 (winter-summer 2006) d e m o c rBelo Horizonte: UFMG. p. 17-45.
a c i a e l e t r ô n i c a .

CORGOZINHO, I. A democracia eletrônica em Minas Gerais. FOOT, K. A.; SCHNEIDER, S. M. 2002. Online action in campaign
Fronteira Virtual, S.l., 2003. Disponível em: 2000: An exploratory analysis of the U.S. political Web
<http://www.sglweb.com.br/sgl-mkt/artigo.htm>. Acesso sphere. Journal of Broadcasting & Electronic Media, 46, p.
em: 25.jan.2009 222-244.
CORNFIELD, Michael. Politics moves online: campaigning and the FRICK, M.. La Ciencia Política Electrónica. Introducción a un
Internet. EUA: Century Foundation Press, 2004. nuevo campo de Investigación. Revista Uruguaya de
Ciencia Política, Nº 15, p.175-184, 2006.
D’ALESSIO, D. 1997. Use of The World Wide Web in the 1996 US
Elections. Electoral Studies, 16(4), p. 489-500. GAINOUS, J., WAGNER, M..Electronic Grassroots: Does Online
Campaigning Work?*. In: Annual Meeting of the Midwest
D’ALESSIO, D. 2000. Adoption of the World Wide Web by Political Science Association in Chicago, Illinois, April 10,
American political candidates, 1996-1998. Journal of 2007.
Broadcasting & Electronic Media, 44, p. 556-568.
GANT, Michael, and LYONS, William. 1993. Democratic theory,
DAHL, Robert. 1989. Democracy and its Critics. New Haven: Yale nonvoting, and public policy. American Politics Quarterly
University Press. 21: 185-204.
DAHLGREN, P. 2000. L’espace public et l’Internet. Structure, GIBSON, R.;MARGOLIS, M.; RESNICK, D.; WARD, S. 2003. Election
espace et communication, Réseaux, 100. Campaigning on the WWW in the USA and UK, Party
DAVIS, R. 1999. The web of politics – the Internet’s impact on Politics, 9(1), p. 47–75.
the American political system. Oxford: Oxford University GOMES, W. Ciberdemocracia: possibilidades e limites. 2004. In:
Press. Conferência Inaugural do II Congresso Ibérico de
DAVIS, Richard. The Web of Politics: The Internet's Impact on Comunicação. Covilhã: Portugal, 2004.
the American Political System. Oxford: Oxford University GOMES, W. S. . Transformações da política na era da
Press, 1999. comunicação de massa 2ª. ed. São Paulo: Paulus, 2007.
DELLA PORTA, D. and DIANI, M. 2006. Social Movements: an GRANJON, F. 2001. L’internet militant – mouvement social et
introduction. Oxford: Blackwell. usaes des réseaux télématiques Paris : Éditions Apogée.
DELLA PORTA, D. and TARROW, S. (eds.) 2005. Transnational GUEORGUIEVA, V. 2008. Voters, MySpace, and YouTube: The
protest and global activism. New York: Rowman and impact of alternative communication channels on the 2006
Littlefield Publishers. election cycle and beyond. Social Science Computer
Delli Carpini, Michael X. 2000. Gen.com: youth, civic Review, 26(3), p. 288-300.
engagement, and the new information environment. GUESSER, A.H. 2006. Software livre & controvérsias
Political Communication, nº 17, págs. 341-349. tecnocientíficas – uma análise sociotécnica no Brasil e em
DELLI CARPINI, Michael X., e KEETER, Scott. 1997. What Portugal.Curitiba: Juruá Editora.
Americans Know about Politics and Why It Matters. Yale: HABERMAS, Jürgen. Mudança Estrutural da Esfera Pública:
Yale University Press investigações quanto a
DOWNING, J.D.H. 2001.Radical Media – Rebellious HELD, David. Modelos de Democracia. Belo Horizonte: Paidéia,
communication and social movements. Thousand Oaks: 1987ALDÉ, A; BORGES, J. Internet, imprensa e as eleições
Sage Publications. de 2002: pautando notícias em tempo real. Revista Logos,
DOWNS, Anthony. Uma teoria econômica da democracia. São v. 21, Rio de Janeiro, 2004.
Paulo: Edusp, 1999. HELD, David. Modelos de Democracia. Belo Horizonte: Paidéia,
EISENBERG, J. Internet, Democracia e República. DADOS – 1987.
Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v. 46, n. 3, 2003, HILL, K. and HUGHES, J. E. 1998. Cyberpolitics. Citizen activism in
pp. 491-511. the age of the Internet, Lanham, MD: Rowman & Littlefield.
EISENBERG, J.; CEPIK, M. (ORGS). (2002). I n t e r n e t e P o l í t i c a :

IASULAITIS, S.. Internet e propaganda política no Brasil: limites e


t e o r i a e p r á t i c a d a d e m o c r a c i a e l e t r ô n i c a . Belo Horizonte: possibilidades. In: Estudos de Sociologia, Araraquara, v.12,
UFMG. [Capítulos a serem indicados] n.23, p.153-172, 2007.
IASULAITIS, Sylvia. 2006. A Internet pode revigorar as eleições? http://www.gnu.no/philosophy/lessig-fsfs-intro.html
Um estudo das campanhas virtuais presidenciais do pleito ACESSADO 24/02/2009
de 2006. ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS (22 a 26 de LÉVY, P. 2000. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34.
Outubro de 2007) Caxambu – Minas Gerais. Disponível em
http://201.48.149.88/anpocs/arquivos/11_10_2007_12_46 LEVY, Steven. 2004. Dean's net effect is just the start. Newsweek
_43.PDF 143: 73.

IBOPE. 2008. Global Internet Trends – NetRatings, Relatório do LIJPHART, Arend. 1997. Unequal participation: democracy's
3º Trimestre de 2008, disponível em unresolved dilemma. American Political Science Review 91:
http://www.cetic.br/usuarios/ibope/index.htm 1-14. 1996

IRELAND, E.; NASH, P. T. Winning campaigns on-line: strategies LILLEKER, D., G., JACKSON, N., A.. Interacting and Representing:
for candidates and causes. 2 ed. EUA: Science Writers Pr., can Web 2.0 enhance the roles of an MP?. In: ECPR Joint
2001. Sessions, Lisbon 2009.

JOHNSON, T.; BRAIMA, M.; SOTHIRAJAH, J. 1999. Doing the MAIA, R. 2002. Redes cívicas e Internet – do ambiente
traditional media sidestep: comparing the effects of the informativo denso às condições da deliberação pública. In:
internet and other nontraditional media with traditional EISENBERG, J. E CEPIK, M. (orgs) Internet e política – teoria
media in the 1996 Presidential Campaign. Journalism and e prática da democracia eletrônica. Belo Horizonte: Editora
Mass Communication Quarterly, 76(01), p. 99-124. UFMG.

JOHNSON, Thomas J. and KAYE, Barbara K. A Boost or Bust for MAIA, R. 2006. Mídia e vida pública – modos de abordagem. In:
Democracy? How MAIA, R e CASTRO, M.C.P Mídia, esfera pública e
identidades coletivas. Belo Horizonte: Editora UFMG.
JOHNSON, Thomas J.; KAYE, Barbara K. 2003. A Boost or Bust for
Democracy? How the web influenced political attitudes MARGOLIS, M.; RESNICK, D.; TU C. 1997. Campaigning on the
and behaviors in the 1996 and 2000 presidential elections. Internet: Parties and Candidates on the World Wide Web in
Press/Politics, 8(3), p. 9-34. the 1996 Primary Season’, Press/Politics, 2, p. 59–78.

KAID, L. 2002. Political advertising and information seeking: MARGOLIS, Michael, e RESNICK, David. 2000. Politics as usual:
comparing exposure via traditional and internet channels. The cyberspace “Revolution”. Thousand Oaks, CA: Sage.
Journal of Advertising, 31 (1), p. 27-35. MELUCCI, A. 1996. Challenging codes – collective action in the
KAID, L. 2003. Effects of political information in the 2000 information age. Cambridge: Cambridge University Press.
presidential campaign. The American Behavioral Scientist, MOISÉS, José Álvaro. 1995. Os brasileiros e a democracia. São
46(5), p. 677 – 693. Paulo: Editora Ática, 1995
KAID, L. 2006. PoliticalWebWars: The use of the internet for MORAES, D. de. Comunicação virtual e cidadania: movimentos
political advertising. In: Williams, A. P.; Tedesco, J.C. (org.) sociais e políticos na internet. Revista Brasileira de Ciências
The Internet Election: Perspectives on the Web in da Comunicação, v. XXIII, n. 2, jul./dez. 2000, pp. 142-155.
Campaign 2004. Lanham, MD: Rowman and Littlefield. MULHALL, E. 2007. To Blog or not to blog: when traditional
KIESLER, Sara, ZDANIUK, Bozena, LUNDMARK, Vicki, e KRAUT, campaign rhetoric meets technology—early analysis and
Robert. 2000. Troubles with the Internet: The dynamics of discussion of candidate blogs for the 2008 presidential
help at home. Human-Computer Interaction 15: 323-351. elections. Tese doutoral do Boston College.
KLING, Robert. 1999. What is social informatics and why does it MYERS, D. 1993. New technology and the Clinton presidential
matter? D-Lib Magazine 5: 1-30. campaign. American Behavioral Scientist, 37(2), p. 181-184.
KLOTZ, R. 1998. Virtual Criticism: Negative advertising on the NEUMAN, Russel. The paradox of mass politics: Knowledge and
Internet in the 1996 Senate Races. Political Communication opinion in the American electorate. Cambridge: Harvard
15, p. 347–65. University Press, 1986
KLOTZ, R. 2007. Internet Campaigning for Grassroots and NORRIS, P. 2002. Democratic Phoenix – Reinventing political
Astroturf Support. Social Science Computer Review, 25(1), activism. Cambridge University Press.
p. 3-12. NORRIS, P. 2003. Preaching to the converted? Pluralism,
KLUVER, R. 2004. Political culture and information technology in participation and party websites. In: Party Politics, vol. 9,
the 2001 Singapore general election. Political nº1.
Communication, 21, p. 435-458. NORRIS, Pipa. 1999. The growth of critical citizens? In: NORRIS,
KOHUT, A. 2008. Internet’s broader role in campaign 2008: Pipa. Critical citizens: global support for democratic
Social networking and online videos take off. Pew Internet government. Oxford: Oxford Pres University
& American Life Project, 2008. Acesso em 15 de fevereiro NORRIS, Pipa. 2001. The digital divide. Cambridge: Cambridge
de 2009 em: University Press
http://www.pewinternet.org/pdfs/Pew_MediaSources_jan
NORRIS, Pippa. Democratic Divide? The impact of the Internet
08.pdf.
on Parliaments Worldwide. Harvard University: John
KOHUT, A. 2008b.Liberal Dems top conservative Reps in Kennedy School of Government, 2000. Paper apresentado
donations, Activism: More than a quarter of voters read no Congresso da APSA e disponível em:
political blogs. Pew Internet & American Life Project. <http://ksghome.harvard.edu/~pnorris/acrobat/apsa2000
Acesso em 15 de fevereiro de 2009 em: demdiv.pdf>. Acesso em 27 fev. 2007.
http://www.pewinternet.org/pdfs
NORRIS, Pippa. Digital divide? Civic Engagement, Information
LE GRIGNOU, B. and PATOU, C. 2004. ATTA(k)ing expertise – Poverty, and the Internet Worldwide. Cambridge:
does the internet really democratize knowledge? In: VAN Cambridge University Press, 2001.
de DONK, Win, LOADER, B, NIXON, P, and RUCHT. D.
NTIA. 1999. Falling through the Net. Washington, DC: U.S.
Cyberprotest – new media, citizens and social movements.
Departmento of Commerce.
London: Routledge.
www.ntia.doc.gov.ntiahome/fttn99
LESSIG, L. Introduction to Free Software, Free Society: The
OECD. 2000. Information technology Outlook. Paris: OECD.
Selected Essays of Richard M. Stallman
PAGE, Benjamin, e SHAPIRO, Robert. 1992. The Rational Public: http://www.pewinternet.org/PPF/r/252/report_display.as
Fifty years of trends in American’s policy preferences. p
Chicago: University of Chicago Press. SORJ, B. Internet, espaço público e marketing político. Entre a
PARKING, M.. Congressional Campaigns in Cyberspace and the promoção da comunicação e o solipsismo moralista. Novos
Effect of Presentation Technology on Website Visitors. In: Estudos Cebrap, São Paulo, v. 67, nov. 2006, pp. 123-136.
Annual meeting of the Midwest Political Science SORJ, B., GUEDES, L. E. 2005. Exclusão digital: problemas
Association, Chicago, Illinois, April 12-15th, 2007. conceituais, evidências empíricas e políticas públicas,
Presidential Elections. Harvard International Journal of Novos Estudos Cebrap, nº 72, p.101-117, julho.
Press/Politics, n. 8, 2003. STROMER-GALLEY, J.; FOOT, K.; SCHNEIDER, S.; LARSEN, E. 2001.
PUOPOLO, S. 2001.The Web and U.S senatorial campaigns 2000. How Citizens Used the Internet in Election 2000. In:
The American Behavioral Scientist, 44 (12), p. 2030-2047. Coleman, S. (org.) Elections in the Age of the Internet:
PUTNAM, Robert. 2000. Bowling Alone: The Collapse and Lessons from the US, London: Hansard Society.
Revival of American Community. New York: Simon & the Web Influenced Political Attitudes and Behaviors in the 1996
Schuster. and 2000
RESNICK, D. Politics on the Internet: the Normalization of THOMAS, D. 2003. Technologies of resistance paper presented
Cyberspace. In: TOLOUSE, C. and LUCKE, T. (eds). 1998. The at the congress Democracy in the digital age, Yale Law
politics of cyberspace. New York: Routledge. School.
RUCHT, D. 2004. The quadruple A – media strategies of protest TOPS, P.; VOERMAN, G.; BOOGERS, M. 2000. Political websites
movements since teh 1960s. In: VAN de DONK, Win, during the 1998 Parliamentary Elections in the
LOADER, B, NIXON, P, and RUCHT. D. Cyberprotest – new Netherlands. In: J. Hoff, I. Horrocks; P. Tops (org.)
media, citizens and social movements. London: Routledge. Democratic Governance and New Technology. London:
SACO, D. 2002. Cybering Democracy: public space and the Routledge.
internet. Minneapolis: University of Minnesota Press. TOULOUSE, C. e LUKE, T. 1998. The politics of cyberspace.
SALTER, L. 2003. Democracy, new social movements, and the Routledge: New York.
internet In: McCAUGHEY, M. And AYERS, M.D (eds.). TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL. Resolução nº 22.718.
Cyberactivism – online activism in theory and practice. New Disponível em:
York: Routledge. <http://www.tse.gov.br/downloads/eleicoes2008/r22718.
SANTOS, B. S. 2002 Reinventar a democracia. Lisboa: Editora pdf> Acesso em: 14 jun. 2009.
Gradiva. TRIPPI, Joe. The revolution will not be televised: democracy, the
SANTOS, B.S. 2005. O Fórum social mundial – manual de uso. Internet, and the overthrow of everything. New York:
Porto: Edições Afrontamento. Regan Books, 2004.
SANTOS, B.S. 2006. A gramática do tempo – para uma nova uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo
cultura política. São Paulo: Editora Cortez. Brasileiro, 2003.
SCHNEIDER, S.; FOOT, K. 2006. Web Campaigning by US VAN AELST, P. and WALGRAVE, S. 2004. New media, new
Presidential Primary Candidates in 2000 and 2004. In: movements? The role of the internet in shaping the ‘anti-
WILLIAMS, A.; TEDESCO, J. (org.) The Internet Election: globalization’ movement. In: VAN de DONK, Win, LOADER,
Perspectives on the Web in Campaign 2004. Lanham, MD: B, NIXON, P, and RUCHT. D. (orgs.) Cyberprotest – new
Rowman and Littlefield. media, citizens and social movements. London: Routledge.
SCHUMPETER, Joseph A. 1984. Capitalismo, Socialismo e VAN de DONK, W, LOADER, B, NIXON, P, and RUCHT. D. 2004.
Democracia. São Paulo: Zahar Editora. Cyberprotest – new media, citizens and social movements.
London: Routledge.
SILVA, S. P. da. Graus de participação democrática no uso da
Internet pelos governos das capitais brasileiras. Opinião VEGH, S. 2003. Classifying forms of online activism – the case of
Pública, Campinas, Vol. XI, nº 2, Outubro, 2005, pp. 450- cyberprotests against the World Bank. In: McCAUGHEY, M.
468. And AYERS, M.D (eds.). Cyberactivism – online activism in
theory and practice. New York: Routledge.
SILVA, S. P. Graus de participação democrática no uso da
Internet pelos governos das capitais brasileiras. Opinião VERBA, Sidney, SCHLOZMAN, Kay, e BRADY, Henri E. 1995. Voice
Pública, Campinas, v. XI, n. 2, p. 450-468, out. 2005. and Equality. Cambridge, MA: Harvard University Press.
SILVA, S. P. P a r t i c i p a ç ã o p o l í t i c a e i n t e r n e t : p r o p o n d o u m a
WARD, S.; GIBSON, R. 2003. On-line and on message? Candidate
a n á l i s e t e ó r i c o - m e t o d o l ó g i c a a p a r t i r d e q u a t r o
websites in the 2001 General Election. British Journal of
c o n g  Curitiba: UFBA, 2006. Trabalho
l o m e r a d o s d e f a t o r e s .
Politics and International Relations, 5(2), p. 188-205.
apresentado no GT Internet e Política do I Congresso Anual WILHELM, A. G. 2000. Democracy in the digital age. New York:
da Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação Routledge.
e Política. Salvador-BA. WILLIAMS, C. ; GULATI, 2008. G. What is a social network worth?
SILVEIRA, S.A. 2003. Inclusão digital, software livre e Facebook and vote share in the 2008 Presidential
globalização contra-hegemônica. In: SILVEIRA, S.A e Primaries. Trabalho apresentado no Annual Meeting of the
CASSIANO, J. (orgs.) Software livre e inclusão digital São American Political Science Association, Boston, 2008.
Paulo: Conrad Editora do Brasil. Acesso em 15 de fevereiro de 2009 em:
SMITH, A. 2008. Post-election voter engagement. Pew Internet http://blogsandwikis.bentley.edu/politechmedia/wp-
& American Life Project, 2008. Acesso em 15 de fevereiro content/uploads/2008/10/apr-sept-1.pdf
de 2009 em: YOUNG, I. M. 2003. Activist Challenges to Deliberative
http://www.pewinternet.org/pdfs/PIP_Voter_Engagement Democracy. IN: FISHKIN, J. and LASLETT, P. Debating
_2008.pdf deliberative democracy. Oxford: Blackwell Publishing, pp.
SMITHT, A.; RAINIE, L. 2008. The Internet and the 2008 election. 102-120.
Pew Internet & American Life Project. Acesso em 15 de
fevereiro de 2009 em:

Похожие интересы